Conacat, II Congresso Digital Católico,


SEMPRE FAMÍLIA



O Sínodo dos Bispos no Vaticano inspira o II Congresso Católico Digital no Brasil que vai falar sobre os mais importantes temas relacionados com os problemas da Família no mundo de hoje.




DIVULGAÇÃO:


São Luís (RV) – A partir de uma visão católica, dar respostas práticas a problemas comuns da vida em família. Esse é o objetivo do 2° Congresso Nacional Católico Digital (Conacat) que, este ano, aborda o tema “Sempre Família”, inspirado pelo Sínodo das Famílias convocado pelo Papa Francisco.

O evento digital, organizado pelo jornalista católico maranhense, Wagner Moura, acontecerá de 9 a 13 de novembro e reúne em sua segunda edição mais de 25 voluntários, leigos de vários estados brasileiros e do exterior, além de contar com a participação do padre dehoniano, João Carlos Almeida (padre Joãozinho), do provincial da Ordem Mercedária no Brasil, frei Rogério Soares, e da missionária e cantora da Comunidade Católica Shalom, Suely Façanha.

Evangelizar por meio da internet

“Os Pontifícios Conselhos para a Cultura e para as Comunicações há bastante tempo orientam a evangelização do continente digital – forma como conceituam o ambiente da internet. O tema, particularmente, atraiu-me ainda mais após a formação que tive ao representar os países de língua portuguesa no Vatican Blog Meeting, encontro internacional promovido por esses pontifícios conselhos, no Vaticano, em 2011”, afirma o organizador do Conacat, Wagner Moura.

Para participar do Conacat os interessados precisam fazer, gratuitamente, uma inscrição simbólica no site Católico em Rede, apenas inserindo seu e-mail de contato. É pelo e-mail que os participantes serão avisados sobre a programação completa que, este ano, contará ainda com a participação de jovens autores de romances católicos como Elisa Hulshof, André Krupp e Tássila Maia.

Plataforma digital

Para a professora Ivanne Vilarins, benfeitora da ordem franciscana da diocese de Bacabal (MA), o Conacat é oportunidade de formação especial para quem mora no interior do Brasil. “É a segunda vez que me inscrevo no evento e acredito que o sucesso dele está nesta plataforma digital que simula um ensino a distância. Para quem não tem tempo e precisa de formação na área de questões de família, com certeza é uma boa oportunidade”, diz a professora.

Dentre os 35 temas que serão trabalhados pelos voluntários do Conacat, sempre por meio da exibição de vídeos formativos pela internet, destacam-se: “Recém-casados: práticas para começar bem o casamento”, “Papa Francisco e a família como ambiente da aliança”, “Dependência química e família cristã: causas, efeitos e soluções”, “Teologia do corpo: eduque seus filhos com o método de São João Paulo II”, “A cura da grande dor: sobreviver à perda de pais e filhos”, “A prática da tolerância: como superar conflitos em família”, “7 lições de São José para proteger a sua família”. (Divulgação/RB)

Fonte: br.radiovaticana.va


.


Familia_tesouro
Semana_da_Familia A_ameaça_do_genero

Jesus_disfarçado

Jesus mora

disfarçado dentro de sua casa (teatro) 


In Memorian – Orlando Fedeli.


O site Montfort divulgou neste último dia 9/6/2010 uma nota de falecimento de seu Fundador e diretor, O Professor Orlando Fedeli.

Ele foi vítima de um infarto e não foram divulgados maiores detalhes sobre o acontecimento, seu sepultamento ocorreu ontem à tarde às 16:00 Hs logo após uma Missa celebrada com corpo presente na Igreja Nossa Senhora das Dores.

Endereço: Rua Tabor, 283 – Ipiranga.

Cemitério Vila Mariana

Endereço: São Paulo/SP, Rua Lacerda Franco, 2012.

Mapaaqui.

.

Neste momento de dor, que possamos nos unir em oração, para que Deus derrame suas graças e console os corações, que possa acolher também este filho que tanto lutou pela Fé Católica.

