Não invoque Charlie e nem repita duas vezes este nome.


CHARLIE, CHARLIE…

CUIDADO CRIANÇAS, PERIGO NA REDE DA WEB!



Cuidado_perigo_brincadeira_de_criança



A internet hoje virou um campo fértil onde se disseminam muitas mentiras, vírus, Cavalos de Troia, fake’s, hoax, boatos etc.  Isto porque as pessoas compartilham coisas sem saber o que estão compartilhando sem a menor responsabilidade nas consequências futuras deste compartilhamento.   O problema maior reside agora que estão sendo compartilhadas coisas referentes a magia negra e a invocação de demônios, lamentavelmente as pessoas não sabem nada a este respeito assim como Eva no paraíso não conhecia a serpente quando a mesma a enganou, pois se soubesse com quem estava falando certamente não lhe daria crédito.


wallpaper-cristao-hd-serpente-me-enganou-bra%C3%A7o-ma%C3%A7%C3%A3_1366x768[1]


Palavras da serpente Pecado_involuntario Pecado_maça_Serpente_Rom_3_23

Surgiu como um viral no twitter e no facebook uma brincadeira onde se ensina a invocar um demônio, só que as pessoas não conhecem a consequência desta brincadeira e mesmo pensando se tratar apenas de uma brincadeira o pânico, o medo e o terror é tão grande que jovens adolescentes estão indo até para o hospital, fora os acidentes que ocorrem devido o pânico e as ações de desespero logo após a confirmação da resposta na tal brincadeira.

Se cada pessoa que entre nesta brincadeira não sabe a sua reação caso seu pedido seja aceito, nem deveriam entrar na brincadeira e que neste caso não é apenas uma brincadeira e é por isso que o pânico é tão grande.

Não vamos aqui dizer como a tal invocação é realizada, somente queremos informar que ninguém se meta a besta em invocar demônios, pois mesmo que você não acredite em Deus e nem em seres espirituais, a verdade é que eles estão ai espalhados pelo mundo, muitas vezes eles nada fazem, mas quando são invocados é como se você abrisse a porta de sua “CASA” e os convidasse para entrar.

Neste caso o espírito não seria apenas um estranho, mais um convidado ilustre o que vale é o que está escrito na Bíblia, “Síndrome da casa vazia”, pois se o espírito Santo não ocupar a casa “quem a ocupará?”, não podemos deixar nosso corpo, “nossa casa” totalmente desprotegidos, já corremos muitos riscos neste mundo, convém sempre estarmos do lado de quem nos protege contra o mal.

A Bíblia diz que nosso coração é o templo onde O espírito Santo de Deus habita, mas nem sempre as pessoas permitem que este fato seja realmente concretizado, pois não possuem fé e vivem em pecado deixando assim uma porta aberta para que o mal venha agir em sua vida, neste caso a melhor proteção é mesmo invocar o “ESPÍRITO SANTO DE DEUS” e deixar que Ele encha todo o seu coração e faça de você uma fortaleza incapaz de ser penetrada pelo mal.

Não brinque com o mal e nem se descuide, pois o maior engano de Eva no paraíso foi ter subestimado a astúcia do inimigo e ter lhe dado ouvidos, portanto não dê ouvidos a nenhum tipo de brincadeira que envolva o inimigo de Deus, pois certamente coisa boa ele jamais trará para você e se não queres experimentar coisas ruins se afaste o mais longe possível deste tipo de coisa.

Há quem defenda que isto é apenas uma brincadeira de adolescentes, mas na duvida é melhor não arriscar, pois só ganha na loteria aquele que joga, se não jogar certamente jamais ganhará, porém neste caso não é uma loteria onde se arrisca a sorte e sim uma invocação individual que equivale a tocar a campainha de uma porta qualquer sem saber o que está atrás dela, a brincadeira de tocar a campainha de alguém e sair correndo pode não te livrar das consequências da brincadeira já que o dono da casa sabe quem foi e onde mora a pessoa que bateu em sua porta, se você conhece o vizinho e sabe que ele não é boa pessoa, jamais bateria em sua porta e sairia correndo, sendo assim neste caso se aplica este discernimento, não chame e nem bata na porta de alguém que possa lhe fazer mal.


“PARA QUE ARRISCAR?  NÃO É ?”


Pe._Antonio_Fortea[1]


Veja textos sobre este assunto:


Exorcista alerta sobre aparição de espíritos em desafio “Charlie Charlie”

Padre do Vaticano declarou que demônios podem causar ‘piores consequências’ para as pessoas durante brincadeira.

