In Memorian – Orlando Fedeli.


O site Montfort divulgou neste último dia 9/6/2010 uma nota de falecimento de seu Fundador e diretor, O Professor Orlando Fedeli.

Ele foi vítima de um infarto e não foram divulgados maiores detalhes sobre o acontecimento, seu sepultamento ocorreu ontem à tarde às 16:00 Hs logo após uma Missa celebrada com corpo presente na Igreja Nossa Senhora das Dores.

Endereço: Rua Tabor, 283 – Ipiranga.

Cemitério Vila Mariana

Endereço: São Paulo/SP, Rua Lacerda Franco, 2012.

Mapaaqui.

.

Neste momento de dor, que possamos nos unir em oração, para que Deus derrame suas graças e console os corações, que possa acolher também este filho que tanto lutou pela Fé Católica.

.

Usando as palavras de São Paulo:

(II Timóteo 4,7)

“Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.”


DECLARAÇÕES DE UM EX-SEMINARISTA DO IBP SOBRE A MONTFORT.

Não quero tocar em feridas antigas, e muito menos perturbar os mortos, mas como estive entre aqueles que participaram do êxodo da Montfort, este testemunho do Padre Renato Leite merece alguns esclarecimentos.

Desde que a casa de formação do “IBP” foi inaugurada em São Paulo (novembro de 2006, e o IBP foi erigido em setembro de 2006), a influência do senhor Orlando Fedeli era evidente, tanto que os candidatos só eram aprovados depois que passassem por uma entrevista com ele (tanto que em março de 2007 já eram quatro os moradores da casa, e o Pe. Renato só mudou-se para lá em maio).

Depois de algum tempo de convivência, algumas “cartas” foram postas à mesa, e ficou claro que o verdadeiro objetivo da Montfort (entenda como “OF”, “Orlando Fedeli e CIA”, sua esposa e alguns militantes conhecidos como ‘os mais velhos’) era ter os seus padres para formar um instituto próprio, que se chamaria Instituto Santa Catarina de Sena (para quem conhece a correspondência ou a história desta santa, já sabe porque foi escolhida como padroeira de um instituto NADA SANTO).

Este instituto teria como superior eclesiástico o Pe. Renato (outros padres foram cogitados, mas ou não aceitaram ou não aceitariam), e seria formado por ele e os padres da Montfort “formados” no IBP (por isso, antes de viajar à França e se entender com o Pe. Laguerie, o prof. dr. OF fez uma pequena paradinha em Roma. Até permitiu-se fotografar com o Mons. Ranjith, mesmo ele sendo UM MODERNISTA BANDIDO, assim como todos os Bispos da Igreja [sic!]).

Mons. Ranjith, E Orlando Fedeli - Fonte: Montfort

Depois de visitar a casa no Brasil em jun/jul de 2007, o Pe Laguerie enviou naquele mesmo ano duas pessoas de sua confiança para levantar alguns esclarecimentos, e suas suspeitas foram confirmadas: quando estas pessoas chegaram à casa não estava presente nenhum responsável pelos candidatos (o Pe Renato estava viajando, e ainda não havia outro padre residente); não havia um regulamento, a convivência era muito difícil (partidários da Montfort x candidatos da Igreja COMUM); não havia horário (estava sujeito ao humor do superior da casa); enfim, tudo ao contrário do que foi apresentado ao Pe Laguerie quando esteve aqui.

Os “missi dominici” ficaram alguns dias em São Paulo, mas depois foram para o Chile e colocaram os problemas encontrados para o Pe Navas, que estava alheio a tudo. Desta reunião com o Pe Navas surgiu um horário e regulamento para a casa (ago/2007), que nunca foi cumprido, e que só se tornou conhecido em out/2007 quando em visita à casa de São Paulo para conversar com três candidatos que foram expulsos pelo OF, questionou sobre o cumprimento do horário e regulamento que ele tinha escrito. Não sei o que se deu com estes rapazes, mas eles sempre foram honestos em não aderir à Montfort, mesmo morando na casa, e sempre questionaram ao Pe Renato o porquê dele não fazer nada para mudar a situação. As respostas mais comuns eram: “Meu filho, são eles que pagam nossas contas!”, ou em um de seus chiliques ordinários quando ficava revoltado por algum motivo com a Montfort: “Essa gente não sabe quanto custa um padre. Estou aqui fazendo um favor! Qualquer outro padre iria pedir salário, plano de saúde, carro…”.

A grande confusão começou quando o Pe Perrel viria para o Brasil: nervos a flor da pele, reuniões e cochichos para todos os lados, ataques e chiliques. Quando o Pe Perrel chegou, Pe Renato não era mais um dos habitantes da casa, pois tinha se transferido para o Colégio São Mauro, junto com o seu protegido.


