Criador do Logo Escolhido para o JMJ 2013 participa da RCC.



Divulgado o logotipo que representará a campanha do JMJ 2013 a se realizar no Rio de Janeiro – Brasil



Gustavo Curty Huguenin – Portal http://www.jmj2013.com

Uma grande alegria para a família carismática do Brasil! O ganhador do concurso que escolheu a Logo da Jornada Mundial da Juventude 2013, que será realizada na cidade do Rio de Janeiro, é membro da Renovação Carismática Católica. O lançamento foi feito na noite dessa terça-feira (07), na capital carioca.

Gustavo Curty Huguenin mora na cidade de Cantagalo/RJ e pertence ao Grupo de Oração Bem Aventurados de Maria. Ele atua no Ministério de Comunicação Social e foi um dos responsáveis pela remodelação da Marca da RCCBRASIL e pela elaboração do Manual da Identidade Visual do Movimento.

Ao falar sobre a conquista para o Site Oficial da JMJ Rio 2013, Gustavo se referiu à alegria por poder servir a Igreja através da RCC: “Fui conhecendo e podendo amar mais a Igreja através da Renovação. Posso servir ao Senhor através deste movimento e das equipes pastorais da Igreja”, afirmou.

Entenda melhor a Logo:





Leia Mais:
http://www.rccrs.com.br/noticias/brasil/




CHÁCARA JEUS CURA



Rede Record Faz Reportagem Desfavorável ao JMJ 2013.



Veja o título da Manchete da Record estampada com letras Maiúsculas no seu site R7:



(sit) “Dinheiro para promover evento católico sairá do bolso do carioca”


O evento Católico em questão seria o

JMJ 2013.


Festival Promessas, Show Gospel no Rio de Janeiro, aterro do Flamengo


Em Contrapartida está acontecendo neste momento um Show Gospel patrocinado pela rede Globo em convênio com a Prefeitura do rio, mas contra este evento evangélico não foi pronunciado nenhuma vírgula.



A TV Record uma emissora da (IURD) em uma reportagem no Jornal da noite denunciou a Deputada Myrian Rios por pedir dinheiro ao estado do Rio para financiar a Jornada Mundial da Juventude 2013. Pelo que se vê na reportagem começaram cedo a colocar o povo brasileiro contra a JMJ-RIO.

Isto não é novidade, pois durante a última JMJ 2011 ocorreu o mesmo tipo de manifestação durante o evento em Madrid.

Um grupo de manifestantes “ATEUS” fez protesto contra a JMJ dizendo que o Govêrno estava financiando o evento o que foi desmentido pelo Govêrno local (ZP11082105 – 21-08-2011).



Vejam a reportagem neste vídeo, retirado do site da Rede Record:

http://videos.r7.com/r7/service/video/playervideo.html

O Blog WordPress não permite hospedagem de Video do R7.

http://noticias.r7.com/cidades/noticias/dinheiro-para-promover-evento-catolico-saira-do-bolso-do-carioca-20111209.html

A Rede Record fez reportagens nas ruas da cidade e com alguns políticos simpatizantes, evidentemente foram escolhidas as opiniões contrárias ao evento, se bem que nem se referiram ao JMJ 2013 diretamente, poderíamos aplicar a mesma reportagem contra o Rock In Rio, Contra os fogos de Fim de ano na Praia, contra as paradas Gay’s, Contra as Olimpíadas no Rio e porque não dizer contra também a Copa de 2014.

Todos estes eventos se tratam de manifestações públicas de grande porte que requerem a participação obrigatória do poder Público na viabilização de transportes coletivos, a disponibilização de local para o evento e principalmente assegurar a segurança de todos os turistas participantes, sejam eles Brasileiros ou estrangeiros.

Em todos estes eventos programados para acontecerem no Rio de Janeiro, sempre se contabiliza grandes lucros advindos do Turismo, pois todos os participantes dos eventos, sejam eles de cunho Artístico, Religioso ou Esportivo sempre são turistas que alugam hoteis, alimentam-se em restaurantes e lanchonetes, usam transportes locais, compram lembranças e outras quinquilharias nas lojas locais e etc.  e tudo isto além de gerar lucros para o comêrcio local dão um enorme retorno ao proprio Govêrno em forma do pagamento de impostos.

Sendo assim, o financiamento de qualquer evento que atraia o turismo para uma certa Região não é nada mais e nada menos do que um investimento com retorno garantido e se o Rio de Janeiro não quiser acolher um evendo deste porte como o JMJ, não seria nem preciso perguntar a outra cidade, porque São Paulo, Curitiba, Goiânia, Brasília ou qualquer outra grande cidade deste País se ofereceria para acolher este evento com o maior Carinho.

Ainda bem que a Rede Record, o site R7, a igreja Universal do Reino de Deus ou o Sr. Pr. Edir Macedo não representam a voz do querido povo do Rio de Janeiro.

Somente para responder a questão do retorno garantido de um evento como este no Rio de Janeiro, Em Madrid, enquanto alguns manifestantes homoxessuais ateus e Laicístas pertubaram a ordem contestando gastos com a JMJ 2011 dizendo que o Govêrno podria gastas este pouco investimento em obras publicas, o resultado final da JMJ em Madri foi de 354 milhões de euros, o que seriam 5 milhões de Reais de investimento para um retorno de mais de 700 milhões de Reais?  Porque JMJ no Rio de Janeiro seria um convite irrecusável para a juventude de qualquer parte deste mundo e o transtorno da quantidade de pessoas nas ruas do Rio de Janeiro já é mais do que comum, principalmente nestes poximos anos que virão. 

Confira este resultado no Link Oficial do JNJ 2013 Rio com notícias atualizadas diariamente.

Uma reportagem como esta da Record é o que podemos chamar de um tiro que saiu pela culatra ou um tiro no proprio Pé, poderia ser também uma manifestação clara de ciúme religioso manifestado em forma de notícia manipulada.




CHÁCARA JEUS CURA


Conecte-se Já, Jesus está Online…

JESUS ON LINE ?


https://i1.wp.com/sites.garlix.com.br/dm/images/stories/bento%20xvi.jpgConvite de Bento XVI aos jovens: estar conectados a Jesus

Durante sua tradicional felicitação de Natal a um grupo da Ação Católica italiana

CIDADE DO VATICANO, domingo 20 de dezembro de 2009 (ZENIT.org).- Se oferecemos nossa disponibilidade a Jesus e abrimos nosso coração a Ele, Ele não deixará de fazer-nos sentir sua presença.Assim recordou Bento XVI no último sábado, ao receber em audiência uma representação de jovens da Ação Católica Italiana (ACR) para a tradicional felicitação de Natal, na qual expressou sua estima pessoal pelo particular compromisso que a associação está vivendo no tema “Estamos conectados”, para colocar-se em comunicação com Jesus e com os demais.

“Também vós sois pequenos como Zaqueu, que subiu em uma árvore porque queria ver Jesus, mas o Senhor, levantando o olhar, percebeu-o imediatamente, no meio da multidão”, explicou o Papa aos jovens, citando o personagem e a imagem bíblica como referência do programa.

“Jesus vos vê e vos escuta, mesmo que sejais pequenos, ainda que às vezes os adultos não vos considerem como gostaríeis”, acrescentou, sublinhando que Cristo “não somente vos vê, mas sintoniza vossa onda, quer deter-se onde vós estais, estar convosco, criar com cada um de vós uma forte amizade”.

“Diante de Jesus, imitai sempre o exemplo de Zaqueu, que desceu imediatamente da árvore, acolheu-o cheio de alegria em sua casa e não deixou de fazer-lhe uma festa”, pediu o Papa.

“Acolhei-o em vossa vida de todos os dias, entre o lazer e as tarefas, na oração, quando Ele pede vossa amizade e vossa generosidade, quando sois felizes e quando tendes medo.”

“No Natal, mais uma vez, o amigo Jesus sai ao vosso encontro e vos chama. Ele é o Filho de Deus, é o Senhor que vedes a cada dia nas imagens das igrejas, nas ruas, nas casas. Ele vos fala sempre do amor maior, capaz de entregar-se sem limites, de trazer paz e perdão.”

Bento XVI recordou, portanto, que somente a presença de Jesus na vida “dá a plena alegria”, porque “Ele é capaz de fazer sempre nova e bela cada coisa” e “não vos esquece jamais”.

“Se lhe dizeis cada dia que estais ‘conectados’, esperai certamente que Ele vos chame para enviar-vos uma mensagem de amizade e afeto”, afirmou, explicando que esta mensagem pode chegar a qualquer momento: “quando participais da santa Missa, quando vos dedicais ao estudo, aos vossos compromissos cotidianos ou quando sabeis cumprir gestos de participação, de solidariedade, de generosidade e de amor aos demais”

O Papa lhes pediu especialmente que estejam perto dos “jovens que sofrem, especialmente aqueles que vêm de países distantes e que frequentemente são abandonados, sem pais e sem amigos”.

Durante o encontro, esteve presente uma delegação de jovens da Ação Católica de Belém, cidade à qual será dedicado, em janeiro, o “mês da paz”, através de um projeto de solidariedade com a Terra Santa, para reconstruir o auditório da paróquia de Belém.

Encontro Nacional de Jovens da RCC – ENJ 2009.

Olá juventude Santa!

O Ministério jovens já está preparando o encontro nacional de Jovens, especialmente pra você com muito carinho, você não pode ficar fora dessa !

Este ano teremos como tema: “Jovens sentinelas da manhã: Apóstolo da Efusão do Espírito Santo”.

E o Lema: “Jesus Cristo é o Senhor.” (Fl2,11)

O encontro acontecerá nos dias 30, 31 de outubro e 01 de novembro de 2009 no Pavilhão de Carapina – SERRA / E.S

Esse ano a estimativa de público é de 15.000 jovens, pela honra e glória do nosso senhor Jesus Cristo!!!!

Não perca tempo, traga sua galera para participar do encontro que vai marcar a história da juventude do Brasil.

.

Queridos sentinelas, estamos nos aproximando do ENJ 2009 e é uma alegria sentir que a hora de estarmos juntos está se aproximando.

Creio que estamos vivendo a primavera de Deus em nosso ministério e na RCC. Mas, quero pedir a Deus que este tempo se estenda às nossas vidas. Convido a todos a levantar um grande clamor ao Senhor pedindo esta graça as nossas vidas e sonhos.

Irmãos, passei este fim de semana em casa e foi providencial poder parar e rever algumas coisas, pessoais e também do ministério. Percebo a necessidade e a importância de, como discípulos, estarmos unidos. Mas para que esta unidade aconteça, temos que abrir mão muitas vezes de interesses pessoais. É o Amor de Deus que gera unidade em nós. Esse amor se esvazia de si mesmo. Para vivermos esta primavera de Deus em nossa vida, temos que nos esvaziar de nós mesmos.

A missão que Deus nos concedeu está em nosso coração. Não é tempo de descansarmos e deixarmos de lado. Clamemos ao Senhor Jesus a graça do verdadeiro amor, para que a unidade aconteça no Ministério Jovem!

Quero partilhar esse conteúdo abaixo com vocês e pedir que esse conteúdo sirva de reflexão, oração e estudo em preparação do ENJ 2009.

Temos muitos questionamentos quando falamos de juventude carismática, e uma delas é “Como um jovem vive a Cultura de Pentecostes?”. Creio que esse texto vai nos ajudar a entender o chamado de Deus para cada um de nós e, é claro, a dimensão de nosso sim, para que vivamos plenamente o Apostolado do Espírito Santo.

Toda semana, vamos enviar um texto em preparação ao Encontro Nacional de Jovens 2009. Também teremos algumas ações que, durante esta semana, vamos partilhar para nos prepararmos espiritualmente para o ENJ 2009.

Abraço fraterno!

Márcio Zolin
Coordenador nacional do Ministério Jovem

.


.Click Aqui e saiba mais.

.


.

O ENJ 2009
Presenças
O que vai Rolar
Notícias
Vídeos e Áudios
Inscrições
Alimentação
Alojamento
Como Chegar
Galeria de Imagens
Mural de Recados
Divulgue o ENJ
Patrocinadores
Fale Conosco

// <![CDATA[
function MM_preloadImages() { //v3.0
var d=document; if(d.images){ if(!d.MM_p) d.MM_p=new Array();
var i,j=d.MM_p.length,a=MM_preloadImages.arguments; for(i=0; i

SEJA VOCÊ MESMO !

COMO FAZER ALGO

DESINTERESANTE SE TORNAR

A COISA MAIS PROCURADA

DO MUNDO.

Encontro de Jovens / 29.03 por Fazendo Jovens Discipulos...

O Marketing e a propaganda fazem exatamente isto, fazem algo sem o menor valor parecer a coisa mais valiosa do mundo, e é por isso que acabamos comprando gato por lebre.

Mas quando falamos de algo naturalmente bom, incrivelmente percebemos um desinteresse generalizado, ultimamente temos percebido isto acontecendo, o interesse por coisas boas é substituído pela busca de coisas fúteis e desprezíveis.

O que é bom, é eterno e não nos decepciona jamais.

Como então ser tão desinteressante ?

