Ainda há tempo para despertardes do sono.



AINDA NÃO É O FIM,


MAS JÁ CHEGOU A HORA

DE DESPERTARDES DO SONO!


“Isso é tanto é mais importante porque sabeis em que tempo vivemos. Já é hora de despertardes do sono. A salvação está agora mais perto do que quando abraçamos a fé.* A noite vai adiantada, e o dia vem chegando. Despojemo-nos das obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz.”

Romanos, 13,11-12 – Bíblia Católica Online
Leia mais em: https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/romanos/13/



Quem aceitará esta verdade ?


Respondeu-lhes Jesus:

“Cuidai que ninguém vos seduza.*”

Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos. Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim. Irá levantar-se nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. Tudo isso será apenas o início das dores. Então, sereis entregues aos tormentos, sereis mortos e sereis por minha causa, sereis objeto de ódio para todas as nações. Muitos sucumbirão, serão traídos mutuamente e mutuamente se odiarão. Irão levantar-se muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. E, ante o progresso crescente da iniquidade, a caridade de muitos esfriará. Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo. Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas as nações, e então chegará o fim.

São Mateus, 24 4 – 14 – Bíblia Católica Online

Leia mais em: https://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/sao-mateus/24/

Acrescentou ainda esta comparação: Olhai para a figueira e para as demais árvores. Quando elas lançam os brotos, vós julgais que está perto o verão. Assim também, quando virdes que vão sucedendo estas coisas, sabereis que está perto o Reino de Deus. Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra. Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão”. (S. Lucas 21 28-33)



Acordar:

É apenas uma palavra, uma palavra muito comum que todos conhecem, sabem o seu significado e sentido. (lit; dic.)

O ser humano diferentemente de muitos animais tem a capacidade de pensar e tomar decisões por si mesmo não sendo apenas uma máquina programada que executa a vontade de seu programador, por isso é capaz de definir a direção a seguir e o futuro que irá experimentar.

O ser humano tem aspirações, desejos e é impulsionado por uma força interior que ele muitas vezes desconhece, muitos explicam a espiritualidade humana de diversas formas e criam diversas teorias que nos afastam da verdade, porém aqueles que acreditam em Deus creem que esta força interior que nos impulsiona é mesmo aquele sopro de vida que Deus soprou no homem em (Gen. 2) logo após a criação ou ainda aquela “VIDA” que o exercito de ossos secos na visão de Ezequiel (37,9) adquiriu com o poder do Espírito Santo vindo do céu.

Todo homem sonha e tem a esperança de um dia viver em num mundo melhor sem dor, doença, guerras, males, ódio e etc. (Is. 11,9) como é mostrado ao Profeta que viu o Apocalipse:

(21) “Vi, então, um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra desapareceram e o mar já não existia.” (Apocalipse, 21-1), e continua a narração dizendo no verso (4) que “Enxugará toda lágrima de nossos olhos e já não haverá morte, nem luto, nem grito, nem dor, porque passou a primeira condição”.”, assim é explicado as nossas aspirações mais profundas e a realização de nossos sonhos serão concretizados um dia.

Enquanto não alcançamos este objetivo final estamos presos e condicionados a esta situação de nosso tempo atual e toda noite quando dormimos temos uma experiência de vivenciar os “SONHOS” como se fossem uma realidade.

Algumas vezes temos pesadelos e o que mais queremos neste momento é despertar, mas não conseguimos, outras vezes experimentamos sonhos maravilhosos que preferiríamos permanecer dormindo, no entanto alguém nos desperta dizendo “Acorde você esta só sonhando”, Levante…  já está na hora do trabalho, está atrasado para ir a escola e etc. Por um instante experimentamos a situação intermediária e percebemos a diferença entre “Sonho e Realidade,” mesmo que optemos por permanecer naquele sonho, sabemos que não é REAL e que precisamos mesmo é abrir bem os olhos para ver a realidade, “DESPERTAR DO SONO”.  É isto que a palavra nos diz:

“Já é hora de despertardes do sono…” Para aqueles que vivem sem perceber a realidade que nos cerca e até mesmo para aqueles que já conhecem as profecias e vivem o evangelho ainda inebriados pelo sono.