O desfecho da história os senhores já conhecem, exceto o que aconteceu com alguns candidatos: os que tem maior aptidão (submissão à Montfort e aptidão intelectual) foram encaminhados para o seminário do IBP ou dos Oratorianos na Holanda (com a colaboração de um padre oratoriano que já foi monge no Mosteiro da Santa Cruz, em Nova Friburgo-RJ), e aqueles que não tem tanta aptidão, ficaram nos oratorianos de São Paulo (sob “tutela” deste mesmo padre, que aliás permite ao prof. dr OF lecionar aos seus vocacionados), ou ficaram perdidos, sem saber se tinham ou não vocação, e há um caso de ex-seminarista que não foi readmitido no seu antigo seminário.


Desculpem-me por ter feito este comentário tão longo, e principalmente por tê-lo tornado em um desabafo, mas a verdade precisava ser dita, e o Pe Renato não é uma vítima inocente que “se deu conta da encrenca na qual havia se metido”. Desde o princípio ele soube e foi conivente com o verdadeiro objetivo da associação IBP-Montfort, associação esta que ainda hoje está em vigor, pois há alunos do OF no IBP, e a Montfort contribui financeiramente com o IBP (só em 2006 na ereção doaram 30mil euros, além de pagarem a hospedagem de cinco seminaristas brasileiros), mas a matemágica financeira da Montfort e de suas outras associações não é assunto deste comentário.

Não queria torná-lo demasiado pessoal, mas esta revolta e desequilíbrio são alguns dos efeitos que a Montfort causa naqueles que fazem parte ou já estiveram, de alguma forma, envolvidos com eles.

Ao Pe Renato, para sua questão “quanto custa um padre”, tenho a resposta: para os homens não sei, mas para Deus custa muitas almas.
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

horsemansp@—–.com

Comentário 1752 Anônimo em  20/01/2010 at 2:38

Enfim os Olhos se Abriram.


Em Honra de Dom Marcel

François Lefebvre

click e Leia Mais


MINHA JORNADA DE SAÍDA DO CISMA DE LEFEBVRE.

Por Pete Vere


Sábios Conselhos Sobre a Montfort.

Visão cristã.

Site Montfort…

Não é tão católico quanto gostaria de ser!

Caros Visitantes, várias pessoas têm perguntado sobre as idéias e opiniões do site Montfort. Trata-se de um site católico, de pessoas que, penso, sejam sinceras.

No entanto, as idéias expressas nesse site não são expressão do sentir da Igreja. Há nele alguns graves problemas teológicos, que podem levar a uma deturpação da fé católica e chegar mesmo a uma ruptura com a Igreja.

Eis alguns pontos, entre outros:

1. Uma triste confusão entre Tradição e tradicionalismo, que termina por motivar um apego a formas e expressões do catolicismo que não são normativas nem obrigatórias nos dias atuais.

2. Alguns documentos do Magistério da Igreja são lidos de modo fundamentalista, fora do contexto histórico que lhes deram origem. O resultado é uma teologia torta, fechada e que em muito pouco exprime a genuína fé católica.

3. Há uma clara tendência de desvalorizar e menosprezar o Concílio Vaticano II. Isto é absolutamente inadmissível! O Concílio tem tanta autoridade quanto os concílios anteriores. Não se pode responder aos exageros “progressistas” da interpretação conciliar com os exageros “tradicionalistas” e integristas! Não se deve ser mais papista que o Papa! Um bom católico estará sempre em sincera comunhão com o Papa – e os papas Beato João XXIII, Servo de Deus Paulo VI, Servo de Deus João Paulo I, Servo de Deus João Paulo II Magno e Bento XVI sempre defenderam o Vaticano II na sua integridade e procuram coibir os excessos que possam existir na interpretação do Concílio. Combater o Vaticano II é colocar-se em choque com o Magistério papal e com o Colégio Episcopal, que são assistidos pelo Espírito Santo. Eis aqui um perigoso caminho que peca por presunção de ter mais discernimento que os legítimos pastores da Igreja, a quem o prometeu sua assistência! Toda vez que isso aconteceu, terminou-se numa triste heresia e em doloroso cisma…