O mundo inverteu o valor das coisas, o que é bom e durável perdeu o valor e o que é ruim e descartável se tornou o bem mais desejado e mais valioso!

Talvez seja por este motivo que o nosso lindo e adorável Planeta esteja se resumindo a uma montanha de lixo tóxico que acabará engolindo a todos nós.

Mas, não quero falar de coisas ruins, não vou falar de pessoas descartáveis, nem de previsões pessimistas, afinal eu vim falar de coisas boas e interessantes, sem mentiras, falsidades ou marketing de propaganda.

O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra.

(São Mateus 13, 44 a 46)

Buscar coisas boas e úteis deveria ser  algo natural ao ser humano, é natural e imprescindível, no entanto trocamos esta busca por produtos que vem com embalagens brilhantes e que já estão posicionados na altura dos olhos nas prateleiras dos grandes Hiper-Mercados.

A embalagem que nos atrai é o componente mais caro do produto, sem ela o produto não seria vendido por não ser desejado, na verdade pagamos por algo sem valor que não serve para nada e vai direto para o lixo poluir o planeta.

Por isso, muito se fala sobre o mais importante que é o conteúdo e não o invólucro ou a embalagem, o que tem valor é o presente dentro do pacote e não o papel que embrulha o exterior do pacote, como disse uma certa vez Saint Exupery no livro O Pequeno Príncipe, “O essencial é invisível aos olhos…”, de certa forma todos nós reconhecemos esta verdade mas deixamos nos levar pela beleza de um pacote bem embrulhado.

Em um mundo de aprências enganadoras, queremos sempre o que é concreto, cobramos dos outros atitudes cinceras, preferimos um amor verdadeiro mas brincamos com os sentimentos daqueles que nos amam.

Mascaras

Façamos o seguinte então, precisamos aprender a ser o que gostaríamos que os outros fossem, já que sempre observamos os defeitos deles e nunca os nossos próprios, seja para o outro aquilo que você gostaria que  o outro fosse para você.  A formula é simples, mas a prática é complicada, fato é que todos nós precisamos aprender a ser gente, ou melhor dizendo precisamos ser aquilo que nascemos para ser, sem seguir as deformações que o sistema moderno nos impõe.

Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito.

(Romanos 12,2)

g_castelinhoformas[1]Veja esta proposta de Paulo não é nada difícil, porque ele diz para sermos exatamente aquilo que sempre fomos e não ser como uma falsa proposta do mundo, entrar em uma fôrma que não se assemelha ao ser humano, até os macacos conseguem acertar a forma certa para o formato das peças encaixáveis do brinquedo ao lado, como nós Homens inteligentes conseguimos errar esta proposta tão simples ?

O ser Humano que nasceu para ser Humano está seguindo um caminho  diferente de suas características e é por este motivo que sofre as consequencias desta deformação.

Quando falamos de Santidade, falamos de perfeição, ser perfeito é ser puro sem deformações, ser perfeito é ser aquilo que se é e não outra coisa diferente, ser Santo é ser um Humano perfeito, nada mais que Humano, Jesus despojou-se de si, mesmo sendo Deus e nasceu Homem como nós e mesmo assim sempre foi Santo.

Porque encaramos com tanta dificuldade uma proposta tão simples, porque nos esquivamos quando ouvimos alguém falando de Santidade?

Nicodemos se esquivou pela noite adentro fugindo da proposta de Jesus, quando este lhe propôs retornar a ser um homem puro como criança, ou seja, simplesmente um Homem sem o aprendizado de varios anos que o formaram um Doutor Fariseu. As vezes o que achamos ser bom, é apenas uma limitação de nossa propria felicidade, que não alcançamos porque a estamos buscando na direção oposta que sempre esteve.

As palavras sabias de Jesus para Nicodemos indicavam-lhe um bom caminho, voltar a ser ele mesmo e não uma pessoa mascarada, limitada, infeliz, rude, dissimulada, covarde e etc.   Para que alcançace o seu próprio eu, deveria simplesmente rasgar o seu diploma de Mestre e abandonar seu posto de membro do alto conselho para seguir Jesus rumo ao Reino de Deus, que nada mais é que o resumo de tudo aquilo que sonhamos de bom para nós, ou seja, o tesouro mais precioso de todos. Este Reino não é uma utopia, mas só poderão participar dele aqueles que forem perfeitos ou simplesmente puros como uma criança.

Um pedido que Jesus fez ao Pai em oração, quando intercedia por nós, nos mostra claramente que seu desejo a nosso respeito, nada mais é que sejamos nós mesmos, um Homem que foi Criado a Imagem e semelhança Divina e que com o Auxílio do Paráclito  “O Espírito Santo” alcançaríamos enfim o objetivo proposto desde o início pelo Pai criador.

“Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do mal, Eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo. Santifica-os pela verdade. A tua palavra é a verdade.

(São João 17,15)

Santificarnos na verdade é retornarmos a ser nós mesmos, renovarmos o nosso homem interior segundo a ação do Espírito de Deus em nós, buscando cada vez mais nos asselharmos ao nosso Pai Celeste. Para seguir esta proposta, você não precisa deixar de ser você mesmo, muito pelo contrário, Jesus pede que você deixe de ser o homem distorcido e deturpado que muitas vezes segue o vento e o modismo que o mundo lhe impõe.

Venha ser um Jovem de Jesus, você verá que além de não ser tão difícil assim como parecia, você ainda poderá viver momentos inesquecíveis que você jamais imaginou que poderia acontecer em sua vida.

Ps. Adultos e Velhos também são bem vindos..

Jovens e Adultos no JMJ - Sidiney Austália - 2009.

Jovens e Adultos no JMJ - Sidiney Austália - 2009.

Veja a proposta feita pelo Papa João Paulo II

Precisamos de Santos…

“PRECISAMOS DE SANTOS sem véu ou batina, de Santos de calça jeans e tênis, de santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos, de santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se “lascam” na faculdade, de santos que tenham tempo todo dia para rezar e saibam namorar na pureza e castidade, de santos modernos, Santos do século XXI com uma espiritualidade inserida em nosso tempo. De santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais, de santos que se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo. Precisamos de Santos que bebam Coca-Cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas. Precisamos de Santos que amem a Eucaristia e que tomem um refrigerante ou comam pizza no fim-de-semana com os amigos, de santos que gostem de teatro, de música, de dança, de desporto. Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, alegres, companheiros. Precisamos de Santos que estejam no mundo e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos”.

45. O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas.
46. Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra.

O Namoro na Visão Cristã Católica.


Dom Adair, Bispo de Rubiataba Escreve:

Prezados jovens Católicos, sejam vocês o alicerce da construção da “civilização do amor” (Paulo VI) e da concretização de uma vida feliz a partir da santidade e do respeito à pessoa do outro.

Ninguém te despreze por seres jovem. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade.

(I Timóteo 4,12)

peadair.jpg

Pe Adair José Guimarães, Novo Bispo

Da Diocese de Rubiataba-Go. 17/05/08


Mara Rosa, 2004

Creio que outros vão escrever mais diretamente sobre o “namoro cristão”; quero fazer uma rápida abordagem do tema no plano humano, decorrente de uma visão positiva da filosofia cristã, cujo centro da atenção é a pessoa humana e seu caminho para a felicidade.

Faz parte da lógica consumista do capitalismo moderno apresentar a vitrine fetichista do comércio formal e informal, de maneira mais ousada nos shopping’s centers, como espaço do descartável. Os produtos, embora bonitos e requintados, em grande parte são descartáveis. Fabricados para serem consumidos rapidamente, devem ser substituídos por novos exemplares que a cada momento são inseridos nas prateleiras reais e virtuais do mercado, obedecendo à lógica do muito consumir. A cada ano surge uma infinidade de modelos novos de celulares e outros bens na área da eletrônica que povoam o imaginário dos humanos consumistas.

Essa perversidade que engalfinha milhões de dólares a cada dia está impregnando cada vez mais o inconsciente coletivo da humanidade, sobretudo no Ocidente: berço esplendido do consumismo. Trata-se da lógica do descartável: usa-se enquanto lhe agrada e faz bem, depois joga-se fora e busca-se outra opção que lhe satisfaça melhor aos instintos.

Tal realidade se materializa em mentalidade, em pensamento. Isso passa a reger o mundo humano e interfere drástica e profundamente na concepção de pessoa, de Deus, da natureza e da sociedade. Lamentavelmente a pessoa humana também está sendo colocada na vitrine, como objeto de consumo.

A mentalidade de prevalência do prático, acredito, tem favorecido uma mentalidade utilitarista e hedonista das coisas e passado dessas para as pessoas. Estamos vendo saltar aos nossos olhos as conseqüências desta mentalidade. Da mesma maneira que as pessoas trocam de aparelho celular a cada modelo novo que chega às lojas, muitos(as) estão trocando de relacionamentos afetivos a cada impulso dos sentidos em direção às possibilidades de novas aventuras e novas expectativas de prazer.

Tanto no namoro quanto no casamento percebe-se tal desastre humano. A raiz do problema não está basicamente na perda dos valores morais. É mais profundo. É uma questão de mentalidade. A concepção de pessoa humana está se nivelando com a concepção que temos das coisas e do seu conseqüente uso.

O namoro que brota entre dois jovens de sexos opostos é sempre acompanhado da mentalidade que ambos trazem consigo. Quando estes possuem uma concepção humana frágil, inegavelmente o relacionamento será igualmente frágil e possibilitará o aprofundamento das negatividades de alguns aspectos já decadentes.

A fase do namoro, ideal e moralmente objetivo, é um período excepcional para o conhecimento de duas pessoas, geralmente jovens, de sexo oposto. O namoro é um período na vida dos namorados que lhes permite se conhecerem melhor. Isso é fundamental para o alicerce de uma nova família que se quer sólida.

A prática do namoro evoluiu muito nas últimas quatro décadas. Não foi uma evolução ruim. Afinal, não dá para pensar o namoro nos moldes das primeiras décadas do século passado. Com a abertura dos últimos tempos e a igualdade de direitos estabelecida entre o homem e a mulher, bem como a quebra do tabu que circundava a questão sexual, abriu-se as portas para uma nova prática do romance amoroso entre os namorados. O erro não está na abertura, mas no mau uso da liberdade, face à mentalidade do descartável que está tomando conta da sociedade.

O estilo do namoro antigo tem muito em comum com o namoro dos nossos tempos: a falta de conhecimento um do outro. O namoro antigo não permitia nenhuma espécie de contato físico; a conversa entre os dois não existia, o estar só era impossível, etc – não se conheciam. O namoro moderno e avançado permite tudo: o sexo livre, o aborto, a depravação, etc – também não se conhecem como pessoas.

O final do filme todos nós conhecemos: corações machucados, magoados e infernizados com a síndrome da dependência sexual e outros males. A sociedade ainda é machista; por isso o Pe. Zezinho tem razão quando compôs a música “Laranja Lima” e nos diz que no namoro errado é a mulher quem sofre mais. Deve ser muito triste a ressaca do pós-namoro pagão, quando a consciência advertir que a jovem foi usada ou que usou o outro simplesmente por prazer, tendo se acobertado, para tanto, na falsidade e na mentira.

Estamos vivendo um mundo carente de valores. Além da mentalidade do descartável que favorece o hedonismo utilitarista no namoro (para muitos o trivial “ficar”), temos a elaboração de um ambiente cultural de morte que se expressa na música mundana, no teatro e no cinema também mundanos que apregoam os contravalores como sendo determinantes para a felicidade. Aí está o engano, pois se trata de uma mentalidade distorcida da pessoa humana. É a crise antropológica (a pessoa humana não se interroga sobre o seu fim). É a evidente falta de consciência do que é a realidade da pessoa humana e o que é realmente a felicidade para a qual a pessoa humana foi criada.

O que fazer para viver o namoro coerente e de maneira cristã? Olhar para Jesus Cristo, o modelo antropológico perfeito. Olhar para o testemunho de tantos casais que vivem o namoro correto e santamente. Não tenho dúvidas, os casais de namorados que viveram santamente o seu namoro viverão santamente o seu casamento. Afinal, a conquista da felicidade não se dá sem sacrifício, renúncia e entrega consciente. Onde há o amor não há a dor. “Felizes os puros de coração porque verão a Deus” (Mt. 5, 8).

Prezados jovens cristãos, sejam vocês o alicerce da construção da “civilização do amor” (Paulo VI) e da concretização de uma vida feliz a partir da santidade e do respeito à pessoa do outro. Deus os abençoe.



Mosenhor Adair José Guimarães Texto da Homilia da Missa de Encerramento no XI Encontro de Servos em Goiânia 23/04/08

Não existiria outra forma mais sublime, mais santa de encerrarmos esse belíssimo encontro, que não fosse com na Eucaristia. O altar passa a ser o centro de toda nossa atenção!

O décimo primeiro encontro encerra-se com a homilia do Monsenhor Adair, que nos atenta para a temática do encontro: “Retorna as tuas primeiras obras”, lembrando-nos do quanto é necessário recolhermos para ouvirmos que o Deus nos fala, ressaltanto ainda que a Renovação Carismática Católica (RCC) no início do seu trabalho possuia a prática maior de ouvir a voz de Deus.