Os “SINAIS DOS TEMPOS” estão agora bem mais visíveis do que antes estiveram:  Vejam, quem diria na sua mais perfeita lucidez que um dia o mundo iria “PARAR” dar uma pausa em tudo que gira em torno do dinheiro e das coisas materiais que somos obrigados a viver no dia a dia.  E olha que até mesmo o mais poderoso dos poderosos foi obrigado a se curvar perante o tão pequeno e invisível “CORONAVÍRUS” Decretando a paralisação total de todo comércio e movimento nas grandes Metrópoles insaciáveis de agitação e aglomeração.

Nunca aconteceu tal coisa e até mesmo será um fato histórico no futuro assim como naquele filme ou o sonho narrado na música de Raul Seixas: “O dia em que a TERRA PAROU”. Ele mesmo se identificava como um “Maluco Beleza”, mas bem que ele viu em seu sonho maluco estes dias que vivemos hoje como uma realidade jamais preanunciada, apenas com uma pouca diferença, foi um pouco amenizada pelo amor de Deus, se bem que para alguns em particular foi muito pior.

Veja musica com detalhes em outro post.

Eu só posso dizer que este fato histórico que hoje vivemos não pode passar desapercebido e que possamos ver o SINAL que já é hora de acordarmos e entendermos que é Deus quem está nos dando uma “SACUDIDA”, mesmo que a culpa ainda seja dos homens e a irresponsabilidade seja toda nossa, precisamos saber que “O Tempo da Graça”, “O Kairos” não é permanente e que os últimos grãos de areia já estão caindo na ampulheta, isto é o que nos confirmam as profecias que se cumpriram nestes últimos dias.

Todos aqueles que estudam e conhecem a palavra de Deus sabem  que a noite já vai adiantada (*1) e que o noivo já esta para abrir a porta e receber sua noiva para o casamento. (*2)  Cabe a nós, assim como as 10 virgens noivas, percebermos que ainda estamos TODOS agarrados ao sono, dormindo, inebriados e apagados.

É chegado o momento do “DESPERTAR” e acender a nossas lâmpadas nos preparando para o que virá a seguir.

(*1) – Romanos, 13,11-12

(*2) – São Mateus, 25, 1-13

“13. Vigiai, pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora.””


As profecias Mayas se cumpriram para seu povo no passado, porém não se concretizaram em 2012 segundo as previsões dos estudiosos.

Veja o texto em outro Post




Chapolim Colorado contra o Aborto.



Um dos maiores e o mais poderoso inimigo da humanidade e da Vida no Planeta Terra, faz milhões de vítimas todos os dias.

Já matou muito mais que os furacões e a Tissuname do Japão, mais que o trânsito brasileiro, supera as vítimas do fumo, do álcool e das drogas, deixa na lanterna a Aid’s e o Ebola e ainda não encontrou ninguém que fosse capaz de aniquilá-lo definitivamente.

Mas, eis que surge uma esperança, não é um pássaro, não é um avião e nem um míssil sub-atômico para pulverizar nosso grande e terrível inimigo de uma só vez.

Entra em sena o grande Chapolim Colorado na pessoa de seu criador Roberto Bolaños com seu depoimento de vida contra o Aborto:

“Não Contaram com a minha astúcia”

Chapolim


grandes-raps-chapolin-vs-superman-chaves-do-oito-imagem-reproduc3a7c3a3o[1]



Roberto Bolano Chaves_personagem_Roberto_Bolanos

DEPOIMENTO


Chaves em defesa da vida

O ator Roberto Bolaños que deu vida ao personagem Chasperito “Chaves aqui no Brasil”, que conquistou gerações, gravou há alguns anos uma bonita mensagem em Defesa da Vida. No vídeo de breves 35 segundos, o ator fala de uma situação difícil durante sua gestação e a opção de sua mãe pela vida.

Leia também: Movimento contra o aborto ganha força

Veja o Texto:

“Quando eu estava no ventre da minha mãe, ela sofreu um acidente que a deixou à beira da morte. O médico lhe disse: ‘Terás que abortar!’; e ela respondeu: ‘Abortar, eu?! Jamais!’. Ou seja, defendeu a vida, a minha vida. E graças a ela estou aqui.” – Roberto Gómez Bolaños (Chaves)

Emocionante o depoimento do artista, uma pessoa querida em vários países e que se tornou “o que é” graças ao sim de sua mãe pela vida.