4. Há um endeusamento da Missa de São Pio V que é errado, fora de contexto e trai a grande tradição litúrgica da Igreja. A Igreja tem, teve e terá sempre o direito e o dever de modificar seus ritos, de acordo com as circunstâncias e o discernimento da legítima autoridade apostólica, desde que não fira a essência mesma da estrutura sacramental. Nunca passou pela cabeça do Papa São Pio V que o missal por ele aprovado fosse eterno, perpétuo e irretocável! Isso é totalmente descabido e contrário à grande Tradição da Igreja! Nem os ritos primitivos, praticados pelos Apóstolos, tiveram essa pretensão de irretocabilidade! Essa idéia vem deu ma leitura que peca gravemente no seu método hermenêutico… Aqui acontece o que acontece com os protestantes fundamentalistas quando lêem a Bíblia! É verdade que tem havido graves distorções na liturgia no Brasil e no mundo, mas não se corrige tais problemas com soluções erradas e artificiais. Notem os meus leitores que o Papa Bento XVI é um amigo da Missa de São Pio V, mas não cai nos exageros dos tradicionalistas nem em desautoriza em nada o Concílio Vaticano II e o Missal de Paulo VI, tão legítimo quanto o trindentino.

Não duvido da boa fé desse irmãos do site Montfort e admiro seu desejo de transmitir a fé católica, mas lamento muito que confundam a fé da Igreja com uma determinada mentalidade, estreitando o frescor do Evangelho e desconhecendo que a Igreja é o Povo de Deus reunido como Corpo de Cristo e feito Templo do Espírito Santo peregrinando na história “entre as perseguições do mundo e as consolações de Deus” até a Pátria eterna. Não se pode confundir a sensibilidade da Igreja em determinada época com a sensibilidade que deve perdurar para sempre…

Sugiro, portanto, aos meus caros Visitantes, muita prudência ao visitar o referido site, sabendo que estão entrando em contato com opiniões de um grupo que não está em plena sintonia com o sentimento da Igreja e de seus pastores, correndo, assim, o risco de afastarem-se da plena comunhão com a Igreja… O que ali houver de bom, aproveitem; o que tiver gosto de um tradicionalismo que se afasta do sentir do Papa e do Colégio Episcopal, evitem e não sigam…

Escrito por Pe. Henrique às 19/04/2007 – 21h51

http://costa_hs.blog.uol.com.br/arch2007-04-15_2007-04-21.html

Ps. Estes conselhos resultaram em Criticas da Montfort, que resultaram em mais conselhos para nós.

Visão cristã

Apareceu no site Montfort uma forte reação ao que escrevi sobre o referido site e a respeito da Missa de São Pio V como ele apresenta e defende (procure aqui o meu texto)… Não o transcreverei aqui e não indicarei o local do artigo, pois penso, sinceramente, que não vale a pena. Somente, a quem interessar possa, digo quanto segue, como sacerdote católico que deseja estar em plena, sincera e filial comunhão com a Igreja e seus legítimos pastores:

1. Reitero tudo quanto afirmei. O site Montfort desautoriza o Papa Paulo VI e seus sucessores e, assim, põe-se em rota de colisão com a Igreja. A fidelidade à Igreja católica não é a uma Igreja idealizada, mas à Igreja de hoje, com seus pastores e seus desafios!

2. Apesar de desejar ser sinceramente católico, esse site tem feito mal a muita gente que, sem critérios suficientes, termina caindo numa visão estreita do que é o cristianismo, a Igreja e a liturgia católica, com a boa fé e o triste engano de ser fiel à Tradição. A Tradição aí é confundida com imobilismo e rigidez… É esta miopia no modo de compreendê-la que chamo de tradicionalismo. O cristianismo é tradicional, não tradicionalista ou reacionário!

3. De modo gravíssimo, o pessoal do site Montfort desautoriza e tenta esvaziar o Concílio Vaticano II. É o mesmo erro dos que tentam esvaziar o Concílio de Trento e o Concílio Vaticano I. Todo católico deve ter o Vaticano II em tanta estima e considerção quanto qualquer outro concílio ecumênico. Com os mesmos argumentos tortos do pessoal do Montfort, há aqueles que desejam reduzir os concílios pós 1054 a concílios gerais do Ocidente. Exagero vai, exagero vem – e quem periclita é a fé católica e a unidade da Igreja!