Um exorcista do Vaticano resolveu alertar jovens e adolescentes que têm entrado na nova onda de “invocar espíritos” conhecida como “Desafio Charlie Charlie (Charlie Charlie Challenge, em inglês). Segundo o padre espanhol José Antonio Fortea, espíritos podem realmente aparecer e ninguém vai gostar do que vier em seguida, contou ao tabloide britânico Mirror.

“Alguns espíritos que estão na origem dessa prática vão perturbar participantes desse jogo”, afirmou o padre.

“As pessoas realmente podem sofrer as piores consequências por causa desses demônios”, alertou.

Ele acrescentou que não é provável que pessoas sejam possuídas por demônios durante a brincadeira Charlie Charlie, mas disse que não é impossível.

A nova mania nas redes sociais consiste em um ritual de invocação de um espírito que atende por “Charlie”.

Diversos vídeos são publicados nas mídias sociais mostrando a brincadeira na qual se cruzam dois lápis sobre um papel com as palavras “sim” e “não” escritas.

“Charlie, Charlie, você está aqui?” perguntam em seguida os curiosos.

Segundo um texto que circula na Internet, a brincadeira é tradicional no México. Nem todos acreditam, no entanto, alguns se assustam com as respostas de Charlie, gritam e correm.


Invocação_charlie


OUTRAS INDICAÇÕES

Pagando o Pato Dom_Cura_libertação

O Clube 99!


(O Que viria a ser o clube 99?)



Ser feliz não é possuir tudo.

Mas ser grato a Deus por tudo o que possui.






Hoje conheci uma estória que agora transcrevo para sua meditação, compare-a com seu cotidiano. Caso haja alguma semelhança com o seu dia a dia, não será mera coincidência, mas sim, uma realidade.

Claro, lógico e evidente que se trata de uma história fictícia, porém, seu conteúdo pragmático deve ser observado em todos os sentidos da vida.

Vejamos o que ela diz:

Existia um rei muito rico, tão rico que esse monarca era invejado por todos os demais reinos existentes em seu redor. Esse rei tinha tudo o que se pudesse imaginar. Terras, muito dinheiro, poder, conforto e centenas de súditos e escravos. Ainda assim, não era uma pessoa feliz. Um dia, ao andar por seu luxuoso palácio, num determinado instante, cruzou com um de seus servos, que assobiava alegremente, e ao mesmo tempo cantarolava uma música muito alegre, enquanto esfregava o chão com uma vassoura. O rei ficou intrigado: como ele, um soberano supremo do reino, poderia andar tão cabisbaixo, enquanto um humilde servente parecia desfrutar de tanto prazer e felicidade?

– “Por que você está tão feliz?”, perguntou o rei ao servo.

– “Majestade, sou apenas um serviçal. Para passar o tempo, trabalho, e para fazer o meu serviço com muito amor, assim procedo. Canto e assobio para não desviar meu sentido daquilo que estou fazendo. Eu não necessito muito mais do que possuo. Tenho um teto para abrigar minha família, uma comida quente para aquecer nossas barrigas”.

O rei não conseguia entender a felicidade de seu servo. Chamou, então, ao seu gabinete, o conselheiro do reino, a pessoa em que mais confiava, e narrou-lhe o que estava acontecendo. Que não era um homem feliz, apesar de todo seu poder, enquanto seu serviçal demonstrava ser uma pessoa feliz. “Majestade, creio que o servente não faça parte do Clube 99” respondeu. “Clube 99? O que é isso?”, perguntou o rei a seu fiel conselheiro. “Para que vossa majestade possa compreender o que é o Clube 99, ordene ao tesoureiro do reino que deixe num pequeno saco, 99 moedas de ouro na porta da casa do seu fiel servente”. E assim foi feito.



Quando o pobre criado chegou à sua casa e encontrou o saco de moedas na sua porta, ficou radiante. Não podia ser uma realidade! Acreditar em tamanha sorte. Um saco cheio de moedas de ouro. Jamais imaginara tamanha sorte em sua vida. Nem em sonhos tinha visto tanto dinheiro. Esparramou as moedas sobre a mesa e começou a contá-las. “Uma, duas, três, quatro… 96, 97, 98… 99”. Achou estranho ter tão somente 99 moedas de ouro. Pensou que poderia ter perdido uma delas, talvez. Provavelmente, eram 100. Voltou a recontá-las de novo e nada. Eram 99.

