O maior tesouro que existe!





Já se perguntou alguma vez qual é o mais incrível e incalculável tesouro pessoal de Deus? Será que nas Escrituras Sagradas encontramos a resposta?

Pasmem, sim, está escrito!

Quando falamos em tesouro já visualizamos a caverna secreta de Ali Babá e os 40 ladrões que tinha uma enorme pedra que servia de porta e deixava o lugar impenetrável, a enorme pedra só se movia quando se dizia a frase mágica “Abre-te Sésamo” um lugar cheio de ouro, prata, pedras preciosas e muitos objetos valiosos, algo que expresse um valor imensurável e que deve ser guardado e bem protegido e até escondido.

Está disponível na web uma lista das pedras preciosas mais caras e cobiçadas do planeta, está em primeiro lugar um diamante rosa de quase 60 quilates descoberto a apenas 21 anos (1999) e que foi vendido por 71,2 milhões de dólares em Hong Kong.  Quem comprou o “Pink Star” ou “Estrela Rosa” tem agora um tesouro inestimável.

Sei que possuir este tesouro é um privilegio que poucos poderiam ter, mas a verdade é que cada pessoa em particular possui um grande tesouro que não trocaria jamais por coisa alguma, nem mesmo por esse enorme diamante tão caro.   Toda pessoa, por mais pobre que seja tem ago de muito valor bem guardado a sete chaves, salientamos aqui que “Muito valor” não significa “Alto preço”, já falamos sobre isso em outro post. Em Isaías 39,2 o rei Ezequias mostra aos representantes do rei da Babilônia a casa do seu tesouro, com prata, ouro, especiarias e os melhores unguentos, um tesouro fantástico que gera muita cobiça, causa de guerras e muitas mortes – infelizmente.

Então qual seria o seu maior tesouro?

E quanto ao nosso Criador? Dono de toda a prata e ouro que existem? O que poderia ser, para Ele o bem mais valioso, mais raro do que tudo no mundo?

Em Êxodo 19,5 e 6 temos uma resposta: “Se me obedecerem fielmente e guardarem a minha aliança, vocês serão o meu tesouro pessoal dentre todas as nações. Embora toda a terra seja minha, vocês serão para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.” 

Deus escolheu o povo de Israel como seu tesouro pessoal e essa escolha teve características diferenciadas, as quais devemos trazer para nossa vida pessoal hoje: obedecer e guardar a aliança. A maior parte das vezes desejamos a aliança, o amor e a misericórdia divina, mas ignoramos a obediência.

Em João 14,21 Jesus diz: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele” Aquele que guarda os mandamentos e obedece fielmente torna-se nação santa aos olhos do Pai.

Em (Isaías, 49,16) está escrito Eis que estás gravado na palma de minhas mãos, tenho sempre sob os olhos tuas muralhas.*”, estas promessas e essas palavras dirigidas ao povo de Israel na “antiga aliança”, agora na nova aliança foram transferidas para cada um de nós em particular que aceitamos Jesus como nosso Senhor e Salvador como o profeta Isaías se refere no primeiro versículo deste mesmo capítulo “O Senhor chamou-me desde meu nascimento; ainda no seio de minha mãe, ele pronunciou o meu nome.*”
(Isaías, 49,1)   A
gora ficou muito claro que este tesouro é você, sim é você mesmo a coisa mais preciosa que Deus possui, por isso Ele dispensou tanto amor a ponto de enviar Jesus seu único filho para lhe resgatar das trevas para a sua maravilhosa luz. (S. João 3,16)



Afinal, você tem sido este tesouro pessoal de Deus?  Pare um momento e reflita nesta mensagem viva e eficaz contida em Êxodo 19,5 e 6, ela com certeza serve para nós. O profeta Malaquias afirma que Deus tem compaixão do filho que lhe obedece, quando se torna Seu tesouro pessoal (Mal. 3,17).

Que possamos estar cada vez mais no centro da vontade de Deus, preciosos, mantendo-nos num processo de santificação e adoração, até a volta de Jesus, com a convicção de que seremos por Ele chamados como lemos em S. Mateus 25,34 – Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuir por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.



Amém.




 


Textos de Padre Fábio de Melo.




6 – TEXTOS DO PADRE FÁBIO DE MELO


Textos que são verdadeiras lições de vida! As lindas palavras do Padre Fábio de Melo para você:


1. O peso que a gente leva.



Olho ao meu redor e descubro que as coisas que quero levar não podem ser levadas. Excedem aos tamanhos permitidos. Já imaginou chegar ao aeroporto carregando o colchão para ser despachado?As perguntas são muitas… E se eu tiver vontade de ouvir aquela música? E o filme que costumo ver de vez em quando, como se fosse a primeira vez?

Desisto. Jogo o que posso no espaço delimitado para minha partida e vou. Vez em quando me recordo de alguma coisa esquecida, ou então, inevitavelmente concluo que mais da metade do que levei não me serviu pra nada.

É nessa hora que descubro que partir é experiência inevitável de sofrer ausências. E nisso mora o encanto da viagem. Viajar é descobrir o mundo que não temos. É o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence.

E então descobrimos o motivo que levou o poeta cantar: “Bom é partir. Bom mesmo é poder voltar!” Ele tinha razão. A partida nos abre os olhos para o que deixamos. A distância nos permite mensurar os espaços deixados. Por isso, partidas e chegadas são instrumentos que nos indicam quem somos, o que amamos e o que é essencial para que a gente continue sendo. Ao ver o mundo que não é meu, eu me reencontro com desejo de amar ainda mais o meu território. É conseqüência natural que faz o coração querer voltar ao ponto inicial, ao lugar onde tudo começou.

É como se a voz identificasse a raiz do grito, o elemento primeiro.

Vida e viagens seguem as mesmas regras. Os excessos nos pesam e nos retiram a vontade de viver. Por isso é tão necessário partir. Sair na direção das realidades que nos ausentam. Lugares e pessoas que não pertencem ao contexto de nossas lamúrias… Hospitais, asilos, internatos…

Ver o sofrimento de perto, tocar na ferida que não dói na nossa carne, mas que de alguma maneira pode nos humanizar.

Andar na direção do outro é também fazer uma viagem. Mas não leve muita coisa. Não tenha medo das ausências que sentirá. Ao adentrar o território alheio, quem sabe assim os seus olhos se abram para enxergar de um jeito novo o território que é seu. Não leve os seus pesos. Eles não lhe permitirão encontrar o outro. Viaje leve, leve, bem leve. Mas se leve.


Retirado de: http://www.fabiodemelo.com.br




2. Pecados públicos



Não reclamo. Apenas constato. Tem ficado cada vez mais difícil a gente se reconciliar com os erros cometidos. O motivo é simples. A vida privada acabou. O acontecimento particular passa a pertencer a todos. A internet é um recurso para que isso aconteça. Os poucos minutos noticiados não cairão no esquecimento. Há um modo de fazê-los perdurarem. Quem não viu poderá ver. Repetidas vezes. É só procurar o caminho, digitar uma palavra para a busca.

Tudo tem sido assim. A socialização da notícia é um fato novo, interessantíssimo. Possibilita a informação aos que não estavam diante da TV no momento em que foi exibida.

A internet nos oferece uma porta que nos devolve ao passado. Fico fascinado com a possibilidade de rever as aberturas dos programas do meu tempo de infância. As imagens que permaneciam vivas no inconsciente reencontram a realidade das cores, movimentos e dos sons.

Mas o que fazer quando a imagem disponível refere-se ao momento trágico da vida de uma pessoa? Indigência exposta, ferida que foi cavada pelos dedos pontiagudos da fragilidade humana? Ainda é cedo para dizer. Este novo tempo ainda balbucia suas primeiras palavras.

O certo é que a imagem eterniza o erro, o deslize. Ficará para posteridade. Estará resguardada, assim como o museu resguarda documentos que nos recordam a história do mundo.

Coisas da contemporaneidade. Os recursos tecnológicos nos permitem eternizar belezas e feiuras.

Uma fala sobre o erro. Eles nascem de nossa condição humana. Somos falíveis. É estatuto que não podemos negar. Somos insuficientes, como tão bem sugeriu o filósofo francês, Blaise Pascal. O bem que conhecemos nem sempre atinge nossas açõesTodo mundo erra. Uns mais, outros menos. Admitir os erros é questão de maturidade. Esperamos que todos o façam. É nobre assumir a verdade, esclarecer os fatos. Mais que isso. É necessário assumir as conseqüências jurídicas e morais dos erros cometidos. Não se trata de sugerir acobertamento, nem tampouco solicitar que afrouxem as regras. Quero apenas refletir sobre uma das inadequações que a vida moderna estabeleceu para a condição humana.

Tenho aprendido que o direito de colocar uma pedra sobre o erro faz parte de toda experiência de reconciliação pessoal. Virar a página, recomeçar, esquecer o peso do deslize é fundamental para que a pessoa possa ser capaz de reassumir a vida depois da queda. É como ajeitar uma peça que ficou sem encaixe. O prosseguimento requer adequação dos desajustes. E isso requer esquecer. Depois de pagar pelo erro cometido a pessoa deveria ter o direito de perder o peso da culpa. O arrependimento edifica, mas a culpa destrói.

Mas como perder o malefício do erro se a imagem perpetua no tempo o que na alma não queremos mais trazer? Nasce o impasse. O homem hoje perdoado ainda permanecerá aprisionado na imagem. A vida virtual não liberta a real, mas a coloca na perspectiva de um julgamento eterno. A morbidez do momento não se esvai da imagem. Será recordada toda vez que alguém se sentir no direito de retirar a pedra da sepultura. E assim o passado não passa, mas permanece digitalizado, pronto para reacender a dor moral que a imagem recorda.

Estamos na era dos pecados públicos. Acusadores e defensores se digladiam nos inúmeros territórios da vida virtual. Ambos a acenderem o fogo que indica o lugar onde a vítima padece. A alguns o anonimato encoraja. Gritam suas denúncias como se estivessem protegidos por uma blindagem moral. Como se também não cometessem erros. Como se estivessem em estado de absoluta coerência. No conforto de suas histórias preservadas, empunham as pedras para atacar os eleitos do momento.

O fato é que o pecador público exerce o papel de vítima expiatória social. Nele todas as iras são depositadas porque nele todas as misérias são reconhecidas. No pecado do outro nós também queremos purgar o pecado que está em nós. Em formatos diferentes, mas está. Crimes menores, maiores; não sei. Mas crimes. Deslizes diários que nos recordam que somos território da indigência. O pecador exposto na vitrine deixa de ser organismo. Em sua dignidade negada ele se transforma em mecanismo de purificação coletiva. É preciso cautela. Nossos gritos de indignação nem sempre são sinceros. Podem estar a serviço de nossos medos. Ao gritar a defesa ou a condenação podemos criar a doce e temporária sensação de que o erro é uma realidade que não nos pertence. Assumimos o direito de nos excluir da classe dos miseráveis, porque enquanto o pecador permanecer exposto em sua miséria, nós nos sentiremos protegidos.

Mas essa proteção que não protege é a mãe da hipocrisia. Dela não podemos esperar crescimento humano, nem tampouco o florescimento da misericórdia. Uma coisa é certa. Quando a misericórdia deixa de fazer parte da vida humana, tudo fica mais difícil. É a partir dela que podemos reencontrar o caminho. O erro humano só pode ser superado quando aquele que erra encontra um espaço misericordioso que o ajude a reorientar a conduta.

Nisso somos todos iguais. Acusadores e defensores. Ou há alguém entre nós que nunca tenha necessitado de ser olhado com misericórdia?


Retirado de: http://www.fabiodemelo.com.br




3. SÓ DÊ OUVIDOS A QUEM TE AMA



Só dê ouvidos a quem te ama. Outras opiniões, se não fundamentadas no amor, podem representar perigo. Tem gente que vive dando palpite na vida dos outros. O faz porque não é capaz de viver bem a sua própria vida. É especialista em receitas mágicas de felicidade, de realização, mas quando precisa fazer a receita dar certo na sua própria história, fracassa.

Tem gente que gosta de fazer a vida alheia a pauta principal de seus assuntos. Tem solução para todos os problemas da humanidade, menos para os seus próprios. Dá conselhos, propõe soluções, articula, multiplica, subtrai, faz de tudo para que o outro faça o que ele quer.

Só dê ouvidos a quem te ama, repito. Cuidado com as acusações de quem não te conhece. Não coloque sua atenção em frases que te acusam injustamente. Há muitos que vão feridos pela vida porque não souberam esquecer os insultos maldosos. Prenderam a atenção nas palavras agressivas e acreditaram no conteúdo mentiroso delas.

Há muitos que carregam o fardo permanente da irrealização porque não se tornaram capazes de esquecer a palavra maldita, o insulto agressor. Por isso repito: só dê ouvidos a quem te ama. Não se ocupe demais com as opiniões de pessoas estranhas. Só a cumplicidade e conhecimento mútuo pode autorizar alguém a dizer alguma coisa a respeito do outro.

Ando pensando no poder das palavras. Há palavras que bendizem, outras que maldizem. Descubro cada vez mais que Jesus era especialista em palavras benditas. Quero ser também. Além de bendizer com a palavra, Ele também era capaz de fazer esquecer a palavra que amaldiçoou. Evangelizar consiste em fazer o outro esquecer o que nele não presta, e que a palavra maldita insiste em lembrar.

Quero viver para fazer esquecer… Queira também. Nem sempre eu consigo, mas eu não desisto. Não desista também. Há mais beleza em construir que destruir.

Repito: só dê ouvidos a quem te ama. Tudo mais é palavra perdida, sem alvo e sem motivo santo.

Só mais uma coisa. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. Quem geralmente acha não achou nem sabe ver a beleza dos avessos que nem sempre tu revelas.

O que te salva não é o que os outros andam achando, mas é o que Deus sabe a teu respeito.


Retirado de: http://www.fabiodemelo.com.br






4. Hoje é Tempo de Ser Feliz!



A vida é fruto da decisão de cada momento. Talvez seja por isso, que a ideia de plantio seja tão reveladora sobre a arte de viver.

Viver é plantar. É atitude de constante semeadura, de deixar cair na terra de nossa existência as mais diversas formas de sementes.

Cada escolha, por menor que seja, é uma forma de semente que lançamos sobre o canteiro que somos. Um dia, tudo o que agora silenciosamente plantamos, ou deixamos plantar em nós, será plantação que poderá ser vista de longe…

Para cada dia, o seu empenho. A sabedoria bíblica nos confirma isso, quando nos diz que “debaixo do céu há um tempo para cada coisa!”

Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura.

Felicidade talvez seja isso: alegria de recolher da terra que somos, frutos que sejam agradáveis aos olhos!

Infelicidade, talvez seja o contrário.

O que não podemos perder de vista é que a vida não é real fora do cultivo. Sempre é tempo de lançar sementes… Sempre é tempo de recolher frutos. Tudo ao mesmo tempo. Sementes de ontem, frutos de hoje, Sementes de hoje, frutos de amanhã!

Por isso, não perca de vista o que você anda escolhendo para deixar cair na sua terra. Cuidado com os semeadores que não lhe amam. Eles têm o poder de estragar o resultado de muitas coisas.

Cuidado com os semeadores que você não conhece. Há muita maldade escondida em sorrisos sedutores…

Cuidado com aqueles que deixam cair qualquer coisa sobre você, afinal, você merece muito mais que qualquer coisa.

Cuidado com os amores passageiros… eles costumam deixar marcas dolorosas que não passam…

Cuidado com os invasores do seu corpo… eles não costumam voltar para ajudar a consertar a desordem…

Cuidado com os olhares de quem não sabe lhe amar… eles costumam lhe fazer esquecer que você vale à pena…

Cuidado com as palavras mentirosas que esparramam por aí… elas costumam estragar o nosso referencial da verdade…

Cuidado com as vozes que insistem em lhe recordar os seus defeitos… elas costumam prejudicar a sua visão sobre si mesmo.

Não tenha medo de se olhar no espelho. É nessa cara safada que você tem, que Deus resolveu expressar mais uma vez, o amor que Ele tem pelo mundo.

Não desanime de você, ainda que a colheita de hoje não seja muito feliz.

Não coloque um ponto final nas suas esperanças. Ainda há muito o que fazer, ainda há muito o que plantar, e o que amar nessa vida.

Ao invés de ficar parado no que você fez de errado, olhe para frente, e veja o que ainda pode ser feito…

A vida ainda não terminou. E já dizia o poeta “que os sonhos não envelhecem…”

Vai em frente. Sorriso no rosto e firmeza nas decisões.

Deus resolveu reformar o mundo, e escolheu o seu coração para iniciar a reforma.

Isso prova que Ele ainda acredita em você. E se Ele ainda acredita, quem sou eu para duvidar… (?)


Retirado de: http://www.fabiodemelo.com.br




5 – Uma Questão de Escolha



O coração anda no compasso que pode. Amores não sabem esperar o dia amanhecer. O exemplo é simples. O filho que chora tem a certeza de que a mãe velará seu sono. A vida é pequena, mas tão grande nestes espaços que aos cuidados pertencem. Joelhos esfolados são representações das dores do mundo. A mãe sabe disso. O filho, não. Aprenderá mais tarde, quando pela força do tempo que nos leva, ele precisará cuidar dos joelhos dos seus pequenos. O ciclo da história nos direciona para que não nos percamos das funções. São as regras da vida. E o melhor é obedecê-las.