Devemos escutar a palavra de Deus com a sua vontade e as suas exigências. E como dizia Exupérry: “só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”.

Sendo assim, diz Monsenhor Adair, devemos ouvir, pois só se ouve bem com o coração. E a condição indispensável para ouvirmos a palavra de Deus é o silêncio, pois no silêncio Deus nos fala ao coração.

Vivemos hoje em um mundo tão barulhento, com tantos sons das mais diversas procedências, e esses sons misturados e alternados com pancadas, nos causam insônia, desânimo, depressões. E fugir de vez enquanto é questão de sobrevivência física e muito além, de sobrevivência espiritual, pois só no silêncio conseguimos ouvir a palavra de Deus. O silêncio é a porta do céu. Busquemos o silêncio para orar, pois a raiz de toda espiritualidade da RCC se encontra no silêncio.

E por muitas vezes que somos seduzidos pelo mundo, vemos que a maldade parece dominar, quantos velhos sendo mal tratados, quantas crianças com deficiência sendo discriminadas, quantas pessoas sendo humilhadas. Mas diante de tudo isso, nossa resposta deve ser o amor, o amor sempre e em qualquer condição.
“ Somos perseguidos e suportamos. Somos caluniados e nos doamos.”

Precisamos entender que devemos ouvir o clamor de todo povo que é mal tratado, devemos ir ao encontro de tantas almas que por aí estão perdidas. Não podemos permitir que a nossa língua nos atrapalhe de ouvirmos a Deus. Que tenhamos o Espírito profundamente católico para que possamos ser católicos no grupo de oração, mas principalmente em todos os outros momentos de nossas vidas, no convívio com tantas pessoas que ainda não sentiram o profundo amor de Deus. Permita-nos Senhor, descobrir no silêncio, um profundo momento de louvor e adoração.

Carla Rodrigues– Ministério de Comunicação Social – GO




FELIZ DIA DOS NAMORADOS.

Experimente clicar nestes Link’s Abaixo.


NAMORO

FRANCISCO E CLARA
O Cristo Disfarçado

Cantora Adriana em Anápolis.

show-adriana

Adriana & Walmir Alencar

com

Ministério Adoração e Vida

Adriana por Canção Nova.

No próximo dia 24 de Janeiro a Cantora Adriana da Comunidade Canção Nova juntamente com Walmir Alencar com o  Ministério Adoração e Vida estarão realizando mais um grandioso Show na Cidade de Anápolis – Goiás.

O Show será realizado no Antigo Tático   no trevo da saída para Brasília no alto do JK e está sendo promovido pela Comunidade São João Batista da Vila Formosa, os Ingressos estarão sendo vendidos nas secretárias das Paróquias e também na livraria Ágape na praça Bom Jesus, Comunidade Católica Nova Aliança e no Super X.

Informações pelo fone

(62) 3314-1532

adoracao-e-vida

adriana-blog

VISITE A PAGINA OFICIAL DA ADRIANA.

Adriana por Canção Nova.

Fotos Flickr Comunidade Canção Nova

Adriana por Canção Nova.

Show Adriana participação Pe. Fábio de Melo por Canção Nova.

http://www.flickr.com/photos/cancaonova/2485738499/

Show Adriana por Canção Nova.

http://www.flickr.com/photos/cancaonova/2486557790/in/photostream/


http://www.flickr.com/photos/cancaonova/2485738499/

PADRE LEO
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120&h=120


Receba agora a Força do Alto !

Receba o poder do Espírito Santo

MISSA DE ABERTURA DO JMJ 2008 - SIDINEY AUSTRÁLIA

Clip – da Musica Da

XXIII Jornada Mundial da

Juventude 2008 em Sydiney

na Autrália com

O Papa Bento XVI


RECEIVE THE POWER




( Sydney 2008 )

Every nation, every tribe, 

come together to worship You.

In Your presence we delight,

we will follow to the ends of the earth.

 

Alleluia! Alleluia! 

Receive the Power, from the Holy Spirit!

Alleluia! Alleluia!

Receive the Power to be a light unto the world!

 

As Your Spirit calls to rise 

we will answer and do Your Will.

We’ll forever testify

of Your mercy and unfailing love.

 

Alleluia! Alleluia! 

Receive the Power, from the Holy Spirit!

Alleluia! Alleluia!

Receive the Power to be a light unto the world!

 

Lamb of God, we worship You, 

Holy One, we worship You,

Bread of Life, we worship You,

Emmanuel, we worship You.

Lamb of God, we worship You,

Holy One, we worship You,

Bread of Life, we worship You,

Emmanuel, we will sing forever.

 

Chorus 

Alleluia! Alleluia!

Receive the Power, from the Holy Spirit!

Alleluia! Alleluia!

Receive the Power to be a light unto the world!

 


JMJ - 2008 - Austrália

Receber o poder

( Sydney 2008 )

Cada povo, cada tribo, 

Vocês se reúnem para adorar.

Sua presença em nós deleite,

vamos seguir até os confins da terra.

 

Alleluia! Alleluia! 

Recebe o poder, a partir do Espírito Santo!

Alleluia! Alleluia!

Recebe o poder de ser uma luz para o mundo!

 

Como Seu Espírito convida a subir 

vamos responder e fazer sua vontade.

Iremos para sempre depor

de Sua misericórdia e amor infalível.

 

Alleluia! Alleluia! 

Recebe o poder, a partir do Espírito Santo!

Alleluia! Alleluia!

Recebe o poder de ser uma luz para o mundo!

 

Cordeiro de Deus, nós Te Adoramos, 

Um Santo, nós Te Adoramos,

Pão da Vida, nós Te Adoramos,

Emmanuel, nós Te Adoramos,

Cordeiro de Deus, nós Te Adoramos,

Um Santo, nós Te Adoramos,

Pão da Vida, nós Te Adoramos,

Emmanuel, vamos cantar para sempre.

 

Coro 

Alleluia! Alleluia!

Recebe o poder, a partir do Espírito Santo!

Alleluia! Alleluia!

Recebe o poder de ser uma luz para o mundo!


 

Links:

http://www.wyd2008.org/

http://sidney2008.blog.com/

http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/messages/youth/documents/hf_ben-xvi_mes_20070720_youth_po.html

http://www.cantodapaz.com.br/blog/2007/07/07/jornada-mundial-da-juventude-julho-2008/

http://www.cantodapaz.com.br/blog/jornada-juventude-2008/

http://blog.cancaonova.com/dunga/2007/07/02/jornada-mundial-da-juventude-sidney-australia/

http://charitaschristi.blogspot.com/2008/03/hino-da-jornada-mundial-da-juventude.html

http://www.wyd2008.org/index.php/it/content/download/66791/586589/file/WYD08_Song_Receive_the_Power_lyrics.pdf

http://vagalume.uol.com.br/guy/receive-the-power-sydney-2008.html

salve:


FRANCISCO E CLARA

NAMORO

 



 

VIAGEM APOSTÓLICA 

DO PAPA BENTO XVI

A SIDNEY (AUSTRÁLIA) POR OCASIÃO

DA XXIII JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

(13 – 21 DE JULHO DE 2008)

 

FESTA DE ACOLHIMENTO DOS JOVENS

DISCURSO DO SANTO PADRE BENTO XVI

Cais de Barangaroo de Sidney 

Quinta-feira, 17 de Julho de 2008

Queridos jovens,

Que grande alegria é para mim poder saudar-vos aqui em Barangaroo, nas margens desta magnífica baía de Sidney, com a sua famosa ponte e a Opera House! Muitos de vós são deste país, do seu interior ou das dinâmicas comunidades multiculturais das cidades australianas. Outros chegaram das ilhas disseminadas pela Oceânia, outros ainda vieram da Ásia, do Médio Oriente, da África e das Américas. Entretanto um certo número chegou de tão longe como eu, ou seja, da Europa! Seja qual for o país donde vindes, finalmente estamos aqui, em Sidney! E juntos estamos presentes neste nosso mundo como família de Deus, como discípulos de Cristo, confirmados pelo seu Espírito para sermos testemunhas do seu amor e da sua verdade diante de todos.

Desejo em primeiro lugar agradecer aos Anciãos dos Aborígenes que me deram as boas-vindas antes de eu subir para o barco na Rose Bay. Sinto-me profundamente emocionado por me encontrar na vossa terra, sabendo dos sofrimentos e injustiças que esta suportou, mas ciente também da beneficiação e esperança agora em acto, de que justamente todos os cidadãos australianos podem ser orgulhosos. Aos jovens indígenas – aborígenes e habitantes das Ilhas do Estreito de Torres – e Tokelauanos, exprimo o meu obrigado pela tocantes boas-vindas. E, através de vós, envio cordiais saudações aos vossos povos.

Senhor Cardeal Pell e Senhor Arcebispo D. Wilson: agradeço as vossas calorosas expressões de boas-vindas. Sei que os vossos sentimentos são o eco de quanto vai no coração dos jovens reunidos aqui nesta tarde e, por isso, a todos vos agradeço. Vejo diante de mim uma imagem vibrante da Igreja universal. A variedade de nações e culturas donde provindes demonstra que a Boa Nova de Cristo é verdadeiramente para todos e cada um; ela chegou aos confins da terra. E, no entanto, sei também que um bom número de vós ainda anda à procura duma pátria espiritual. Alguns dentre vós, sem dúvida alguma bem-vindos entre nós, não são católicos nem cristãos. Talvez outros de vós se movam na periferia da vida da paróquia e da Igreja. A vós desejo oferecer o meu encorajamento: aproximai-vos do abraço amoroso de Cristo; reconhecei a Igreja como vossa casa. Ninguém é obrigado a ficar de fora, porque desde o dia do Pentecostes a Igreja é una e universal.

Nesta tarde, desejo abarcar também quantos não estão aqui presentes entre nós. Penso de modo especial nos doentes ou nos deficientes psíquicos, nos jovens encarcerados, em quantos penam à margem das nossas sociedades e naqueles que por qualquer razão se sentem alienados da Igreja. A eles digo: Jesus está perto de ti! Experimenta o seu abraço que cura, a sua compaixão, a sua misericórdia!

Há quase dois mil anos, os Apóstolos, reunidos na sala superior da casa juntamente com Maria (cf. Act 1, 14) e algumas mulheres fiéis, ficaram cheios de Espírito Santo (cf. Act 2, 4). Naquele momento extraordinário que marcou o nascimento da Igreja, a confusão e o medo, que se tinham apoderado dos discípulos de Cristo, transformaram-se numa convicção vigorosa e na certeza de um objectivo. Sentiram-se impelidos a falar do seu encontro com Jesus ressuscitado, que afectuosamente já tratavam por Senhor. Na sua diversidade, os Apóstolos eram pessoas comuns. Nenhum podia afirmar que fosse o discípulo perfeito. Não tinham conseguido reconhecer Cristo (cf. Lc 24, 13-32), deveriam envergonhar-se da sua ambição (cf. Lc 22, 24-27), tinham-No até negado (cf. Lc 22, 54-62). E todavia, quando ficaram cheios de Espírito Santo, sentiram-se trespassados pela verdade do Evangelho de Cristo e inspirados a proclamá-lo sem medo. Revigorados, gritaram: Arrependei-vos, fazei-vos baptizar, recebei o Espírito Santo (cf. Act 2, 37-38)! Fundada sobre o ensino dos Apóstolos, a união fraterna, a fracção do pão e a oração (cf. Act 2, 42), a jovem comunidade cristã saiu a terreiro para se opor à perversidade da cultura que a rodeava (cf. Act 2, 40), para cuidar dos seus próprios membros (cf. Act 2, 44-47), para defender a sua fé em Jesus que era hostilizada (cf. Act 4, 33) e para curar os doentes (cf. Act 5, 12-16). E, dando cumprimento ao mandato recebido do próprio Cristo, partiram testemunhando a maior história de todos os tempos: que Deus Se fez um de nós, que o divino entrou na história humana para poder transformá-la e que somos chamados a mergulhar no amor salvífico de Cristo que triunfa do mal e da morte. No famoso discurso feito no areópago, São Paulo introduziu a mensagem assim: Deus a todos dá a vida, a respiração e tudo o mais, para que todas as Nações procurem a Deus e se esforcem por encontrá-Lo, mesmo tacteando, embora não Se encontre longe de cada um de nós, porque é n’Ele que vivemos, nos movemos e existimos (cf. Act 17, 25-28).

