Halloween?



Nos últimos anos tem surgido no Brasil uma data comemorativa anormal para nossas tradições locais chamada Halloween.

É uma comemoração muito comum nos Estados Unidos proveniente dos descendentes Ingleses e Irlandeses que na verdade ficou por muitos anos um pouco apagada e agora ganha força e muitos acréscimos novos não originais devido ao comércio e a propaganda.   No Brasil esta data tem entrado através da inculturação Americana exportada através de filmes e pelos professores de inglês que dizem estar ensinando a língua no ambiente americano.

A Igreja não concorda e não abona esta tradição que foi amplamente combatida no passado devido as suas origens duvidosas e praticas contrarias ao Cristianismo.   Hoje a tradição perdeu quase tudo do que era no passado, mas as novas tendências e adereços da tradição tem mais uma vez incomodado e preocupado a Igreja e até mesmo os próprios Pais das crianças que se vestem de monstros para terem que participar da tradição, sendo também que os filmes americanos acabam explorando o lado macabro e criando ficções em cima da tradição que nos levam a pensar duas vezes se realmente a tradição merece ser defendida em nome de alguns doces para as crianças, melhor seria talvez algo salutar psicologicamente que não fizesse tanto medo e provocasse traumas nas crianças.



halloween-fundo-de-tela-illustracao


Hoje a Igreja continua contestando esta tradição e mantendo a comemoração do dia de todos os Santos no dia 01/11 e no dia 02/11 o dia de Finados “Dia dos mortos”, mas as festas pagãs não são ligadas à Igreja e adotaram o dia anterior a Todos os Santos 31/10 como o dia das Bruxas ou simplesmente o “Halloween” que continuaram através dos séculos se modificando muito de como eram realizadas no passado.      

O dia de “Halloween”, por exemplo é uma união de diversas crendices e festas pagãs que acabaram se transformando na maior festividade Americana, satisfazendo muito mais a propaganda de Marketing e comércio capitalista do que qualquer outro motivo ou significado religioso, mas por suas ligações com raízes duvidosas no passado com rituais de bruxaria, que muitos juram que nunca existiram, é uma comemoração não muito bem aceita nos países que não tenham raízes com os antepassados de Língua Inglesa. Muitos elementos que foram introduzidos na famosa festa americana, principalmente as fantasias de monstros e bruxas estão sendo reavaliadas pelas famílias americanas porque acreditam que acabam prejudicando a formação psicológica de suas crianças, fato esse que podemos observar neste ano que a fantasia mais vendida, esta sendo mesmo a da candidata a vice-presidência Sarah Palin, provando que a  comemoração atual segue tendências divergentes da antiga tradição e se moldando a padrões fictícios modernos.

Tudo isto nos leva realmente a não abonar a introdução deste folclore comercial Americano em nossa cultura já tão descaracterizada do nosso passado.



A Igreja Comemora um dia posterior a esta mesma data como o Dia de Todos os Santos:

Se seu nome ou o nome do seu Santo não constarem no calendário dos Santos da Igreja, não se preocupe, pois, em 1º de novembro é Dia de Todos os Santos.




Este dia é um feriado cristão, quando iniciou a expansão do cristianismo pelos países Europeus, a Igreja de deparou com milhares de crendices e costumes pagãos que em muitos casos se contrapunham ao evangelho de Cristo, veio então  a necessidade de criar métodos que não entrassem em choque direto com os recém convertidos, buscando uma maneira de conduzi-los nos caminhos do Senhor sem uma quebra abrupta com o passado, por outro lado era necessário abolir as práticas e rituais pagãos que já eram acostumados a realizar e que não condiziam com o Cristianismo.

Mas como e quando esse dia foi dedicado a todos os Santos ?

No ano 313, o Imperador Constantino legalizou o cristianismo, haviam muitos “pagãos”, que acreditavam em ídolos e  praticavam rituais de bruxaria que Igreja desaprovava completamente, entre os quais havia ainda muitas pessoas que adoravam “amhain”, o cavalheiro da morte dos Celtas ou “pomona”, a deusa dos frutos, dos romanos, estes que inspiraram o dia de Halloween Americano de hoje.