Tenho pensado muito no valor dos pequenos gestos e suas repercussões. Não há mágica que possa nos salvar do absurdo. O jeito é descobrir esta migalha de vida que sob as realidades insiste em permanecer. São exercícios simples…

Retire a poeira de um móvel e o mundo ficará mais limpo por causa de você. É sensato pensar assim. Destrua o poder de uma calúnia, vedando a boca que tem ânsia de dizer o que a cabeça ainda não sabe, e alguém deixará de sofrer por causa de seu silêncio.

Nestas estradas de tantos rostos desconhecidos é sempre bom que deixemos um espaço reservado para a calma. Preconceitos são filhos de nossos olhares apressados. O melhor é ir devagar.

Que cada um cuide do que vê. Que cada um cuide do que diz. A razão é simples: O Reino de Deus pode começar ou terminar, na palavra que escolhemos dizer.

É simples


Retirado de: http://www.fabiodemelo.com.br




6 – Amar Alguém:



Na vida, a gente só sabe que ama alguém, a gente só tem o direito de dizer a alguém que a amamos depois de ter dito infinitas vezes a esse mesmo alguém a frase: eu perdoo você. Porque na verdade a gente só sabe que ama, depois de ter tido a necessidade de perdoar. Antes do perdão a gente pode ter admiração por alguém, mas admirar alguém ainda não é amar, porque admiração não nos leva a dar a vida pelo outro. Admiração é um sentimento, uma situação superficial, eu admiro aquela pessoa, mas eu sei que amo depois de ter olhado nos olhos, saber que errou, que não fez nada certo e ainda sim eu continuar dizendo que “eu não sei viver sem você”, “apesar de ter errado tanto continuas sendo tão especial para mim”.

A gente sabe que ama as pessoas assim, depois de ter feito o exercício de olhar nos olhos no momento que ela não merece ser olhada e descobrir ainda ali uma chance, ainda não acabou. Coisa boa na vida é a gente encontrar gente que nos trate assim com esse nível de verdade, gente que nos conhece de verdade, que já foi capaz de conhecer todas as nossas qualidades, mas também todos os nossos defeitos, porque eu não sou só qualidades, eu tenho um monte de defeitos, e só me sinto amado no dia que o outro sabe dos meus defeitos e mesmo assim continua acreditando em mim, muitas vezes nosso amor não é assim, a gente ama o outro pelo que ele faz de certo ou de bom pra nós, e as vezes até elegemos o outro assim “ele é bom demais pra mim”. E o dia que deixa de ser? Deixou de ser amigo? No dia que falhou, que errou, que esqueceu, no dia que não conseguiu acertar, continua tendo valor pra você? Ou você só ama aqueles que conseguem lhe fazer o bem? Jesus disse que não tinha mérito nenhum em amar aqueles que nos amam, que o mérito está em amar o outro mesmo quando ele não merece ser amado, eu sei que é um desafio, mas essa é tua religião.

Eu creio que não há descanso maior para o nosso coração do que encontrar alguém que nos ama assim, e eu gostaria que você levasse pra sua vida somente as pessoas que te amam assim, com essa capacidade de olhar nos teus olhos quando você não consegue fazer nada de certo, e mesmo assim continua sendo teu amigo e continua acreditando em você. Deixe entrar na sua vida, somente as pessoas que querem te fazer melhor, porque gente que nos diminui nós já estamos cheios. Amigos de verdade são aqueles que nos desafiam, são aqueles que nos momentos que estamos na lama, nos olham nos olham e dizem ‘você não foi feito pra isso’. Amigo de verdade é aquele que olha nos olhos e nos coloca para sermos mais. Namorado de verdade é aquele que olha nos teus olhos e te respeita como mulher, que te acha linda, mas que te respeita como mulher porque sabe que tu és um coração que muito mais do que necessitado de ser abraçado e de ser tocado, é um coração que merece ser amado, e o amor vem antes do toque. Quem foi que disse que beijar na boca é declaração de amor? Pode até ser uma das demonstrações, mas eu tenho certeza que seu coração se sente muito mais amado no momento que você é olhado de um jeito certo, do que beijado de qualquer jeito! Antes de você entrar na vida de uma menina, olhe bem nos olhos dela e tente fazer com que ela descubra que você ama só olhando pra ela, olhe de um jeito que ela se sinta amada, e se você olhar do jeito certo, você não precisa ter ciúme, porque a mulher que for olhada de um jeito certo, nunca mais vai querer encontrar outro olhar. O homem que for olhado de um jeito certo, nunca mais vai querer outro olhar. Você ainda pode mudar o seu jeito de amar, você ainda pode mudar o seu jeito de viver, você ainda pode mudar o seu jeito de sorrir, você ainda pode perdoar aquele que você não quer perdoar, você ainda pode tratar bem aquele que você desprezou tanto, porque a vida ainda te dar a oportunidade de você se tornar muito melhor do que você é.


_____________________
Padre Fábio de Melo


AME QUEM ESTÁ AO SEU LADO.



Um dia você aprende que não precisa correr atrás de quem você deseja, a vida traz quem você merece! Se você não está com quem você ama, ame quem está com você. Triste é amar quem nos despreza, mais triste ainda é desprezar quem nos ama. Talvez essa pessoa possa não ter a beleza que você procura, mas tem o amor de que você precisa.



Gostou da seleção? Deixe um comentário abaixo! Sua opinião é muito importante para nós e possibilita a edição de assuntos voltados cada vez mais para os seus interesses.


MENSAGENS NO PINTEREST



Outros post’s com assuntos semelhantes:


Experiência_com_Deus Amigo Fiel Amigos_como_a_rocha
Jesus_e_seus_melhores_amigos O_estranho

O Elefante Amarrado.




Um enorme e forte elefante ficava acorrentado no picadeiro de um circo em uma estaca tão pequena que até uma criança poderia arrancar, no entanto ele não se soltava.  E o pior de tudo é que mesmo sendo ameaçado por terceiros ele mal se movia e jamais tentava arrancar a pequena estaca para fugir.

Para quem ouve esta afirmativa pela primeira vez e imagina a cena no local fica com uma grande interrogação!


.

? 


??? Por que o enorme elefante não arranca a estaca e foge?



Quando eu era mais jovem me lembro que de vez em quando meu Pai viajava para São Paulo para fazer cursos e voltava cheio de estorias novas, isto ele devia ouvir dos expositores dos cursos e dos companheiros de outros estados que também lá se reuniam.  Esta foi uma das estórias que ele nos contava, o problema é que ele fazia um grande mistério e demorava muito a elucidar o final da estória e assim a curiosidade acabava por gravar a moral da história mais profundamente no coração.

Também não irei lhes desvendar o segredo agora, mas vou lhes contar a estoria original na integra.





O Elefante acorrentado.


Uma Parábola De Jorge Bucay Para Refletir


Quando eu era pequeno, adorava circos, e o que mais gostava nos circos eram animais.

Fiquei especialmente impressionado com o elefante que, como aprendi mais tarde, também era o animal preferido de outras crianças.

Durante o espetáculo no picadeiro, o enorme animal ostentava um peso, um tamanho e uma enorme força… mas depois de sua performance até pouco antes de retornar para o fora, o elefante sempre permanecia amarrado no chão com uma corrente aprisionando suas pernas.

No entanto, a estaca era apenas um pequeno pedaço de madeira mal enterrado alguns centímetros no chão. E, embora a corrente fosse grossa e poderosa, me pareceu óbvio que um animal capaz de arrancar uma árvore com a sua força poderia facilmente se libertar da estaca e fugir.

O mistério ainda parece óbvio para mim. O que impede o elefante de fugir então?

Quando eu tinha cinco ou seis anos, ainda confiava na sabedoria dos anciãos. Então perguntei a um professor, a um pai e a um tio sobre o mistério do elefante. Alguns deles me explicaram que o elefante não escapou porque foi treinado.

Então fiz a pergunta óbvia: “Se ele é treinado, por que está acorrentado?

Não me lembro de ter recebido uma resposta coerente!

Com o tempo, esqueci o mistério do elefante e da estaca, e só me lembrei disso quando conheci outras pessoas que também se fizeram essa pergunta uma vez.

Há alguns anos, descobri que, felizmente para mim, alguém foi sensato o suficiente para encontrar a resposta:


O elefante de circo não escapa porque foi amarrado a uma estaca semelhante, desde que era muito pequeno.


Fechei os olhos e imaginei o indefeso elefantinho preso à estaca.

Tenho certeza de que, naquele momento, o pequeno elefante empurrou, puxou e suou tentando se soltar. E, apesar de seus esforços, ele não teve sucesso, porque era muito difícil para ele.

Imaginei que ele adormeceu exausto e no dia seguinte eu tentou novamente, e no dia seguinte, e no outro… Até que, um dia, um dia terrível para a sua história, o animal aceitou sua impotência e seu destino e deixou de tentar se libertar.

Aquele enorme e poderoso elefante que vemos no circo não escapa porque ele acha que não pode.

Tem a memória da impotência que ele sentiu logo após o nascimento. E o pior é que ele nunca questionou seriamente essa memória novamente.

Nunca, ele nunca tentou colocar sua força para o teste novamente…



Somos todos um pouco como o elefante do circo: andamos pelo mundo atados a centenas de estacas que nos privam da liberdade.

Vivemos pensando que “não podemos” fazer muitas coisas, simplesmente porque uma vez, algum tempo atrás, quando éramos pequenos, tentamos e não conseguimos.

Nós então fizemos o mesmo que o elefante, e registramos em nossa memória esta mensagem: Eu não posso, eu não posso e eu nunca poderei.

Nós crescemos carregando essa mensagem que impusemos a nós mesmos e é por isso que nunca tentamos nos libertar da estaca novamente.

Quando sentimos as algemas e sacudimos as correntes, olhamos com desconfiança para a estaca e pensamos: Eu não posso e eu nunca posso.

Jorge Bucay


 Prado Flores exemplifica em seu Livro, “Ide e evangelizai os Batizados” que um passarinho não alçará voo se estiver amarrado pelo pé, mesmo que seja um delgado fio de seda, pois ao perceber que foi acorrentado não irá tentar o impulso de voar.

É assim que os domesticadores de aves de rapina agem, amarram seus falcões e águias em suas luvas de couro para que eles voem só quando estiverem livres, ou quando receberem o comando de voz para voar que claramente neste momento estarão desamarrados e livres.



A intensão desta afirmação é a nossa observação em relação às correntes e amarras que nos prendem nas coisas materiais deste mundo, por mais que o homem diga que é livre, sempre descobrirá que está amarrado em algum vício ou pecado, pois as amarras que nos prendem espiritualmente não são cordas ou correntes enormes visíveis aos olhos e sim delgados fios de seda invisíveis aos olhos que nos oprimem e convencem que jamais seremos capazes de voar ou nos libertar desta estaca de madeira.

Mas hoje podemos identificar a voz do Senhor nos dando a ordem de voar, significando que não existem mais correntes, amarras, âncoras, estacas de madeira, fios de aço ou de seda que nos amarram e prendem, seja materialmente ou espiritualmente já que Jesus morreu por nossos pecados e nos libertou. Creia nesta verdade e não se prenda mais por achar que você é incapaz ou porque não é digno de receber a graça de Deus.

A palavra de Deus afirma que Jesus morreu por todos aqueles que o aceitarem de coração e não apenas por aqueles 12 discípulos que o seguiam e que até obras maiores do que as que Ele fez seriamos capazes de realizar.

O que nos impediria então de realizar estas grandes obras?

O que nos impediria de arrancar esta mísera estaca de madeira e nos libertar?

Você não é uma pessoa qualquer…

Você é filho do Deus todo poderoso…

Você é herdeiro do Pai de todas as graças e poderes… Você está LIVRE, não existem mais amarras inquebráveis, não existem mais muros que nos dividem, não existem mais abismos  que nos separam, porque Cristo é a nossa Paz e a nossa reconciliação.


“Lembrai-vos de que naquele tempo estáveis sem Cristo, sem direito da cidadania em Israel, alheios às alianças, sem esperança da promessa e sem Deus, neste mundo. Agora, porém, graças a Jesus Cristo, vós que antes estáveis longe, vos tornastes presentes, pelo sangue de Cristo. Porque é ele a nossa paz, ele que de dois povos fez um só, destruindo o muro de inimizade que os separava,* abolindo na própria carne a Lei, os preceitos e as prescrições. Desse modo, ele queria fazer em si mesmo dos dois povos uma única humanidade nova pelo restabelecimento da paz,* e reconciliá-los ambos com Deus, reunidos num só corpo pela virtude da cruz, aniquilando nela a inimizade.”  Efésios, 2, 12-16


“A Renovação da Águia”

Uma metáfora que nos ajuda a se libertar de velhos costumes decadentes e receber uma roupagem nova e revigorada.





media 6 – até 27/08/19

 

Porta do Céu.



Maria Porta do Céu.





Porta do Céu

Fábio de Melo

Se a dor te toma por demais
Se o mundo não te crê jamais
Sabe, pois, que há alguém por ti
Orando, intercedendo, há sim!
Puro esplendor e amor de mãe
Sacrário vivo de Deus Pai
Em ti Maria eu encontrei
A vida que pra mim eu quis

Imaginei como seria o paraíso de Jesus
Com paz e harmonia em nossos corações
Pra sempre então seria eterno em louvor
Aquele que um dia veio e nos salvou

Ó Mãe santíssima, me leva a Deus
E para sempre exultarei com cantos
Hinos de louvor, buscando a salvação
E nessa hora em que eu te rogo aqui
Dentro em meu peito está vontade
De te conhecer, Maria tu que és porta do céu .

Compositores: Helano Souza



Oração a Maria, porta do céu!

Ó Maria, Mãe e Virgem e Porta do Céu,
Por ti nos veio a salvação,
E toda a graça flui para nós por Tuas mãos,
E apenas a fiel imitação de Ti me santificará.

[Diário 161]. ”
Ad Jesum per Mariam”!
– A Jesus por Maria.





Frases de Padre Fábio de Melo.


.


O_Perdao_traz_alegria perdoe O_Perdao_eh_a-faxina_da_alma



O_Perdao_traz_alegria perdoe O_Perdao_eh_a-faxina_da_alma

Link’s para outras mensagens


Frases de Padre Fábio de Melo.



20 FRASES DO PADRE FABIO DE MELO



Pura sabedoria e amor!!

Veja:




1. Palavras erradas costumam machucar para o resto da vida, já o silêncio certo pode ser a resposta de muitas perguntas…


2. Eu só posso estar na vida do outro para fazer o bem, para acrescentar, caso contrário, eu sou perfeitamente dispensável.


4. Abra os olhos. Há encantos escondidos por toda parte. Presta atenção. São miúdos, mas constantes.


6. Você é quem decide o que vai ser eterno em você, no seu coração. Deus nos dá o dom de eternizar em nós o que vale a pena, e esquecer definitivamente aquilo que não vale…


7. O que as pessoas pensam a meu respeito, só diz respeito à elas!



8. Só dê ouvidos a quem te ama. Não te preocupes tanto com o que acham de ti. O que te salva não é o que os outros andam achando, mas é o que Deus sabe a teu respeito.


9. Hoje, neste tempo que é seu, o futuro está sendo plantado. As escolhas que você procura, os amigos que você cultiva, as leituras que você faz, os valores que você abraça, os amores que você ama, tudo será determinante para a colheita futura.


10. Toda forma de saber nasce de um não saber.



11. Erros nos preparam para a vida…


12. Por que nós estamos tão sequestrados por essa ideia de que a gente só tem que prestar atenção no que perdemos? Quem presta atenção demais naquilo que perdeu, corre o risco de não ver o que está ganhando hoje!


13. Tem dia que põe virgula, tem dia que põe reticências, tem dia que põe ponto final e tem dia que tem a necessidade de virar a página.


Há muito o que amar


“Não coloque um ponto final nas suas esperanças. Ainda há muito o que fazer, ainda há muito o que plantar, e o que amar nessa vida.”


14. Não diga as coisas com pressa. Mais vale um silêncio certo que uma palavra errada!


15. Cada escolha, por menor que seja, é uma forma de semente que lançamos sobre o canteiro que somos. Um dia, tudo o que agora silenciosamente plantamos, ou deixamos plantar em nós,será plantação que poderá ser vista de longe…



16. Você sabe que alguém te ama não pelo que ele fala, mas pelo o que faz. O amor não sobrevive de teorias.


17. Não entendo a tristeza como ausência de felicidade. Acho que elas coexistem. Somos felizes e tristes. Felizes porque tentamos entender a nossa missão. Tristes porque assim tem de ser. A tristeza nos empresta respeito ao outro e percepção mais aguçada da dor. Talvez tristeza seja ausência de alegria, de riso fácil, não de felicidade.


18. A beleza da vida se multiplica cada vez
Que a gente partilha com alguém que a gente ama.
Se você quiser multiplicar a vida
Você precisa dividi-la.


19. Demore na dúvida… E descubra a sabedoria que insiste em se esconder na ausência de palavras.


Crer em silêncio


 “Hoje eu não sei dizer. Só sei sentir. Há dias em que as palavras não são capazes de traduzir o sentimento. Bom mesmo é ser compreendido, mesmo quando não sabemos dizer… Amar é uma forma de crer em silêncio!”


20. Realidades comuns nos nossos dias, em que as pessoas se tornam incapazes de romper com as forças que as destroem. Perdem o amor próprio, deixam de olhar o que amam; desamparam-se aos poucos até perder o senso de direção.


Uma conexão direta com nosso coração

Ter olhos puros é ter uma conexão direta com nosso coração. Quando Deus transforma o nosso jeito de pensar, modifica também o nosso jeito de olhar as coisas e as pessoas. Vemos as coisas com os olhos da pureza, sem preconceito. Olhar as pessoas com pureza significa permitir que elas sejam vistas por nós como se estivessem sendo vistas por Jesus.