Assista ao vídeo:



(GRAÇAS A DECISÃO DE MINHA MÃE, EU ESTOU AQUI)



      Atualizado em 20/09/2014





Estoria em 3D

Trocando as Pilhas


Parábolas

& Reflexões


Dr. Zilda Arns.

Viveu como santa, morreu como mártir

Nascer mulher em Forquilhinha, Santa Catarina, nas primeiras décadas do século passado significava ser, no futuro, professora ou religiosa. Zilda Arns, 13ª filha de uma família descendente de alemães, contrariou esse destino por amor.

Aos 21 anos de idade, apaixonou-se pelo futuro marido, o então marceneiro Aloysio Neumann, que, chamado para um conserto na casa dos Arns, encantou-se com a jovem que viu na sala tocando piano. Foi também em nome de outra forma de amor, aquele mais sublime que se devota ao próximo, que Zilda enfrentou a resistência paterna e insistiu em estudar medicina, num tempo em que ser doutor era coisa de homem.

O apoio do irmão, o hoje arcebispo emérito de São Paulo, dom Paulo Evaristo Arns, foi fundamental para dobrar a família. “Ele havia estudado na Sorbonne e convenceu o pai de que estavam começando a formar mulheres médicas lá fora”, conta Rogério Arns Neumann, de 39 anos, um dos seis filhos que Zilda teve com Neumann, morto em um acidente no mar aos 46 anos de idade.

Desde que alterou o curso do próprio destino, Zilda Arns não parou mais de mudar o dos outros, a começar por aqueles que a miséria e a ignorância haviam fadado a ter curta duração.

Nos anos 80, por sugestão de dom Paulo, a pediatra e sanitarista aceitou formular um projeto para disseminar o uso do recém-criado soro caseiro, aproveitando a imensa influência da Igreja Católica entre os pobres, e com isso combater o flagelo da mortalidade infantil.

Assim nasceu a Pastoral da Criança, um projeto tão singelo na sua concepção quanto na execução. Consistia em identificar, nas paróquias e comunidades católicas, lideranças que treinariam voluntárias para ensinar mães pobres a adotar o soro. Essa e outras medidas igualmente simples ajudariam a evitar que seus filhos morressem de diarréia, desidratação, contaminação e outros males fáceis de vencer com quase nada de dinheiro e um pouco de informação.

O local escolhido para iniciar o trabalho foi a pequena Florirestópolis, no Paraná. Lá, a mortalidade infantil era tão alta que, no único cemitério existente, o número de cruzes de tamanho pequeno, que sinalizavam os túmulos de crianças, superava em muito o de cruzes grandes. Depois do trabalho da Pastoral, a taxa de mortalidade baixou de 127 óbitos em cada 1 000 crianças nascidas vivas para 28. A partir daí, o programa foi sendo replicado até alcançar 72% do território nacional, além de vinte países na América Latina, África e Ásia.

Ao longo dos 25 anos em que esteve à frente da Pastoral da Criança, Zilda Arns visitou os cantos mais remotos do Brasil. Aterrissou em um sem-fim de aeroportos, fez travessias em barcos precários e sacolejou de ônibus por estradas que eram mais buraco do que chão. Seus olhinhos azuis sempre radiantes se acostumaram a ver a pobreza extrema e seu corpo forte se habituou à contenção e à precariedade. Três meses atrás, ela esteve no Timor Leste, um dos países em que a Pastoral fincou suas bases e onde auxilia cerca de 6 000 crianças.

Lá, como quase sempre, faltava quase tudo, incluindo água corrente na casa em que Zilda se hospedou com Rúbia Pappini, voluntária da Pastoral há vinte anos. “Para lavar os cabelos, mergulhávamos a cabeça debaixo da pia e reaproveitávamos a água que escorria para tomar banho de caneca”, lembra Rúbia. Na noite do último domingo, Zilda Arns interrompeu as férias de família para começar mais um pinga-pinga por aeroportos. De Curitiba, onde morava, fez escala em São Paulo e, da capital paulista, seguiu para Miami, nos Estados Unidos, onde pegou outro avião que a levou até o Haiti. Chegou a Porto Príncipe ao meio-dia da segunda-feira.

