Restaura a nossa casa, Senhor .


Restaura_nossa_casa_Senhor



Salette Ferreira

Foto: /Cancaonova.com

Para que nossa casa seja restaurada é preciso deixar Deus habitar nela. Mas o Senhor não pode simplesmente estar na nossa casa, é preciso que O deixemos edificá-la e participar da nossa família.

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” (Salmo, 127).

Se Deus não for nosso alicerce, um dia nossa casa cairá. Para que isso não aconteça, é preciso chamar o Senhor para participar e estar à frente de todas as coisas.

A nossa casa e nossos filhos, em primeiro lugar, precisam de Deus.

Devemos ter coragem de desligar a TV, o computador, o vídeo-game e conviver com nossa família em um jantar para conversar, rir e dar atenção para aqueles que moram conosco. Precisamos, de fato, fazer a nossa parte e convidar Jesus para nos guiar.

Para que possamos viver em harmonia, na nossa casa, é preciso que, primeiramente, pai e mãe busquem o Senhor, sejam exemplos para os filhos. Deixemos Jesus Cristo ser o centro do nosso coração!

Sem Deus não conseguimos unir e restaurar a nossa família. Somente a terapia não adianta; é necessário ter o desejo de buscar o Senhor. Temos de dar a Ele o Seu lugar, a fim de que seja o primeiro em tudo.

“Bem-aventurado aquele que teme o Senhor e anda nos seus caminhos” (Salmo 128).

Uma família que vive nos mandamentos de Deus é feliz e satisfeita.

Muitas pessoas começam uma família preocupadas com festas, mas não pensam em confissão. Antes de qualquer coisa, precisamos nos reconciliar com nossa história para que possamos romper todo o negativismo do passado e possamos começar bem. Então, é preciso que Deus participe da nossa vida desde do início do namoro, do noivado e do matrimônio, pois o que nos mantêm firmes é Seu profundo amor.

Se o casamento não está bem, é possível a restauração. Para isso é preciso vivermos os mandamentos de Deus e seguirmos os Seus caminhos, pois enfrentamos muitas tribulações.



“Deixemos Jesus Cristo ser o centro do nosso coração!”, afirma Salette Ferreira.
Foto: /Cancaonova.com


Deixemos Deus habitar nossa casa, pois, quando passamos pela dor, Ele está sempre ao nosso lado, ajudando-nos a superá-la. Contudo, em meio à tribulação, é preciso acreditar sempre que o Senhor está ao nosso lado, porque sem Ele não temos força. A superação vem d’Ele. Deixemos o Senhor participar da nossa casa!

Não podemos perder a esperança diante dos problemas; consultemos a Bíblia e convidemos Deus para estar ao nosso lado. Não podemos deixar que nossos filhos cresçam sem perceber que Deus participa do nosso lar.  Temos de levar para nossa casa os valores do Céu.

A primeira herança que devemos deixar para os nossos é o Senhor, mostrando a importância d’Ele na nossa vida.

Você já parou para refletir quais são os valores que tem deixado entrar na sua casa e na vida dos seus? Os valores e as coisas que temos deixado entrar na nossa vida precisam remeter para Aquele que está na nossa casa: Deus!

Se o Senhor não nos ajudar a construir nosso lar, é inútil o cansaço dos pedreiros. Afinal, temos de deixar Deus participar da nossa vida.

Se não paramos para rezar e ler a Palavra do Senhor, corremos o risco de nos perdemos e sufocarmos. Ao lado d’Ele nosso olhar muda e começamos a ter a visão dos problemas com os olhos de Jesus.

Transcrição e adaptação: Thaís Rufino de Azevedo

Fonte: http://www.cancaonova.com/portal/canais/eventos/novoeventos/cobertura.php?cod=2791&pre=7795&tit=Restaura%20a%20nossa%20casa,%20Senhor




Salette Ferreira

Restaura Nossa Casa Senhor


Salette Ferreira

Composição: Salette Ferreira

(canção Nova/davi)

Restaura a nossa casa, Senhor (4x)
Sua benção derrama aqui
Nossa casa vem reconstruir (2x)
com sinais e prodígios
Sobre nós, derrama o seu Espírito (2x)

Restaura a sua Igreja, Senhor…
Restaura a minha vida, Senhor…


Tom: F
   Bb             C       Dm
Restaura a nossa casa senhor (4x)

     F       C/E     Dm
Sua benção derrama aqui
       Bb      C        Dm
Nossa casa vem reconstruir (2x)

       Gm          Dm
Com sinais e prodígios
       Gm     Bb      C       Dm
Sobre nós, derrama o seu Espírito (2x)

Restaura a sua Igreja, Senhor…

Restaura a minha vida, Senhor...