Pela sua capacidade de me olhar

Eu gostaria de lhe agradecer pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou. Pela sua capacidade de me olhar devagar, já que nessa vida muita gente já me olhou depressa demais


Só sabe amar quem sabe perdoar

Eu creio que na vida os amores que merecem ser cultivado, as pessoas, que verdadeiramente merecem ser cultivadas são aquelas que a gente se encontra e a gente não precisa dizer muita coisa… Basta olhar para a gente e já sabe mais ou menos o que se passa com a gente, porque só pode dizer: EU TE AMO aqueles que inúmeras vezes disse: EU TE PERDÔO, porque o amor, a gente só tem certeza que ama, depois que teve que infinitas vezes perdoar.





VIDA


Mistérios dessa vida


Quem me dera pudesse compreender os segredos e mistérios dessa vida, esse arranjo de chegadas e partidas; essa trama de pessoas que se encontram, se entrelaçam e misturadas ganham outra direção”



Mensagem de Feliz Natal:


♡♡ Que nesse natal a riqueza não seja material. Mas que seja de significado, na alegria de nós termos as pessoas que amamos ao nosso lado e podermos dar a elas não o que a gente tem, mas o que somos. ♡ ♡

Padre Fábio de Melo





Quanto maior a armadura… 
Mais frágil é o ser que a habita…



Quem me julga pelas aparências corre o risco de nunca ver verdadeiramente o meu coração.



O dia que você quiser que o outro seja perfeito, você já esqueceu todas as regras do amor… Porque o amor nasce das imperfeições!






 


Que eu deixe só o bem

E que seja sempre assim: Que eu deixe só o bem que existe em mim”.


Deus está aqui é para me dar que eu preciso!

Continuo amando e acreditando em Deus, mesmo quando os “milagres” que imploro não acontecem, pois os milagres que imploro e os pedidos que faço, se baseiam em minha vontade e Deus não está aqui para me dar o que eu desejo. Deus está aqui é para me dar que eu preciso!


Vou sempre ficar com Deus

“Muita gente me imagina, eu sei quem eu sou! E não tenho direito de me transformar na imaginação do outro, por que pode ser que o outro esteja me imaginando totalmente diferente do que Deus me fez, e entre o que Deus me fez e o outro me imagina, eu ainda prefiro ficar como o que Deus me fez.”


Até pode

Você pode até dizer que não entendeu o que eu disse. Mas jamais poderá dizer que não entendeu como eu te olhei.



O_Perdao_traz_alegria perdoe O_Perdao_eh_a-faxina_da_alma

Link’s para outras mensagens


O Alpinista Extraordinário.



alpinista_pendurados


UM TESTE DE FÉ.



2. Você Cofia em Deus ?

4. Conta-se que havia um extraordinário alpinista que estava desesperado por conquistar uma altíssima montanha. 

5. Depois de anos de preparação . . . Enfim chegara o grande dia, 6. iniciou então sua grande escalada

7. Como queria a glória só para si, resolveu subir sem companheiros.

8. Ele para ganhar tempo decidiu por não acampar. 9.  Durante a subida Foi ficando tarde… 10. e mais tarde, 11.  sendo que continuou subindoe por fim ficou escuro. 12. A noite era muito densa naquele ponto da montanha, 13. e não se podia ver absolutamente nada. Tudo era negro, visibilidade zero. 14. A lua Tão Bonita e as Estrelas extremamente belas haviam desaparecido completamente. 15. Estavam completamente encobertas pelas nuvens.

16. Ao subir por um caminho estreito, a apenas poucos metros do topo, 17. escorregou e precipitou-se pelos ares, caindo a uma velocidade vertiginosa.

18. O alpinista via apenas velozes manchas escuras passando por ele e sentia a terrível sensação de estar sendo sugado pela gravidade.

19. Já Pensava na proximidade da morte, sem Solução ….

20. De repente, sentiu um fortíssimo solavanco, causado pelo esticar da corda na qual estava amarrado e presa nas estacas cravadas na montanha.

21. Nesse momento de silêncio e solidão, suspenso no ar, não havia nada que se pudesse fazer, então  gritou com todas as suas forças:

22. MEU  DEUS, ME  AJUDA !!!

23. De repente, 24. uma voz grave e profunda vinda dos céus lhe Respondeu:

25. QUE QUERES QUE EU TE FAÇA ? Salva-me meu DEUS !!!

26. – Com toda certeza Senhor !!! REALMENTE CRÊS QUE EU POSSO SALVÁ-LO ?

– Com toda certeza SENHOR!

27. ENTÃO CORTE A CORDA NA QUAL ESTÁS AMARRADO

28. Houve um momento de silêncioEntão o homem agarrou-se ainda mais fortemente à corda

29. – PORQUE DUVIDAS?

NÃO CRÊS QUE SOU DEUS E POSSO SALVA-LO?  

– Sim Senhor, Eu creio

– SE CRERES VERÁS A GLORIA DEUS.

30. Conta a equipe de resgate, que no outro dia encontraram o alpinista morto, congelado pelo friocom as mãos agarradas fortemente à corda … 

A APENAS DOIS METROS DO SOLO…

31.  E Você? Cortaria a sua corda

Às vezes precisamos tomar decisões que testam nossa em Deus. E nós, que estamos tão agarrados às cordas?

Será que a cortaríamos?

32. Devemos, diariamente exercitar nossa confiança em Deus lembrando-nos sempre que “ O Senhor nosso Deus nos segura pela mão e nos diz: Não temas, Eu te ajudo”  (Isa. 41:13)

33. Se esta mensagem lhe foi útil, compartilhe-a com alguém. Deus te abençoe…

34. Esta é uma estória fictícia, sem nomes e nem locais definidos, mas não significa que não seja um fato verídico.  

Inclusive existem vários testemunhos são muito semelhantes:

Veja um acontecimento recente …

35. Em “2003” um acidente que foi gravado e documentado pela própria vítima.  O testemunho dele foi registrado no filme “127 horas” que foi fiel aos fatos onde o personagem acidentado ficou preso em uma fenda na montanha após uma enorme rocha ter se deslocado e prendido seu braço direito. Ele se salvou porque foi capaz de cortar o próprio braço que estava preso.



36. Este é um fato recente e posterior à existência deste texto.   A aplicação  da lição foi literal segundo o evangelho (S. Mateus 18, 9)  e muito além de nossas expectativas, enquanto que muitas pessoas perdem a Vida e a Salvação por coisas muito mais banais e insignificantes. Porque não são capazes de desapegar e renunciar seus pecados e nem do dinheiro ou objetos fúteis que nada significam para a Salvação, a VIDA e a Felicidade.

37. “Egoísmo não traz felicidade, a melhor maneira de ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros,” 


Link’s para outras Mensagens


Presentepravoce.wordpress.com.br quarta-feira, 28 de setembro de 2016 3:50:55 Link’s para outras Mensagens



Anel_Valor
O_equilibrista_e_a_Fé o-maior-tesouro-do-mundo

BAIXE O SLIDE EM POWER POINT PARA VISUALIZAR OS EFEITOS



Dinâmica e Reflexão para grupo de Oração Jovem.



Objetivo: Restaurar e valorizar a verdadeira imagem humana, sua dignidade e semelhança Divina levando a pessoa a reconhecer-se como FILHO de DEUS e muito amado pelo Pai.


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


1. Em um grupo de jovens em encontro aberto ou fechado pode ser ministrado uma meditação referente ao texto abaixo.

Com uma musica de fundo, uma luz mediana, alguém com uma boa voz, calma e tranquila pode conduzir a meditação lendo o texto ou apresentando-o em Power Point.

O Momento também abre uma porta para a continuação de uma cura interior mais profunda, este sim sendo mais indicado para encontros fechados.

Veja o texto e a história no post:


A Imagem de Cristo




Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original



2. Deus Disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança.”  Criou pois o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher   (Genesis 1,26-27)


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


Verdades & Segredos ocultos !

O Buda de Ouro.!


buda-barrouro


O segredo que habita em cada um de nós.


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


 .


Vaso_de_Barro

Temos Um Tesouro em Vasos de Barro!



Anel_Valor A casa em chamas
Amigo Fiel Quem sou faz a diferença O_Segredo_de_vencer_grandes_desafios

BAIXE O SLAID EM POWER POINT PARA VISUALIZAR OS EFEITOS



O Poder das Palavras.



“O que você vai dizer, antes de dizer à outra pessoa,

diga antes a si mesmo.”


A_palavra_tem_poder



As palavras acima são do pensador romano Sêneca e todos nós deveríamos (tentar pelo menos) pôr em prática diariamente. As palavras têm poder e é importante se preocupar com elas, pois elas podem agradar ou ferir, emocionar ou ofender, trazer felicidade ou decepção, construir ou destruir.

É tão importante falar e ser ouvido que muitas pessoas buscam por terapia e psicanálise para compreender os seus anseios.

Produzido em 2010, pela Frozen Mammoth & Sheridan Productions, o curta-metragem de animação “Garra Rufa” (Doctor Fish), de Tony Tarantini, aborda o domínio da inteligência emocional pelo ponto de vista de um experiente psicoterapeuta que atende os mais variados pacientes. Em um certo dia, no entanto, ele se vê preso a uma profunda questão pessoal, e quem precisa ser ouvido é ele.

“Garra Rufa” não tem (e nem precisa de) diálogos; é apenas embalado pela excelente trilha de Alex Liberatore.

Vi no Catraca Livre




Palavras_ao_vento Lançai a palavra

Trocando_pilhas_2 O_Segredo_de_vencer_grandes_desafios

Jesus, eu confio em vós.


Presentepravoce_Misericordia_bg2


“Confiança! Não temas!”

Este texto vai aumentar a SUA confiança em Deus


Barco_dos_discipulos_tempestade_Jesus_caminha_sobre_o_Mar




gr_266055_3278575_470451[1] jesus-misericordioso-lk

DEPOIMENTO


Jesus Cristo nos convida à Confiança.

Voz de Cristo, voz misteriosa da graça que ressoais no silêncio dos corações, vós murmurais no fundo de nossas consciências palavras de doçura e de paz. Às nossas misérias presentes repetis o conselho que o Mestre dava, frequentemente, durante sua vida mortal:

Confiança, confiança!”.

À alma culpada, oprimida sob o peso de suas faltas, Jesus dizia: “Confiança, filha, teus pecados te serão perdoados!”. “Confiança”, dizia à doente abandonada que só dEle espera a cura, “tua fé te salvou”.

Quando os apóstolos tremiam de pavor vendo-O caminhar, de noite, sobre o lago de Genesaré, Ele os tranquilizava por esta expressão pacificadora: “Tende confiança! Sou Eu, nada temais!”.

E na noite da Ceia, conhecendo os frutos infinitos do seu Sacrifício, lançava Ele, ao partir para a morte, o brado de triunfo: “Confiança! Confiança! Eu venci o mundo!…”.

Esta palavra divina, ao cair de seus lábios adoráveis, vibrante de ternura e de piedade, operava nas almas uma transformação maravilhosa.

Um orvalho sobrenatural lhes fecundava aridez, clarões de esperança lhes dissipavam as trevas, uma calma serenidade delas afugentava a angústia. Pois as palavras do Senhor são “espírito e vida”. Bem aventurados os que a ouvem e a põe em prática.

Como outrora aos seus discípulos, é a nós, agora, que Nosso Senhor convida à confiança. Por que recusaríamos atender à sua voz?

Muitas almas têm medo de Deus

Poucos cristãos, mesmo entre os fervorosos, possuem essa confiança que exclui toda ansiedade e toda hesitação. Várias são as causas desta deficiência.

O Evangelho narra que a pesca miraculosa aterrou São Pedro. Com impetuosidade habitual, ele mediu de relance a distância infinita que separava da sua própria pequenez a grandeza do Mestre. Tremeu de terror sagrado, e prosternando-se a face contra a terra: “Afastai-vos de mim, Senhor, exclamou, que sou um pecador!”.

Certas almas têm, como o Apóstolo, esse terror. Elas sentem tão vivamente a própria indigência e as próprias misérias, que mal ousam aproximar-se da Divina Santidade.

Parece-lhes que um Deus assim puro deveria sentir repulsão ao inclinar-Se para elas. Triste impressão, que lhes dá a vida interior uma atitude contrafeita, e, por vezes, a paralisa completamente.

Como se enganam essas almas!

Logo aproximou-Se Jesus do Apóstolo assustado: “Não temas!” disse-lhe, e o fez levantar-se…

Vós também, cristãos, que do seu amor tantas provas recebestes, nada temais! Nosso Senhor receia acima de tudo que tenhais medo dEle.

Vossas imperfeições, vossas fraquezas, vossas faltas mesmo graves, vossas reincidências tão frequentes, nada O desanimará, contanto que desejeis sinceramente converter-vos. Quanto mais miseráveis sois, mais Ele tem compaixão de vossa miséria, mais deseja cumprir, junto a vós, sua missão de Salvador…

Não foi sobretudo para os pecadores que Ele veio à terra?


Leão e Menina

A outras almas falta a fé…

A outras almas falta a fé. Elas têm certamente essa fé comum, sem a qual trairiam a graça do Batismo. Creem que Nosso Senhor é todo-poderoso, bom e fiel a suas promessas; mas não sabem aplicar essa crença às suas necessidades particulares.

Não são dominadas pela convicção irresistível de que Deus, atento às suas provações, para elas Se volve a fim de socorrê-las.

Jesus Cristo pede-nos, no entanto, essa fé especial e concreta. Ele a exigia outrora como condição indispensável dos seus milagres; espera-a ainda de nós, antes de nos conceder os seus benefícios…

Se podes crer, tudo é possível àquele que crê”, dizia ao pai do pequenino possesso. E, no convento de Paray-le-Monial, empregando quase os mesmos termos, repetia a Santa Margarida Maria: “Se puderes crer, verás o poder do meu Coração na magnificência do meu amor…”.

Podeis crer? Podereis chegar a esta certeza tão forte que nada a abala, tão clara que equivale à evidência? Isso é tudo. Quando chegardes a esse grau de confiança vereis maravilhas realizaram-se em vós…

Pedi ao Mestre Divino que aumente a vossa fé. Repeti-Lhe com frequência a prece do Evangelho: “Eu creio, Senhor, mas ajudai a minha incredulidade”…

Esta desconfiança de Deus lhes é muito prejudicial.

A desconfiança, sejam quais forem suas causas, nos traz prejuízo, privando-nos de grandes bens.

Quando São Pedro, saltando da barca, se lançou ao encontro do Salvador, caminhou, a princípio, com firmeza sobre as ondas. Soprava o vento com violência. As vagas ora levantam-se em turbilhões furiosos ora cavavam no mar abismos profundos…

A voragem abria-se diante do Apóstolo. Pedro tremeu… hesitou um segundo, e, logo, começou a afundar…

Homem de pouca fé, disse-lhe Jesus, por que duvidaste?”

Eis a nossa história. Nos momentos de fervor, ficarmos tranquilos e recolhidos ao pé do Mestre. Vindo a tempestade, o perigo absorve a nossa atenção. Desviamos então os olhares de Nosso Senhor para fitá-los ansiosamente sobre os nossos sofrimentos e perigos. Hesitamos… e afundamos logo!

Assalta-nos a tentação. O dever se nos torna enfadonho, a sua austeridade nos repugna, o seu peso nos oprime. Imaginações perturbadoras nos perseguem. A tormenta ruge na inteligência, na sensibilidade, na carne…

E perdemos pé; caímos no pecado, caímos no desânimo, mais pernicioso do que a própria falta. Almas sem confiança, por que duvidamos?

A provação nos assalta de mil maneiras. Ora os negócios temporais periclitam, o futuro material nos inquieta. Ora a maldade ataca-nos a reputação.

A morte quebra os laços de afeições das mais legítimas e carinhosas. Esquecemos, então, o cuidado maternal que tem para nós a Providência… Murmuramos, revoltamo-nos, aumentamos assim as dificuldades e o travo doloroso do nosso infortúnio.

Almas sem confiança, por que duvidamos?

Se nos tivéssemos apegado ao divino Mestre com uma confiança tanto maior quanto mais desesperada parecesse a situação, nenhum mal desta nos adviria…

Teríamos caminhado calmamente sobre as ondas; teríamos chegado, sem tropeços, ao golfo tranquilo e seguro, e, breve, teríamos achado a plaga hospitaleira que a luz do Céu ilumina…

Os santos lutaram com as mesmas dificuldades… muitos dentre eles cometeram as mesmas faltas. Mas estes, ao menos, não duvidaram…

Ergueram-se sem tardanças, mais humildes após a queda, não contando, desde então, senão com o socorro do Alto…

Conservaram no coração a certeza absoluta de que, apoiados em Deus, tudo poderiam. Não foram iludidos nessa confiança!

Tornais-vos, pois, almas confiantes. Nosso Senhor a isso vos convida; e o vosso interesse assim o exige. Tornar-vos-eis, ao mesmo tempo, almas iluminadas, almas de paz.

*   *   *

Fonte: retirado do “Livro da Confiança” do Rev. Pe. Thomas de Saint-Laurent.


CONFIAR-EM-DEUS3[1]


Aqueles_que_Confiam


terco-da-misericordia-11[1]


Jesus_misericórdioso_Rosto


Repouso_no_Espírito_2


      Atualizado em 20/09/2014





Estoria em 3D

Trocando as Pilhas


Parábolas

& Reflexões


Um teste de Fé!


Você soltaria a corda?