4. O site Montfort adota uma visão meio paranóica, vendo conspiração maçônica e modernista em toda parte! O modernismo foi um erro combatido a seu tempo. Ainda hoje influencia certa teologia. Mas, não tem o menor sentido viver numa cruzada paranoicamente anti-modernista! Acusam de modernismo grandes teólogos do século XX, como Henri de Lubac e Yves Congar e denigrem a memória do grande teólogo Hans Urs von Balthasar! Todos esses teólogos eminentes e santos, apesar de serem somente padres, foram feitos cardeais por João Paulo II Magno e são queridíssimos de Bento XVI. Quanto a de Lubac, Ratzinger o considera um de seus mestres! Será que João Paulo II e Bento XVI são hereges modernistas? Ou será que são ignorantes tolos, que nem percebem o perigo desses teólogos? O site Montfort e outros sites tradicionalistas alardeam fidelidade ao Papa e depois minam-lhe a autoridade; citam o que interessa dos livros de Ratzinger, mas ignoram solenemente que o mestre teológico de Ratzinger é de Lubac! O Papa, para eles, serve somente no que lhes convém! É o mesmo raciocínio do pessoal da Teologia da Libertação! Os extremos se tocam…

5. O articulista do site Montfort foi injusto e desleal para comigo ao afirmar que defendo a ressurreição imediatamente após a morte. Não é verdade! Sempre critiquei duramente tal impostação! A ressurreição é um processo que se inicia logo após a morte, com a glorificação da alma, e terá sua consumação com a ressurreição corporal, no final dos tempos. É isso que ensino; é isso que a Igreja crê e a Congregação para a Doutrina da Fé reafirmou há alguns anos. E só isso. Não se deveria impugnar um sacerdote por ” eu ouvi dizer que” e por suposições infndadas… Seria bom fazer um exame de consciência! No entanto, sei que o meu modo de fazer teologia não agradaria ao pessoal do Montfort. Sou de outra escola e sou plenamente católico, sem restrições a papas ou concílios. Até me criticam por chamar de “Magno” a João Paulo II, afirmando que a Igreja não lhe deu esse título. A verdade, é que não aceitam realmente o Papa João Paulo…  Quanto ao título “magno”, não é a Igreja quem o dá, mas a própria história pela boca das gerações. “Magno” não é título religioso! Por isso, Alexandre Magno, Pompeu Magno, Constantino Magno, Carlos Magno… Posso chamar João Paulo II de Magno (Grande), sim! Posso e devo, porque ele o foi: homem da Tradição, consciente do presente e aberto ao futuro! Nunca foi um tradicionalista enferrujado, peneumatômaco (= assassino do Espírito)! Assim, “Magno”, o chamou o Cardeal Sodano na homilia da Missa do dia seguinte à sua piedosa morte (“João Paulo, o Grande”); assim o chamou Bento XVI na sua primeira palavra após a eleição: “Depois do Grande Papa João Paulo II”; assim muitos o chamam na Europa… Estou bem acompanhado, portanto!

Escrito por Pe. Henrique 23/06/2007 – às 13h07

O site Montfort: doce veneno – II

6. Quanto à discussão sobre o poligenismo ou monogenismo, é questão absolutamente aberta (não adianta citar erroneamente a Humani Generis de Pio XII, que não se pronunciou de modo infalível). Qualquer teólogo católico dirá isso. Nenhum católico é obrigado a pensar que a humanidade veio de um só casal. Eu defendo claramente o poligenismo, mas respeito quem pensa diversamente, pois não é assunto fechado. O problema do pessoal do Montfort é que também não aceita outra leitura da Escritura a não ser a que despreza o estudo dos gêneros literários (recomendado vivamente deste o tempo de Pio XII!)… É triste quando a fé tem que enterrar a cabeça para não ver a realidade e já não leva a sério as descobertas sérias da ciência! Que ironia: o pessoal do Montfort, que tem tanta raiva dos protestantes, nisso, é igualzinho aos protestantes fundamentalistas pentecostais dos EUA, que desejam proibir que se ensine a evolução nas escolas!

7. O problema do pessoal do Montfort é muita vontade de conhecer a teologia católica, mas sem os pressupostos teológicos necessários. Por falta de uma  criteriologia no que diz respeito aos instrumentos hermenêuticos da ciência teológica, cai-se, então num fundamentalismo de dar pena – e me dá mesmo, sinceramente, porque esse pessoal, com seu zelo, poderia fazer um bem imenso à Igreja. Por outro lado, é doença intelectual mesmo dizer “odeio tudo que é moderno”. E é contraditório, pois se escreve isso com o teclado de um moderno computador, usando a internet, o meio mais moderno de comunicação! Pensem na esquizofrenia!

8. Não pretendo polemizar, mas repito: cuidado com o site Montfort, pois está se afastando do sentir com a Igreja… É o caminho que leva à heresia e ao cisma. É bom evitá-lo! Queira Deus que os jovens não se deixem levar por essas idéias obsessivas… É uma pena, porque a absolutização da própria Missa de São Pio V (em si, bela e legítima, mas chamada erroneamante de “Missa de Sempre” devido a um endeusamento, uma absolutização imprópria da liturgia de uma época determinada) terminará por fazer com que muitos Bispos neguem a permissão para celebrá-la, já que começa a se tornar uma bandeira do tradicionalismo (no sentido negativo mesmo) e do integrismo! Eu mesmo, que nada tenho contra esse belo rito, jamais o celebraria por quem me pedisse com essa mentalidade integrista; penso que nenhum Bispo de responsabilidade e senso eclesial fá-lo-ia!