Como os cristãos acreditavam em um só Deus e Jesus Cristo mandou anunciar o evangelho a todos os povos, querendo que todos se tornassem filhos de Deus, era preciso porém, abandonar todo e qualquer tipo de idolatria o que gerava muitos conflitos com os costumes seculares dos povos Europeus, para evitar estes conflitos, procurou-se uma forma de implantar um feriado Cristão com um motivo semelhante para transformar uma tradição secular pagã em uma festa com motivos Cristãos, ao mesmo tempo, preservando a tradição do culto dos mortos de maneira diferente do que fizeram os “druidas” e surgiu então a ideia de se recordar todos os Santos que tinham morrido como mártires pelo evangelho e que permaneciam no anonimato.

Assim, no ano 615 D.C. O Papa Bonifácio IV transformou um panteão romano, em um templo dedicado aos cristãos e a “Todos os Santos” e  criou a festa em honra de todos os Santos que foi comemorada inicialmente no dia 13 de maio.     Mais tarde, o Papa Gregório III no ano 741 D.C. alterou a data e instituiu o dia 1º de Novembro como “Dia de Todos os Santos”, se aproximando da data já comemorada no passado se ligando ao “Halloween de hoje” e ao Dia dos Mortos Santos, também conhecido como o dia de Todas as Almas.

Ao longo do tempo, em países como Inglaterra que  falam Inglês, o dia recebeu o nome de “all Hallow Day”, que significa “Dia de Todos os Santos” e, portanto, a noite anterior ao dia de todos os Santos, isto antes de ter sido chamado de “Dia das Bruxas ” , “Ou” “Hallows-noite”, que ao longo do tempo e pelas contrações que são utilizados no idioma Inglês, a palavra se tornou “Halloween”, que significa” a véspera de Todos os Santos.” ou “Dia das Bruxas”, que significa “a noite anterior de todos os santos”.     Então, no ano 998, Santo Odilon, abade do mosteiro de Cluny, no sul da França, instituiu a comemoração do 2 de novembro como a Festa do “Dia dos mortos Fiéis da Igreja Católica.” Isto, obviamente, para satisfazer as pessoas que não queriam abandonar os seus costumes “dead.Day” e festas baseado no culto dos mortos.

Bertha Sola – Fonte EsMas.comTexto original em Espanhol e ou Inglês.

Tradução: Sizenando

http://www.pvmirror.com/artculture/162-allsaintsday-ing.html


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/presente-verm.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg CORPO DE DEUS

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

O Aborto é um problema de saúde.



Mulheres que abortam têm mais chances de ter problema mental

Saúde – Terra


Mulher com medo

Estudo concluiu que o aborto pode aumentar em 155% as chances de a mulher cometer suicídio Foto: Getty Images




O Aborto é prejudicial

à saúde da Mulher conclui estudo médico.

Como já dizia uma certa presidenta:

O Aborto é um problema de Saúde.

só que ele que é a causa e não a solução.


Mulheres que fazem abortos têm quase o dobro de risco de desenvolver problemas mentais em comparação com as demais pessoas, segundo estudo. A pesquisa descobriu que o aborto afeta a saúde mental e pode causar ansiedade, depressão, alcoolismo, abuso de drogas e suicídio. As informações são do Daily Mail.

O estudo foi baseado em uma análise de 22 projetos separados que avaliaram as experiências de 877 mil mulheres, das quais 163,831 tinham abortado. Os resultados apontaram que mulheres que se submeteram ao aborto tiveram um risco 81% maior de problemas de saúde mental e quase 10% das doenças mentais mostraram ligação direta com o ato.

A pesquisa concluiu que o aborto estava relacionado a 34% de aumento de chances de transtornos de ansiedade, 37% de depressão, 110% de aumento de risco do abuso do álcool, 220% do uso de maconha e 155% mais chances de suicídio.


.


(GRAÇAS A DECISÃO DE MINHA MÃE, EU ESTOU AQUI)


Mae_feliz_bebe_braços





Não caiam no

mesmo erro que eu.


Waris Dirie a Flor do Deserto.

Exemplo da luta contra a

OBLAÇÃO FEMININA