Todos os dias de nossas Vidas passamos por momentos tão difíceis que pensamos ser o fim, mas uma voz sempre nos diz lá no fundo do coração.

“Creia em Deus e espera com confiança n’Ele e Ele atenderá o seu clamor e as suas necessidades…”

Um famoso alpinista, certa vez experimentou uma situação semelhante em sua própria pele !



Um Bom alpinista é aquele que: metodicamente observa todos os detalhes de Segurança.

Dica número 1: Isto vale a sua Vida.

Mantenha sua corda bem conservada

O primeiro passo para manter sua corda bem conservada é mantê-la limpa. A limpeza é fundamental para prolongar sua vida útil e sua resistência. Mantenha a corda longe do contato com o solo sempre que possível, pois a poeira e partículas de sujeira têm um efeito bastante abrasivo sobre ela. Evite pisar no equipamento, pois isso pressionará as partículas abrasivas para o interior da corda.

Lavagem da corda – use sabão neutro e água fria, enxague bem e deixe secar à sombra. Nunca use máquinas de lavar e secadoras.

Não enrole a corda para guardar, guarde-a solta e sem nós. A corda pode criar “pontos fracos” se permanecer sempre dobrada nos mesmos pontos e permanecer assim. Também não é aconselhável o uso da corda para outras atividades, fora da escalada.

Nunca marque a corda com canetas que não sejam específicas para este fim, os produtos químicos da tinta podem danificá-la.

Verifique o equipamento regularmente, procurando pontos danificados ou sinais de fadiga. Se encontrar algum, como nos casos em que a alma da corda estiver aparecendo, corte a corda no ponto danificado, usando uma lâmina quente. Queime a ponta boa rapidamente e aperte-a com os dedos.


Olha a Situação do desprevenido.


por-um-fio.jpg


Não existe meia fé.


O Alpinista em Power Point Com Fotos

Esta é a história de um alpinista que sempre buscava superar mais e mais os desafios. Ele resolveu, depois de muitos anos de preparação, escalar o Aconcágua. Mas ele queria a glória somente para ele e resolveu escalar sozinho, sem nenhum companheiro para dividir, o que seria natural no caso de uma escalada dessa dificuldade.

Ele começou a subir e foi ficando cada vez mais tarde. Porém, ele não havia se preparado para acampar e resolveu seguir a escalada decidido a atingir o topo. Escureceu e a noite caiu como um breu nas alturas da montanha e não era possível mais enxergar um palmo à frente do nariz. Não se via absolutamente nada. Tudo era escuridão, zero de visibilidade, não havia lua e as estrelas estavam cobertas pelas nuvens. Subindo por uma “parede” a apenas 100 metros do topo ele escorregou e caiu.

Caía a uma velocidade vertiginosa e somente conseguia ver a terrível sensação de ser sugado pela força da gravidade. Ele continuava caindo… e nesses angustiantes momentos, passaram por sua mente todos os momentos felizes e tristes que ele havia vivido em sua vida. De repente, ele sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade. Como todo alpinista, havia cravado estacas de segurança com grampos a uma corda comprida que fixou em sua cintura.

Nesses momentos de silêncio, suspenso nos ares da completa escuridão e não sobrou para ele nada além do que gritar. E gritando só conseguia ouvir seu próprio eco, então rogou a Deus: “Óh meu Deus, ajude-me!!!”. De repente uma voz grave e profunda vinda do céu, respondeu: “O que você quer de mim, meu filho?” – Me salve meu Deus, por favor!! E Deus lhe respondeu: “Você realmente acredita que Eu possa te salvar?” E o alpinista respondeu: “Eu tenho certeza meu Deus!!”. E Deus respondeu: “Então corte a corda que te mantém pendurado…

Houve um momento de silêncio e reflexão. O homem se agarrou mais ainda à corda e refletiu que se fizesse isso certamente morreria…



O pessoal do resgate conta que no outro dia encontrou o alpinista congelado, morto, agarrado com força, com as duas mãos a uma corda… a tão somente dois metros do chão

Esta é uma história real e a dedução feita no diálogo com Deus é feita porque o alpinista foi encontrado há apenas dois metros do chão.

Não existe meia fé.

VAMOS AO TESTE:

E VOCÊ OBSERVOU BEM AS DICAS DO BOM ALPINISTA?

Está Bem amarrado e segurando firmemente sua corda?

POR QUE VOCÊ NÃO A CORTA?

Por que não a solta e se joga nos braços de Deus?

É pelo medo de nos desapegarmos de certas situações que aparentemente nos oferecem segurança que deixamos de alcançar maiores conquistas. A mesma corda que lhe dá segurança pode também ser o seu fim.

Pense nisso!


 

Para visualizar a animação e o som baixe o Slaid em Power Point.


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120 MILAGRE DE LANCIANO


Reflexões, Parábolas e Mensagens.



Nada melhor do que uma estorinha para nos auxiliar na meditação, é mais fácil ver algo quando fazemos uma comparação com algo bem conhecido, há pessoas que preferem não ver o que está bem claro, mas é a melhor forma de se dizer em poucas palavras algo que seria muito complexo e complicado é mesmo o método das parábolas que melhor nos auxilia na reflexão.

Mensagens em Power Point – PPS-PPT


Dinâmicas para

Meditação em grupo.


o jOVEM QUE SE PARECIA COM CRISTOs

O Jovem que se parecia com Cristo

Um relato sobre a vida de um dos modelos utilizados na pintura da grande obra de Leonardo Da Vinci – A Ultima Seia


A casa em chamas

A Casa em Chamas

Um náufrago se acostuma com sua vida limitada quando de repente Deus muda a sua história.


Empurre_a_vaquinha_no_precipicio

Parábola do casebre e da vaquinha.

Parábola chinesa mostrando que nada que está tão ruim não possa melhorar.


O_Segredo_de_vencer_grandes_desafios

O Segredo de vencer grandes desafios.

Atitude humilde e confiante em Deus que é capaz de realizar o impossível.  VÁRIOS OUTROS TEXTOS DE PADRE LÉO


O_velho_lenhador

O Velho Lenhador

Uma competição de lenhadores revela que a sabedoria e a experiência superam a força e a arrogância.


Palavras_ao_vento

Palavras ao vento

Uma analogia sobre as palavras, as plumas e as sementes que são levadas pelo vento.


Dois_grandes_lobos

A historia dos dois lobos

Meditação sobre ensino de filhos, Sabedoria e valorizar os mais velhos


Pagando o Pato

Quem vai pagar o Pato? ou Quem é o Pato afinal ?

Exploração e culpar outras pessoas por seus erros sempre a verdade acaba aparecendo.


Saberes_diferentes

A Sabedoria do humilde Barqueiro.

Saberes Diferentes – Paulo Freire


2_bebados_na_canoa

Os bêbados e a canoa.

Exemplificando a desorientação que causa o álcool no corpo humano em relação ao pecado que provoca o mesmo entorpecimento na alma.


Salvação_boia

Salvação no Tempo de Deus.

Kairós, O Tempo de Deus!

Deus está sempre pronto para nos Salvar.


O_estranho

Um Amigo muito Estranho.

PPS – meditando sobre a má influência dos veículos de comunicação modernos em detrimento da vida familiar.


Oscar de Melhor Amigo.

PPS – meditando sobre acolhimento e amizade

Purificação_do_ouro

Purificados como o

Ouro e a Prata.


A Brasa e o Fogo – Post

Mensagem em PPS

Reflexão sobre Comunidade e Perseverança


O_desafio_do_Rei

O Desafio do Rei!

Estoria narrando um desafio que se trata de descobrir verdadeiramente o que as mulheres mais almejam para suas vidas.


O Rei e suas Quatro Rainhas

As quatro esposas do Rei. Sobre acolhimento e  valorização da pessoa pelo que ela é.


O Presente oculto

dentro do Presente.


COM O TEMPO VOCÊ APRENDE

LINDO POEMA TEATRAL


Palavras_ao_vento

Cuidado com as Palavras.

O Poder das Palavras.


Palavras_ao_vento

Cuidado com as Palavras.

O Poder das Palavras.


Palavras_ao_vento

Cuidado com as Palavras.

O Poder das Palavras.


Trocando as Pilhas

filme de animação 3D – Sobre: 3ª idade e Abandono


A Carroça Vazia

Sobre a seriedade na Vivência Cristã


O FILHO

Leilão de obras de Arte

Reflexão sobre a importância do Sacrifício de Jesus.


Pensando_no_dinheiro

O que Você seria capaz de fazer por alguns trocados?

E Por alguns Milhões ?


Amigos_como_a_rocha

O NOSSO MELHOR AMIGO.

estória mostrando o valor de uma verdadeira amizade que supera e perdoa os piores momentos


Marcas_de_batom_no_espelho

Marcas de Batom no Espelho.

Aprendendo uma Lição Prática!

Fato verídico que serve como lição prática de sabedoria, mostrando que para solucionar um problema dispomos de muitas opções, mas o que melhor funciona é a sabedoria.


Padre Leo conta a estória do Um Papagaio Marron.

O Valor das pequenas coisas e não das coisas grandes e caras.

VÁRIOS OUTROS TEXTOS DE PADRE LÉO


A LIÇÃO DA MOSCA

Cada caso é um caso.


O Alpinista

Extraordinário


O Club dos 99

Valorizar as pequenas coisas, pois as grandes mudam seu foco e te fazem errar o alvo proposto.


O Monge e o Escorpião

Não podemos mudar a natureza das coisas,mas podemos colaborar

para que o mundo possa ser sempre melhor pelo menos um pouquinho


O Buda de Ouro

O Valor que você tem perante Deus é desconhecido


Aqueles que confiam no Senhor

Sobre Renovação Interior


O Urso e as Onças


O Valor do Anel


O Burro mais

Esperto do mundo


Coma os Morangos.


A História dos

porcos Espinhos !


As tres àrvores.


Pegadas na Areia.


O Equilibrista !

Sobre Fé!


Salve-se quem puder

Sobre confiança e Humildade

O Oscar de Melhor

Amigo vai para !!!


Um Reflexo De Amor

O Ciclo do Amor !


No colo de Jesus

Testemunho de Fé e presença de Deus.


Isto seria muito

engraçado … Se …

As Sete Verdades do

Bambu !!! Pe. Leo


Isto Não Tem Preço !

Sobre o reconhecimento dos Verdadeiros Valores da Vida !

Dormindo com um tesouro

debaixo da cama !


A Pérola de Valor

Incomparável !

Dinheiro velho

e sem valor !


Salve-se quem puder

a_janela_do_hospital[1]

Descrevendo a Felicidade

pela Janela de um Hospital.



Semeando a cultura de Pentecostes



Cada caso é um caso.


A LIÇÃO DA MOSCA



Existem diversas situações em nossa vida que deveriam ser analisadas de forma diferente, mesmo que pareçam ser exatamente iguais.

Meditando nesta verdade podemos considerar como exemplo a situação abaixo que pode ser aplicada como meditação em diversos casos semelhantes.



Certa vez, duas moscas caíram num copo de leite…

A primeira era forte e valente. Assim, logo ao cair, nadou até a borda do copo. Como a superfície era muito lisa e suas asas estavam molhadas, não conseguiu escapar.

Acreditando que não havia saída, a mosca desanimou, parou de se debater e afundou.

Sua companheira de infortúnio, apesar de não ser tão forte, era tenaz e, por isso, continuou a se debater e a lutar. Aos poucos com tanta agitação, o leite ao seu redor formou um pequeno nódulo de manteiga no qual ela subiu. Dali, conseguiu levantar vôo e sair do copo.

Tempos depois, a mesma mosca tenaz, por descuido, novamente caiu em outro copo, desta vez, cheio de água. Como pensou que já conhecia a solução daquele problema, começou a se debater na esperança de que, no devido tempo, se salvasse.

Outra mosca, passando por ali e vendo a aflição da companheira de espécie, pousou na beira do copo e gritou:

“Tem um canudo ali, nade até lá e suba até a borda do copo”.

A mosca tenaz respondeu: “Pode deixar que eu já sei como resolver este problema.”

E continuou a se debater mais e mais até que, exausta, afundou na água.

Reflexão 1:

Soluções do passado, em contextos diferentes, podem transformar-se em problemas.

Se a situação se modificou, dê um jeito de mudar a sua atitude.

Quantos de nós, baseados em experiências anteriores, deixamos de observar as mudanças ao redor e ficamos lutando inutilmente até afundar em nossa própria falta de visão!

Criamos uma confiança equivocada e perdemos a oportunidade de repensar nossas experiências. Ficamos presos a velhos hábitos que nos levaram ao sucesso e perdemos a oportunidade de evoluir.

É por isso que os japoneses dizem que na garupa do sucesso vem sempre o fracasso. Os dois estão tão próximos que a arrogância pelo sucesso pode levar à displicência que conduz ao fracasso.

Os donos do futuro sabem reconhecer essas transformações e fazer as mudanças necessárias para acompanhar a nova situação.

Se a única ferramenta que você conhece é o martelo, todo problema que aparece você pensa que é prego.

Reflexão 2:

(Um Desafio Para Mim e para Você)

.

Deus nos Abençoe

Presentepravoce – Sizenando





EM BUSCA DA FELICIDADE.

Um Filme baseado em fatos reais


Dinâmica da Pipoca

SAL DA TERRA





Três Árvores e três sonhos.


Reflexão – “As três árvores”


O sonho das tres árvores



Há muitos e muitos anos atrás, havia no alto de uma montanha três árvores que sonhavam o que seriam depois de grandes.

A primeira, olhando as estrelas disse que queria ser o baú mais precioso do mundo, cheio de tesouros.

A segunda, olhando o riacho suspirou ao dizer que queria ser um navio grande para transportar reis e rainhas.

A terceira olhou para o vale em que estavam e disse que queria ficar ali mesmo no alto da montanha e crescer tanto que as pessoas, ao olharem para ela levantassem os olhos e pensassem em Deus.

Os anos se passaram e, certo dia três lenhadores cortaram as árvores.

As três ficaram ansiosas em serem transformadas naquilo que sonharam, contudo os lenhadores não ouviam ou não entendiam sonhos…

Que pena!

Que pena!

Que Pena!



A primeira árvore acabou sendo transformada em um cocho de animais coberto de feno.

A segunda virou um simples barco de pesca, carregando pessoas e peixes todos os dias.

A terceira foi cortada em grossas vigas e colocada num depósito.

Então, todas se perguntaram desiludidas e tristes por que isso acontecera.



Numa bela noite, cheia de luz e estrelas, uma jovem mãe colocou seu bebê recém nascido naquele cocho de animais.

De repente, a primeira árvore descobriu que tinha o maior tesouro do mundo!



A segunda árvore acabou transportando um homem que acabou dormindo num barco, mas quando a tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse:

“Silêncio! Quieto!”

E num relance, a segunda árvore entendeu que estava transportando o Rei do Céu e da Terra.

Tempos mais tarde, numa sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela.



Logo, sentiu-se horrível e cruel.

Mas, no domingo seguinte, o mundo vibrou de alegria.

E a terceira árvore percebeu que nela havia sido pregado um homem para a salvação da humanidade e que as pessoas se lembrariam de Deus e de seu Filho ao olharem para ela.
As árvores haviam tido sonhos e desejos…

.

Mas sua realização foi mil vezes maior do que haviam imaginado.

Entregue seus sonhos e seus desejos a Deus.

Ele sempre lhe dará muito mais do que você pode esperar…


Cena da morte de Jesus na Cruz. Do filme A Paixão de Cristo de mel Gibson.


Semeando a cultura de Pentecostes




Reflexões para a Semana Nacional da Família.




Semana Nacional da Família

PDF Imprimir E-mail

Escrito por Maria Helena Carvalho

Diocese de Novo Hamburgo

Textos para reflexão e aprofundamento

A família, primeira educadora da fé

Leitura bíblica: At 16, 22-34

1. Deus quer que todos os homens conheçam e aceitem o seu plano de salvação, revelado e realizado em Cristo (cf. 1 Tim 1, 15-16). Deus falou de muitas formas aos nossos pais (cf. Heb 1, 1; todo o AT). Ao chegar a plenitude dos tempos (cf Gl 4, 4) nos falou de modo pleno e definitivo em e por Cristo (cf Heb 1, 2-4): o Pai não tem “outra” Palavra para nos dar, porque nos deu a “única e a última” em Cristo (cf Jo 1, 1ss).

2. A Igreja recebeu o mandato de anunciar a todos os homens esta grande notícia: «Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo» (Mt 28, 19). Os Apóstolos assim o entenderam e realizaram desde o dia de Pentecostes, enchendo Jerusalém (At cap. 1-5) e todo o mundo então conhecido (Livro dos Atos e Epístolas) com o anúncio de Cristo Morto e Ressuscitado para a nossa salvação.

3. A família cristã, Igreja doméstica, participa desta missão. Além disso, a família tem como primeiros e principais destinatários deste anúncio missionário os seus filhos e familiares, como o atestam as Cartas Pastorais paulinas e a praxe posterior. Os esposos santos e os pais cristãos de todos os tempos assim o viveram (pai de santa Teresa de Jesus, pai de santa Teresinha; tantos pais de hoje). À luz da feliz experiência da Igreja nas sociedades cristãs da Europa (quando a família realizou esta missão educadora com seus filhos) e à luz também das gravíssimas repercussões negativas que hoje se constatam (pelo abandono ou descuido desta missão), é preciso que a família volte a ser a primeira educadora da fé nestas nações – hoje já não cristãs de fato – nas quais se está afiançando a fé e nas quais se está implantando a Igreja. O principal apostolado missionário dos pais deve realizar-se em sua própria família, pois seria uma desordem e um anti-testemunho pretender evangelizar a outros, descuidando a evangelização dos nossos. Os pais transmitem a fé aos seus filhos com o testemunho de sua vida cristã e com sua palavra.