Que pena! Repito: cuidado com o site Montfort: está fazendo mal; parece doce católico, mas é veneno! Descobri que aquele articulista lá não é tão sincero e honesto intelctualmente como eu pensava. Na verdade, é um bom sofista que adora arengar feito galo de briga, vendo heresia e perigo por todo lado! E só!

Escrito por Pe. Henrique às 23/06/2007 – 13h06

Não tenhas medo do Espírito Santo.




Não há o que temer, por isso Monsenhor Jonas Abib nos dá o seu próprio testemunho exemplificando que até mesmo ele passou por essas dificuldades antes de vencer completamente seu medo.




Em 2015, 1982 anos aproximadamente se passaram desde que se deu o primeiro pentecostes no dia em que nasceu a Igreja Católica, Sendo que o Espírito Santo é a alma da Igreja e ela não existiria sem a presença Dele, hoje Comemorando mais um Pentecostes, sentimos que muitos ainda não experimentaram em seus corações o calor daquela chama que repousou sobre os discípulos de Jesus e Maria sua mãe no Tabernáculo em Jerusalém.

A Promessa é para vós e vossos Filhos, para todos aqueles que vierem a crer e invocar meu nome, Eu Concederei que recebam a graça e os Dons do Espírito Santo em seus corações. Se esta é a promessa de Jesus, que daria de presente o seu Espírito a todos aqueles que lho pedissem, como ainda hoje presenciamos tantos filhos de Deus que ainda ignoram estas palavras, sem dizer aqueles que as evitam ou aqueles que delas teem medo.

Ignorar e ter medo são duas palavras que têem uma solução muito simples, basta conhecer a verdade da palavra de Deus que está escrita na Bíblia, onde está bem claro que Deus, os Profetas e o próprio Jesus nos tem falado a respeito do Batismo no Espírito Santo.

Ele Vem para ser o nosso advogado, defensor e professor, nos auxiliando em nossas fraquezas e nos dando poder quando for necessário, ajudando-nos a relembrar as palavras de Jesus e os mandamentos do Pai, guiando-nos nas trevas deste mundo quando somente a fé é capaz de nos dar a esperança que impulsiona o Cristão ir sempre em frente mesmo quando não avista a luz no fim do túnel.

Portanto, como temer aquele que nos defende do inimigo ?

Como ignorar aquele que nos dá a mão na longa jornada ?

Como evitar aquele que é o único capaz de nos retirar das trevas e nos trazer para a luz de Cristo ?

Quem não nascer da água e do Espírito não poderá entrar no reino de Deus… Nascer do Espírito é o que aconteceu em Pentecostes com cada um daqueles que receberam a chama que desceu do céu, símbolo do Batismo no Espírito Santo.

Todos puderam testemunhar que aqueles homens foram realmente transformados em novas criaturas e não havia quem duvidasse que naquele momento pareciam mais crianças do que homens Barbados e velhos, porque a promessa de Deus se realizara por completo na vida de cada um deles. Quem viu e presenciou aquela cena naquele momento, tinha somente um desejo em seus coração, era o de também experimentar aquele gozo que vinha do Alto.


Aspirais_aos_Dons_Espirituais



Em Sem Medo e sem discrição, pediram a Pedro que lhes ensinasse o que deveriam fazer para receber também aquela promessa de Deus. A resposta foi simples, Este é um presente do Pai para você, é seu e de mais ninguém, basta recebe-lo abrindo seu coração.

Resta lembrar que este presente foi dado, mas ninguém será obrigado a recebê-lo, só o receberá quem quiser. Já nos acostumamos a dar um presente durante o ensino da Promessa do Pai no encontro fechado de SVE I, o interessante é que sempre acontece a mesma reação, o participante que recebe o presente, o recebe apenas como um exemplo ou parte de um teatro e não como de fato e de verdade. Além de não abrir o presente no instante que o recebe, ao final da palestra ele o devolve como se fosse apenas uma encenação. No principio era mesmo apenas uma encenação, mas ficou evidente o fato de que, o ensino também seria recebido da mesma forma, não como algo de fato e verdade, mas, “apenas Palavras” que fariam parte de um teatro ou encenação, mas não fariam parte de minha vida a partir daquele momento em diante, que realmente seriam um presente para mim, que eu poderia recebê-lo e abri-lo de imediato, já o colocando em uso ali mesmo naquele exato momento.