Veja Também:

Temas da Canção nova
Família - Caná -  Vinho muito vinho

São Francisco de Assis.


SÃO FRANCISCO



Em 04 de Outubro

se Comemora o

Dia de São Francisco de Assis,

Patrono dos Franciscanos.



A Vida de São Francisco de Assis


São Francisco nasceu em 1182 em Assis na Itália, foi batizado com o nome de Giovanni di Pietri, mas seu nome foi mudado pouco tempo depois para Francisco, pois seu pai Petri di Bernardone era comerciante e viajava muito a França, mudou o nome do filho em homenagem ao local que fazia bons negócios.

Em 1198 acontece um conflito em Assis, entre a nobreza e os comerciantes. Os nobres se refugiam em Perusa uma pequena cidade próxima de Assis, onde São Francisco ficou preso por um ano até o ano de 1204. Em Perusa também estava a família de Clara.

Ao voltar para Assis, São Francisco doente começa sua conversão gradual, se dedica a dar esmolas e oferece até suas roupas aos pobres, tem visões e começa a desprezar o dinheiro e as coisas mundanas. Até que ele se encontra com um leproso, lhe dá esmola e um beijo, e este acontecimento marcou tanto a vida dele que, dos muitos fatos ocorridos em sua vida, este foi o primeiro que entrou em seu Testamento, “pois o que antes era amargo se converteu em doçura da alma e do corpo”.

Outros encontros afirmaram ainda mais a vocação de São Francisco, nas ruínas da da igraja São Damião recebeu do crucificado o mandato de restaurar a Igreja. Obediente ao mandato, São Francisco pôs-se logo a trabalhar. Reconstruiu três pequenas igrejas abandonadas: a de São Damião, a de Santa Maria dos Anjos e a de São Pedro.

Seu pai, envergonhado do novo gênero de vida adotado por Francisco, queixou-se ao bispo de Assis da prodigalidade do filho e, diante do prelado, pediu a Francisco que lhe devolvesse o dinheiro gasto com os pobres. A resposta foi a renúncia à vultosa herança: despindo, ali, suas vestes, Francisco exclamou:

“… doravante não direi mais pai Bernardone, mas Pai nosso que estás no céu…”

A partir desse momento passa a viver na pobreza, e inicia a ordem franciscana, cresce o número de companheiros, 1209 já são 12. Cria uma regra muito breve e singela, que o papa Inocêncio III aprova em 1210, e cujas diretrizes principais eram pobreza e humildade, surge assim a Fraternidade dos Irmãos Menores, a Primeira Ordem.

No Domingo de Ramos de 1212, uma nobre senhora, chamada Clara de Favarone, foi procurar Francisco para abraçar a vida de pobreza. Alguns dias depois, Inês, sua irmã, segue-lhe o caminho. Surge a Fraternidade das Pobres Damas, a Segunda Ordem. Aqueles que eram casados ou tinham suas ocupações no mundo e não podiam ser frades ou irmãs religiosas, mas queriam seguir os ideais de Francisco, não ficaram na mão: por volta de 1220, Francisco deu início à Ordem Terceira Secular para homens e mulheres, casados ou não, que continuavam em suas atividades na sociedade, vivendo o Evangelho.

A Ordem Francisca cresceu com o passar dos anos. Em 1219 houve uma grande expansão para a Alemanha, Hungria, Espanha, Marrocos e França. Neste mesmo ano São Francisco vai em missão para o Oriente. Durante sua ausência, vigários modificam algumas regras da Ordem e no mesmo ano de 1219 São Francisco se demite da direção da Ordem.

Com o crescimento da Ordem, quase 5.000 frades em 1221, uma nova regra foi escrita por São Francisco em 29 de novembro de 1223 que foi aprovada pelo papa Honório. é a que vigora até hoje.