4. O núcleo central desta educação na fé é “o anúncio gozoso e vibrante de Cristo, Morto e Ressuscitado por nossos pecados”. Em íntima conexão com este núcleo se encontram as outras verdades contidas no Credo dos Apóstolos, nos sacramentos e nos mandamentos do decálogo. As virtudes humanas e cristãs fazem parte da educação integral da fé. (Hoje em dia não se pode quase nunca pressupor esta bagagem fundamental, nem sequer nos países chamados “cristãos” e nos casos em que os pais pedem os sacramentos de iniciação para os seus filhos, dada a grande ignorância religiosa e a escassa prática religiosa dos pais).

A família, educadora da verdade

do homem: o matrimônio e a família

Leitura bíblica: Gn 1, 26-28

1. A principal questão que a família de hoje deve encarar na educação cristã dos seus filhos não é religiosa mas principalmente antropológica: o relativismo radical ético-filosófico, segundo o qual não existe uma verdade objetiva sobre o homem e, por conseguinte, tampouco sobre o matrimônio e sobre a família. A mesma diferença sexual, manifestada na biologia do homem e da mulher, não se fundamenta na natureza, mas é um simples produto cultural, que cada um pode mudar. Com isso se nega e destrói a mesma possibilidade do matrimônio e da família.

2. O relativismo afirma também que Deus não existe e que nem é possível conhecê-lo (ateísmo e agnosticismo religioso), e tampouco existem normas éticas e valores permanentes. As únicas verdades são as que dimanam das maiorias parlamentarias.

3. Diante desta realidade tão radical e condicionante, a família tem hoje a inevitável tarefa de transmitir aos seus filhos a verdade sobre o homem. Como já ocorreu nos primeiros séculos, hoje é de capital importância conhecer e compreender a primeira página do Gênesis: existe um Deus pessoal e bom, que criou o homem e a mulher com igual dignidade, mas diferentes e complementares entre si, e deu-lhes a missão de gerar filhos, mediante a união indissolúvel de ambos em una caro, ou seja uma só carne (matrimônio). Os textos narram a criação do homem, evidenciando que o casal homem-mulher são – segundo o desígnio de Deus – a primeira expressão da comunhão de pessoas, pois Eva é criada semelhante a Adão como aquela que, em sua alteridade, o completa (cf. Gn 2, 18) para formar com ele uma só carne (cf. Gn 2, 24). Ao mesmo tempo, ambos têm a missão procriadora que os faz colaboradores do Criador (cf. Gn 1, 28).

4. Esta verdade sobre o homem e sobre o matrimônio tem sido conhecida também pela reta razão humana. De fato, todas as culturas reconheceram em seus costumes e leis que o matrimônio consiste só na comunhão de homem e mulher, apesar de que às vezes conheceram e admitiram a poligamia ou a poliginia. As uniões de pessoas do mesmo gênero foram consideradas sempre alheias ao que é o matrimônio.

5. São Paulo descreveu tudo isso com traços muito vigorosos em sua carta aos Romanos, ao escrever a situação do paganismo da sua época e a desordem moral em que havia caído por não querer reconhecer com a vida o Deus que havia conhecido com a razão (cf. Rm 1, 18-32). Esta página do Novo Testamento deve ser bem conhecida hoje pela família, para não edificar sua ação educadora sobre areia movediça. O desconhecimento de Deus leva também ao ofuscamento da verdade sobre o homem.

6. Os Padres da Igreja oferecem doutrina abundante e são um bom exemplo no modo de proceder, pois tiveram que explicar detalhadamente a existência de um Deus Criador e Providente, que criou o mundo, o homem e o matrimônio, como realidades boas; e combater as desordens morais do paganismo que causavam dano ao matrimônio e à família.

A família, educadora da dignidade e respeito de toda pessoa

Leitura bíblica: Jo 9, 1-11

1. A Igreja vê no homem, em cada homem, a imagem viva de Deus mesmo; imagem que encontra – e está chamada a descobrir cada vez mais profundamente – sua plena razão de ser no mistério de Cristo. Cristo nos revela a Deus em sua verdade; mas, às vezes, manifesta também o homem aos homens. Este homem recebeu de Deus uma incomparável e inalienável dignidade, pois foi criado à sua imagem e semelhança e destinado a ser filho adotivo. Cristo, com sua encarnação uniu-se, de alguma maneira, com todo homem.

2. Por ter sido feito à imagem de Deus, o ser humano tem a dignidade de pessoa: não é só alguma coisa, mas alguém. É capaz de conhecer-se, de dar-se livremente e de entrar em comunhão com outras pessoas. Esta relação com Deus pode ser ignorada, esquecida ou removida, mas jamais pode ser eliminada, porque a pessoa humana é um ser pessoal criado por Deus para relacionar-se e viver com Ele.

3. O homem e a mulher têm a mesma dignidade porque ambos são imagem de Deus e porque, além disso, se realizam profundamente reencontrando-se como pessoas através do dom sincero de si mesmos. A mulher é complemento do homem assim como o homem o é da mulher. Mulher e homem se complementam mutuamente, não só desde o ponto de vista físico e psíquico, mas também ontológico, pois só graças à dualidade do “masculino” e “feminino” se realiza plenamente “o humano”. É a “unidade dos dois” a que permite a cada um experimentar a relação inter-pessoal e recíproca. Alem disso, é só a esta “unidade dos dois” que Deus confia a obra da procriação e a vida humana.

4. Toda a criação foi feita para o homem. Em troca, o homem foi criado e amado por si mesmo. O homem existe como um ser único. É um ser inteligente e consciente, capaz de refletir sobre si mesmo e, por tanto, de ter consciência de si e dos seus atos.

5. A dignidade da pessoa humana – de toda pessoa humana – não depende de nenhuma instância humana, mas de seu mesmo ser, criado à imagem e semelhança de Deus. Ninguém, portanto, pode maltratar essa dignidade sem cometer uma gravíssima violação da ordem querida pelo Criador. Portanto, uma sociedade justa só pode realizar-se no respeito da dignidade transcendente da pessoa humana.

6. As pessoas com deficiências, apesar das suas limitações e dos sofrimentos gravados em seus corpos e faculdades, continuam sendo sujeitos plenamente humanos, titulares de direitos e deveres, que ninguém pode transgredir nem discriminar.

7. Os não nascidos são também pessoas desde o mesmo momento da sua concepção; e sua vida não pode ser destruída pelo aborto ou pela experimentação científica. Destruir a vida de um não-nascido, que é completamente inocente, é um ato de suprema violência e de gravíssima responsabilidade diante de Deus

A família, transmissora dos valores e virtudes humana

Leitura bíblica; Jo 1, 43-51

1. A família, nascida da íntima comunhão de vida e de amor conjugal fundada sobre o matrimônio entre um homem e uma mulher, é o lugar primário das relações interpessoais, o fundamento da vida das pessoas e o protótipo de toda organização social. Este berço de vida e de amor é o lugar apropriado no qual o homem nasce e cresce, recebe as primeiras noções da verdade e do bem onde aprende o que quer dizer amar e ser amado e, por conseguinte, o que quer dizer ser pessoa. A família é a comunidade natural onde se tem a primeira experiência e a primeira aprendizagem da sociabilidade humana, pois nela não só se descobre a relação pessoal entre o “eu” e o “você”, mas também se dá o passo ao “nós”. A entrega recíproca do homem e da mulher unidos em matrimônio, cria um ambiente de vida no qual a criança pode desenvolver as suas potencialidades, tomar consciência da sua dignidade e preparar-se para afrontar o seu destino único. Neste clima de afeto natural que une os membros da comunidade familiar, cada pessoa é reconhecida e responsabilizada na sua singularidade.

2. A família educa o homem segundo todas as suas dimensões rumo à plenitude da sua dignidade. É o âmbito mais apropriado para o ensinamento e transmissão dos valores culturais, éticos, sociais, espirituais e religiosos, que são essenciais para o desenvolvimento e bem-estar tanto dos seus próprios membros como da sociedade. De fato, é a primeira escola das virtudes sociais, que todos os povos necessitam. A família ajuda a que as pessoas desenvolvam alguns valores fundamentais que são imprescindíveis para formar cidadãos livres, honestos e responsáveis, por exemplo, a verdade, a justiça, a solidariedade, a ajuda ao débil, o amor aos outros por si mesmos, a tolerância, etc.

3. A família é a melhor escola para criar relações comunitárias e fraternas, frente às atuais tendências individualistas. De fato, o amor – que é a alma da família em todas as suas dimensões – só é possível se houver entrega sincera de si mesmo aos outros. Amar significa dar e receber o que não se pode comprar nem vender mas só presentear livre e reciprocamente. Graças ao amor, cada membro da família é reconhecido, aceitado e respeitado em sua dignidade. Do amor nascem relações vividas como entrega gratuita, e surgem relações desinteressadas e de solidariedade profunda. Como a experiência o demonstra, a família constrói cada dia uma rede de relações interpessoais e prepara para viver em sociedade em um clima de respeito, justiça e verdadeiro diálogo.

4. A família ajuda a descobrir o valor social dos bens que se possuem. Uma mesa, na que todos compartilham os mesmos alimentos, adaptados à saúde e à idade dos membros é um exemplo, simples mas muito eficaz, para descobrir o sentido social dos bens criados. A criança vai incorporando assim critérios e atitudes que o ajudarão mais adiante nesta outra família mais ampla que é a sociedade.

A família,

Aberta a Deus e ao próximo

Leitura bíblica: Ef 5, 25-33

1. O homem está feito à imagem e semelhança de Deus, para viver e conviver com Ele. Nem o ateísmo, nem o agnosticismo, nem a indiferença religiosa são situações naturais do homem e tampouco podem ser situações definitivas para uma sociedade. Os homens estamos ligados essencialmente a Deus, como uma casa o está com relação ao arquiteto que a construiu. As dolorosas conseqüências dos nossos pecados podem obscurecer este horizonte, mas cedo ou tarde sentimos a falta da casa e do amor do Pai do Céu. Acontece conosco o que aconteceu com o filho pródigo da parábola: não deixou de ser filho quando foi embora da casa do seu pai e, por isso, apesar de todos os seus extravios, terminou sentindo um desejo irresistível de voltar. De fato, todos os homens sentem sempre a nostalgia de Deus e têm a mesma experiência que santo Agostinho, mesmo que não sejam capazes de expressá-la com a mesma força e beleza com que ele o fez: “Fizeste-nos, Senhor, para Vós, e o nosso coração não descansará enquanto não descansar em Vós”.

2. Consciente desta realidade, a família cristã situa a Deus no horizonte da vida dos seus filhos desde os primeiros momentos da sua existência consciente. É um ambiente que eles respiram e assimilam. Isto os ajuda a descobrir e acolher a Deus, a Jesus Cristo, ao Espírito Santo e à Igreja. Com plena coerência, já desde o primeiro momento do seu nascimento, os pais pedem à Igreja o Batismo para eles e os levam com entusiasmo para receber as águas batismais. Depois os acompanham na preparação para a Primeira Comunhão e para a Confirmação e os inscrevem na catequese paroquial e buscam para eles o Colégio que melhor os educará na religião católica.

3. No entanto, a verdadeira educação cristã dos filhos não se limita a incluir a Deus entre as coisas importantes da vida dos filhos, mas também situa Deus no centro dessa vida, de forma que todas as outras atividades e realidades (a inteligência, o sentimento, a liberdade, o trabalho, o descanso, a dor, a doença, as alegrias, os bens materiais, a cultura, em uma palavra: tudo) estejam modeladas e regidas pelo amor a Deus. Os filhos têm que habituar-se a pensar antes de cada ação ou omissão: “o que Deus quer que eu faça ou deixe de fazer agora?” Jesus Cristo confirmou a fé e a convicção dos fiéis da Antiga Aliança, sobre o que eles consideravam “o grande mandamento”, quando respondeu ao doutor da lei que “o primeiro mandamento é este: amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, e com todas as tuas forças”.

4. Esta educação na centralidade do amor a Deus é realizada pelos pais sobretudo através das realidades da vida diária: rezando em família nas refeições, estimulando nos filhos a gratidão a Deus pelos dons recebidos, recorrendo a Ele nos momentos de dor em qualquer uma das suas formas, participando na missa dominical com eles, acompanhando-os para receber o sacramento da Reconciliação, etc.

5. A pergunta do doutor da Lei só incluía “qual é o primeiro mandamento”. Mas Jesus, ao responder-lhe, acrescentou: o segundo, semelhante a este é: “amarás o próximo como a ti mesmo”. O amor ao próximo, portanto, é “o seu mandamento” e “o distintivo” dos seus discípulos. Como concluía são João com fina psicologia: “Se não amamos o próximo a quem vemos, como vamos amar a Deus, a quem não vemos?”

6. Os pais devem ajudar os filhos a descobrir o próximo, especialmente o necessitado, e a realizar pequenos mas constantes serviços: compartilhar com os seus irmãos os brinquedos e presentes, ajudar os que são mais novos, dar esmola ao pobre na rua, visitar os familiares enfermos, acompanhar os avós e prestar-lhes pequenos serviços, aceitar as pessoas fazendo-os deixar de lado e perdoar as pequenas limitações e ofensas de cada dia, etc. Estas coisas, repetidas uma e outra vez, configuram a mentalidade e criam hábitos bons; para enfrentar a vida com a predisposição adquirida do amor aos outros, e fazê-los assim capazes de criar uma sociedade nova.

 

A família, formadora da reta consciência moral

Leitura bíblica: Ef 6, 1-17

1. O homem atual está cada vez mais persuadido de que a dignidade e vocação da pessoa humana requer que, guiado pela luz da sua inteligência, descubra os valores inscritos em sua natureza, os desenvolva sem cessar e os realize em sua vida, conseguindo assim um progresso cada vez maior. No entanto, em seus juízos sobre os valores morais, quer dizer, sobre o que é bom ou mau e, por isso, sobre o que deve fazer ou omitir, não pode proceder segundo o seu arbítrio pessoal. O homem, no mais profundo da sua consciência, descobre a presença de uma lei que ele não dita a si mesmo e à qual deve obedecer. Esta lei foi escrita por Deus no seu coração, de modo que, além de aperfeiçoar-se com ela como pessoa, será de acordo com esta lei que Deus o julgará pessoalmente.

2. Por conseguinte, não existe verdadeira promoção da dignidade do homem a não ser no respeito da ordem essencial da sua natureza. Certamente, mudaram e continuarão mudando muitas condições concretas e muitas necessidades da vida humana. No entanto, toda evolução dos costumes e todo gênero de vida devem manter-se dentro dos limites impostos pelos princípios imutáveis fundados sobre os elementos constitutivos e sobre as relações essenciais da vida humana; elementos e relações que encontram-se além das contingências históricas.

3. Estes princípios fundamentais, compreensíveis pela razão, estão contidos na lei divina, eterna, objetiva e universal, pela que Deus ordena, dirige e governa o mundo e os caminhos da comunidade humana segundo o desígnio de sua sabedoria e amor. Deus faz o homem partícipe desta sua lei, de modo que o homem possa conhecer mais e mais a verdade imutável. Além disso, Cristo instituiu a sua Igreja como coluna e fundamento da verdade e lhe deu a assistência permanente do Espírito Santo para que conserve sem erro as verdades de ordem moral e interprete autenticamente não só a lei positiva revelada mas também os princípios morais que brotam da mesma natureza humana e que dizem respeito ao desenvolvimento e perfeição do homem.

4. Muitos são hoje os que sustentam que a norma das ações humanas particulares não se encontra nem na natureza humana, nem na lei revelada, mas que a única lei absoluta e imutável é o respeito à dignidade humana. Ainda mais, o relativismo filosófico e moral nega que exista alguma verdade objetiva, tanto no plano do ser como no do atuar ético. Cada um teria a sua verdade, dado que cada um interpreta as coisas e as condutas segundo sua pessoal inteligência e consciência. A convivência obrigaria a uma verdade admitida por todos, em virtude de um consenso que nos faça possível viver em paz. Este é o fundamento das leis que saem dos Parlamentos democráticos. A Igreja não teria nada que dizer e se o faz irrompe em um terreno que não lhe corresponde e torna-se perigosa do ponto de vista democrático.

5. As conseqüências são funestas para a pessoa, a família e a sociedade. Assim se explica a justificação do aborto como um direito da mulher, as tentativas de legalizar a eutanásia, o controle artificial dos nascimentos, as leis cada vez mais permissivas do divórcio, as relações extraconjugais, etc.etc.

6. A família cristã tem o grandíssimo desafio de formar na verdade e na retidão a consciência moral dos seus filhos, respeitando escrupulosamente sua dignidade e liberdade, de modo que lhes ajude a formar uma consciência reta sobre as grandes questões da vida humana: a adoração e respeito a Deus Criador e Salvador, o amor aos pais, o respeito à vida, ao próprio corpo e ao dos outros, o respeito aos bens materiais e a honra do próximo, a fraternidade entre todos os homens, o destino universal dos bens da criação, a não discriminação por motivos religiosos, sociais ou econômicos, etc. Pontos firmes deste ensino são os preceitos do Decálogo e as Bem-aventuranças.

7. Os pais devem educar hoje a seus filhos com confiança e valentia nestes valores essenciais, começando pelo mais radical de todos: a existência da verdade e a necessidade de procurá-la e segui-la para realizar-se como homens. Outros valores chave hoje são o amor à justiça e a educação sexual clara e delicada que leve a uma valorização pessoal do corpo e a superar a mentalidade e a praxe que o reduz a objeto de prazer egoísta.