Compreender bem estas palavras acima seria não mais ignorar a verdade sobre os Dons do Espírito Santo que recebemos no nosso Pentecostes particular, que será único e diferente na vida de cada pessoa em particular. Isto significa que eu jamais poderia ser um procurador ou tutor de alguém para receber por ele esta graça de Deus e da mesma forma ninguém poderia receber aquele presente que pertence a mim e a mais ninguém.

Resta então vencermos o medo do desconhecido, a dúvida da descoberta dos nossos próprios sentimentos. Esta atitude é normal à todos nós, mesmo quando vemos outras pessoas sorrindo e glorificando a Deus ao nosso lado, derramando lágrimas de tanta alegria e gozo no Espírito Santo, ainda assim a nossa atitude é de olhar pela fresta da porta e não abri-la de uma vez para a entrada deste vento impetuoso. (Sizenando)





“Não há o que temer, por isso Monsenhor Jonas Abib nos dá o seu próprio testemunho exemplificando que até mesmo ele passou por essas dificuldades antes de vencer completamente seu medo.”



rcc-pe-jonas

No pior momento da minha vida, quando estava prostrado, porque tinha guardado muitas mágoas dos meus superiores, me sentia injustiçado e tinha apenas sete anos de sacerdócio, e já não rezava. Estava para perder o meu ministério, mas fui batizado no Espírito Santo, e daí o meu ministério foi renovado, e o fruto desse batismo é a Canção Nova. Se eu não tivesse recebido o batismo no Espírito Santo, hoje não existiria o Sistema de Comunicação da Canção Nova, não existiria nem mesmo a Comunidade Canção Nova. Nós não estaríamos aqui.

Deseje este batismo no Espírito Santo. Os apóstolos não imaginavam que quando Jesus os mandou para o cenáculo era para receber o Espírito Santo. Ao recebê-Lo passaram a orar em línguas, e os que estavam presentes de coração aberto receberam o dom do discernimento interpretando o dom de língua, mas infelizmente outras pessoas zombaram dos apóstolos dizendo que eles estavam bêbados.

Não tenha medo da graça do batismo o Espírito Santo! Peça a Deus que derrube seus preconceitos, você que tem dúvida, leia a Palavra de Deus que está no livro dos Atos dos Apóstolos. Você que tem sede desta graça não tenha medo do batismo do Espírito Santo.

Que se renovem os prodígios de Pentecostes, que começou no início da Igreja! Que sejam derramados os dons do Espírito Santo. A Igreja reza pedindo os dons porque ela crê. A Igreja os pede para que nos abramos aos dons, e ela os pede para todos, tanto para as autoridades eclesiais como para aqueles que estão em uma vida errada.


convite_mons[1]


“Não Tenhas Medo dos Dons do Espírito Santo”


Eu sabia o que era Pentecostes, sabia dos dons, depois do batismo tive graça de exercer esses dons. Muito mais que saber deles, eu os experimentei. Hoje eu sou um sacerdote diferente, um novo sacerdote porque tive a graça de ser batizado no Espírito Santo.

Contaram-me que há menos de um mês, uma atriz da Itália que fazia papéis horríveis em filmes e em novelas foi batizada no Espírito Santo, e agora ela é uma nova criatura e está indo a todo mundo testemunhar.

Não tenha medo dos dons do Espírito Santo. Ontem me perguntaram por que o batismo no Espírito Santo traz em primeiro lugar a manifestação da oração em línguas e respondi: Porque o dom de que mais temos a necessidade é o da oração, como diz em Romanos ‘Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis’. Veja a beleza desse dom, quando deixamos o Espírito Santo rezar em nós Ele intercede a Deus por aquilo que não sabemos que necessitamos. Quando você sede a sua razão e seus lábios para o Espírito Santo, Ele intercede em você, Ele ora de acordo com os planos de Deus.

O dom que recebemos não é para nós, é para os outros, é para a Igreja. E quem opera milagres, quem cura, quem nos dá sabedoria é o Espírito Santo.

Contaram-me que há menos de um mês, uma atriz da Itália que fazia papéis horríveis em filmes e em novelas foi batizada no Espírito Santo, e agora ela é uma nova criatura e está indo a todo mundo testemunhar.

Não tenha medo dos dons do Espírito Santo. Ontem me perguntaram por que o batismo no Espírito Santo traz em primeiro lugar a manifestação da oração em línguas e respondi: Porque o dom de que mais temos a necessidade é o da oração, como diz em Romanos ‘Outrossim, o Espírito vem em auxílio à nossa fraqueza; porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis’. Veja a beleza desse dom, quando deixamos o Espírito Santo rezar em nós Ele intercede a Deus por aquilo que não sabemos que necessitamos. Quando você sede a sua razão e seus lábios para o Espírito Santo, Ele intercede em você, Ele ora de acordo com os planos de Deus.