.

Usando as palavras de São Paulo:

(II Timóteo 4,7)

“Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.”


Adeus Aparecida!

Zezinho_45

Uma nova canção de Pe. Zezinho sobre MARIA

ADEUS APARECIDA

Faz parte de um novo CD lando por

Padre Zezinho pela Paulinas

Se quiser adquirir poderá visitar

o site das Paulinas – COMEP:

http://www.paulinas.org.br/home/home.aspx

Uma palhinha no Youtube experimente:


Zezinho_45



Debate sobre a RCC.

Texto do Blog de Padre Joãozinho.

Padre Joãozinho

Debate sobre a RCC:

A resposta de um aluno

Posto aqui a resposta do aluno  Lúcio Marcos Cesquin Ferreira sobre as críticas que a RCC ouve. Esta resposta foi postada no ambiente Moodle, interno da Faculdade Dehoniana. Como o debate foi público, via Twitter, posto ao menos uma resposta aqui:

Foi-nos dada, afortunadamente, a possibilidade de expressar nossa opinião particular a respeito da RCC. Lendo as 50 críticas do texto fornecido, e, mais que isso, tendo pertencido a ela antes de ingressar no Seminário (razão pela qual suponho ter experiência para discursar sobre, e não permanecer apenas no argumento especulativo), teço minhas seguintes considerações: é um movimento que deve ser tratado com caridade e coerência, já que, dele, fazem parte milhões de fieis no mundo inteiro. Não podemos ser reducionistas e só enxergar o que nos convém, simplesmente por “não irmos com a cara” do referido.

Há coisas boas. Trouxe a muitos católicos elementos de perseverança e conforto. É como uma parte de um corpo, que forma o todo. Esse todo, poderíamos dizer que é a Igreja, da qual pode participar qualquer ser humano, sem distinção de nacionalidade, cor e língua. Penso, ainda, que devemos acolher indistintamente, sem preconceitos ou exclusivismos. Todavia, e isso afirmo pelo que tenho visto no decorrer de anos de caminhada cristã, há abusos que não deveriam deixar de ser considerados em uma análise mais profunda. Se, por um lado, é nosso direito pertencermos a essa grande “família católica”, é preciso ter consciência de que tudo o que vá contra a Instituição, inclusive a terrível prática de excluir e condenar, sobretudo arbitrariamente (como ocorre, tantas vezes, contra a própria RCC), deva ser corrigido. Ora, se pertenço a uma Instituição, tenho a intenção de cooperar com Ela, e esse deve ser o intuito da RCC. O então Cardeal Ratzinger, na minha opinião, o maior teólogo dos séculos XX e XXI, afirma: “Certamente … trata-se de uma esperança, de um positivo sinal dos tempos, de um dom de Deus para a nossa época. É a redescoberta da alegria e da riqueza da oração contra a teoria e práxis sempre mais enrijecidas e ressecadas no tradicionalismo secularizado.

Eu mesmo constatei pessoalmente a sua eficácia: em Munique, algumas boas vocações ao sacerdócio vieram-me do movimento. Como em todas as realidades entregues ao homem, dizia eu, também esta é exposta a equívocos, a mal-entendidos e a exageros. O perigo, porém, seria ver apenas os riscos, e não o dom que nos é oferecido pelo Espírito. A necessária cautela não muda, portanto, o juízo positivo do conjunto.” (cf. em http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2007/07/26/palavras-do-papa-bento-xvi-sobre-a-sobre-a-renovacao carismatica-catolica, texto em itálico por mim).

Portanto, todo exagero que vá contra a Sagrada Escritura, a Tradição e o Magistério, deve ser caritativamente, penso, alertado e corrigido; mas, todos os benefícios que o Movimento traz à Igreja devem ser, igualmente, ressaltados e incentivados, buscando-se a Unidade e não a divisão, como parece que muitos querem e incentivam, propiciando um perigo condenável e, na minha opinião, repudiável de cisma, ao invés de trabalharmos em conjunto, respeitando-se uma opinião que, talvez, possa ser diversificada da nossa.

Fonte:

http://blog.cancaonova.com/padrejoaozinho/2009/11/10/debate-sobre-a-rcc-a-resposta-de-um-aluno/#comment-189113


.

Padre Léo estava totalmente curado, afirma Padre Joãozinho.



Um grande amigo, sempre deixa muitas saudades, principalmente quando este amigo se chamava Padre Léo.



padre_leo_071[1]


Escrito pelo Padre Joãozinho, SCJ,

em 10 de setembro de 2007

Faz alguns meses alguém me perguntou: “É verdade que Pe. Léo foi curado?” Eu lhe respondi que Deus nos cura a cada minuto… e fazendo as contas, desde aquele Retiro de Carnaval até hoje, o Pe. Léo já foi curado muitas vezes e, por meio dele, muitas pessoas foram curadas não só do corpo, mas também da alma e do coração.

Fui visitar meu irmão Léo no hospital e percebi que seu corpo dava sinais de fraqueza. Mas nunca tinha visto seus olhos tão fortes e vivos. Dizem que os olhos são os espelhos da alma. Neste caso, sua alma está mais curada que nunca. Lembrei-me também daquele episódio em que nossa querida Tia Laura, de Lorena (SP), que tinha um lindo dom de cura, foi abordada por uma jornalista que questionava o fato de sua própria filha ter morrido de câncer. Ela perguntava: “Deus não ouviu suas orações? Por que sua filha não foi curada?” Tia Laura respondeu com sabedoria simples, que confunde sábios e teólogos: “Como não? Ela não está mais doente. Recebeu a cura definitiva”. Somente uma grande fé pode entender os mistérios da morte que é a cura maior.

Pe. Léo entendeu isso como ninguém e, ultimamente, vivia apenas para proclamar que devemos buscar antes “as coisas do Alto”. Ele viveu grande parte de sua vida rezando para que as pessoas fossem libertas de todo tipo de mal e enfermidade. Agora, recebe a graça de seguir Jesus na dor. Ele viveu com o Mestre em Nazaré, à beira do Mar da Galiléia e diante das multidões. Viveu congregado em torno do Coração de Jesus. Viveu muito tempo em “Bethânia”, com seus irmãos “Lázaros, Martas e Marias”. Repartiu o pão da Eucaristia e o sacramento do perdão. Estava no “Getsêmani”. Sua palavra, testemunhada por Pe. Jonas, era a mesma do Mestre: “Afasta de mim este cálice, mas não se faça a minha vontade, mas a tua”. Junto dele há poucas pessoas, como no Getsêmani. É assim mesmo. Passou o momento da multidão. Mas não vamos esquecer: Jesus não nos curou no “sucesso” da Galiléia, mas nos salvou no “fracasso” da cruz. A dor faz sentido. Esta lição Pe. Léo nos ensina sem palavras nem livros. Sua silenciosa presença entre nós, neste momento, não precisa mais de sermões. Ele recebeu a graça de morrer do jeito certo. Recebeu o milagre da cura definitiva. Esta lição, ninguém jamais esquecerá.


http://rccanapolisgo.files.wordpress.com/2009/04/pe_joaozinho.jpg?w=450&h=150.


Texto-Testemunho, retirado do Blog do Padre Joãozinho, SCJ.


Semeando a cultura de Pentecostes


padre-leo-lk Leiam a Biblia Familias_restauradas

Padre Joãozinho Em Anápolis.

.

Padre Joãozinho estará

Na Diocese de Anápolis Goiás

Dia 26/04/2009 – Domingo

Para um encontro

Com empresários da Cidade

Falando sobre

As Virtudes do Líder

Local:

Teatro Municipal de Anápolis

DETALHES

Padre Joãozinho.Scj, Em Anápolis-Go.

< CLICK AQUI >

Na ocasião, estará lançando o seu novo CD.

CONHEÇA ESTE PADRE DE FALA TRANQUILA E COM UMA VASTA EXPERIENCIA DE FALAR DE DEUS!

Padre Joãozinho no 4º CONAGE por 6ª ExpoCatólica (agosto 2008 no ExpoCenter Norte.

Entrega, disponibilidade, obediência… Sacerdote para sempre!

“O povo será amigo do padre e da Igreja quando o padre se tornar amigo do povo.” Pe. João Leão Dehon

O cantor: João Carlos de Almeida, ou Pe. Joãozinho, nasceu em Brusque, SC. Começou a tocar violão aos 11 anos, demonstrando a inclinação desde muito cedo para a música, a literatura e vocação sacerdotal. Enquanto se aprofundava nos mistérios da fé, e da vocação sacerdotal e religiosa, deu continuidade aos estudos musicais, levando suas canções a missas e festas religiosas. Foi ordenado padre em 1992, e hoje dirige a Faculdade Dehoniana, no interior de São Paulo.

.

Lançamento do livro 'As Sete Virtudes do Lider Amoroso' de Padre Joãozinho,scj. por Canção Nova.

Inspirado no grande lema da vida do francês João Leão Dehon fundador da Congregação Sagrado Coração de Jesus, Padre Joãozinho, quinze anos de sacerdócio, lança o 11º CD por Paulinas-Comep: Ecce Venio – Sacerdote para sempre. Mais uma vez, deixa explícito o lema que permanece inspirando todos os que, como ele, Pe. Anísio José e Pe Zezinho, participam da Família Dehoniana: Ecce Venio (em latim, ‘eis-me aqui’).”Se você prestar bem atenção, nossos livros e canções têm esta marca registrada: somos padres do coração”, avisa. “Faz algum tempo que este fogo queimava novas canções em meu interior”, diz, apresentando o trabalho, também um resgate dos quinze anos dedicados à vida sacerdotal e à comunicação.

As canções são permeadas por citações bíblicas, com um pouco da história de dedicação, obediência, entrega e dilemas, que começou a ser escrita no despertar da vocação. Um bom exemplo entre as dez canções e dois mantras (em latim) deste CD, é “Prece do amor”, composta quando tinha 15 anos e estudava em um seminário em Curitiba. “Foi meu jeito adolescente de fazer uma declaração de amor a Deus”.

As inspirações continuaram aflorando ao longo da sua vida – em retiros, palestras, aulas, encontros… “Sacerdote para sempre”, por exemplo, “é um resumo musical de minhas palestras. Nasceu em dezembro de 2006 durante um retiro de preparação para ordenação sacerdotal de alguns jovens, hoje espalhados pelo mundo afora.”

Outro destaque, “Amigos mil”, composição do Pe. Zezinho, é uma homenagem ao grande amigo que sempre o acompanhou. “Cada palavra dessa canção esconde um tesouro de verdade. Escute em silêncio… com o coração no colo de Deus, nosso maior amigo”, sugere Pe. Joãozinho.

O CD começa e termina com a mesma melodia dos mantras, Ecce Venio, e, para finalizar, “Ecce Ancilia”, o ‘eis-me aqui’ de Maria, ambos dos padres Joãozinho e Anísio José. “É muito mais do que o ‘Eis-me aqui’, é a marcante disponibilidade de Cristo que em tudo cumpriu a vontade do Pai. Para o Pe. Joãozinho os mantras trazem uma proposta de harmonia e paz interior para quem os escuta. “Hoje, existe tanta música que nos desintegra, gera um caos dentro de nós. Espero que minhas canções tragam paz e harmonia interior.”

Destaques, ainda, para “Eis-me aqui”, tradução de “Eccomi”, uma das músicas mais populares nas missas da Itália, escrita pelo jovem sacerdote Marco Frisina, maestro, músico e cantor, regente do coral do Vaticano.

Fonte: http://www.pheventos.com.br/staff.php?opt=view&ident=7

Padre Joãozinho no programa "Academia do Som" por Academia do Som.