8. Condição fundamental desta educação é criar nos filhos amor e sintonia com a Igreja e, mais em particular, com o Papa, os bispos e os sacerdotes; para que vejam neles a preocupação de uma boa mãe que os ama e só deseja ajudar-lhes a viver de modo reto e digno neste mundo e gozar da contemplação de Deus na Glória.

A família, primeira experiência de Igreja

Leitura da Bíblia: Atos 2, 36-47

1. A Igreja, Povo de Deus, Corpo Místico de Cristo e Templo do Espírito é sinal e instrumento universal de salvação pelo tríplice ministério da evangelização, a celebração e a vivência da caridade. Graças ao ministério evangelizador, a Igreja proclama a grande Boa Nova de que «Deus quer que todos os homens se salvem» e que para isso enviou o seu Filho Único ao mundo. Pelo ministério dos sacramentos da iniciação, incorpora novos membros, os robustece e os alimenta; detrás dos sacramentos de cura, os cura de seus pecados e os alivia na enfermidade; pelos sacramentos da Ordem e do Matrimônio assegura cuidado eficaz de si mesma e da sociedade. Pela vivência da caridade, constrói a fraternidade dos filhos de Deus e faz-se fermento da sociedade humana.

2. A família é a primeira experiência de Igreja que recebe uma pessoa, pois nela a pessoa recebe uma primeira e elementar iniciação à fé, recebe os sacramentos mais importantes e tem a primeira experiência da caridade.

3. De fato, nascendo, os pais levam seus filhos para serem batizados e se comprometem a educar-lhes para que possam receber a Primeira Comunhão e a Confirmação, iniciando-lhes assim no mistério de Cristo e da Igreja. Quando já têm a capacidade de entender algo, ensinam-lhes as primeiras orações, abençoam os alimentos com eles, usam sinais religiosos, e iniciam-lhes nos primeiros passos do amor à Virgem Santíssima. Quando já são capazes de compreender algo, lêem com eles a Palavra de Deus e a explicam de uma maneira singela e acessível. No momento de assumir as responsabilidades de sua vocação pessoal: matrimonial, sacerdotal, religiosa, ou celibatária no meio do mundo, estão com eles. Desde o mesmo momento do seu nascimento, mostram-lhes um imenso carinho e uma constante dedicação, sobretudo, quando estão doentes ou têm alguma má formação ou deficiência física e/ou psíquica.

4. Uma experiência particularmente intensa de Igreja em família acontece quando pais e filhos participam na Missa do domingo. Nela, ao reunir-se com outras famílias e outros irmãos na fé, escutam a Palavra de Deus, rezam pelas necessidades de todos os necessitados e se alimentam de Cristo imolado por nós. A fé cresce e se desenvolve com estas experiências tão bonitas que dão sentido à vida ordinária, infundem paz no coração.

5. Em família também se vivem experiências especiais da Igreja na sua dimensão apostólica em alguns momentos particulares, p.e.: o Dia da Santa Infância, o Domund, a Campanha da Fome, a ajuda à países subdesenvolvidos ou afetados por terremotos, ciclones, grandes acidentes, etc.

Colaboradores da família: a paróquia e a escola

Leitura da Bíblia: Lc 6, 6-11

1. A educação cristã procura, certamente, a maturidade da pessoa humana, mas busca, sobretudo, que os batizados façam-se cada dia mais conscientes do dom recebido da fé; aprendam a adorar a Deus Pai em espírito e em verdade (cf. Jo 4, 23), sobretudo, na ação litúrgica; formem-se para viver segundo o homem novo na verdadeira justiça e santidade (cf. Ef 4, 22-23) e assim cheguem ao homem perfeito na idade da plenitude de Cristo (cf. Ef 4, 13) e contribuam ao crescimento do Corpo Místico; acostumem-se a dar testemunho da esperança que há neles (cf. 1Pe 3, 15) e contribuam eficazmente à configuração cristã do mundo (cf. Gravissimum educationis, 2).

2. Os pais, ao dar a vida a seus filhos, assumem a grave obrigação de educar-lhes e, ao mesmo tempo, recebem o direito de ser seus primeiros e principais educadores. A eles corresponde, portanto, formar um ambiente familiar animado pelo amor e pela piedade com Deus e com os homens, que favoreça a educação integral dos filhos. Por isso, a família é, como já se disse nas catequeses anteriores, a primeira escola das virtudes sociais que todas as sociedades necessitam, o espaço onde os filhos aprendem desde os primeiros anos a conhecer e adorar a Deus e amar ao próximo, o âmbito onde tem-se a primeira experiência da sociedade humana e da Igreja, e o meio mais eficaz para introduzir os filhos na sociedade civil e no Povo de Deus. A transcendência da família cristã é, pois, realmente extraordinária para a vida e o progresso da Igreja; tanto que, quando falta, é muito difícil supri-la.

3. Mas a família não dá conta de si mesma para realizar sua missão. Necessita a ajuda do Estado. É obrigação da sociedade civil tutelar os direitos e deveres dos pais e dos que intervêm na educação, colaborar com eles, completar –quando não é suficiente o esforço dos pais e de outras sociedades – a obra da educação segundo o princípio de subsidiariedade, atendendo aos desejos dos pais, e criar escolas e institutos próprios conforme o exija o bem comum. O Estado, portanto, antes que ser antagonista ou entrar em conflito com os pais, deve ser seu melhor aliado e colaborador, contribuindo em tudo, e só no que os pais não podem contribuir, e fazê-lo na direção que indiquem os pais. Esta colaboração leal e eficaz tem que dar-se também nos professores de todos os centros de educação, sejam privados ou públicos. Desta colaboração sairão beneficiados os filhos, em primeiro lugar; mas também a mesma sociedade e a escola, porque esses filhos serão amanhã melhores cidadãos e muitos deles farão verdadeiras contribuições ao progresso da escola.

4. A família também necessita da paróquia. Os pais, de fato, realizam a educação na fé, sobretudo, pelo testemunho da sua vida cristã, especialmente pela experiência de amor incondicional com que amam os filhos e pelo amor profundo que estes têm entre si; o qual é um sinal vivo do amor de Deus Pai. Além disso, segundo a sua capacidade, estão chamados a dar uma instrução religiosa, geralmente de caráter ocasional e não sistemático, à qual levam a bom termo descobrindo a presença do mistério de Cristo Salvador do mundo nos acontecimentos da vida familiar, nas festas do ano litúrgico, nas atividades que os meninos realizam na escola, na paróquia e nos agrupamentos, etc. Entretanto, necessita a ajuda da paróquia, porque a vida de fé vai madurando nos filhos na medida em que se vai incorporando, de uma maneira consciente, na vida concreta do Povo de Deus, o que acontece sobretudo na paróquia. É aí onde o menino e o adolescente, primeiro, e depois o adulto, celebra e se alimenta com os sacramentos, participa da Liturgia e se integra em uma comunidade dinâmica de caridade e apostolado. Por isso, a paróquia tem que ficar sempre ao serviço dos pais – não ao contrário -, especialmente nos sacramentos de Iniciação cristã.

5. Família, escola e paróquia são três realidades que ficam integradas e unidas pela educação que devem receber os filhos. Quanto maior seja a mútua colaboração e intercâmbio, e mais afetuosas sejam as relações, mais eficaz será a educação dos filhos.

A família e o modelo de Nazaré

Leitura da Bíblia: Lc 2, 41-52

1. As notícias que nos transmitiram os Evangelhos sobre a família de Nazaré são escassas, mas muito ilustrativas.

2. É uma família constituída sobre a base do matrimônio entre José e Maria. Eles estiveram realmente casados, como assinalam São Mateus e São Lucas; e viveram assim até o falecimento de José. Jesus foi filho verdadeiro de Maria. São José não foi o pai natural –porque não o gerou- nem adotivo, mas suposto, quer dizer: considerado pelos vizinhos de Nazaré como pai de Jesus, devido a que as pessoas ignoravam o mistério da Encarnação e a que são José estava casado com Maria. Esta realidade tem hoje grande importância, devido às legislações civis e à cultura ambiental, tão favoráveis à uniões de fato, à uniões meramente civis, a outras formas de uniões, ao divórcio, etc. A família de Nazaré apresenta-se hoje como exemplo de casal formado por um homem e uma mulher, unidos por amor de uma forma permanente e com uma dimensão pública.

3. A família de Nazaré viveu como uma família a mais desse povo. Quer dizer, de uma maneira singela, humilde, pobre, trabalhadora, amante das tradições culturais e religiosas da sua nação, profundamente religiosa e afastada dos centros de poder religioso e civil. Um viajante que visitasse Nazaré e desconhecesse os fatos que nós conhecemos, não encontraria nenhum detalhe que distinguisse a Sagrada Família do resto das famílias: nem na casa que usavam, nem no modo de vestir, nem na comida, nem na participação dos atos religiosos que se celebravam na sinagoga, nem em nada. Deus nos quis revelar que a vida cotidiana é o lugar onde Ele nos espera para que lhe amemos e realizemos seu projeto sobre nós. O segredo é viver «essa» vida com o mesmo amor e perseverança que a sagrada Família.

4. Os Evangelhos não elucidam a profissão que exerceu são José: ferreiro, carpinteiro, artesão, … Por outro lado, assinalam claramente que era um trabalhador manual e que ganhava a vida trabalhando. Maria se dedicava, como todas as mulheres casadas, a moer e cozer o pão de cada dia, atender os trabalhos domésticos do lar e fazer pequenos serviços aos outros. De Jesus não dizem nada, mas deixam entender que ajudava à Maria e, mais tarde, a são José nos seus trabalhos manuais. A família de Nazaré viveu o que hoje chamamos «o evangelho do trabalho»; quer dizer: o trabalho como realidade maravilhosa que dá uma participação na obra criadora de Deus, que serve para tocar o barco da própria família e ajudar a outros, e para santificar-se e santificar por meio dele. Também nisto é um modelo perfeito para a família atual. Muitas continuam vivendo igual a ela e outras, apesar do trabalho da mulher fora do lar e da tecnificação das tarefas domésticas continua sendo fundamentalmente igual.

5. A família de Nazaré era uma família israelita profundamente crente e praticante. Como faziam o resto das famílias piedosas, rezavam sempre em cada comida, iam cada semana a escutar a leitura e a explicação do Antigo Testamento na sinagoga, subiam a Jerusalém para celebrar as festas de peregrinação, como a da Páscoa e a de Pentecostes, rezavam três vezes por dia o famoso «Escuta, ó Israel». A bênção da mesa na hora das comidas, a participação semanal na missa do domingo e a leitura da Sagrada Escritura continuam sendo fundamentais para que a família cristã realize sua missão educadora.

6. A família de Nazaré vivia tudo centrada em Deus: Deus era tudo para ela. Quando noivos ainda, José confiou em Deus, quando lhe revelou por meio do anjo que a gravidez de Maria era por obra do Espírito Santo. Casados, Maria e José tiveram que ouvir do filho, que acabavam de encontrar, depois de dias de angustiosa busca, estas palavras: «por que me buscavam? Não sabiam que devo ocupar-me das coisas de meu Pai?» Eles não o entenderam, mas o aceitaram e tentaram encontrar o seu sentido. Maria, por outro lado, não tropeçou na fé quando viu seu filho cravado na cruz como um criminoso e derrotado pelos chefes do povo. A família cristã, cuja vida é sempre um quadro de luzes e sombras, encontra a paz e a alegria quando sabe ver a Deus nisso também, ainda que não consiga compreendê-lo.

A família, destinatária e agente da nova evangelização

Leitura da Bíblia: Atos 18, 23-28

1. «A futura evangelização depende em grande medida da Igreja doméstica» (Discurso de João Paulo II à III Assembléia geral dos bispos da América Latina, 1979). Mais ainda, «a família é o coração da Nova Evangelização» (Evangelium Vitae, 92). A história da Igreja o confirma desde as suas origens. Um caso típico é o de santo Agostinho, convertido pela graça de Deus implorada com as lágrimas abundantes de sua mãe, Santa Mônica. A família realiza «sua missão de anunciar o evangelho, principalmente por meio da educação dos filhos» (EV 92).

2. A missão evangelizadora da família está enraizada no Batismo e recebe uma nova forma com a graça sacramental do matrimônio.

3. A tarefa evangelizadora da família cristã se faz especialmente necessária e urgente nos lugares onde uma legislação anti-religiosa pretende inclusive impedir a educação na fé, ou onde cresceu a incredulidade ou penetrou o secularismo até o ponto de fazer virtualmente impossível uma verdadeira crença religiosa. Essa geografia se encontra principalmente nos países comunistas e ex-comunistas e nos países do assim chamado primeiro mundo. A Igreja doméstica é o único âmbito onde os meninos e os jovens podem receber uma autêntica catequese sobre as verdades mais fundamentais.

4. A família tem um modo específico de evangelizar, feito não de grandes discursos ou lições teóricas, mas mediante o amor cotidiano, a simplicidade, a concreção e o testemunho diário. Com esta pedagogia transmite os valores mais importantes do Evangelho. Mediante este método, a fé penetra como por osmose, de uma maneira tão imperceptível mas tão real, que inclusive converte a família no primeiro e melhor seminário de vocações ao sacerdócio, à vida consagrada e ao celibato no meio do mundo.

5. O serviço dos cônjuges e pais cristãos a favor do Evangelho é essencialmente um serviço eclesiástico. Quer dizer, está enraizado e derivado da única missão da Igreja e está orientado à edificação do Corpo de Cristo. Por isso, o ministério de evangelização da família tem que estar em comunhão e harmonizar-se responsavelmente com os serviços de evangelização e catequese da diocese e da paróquia.

6. Este caráter eclesiástico requer que a missão evangelizadora da família cristã possua uma dimensão missionária e católica, em plena conformidade com o mandato universal de Cristo: «Ide pelo mundo inteiro e pregai o Evangelho a toda criatura» (Mc 16, 15) Por isso, até mesmo é possível que alguns pais sintam a urgência de levar o Evangelho de Cristo «até os limites da terra», como ocorreu nas primeiras comunidades cristãs. De qualquer modo, dentro do mesmo âmbito familiar deve se realizar uma atividade missionária, anunciando o Evangelho aos familiares não crentes e afastados ou em relação às famílias que não vivem com coerência o matrimônio.

7. A família cristã se faz comunidade evangelizadora na medida em que acolhe o Evangelho e o amadurece na fé. «Como a Igreja, a família deve ser um espaço onde o Evangelho é transmitido e onde este se irradia. Dentro, pois, de uma família consciente desta missão, todos os membros que evangelizam são evangelizados. Os pais não só comunicam aos filhos o Evangelho, mas ao mesmo tempo, recebem deles este Evangelho profundamente vivido…Uma família assim se faz evangelizadora de outras famílias e do ambiente no qual vive» (EM 71).

Fontes:

– Vaticano II: Constituições Lumen gentium e Gaudium et Spes; declaração Gravissimum educationis
– Paulo VI: Humanae vitae
– João Paulo II: Familiaris consortio; Gratissimam sane; Evangelium Vitae
– Bento XVI: Vários discursos alusivos à família
Catecismo da Igreja Católica
Compêndio da Doutrina Social da Igreja



As relações

e os valores Familiares 

Segundo a Bíblia.





.


.


.

A Família Segundo a Bíblia.


As relações e os valores

Familiares Segundo a Bíblia.


1º tema: Reflexão da Palavra.



Efésios 5, 21 a 33


21. Sujeitai-vos uns aos outros no temor de Cristo. 33. Em resumo, o que importa é que cada um de vós ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher respeite o seu marido. 32. Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e à Igreja. 22. As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor, 23. pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador. 24. Ora, assim como a Igreja é submissa a Cristo, assim também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos. 25. Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, 26. para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra, 27. para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível. 28. Assim os maridos devem amar as suas mulheres, como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. 29. Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e a trata, como Cristo faz à sua Igreja – 30. porque somos membros de seu corpo. 31. Por isso, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois constituirão uma só carne (Gn 2,24).



A Palavra de Deus que é a Bíblia Sagrada nos mostra no princípio de tudo a formação da Família, este versículo (Gn 2, 24) é exatamente a constituição da Família que na verdade sem ela não existiria humanidade porque não existiria a procriação da espécie que depende 100% de uma Família bem constituída.

Desde o princípio até o final da Bíblia Deus se refere à Família e a põe como exemplo e modelo até mesmo de sua Igreja que será eterna.

Os versículos acima citam uma noiva que será buscada pelo Noivo, uma Noiva pura, sem ruga e sem mácula que será desposada pelo Filho de Deus que é Jesus, esta Noiva é identificada como a Igreja, mas ao mesmo tempo ela prefigura um Matrimônio perfeito, onde não há infidelidade, engano, mentira ou dissolução.

Deus cita a união da Igreja como um exemplo de Matrimônio perfeito ou será que cita um Matrimônio para que entendamos o que realmente ele espera de nós como filhos e Fieis em sua Igreja ?

Qualquer que seja a resposta, a verdade é que para Deus o Matrimônio é a menina dos olhos de Deus e para Ele não existe nada mais importante na face da terra.

Muitos dizem apenas que Deus escolheu uma mulher chamada Maria para ser Mãe de Jesus, mas a Bíblia é bem clara referente a este chamado, Deus não escolheu Maria apenas, Ele escolheu o Casal (Maria e José) ou será que nos esquecemos que eles já eram casados e para Deus existe apenas uma só carne após o Matrimônio, tanto é que ele mando o anjo à casa de uma jovem (DESPOSADA) chamada Maria, ou seja o fato dela ser casada era uma das qualidades que Deus precisava para que ela fosse Mãe de seu Filho Jesus nesta terra.