O dom que recebemos não é para nós, é para os outros, é para a Igreja. E quem opera milagres, quem cura, quem nos dá sabedoria é o Espírito Santo.

Transcrição: Elcka Tores



cancao20nova1

ADQUIRA ESSA PREGAÇÃOPELO TELEFONE

(12) 3186-2600


pejonas@cancaonova.com
Fundador da Comunidade Canção Nova e Presidente da Fundação João Paulo II. É autor de diversos livros.


OUTROS TEMAS RELACIONADOS


Natal


Não Existem mais Segredos em Fátima !

O Vaticano entregou dia (26 de junho, 2000) cópias do texto original do “Terceiro Segredo de Fátima” e um documento explicando sua interpretação sobre o que a Virgem Maria teria dito aos três pequenos pastores portugueses em aparições no ano de 1917.

Leia => Sou do céu…

Vim para vos pedir

que estejais aqui.


O Papa João Paulo II conversa com a Irmã Lúcia durante sua visita a Portugal em Maio



Fotocópia da Carta

que contém

O segredo.


Revelação do III Segredo de Fátima Pelo Papa João Paulo II.Todas as informações referentes a este assunto, incluíndo o segredo estão neste power point.


Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fogo em a mão esquerda; ao cintilar, despedia chamas que parecia iam incendiar o mundo; mas apagavam-se com o contacto do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro:

O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência! E vimos n’uma luz imensa que é Deus: “algo semelhante a como se vêem as pessoas n’um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de Branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”.

Vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subiam uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio tremulo com andar vacilante, acabrunhado de dor e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho;

chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições.

Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, neles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus.

Tuy-3-1-1944 “.

Segundo a Igreja, o texto previu o atentado do papa João Paulo II e a perseguição dos cristãos pelos comunistas. O mistério foi revelado no dia 13 de maio passado, quando o papa João Paulo II visitou Portugal e beatificou dois dos pastores, Francisco e Jacinta

O texto atual do segredo foi escrito em 1944 pela única das crianças que ainda vive: a Irmã Lúcia dos Santos, atualmente com 93 anos.

Por muito tempo, especulava-se que o segredo seria uma visão apocalíptica do fim do mundo. Mas, nas 43 páginas do documento denominado “A Visão de Fátima”, o Vaticano confirma sua legitimidade, referindo-se a eventos que já aconteceram.

“Nenhum grande mistério foi divulgado; nem o futuro foi revelado”, escreveu o cardeal Joseph Ratzinger, em um comentário na interpretação do Vaticano.

“Uma leitura cuidadosa do texto, provavelmente causará desapontamento ou surpresa depois de toda a especulação que provocou”.

O comentário de Ratzinger também sugeriu que o turco que atirou no papa, Mehmet Ali Agca, foi apenas um instrumento no plano de Deus.

O papa, logo após ter sido baleado, disse acreditar que a mão da Virgem Maria desviou a bala, permitindo que ele sobrevivesse.

“João Paulo II leu pela primeira vez o terceiro segredo de Fátima após o atentado”, disse o monsenhor Tarcisio Bertone, assistente de Ratzinger, na entrevista coletiva que sucedeu a apresentação dos detalhes, nesta segunda-feira.

Citando uma das diversas visões dos pequenos pastores, a terrível imagem de um anjo com uma espada brilhante representaria a ameaça do juízo final sobre o mundo.

“Atualmente, a perspectiva de que o mundo poderia ser reduzido a cinzas por um mar de fogo não passa de fantasia: os homens, com suas invenções, têm falsificado o significado da espada flamejante”, escreveu o cardeal em uma aparente referência às armas nucleares.

Segundo Ratzinger, “a importância da liberdade humana é ressaltada: o futuro não é um cenário imutável e a visão de uma criança não é uma previsão infalível do futuro, onde nada pode ser mudado”.

Os dois primeiros segredos foram o final da Primeira e o início da Segunda Guerra Mundial e o ascensão e queda do comunismo na União Soviética.

Perguntado por jornalistas se os segredos de Fátima pertenciam ao passado e não ao futuro, Ratzinger respondeu: “Acho que sim; aqui, estamos lidando com uma história muito específica”.

Ratzinger também afirmou que algumas interpretações populares sobre a Terceira Guerra Mundial foram “equivocadas”.

Em 1981, o atentado contra João Paulo II aconteceu no dia 13 de maio, a data coincide com uma das aparições da Virgem aos pastores em 1917.