A partir de então, homens e mulheres partiram para contar a mesma história, testemunhando o amor e a verdade de Cristo e contribuindo para a missão da Igreja. Ao nosso pensamento vêm hoje os pioneiros – sacerdotes, freiras e frades – que chegaram a estas praias e a outras partes do Pacífico, vindos da Irlanda, da França, da Grã Bretanha e doutros lados da Europa. A maior parte deles eram jovens – alguns não tinham sequer vinte anos – e, quando se despediram para sempre dos pais, dos irmãos, das irmãs, dos amigos, bem sabiam que seria improvável o seu regresso a casa. As suas vidas foram um testemunho cristão livre de interesses egoístas. Tornaram-se construtores humildes mas tenazes duma herança social e espiritual tão grande que ainda hoje proporciona bondade, compaixão e orientação a estas nações. E foram capazes de inspirar uma geração nova. Vem à mente imediatamente a fé que sustentou a Beata Mary MacKillop na sua resoluta determinação de educar especialmente os pobres, e o Beato Peter To Rot na sua firme convicção de que o chefe duma comunidade deve pautar-se sempre pelo Evangelho. Pensai ainda nos vossos avós e nos vossos pais, os vossos primeiros mestres na fé. Também eles sacrificaram muito do seu tempo e das suas forças, movidos pelo amor que vos têm. Com o apoio dos sacerdotes e catequistas da vossa paróquia, eles têm o dever, nem sempre fácil mas altamente gratificante, de vos guiar para tudo o que é bom e verdadeiro, através do seu exemplo pessoal, do seu modo de ensinar e viver a fé cristã.

Hoje é a minha vez. A alguns de nós, pode parecer que chegamos ao fim do mundo! Para as pessoas da vossa idade, qualquer voo reveste-se sempre de uma perspectiva excitante. Mas, para mim, este voo foi em certa medida causa de apreensão. E todavia a vista do alto sobre o nosso planeta foi verdadeiramente magnífica. As águas tremeluzentes do Mediterrâneo, a magnificência do deserto norte-africano, a floresta luxuriante da Ásia, a vastidão do Oceano Pacífico, o horizonte onde o sol se levanta e desce, o majestoso esplendor da beleza natural da Austrália de que pude gozar nos últimos dias; tudo isto gera um profundo sentido de reverente temor. É como se se captassem rápidas imagens da história da criação narrada no Génesis: a luz e as trevas, o sol e a lua, as águas, a terra e as criaturas vivas. Tudo isto é «bom» aos olhos de Deus (cf. Gen 1, 1 – 2, 4). Imersos em tal beleza, era impossível não dar voz às palavras do Salmista que assim louva o Criador: «Como é grande o vosso nome em toda a terra!» (Sal 8, 2).

Mas há mais; algo cuja percepção é difícil quando visto do alto dos céus: homens e mulheres criados nada menos que à imagem e semelhança de Deus (cf. Gen 1, 26). No coração desta criação maravilhosa, estamos nós: vós e eu, a família humana «coroada de glória e honra» (cf. Sal 8, 6). Que maravilha! Com o Salmista, sussurramos para Deus: «Que é o homem para Vos lembrardes dele?» (cf. Sal 8, 5). Imersos no silêncio, num espírito de gratidão, na força da santidade, pomo-nos a reflectir.

E que descobrimos? Com relutância talvez, mas chegamos a admitir que existem também feridas que desfiguram a superfície da terra: a erosão, o desflorestamento, o esbanjamento dos recursos minerais e marítimos para alimentar um consumismo insaciável. Alguns de vós chegam das ilhas-Estado, que se vêem ameaçadas na sua própria existência pelo aumento do nível das águas; outros de nações que sofrem os efeitos de secas devastadoras. Às vezes a criação maravilhosa de Deus é sentida quase como uma realidade hostil aos seus guardiões, senão mesmo como algo perigoso. Como pode o que é «bom» aparecer assim tão ameaçador?

E mais… Que dizer do homem, do vértice da criação de Deus? Todos os dias deparamos com o génio das conquistas humanas. Devido aos avanços nas ciências médicas e à sábia aplicação da tecnologia até à criatividade que se espelha nas artes, cresce de muitos modos e constantemente a qualidade de vida para satisfação das pessoas. Em vós mesmos, há uma pronta disponibilidade para acolher as abundantes oportunidades que vos são oferecidas. Alguns sobressaem nos estudos, no desporto, na música, ou na dança e no teatro; outros têm um sentido agudo da justiça social e da ética, sendo muitos os que assumem compromissos de serviço e de voluntariado. Todos nós, jovens e idosos, temos momentos em que a bondade inata da pessoa humana – perceptível talvez no gesto de uma criança ou na disponibilidade de um adulto a perdoar – nos enche de profunda alegria e gratidão.

Mas tais momentos não duram muito. Por isso, levando por diante a nossa reflexão, descobrimos que não é só o ambiente natural que tem as suas cicatrizes, mas também o ambiente social, o habitat que nós mesmos criamos; feridas essas que indicam que alguma coisa não está certa. Também aqui, nas nossas vidas pessoais e nas nossas comunidades, podemos encontrar inimizades por vezes perigosas; um veneno que ameaça corroer o que é bom, plasmar de modo diferente o que somos e alterar a finalidade para a qual fomos criados. Os exemplos não faltam, como bem sabeis. Entre os mais salientes, contam-se o abuso de álcool e de drogas, a exaltação da violência e a degradação sexual, frequentemente apresentados na televisão e na internet como divertimento. Pergunto-me como alguém, colocado face a face com pessoas que estão realmente sofrendo violência e exploração sexual, poderá explicar que tais tragédias, reproduzidas de forma virtual, devem considerar-se simplesmente como «divertimento».

Além disso, há algo de sinistro que nasce do facto de liberdade e tolerância serem tantas vezes separadas da verdade. Isto é alimentado pela ideia, hoje largamente espalhada, de que não há uma verdade absoluta para guiar as nossas vidas. Na prática dando indiscriminadamente valor a tudo, o relativismo fez da «experiência» a coisa mais importante. Na realidade, as experiências, desligadas de qualquer consideração do que é bom ou verdadeiro, podem conduzir, não a uma liberdade genuína, mas a uma confusão moral ou intelectual, a uma atenuação dos princípios, à perda da auto-estima e mesmo ao desespero.

Queridos amigos, a vida não é governada pela sorte, nem é casual. A vossa existência pessoal foi querida por Deus, abençoada por Ele, tendo-lhe dado uma finalidade (cf. Gen 1, 28). A vida não é uma mera sucessão de factos e experiências, por mais úteis que muitos deles se possam revelar. Mas é uma busca da verdade, do bem e da beleza. É precisamente para tal fim que fazemos as nossas opções, exercemos a nossa liberdade e nisso mesmo, isto é, na verdade, no bem e na beleza, encontramos felicidade e alegria. Não vos deixeis enganar por quantos vos olham como meros consumidores num mercado de possibilidades indiferenciadas, onde a escolha em si mesma se torna o bem, a novidade se contrabanda como beleza, e a experiência subjectiva suplanta a verdade.

Cristo oferece mais… antes, oferece tudo! Só Ele, que é a Verdade, pode ser o Caminho e, consequentemente, também a Vida. Assim, o «caminho» que os Apóstolos estenderam até aos confins da terra é a vida em Cristo. É a vida da Igreja. E a entrada nesta vida, na vida cristã, é o Baptismo.

Por isso, nesta tarde, desejo recordar-vos brevemente algo da nossa noção do Baptismo, antes de considerar amanhã o Espírito Santo. No dia do Baptismo, Deus introduziu-vos na sua santidade (cf. 2 Ped 1, 4). Adoptados como filhos e filhas do Pai, fostes incorporados em Cristo. Tornastes-vos morada do seu Espírito (cf. 1 Cor 6, 19). Por isso, na parte final do rito do Baptismo, o sacerdote, dirigindo-se aos vossos pais e demais participantes e chamando-vos pelo nome, disse: «És nova criatura» (Rito do Baptismo, 99).

Queridos amigos, em casa, na escola, na universidade, nos lugares de trabalho e de diversão, recordai-vos que sois criaturas novas. Como cristãos, encontrais-vos neste mundo sabendo que Deus tem um rosto humano: Jesus Cristo, o «caminho» que satisfaz todo o anseio humano e a «vida» da qual somos chamados a dar testemunho, caminhando sempre na sua luz (cf. ibid., 100). A tarefa de testemunha não é fácil. Hoje, há muitos que pretendem que Deus deva ficar de fora e que a religião e a fé, embora aceitáveis no plano individual, devam ser excluídas da vida pública ou então utilizadas somente para alcançar determinados objectivos pragmáticos. Esta perspectiva secularizada procura explicar a vida humana e plasmar a sociedade com pouco ou nenhum referimento ao Criador. Apresenta-se como uma força neutral, imparcial e respeitadora de todos e cada um. Na realidade, porém, como qualquer ideologia, o secularismo impõe um visão global. Se Deus é irrelevante na vida pública, então a sociedade poderá ser plasmada segundo uma imagem alheada de Deus. Mas quando Deus fica eclipsado, começa a esmorecer a nossa capacidade de reconhecer a ordem natural, o fim e o «bem». Aquilo que fora pomposamente exaltado como engenho humano, bem depressa se manifestou como loucura, avidez e exploração egoísta. E assim fomo-nos consciencializando cada vez mais da necessidade de humildade perante a delicada complexidade do mundo de Deus.

E que dizer do nosso ambiente social? Permanecemos igualmente alerta quanto aos sinais do nosso voltar as costas à estrutura moral de que Deus dotou a humanidade (cf. Mensagem para o Dia Mundial da Paz 2007, 8)? Sabemos reconhecer que a dignidade inata de cada indivíduo assenta na sua dignidade mais profunda de imagem do Criador e que, por isso mesmo, os direitos humanos são universais, baseados sobre a lei natural, e não algo dependente de negociações ou de condescendência, e menos ainda de compromissos? Deste modo somos levados a reflectir sobre o lugar que têm nas nossas sociedades os pobres, os idosos, os imigrantes, os sem voz. Como é possível que a violência doméstica atormente tantas mães e crianças? Como é possível que o espaço humano mais admirável e sagrado, o ventre materno, se tenha tornado lugar de violência indizível?

Queridos amigos, a criação de Deus é única e é boa. As preocupações com a não violência, o progresso sustentável, a justiça e paz, o cuidado do nosso ambiente são de importância vital para a humanidade. Tudo isto, porém, não pode ser compreendido prescindindo duma reflexão profunda sobre a dignidade congénita de cada vida humana desde a sua concepção até à morte natural, uma dignidade que lhe é conferida pelo próprio Deus e, por conseguinte, inviolável. O nosso mundo está cansado da ambição, da exploração e da divisão, do tédio de falsos ídolos e de respostas parciais, e da mágoa de falsas promessas. O nosso coração e a nossa mente anelam por uma visão da vida onde reine o amor, onde os dons sejam partilhados, onde se construa a unidade, onde a liberdade encontre o seu próprio significado na verdade, e onde a identidade seja encontrada numa comunhão respeitosa. Esta é obra do Espírito Santo. Esta é a esperança oferecida pelo Evangelho de Jesus Cristo. Foi para dar testemunho desta realidade que fostes regenerados no Baptismo e fortalecidos com os dons do Espírito no Crisma. Seja esta a mensagem que de Sidney levareis pelo mundo!

© Copyright 2008 – Libreria Editrice Vaticana


O ALPINISTA EXTRAORDINÁRIO. COMO UMA BOMBA

http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg
//mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

PROXIMO JMJ - MADRID - ESPANHA - EM 2011


Papa viaja à Austrália, considerada como o país mais secularizado.

Secularização, uma vida concebida como se Deus não existisse, O Mundo preferiria se assim fosse, porém cabe a nós Cristãos, mostrar a eles que Deus Existe e nos ama, este é o desafio dos Jovens que se reunem com o Papa Bento XVI na Autrália.

Advertisement

wyd08logo.gif

Leva a nova evangelização com a ajuda dos jovens

Por Jesús Colina

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 11 de julho de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI parte neste sábado rumo à Austrália para enfrentar, junto aos participantes da Jornada Mundial da Juventude, o desafio central de seu pontificado: a secularização, ou seja, uma vida concebida como se Deus não existisse.

Assim aparece no prefácio do missal que o Ofício das Celebrações Litúrgicas do Sumo Pontífice preparou em colaboração com o Diretório Litúrgico do Ofício da Jornada Mundial da Juventude em Sydney.

«Enquanto a fé cristã tem um lugar e uma história de honra na vida da Austrália moderna, paulatinamente a secularização da sociedade dá um impulso cada vez mais urgente à necessidade de que os jovens sejam testemunhas da verdade do Evangelho, fortalecidos pelo Espírito Santo», explica o texto.

O lema das Jornadas da Juventude é «Recebereis a força do Espírito Santo, que virá sobre vós, e sereis minhas testemunhas» (Atos 1, 8).

Sydney acolherá a 23ª Jornada Mundial da Juventude, de 15 a 20 de julho. Espera-se que assistam à missa de encerramento no domingo, dia 20, até 500 mil pessoas, inclusive 125 mil jovens peregrinos de fora da Austrália, no hipódromo de Randwick e Centennial Park.

Em 25 de julho de 2005, em um diálogo de perguntas e respostas espontâneas com sacerdotes da diocese italiana de Aosta, Bento XVI reconheceu que a Austrália é um dos países mais secularizados do planeta.