Deus poderia ter enviado Jesus assim como Ele enviou vários Anjos para nos dar uma mensagem, poderia ter escolhido Maria para ser mãe solteira, mas não, porque o Matrimônio de Maria com José era uma prerrogativa essencial deste chamado e desta missão Divina.

O Casamento em Caná da Galileia é mais uma prova deste amor de Deus pelo Matrimônio, foi em um casamento que Deus escolheu para que Jesus se manifestasse pela primeira vez neste mundo e foi lá que Ele declarou evidentemente que sua prioridade antes de mais nada é a vida familiar cheia de paz e alegria, fato demonstrado pela quantidade excessiva de água transformada em VINHO.

Portanto não há como negar que através do Sacramento do Matrimônio Deus realiza maravilhas na vida do casal e nos dá a capacidade de vencer todas as dificuldades de uma vida a dois, mas muitas vezes muitos casais que não se abriram completamente ao Matrimônio não entendem como um homem e uma mulher tão diferentes entre si conseguem se amar e viver uma vida inteira juntos.

Este é o segredo da Unidade que Deus realiza através deste Sacramento e como todo Sacramento Ele também é um presente, um presente prá você que precisa ser aceito de todo coração, não apenas aceito e guardado na gaveta do armário da cozinha ou do guarda-roupa, mas colocado em prática no seu dia a dia da vida Familiar.





O amor Fraterno.

CRF-2010 – 1ª Reflexão.

Senhor, ensinai-nos a viver o amor Fraterno.

São João, 14, 15 a 21

15. Se me amais, guardareis os meus mandamentos. 16. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. 17. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós. 18. Não vos deixarei órfãos. Voltarei a vós. 19. Ainda um pouco de tempo e o mundo já não me verá. Vós, porém, me tornareis a ver, porque eu vivo e vós vivereis. 20. Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim e eu em vós. 21. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é que me ama. E aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e manifestar-me-ei a ele.

Reflexão:

Uma das missões de Jesus neste mundo foi exatamente ensinar as pessoas a viverem conforme um novo modelo de vida e não usou apenas de palavras, mas principalmente com seus próprios exemplos.

Dizer ensina-nos a Amar é fácil, difícil mesmo é Amar de verdade e o Amor de Jesus foi daqueles que durou até o fim culminando com sua entrega na cruz por amor de mim e de você perdoando todos nossos erros e pecados.

Jesus não nos mandava fazer coisas difíceis e impossíveis, Ele pedia que fizéssemos apenas o que Ele fazia, “Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei…”, logo não era um bicho de sete cabeças ou algo desconhecido ou impossível, mas sim fazer exatamente como Ele fazia.

A poucos dias li em um livro com exemplos de orações escritas por crianças, que por ser crianças agem inocentemente e expressam seus pensamentos e sentimentos sem se preocupar muito com o que estão dizendo, o garotinho escreveu assim:

“Senhor Jesus, é verdade que você me ama e ama também o mundo inteiro ?

Porque é muita gente e aqui em casa sou só eu, Papai, Mamãe e meu irmãozinho e eu não consigo amar a todos !”

O garotinho expressou em sua oração nada mais e nada menos do que um sentimento que muitas vezes reprimimos dentro de nós dizendo que “Eu amo a todos”, quando na verdade eu odeio o meu “irmãozinho” e se fosse possível eu o esganaria na primeira oportunidade, vejamos que um exemplo desta verdade já estava escrito na Bíblia quando Moisés fala sobre Caim ter matado Abel por causa de seu ciúme e inveja.

Amar é em primeiro lugar apagar este tipo de egoísmo que existe em nós, precisamos nos afastar do orgulho, da inveja e do ciúme para evitar o ódio que gera o crime o pecado e a morte.

Uma vez afastados destes pecados graves iremos analisar o segundo passo que seria Amar verdadeiramente o irmão, que neste caso não o seria o seu “irmãozinho” filho de seu Pai e sua Mãe que as vezes é até mais difícil de ser amado, mas queremos falar do amor Fraterno na comunidade que é a Igreja, na Família como um todo e também na sociedade onde vivem os irmãos necessitados que nem conhecemos e aqueles exploradores que estão sempre em evidência e não se tocam a respeito deste assunto.

Este amor é aquele que pede o nosso desprendimento interior, o abandono completo de nosso eu e a compreensão efetiva daquela oração que Jesus nos ensinou “O Pai Nosso”, uma das grandes novidades do evangelho do Reino pregado por Jesus é que Ele ensina na coletividade e na unidade perfeita.

Por exemplo, Ele formou uma pequena comunidade de amor com seus discípulos os quais aprenderam com Ele todas as coisas e ficaram responsáveis de nos ensinar tudo aquilo que Jesus queria que aprendêssemos, logo que a Igreja se iniciou, formou-se uma grande comunidade de Amor que dividiam todos os bens em comum e viviam como uma só família, isto fluiu naturalmente da vivência dos ensinamentos de Jesus, esta comunidade é o que Chamamos hoje de Igreja.

A Comunidade unida pelo Bem Comum é Forte e vitoriosa. Foto: guerreirodaalemoa.blogspot.com/

Vemos que o mundo hoje e a Igreja estão longe de alcançarem aquele objetivo inicial, mas ao mesmo tempo se compararmos a vida na sociedade de hoje com as daquele tempo, diríamos que ela espelha verdadeiramente os planos de Deus, o que nos falta é sermos mais fiéis aos nossos princípios Cristãos, só não alcançamos melhores resultados na sociedade é porque não seguimos 100 % tudo o que Jesus nos ensinou, queremos sempre o que é bom, mas na hora de oferecer o bem, o amor para as outras pessoas sempre os oferecemos com reservas e egoísmo.

Jesus disse que quando mais doamos, mais receberemos e que quanto mais amarmos o nosso irmão mais seremos amados por eles e pelos outros e isto se chama reciprocidade, uma troca e oferta continua que supre todas as necessidades e gera o que mais procuramos em toda a nossa vida, que é a FELICIDADE, ou nunca ouviu aquela frase que diz  “existe muito mais alegria em dar do que em receber.?”

São Francisco de Assis foi o Santo que mais viveu esta verdade e vivia sempre feliz e contente, cheio da alegria e da Paz que vem do Senhor.

Na nossa vida prática podemos nos dispor a aprender o que Jesus nos ensina com seus exemplos, aprender o que os Santos puseram em prática em suas vidas e foram bem sucedidos já que eram homens comuns e não Deus como Jesus e assim serve de espelho para nós, precisamos compreender que quando uma pessoa faz um bom propósito de viver como Jesus viveu ela automaticamente contagia aqueles que vivem ao seu redor e estendem os benefícios à toda a comunidade e todos começam a experimentarem mais amor e mais alegria em suas vidas.

A começar em Mim, devemos olhar para nós mesmos e não esperar que os outros tomem a iniciativa, porque a proposta é para mim e para você, a promessa de Deus é para nós e não para os outros, eles serão atraídos a viverem também este chamado à medida que observarem os frutos que produzimos, ao observarem que somos pessoas felizes e alegres e que é muito melhor estar em Jesus e na Igreja do que perdidos no mundo sem rumo e sem direção, neste ponto caberá a nós com muito amor saber acolher os recém convertidos e ensinar a todos o que aprendemos de Jesus.

Para que tudo isso aconteça em nosso meio, Jesus enviou o seu Espírito Santo para estar conosco, nos auxiliando e conduzindo nos momentos mais difíceis e confusos, nos dando força para suportar as perseguições e nos inspirando em tudo o que devemos viver e ensinar.

Resta-nos ainda a alegria da certeza da Vitória, porque Jesus nos revela que suas palavras e seus ensinamentos jamais passarão até que tudo se cumpra, isto para nos mostrar que nada do que Ele nos ensinou é impossível de ser vivido na comunidade além de nos dar a imagem de um mundo novo que não refletirá mais toda a tristeza e desordens originadas do pecado e da injustiça, mas será sim aquele mundo que todos tem sonhado, mas que porém nem sempre trabalhamos para que possamos alcança-lo.


Perguntas para Partilha:

1 – Baseados nos ensinamentos de Jesus como podemos conciliar a vivência do Amor e a exigência de Justiça ?

Na verdade o Amor é aquele que produz a perfeita Justiça, sem amor não haverá uma justiça justa, como se diz, neste caso estamos analisando a Justiça humana e não a Justiça Divina, porque pelo que conhecemos das leis civis elas sempre prejudicam os mais fracos e nunca os mais fortes e assim mantém-se uma situação de desequilíbrio na face da terra, mas a Justiça Divina esta julga o pecador com a mesma medida com que ele julga seu irmão ou aquele que lhe é inferior, não que seja uma Justiça de dois pesos e duas medidas, mas é por isso que Deus nos diz que devemos sempre optar pelo perdão e pela misericórdia e não pelo julgamento e a condenação, porque todos nós precisamos de muito perdão e muita misericórdia para conseguirmos entrar no céu e se atuarmos neste mundo como Juizes que condenam tudo na verdade condenamos os nossos próprios pecados e defeitos que vemos nas outras pessoas, por isso o Amor é sempre a melhor opção porque é com ele que somos capazes de perdoar assim como Jesus nos Perdoou.

Este amor jamais entrará em conflito com a Justiça Divina, mas muitas vezes ele entra em conflito com a Justiça humana quando condenamos alguém injustamente a pagar por um erro que não cometeu ou deixamos alguém que cometeu erros graves sem pagar por seus crimes, muitas vezes condenamos alguém como um Bandido enquanto outro que comete o mesmo erro é um grande e fiel amigo e merece todo nosso perdão.

Por outro lado, todos aqueles que cometem pecados, erros e crimes são merecedores de uma punição, isto porque toda causa tem seu efeito e quando cometemos um crime, sabemos que este crime tem uma punição, logo é uma aceitação consciente desta punição, um ladrão quando atira em alguém ou até mesmo quando assalta alguém com arma em punho, isto é porque ele sabe que pode matar alguém e que este crime será punido e não terá perdão, isto porque um criminoso não pode ficar livre para cometer outros crimes contra outras pessoas inocentes que nada de errado fizeram contra a sociedade, neste caso a lei social não se dá perdão a crimes cometido e sim impõe-se uma pena a cada um deles, o que precisamos é que esta lei funcione para todos os que cometem crimes e não apenas para alguns.

2 – Como entendemos esta frase: “Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro.”?

Eu entendo como uma opção de exclusão, sendo ao escolher uma opção AUTOMÁTICAMENTE excluímos a outra, isto significa caminhos diferentes ou direções opostas, sendo que para me aproximar de Deus eu preciso me afastar do Dinheiro.

Veja bem, estamos falando de serviço e não de posse.

Servir aqui se entende como prestar serviço, ser empregado, prestar obediência, ser dependente e etc. e num sentido utilizado por Jesus, que seria bem mais grave, deixar o dinheiro ser como se fosse um deus aquém você ama em primeiro lugar.

Alguém pode justificar que Dinheiro não é uma pessoa e nem poderia exercer tal domínio sobre alguém, na verdade é o que mais acontece, mesmo sendo uma matéria física que representa algo virtual e inexistente, algo que valoriza e desvaloriza dependendo da maré de expectativa geral do planeta, muitos vivem e respiram ter e possuir e acabam se escravizando e perdendo toda a vida por este motivo.

O dinheiro não é uma pessoa, logo não pode ter ou possuir alguém, mas podemos dizer que pessoas agem como se toda a sua vida dependesse de ajuntar uma boa quantidade de Dinheiro para que depois possa aproveitar dele para viver bem tranqüilamente sem trabalhar, o que muitas vezes ocorre é que nunca se alcança o objetivo desejado, ou quando se alcança sempre se busca um mais além, é neste ponto que você deixa de ser o Senhor de sua própria vida que passa a ser dominada, direcionada e motivada por uma posse desenfreada de alguma coisa.

O dinheiro é muito bom desde que seja possuído por você, que o usa como bem lhe entender principalmente quando você não tem problema em segura-lo sem necessidade.

Este é um princípio contra a poupança, é verdade, pode ser mesmo, porque a poupança hoje se faz necessária justamente por causa dos juros que o crédito lhe cobra, que na verdade lhe empresta o seu próprio dinheiro depositado e mesmo assim lhe cobra juros por ele.

O mundo de hoje deixou de ter dinheiro circulante e passou a ter crédito, que nada mais é que uma promessa de pagamento futuro e você passa a dever o trabalho que ainda fará amanhã e não o que já fez, esta forma de funcionamento da economia é ainda mais prejudicial ao homem, porque o escraviza ainda mais, porque ele passa a penhorar todo o seu futuro em troca de um pequeno benefício no dia de hoje.

A culpa destes acontecimentos está exatamente no desejo do homem de querer sempre mais e assim os outros incentivam esta necessidade lhe dando agora um pouquinho para tirar mais que o dobro depois aos pouquinhos, se o homem não fosse conduzido ou movido pela anciã de ter e possuir este mal não aconteceria, porque não acharia quem caísse na armadilha e nem morderia a isca.

Quando nos entregamos a Deus e confiamos em seu nome não nos submetemos às conseqüências deste mal, mas mais importante seria que todos tivessem este mesmo objetivo porque é um bem comunitário que deveria ser buscado pela comunidade toda ao mesmo tempo.




Jesus é a nossa unica Esperança.


Por ora subsistem a fé,

a ESPERANÇA e a caridade

As três. Porém, a maior delas é a caridade.

(I Coríntios 13,13)


jesus-me-da-a-mao_114


Um certo ditado popular diz que a ESPERANÇA  é a ultima que morre, isto porque até o ultimo suspiro de vida ainda existiria a chance de se salvar, mas São Paulo nos diz que o Amor ou a “Caridade” jamais morrerá, sendo assim, a Esperança seria passível de morte enquanto que o AMOR é eterno, por isso é o maior Dom de Deus.

Hoje não falaremos deste Amor perfeito e eterno de Deus, tentaremos conhecer um pouco mais esta ESPERANÇA, “humana”, frágil as vezes mas um dom de Deus que salva nossas vidas nas horas mais difíceis.

Após a morte não existirá mais Esperança, uma vez que já teremos alcançado o objeto de nossa espera. Se o vemos e o tocamos, como podemos ainda esperar ?  Se a criança nasceu, a mãe já não o espera mais !

Logo a esperança não morreu, mas simplesmente se consumou e chegou ao seu objetivo final que seria termos alcançado a plenitude do Reino de Deus, mas se pelo contrário não foi este o objetivo alcançado, não há mais como voltar atrás porque o caminho chegou ao fim.

Enquanto estivermos vivos neste mundo e compartilhando os seus bens e males, necessitaremos de uma Esperança viva e forte, para nos ajudar a vencer todas as tribulações que virão e que na verdade já fazem parte de nosso dia a dia.

Por que eu disse, uma Esperança viva e forte ?

A Esperança pode morrer ou se apagar, quantas são as pessoas que dizem já ter perdido a Esperança ?  Como seria isto possível se ela sobreviveria até  o ultimo suspiro ?  Lembre-se que São Pedro nem esperou o  seu ultimo suspiro para estender seu braço a Jesus e pedir-lhe socorro quando afundava no mar da Galiléia.

O Filho pródigo ao ver seu dinheiro te sua herança totalmente acabada, sua saúde corroída, sua fé destruída, sua beleza destroçada, seu mundo desmoronado e sua vida por um fio, levantou-se com o alento da única força que ainda lhe restava, a Esperança de chegar na casa de seu Pai ainda vivo, mesmo que nada fosse ou tivesse, ele sabia que lá na  casa de seu Pai até mesmo um zé ninguém seria acolhido com muito mais amor e carinho do que ele estava sendo tratado lá com os porcos onde se encontrava.

Para sua maior surpresa, a sua Esperança acabou lhe devolvendo tudo que havia sido perdido e toda a alegria da salvação de uma vida completamente recuperada.


filho-podigo_acolhido


Na Bíblia, os livros que mais falam de Esperança é o Livro das Lamentações e o Livro de Jó, que são comparáveis na situação de calamidade que ambos viviam.

No Livro das Lamentações ouvimos o povo de Israel se lamentando pela situação calamitosa de penúria e falta de Deus em um povo que já tinha sido grande, mas que no momento estavam sendo escravizados por um povo pagão que lhes oprimia até os ossos e sugava todo alento de vida.

Já a situação de Jó era pessoal e comparável a um Homem fiel e sem pecado algum que foi alvo de ataque do inimigo perdendo tudo que possuía de valor material ou afetivo, até mesmo a saúde do corpo lhe foi tirada, só lhe restou a vida e os falsos amigos que o acusavam e julgavam como um grande pecador por estar passando por aquela situação calamitosa.  Jó não tinha mais nada em que se apegar e tinha tudo para abandonar aquele que lhe deu a vida e ainda a preservava, mas acima de todas as dores ele perseverou na sua fé e na Esperança de vencer o mal que lhe cercava, ele manteria suas orações em Deus até o ultimo instante de sua vida, mesmo se assim fosse o desejo do Senhor tirar-lhe a vida por completo.

Bem sabemos que Jó não venceu suas Tribulações, mas as superou, as ultrapassou saindo vitorioso daquele quadro irrecuperável e diz a Bíblia que ficou muito mais rico em bens materiais, saúde e afetividade, se tornando até mesmo o nosso maior exemplo de superação das Tribulações que se tem notícia até hoje.

Para quem o conheceu em seu estado de penúria chegaram até a afirmar que ele tinha ressuscitado.  Ou seja, adquirido uma nova vida.

