Nossa Senhora Mãe de Jesus e nossa Mãe.


Muitos são os Títulos que identificam a Virgem que foi a escolhida de Deus para ser a Mãe de seu filho Jesus e como verdadeira Mãe do céu e da terra, também é a nossa grande protetora e intercessora junto de Jesus.


(Dinâmica Opcional 1) *


Eis ai a tua Mãe, Eis aí o teu Filho.


Maria é mãe e modelo da Igreja, que acolhe na fé a Palavra divina e se oferece a Deus como ‘terra fecunda’ onde Ele pode continuar a cumprir o seu mistério de salvação

(Papa Bento XVI. Homilia de 1° de Janeiro de 2012. Solenidade da Santíssima Mãe de Deus).

Porta do Céu, Estrela da Manhã, Nova Eva, Virgem Puríssima, Rainha da Paz, Senhora de Pentecostes, Arca da Aliança… Muitos sãos os nomes com os quais podemos chamar a Mãe de Jesus. Por isso ela é, também, a Senhora dos mil nomes. Particularmente, gosto de repetir algo que ouvi certa vez e chamá-la de “a primeira carismática”, pois ela, mais que todos, experimentou plenamente o Espírito Santo em sua vida, que a cumulou de dons e a fez “Cheia de Graça” (Lc 1,28).

Maria é para nós o modelo do cristão. Recorda-nos aquilo para o que fomos feitos. O plano original de Deus para a humanidade. E, ao nos recordarmo-nos nela, ela intercede por nós a fim de que também possamos dizer o nosso “Sim” constante e diário à Vontade do Pai. A propósito, escutamos com muita frequência sobre o Fiat de Maria pronunciado quando da anunciação do anjo e que lemos no Magnificat. Como disse, certa vez, o pregador da Casa Pontifícia, Pe. Raniero Cantalamessa: “Na verdade, Maria nunca disse ‘Fiat’, porque não falava latim, nem sequer grego. O que com toda probabilidade saiu de seus lábios é uma palavra que todos conhecemos e repetimos frequentemente. Disse ‘Amém!’. Esta era a palavra com a qual um hebreu expressava seu consentimento a Deus, a plena adesão a seu plano”¹.

Maria é o Amém do Pai, o puro e incondicional “Sim” à Sua Santa Vontade. E é nesta escola mariana que precisamos aprender como fazer da nossa vida um sim cotidiano. Desde que Jesus deu Maria por mãe a João: “Mulher, eis aí teu filho” (Jo 19,26), fazendo dela a Mãe da Igreja, esta, por sua vez, vem aprendendo e ensinando tal realidade a todos os fiéis, pois deste dia em diante, Nossa Senhora passaria não apenas a olhar por João, mas a partir deste Apóstolo, ela deveria proteger e ensinar a todos os discípulos de Jesus, dentre os quais estamos você e eu.

Não há porque ter restrições a Maria. Uma vez que Deus a constituiu a mãe de Nosso Senhor, é impossível separá-la de Jesus. A vida de Maria só pode ser entendida a partir da vida de Jesus. Do mesmo modo, não se pode separar Maria do Espírito Santo, pois sua vida foi toda repleta e preenchida por Ele. Por tamanha união, ela é a esposa do Espírito Santo. A própria existência do Filho implica uma união da esposa e do esposo para gerá-Lo. Esta união é Maria e o Espírito Santo. União que não há como separar mais um do outro, pois é eterna. O que o Espírito operou em Maria, assim o faz com a Igreja, da qual Nossa Senhora é “espelho”.

Se quisermos ser cheios do Espírito Santo, devemos aprender na escola de Maria. A escola de Pentecostes onde ela é a Mestra e, ademais, juntos com os primeiros discípulos aprendemos a chamá-la de Mãe e Mestra. Se quisermos chegar ao Pai e experimentar o seu amor, devemos nos achegar à Maria. Ela, sobre quem o Pai manifestou o seu amor à humanidade fazendo sair de um ser humano o seu Divino Filho. Finalmente, se quisermos ir a Jesus, precisamos passar por Maria. Assim como ninguém vai ao Pai senão pelo Filho, o meio mais rápido e eficaz de chegar ao Filho é pela Mãe. Isto é uma realidade inegociável: precisamos passar por Maria! Por isso ela é a Porta do Céu. E para irmos ao céu, podemos atravessar pela porta que é a Mãe.

Por ela passam todas as graças do Filho, por ela passaremos todos também quando findar nossa vida. Vemos em tudo isso o poder de sua intercessão e por esta razão intensificamos nossas orações ao pedir para ela rogar por nós: agora e na hora de nossa morte. Amém.

___

Nota:

1 – Pe. Raniero Cantalamessa. Conferência Nacional de Teologia – Pastoral “O Espírito Santo, o Senhor e doador da vida”. 11 de fevereiro de 1998. Acesso emhttp://www.cantalamessa.org/?p=1953.


Maria_mae_do_meu_Senhor Nossa_Senhora_Muitos_titulos

Nossa Senhora Aparecida

Padroeira do Brasil e

Da América Latina.


Poema a Nossa Senhora Aparecida

Uma Linda Homenagem.


Eu_amo_minha_mae_2





Guiados Pelo Espírito Santo.

Todos os que são guiados

pelo Espírito de Deus

São filhos de Deus

..

Espírito Santo fala

através da consciência,

explica pregador do Papa

Seu Coração é o Templo onde Deus Habita.

Seu Coração é o Templo onde Deus Habita.

3ª pregação de Quaresma do Pe. Cantalamessa.

Por Gisele Plantec

O Espírito Santo fala a cada pessoa através de sua consciência, indicando-lhe o que está bem e o que está mal, e a ajuda a tomar as decisões que correspondem à vontade de Deus, explica o pregador do Papa.

O Pe. Raniero Cantalamessa, ofmcap., pregador da Casa Pontifícia, dedicou ao tema «Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus» a 3ª meditação da Quaresma que dirigiu em presença de Bento XVI e de seus colaboradores da Cúria Romana na capela «Redemptoris Mater» do Vaticano.

Antes de tudo, explicou que ao ler as Escrituras podemos descobrir como o Espírito Santo guia os crentes de duas maneiras: por uma parte, através de sua consciência; por outra, através do Magistério da Igreja.

O pregador da Casa Pontifícia sublinhou que o Espírito Santo não é só quem guia «para a verdade completa», segundo as palavras de João evangelista, mas também é o «mestre interior», como o define São Paulo, pois «não se limita a indicar o que se deve fazer, e sim também dá a capacidade de fazer o que manda».

O Pe. Cantalamessa explicou que o âmbito no qual o Espírito Santo exerce sua função de guia é a consciência.

«Através deste ‘órgão’, a guia do Espírito Santo se estende também fora da Igreja, a todos os homens», precisou o pregador.

«Neste âmbito íntimo e pessoal da consciência, o Espírito Santo nos instrui com as ‘boas inspirações’ ou as ‘iluminações interiores’ – sublinhou. São impulsos a seguir o bem e a rejeitar o mal, atrações e propensões do coração que não se explicam naturalmente, porque com frequência vão em direção contrária ao que a natureza queria.»

Mas o Espírito Santo guia também os crentes através do Magistério da Igreja, continuou explicando o pregador da Casa Pontifícia.

«É igualmente fatal pretender prescindir de uma ou de outra das duas guias do Espírito. Quando se descuida do testemunho interior, cai-se facilmente no legalismo e no autoritarismo; quando se descuida do exterior, apostólico, cai-se no subjetivismo e no fanatismo.»

«Quando tudo se reduz à escuta pessoal, privada, do Espírito, abre-se o caminho a um processo irrefreável de divisões e subdivisões, porque cada um crê que tem razão», disse.

«Mas devemos reconhecer que existe também o risco oposto: o de absolutizar o testemunho externo e público do Espírito, ignorando o individual que se exerce através da consciência iluminada pela graça.»

«O ideal é uma sã harmonia entre a escuta do que o Espírito me diz, singularmente, e o que diz à Igreja em seu conjunto e, através da Igreja, a cada um», disse o Pe. Cantalamessa.

O pregador concluiu explicando como o Espírito Santo ajuda concretamente o crente a realizar o discernimento necessário na vida espiritual.

Citou a doutrina sobre o discernimento de Santo Inácio de Loyola, que quer ajudar o crente a «ver o que Deus quer em uma circunstância precisa», insistindo no fato de que a condição mais favorável para um bom discernimento é uma «disposição de fundo» a fazer a vontade de Deus.

«Como bons atores», exortou o pregador, devemos «ter o ouvido atento à voz do ‘auxiliar de palco’ escondido, para recitar fielmente nossa parte no cenário da vida. É mais fácil do que se pensa, porque nosso ‘auxiliar de palco’ nos fala dentro, ensina-nos todas as coisas e nos instrui em tudo. Basta às vezes um simples olhar interior, um movimento do coração, uma oração».

.

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 27 de março de 2009 (ZENIT.org).

ZP09032710 – 27-03-2009
Permalink: http://www.zenit.org/article-21210?l=portuguese

.



http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg?w=130&h=120

https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg?w=130&h=120
https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/presente-verm.jpg?w=130&h=120

.