Apresentou este tipo de sociedade como «um mundo cansado da sua própria cultura, mas um mundo que chegou a um momento em que já não é evidente a necessidade de Deus, muito menos de Cristo e, por conseguinte, no qual parece que o próprio homem poderia construir-se por si mesmo»

«Neste clima de um racionalismo que se fecha em si, que considera o modelo das ciências o único modelo de conhecimento, tudo parece ser subjetivo. Naturalmente, também a vida cristã se torna uma escolha subjetiva, por conseguinte arbitrária e já não o caminho da vida», afirmava.

«Assim acontece sobretudo na Austrália, também na Europa, um pouco menos nos Estados Unidos», acrescentava. Desse modo se explica que a primeira sede escolhida por Bento XVI como sede para a Jornada Mundial da Juventude seja uma cidade australiana. As Jornadas de Colônia (Alemanha), celebradas em agosto de 2005, haviam sido convocadas por João Paulo II.

Simbolicamente, na missa final das Jornadas, o Santo Padre confirmará 24 jovens. «Na conclusão dessa missa, o Santo Padre confiará aos recém-confirmados e a todos os peregrinos a tarefa de levar o Evangelho ao mundo», afirma o Missal.

«Os jovens estão chamados a dar um vibrante testemunho de Cristo com suas vidas. Como expressa a oração por Sydney, estão chamados a edificar… uma nova civilização de vida, de amor e de verdade.»

O Papa, portanto, em sua nona viagem internacional, enfrenta a nova evangelização do país considerado como o mais secularizado do planeta, com o apoio dos jovens missionários do século XXI.

Pode-se consultar o missal para as Jornadas de Sydney em
http://www.vatican.va/news_services/liturgy/libretti/2008/messale_Australia.pdf

Não se Ama Quem não se Conhece.




Não se diz “Meu Amor” a quem nunca se Viu, nem mesmo a quem você nunca ouviu Falar. Namorar é conhecer aquele(a) que se pretende amar para sempre, Pe. Zezinho, Pe. Alírio, Pe. Jonas Abib e outros quando escrevem sobre o Namoro Cristão Católico, nota-se que existe uma unanimidade entre eles na sua maneira de escrever sobre o assunto, aliás quando fundamentamos nossas palavras nos ensinamentos de Cristo e nos documentos da Santa Igreja Católica, realmente deveríamos nos conduzir sempre ao mesmo objetivo.

Procurei um bom texto para divulgar aqui neste dia 12 de junho e só encontrei textos promocionais bem resumidos sobre livros muito bons que estão à venda no Brasil, na verdade qualquer texto que aqui se divulgar, será muito pequeno se considerar-mos quanta coisa nossos jovens precisariam saber a respeito do namoro.

Com 18 anos de idade, comecei minha caminhada no grupo de jovens, muitas e muitas vezes repetimos este assunto em reuniões e encontros fechados, e posso lhes testemunhar hoje que, todos aqueles que colocaram em prática o que aprenderam, hoje permanecem casados e já ensinando seus filhos a trilhar os mesmos caminhos que um dia experimentaram.



Existem críticas ferozes com relação ao modo como a Igreja define e trata o relacionamento entre um homem e uma mulher, principalmente quando querem impôr métodos artificiais de controle da natalidade, substituindo a maneira natural do ser humano de se relacionar um com o outro. A Igreja sempre será favorável aos ensinamentos de Cristo que valorizam a pessoa humana como um todo “Corpo, Alma e Espírito”, um ser criado à imagem e semelhança Divina, sendo digna de todo respeito, independentemente de sua idadeConcepção“, sexo, raça, cor ou condição social.

Por isso aquilo que é natural como criação Divina, terá sempre a prioridade em relação ao artificial inventado pelo homem com objetivos meramente comerciais, sem informar aos consumidores que seus artifícios nem sempre são 100% seguros, e nem valorizam o verdadeiro relacionamento de um Amor permanente.

Portanto não somos máquinas, que se liga ou desliga, usa-se e se coloca de lado, somos pessoas humanas com coração e sentimentos que precisam ser observados com prioridade em relação ao que se pode vender ou comprar, somos todos iguais em direitos, deveres e dignidade humana.

Homem ou Mulher, ambos são semelhantes ao Pai e como Jesus nos declarou, quando nos unirmos em Matrimônio, nos tornaremos uma só carne, não serão mais duas pessoas, mas uma só pessoa em duas. Esta frase soa como um Mistério para nós, assim como a santíssima Trindade, “é indissolúvel“, por isso é tão importante buscarmos um relacionamento correto e sincero que respeite a pessoa do outro como a nós mesmos.

Afinal somos Jovens, alguns mais outros menos, mas ninguém pretende viver neste mundo sozinho para sempre, já foi comprovado que uma pessoa isolada acabará morrendo de solidão mesmo que vivas em Nova York cercada de um milhão de habitantes ou numa ilha paradisíaca desconhecida do Oceano Pacifico com tudo que você precisasse para sobreviver, naquele filme do Tom Hanks “O Naufrago”, ele acabou desenvolvendo um relacionamento fictício com um amigo imaginário prefigurado em uma simples bola de couro, relacionamento esse que lhe salvou da morte.

Sendo essa a nossa necessidade e o nosso objetivo, precisamos então conhecer alguém que seja aquele(a) que sonhamos para estar ao nosso lado para sempre. Esta não será uma tarefa fácil, uma frase muito conhecida diz “Não se Ama aquilo que não se conhece”, por isso é um erro quando muitos proclamam que estão apaixonados (as) por um retrato na parede, que irão se casar com aquele ser angelical que lhe escreveu um lindo e_mail no dia do seu aniversário ou aguardam a chegada do Príncipe Encantado e ou, a Cinderela dos sonhos encantados, porque neste mundo não há quem seja fiel e sincero de verdade!

Não vivemos um sonho, nem num mundo fictício, vivemos sim num mundo real, por isso precisamos manter nossos pés bem firmes no chão, sabendo que teremos uma só flecha para acertarmos num só tiro certeiro o coração daquele (a) que realmente amamos. O maior erro de hoje em dia é sair disparando flechadas para todos os lados. Não acerta o que quer e ainda acaba acertando o que não queria, depois de se casar com o Drácula ou o Lobisomem, será tarde demais para voltar atrás e ficar com o Batman, o Spiderman ou o Superman, cuidado com as máscaras, por baixo delas nem sempre existirá um super herói verdadeiro, mas uma pessoa simples, pecadora, carente, com erros e defeitos como qualquer um de nós, que precisará co seu carinho e compreensão.

Por isso existe este período de Namoro, onde podemos conhecer a outra pessoa, não apenas visualizando sua aparência física ou seus dotes sensuais, nem se aproveitando de sua conta bancária ou exibindo seu carango ultramoderno, mas descobrindo o seu verdadeiro “eu interior”, que se revela a partir de um dialogo franco e sincero sem máscaras ou segredos não revelados, sendo que este relacionamento tende a crescer no dia a dia a partir de um ponto de partida. É claro que ninguém irá se revelar inteiramente no primeiro dia e nem dizer a marca do seu creme dental preferido ou que tipo de absorvente compra na farmácia, se bem que, um bom marido saberá o que comprar para sua esposa numa emergência quando ela lhe pedir, “Meu Amor busque para mim na Farmácia, urgentemente um pacotinho daquele absor ….”, se não souber, precisará passar por uma reciclagem do curso de noivos. Conhecer também a Família e ter um mínimo de relacionamento com os (as) amigos (as) um do outro, para que sua escolha não seja frustrada por descobertas e revelações posteriores.



Este é o verdadeiro sentido do Namoro, mas o que se vê hoje em dia, nem pode ser caracterizado de namoro, esse tal de “Ficar aqui”, “Não Ficar Ali”, “ficar acolá” e desprezar depois, quando algo melhor aparecer, não ligar no dia seguinte ou dar um telefone falso, isso deixa muitas mágoas nos corações e uma frustração imensa que prejudicará a vivência do verdadeiro amor ou de um relacionamento mais duradouro.

Te amoPor isso muitas pessoas têm um grande sentido de perda e parece estar com um buraco no coração, que lindos presentes, nem flores ou poemas românticos conseguiriam preencher, e vemos lindos jovens morrendo por aí drogados, porque não conseguem achar um significado para suas vidas. Sendo este também um grave problema que nos aflige hoje, se livrar das drogas, não basta apenas dizer “não uso” ou “não quero”, precisamos também, evitar ambientes onde a vida não tem valor algum e você é um mero consumidor descartável, que compra música, pornografia, drogas, fumo, álcool e outras coisas semelhantes.

missa jmj 2005 alemanha

Um milhão de jovens reunidos com o Papa na Alemanha. JMJ 2005

A Juventude Brasileira não tem desculpas de não ter tido uma opção de seguir a Cristo enquanto era jovem, a Igreja hoje oferece diversas opções para a juventude, de se encontrar e relacionar em um ambiente sadio, e muitos bons livros que ensinam a verdade sobre o namoro e a sexualidade antes do Casamento. Pe. Zezinho, Pe. Alírio, Pe. Jonas Abib, Prof. Felipe Aquino e outros escrevem sobre o relacionamento afetivo entre os jovens de hoje. A cada dia que passa a Juventude se organiza mais, promovendo encontros, eventos, shows e congressos debatendo os mais diversos assuntos de interesse dos Jovens, neste mês de Junho haverá A XXIII Jornada Mundial da Juventude em Sydney na Austrália, isto é a Igreja valorizando o Jovem, porque sabe que eles serão os líderes de um mundo novo que surge no horizonte.

PHNNinguém te despreze por seres jovens. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade. (I Timóteo 4,12)

Prezados jovens Católicos, sejam vocês os alicerces da construção da “nova civilização do amor” (Paulo VI) e da concretização de uma vida feliz a partir da santidade e do respeito à pessoa do outro.

Não adianta tentarmos fugir da verdade de Cristo, porque somos uma criação Divina e necessitamos da presença Dele em nossas vidas, por isso a sexualidade liberada que o mundo ensina hoje, as drogas que geram uma alegria instantânea, porém, deixam o estigma da dor e uma ressaca angustiante e depressiva que sugam a vida do homem aos poucos, porque o mundo jamais suprirá as necessidades do homem espiritual.

Um pouco de controle e aceitação das verdades do evangelho, não prejudicarão a felicidade futura e nem a alegria plena de quem quer que seja. Ser Santo não é uma Utopia, é uma necessidade do Jovem no mundo de hoje, para se proteger e se preservar dos lobos vorazes que tentam usurpá-los. As doenças sexualmente transmissíveis causadas pela devassidão sexual daqueles que defendem a ausência de Deus em suas vidas, estão deixando os jovens acuados sem saber o que fazer, por outro lado nos revela que Jesus sempre esteve certo ao propor uma vida de castidade antes do casamento.

Não receberemos nada se ensinarmos a verdade sobre a castidade ao Jovem, quem ganha e será imensamente grato no futuro será você Jovem, que já casado e com uma linda família, poderá olhar para trás e agradecer ou se lamentar pelos ensinamentos que foram seguidos ou desprezados, isto eu posso dizer sem medo de errar, porque vivi esta fase em minha vida e hoje repasso estes mesmos ensinamentos aos meus próprios filhos, sem me lamentar de algum momento íntimo “mais íntimo que deveria” que eu evitei que acontecese em minha vida no passado, sabendo que foi um grande lucro para mim os pecados que não cometi e os riscos que não corri.

Você que agora lê este texto, espero sua compreensão, isto não é cafonice ou coisa ultrapassada, também pensavamos isso na nossa época, hoje as coisas estão mais liberadas e muito mais arriscadas, por isso você precisará se preservar muito mais do que nós nos preservamos, apesar dos amigos críticos e liberais, somente queremos o seu bem e a preservação de sua dignidade que é o bem mais precioso que alguém pode possuir.

Anillos de boda 2 piezas dimantes y oro 10kGostaria de expor mais detalhes sobre este assunto, mas aos poucos iremos completando as dúvidas em outros post’s futuros fazendo ligações com este, existem na verdade alguns textos relacionados ao tema, que já estão ligados com as palavras correspondentes ao assunto, é só clicar e ver as observações. Outros temas como: Família, Aborto, Casamento, Amor Eterno e algumas Mensagens de Amor Etc… é só clicar e entrar.


FRANCISCO E CLARA

FRANCISCO

FAMÍLIA

ABORTO

1



http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg //mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

.

PHN – Dunga em Anápolis – Go.


Dom João Wilk bisbo da diocese de Anápolis.

A Comunidade Católica Nova Aliança apresenta: Dunga e sua Equipe da Canção Nova, que estarão realizando no Próximo dia 28 e 29 de Junho, Grandioso Show PHN em Anápolis – Go, no Ginásio Carlos de Pina, Não será apenas um Show, mas um congresso realizado em dois dias, para toda a Juventude da Região. Veja detalhes abaixo.


PHN-Anápolis 080628 (48)

FOTOS DO SHOW PHN

em Anápolis – Go.


CONHEÇA A MISSÃO PHN

http://blog.cancaonova.com/dunga/missao-phn/

PHN – Por Hoje Não vou Mais Pecar.

Um lema para a juventude de nossa época que convive com um mundo cada vez mais liberal e pecador, onde o pecado se torna praticamente um vício com tendência de se tornar totalmente normal, enquanto que ser Santo se torna esquisito e sinônimo de anormal.

O “AA” combate o vício do álcool com uma simples frase, “Evite o primeiro gole”, e certamente um copo não será tomado, muito menos uma garrafa, evitando assim a embriaguez e suas consequências.

Não precisamos nos preocupar com o futuro e sim apenas com o presente, o hoje aqui e agora. Jesus quando nos fala sobre os Lírios no Campo e os Pássaros do Céu, mostrando que mesmo eles sendo meras criaturas Divinas, o Pai ama e cuida com carinho de todos eles, quanto mais não cuidaria de nós que somos seus filhos amados. Nesta comparação Ele nos diz que não precisamos nos preocupar com o dia de Amanhã, porque o Pai suprirá todas as nossas necessidades para com o dia de hoje. Um exemplo clássico era o suprimento diário de maná que os Israelitas colhiam a cada dia durante a sua caminhada no deserto rumo à terra prometida, suprimento esse, que não servia para o dia seguinte. Outro exemplo bíblico, é a famosa “cumbuca da viúva”, em uma época de seca e penúria na região de Israel, o Profeta Elias foi se hospedar na casa da Viúva de Sarepta, que lhe recebeu com muito carinho, mas foi logo lhe avisando, ” só tenho em minha casa um punhado de farinha e um pouco de azeite na cumbuca…” vou cozê-los fazendo um Pão, comeremos e aguardaremos a morte, pois não há mais de onde tirar alimento. Para nossa surpresa, este pouco azeite e este punhado de farinha, alimentou A Viúva, seu filho e Elias por quase dois anos, até que veio a chuva novamente sobre a terra sêca. Tudo isso para nos mostrar que, podemos confiar em Deus esperando em sua graça.

Da Mesma forma atua o PHN na vida dos jovens, evitando o pecado apenas no dia de hoje, certamente amanhã estaremos mais fortes para enfrentá-lo novamente, mas se já o encaramos, com temor, achando que não seremos capazes de vencê-lo, dizendo aquela famosa frase “há … a Carne é Fraca Mesmo!”, realmente estaremos embarcando numa canoa furada que certamente afundará, mas se realmente concentrarmos todas as nossas forças no “agora não vou pecar”, estaremos alcançando muitas vitórias contra este inimigo que não é mais forte que nosso Deus, e muito menos, mais forte que um Cristão que confia no poder da presença do Espírito Santo em seu Coração.

Não que nós, sejamos capazes de fazer ou pensar alguma coisa, mas tendo a consciência que, é Ele que opera tudo em nós, nos dando a vitória sobre o inimigo.

Por outro lado, o mundo nos oferece caminhos demais, chegando ao ponto de ficarmos totalmente atordoados sem saber qual direção seguir, muitas vezes acabamos permanecendo no erro, pois é exatamente o que pretende o inimigo, confundir para se fazer perder.


encruzilhada+2[1]

Quem já não experimentou o dissabor de pegar um caminho errado e de repente admitir que estivesse realmente perdido e totalmente fora da direção, pior ainda, é o tempo perdido para retornar ao ponto do erro para retomar à direção correta.

Jesus nos oferece um único caminho, que seria Ele mesmo.

” Eu Sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai, senão por Mim… ” Se confundir e se perder nos caminhos do mundo é muito fácil, mas se encontrar com o único caminho que é Jesus é muito mais fácil ainda, basta segui-lo e encontrarás a vida eterna com o Pai de Amor.

São João Batista, assim que viu a Pomba Branca descendo sobre Jesus, teve a certeza absoluta que Ele era o Caminho, tanto foi assim que mandou que seus próprios discípulos o seguissem imediatamente dizendo: ” Este é o Caminho, Siga-o…”, e eles o seguiram se tornando seus discípulos.

E agora, que caminho deveria tomar? Tome qualquer um, qualquer direção, desde que seja na direção de Jesus.



http://blog.cancaonova.com/dunga/


Sinta-se convidado e venha participar deste evento “PHN”, que é a sua cara, jovem e alegre como Jesus, não deixe para a próxima oportunidade, siga agora este caminho antes que se perca nas encruzilhadas deste mundo. Encontrarás muitos que, como você, também já experimentaram os momentos confusos e duvidosos de se estar perdido sem saber para onde ir, mas que agora podem afirmar com toda certeza que; com Jesus realmente encontramos o caminho certo e era justamente aquilo que procurávamos.




Amor sempre Amor, Mensagens e Cartões para.



O Dia dos Namorados é uma data criada pelo comércio para reproduzir o mesmo efeito do Dia de São Valentim, equivalente de países do hemisfério norte, para incentivar a troca de presentes entre os “apaixonados”. (12 de Junho, no Brasil; 14 de Fevereiro em Portugal)


Dia dos Namorados


Clique para baixá-lo tamanho grande


O Dia de São Valentim cai em 14 de Fevereiro, e tem por característica a troca de cartões com mensagens românticas e presentes com simbolismo de mesmo intuito, como caixas de bombons em formato de coração.

A história do Dia de São Valentim remonta um obscuro dia de jejum da Igreja Católica, tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor romântico chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.

O dia é hoje muito associado com a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Se estima que, mundo afora, aproximadamente um bilhão de cartões com mensagens românticas são mandados a cada ano, tornando esse dia um dos mais lucrativos do ano. Também se estima que as mulheres comprem aproximadamente 85% de todos os presentes.

No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho por ser véspera de 13 de junho, Dia de Santo Antônio, santo com tradição de casamenteiro.



.

12love.gif
Te amo

.


Frases e Pensamentos

O Amor tudo Perdoa Tudo Crê, tudo Espera, tudo suporta …

(São Paulo Cor 13,7).


O Amor é paciente, o Amor é bondoso. Não tem inveja. O Amor não é orgulhoso. Não é arrogante. Nem escandaloso. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.    (São Paulo I Cor. 13)


Não ser amado é uma simples desventura.

A verdadeira desgraça é não saber amar.

(Autor desconhecido)


Amar não é mais que morrer em si para renascer no outro.
(Autor desconhecido)


Omnia vincit amor – o amor vence tudo.
(Virgílio)


O amor não tem idade, está sempre a nascer.
(Blaise Pascal)


A medida do amor é não ter medida.
(Santo Agostinho)


Há apenas um remédio para o amor: amar ainda mais.
(David Thoreau)


O inferno é já não amarmos.
(Georges Bernanos)


Amar alguém é ser o único a ver um milagre invisível para outros.
(Mauriac)


O segredo para dar mais relevo às coisas mais humildes, mesmo às mais humilhantes, é amar.
(Josemaría Escrivá)


Quando o amor enche o coração, não deixa nele lugar para mais nada. Nem para o ódio, nem para o rancor, nem para o orgulho.
(José Mallorqui)


É quando nos esquecemos de nós mesmos que fazemos coisas que merecem ser recordadas.
(Autor desconhecido)


Um homem tem a idade da mulher a quem ama.
(Provérbio chinês)


O amor por uma pessoa deve incluir os corvos do seu telhado.
(Provérbio chinês)


Quem tiver dó de mim, não mo diga, mas venha e tenha dó.
(Sebastião da Gama)


O amor não deve ser apenas uma chama: deve ser também uma luz.
(Henry David Thoreau)


O amor não se conjuga no passado: ou se ama para sempre, ou nunca se amou verdadeiramente.
(Autor desconhecido)


A falta de amor é a maior de todas as pobrezas.
(Madre Teresa de Calcutá)


Suba alto; Suba longe. Seu objetivo é o céu; Seu alvo, as estrelas.
(Inscrição no Williams College)


Aquele que tentou e nada conseguiu é superior àquele que não tentou.
(Bud Wilkinson)


Evitar o perigo não é, a longo prazo, tão seguro quanto expor-se ao perigo. A vida é uma aventura ousada ou, então, não é nada.
(Helen Keller)


Arriscar-se é perder o pé por algum tempo. Não se arriscar é perder a vida. . .
(Soren Kiekegaard)


O medo do perigo é mil vezes pior do que o perigo real.
(Daniel Defoe – in Robison Crusoe)


Se não houver frutos, valeu a beleza das flores. . . Se não houver flores, valeu a sombra das folhas . . . Se não houver folhas, valeu a intenção da semente . . .
(Henfil)


O ruído faz pouco bem, o bem faz pouco ruído.
(S. Francisco de Sales)


Os bons pensamentos produzem bons frutos, os maus pensamentos produzem maus frutos. . .         e o homem é seu próprio jardineiro.
(James Allen)


Ó beleza! Onde está tua verdade?
(Shakespeare – Tróilo e Cressida)


Todas as maravilhas de que precisas estão dentro de ti.
(Sir Thomas Browne)


Quando procuraste a companhia de uma satisfação sensual… – depois, que solidão!
Por que debruçares-te a beber nos charcos dos gozos mundanos, se podes saciar a tua sede em águas que brotam para a vida eterna?
(S. Josemaría Escrivá)


Procurando o bem para os nossos semelhantes encontramos o nosso.
(Platão)


Sem o seu riso, um aposento cheio de gente tagarelando parece frio e vazio.
(N. Naidoo)


É fácil conquistar uma mulher a cada dia. O difícil é conquistar a mesma mulher todo dia!

(Autor desconhecido)



Os Cartões RCC foram desativados



Eu te amo porque te amo.

Não precisas ser amante,

e nem sempre sabes sê-lo.

Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça

e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,

é semeado no vento,

na cachoeira, no eclipse.

Amor foge a dicionários

e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo

bastante ou demais a mim.

Porque amor não se troca,

não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,

feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,

e da morte vencedor,

por mais que o matem (e matam)

a cada instante de amor


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/sagrada-familia-jmj.jpg
5

WALLPAPERS


Chama de amor NAMORO
Amar alguem BOLO NAMORADOS

WALLPAPERS


REMÉDIO PARA O AMOR O AMOR PERDOA - NAMORO
A BELEZA DAS FLORES SEMPRE AMOR

Mais Mensagens de Amor


7
8


Mensagens de Amor



O E-mail

Apenas um e-mail…
Era o que eu queria ser neste momento.
Para que seus olhos percorressem o meu corpo,
Seus pensamentos alterassem meu texto, Seus lábios sussurassem palavras,
Que em meu corpo seriam impressas.
Apenas um e-mail…
Para te olhar por momentos
E te perceber tão meu
Ser guardada em teus fichários
E lembrada em sua memória.
Apenas um e-mail…
Só isto me bastava,
Ser um breve momento
Do seu dia.


Saudade e Vida

Enquanto convivia com a tristeza,
Na noite negra duma solidão,
Já conformado com a atroz certeza,
Que minha luz era a escuridão.

Quando a saudade vinha com franqueza
Transformar lindo sonho em ilusão,
Quando o sorriso não tinha beleza
Nem a esperança uma solução.

Você surgiu e me beijou sorrindo
Como fazia, com sorriso lindo,
Despertando minha alma entorpecida.

Acordei do torpor em que vivia
E notei que de novo renascia,
Pois você, só você é minha vida.


Longe de ti

Longe de ti, tudo parou, tudo morreu e eu num lugar sem vida, perdido no mundo sem você, só me resta chorar eternamente a sua ausência.

Quem sabe com minhas lágrimas possa um dia se tornar um rio e ali na minha imaginação poderei ver o seu reflexo?

Ou talvez no leito deste rio descançarei eternamente, onde as águas me levarão a um lugar distante e no sono profundo poderei um dia me encontrar aos teus braços outra vez…

Cuidado com o cupido

Outras indicações:


namoro-link Coracao_agradecido
Qual o Melhor presente de Natal sempre-amor-lk Casal_Coração


Papa Bento XVI incentiva o Pentecostes para a nossa Juventude. Este será o Tema do Enc. em Sidiney.

Recebereis.

“Recebereis a força do Espírito Santo, que virá sobre vós, e sereis minhas testemunhas”

(Act 1, 8.)

1 – A XXIII JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

2. A promessa do Espírito Santo na Bíblia

3. O Pentecostes, ponto de partida da missão da Igreja

4. O Espírito Santo alma da Igreja e princípio de comunhão

5. O Espírito Santo “Mestre interior”

6. Os Sacramentos da Confirmação e da Eucaristia

7. A necessidade e a urgência da missão

8. Invocar um “novo Pentecostes” sobre o mundo

Prezados jovens

JMJ 2008

BENEDICTUS PP. XVI

de 16 a 20 de julho 2008

(Sydney – Austrália)



1. A XXIII Jornada Mundial da Juventude

Recordo sempre com grande alegria os vários momentos transcorridos juntos em Colónia, em Agosto de 2005. No final daquela inesquecível manifestação de fé e de entusiasmo, que permanece impressa no meu espírito e no meu coração, marquei encontro convosco para a próxima reunião que terá lugar em Sydney em 2008. Será a XXIII Jornada Mundial da Juventude e terá como tema: “Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas” (Act 1, 8). O fio condutor da preparação espiritual para o encontro de Sydney é o Espírito Santo e a missão. Se em 2006 parámos para meditar sobre o Espírito Santo como Espírito de verdade, em 2007 procuramos descobri-lo mais profundamente, como Espírito de amor, para nos encaminharmos depois rumo à Jornada Mundial da Juventude de 2008, reflectindo acerca do Espírito de fortaleza e testemunho, que nos dá a coragem de viver o Evangelho e a audácia para o proclamar. Por isso, é fundamental que cada um de vós, jovens, na comunidade e com os educadores, possa reflectir sobre este Protagonista da história da salvação, que é o Espírito Santo ou Espírito de Jesus, para alcançar estas altas finalidades: reconhecer a verdadeira identidade do Espírito, em primeiro lugar ouvindo a Palavra de Deus na Revelação da Bíblia; tomar uma consciência límpida da sua presença contínua e activa na vida da Igreja, em particular redescobrindo que o Espírito Santo se põe como “alma”, sopro vital da própria vida cristã, graças aos sacramentos da iniciação cristã Baptismo, Confirmação e Eucaristia; tornar-se assim capaz de amadurecer uma compreensão de Jesus cada vez mais profunda e alegre e, contemporaneamente, de realizar uma prática eficaz do Evangelho no alvorecer do terceiro milénio. Com esta mensagem, ofereço-vos de bom grado um percurso de meditação para aprofundar ao longo deste ano de preparação, no qual verificar a qualidade da vossa fé no Espírito Santo, reencontrá-la se foi perdida, revigorá-la se está debilitada e saboreá-la como companhia do Pai e do Filho Jesus Cristo, precisamente graças à obra indispensável do Espírito Santo. Nunca esqueçais que a Igreja, aliás a própria humanidade, a que vos circunda e a que vos aguarda no futuro, espera muito de vós, jovens, porque tendes em vós o dom supremo do Pai, o Espírito de Jesus.

https://i1.wp.com/www.cittadellerose.it/raduno/Benedetto%20XVI%20-%20b.jpg

2. A promessa do Espírito Santo na Bíblia

A escuta atenta da Palavra de Deus a respeito do mistério e da obra do Espírito Santo introduz-nos em conhecimentos vastos e estimulantes, que resumo nos seguintes pontos.

Pouco antes da sua ascensão, Jesus disse aos discípulos: “Eu vou mandar sobre vós o que meu Pai prometeu” (Lc 24, 49). Isto realizou-se no dia do Pentecostes, quando eles estavam reunidos em oração no Cenáculo com a Virgem Maria. A efusão do Espírito Santo na Igreja nascente foi o cumprimento de uma promessa de Deus, muito mais antiga, anunciada e preparada em todo o Antigo Testamento.

Com efeito, desde as primeiras páginas a Bíblia evoca o espírito de Deus como um sopro que “se movia sobre a superfície das águas” (cf. Gn 1, 2) e especifica que Deus insuflou pelas narinas do homem um sopro de vida (cf. Gn 2, 7), infundindo-lhe assim a própria vida. Depois do pecado original, o espírito vivificador de Deus manifestar-se-á diversas vezes na história dos homens, suscitando profetas para incitar o povo eleito a voltar para Deus e a observar fielmente os seus mandamentos. Na célebre visão do profeta Ezequiel, Deus faz reviver com o seu espírito o povo de Israel, representado por “ossos dissecados” (cf. 37, 1-14). Joel profetiza uma “efusão do espírito” sobre todo o povo, sem excluir ninguém: “Depois disto escreve o Autor sagrado acontecerá que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne… Naqueles dias, derramarei também o meu Espírito sobre os escravos e as escravas” (3, 1-2).

Na “plenitude dos tempos” (cf. Gl 4, 4), o anjo do Senhor anuncia à Virgem de Nazaré que o Espírito Santo, “poder do Altíssimo”, descerá e estenderá sobre ela a sua sombra. Aquele que Ela dará à luz será, portanto, santo e chamado Filho de Deus (cf. Lc 1, 35). Segundo a expressão do profeta Isaías, o Messias será Aquele sobre o qual se repousará o Espírito do Senhor (cf. 11, 1-2; 42, 1). Jesus retomou precisamente esta profecia no início do seu ministério público na sinagoga de Nazaré: “O Espírito do Senhor disse Ele, no meio da admiração dos presentes está sobre mim, porque me ungiu para anunciar a Boa Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e, aos cegos, o recobrar da vista; para mandar em liberdade os oprimidos e proclamar um ano de graça do Senhor” (Lc 4, 18-19; cf. Is 61, 1-2). Dirigindo-se aos presentes, referirá a si mesmo estas palavras proféticas, afirmando: “Cumpriu-se hoje esta passagem da Escritura, que acabastes de ouvir” (Lc 4, 21). E antes da sua morte na cruz, ainda anunciará várias vezes aos discípulos a vinda do Espírito Santo, o “Consolador”, cuja missão consistirá em dar-lhe testemunho e assistir os fiéis, ensinando-os e orientando-os para a Verdade integral (cf. Jo 14, 16-17.25-26; 15, 26; 16, 13).

Benedict 16

3. O Pentecostes, ponto de partida da missão da Igreja

À noite, no dia da sua ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos, “soprou sobre eles e disse-lhes: “Recebei o Espírito Santo”” (Jo 20, 22). Com força ainda maior, o Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos no dia do Pentecostes: “Subitamente ressoou, vindo do Céu lê-se nos Actos dos Apóstolos um som comparável ao de forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde se encontravam. Viram, então, aparecer umas línguas à maneira de fogo, que se iam dividindo, e pousou sobre cada um deles” (2, 2-3).

O Espírito Santo renovou interiormente os Apóstolos, revestindo-os de uma força que os tornou audazes para anunciar sem medo: “Cristo morreu e ressuscitou!”. Livres de todo o temor, eles começaram a falar com franqueza (cf. Act 2, 29; 4, 13; 4, 29.31). De pescadores amedrontados, tornaram-se corajosos anunciadores do Evangelho. Nem sequer os seus inimigos conseguiam compreender como homens “iletrados e plebeus” (cf. Act 4, 13) eram capazes de manifestar uma coragem como esta e suportar as contrariedades, os sofrimentos e as perseguições com alegria. Nada podia detê-los. Àqueles que procuravam reduzi-los ao silêncio, respondiam: “Quanto a nós, não podemos deixar de afirmar publicamente o que vimos e ouvimos” (Act 4, 20). Assim nasceu a Igreja, que a partir do dia do Pentecostes não cessou de irradiar a Boa Nova “até aos confins do mundo” (Act 1, 8).

156108366_2df66291b11.jpg

4. O Espírito Santo alma da Igreja e princípio de comunhão

Mas para compreender a missão da Igreja, temos que voltar ao Cenáculo, onde os discípulos estavam reunidos (cf. Lc 24, 49) a rezar com Maria, a “Mãe”, à espera do Espírito prometido. Neste ícone da Igreja nascente devem inspirar-se constantemente todas as comunidades cristãs. A fecundidade apostólica e missionária não é principalmente o resultado de programas e métodos pastorais sabiamente elaborados e “eficazes”, mas é fruto da oração comunitária incessante (cf. Paulo VI, Exortação Apostólica Evangelii nuntiandi, 75). Além disso, a eficácia da missão pressupõe que as comunidades permaneçam unidas, ou seja, tenham “um só coração e uma só alma” (cf. Act 4, 32) e estejam dispostas a dar testemunho do amor e da alegria que o Espírito Santo infunde nos corações dos fiéis (cf. Act 2, 42). O Servo de Deus João Paulo II pôde escrever que antes de ser acção, a missão da Igreja é testemunho e irradiação (cf. Encíclica Redemptoris missio, 26). Assim aconteceu nos primórdios do cristianismo, quando os pagãos escreve Tertuliano se convertiam ao verem o amor que reinava entre os cristãos: “Vê dizem como se amam uns aos outros” (cf. Apologético, 39 7).

Concluindo esta rápida consideração da Palavra de Deus na Bíblia, convido-vos a observar como o Espírito Santo é o dom mais excelso de Deus ao homem e, portanto, o testemunho supremo do seu amor por nós, um amor que se expressa concretamente como “sim à vida” que Deus deseja para cada uma das suas criaturas. Este “sim à vida” tem a sua forma plena em Jesus de Nazaré e na sua vitória sobre o mal, mediante a redenção. A este propósito, nunca esqueçamos que o Evangelho de Jesus, precisamente em virtude do Espírito, não se reduz a uma simples constatação, mas quer tornar-se “boa nova para os pobres, libertação para os prisioneiros, vista para os cegos…”. É aquilo que se manifestou com vigor no dia do Pentecostes, tornando-se graça e tarefa da Igreja em favor do mundo, a sua missão prioritária.

Nós somos os frutos desta missão da Igreja, por obra do Espírito Santo. Trazemos dentro de nós aquele selo do amor do Pai em Jesus Cristo, que é o Espírito Santo. Nunca o esqueçamos, porque o Espírito do Senhor se recorda sempre de cada um e quer, em particular mediante vós, jovens, suscitar no mundo o vento e o fogo de um novo Pentecostes.

5. O Espírito Santo “Mestre interior”

Estimados jovens, portanto também hoje o Espírito Santo continua a agir com poder na Igreja, e os seus frutos são abundantes na medida em que se dispõem a abrir-nos à sua força renovadora. Por isso, é importante que cada um de nós O conheça, entre em relação com Ele e por Ele se deixe orientar. Mas nesta altura apresenta-se naturalmente uma pergunta: quem é para mim o Espírito Santo? Com efeito, não são poucos os cristãos para os quais Ele continua a ser o “grande desconhecido”. Eis por que, ao preparar-nos para a próxima Jornada Mundial da Juventude, desejei convidar-vos a aprofundar o conhecimento pessoal do Espírito Santo. Na nossa profissão de fé, proclamamos: “Creio no Espírito Santo, que é Senhor e dá a vida, e procede do Pai e do Filho” (Símbolo Niceno-Constantinopolitano). Sim, o Espírito Santo, Espírito de amor do Pai e do Filho, é Fonte de vida que nos santifica, “porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações, pelo Espírito Santo que nos foi concedido” (Rm 5, 5). Todavia, não é suficiente conhecê-lo; é necessário acolhê-lo como guia das nossas almas, como o “Mestre interior” que nos introduz no Mistério trinitário, porque somente Ele pode abrir-nos à fé e permitir-nos vivê-la plenamente todos os dias. Ele impele-nos rumo aos outros, acende em nós o fogo do amor e torna-nos missionários da caridade de Deus.

Bem sei como vós, jovens, tendes no coração uma grande estima e amor a Jesus, como desejais encontrá-lo e falar com Ele. Pois bem, recordai-vos que precisamente a presença do Espírito em nós atesta, constitui e constrói a nossa pessoa na própria Pessoa de Jesus crucificado e ressuscitado. Portanto, tornemo-nos familiares com o Espírito Santo, para o sermos com Jesus.

6. Os Sacramentos da Confirmação e da Eucaristia

Mas direis como podemos deixar-nos renovar pelo Espírito Santo e crescer na nossa vida espiritual? A resposta sabeis é: através dos sacramentos, porque a fé nasce e se fortalece em nós graças aos sacramentos, antes de tudo aos sacramentos da iniciação cristã: o Baptismo, a Confirmação e a Eucaristia, que são complementares e inseparáveis (cf. Catecismo da Igreja Católica, n. 1285). Esta verdade sobre os três sacramentos que se encontram no início do nosso ser cristãos é, talvez, descuidada na vida de fé de não poucos cristãos, para os quais eles são gestos cumpridos no passado, sem incidência real no presente, como raízes desprovidas da linfa vital. Acontece que, depois de terem recebido a Confirmação, diversos jovens se afastam da vida de fé. E há também jovens que nem sequer recebem este sacramento. Contudo, é mediante os sacramentos do Baptismo, da Confirmação e em seguida, de modo continuativo, da Eucaristia, que o Espírito Santo nos torna filhos do Pai, irmãos de Jesus, membros da sua Igreja, capazes de um verdadeiro testemunho do Evangelho, fruidores da alegria da fé.

Por isso, convido-vos a reflectir sobre aquilo que vos escrevo. Hoje é particularmente importante redescobrir o sacramento da Confirmação e voltar a encontrar o seu valor para o nosso crescimento espiritual. Quem recebeu os sacramentos do Baptismo e da Confirmação recorde-se que se tornou “templo do Espírito”: Deus habita nele. Esteja sempre consciente disto e faça com que o tesouro que nele se encontra dê frutos de santidade. Quem é baptizado, mas ainda não recebeu o sacramento da Confirmação, prepare-se para o receber, consciente de que assim há-de tornar-se um cristão “completo”, porque a Confirmação aperfeiçoa a graça baptismal (cf. Catecismo da Igreja Católica, nn. 1302-1304).