No dia seguinte, ela faria uma palestra sobre o trabalho da Pastoral para um grupo de religiosos haitianos, num edifício de três andares em frente à igreja Sacré Coeur de Tugeau. Foi ao fim dessa palestra que se deu o terremoto. Quem descreve o ocorrido é o tenente Paulo Cézar Acebedo Strapazzon, que havia sido convocado para traduzir para o francês a fala da médica, esperada no 3º andar do prédio por 120 sacerdotes. Zilda chegou com quarenta minutos de atraso por causa de um engarrafamento no trânsito. A tradução acabou sendo feita por um civil haitiano que viera com o tenente e falava o crioulo, dialeto local, de compreensão mais fácil para a platéia.

Faltavam quinze minutos para as 5 horas quando a médica terminou sua palestra. A platéia deixou a sala, mas alguns padres se aproximaram de Zilda para fazer-lhe perguntas. Nesse momento, o tenente perguntou à médica se ainda poderia ser útil. Ela respondeu que mais tarde precisaria de ajuda para traduzir alguns manuais, o militar aquiesceu e os dois se despediram. Strapazzon desceu os lances de escada até o térreo, entrou em seu jipe, deu a partida e então viu todos os prédios desabarem ao seu redor. Os três andares do prédio transformaram-se em um amontoado de pedras e vigas de metal. Zilda Arns morreu na hora, atingida na cabeça por uma viga do teto que desabou. Outros quinze religiosos que estavam na sala morreram também.

O corpo da médica chegou na sexta-feira a Curitiba, onde foi transportado em carro aberto – e aplaudido por pedestres que paravam à sua passagem. Zilda Arns tinha 75 anos, um terço dos quais consagrados aos despossuídos e à tarefa de celebrar o caráter sagrado da vida – o que ela fez em cada uma das infinitas vezes em que ajudou a evitar seu desperdício. Com gestos miúdos, persistência de formiga e fé colossal, construiu uma epopéia silenciosa que mudou a face do Brasil e o destino de milhões de pessoas. Sua vida teve a grandeza da de uma santa – e à sua obra pode-se dar o nome de milagre.

O extraordinário sucesso do programa criado por Zilda Arns, em conjunto com o arcebispo de Salvador, dom Geraldo Majella, é inversamente proporcional à complexidade de seus métodos. O trabalho da Pastoral da Criança, pelo qual ela recebeu uma indicação ao Prêmio Nobel, se baseia na adoção, por parte das mães, de medidas simples, mas que podem salvar a vida de seus filhos. A aplicação do soro caseiro (duas colheres de sopa de açúcar e uma de sal dissolvidas em 1 litro de água limpa) em crianças desidratadas e a ingestão da multimistura (farinha que aproveita folhas e grãos) para combater a desnutrição, por exemplo, são métodos de eficácia comprovada há muito tempo.

O mérito da Pastoral foi fazer com que chegasse a quem precisa. Para isso, o programa se vale do trabalho voluntário – que elimina a logística e os gastos envolvidos em pagamentos e outras burocracias – e de uma metodologia antiassistencialista, que ensina as mães a cuidar melhor do desenvolvimento dos filhos em vez de torná-las dependentes de uma organização que o faça. O baixo custo da ação é outro dado surpreendente.

O gasto mensal com cada criança da Pastoral é de apenas 1,70 real. A representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier, avalia: “O Brasil foi um dos países que tiveram maior redução na mortalidade infantil nos últimos vinte anos. O trabalho da Pastoral da Criança foi fundamental para tanto”.

Fundadora da Pastoral da Criança, a médica Zilda Arns dedicou a existência a minorar o sofrimento dos despossuídos e a evitar o desperdício da vida. Até o último minuto.

.

Montagem sobre fotos de Rodolfo Buhrer e Yhony Belizaire/AFP

.

Feliz Natal

Zilda Arns Post

Zilda Arns . PPT

.

Formatação – Altair Castro

Música – Ernesto Cortazar

.

VII Carnaval com Maria.

Neste Carnaval

A Vila Jaiara vai Tremer…

Vai Tremer…

Mais uma vez…

É o VII Carnaval com Maria que irá contagiar toda a Juventude de Anápolis, não perca esta oportunidade de passar o Carnaval com a Santa Alegria de Jesus e Maria.    Uma alegria contagiante que não faz nenhum mal, era a opção que faltava para aqueles que querem caminhar com Jesus.

Com O tema “Santo sem deixar de ser jovem” inspirado na canção de Antonio Alves nossa atração principal, você irá compreender porque o discipulo que Jesus mais amava era também o mais jovem entre todos, São Paulo nos fala que ninguém deve desprezar a nossa juventude, mas que devemos nos tornar verdadeiros modelos em nosso comportamento no meio em que vivemos.

Serão Várias Bandas Anapolinas a se apresentarem além de António Alves, um grande animador Goianiense que faz shows em todo Brasil.

O evento se realizará no mesmo local dos anos anteriores, no rincão da Igreja Nossa Senhora de Fátima da Vila Jaiara em Anápolis – Goiás.

Promoção: Comprando o seu Abadá, por R$ 10,00 você receberá de brinde um ingresso de R$ 3,00 e no ultimo dia o ingresso será de R$ 5,00.

Todas as noites o Show terá início a partir das 20:00 Hs.

.

.

Dia 12/02/10

Ministério Filhos do Rei

Dia 13/02/10

Ministério Santa Clara

Dia 14/02/10

Ministério Jups

Dia 15/02/10

Banda Fé e Luz

E Dia 16/02/10

António Alves.

Cantor católico Antonio Alves, goiano, comandará o show.

O cantor católico Antonio Alves, goiano, ministro da eucaristia e membro da Paróquia Jesus Bom Pastor, em Goiânia (GO), será o maestro da festa. Com 4 CDs gravados e há mais de 16 anos no cenário musical religioso, Antonio percorre o Brasil inteiro levando sua música. Entre os ritmos estão o forró, a catira, romântico e axé. O músico se destaca com composições que levam vida, esperança, anunciando o nome de Jesus Cristo, Salvador.

Entre as suas composições estão as músicas “Proteja Sua família, Reze por ela”, “Catira pra louvar”, “Deixe-me Nascer”, composta em defesa das crianças que ainda não nasceram, “Tudo por Jesus, nada sem Maria”, gravada pelo diácono Nelsinho Correa, da Comunidade Canção Nova, e “Santo sem deixar de ser Jovem”.

“Teremos em Anápolis música católica de alta qualidade. O show de Antonio Alves é de nível nacional e será inesquecível”, afirma Gleidson um dos coordenadores do evento. “A parceria da Igreja Católica visa promover a vida, os valores familiares e cristãos neste mundo que se afasta de Deus”.

Casado, pai de Clara Mariana, Antonio realiza sua missão de evangelizar: “procuro fazer da minha música um canal para levar as pessoas ao encontro pessoal com Jesus. Faço isso com responsabilidade, coragem e fé na expectativa de que muitas pessoas possam ser salvas conhecendo o quanto Deus as ama atraves deste evento.  É esse o meu objetivo”, afirma.

Dias 14, 15  e 16 de Fevereiro de 2010

Durante o dia das 7:30 Hs às 18:00 Hs

XXIII FESTIVAL DE JESUS

NO GINÁSIO CARLOS DE PINA

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA

CATÓLICA DE ANÁPOLIS

xxii_festival_de_jesus_cart-15

Grande Festival de Jesus

O cantor católico Antonio Alves, goiano, ministro da eucaristia e membro da Paróquia Jesus Bom Pastor, em Goiânia (GO), será o maestro da festa. Com 4 CDs gravados e há mais de 16 anos no cenário musical religioso, Antonio percorre o Brasil inteiro levando sua música. Entre os ritmos estão o forró, a catira, romântico e axé. O músico se destaca com composições que levam vida, esperança, anunciando o nome de Jesus Cristo, Salvador.

Entre as suas composições estão as músicas “Proteja Sua família, Reze por ela”, “Catira pra louvar”, “Deixe-me Nascer”, composta em defesa das crianças que ainda não nasceram, “Tudo por Jesus, nada sem Maria”, gravada pelo diácono Nelsinho Correa, da Comunidade Canção Nova, e “Santo sem deixar de ser Jovem”.

“Teremos em Anápolis música católica de alta qualidade. O show de Antonio Alves é de nível nacional e será inesquecível”, afirma Gleidson um dos coordenadores do evento. “A parceria da Igreja Católica visa promover a vida, os valores familiares e cristãos neste mundo que se afasta de Deus”.

Casado, pai de Clara Mariana, Antonio realiza sua missão de evangelizar: “procuro fazer da minha música um canal para levar as pessoas ao encontro pessoal com Jesus. Faço isso com responsabilidade, coragem e fé na expectativa de que muitas pessoas possam ser salvas conhecendo o quanto Deus as ama atraves deste evento.  É esse o meu objetivo”, afirma.