Em 1224 no dia 17 de setembro São Francisco recebeu as chagas de Jesus crucificado em seu próprio corpo, este fato ocorreu no Monte Alverne, um dos eremitérios dos frades.

Os últimos escritos de São Francisco são entre 1225 e 1226, dentre eles o Cântico das Criaturas e o Testamento. Nestes mesmos dois anos, Francisco vai a vários lugares da Itália para tratar de suas vistas. Passa por diversas cirurgias. Morre aos 03 de outubro de 1226, num sábado.

Morreu nu aquele que começou a vida de conversão nu na praça de Assis diante do bispo, do pai e amigos. Morreu ouvindo o Evangelho de João, onde se narra a Páscoa do Senhor, aquele que recebeu os primeiros companheiros após ouvir o Evangelho do envio dos apóstolos. Foi sepultado no dia 04 de outubro de 1226, Domingo, na Igreja de São Jorge, na cidade de Assis.

São Francisco de Assis foi canonizado em 1228 por Gregório IX e seu dia é comemorado em 04 de outubro.

Em 25 de maio de 1230 os ossos de São Francisco foram levados da Igreja de São Jorge para a nova Basílica construída para ele, a Basílica de São Francisco, hoje aos cuidados dos Frades Menores Conventuais.

Fonte

http://www.cot.org.br/igreja

Muito mais sobre Francisco de Assis


Luciana Teruz

http://www.teruz.com/lucianap.html



FRANCISCO E O LOBO

São Francisco

Francisco e o Lobo de Gubbio. PPT


CONHEÇA ASSIS

OUTRA VERSÃO DA MESMA HISTÓRIA


São Francisco de Assis nasceu na cidade de Assis, Úmbria, Itália, no ano de 1182; de pai comerciante, o jovem rebento de Bernardone, gostava das alegres companhias e gastava com certa prodigalidade o dinheiro do pai. Sonhou com as glórias militares, procurando desta maneira alcançar o “status” que a sua condição exigia, e aos vinte anos, alistou-se como cavaleiro no exército de Gualtieri de Brienne, que combatia pelo papa; mas em Espoleto teve um sonho revelador no qual era convidado a seguir de preferência o Patrão do que o servo e, em 1206 , aos 24 anos de idade para espanto de todos, Francisco de Assis abandonou tudo: riquezas, ambições, orgulho, e até da roupa que usava, para desposar a Senhora Pobreza e repropor ao mundo, em perfeita alegria, o ideal evangélico de humildade, pobreza e castidade, andando errante e maltrapilho, numa verdadeira afronta e protesto contra sua sociedade burguesa.


São Francisco

SÃO FRANCISCO


Já inteiramente mudado de coração, e a ponto de mudar de vida, passou um dia pela igreja de São Damião, abandonada e quase em ruínas. Levado pelo Espírito, entrou para rezar e ajoelhou-se devotamente diante do crucifixo. Tocado por uma sensação insólita, sentiu-se todo transformado. Pouco depois, coisa inaudita, a imagem do Crucificado mexeu os lábios e falou com ele. Chamando-o pelo nome, disse: “Francisco, vai e repara a minha casa que, como vês, está em ruinas”.

Com a renúncia definitiva aos bens paternos, aos 25 anos, Francisco deu início à sua vida religiosa. Com alguns amigos deu início ao que seria a Ordem dos Frades Menores ou Franciscanos, cuja ordem foi aprovada pelo Papa Inocêncio III. Santa Clara, sua dilecta amiga, fundou a Ordem das Damas Pobres ou Clarissas. Em 1221, sob a inspiração de seu estilo de vida nasceu a Ordem Terceira para os leigos consagrados. Neste capítulo da vida do santo é caracterizado por intensa pregação e incessantes viagens missionárias, para levar aos homens, frequentemente armados uns contra os outros, a mensagem evangélica de Paz e Bem. Em 1220, voltou a Assis após ter-se aventurado a viagem à Terra Santa, à Síria e ao Egipto, redigindo a segunda Regra, aprovada pelo Papa Honório III. Já debilitado fisicamente pelas duras penitências, entrou na última etapa de sua vida, que assinalou a sua perfeita configuração a




MILAGRE DE LANCIANO

IRMÃO SOL, IRMÃ LUA




A GLOBO TAMBÉM CONTOU A HISTÓRIA DE FRANCISCO.