O documento inclui uma fotocópia do que foi escrito à mão, em português, pela Irmã Lúcia, um segredo que permaneceu trancado no Vaticano, assim como a interpretação da visão. .

Antes de decidir revelar o mistério no mês passado, uma comissão do Vaticano visitou a Irmã Lúcia, no convento onde ela vive, para saber sua opinião sobre a interpretação do papa e pedir sua autorização para revelá-lo.

“A Irmã Lúcia repetiu sua convicção de que a visão de Fátima se referiu à luta dos ateus comunistas para acabar com o cristianismo e descreveu o terrível sofrimento das vítimas da fé no século XX”, diz o documento.

obs.:

Quando perguntamos se a figura principal da visão era o papa, a Irmã Lúcia respondeu, sem titubear, que sim”.

Em plena Praça de São Pedro, Agca atirou em João Paulo II e o deixou à beira da morte no dia 13 de maio de 1981. Nesse tempo, a Polônia, terra natal do papa, iniciava um processo que terminaria com o colapso do comunismo na Europa Oriental.

Segundo o documento: “a Irmã Lúcia concorda plenamente com o papa, afirmando que foi a mão da Virgem que guiou as balas e fez João Paulo II sobreviver ao atentado”, que aconteceu no dia de um dos aniversários da visão.


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg?w=130&h=120
PRESENTEPRAVOCE http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg

Oração a N. Sra. Fátima


Mensagem de Fátima.

Na Cova da Iria Em Fátima Portugal…

A 13 de Maio de 1917, Três crianças

Veio Nossa Senhora do Céu Trazendo uma mensagem para a Humanidade, três crianças tiveram a Honra de a receberem.

O principal ponto desta história foi que os homens não acreditaram nas Crianças, como poderia A Mãe de nosso Senhor Confiar palavras tão importantes a crianças tão pequenas? Hoje é um dos principais ícones da Igreja Católica no mundo. Em Portugal são milhares de fieis que visitam Fátima todos os anos mantendo Portugal na vanguarda Europeia na participação do catolicismo, com fé participativa e uma tradição viva.

Foi revelado o III Segredo de Fátima?

Disse Maria:

Sou do céu… vim para vos pedir que venhais aqui seis meses seguidos. Rezem o terço todos os dias para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra.

História das Aparições

A 13 de Maio de 1917, três crianças apascentavam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima. Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos.

Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma “Senhora mais brilhante que o sol”, de cujas mãos pendia um terço branco.

Os Pastorinhos de Fátima

A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar-lhes, na Cova da Iria. A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Concelho, para Vila Nova de Ourém.

Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a “Senhora do Rosário” e que fizessem ali uma capela em Sua honra. Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: o sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra.

Posteriormente, sendo Lúcia religiosa de Santa Doroteia, Nossa Senhora apareceu-lhe novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13/14 de Junho de 1929, no Convento de Tuy), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração. Este pedido já Nossa Senhora o anunciara em 13 de Julho de 1917, na parte já revelada do chamado “Segredo de Fátima”.

Anos mais tarde, a Ir. Lúcia conta ainda que, entre Abril e Outubro de 1916, tinha aparecido um Anjo aos três videntes, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência.

Desde 1917, não mais cessaram de ir à Cova da Iria milhares e milhares de peregrinos de todo o mundo, primeiro nos dias 13 de cada mês, depois nos meses de férias de Verão e Inverno, e agora cada vez mais nos fins de semana e no dia-a-dia, num montante anual de cinco milhões de visitantes.

Veja Também no site Oficial de Fátima.

Cronologia de Fátima – Datas principais

Os videntes de Fátima

Imagens de Nossa Senhora de Fátima

Vista geral do Santuário


Revelação do III Segredo de Fátima Pelo Papa João Paulo II.Todas as informações referentes a este assunto, incluindo o segredo estão neste power point.veja o Post.


Leia Mais:

APARECIDA
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120 https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg?w=130&h=120

Joana D’arc a virgem guerreira.

Esta sendo rodado mais um filme sobre a vida e morte da Virgem de Orlean’s, são varios projetos para se fazer um filme de época mais fiel em honra daquela que doou sua vida pela libertação do povo Frances.

Veja Gloria e Martírio de Santa Joana d’Arc.

virgem-guerreira.jpg

To The Ron Maxwell Home Page

MUITAS FOTOS DE EPOCA

Cauchon O Bispo Traidor.

bispo-cauchon-08.jpg

Nossa Senhora de Guadalupe.

Nossa Senhora Aparecida.

O segredo que habita em cada um de nós.

Por um Fio.

Dons do Espírito Santo.