Procurou por debaixo da mesa e nada. Refez o caminho de sua casa ao palácio e nada encontrou. Procurou, procurou e nada! Eram tão somente 99 moedas. Por algum motivo, aquela moeda que faltava ganhou uma súbita importância. Com apenas mais uma moeda de ouro, uma só, ele completaria 100. Um número de 3 dígitos! Uma fortuna de verdade. Ficou obcecado por completar seu recente patrimônio com a moeda que faltava. Decidiu que faria o que fosse preciso para conseguir mais uma moeda de ouro. Trabalharia dia e noite, se preciso fosse. Afinal, estava muito, muito, muito, perto de ter uma fortuna de 100 moedas de ouro. Seria um homem rico, com 100 moedas de ouro. Daquele dia em diante, a vida do servente mudou. Passava o tempo todo pensando em como ganhar uma moeda de ouro. Estava sempre cansado e resmungando pelos cantos. Tinha pouca paciência com a família. Seus serviços, outrora, quase que perfeitos passaram por um desleixo. A desídia tomou conta e seu contentamento do passado, inexplicavelmente desaparecera. Só pensava em como e o que era preciso fazer para conseguir a centésima moeda de ouro. Parou de assobiar, cantarolar e a felicidade desapareceu de seu semblante, enquanto varria o chão. O rei, percebendo a mudança súbita de comportamento de seu serviçal, chamou novamente o seu conselheiro ao escritório do palácio e narrou-lhe a mudança comportamental de seu súdito.

“Majestade, agora o servente faz, oficialmente, parte do Clube 99”. E continuou: “O Clube 99 é formado por pessoas que têm o suficiente para serem felizes, mas mesmo assim não estão satisfeitas. Estão constantemente correndo atrás dessa moeda que lhes falta. Vivem repetindo que se tivessem apenas essa última e pequena coisa que lhes falta, aí sim, poderiam ser felizes de verdade. Majestade, na realidade é preciso muito pouco para ser feliz. Porém, no momento em que ganhamos algo maior ou melhor, imediatamente surge a sensação de que poderíamos ter mais. Com um pouco mais, acreditamos que haveria de fato, uma grande mudança. Só um pouco mais. Com isso, perdemos o sono, nossa alegria, nossa paz e machucamos as pessoas mais queridas que estão a nossa volta. E o pouco mais, sempre vira… um pouco mais. O pouco mais é o preço do nosso desejo.”


E concluiu:


– “Isso, majestade, é o Clube dos 99”.

Assim é a vida. Quanto mais temos, mais queremos ter. Nunca estamos satisfeitos com o que temos e possuímos.



(Um Desafio Para Mim e para Você)



Link no Facebook



“Em todas as circunstâncias, dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo.”
I Tessalonicenses, 5,18 – Bíblia Católica Online


Todos os dias nos deparamos com situações de vida semelhantes a estas e por mais que trabalhemos neste mundo não conseguimos alcançar tudo que almejamos e talvez como demonstra esta estória seja porque já temos tudo o suficiente para sermos felizes, mas a unica moedinha que nos falte sempre nos impedirá de desfrutar desta Felicidade.   A verdade é que a ultima moeda jamais será a centésima moeda, pois sempre buscaremos algo a mais que nos complete definitivamente, mas este algo jamais poderá ser preenchido por algo material, poses, sexo, dinheiro ou poder, pois este algo que procuramos sem saber o que seria só poderá ser preenchido por Deus que é o que realmente falta na vida de cada um de nós.


Aquele que vem a mim não terá fome.


A história do homem no paraíso não é apenas uma analogia comparativa para criancinhas ou iniciantes na fé, mas é uma verdade absoluta que principalmente os mais sábios e crescidos na Fé ainda não conseguem compreender totalmente, pois o homem só se sentira plenamente feliz quando estiver na presença de Deus e para isso ele não precisará possuir e nem ter nada em seu nome nesta terra, pois tudo pertence ao Pai e Tudo o que é do Pai me pertence é o que nos afirma Jesus quando compara a busca desenfreada pela felicidade do filho Pródigo nas coisas do mundo e a atitude egoísta do filho mais velho que não tem a capacidade de amar e perdoar o seu irmão.

“Explicou-lhe o pai:

Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. (São Lucas 15,31)

O Nosso desafio é este mesmo, “Como ser Feliz sem depender das coisas materiais deste mundo?” e “Como usufruir das coisas materiais e Espirituais que pertencem ao Pai sem tomar posse delas tirando a felicidade de nossos irmãos?”.

Quando atingirmos este objetivo seremos plenamente felizes.

Que Deus nos Abençoe

Presentepravoce – Sizenando




VEJA OUTROS POST’S SEMELHANTES




.





EM BUSCA DA FELICIDADE.

Um Filme baseado em fatos reais


Dinâmica – Como Permanecer Cheio do Espírito Santo.


Não sou Dono da verdade.



CONHECEREIS A VERDADE

E A VERDADE VOS LIBERTARÁ…



Estas são palavras de Jesus, mas no mundo de hoje são muito utilizadas para justificar outras palavras que podemos dizer, não serem verdades absolutas, melhor dizendo, nós hoje preferimos aceitar meias verdades do que uma verdade perfeita, haja visto, que Jesus, mesmo se declarando ser filho de Deus e jamais dando motivo a ninguém para duvidar de suas palavras, acabou sendo crucificado numa cruz, uma típica demonstração de erro na escolha ou simplesmente uma negativa à uma verdade plena.

Há pessoas neste mundo que se consideram possuidoras e detentoras de toda a verdade universal, tornando-se vítimas da maior mentira universal.


Textos retirados da WEB.



Dedos_cruzados


Texto de : Flavio Mendes Bitelman.

A beleza da vida está em evoluir sempre. E, para tanto, é preciso sempre continuar a aprender. Aprender o que quer que seja. Sem se acomodar e abandonar a luta.

Em qualquer função que um profissional desempenhe em uma óptica ou em qualquer outro tipo de negócio, deve sempre se atualizar e, em seguida, ensinar a quem o rodeia. É a velha história de que só se aprende de fato quando se ensina, quando se compartilha o conhecimento. E esse processo tem de ser permanente, quase eterno.

Nesse caminho de ser um eterno professor, é preciso ser também um eterno aprendiz. E para ser aprendiz, é preciso ser humilde e modesto. De nada vale ser dono da verdade. Até porque ninguém é dono da verdade. A verdade, inclusive, também muda com o tempo e com o aprender. Por acaso, você se lembra de quando os donos da verdade diziam que tudo girava em torno da Terra? Com o tempo, se descobriu que não era bem assim. E, até nesse caso, a verdade mudou.

Às vezes, donos da verdade até assustam. Vendem uma segurança que parece maior que a de qualquer outra pessoa. Mas, certamente, são pessoas muito inseguras que vestem o personagem de dono da verdade e usam esse método para amedrontar os outros.

A verdade reside somente na humildade, na simplicidade da vida e no aprender permanente.

O resto é mentira.


Máximas de Fedeli.


Resposta a um Leitor.

Sobre ser o dono da Verdade!

Muito obrigado por sua crítica, — pois é sempre bom ser criticado, porque nos permite examinar nossas posições, e corrigir o que erramos, ou o que não deixamos muito claro. Ademais, devo agradecer sua crítica, porque ela me permite elucidar alguns pontos.

Em primeiro lugar, devo dizer-lhe, — como já o disse muitas vezes neste site, e sempre em minhas aulas, — que minha opinião de nada vale.

E tenha a certeza de que estou cônscio que erro muitas vezes, e todo o dia. E quando tomo conhecimento de que errei, apresso-me a declarar que errei.

Erro tanto em minhas opiniões, que uma aluna minha, da Montfort, brincando comigo, há muitos anos já, me apelidou de “o inacertante”.

Por isso, jamais provei, ou procurei provar, que outros estivessem errados, com base em minhas opiniões.

Minha opinião sobre qualquer tema não interessa, e de nada vale.

Todo católico, na medida em que tem a Fé, possui a Verdade. Nesse sentido, é dono da verdade, que é Cristo. Melhor, a Verdade é nossa dona.

Apresso-me a dizer-lhe, para evitar mal entendidos, que a posse da Verdade católica, não nos faz sabedor de todas as coisas, doutores sabe-tudo, inerrantes e infalíveis.

Assim, como você se confessa católico como eu, creio, então, que eu sou tão dono da verdade, quanto você. Apenas, tanto eu como você, podemos errar ao tentarmos explicar a verdade que temos a graça de possuir, com nossa Fé.

E que eu erro, e que eu existo, nessas duas certezas, creio que eu e você estamos completamente de acordo.   Esperando ter esclarecido a você sobre minha inacertância evidente, assim como de minhas limitações de saber, que são públicas e notórias, me subscrevo atenciosamente, e agradecido,


in Corde Jesu, semper,
Orlando Fedeli.


Mensageiros do Amor


Pinoquio[1]


NINGUÉM É DONO DA VERDADE.


Não seria uma boa coisa acreditar que somos infalíveis, sentindo-nos tão seguros de nós mesmos a tal ponto de pensar que estou sempre “CERTO”, os outros, sim, é que estão errados.  É assim que se criam os homens obstinados, orgulhosos, fanáticos e teimosos.

Ninguém é dono da verdade.  Ninguém está sempre CERTO!  Por isso, é necessário que façamos uma autocrítica de nossa vaidade, da segurança de que nos orgulhamos.

Nós nos enganamos, tu também te enganas, como eu. nunca devemos nos revelar infalivelmente seguros da certeza.