A Confirmação dá-nos uma força especial para testemunhar e glorificar a Deus com toda a nossa vida (cf. Rm 12, 1); torna-nos intimamente conscientes da nossa pertença à Igreja, “Corpo de Cristo”, de Quem todos nós somos membros vivos, solidários uns com os outros (cf. 1 Cor 12, 12-25). Deixando-se orientar pelo Espírito, cada baptizado pode oferecer a sua contribuição para a edificação da Igreja, graças aos carismas que Ele infunde, porque “a manifestação do Espírito é dada a cada um, para proveito comum” (1 Cor 12, 7). E quando o Espírito age, traz na própria alma os seus frutos, que são “caridade, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e temperança” (Gl 5, 22). A quantos ainda não receberam o sacramento da Confirmação, dirijo o cordial convite a preparar-se para o acolher, pedindo ajuda aos seus sacerdotes. O Senhor oferece-vos uma especial ocasião de graça: não a deixeis fugir!

Aqui, gostaria de acrescentar uma palavra sobre a Eucaristia. Para crescer na vida cristã, é necessário alimentar-se do Corpo e Sangue de Cristo: com efeito, somos baptizados e confirmados em vista da Eucaristia (cf. Catecismo da Igreja Católica, n. 1322; Exortação Apostólica Sacramentum caritatis, 17). “Fonte e ápice” da vida eclesial, a Eucaristia é um “Pentecostes perpétuo”, porque cada vez que celebramos a Santa Missa recebemos o Espírito Santo que nos une mais profundamente a Cristo e nele nos transforma. Queridos jovens, se participardes frequentemente na Celebração eucarística, se consagrardes um pouco do vosso tempo à adoração do Santíssimo Sacramento, da Fonte do amor, que é a Eucaristia, haveis de receber aquela alegre determinação de dedicar a vida ao seguimento do Evangelho. Experimentareis, ao mesmo tempo, que quando as nossas forças não são suficientes, é o Espírito Santo que nos transforma, que nos cumula com a sua força e nos torna testemunhas repletas do ardor missionário de Cristo ressuscitado.

XV Jornada Mundial da Juventude - Roma 2000

7. A necessidade e a urgência da missão

Muitos jovens reflectem sobre a sua vida com apreensão e formulam muitas interrogações acerca do seu futuro. Preocupados, eles perguntam-se: como inserir-se num mundo assinalado por numerosas e graves injustiças e sofrimentos? Como reagir ao egoísmo e à violência, que por vezes parecem prevalecer? Como dar pleno sentido à vida? Como contribuir para que os frutos do Espírito, que recordámos acima, “caridade, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e temperança” (ponto n. 6), inundem este mundo ferido e frágil, antes de tudo o mundo dos jovens? Com que condições o Espírito vivificador da primeira criação, e sobretudo da segunda criação ou redenção, pode tornar-se a nova alma da humanidade? Não esqueçamos que quanto maior é o dom de Deus e o do Espírito de Jesus é o máximo tanto maior é a necessidade que o mundo tem de o receber e, portanto, tanto maior e mais apaixonante é a missão da Igreja de dar testemunho credível do mesmo. E vós jovens, com a Jornada Mundial da Juventude, de certo modo testemunhais a vontade de participar em tal missão.

Caros amigos, a este propósito quero recordar-vos aqui algumas verdades de referência sobre as quais meditar. Mais uma vez, repito-vos que somente Cristo pode satisfazer as aspirações mais íntimas do coração do homem; só Ele é capaz de humanizar a humanidade e conduzi-la à sua “divinização”. Com o poder do seu Espírito, Ele infunde em nós a caridade divina, que nos torna capazes de amar o próximo e de nos pormos com disponibilidade ao seu serviço. Revelando Cristo crucificado e ressuscitado, o Espírito Santo ilumina, indica-nos a vida para nos tornarmos mais semelhantes a Ele, ou seja, para sermos “expressão e instrumento do amor que dele dimana” (Encíclica Deus caritas est, 33). E quem se deixa guiar pelo Espírito, compreende que pôr-se ao serviço do Evangelho não é uma opção facultativa, porque sente como é urgente transmitir esta Boa Nova também aos outros. Todavia, é necessário voltar a recordá-lo, só podemos ser testemunhas de Cristo se nos deixarmos guiar pelo Espírito Santo, que é “o agente principal da evangelização” (cf. Evangelii nuntiandi, 75) e “o protagonista da missão” (cf. Redemptoris missio, 21).

//mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida.
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg

Dilectos jovens, como reiteraram várias vezes os meus venerados Predecessores Paulo VI e João Paulo II, anunciar o Evangelho e dar testemunho da fé é hoje mais necessário do que nunca (cf. Redemptoris missio, 1). Alguns pensam que apresentar o tesouro precioso da fé às pessoas que não a compartilham significa ser intolerante para com elas, mas não é assim, porque propor Cristo não significa impô-lo (cf. Evangelii nuntiandi, 80). De resto, há dois mil anos doze Apóstolos deram a vida para que Cristo fosse conhecido e amado. A partir de então, o Evangelho continua a difundir-se ao longo dos séculos, graças a homens e mulheres animados pelo seu próprio zelo missionário. Portanto, também hoje são necessários discípulos de Cristo que não poupem tempo nem energias para servir o Evangelho. São precisos jovens que deixem arder dentro de si o amor a Deus e respondam generosamente ao seu apelo urgente, como fizeram muitos jovens Beatos e Santos do passado e inclusive de épocas mais próximas a nós. Em particular, asseguro-vos que o Espírito de Jesus hoje vos convida, jovens, a serdes portadores da Boa Nova de Jesus aos vossos coetâneos. A indubitável dificuldade que os adultos têm de encontrar de maneira compreensível e convincente a classe juvenil pode ser um sinal com que o Espírito tenciona impelir-vos, jovens, a assumir esta responsabilidade. Vós conheceis os ideais, as linguagens e também as feridas, as expectativas e ao mesmo tempo o desejo de bem dos vossos coetâneos. Abre-se o vasto mundo dos afectos, do trabalho, da formação, da expectativa, do sofrimento juvenil… Cada um de vós tenha a coragem de prometer ao Espírito Santo que conduzirá um jovem para Jesus Cristo, do modo como melhor considerar, sabendo “responder com doçura a todo aquele que vos perguntar a razão da vossa esperança” (cf. 1 Pd 3, 15).

Mas para alcançar esta finalidade, queridos amigos, sede santos, sede missionários, porque nunca se pode separar a santidade da missão (cf. Redemptoris missio, 90). Não tenhais medo de ser santos missionários, como São Francisco Xavier, que percorreu o Extremo Oriente para anunciar a Boa Nova até ao extremo das suas forças, ou como Santa Teresa do Menino Jesus, que foi missionária, contudo sem jamais ter deixado o Carmelo: ambos são “Padroeiros das Missões”. Estai prontos a pôr em jogo a vossa vida, para iluminar o mundo com a verdade de Cristo; para responder com amor ao ódio e ao desprezo pela vida; e para proclamar em todos os cantos da terra a esperança de Cristo ressuscitado.

Na manhã deste domingo, 21 de agosto 2005, o Papa Bento XVI saiu do Arcebispado de Colônia à esplanda de Marienfield para presidir a Celebração Eucarística de encerramento da XX Jornada Mundial da Juventude. A Santa Missa teve início às 10h (horário de Colônia, Alemanha) e contou com a presença de mais de 1 milhão de fíeis do mundo inteiro.

8. Invocar um “novo Pentecostes” sobre o mundo

Prezados jovens, aguardo-vos numerosos em Julho de 2008 em Sydney. Será uma ocasião providencial para experimentar plenamente o poder do Espírito Santo. Vinde em grande número, para serdes sinal de esperança e sustento precioso para as comunidades da Igreja na Austrália, que estão a preparar-se para vos receber. Para os jovens do país que nos hospedará, será uma extraordinária oportunidade de anunciar a beleza e a alegria do Evangelho a uma sociedade sob muitos aspectos secularizada. Como toda a Oceânia, a Austrália tem necessidade de descobrir novamente as suas raízes cristãs. Na Exortação pós-sinodal Ecclesia in Oceania, João Paulo II escrevia: “Com a força do Espírito Santo, a Igreja na Oceânia está a preparar-se para uma nova evangelização de povos que hoje têm fome de Cristo… A nova evangelização é uma prioridade para a Igreja na Oceânia” (n. 18).

Convido-vos a dedicar tempo à oração e à vossa formação espiritual neste último trecho do caminho que nos conduz à XXIII Jornada Mundial da Juventude, a fim de que em Sydney possais renovar as promessas do vosso Baptismo e da vossa Confirmação. Em conjunto, invocaremos o Espírito Santo, pedindo com confiança a Deus o dom de um renovado Pentecostes para a Igreja e para a humanidade do terceiro milénio.

Maria, unida em oração aos Apóstolos no Cenáculo, vos acompanhe durante estes meses e obtenha para todos os jovens cristãos uma renovada efusão do Espírito Santo, que inflame os seus corações. Recordai: a Igreja tem confiança em vós! Nós Pastores, de modo particular, rezamos para que vos ameis e façais com que Jesus seja cada vez mais amado, e a fim de que O sigais fielmente. Com estes sentimentos, abençoo-vos a todos com grande carinho.

Lorenzago, 20 de Julho de 2007.

BENEDICTUS PP. XVI

© Copyright 2007 – Libreria Editrice Vaticana

.

.

JMJ 2008

Mensagem em vista da Jornada Mundial da Juventude

a realizar-se em Julho de 2008 em Sydney (Austrália)
Rumo a uma maravilhosa celebração da féAgora, o meu pensamento dirige-se para o Encontro Mundial dos Jovens, que terá lugar em Sydney, dentro de um ano. Aos jovens aqui presentes e a todos os jovens do mundo que estão a preparar-se para este jubiloso encontro de fé, quero agora dirigir em língua inglesa uma palavra de calorosa saudação e de vivo encorajamento:Queridos jovensDaqui a um ano encontrar-nos-emos para a Jornada Mundial da Juventude em Sydney! Quero encorajar-vos a preparar-vos bem para esta maravilhosa celebração da fé, que será vivida em companhia dos vossos bispos, sacerdotes, religiosos, líderes juvenis e uns dos outros. Entrai plenamente na vida das vossas paróquias e participai com entusiasmo nos eventos diocesanos! Deste modo, estareis espiritualmente preparados para experimentar novas interioridades de conhecimento de tudo aquilo em que acreditamos, quando nos reunirmos em Sydney no próximo mês de Julho.”Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas Testemuhas até aos confins do mundo” (cf. Act 1, 8). Como sabeis, estas palavras de Jesus formam o tema da Jornada Mundial da Juventude de 2008. Como os Apóstolos se sentiram, ao ouvirem estas palavras, só podemos imaginar, mas sem dúvida a sua confusão foi temperada com um sentido de admiração e de ansiosa expectativa da vinda do Espírito. Unidos em oração com Maria e com os outros reunidos na Sala de Cima (cf. Act 1, 14), eles experimentaram o verdadeiro poder do Espírito,cuja presença transforma a incerteza, o medo e a divisão em propósito, esperança e comunhão.Um sentido de admiração e de ansiosa expectativa descreve também como nos sentimos, ao preparar-nos para nos encontrar em Sydney. Para muitos de nós, será uma longa viagem. Contudo, a Austrália e o seu povo evocam imagens de calorosa hospitalidade e de maravilhosa beleza, de antiga história aborígena e de um grande número de vibrantes cidades e comunidades. Sei que as autoridades eclesiais e governamentais juntamente com numerosos jovens australianos, já estão a trabalhar arduamente para assegurar uma experiência extraordinária a todos nós. Transmito-lhes os meus sinceros agradecimentos.A Jornada Mundial da Juventude é muito mais do que um acontecimento. É um período de profunda renovação espiritual, cujos frutos hão-de beneficiar toda a sociedade. Os jovens peregrinos estão cheios do desejo de rezar, de ser alimentados pela Palavra e pelo Sacramento, de ser transformados pelo Espírito Santo que ilumina a maravilha da alma humana e indica o caminho para ser “expressão e instrumento do amor que d’Ele dimana” (Deus caritas est,33).

É este o amor o amor de Cristo ao qual o mundo aspira. Deste modo, sois chamados a “ser suas testemunhas”. Alguns de vós tendes amigos com escassa motivação real nas suas vidas, talvez envolvidos numa busca fútil de experiências infinitamente novas. Levai-os também convosco para a Jornada Mundial da Juventude! Com efeito, observei que, contra a onda de secularismo, numerosos jovens estão a redescobrir a busca satisfatória da beleza, da bondade e da verdade autênticas. Através do vosso testemunho, vós podeis ajudá-los na sua procura do Espírito de Deus. Sede corajosos neste testemunho! Esforçai-vos em vista de propagar a luz orientadora de Cristo, que dá motivação a toda a vida, tornando possível para todos a alegria e a felicidade duradouras.

Meus queridos jovens, que o Senhor vos proteja a todos, até nos encontrarmos em Sydney.

Confiemos estas preparações a Nossa Senhora do Cruzeiro do Sul, Auxílio dos Cristãos. Oremos com Ela: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor”.

JMJ 2008 2007 2006 2005 2004 2003 2002 2001 2000 1999 1998 1997 1996 1995 1994 1993 1992 1991 1990 1989 1988 1987 1986

Fonte: www.vatican.va
© Copyright 2007 – Libreria Editrice Vaticana