Tribulações: Esta é uma palavra nova, mas que hoje em dia é bem mais conhecida na prática que por seu próprio nome.


Veja o que São Paulo nos Diz:

Praticamente é um resumo da situação de Jó.

[…]-Sede alegres na Esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração.[…]

.(Romanos 12,12)


Muitos a chamam de CRISE, dificuldades financeiras, perseguições sem motivo, enfermidades e problemas de saúde, falta de emprego, existem muitos nomes para aquilo que Jó superou em todas as suas categorias e o nome para todas estas coisas é Tribulação.

Tribulações que serão inevitáveis antes que venha o dia do fim, o próprio Jesus nos fala destas tribulações em:

Lucas cap 24, 4 a 13

4.Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza. 5.Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos. 6.Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim. 7.Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. 8.Tudo isto será apenas o início das dores. 9.Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações. 10.Muitos sucumbirão, trair-se-ão mutuamente e mutuamente se odiarão. 11.Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. 12.E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará. 13.Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

O nosso objetivo é a nossa Salvação, logo nada neste mundo poderia se opor a este nosso objetivo, nem os problemas e nem as tribulações.

Obama-Mania

Hoje se fala de uma grande Crise mundial e a moda é eleger um redentor, um salvador do mundo para resolver o problema da nossa Crise pessoal, de falta de fé e esperança no Deus do impossível que tudo pode.

Muitos já elegeram um homem comum como salvador e transferiram para ele toda a esperança que tinham, dizendo: ele é realmente capaz, ele vai resolver todos os nossos problemas de crise, e assim se livram das responsabilidades, preocupações e das consequências de um futuro incerto.


discurso_pose_obama_15

Insignificância de um Homem no meio da Multidão.


Dois milhões de pessoas estiveram na posse deste homem tão poderoso, parecem formiguinhas que se aglomeram em torno de um alimento caído no chão, parecem poeira levadas ao vento sem realmente saber o futuro que lhes espera.

(Jeremias 17,5)

Eis o que diz o Senhor: Maldito o homem que confia em outro homem, que da carne faz o seu apoio e cujo coração vive distante do Senhor!

(Salmos 83,13)

Ó Senhor dos exércitos, feliz o homem que em vós confia.

(Salmos 19,8)

Uns põem sua força nos carros, outros nos cavalos. Nós, porém, a temos em nome do Senhor, nosso Deus.

Este é o objetivo a que queríamos chegar, não devemos confiar em homens de carne e sangue, muito menos entregar-lhes a nossa Esperança num futuro melhor, porque o nosso único Salvador é Jesus, Ele é o único capaz de nos livrar destas aflições e desta Crise que tanto aflige hoje nossos lares, lembremos que todos estes problemas foram causados por estes mesmos homens que estão no poder temporal e principalmente causado pelo abuso do poder, do orgulho pessoal e da ganância de se manter no poder ou tirar dele o melhor proveito para sua vida futura e que os outros fiquem com a conta do prejuízo.

Nenhum deles se preocupa com o futuro do ecossistema deste planeta muito menos com a qualidade de vida que a população terá no dia de amanhã quando esgotarem as riquezas que Deus nos deixou neste planeta.

Sendo assim não merecem a nossa confiança, muito menos a nossa esperança que devemos depositar somente em Jesus que é o nossa única Esperança.

Muitos seguiam Jesus, mas poucos participaram efetivamente de sua morte na Cruz, ao vê-lo carregando o madeiro pelas ruas já sabiam do seu destino mortal, poucos foram aqueles que subiram o calvário no máximo ficaram observando ao longe o fim daquele que seria a Esperança de salvação do povo de Israel e ao vê-lo dar seu último suspiro foram embora para suas casas e voltaram para suas vidas sem esperança conformando-se com aquela situação de pecado e escravidão:


jesus-tres-cruzes


Ao pôr do sol, juntamente com as trevas que enchiam toda a terra sepultava-se a única luz que brilhava neste mundo, rolou-se ainda uma enorme pedra para ocultar o brilho já sem vida e apagado, conservando-o definitivamente longe de nossos olhares, já sem o brilho da Esperança perdida.


jesus-tres-cruzes


Para nossa surpresa e confirmando as profecias preditas por Jesus, o tumulo não o conteve e a morte fôra o ultimo inimigo a ser vencido, logo já não existe mais derrota e a vitória nos foi entregue até a consumação dos séculos.


Carta de Paulo aos Romanos  Cap. 8,31 a 39

31.Que diremos depois disso? Se Deus é por nós, quem será contra nós? 32.Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas que por todos nós o entregou, como não nos dará também com ele todas as coisas? 33.Quem poderia acusar os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. 34.Quem os condenará? Cristo Jesus, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à mão direita de Deus, é quem intercede por nós! 35.Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada? 36.Realmente, está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia inteiro; somos tratados como gado destinado ao matadouro (Sl 43,23). 37.Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou. 38.Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, 39.nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor.


Ensino proposto para Pirenópolis 27/1/2009

Sizenando


O ALPINISTA EXTRAORDINÁRIO. COMO UMA BOMBA
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg?w=130&h=120

AS 7 VERDADES DO BAMBU.


Pe. Leo escreve em

“Buscai as coisas do alto”

As sete verdades do bambu – Slaid.PPT


Padre_Bambu


bambu Homenagem a Padre Leo em PPS.

As sete Verdades

Do Bambú

Homenagem

a Padre Léo


Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:

_ Vovô, corre aqui! me explica como esta figueira, árvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para abraçar seu tronco se quebrou, caiu com vento e com a chuva, e este bambu tão fraco continua de pé?

_ Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.


Bambu


A primeira verdade que o bambu nos ensina e a mais importante: humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.

Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus e na oração.

Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas, antes de crescer, ele permite que nasçam outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. E estão sempre grudados uns nos outros, tanto que, de longe, parecem uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.

A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.

A quinta verdade é que o bambu é cheio de nós` ( e não de eu`s). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a DEUS que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.

A sexta verdade é que o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preencha, que roube nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.

Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o titulo do livro: ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto. Essa é a sua meta.



Créditos: Retirado do livro

(Padre Léo)

Buscai as coisas do alto”

As sete verdades do bambu ppt

Padre Leo Conta a estória do Papagaio Marrom.


bambu Homenagem a Padre Leo em PPS.

A Samambaia e o Baubú – PPS

Homenagem

a Padre Léo



http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg

O ciclo do Amor.


Um Reflexo De Amor

Toda ação tem uma reação.

Todo círculo se fecha no início.

Uma boa Mensagem para sua meditação.


Um Reflexo de Amor

SIMPLES – 829 K PPS

Um Reflexo de Amor

FULL – 11.092 K PPT




Ele quase não viu a senhora com o carro parado no acostamento. Mas percebeu que ela precisava de ajuda. Assim, parou seu carro e se aproximou. O carro dela cheirava a tinta de tão novinho…

Mesmo com o sorriso que ele estampava na face, ela ficou preocupada. Ninguém tinha parado para ajudar durante a última hora. Ele iria “aprontar alguma”? Parecia inseguro, pobre e faminto…

Ele pôde ver que ela estava com muito medo e disse:

– Estou aqui para ajudar madame. Por que não espera no carro onde está quentinho? A propósito, meu nome é Bryan.

Era só um pneu furado o problema do carro, mas para uma senhora, era ruim o bastante. Bryan abaixou-se, colocou o “macaco” e levantou o carro. Logo trocou o pneu, mas ficou um tanto quanto sujo e, ainda, feriu uma das mãos.

Enquanto ele apertava as porcas da roda, ela abriu a janela e começou a conversar com ele. Contou que era de St. Louis, que estava de passagem por ali e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda. Bryan apenas sorriu, enquanto se levantava.

Ela perguntou quanto lhe devia. Qualquer quantia teria sido muito pouco para ela. Já tinha imaginado as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Bryan não a tivesse ajudado.

Bryan não pensava em dinheiro. Aquilo não era um trabalho para ele. Gostava de ajudar quando alguém tinha necessidade e Deus já lhe ajudara bastante. Este era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outra forma.

Ele respondeu: – Se realmente quiser me reembolsar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda que precisar. E acrescentou: – E pense em mim.

Ele esperou até que ela saísse com o carro e também se foi. Tinha sido um dia frio, mas ele se sentia bem, indo pra casa, desaparecendo no crepúsculo.

Algumas milhas abaixo, a senhora encontrou um pequeno restaurante. Ela entrou para comer alguma coisa. Era um restaurante bem simples.

A cena inteira era estranha para ela. A garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha para que pudesse esfregar e secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso, um sorriso que seus pés, doendo por um dia inteiro de trabalho, não puderam apagar.

A senhora notou que a garçonete, mesmo estando com quase oito meses de gravidez, não deixou a tensão e as dores mudarem sua atitude. Ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco, podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Bryan.

Terminada a refeição, enquanto a garçonete buscava troco para a nota de cem dólares, a senhora se retirou. Já tinha partido quando a garçonete voltou. A garçonete queria saber onde aquela senhora poderia ter ido. Porém, notou algo escrito no guardanapo “Fique com o troco”, sob o qual mais quatro notas de $100 dólares haviam sido deixadas.

Brotaram lágrimas nos seus olhos quando leu o que a senhora escreveu:

“Você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou uma vez e, da mesma forma, estou lhe ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar, não deixe este ciclo de amor terminar em você”.

Bem, haviam mesas para limpar, açucareiros para encher e pessoas para servir. Naquela noite, quando voltou para casa e deitou-se na cama, a garçonete ficou pensando no dinheiro e no que a senhora lhe escreveu. Como pôde saber o quanto ela e o marido precisavam dele? Com o bebê para nascer no próximo mês, tudo estava difícil… ela virou-se para o preocupado marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo e sussurrou:

– Tudo ficará bem… Eu te amo… Bryan.



Um Reflexo de Amor


Semeando a cultura de Pentecostes



Ripple – a onda do amor

Uma história semelhante numa campanha veiculada na Indonésia.



Um dinheiro extra, sempre é bem vindo !


O que Você seria capaz de fazer por alguns trocados?

E Por alguns Milhões ?

E para salvar a própria pele?


Quem_quer_um_dinheiro_extra


Um milionário convida todos os seus empregados e fornecedores para uma grande festa em uma de suas mansões e, em determinado momento, querendo fazer uma brincadeira com todos, pede que a música pare e diz; olhando para um tanque onde cria crocodilos, australianos:

– Quem pular neste tanque, e conseguir atravessá-lo saindo vivo do outro lado ganhará todos os meus carros.


Alguém se habilita?


faunereptiles-caimans-pantanal-matogrossodosul-bresil3130[1]


Jacarés no tanque


Os convidados ficam espantados, analisam proposta, realmente era muito boa, Mas… muito arriscada e permaneceram todos em silêncio.

O milionário insistia na proposta:

– Quem pular no Tanque, conseguir atravessá-lo e sair vivo do outro lado ganhará meus carros e meus aviões.

Alguém se habilita?
O silêncio ainda imperava na multidão…

E mais uma vez, ele oferece:

– Quem pular no Tanque, conseguir atravessá-lo e sair vivo do outro lado ganhará meus carros, meus aviões e minhas mansões.

Admirados, inquietos, atônitos, apreensivos, porém inertes, ninguém se arriscou nem se moveu, mal respiravam na ânsia de assistirem uma tragédia eminente!

– Ele fala então pela ultima vez, Esta é minha ultima oferta:

Quem pular no Tanque, conseguir atravessá-lo e sair vivo do outro lado ganhará meus carros, meus aviões, minhas mansões e ainda dou 1 milhão de dólares…

Antes que ele terminasse a frase, ouve-se um barulho.


TIGUUUMMMM !!!


Nadando_lago


Neste momento, alguém havia pulado no Tanque e se debatia.     A cena é impressionante. Luta intensa, o destemido se defende como pode, segura a boca dos crocodilos com pés e mãos, torce o rabo dos répteis. Nossa!!! Muita violência e emoção. Parecia filme do Crocodilo Dundee !

Após alguns minutos de terror e pânico, sai do outro lado o corajoso homem, cheio de arranhões, hematomas e quase despido.

O Milionário achou que ninguém fosse capaz de executar tal proeza, mas como prometera, e não faria falta na sua imensa fortuna. Foi parabenizar o grande Herói, e entregar o seu tão merecido prêmio.

– Então pergunta-lhe:

Onde quer que lhe entregue os carros?
– Obrigado, mas não quero seus carros.
– Surpreso, o milionário pergunta:
– E os aviões, onde quer que lhe entregue?
– Obrigado, mas não quero seus aviões.
– Estranhando a reação do homem, o milionário pergunta mais uma vez:

– E as mansões?
– Eu já tenho uma bela casa, não preciso das suas.  Pode ficar com elas.

– E o Dinheiro ?

Ainda ofegante, sem entender bem o que estava acontecendo… Respondeu, Já disse, Não quero nada que é seu.

Impressionado, o milionário pergunta:

– Mas se você não quer o que eu ofereci.

– O que você quer então?

E o homem respondeu já irritado com aquela conversa:

 – Achar o FILHO DA MÃE . . .

 Que me empurrou neste Tanque cheio de crocodilos !!!

Eu estava voltando do banheiro, vinha chegando distraidamente, quando alguém me empurrou neste Tanque cheio de jacarés !!!

Conclusão:

Somos capazes de realizar muitas coisas por nós mesmos, que sequer julgamos ser capazes.

Às vezes, só precisamos de “UM FILHO DA MÃE” que nos dê um empurrãozinho…

Autor desconhecido


Veja Também:

A História do enorme Buda de ouro.

O segredo que habita em cada um de nós.

Parábolas e Reflexões


Uma avaliação precipitada.

Esta Estória pode parecer absurda e totalmente impossível, todos sabemos que realizar as proezas de Crocodilo Dundee e vencer crocodilos gigantescos como o Tarzan fazia, somente com montagens de cinema mesmo, se bem que muitos aventureiros realizam diversos truques com estes bichinhos imprevisíveis.    Na verdade creio eu, que todos nós ficaríamos no silêncio e jamais aceitaríamos a oferta de qualquer milionário que nos oferecesse todo seu dinheiro para enfrentarmos este tanque infestado de répteis famintos.
Por outro lado a estória relata o possível fato, em se tratando de salvar a própria pele, sem segundas intenções é claro, todo ser humano se transforma num “Hulk”, ser extraordinário, que encontra forças e habilidades não se sabe de onde, sem perceber o que esteja acontecendo, luta no piloto automático até conseguir se livrar do perigo real e imediato.      Não são poucos os testemunhos de pessoas que se livraram de uma situação de perigo intenso sem nem saber como isto teria acontecido, é justamente baseado nestes testemunhos que criaram a estoria do “Incrível Hulk”, baseando-se no fato de que o ser humano possui vários dispositivos de segurança que entram em atividade quase automaticamente quando o gatilho da adrenalina é acionado, revelando um homem poderoso e capaz de realizar algo que jamais conseguiríamos realizar em nossa consciência normal.
Isto justificaria a situação descrita na estória dos crocodilos acima, o homem empurrado no tanque, distraído ele estava, mas seu dispositivo de alerta estava ligado e bastou molhar a pele no tanque onde estavam os crocodilos para que o seu super-homem se libertasse e o salvasse do perigo.

Uma avaliação precipitada.

Neste caso todos os convidados não contavam com este super-homem que poderia ser libertado dentro de si, que neste caso, poderia lhes render um bom dinheiro, na verdade é realmente isto que acontece, não podemos contar com esta força extra quando assumirmos este perigo conscientemente, que na verdade só funciona quando somos surpreendidos por algo inesperado.

Uma avaliação correta.

Em nosso cotidiano enfrentamos diversas dificuldades e problemas, situações que muitas vezes parecem sem saída.

Enfermidades, dívidas, difamações, decepções amorosas que transformam nosso paraíso em uma selva cheia de animais ferozes querendo nos devorar, neste momento temos a certeza de que não somos o Tarzan e nem o Super-homem e que estes super-heróis só existem na cabeça dos escritores de revista em quadrinhos e roteiristas de cinema, neste momento nos sentimos afundando num pântano sem ter pelo menos uma raiz para nos agarrarmos, somente um milagre poderia nos socorrer naquele instante.

Esta seria uma avaliação correta da situação, o que muita vezes não é correto é pensarmos que milagres nunca acontecem em nossas vidas, sim, eles ocorrem de fato com outras pessoas de vez em quando, mas na minha vida ? seria possível ?  Como ?

Nunca encontraremos respostas para um milagre Real, se fosse possível explicá-lo ou justificá-lo, não seria um Milagre de verdade, pois Deus age em nossas vidas diariamente e a nossa própria vida é o primeiro milagre que homem nenhum consegue explicar, logo podemos dizer que, pelo menos este milagre já aconteceu na vida de cada um de nós.

Vendo as coisas por este ângulo, sabemos que a qualquer momento Deus estará sempre pronto para agir em socorro de seus filhos amados e não existe nenhum problema ou aflição, capaz de superar o grande amor de Deus por nós, sendo assim podemos contar com seu auxílio sempre que o buscarmos através de nossas orações.


31. Que diremos depois disso? Se Deus é por nós, quem será contra nós?
32. Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas que por todos nós o entregou, como não nos dará também com ele todas as coisas?
33. Quem poderia acusar os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.
34. Quem os condenará? Cristo Jesus, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à mão direita de Deus, é quem intercede por nós!
35. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada?
36. Realmente, está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia inteiro; somos tratados como gado destinado ao matadouro (Sl 43,23).
37. Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou.
38. Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades,
39. nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor.