A importância de ir à Missa aos domingos!



Este tema é o teor da catequese semanal com o Papa Francisco.


“Sem Cristo, estamos condenados a ser dominados pelo cansaço do dia-a-dia com as suas preocupações e pelo medo do futuro”





Cerca de 7 mil pessoas participaram da catequese semanal com o Papa, hoje. Retomando o caminho de reflexões sobre a Missa, o Papa Francisco falou sobre a importância de ir à missa aos domingos.Desde os primeiros tempos, os discípulos de Jesus celebravam o encontro eucarístico com o Senhor no dia que os judeus chamavam ‘o primeiro da semana’ e os romanos ‘o dia do sol’.

Depois da Páscoa, os discípulos de Jesus acostumaram-se a esperar a visita do seu divino Mestre no primeiro dia da semana; foi nesse dia que Ele ressuscitou e veio encontrar-Se com eles no Cenáculo, falando e comendo com eles e dando-lhes o Espírito Santo. Este encontro se repetiria oito dias depois, já com a presença de Tomé.

E assim, aos poucos, o primeiro dia da semana passou a ser chamado pelos cristãos ‘o dia do Senhor’, ou seja, o domingo.

“A celebração dominical da Eucaristia está no centro da vida da Igreja: nós vamos à missa para encontramos o Senhor ressuscitado, ou melhor, para nos deixarmos encontrar por ele”, disse o Papa.

“Ouvir a sua palavra, alimentar-nos à sua mesa e assim, nos tornarmos Igreja, o seu corpo místico vivo hoje no mundo. Por isso, o domingo é  para nós um dia santo: santificado pela celebração eucarística, presença viva do Senhor para nós e entre nós. É a Missa que faz cristão o domingo”.

“Infelizmente há comunidades cristãs que não podem ter Missa todos os domingos; mas também elas são chamadas a recolher-se em oração, nesse dia, ouvindo a Palavra de Deus e mantendo vivo o desejo da Eucaristia”.

“Sem Cristo, estamos condenados a ser dominados pelo cansaço do dia-a-dia com as suas preocupações e pelo medo do futuro. O encontro dominical com Jesus dá-nos a força de que necessitamos para viver com coragem e esperança os nossos dias”.

Concluindo, por que ir à missa aos domingos?

“Não é suficiente responder que isto é um preceito da Igreja. Nós cristãos precisamos participar da missa dominical porque somente com a graça de Jesus, com a sua presença viva em nós e entre nós, podemos colocar em prática o seu mandamento e sermos testemunhas críveis”.

Mais ainda, a comunhão eucarística com Jesus ressuscitado antecipa aquele domingo sem ocaso em que toda a humanidade entrará no repouso de Deus.

 

Antoine Mekary | ALETEIA | I.MEDIA

Compartilhar

Vatican News | Dez 13, 2017 (Rádio Vaticano)



Link’s para outras Mensagens


“10 Boas Razões e muitas outras”





Deus atende a oração até mesmo daquele que não acredita.

É inacreditável, mas minha mãe tirou o prêmio máximo de 1 milhão de dolares na raspadinha “Sweet Million” de NY um dia após eu ter orado a Deus entre as máquinas do cassino…

Leia mais…

Após sua oração ter sido atendida, o jovem ateu aderiu incondicionalmente à fé Católica, isto porque segundo ele mesmo as possibilidades de ter sido atendido um dia após ter feito a oração era de “uma” contra “dez milhões”, o que evidentemente mostra uma milagrosa intervenção Divina no acontecimento tão incomum.  Sua mãe admite que recebeu dois grandes milagres de uma só vez, sendo que o principal deles foi a conversão de seu filho.

Este Testemunho público ocorrido agora no final do més de maio de 2011 está correndo o mundo e a novidade foi apresentada pela Fox News em rede nacional nos Estados Unidos da América.

Fox News: Atheist's Lottery Prayer Answered

Um filho não-religioso orou ironicamente a Deus pedindo que sua mãe ganhasse na loteria e ficou atordoado depois de testemunhar esse “milagre”.

Sal Bentivegna, 28 anos, viu Gloria, sua mãe de 61 anos de idade perder muito dinheiro em um cassino durante uma viagem da família para Atlantic City. Sarcasticamente, disse que a mãe deveria “pedir para seu Deus lhe dar um milhão de dólares”.

Como uma boa católica, ela recusou. Então, o filho deu um passo à frente e orou em meio às máquinas do cassino: “Deus, não sei se você é real ou não, mas se você estiver aí, por favor, faça minha mãe ganhar um milhão de dólares”. E acrescentou: ”Se Jesus deseja que eu acredite nele, é isso o que ele vai fazer.”

Milagrosamente, a senhora Bentivegna ganhou no dia seguinte o primeiro prêmio do Sweet Million, na Loteria de Nova York. Ela receberá US$ 50.000 anuais pelos próximos 20 anos. Um grande alívio para essa mãe solteira que vivia com uma pequena pensão após se aposentar por problemas médicos.

Depois de voltar de Atlantic City, Gloria Bentivegna foi a um evento de caridade de uma igreja em Long Island, NY,  onde comprou um bilhete de “raspadinha” chamada Sweet Million. A intervenção aparentemente divina fez com que Sal Bentivegna cumprisse a promessa e se tornasse cristão.

Ele explica: ‘Vejam só, ela recebeu o dinheiro no dia seguinte. Eu sentei e pensei sobre isso e percebi que as chances disso acontecer eram astronômicas. Não posso negar que Jesus teve alguma participação. Sem trocadilhos, foi um presente de Deus”. A senhora Bentivegna, emocionada com o prêmio e a conversão do filho comemora: “Deus fez dois milagres, verdadeiros milagres”.  Ela lembra ainda que no domingo de Páscoa foi até sua igreja, onde rezou de joelhos por seu filho. ”Orei e pedi a Jesus que ajudasse meu filho a acreditar de novo no Senhor. Eu pedia: Deixe que ele veja um milagre acontecer em sua vida”.

Fonte: Agência Pavanews


Video gravado de uma entrevista na Fox News ao vivo.



Seria lícito ao Cristão fazer tal pedido a Deus ?

Jesus mesmo nos responde esta pergunta de duas maneiras:

A primeira:

Quando Jesus foi levado ao deserto para ser tentado pelo demônio, uma de suas tentações foi exatamente a oferta de todas as riquezas existentes no mundo para que Jesus prostrado o adorasse, sendo que a resposta de Jesus foi simplesmente esta:

Jesus Vence todas as tentações

“Nem só de pão vive o homem, mas sim de toda palavra que procede da boca de Deus”, esta resposta demonstra que não é o dinheiro ou as riquezas que satisfazem a sede ou a fome do homem, não serão as riquezas que satisfarão a necessidade de felicidade que o coração humano busca nesta terra, mas sim é a propria presença de Deus que completa o vazio do coração humano.  Mais tarde Jesus também dirá que o melhor presente que o homem pode receber de Deus é o seu proprio Espírito dentro de seu coração, somente aquele que já teve esta experiência íntima com Deus pode testemunhar como e porque o homem se sente completamente realizado ao estar plenamente cheio do Espírito Santo.

A Segunda:


“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo.” (São Mateus 6,33)

Neste texto Jesus compara as coisas mais belas da natureza com as coisas mais belas que o homem pode adquirir com suas riquezas e deixa bem claro que nada pode superar as belezas ou grandezas que Deus sempre nos dá gratuitamente sem que seja necessário comprar ou pagar por alguma delas.

Mesmo assim é muito comum nós homens sempre procurarmos a maneira mais fácil de resolver os nossos problemas sem imaginar que muitas vezes a possível solução de um problema poderia acarretar um outro problema ainda maior, ser rico e milionário não significa a isenção de problemas em sua vida, todos nós sabemos que cada posição social tem os seus problemas distintos, sendo que não seria a quantidade de riquezas que alguém possue que o tornaria mais ou menos realizado em sua vida pessoal, sendo que a infelicidade também existe na vida dos mais abastados e a felicidade é mais comum na vida de pessoas que praticamente não possuem muita coisa nesta terra.

Sei que talvés este pedido feito por este jovem “Atéu” é muito mais comum do que parece, sei que cada um de nós já deve ter feito este pedido de forma mais ou menos semelhante a ele e até mesmo com muito mais fé, mas o que teria levado Deus a ter atendido esta oração e não ter atendido a minha oração ?

Como se diz: Os planos de Deus para as nossas vidas são bem superiores ao que imaginamos, Deus jamais nos daria algo que causasse a nossa perdição ou jamais nos daria algo que nos faria perder a fé, neste caso em particular, o jovem se converteu e esperamos que assim continue mesmo que venha a perder toda sua fortuna novamente, pois a nossa Fé em Deus não pode ser somente quando estamos na fartura, mas principalmente quando estivermos passando por dificuldades ou então não seria verdadeiramente Fé.


Semeando a cultura de Pentecostes



Eu te Amo!

Esta é uma declaração

de amor para você

Em Slaid Pptx Power Point.

Slaid => Click aqui

Mãe Natureza_2

.

Passe esta mensagem a seus amigos

e ajude a salvar o lar onde vivemos.

Quem sabe será ele aquele

que dirá o sim que ainda falta.

.

Robô que escreve a Bíblia !

.

Esta é a parte da Ciência que muito colabora com a Fé, mesmo sem ter nenhuma Fé…

Kuka vem aí com tudo …

Ele é muito dedicado ao evangelho …

Já foi chamado até de um Santo Robô !

Ele sabe toda a Bíblia de cor, é muito eficiente e a escreve com letras clássicas usando somente pena e tinta.

Quem gostaria de ter uma Biblia todinha escrita a mão no estilo clássico ?

Para satisfazer o gosto por objetos de bom gosto e alto nível foi criado o Rôbo Kuka, que esta programado para reescrever as Sagradas escrituras como se fosse a mão de um artista incansável em letras clássicas como no passado, só que gastando muito menos tempo e sem borrar nenhuma pagina.

Este Robô já foi apelidado de “Santo Robô”, e pode ?

http://farm2.static.flickr.com/1326/1041327312_9eb72ba262.jpg

Bios Bible

www.flickr.com

fonte: http://www.gearfuse.com/holy-crap-its-a-holy-robot/

bios [Bíblia] = http://www.robotlab.de/bios/bible.htm

<<– <<- Projeto
<<– <<- Exposições
<<– <<- Mais Fotos
<<– <<- Vídeos

..

Semeando a cultura de Pentecostes


.

A questão de fé e ciência !


Bento XVI e a teoria da evolução


Evolução.


Augusto Pasquoto

Em abril deste ano de 2007, o Papa Bento XVI lançou na Alemanha o livro Schöpfung und Evolution (Criação e Evolução), onde expõe as suas idéias e as orientações da Igreja sobre a teoria da evolução. O livro causou grande repercussão na imprensa do mundo inteiro, talvez por conta da discussão acalorada que existe atualmente sobre as teorias da  evolução darwinista cega e da evolução planejada (teoria do projeto inteligente).

Durante anos, o cardeal Joseph Ratzinger manifestou-se a respeito da evolução em livros, artigos, conferências e entrevistas. Pesquisando esse acervo de documentos, conseguimos fazer um apanhado das idéias do Papa sobre o assunto, que podem ser assim esquematizadas:


Jesus_é_a_Verdade


1 – A questão de fé e ciência


“Quaisquer que sejam as descobertas das ciências naturais, elas nunca contradirão a fé, já que no final das contas a verdade é uma só”.

Com esse conceito, o Papa reafirma o princípio já enunciado pelo Concílio Vaticano I (1869-1870): “As verdades da fé e as verdades da ciência não podem nunca se contradizer. Ou, explicitando melhor, podemos dizer: “As verdades verdadeiras da fé e as verdades verdadeiras da ciência nunca se contradizem”.

Por que “verdades verdadeiras”? Porque houve “verdades” que não eram verdadeiras. Da parte da ciência temos como exemplo a “verdade” – que durou séculos – segundo a qual a terra era o centro do universo e o sol girava em redor dela e não o contrário. Da parte da fé, acreditou-se – por muitos séculos – que o mundo fora criado em 6 dias e que a terra tinha apenas 6 mil anos, com base em cálculos derivados de uma interpretação ao pé da letra do livro do Gênesis.

O fundamento desse princípio é simples: tanto as verdades da fé como as verdades da ciência têm um único autor – Deus – que nunca se contradiz. Daí resulta uma conclusão importante tanto para o cientista como para o teólogo: ninguém deve ter medo da verdade, porque a verdade é de Deus, ou melhor dizendo, Deus é a verdade. Então, tanto o cientista como o teólogo podem prosseguir tranqüilos nas suas pesquisas, um respeitando o campo do outro, sem nunca ter medo de se “trombarem”.


2 – As competências da ciência e da fé


“Compete às ciências naturais explicar como a árvore da vida em particular continua crescendo, e como novos ramos brotam dela. Esta não é uma questão para a fé”.

Este conceito o Papa expressou-o  no seu livro “No princípio: Uma Compreensão Católica da História da Criação e da Queda”, de 1990, quando ainda era o cardeal Ratzinger. E fez uma distinção importante ao afirmar que não se deve dizer “criação ou evolução” – como se os dois conceitos se excluíssem mutuamente – mas, sim, “criação e evolução”, porque são duas realidades distintas e complementares que não se excluem. A evolução busca entender e descrever os desenvolvimentos biológicos, ao passo que a criação tenta explicar de onde vem o “projeto” do ser humano, a origem e a natureza particular dele. A evolução situa-se no campo da ciência experimental ou empírica; a criação, no campo da filosofia ou da metafísica e da religião.

O papa defende em seu último livro que Deus criou a vida por meio da evolução, e que religião e ciência não devem se enfrentar por esse motivo. A criação de um mundo em evolução não tira nada da causalidade divina, antes pode até manifestar a sua riqueza e força.


3 – Micro-evolução e Macro-evolução


O Papa concorda com os cientistas que admitem que a micro-evolução é uma realidade inquestionável. Mas, tem dúvidas a respeito da macro-evolução.

A micro-evolução refere-se a mudanças desenvolvidas dentro de uma espécie, enquanto que a macro-evolução é a transição de uma espécie para outra, na base de mutação e de seleção natural. Os comentários do Papa a esse respeito datam de 1999, num trabalho entregue à Sorbonne com o título “A Verdade do Cristianismo”. O intelectual católico alemão Alma von Stockhausen, que é o fundador da academia alemã de ciências “Gustav Siewarth” e grande amigo de Ratzinger, afirmou que a opinião do então cardeal era de que a macro-evolução é impossível.

A ciência não consegue explicar exatamente como se dá a transição de uma espécie ou de uma classe de seres vivos para outra. Os elos de ligação que provariam a transição não foram encontrados. Existem, por exemplo, milhões de fósseis de peixes e milhões de fosseis de répteis. Deveria existir também milhões de fósseis de intermediários entre peixes e répteis, mas não existem.

Há dois mil anos atrás Cícero já dizia que era impossível formar um só verso de Ênio pescando ao acaso as letras do alfabeto. No entanto, vinte séculos depois Darwin diria que a evolução faz coisas muito mais espantosas. Hoje em dia nós sabemos – o que Darwin não sabia nem poderia saber na sua época – que as mutações são variações do DNA e das 30 milhões de maneiras pelas quais ele se propaga. As mutações acontecem quando as letras que representam os blocos de armar dos cromossomos – os nucleotídeos – são trocadas acidentalmente, ao acaso. Dizer que as trocas ao acaso dessas letras em um réptil, por exemplo, conseguiram mudar o réptil em um mamífero, seria tão incrível como dizer que as trocas ao acaso das letras na Divina Comédia, de Dante, poderiam transformar a Divina Comédia em Os Lusíadas, de Camões.

No seu último livro Criação e Evolução, o Papa afirma que a teoria de Darwin não é completamente comprovada porque “nós não podemos reproduzir 10 mil gerações em laboratório”. Há muitas vozes de cientistas em uníssono com as idéias do Papa. Algumas dessas opiniões já vimos no estudo sobre o evolucionismo darwinista e a teoria do projeto inteligente. Na Internet encontra-se um endereço (www.dissentfromdarwin.org) no qual mais de 700 cientistas – pertencentes às mais afamadas academias de ciências dos EEUU e da Rússia –  assinam uma petição onde exprimem publicamente seu ceticismo com respeito à teoria da evolução de Darwin. Eles depõem:

Não cremos de modo nenhum na hipótese segundo a qual as mutações ao acaso e a seleção natural são capazes de realizar a complexidade da vida biológica. A teoria darwiniana precisa passar por um cuidadoso exame.

Um dos primeiros a assinar a lista, o Dr.David Berlinski, matemático e filósofo da ciência, afirma que “a teoria da evolução de Darwin é o grande elefante branco do pensamento contemporâneo… É massuda, quase completamente inútil e objeto de supersticioso temor reverencial”.

Esse “supersticioso temor reverencial” tem sua origem nos programas de ensino das escolas, nos livros de ciência, nas revistas e nos programas de TV que insistentemente ficam “martelando” que a teoria da evolução de Darwin explica toda a complexidade dos seres vivos, e que todos os cientistas estão de acordo com ela, e que os que não estão de acordo são retrógrados.

Mas, isso não é verdade. Hoje em dia muitos cientistas se dão conta que, depois que foi aberta a “caixa preta de Darwin” – a célula – e descoberta a tremenda complexidade que ela contem, a teoria darwinista que tentava explicar as grandes transformações dos seres vivos através de “numerosas, sucessivas e ligeiras modificações” foi posta em séria dúvida e não é mais assim tão digna de temor reverencial.

O leitor pode encontrar mais sobre micro e macro-evolução no endereço Discovery


4 – Evolução sim, evolucionismo não


“Nós não somos o produto casual e sem sentido da evolução. Cada um de nós é um fruto de um pensamento de Deus. Cada um de nós é querido, cada um é amado, cada um é necessário”.

Esta afirmação o Papa fez na homilia do início do seu pontificado, em 24 de abril de 2005. É uma crítica aos cientistas que tentam baralhar as coisas, saltando do campo científico para o campo da filosofia e da religião. É necessário fazer distinção entre evolução e evolucionismo, que não são a mesma coisa. A evolução pode ser considerada uma teoria científica, baseada em fatos. O evolucionismo, ao contrário, é baseado em conjecturas e invade o campo da filosofia ou da ideologia quando nega o finalismo e admite que tudo é produto do acaso. Os adeptos do evolucionismo afirmam isto sem ter apoio científico, sem nenhuma prova com base em fatos concretos. Por isso é que se diz que é filosofia e não ciência. Tal evolucionismo não é sustentável nem como verdade científica nem como conseqüência necessária da teoria da evolução.

Bento XVI mostra uma grande preocupação com essa filosofia e afirma que o evolucionismo darwinista (como ideologia) promove o positivismo científico, que ensina que só a experiência e o método científico podem produzir certeza e, conseqüentemente, que a religião, se sobreviver, só servirá para uma consolação subjetiva e emocional diante da indiferença fria do universo. Em resposta, o Papa argumenta que o Cristianismo confia em verdades mais profundas, que estão além da simples observação empírica. A principal dessas verdades é que a vida não acontece ao acaso, mas tem propósito. Neste sentido, ele acredita num “projeto inteligente” do Criador.

O Papa disse: “Nós não somos o produto casual e sem sentido da evolução”. Esta afirmação não agrada aos cientistas materialistas e ateus, os quais afirmam com veemência que “nós somos”. No livro Evolution after Darwin, Julian Huxley mostra como o darwinismo se impõe e deve tornar-se o fundamento do relativismo moderno:

No pensamento evolucionista não há lugar para seres sobrenaturais (espirituais) capazes de afetar o curso dos acontecimentos humanos, nem há necessidades deles. A terra não foi criada, formou-se por evolução. O corpo humano, a mente, a alma e tudo o que se produziu, incluindo as leis, a moral, as religiões, os deuses, etc., é inteiramente resultado da evolução, mediante a seleção natural.

Afirmações desse tipo mostram que o evolucionismo pretende ser o dogma fundamental do relativismo moderno. Os que depositam fé nesse dogma podem ser levados a dar declarações despudoradas como esta de Richard Lewontin, um eminente geneticista da Universidade de Harvard e ardoroso defensor do evolucionismo:

Somos forçados, por nossa prévia adesão à concepção materialista do universo, a criar um aparato de investigação e um conjunto de conceitos que produzam explicações materialistas, não importa quão contraditórias, quão enganosas e quão mitificadas para os não iniciados. Além disso, para nós o materialismo é absoluto, não podemos permitir que o “Pé Divino” entre por nossa porta.

Lewontin diz também que o evolucionismo não é propriamente uma ciência, mas uma ideologia, um conjunto de idéias às quais a realidade deve se adaptar. Em outras palavras, a realidade em si não importa, o que importa é a ideologia. O Papa e o magistério da Igreja, pelo contrário, querem que a ciência seja “científica” (empírica) e não ideológica nem filosófica.

O paleontólogo jesuíta Teilhard de Chardin parece também ter se contaminado com o evolucionismo, quando diz que tudo deve girar em torno dele. No seu livro “O Fenômeno Humano” ele faz a pergunta: “A evolução é uma teoria, um sistema, ou uma hipótese?”. E responde:

É muito mais do que isso. É uma condição geral à qual se devem dobrar todas as teorias, todas as hipóteses, todos os sistemas; uma condição à qual (tudo isso) deve prestar satisfação, doravante, para que possa ser tomado em consideração e para que possa ser considerado certo.

Por isso, muitos vêem no evolucionismo (como ideologia) uma das causas do relativismo triunfante dos tempos modernos, segundo o qual não existe nem verdade, nem moral, nem religião, tudo é relativo, tudo em evolução. Tudo gira em redor do evolucionismo que seria, então, o dogma básico. E aí está uma contradição: tudo é relativo, exceto o evolucionismo que é absoluto.


5 – Uma evolução teísta


O católico pode admitir uma “evolução teísta”, isto é, aquela que afirma que a fé e a explicação evolucionista da origem do corpo do homem não estão em conflito, mas que é exigida a intervenção de Deus para explicar a origem do componente espiritual do homem.

A ciência pode investigar legitimamente a origem do corpo do homem como proveniente da evolução de algum animal preexistente. Os católicos são livres para formar as suas próprias opiniões a esse respeito; mas devem ser prudentes e cautelosos, sem confundir fato com conjectura, e devem respeitar o direito da Igreja de definir os assuntos referentes à Revelação. Porém, devem acreditar que a alma humana foi criada imediatamente por Deus, considerando que a alma é uma substância espiritual que não pode provir da matéria por evolução.

Os católicos podem também admitir a idéia do “ancestral comum”, que afirma que todos os seres descendem de um único ser vivo primordial. Bento XVI, quando ainda era o cardeal Ratzinger, presidiu a Comissão Teológica Internacional, que estabeleceu o seguinte: “Uma vez que se demonstrou que todos os organismos na terra são relacionados entre si geneticamente, é virtualmente certo que todos os organismos vivos descendem de um único primeiro organismo”. A origem comum de todos os seres não é problema. O que a Igreja não aceita é a idéia de que todos os seres são produtos de uma criação cega, ao acaso e sem sentido. A Igreja não aceita isto, porque seria o mesmo que admitir o ateísmo.


6 – A predominância do mais forte


Uma ética evolutiva que inevitavelmente toma como seu conceito fundamental o modelo de seletividade, quer dizer, a luta pela sobrevivência, a vitória do mais forte, a adaptação bem sucedida, tem pouco conforto para oferecer

A afirmação acima foi feita pelo Papa em “Verdade e Tolerância”. Como vimos em evolucionismo darwinista, o darwinismo está baseado na lei da seleção natural: quando aparece em algum indivíduo uma mutação vantajosa, os seus descendentes que nascem com essa vantagem são mais fortes e sobrepõem-se aos demais, que tendem a desaparecer do mapa da vida. Sobre essa idéia da predominância do mais forte o Papa faz uma ressalva:

Mesmo quando as pessoas tentam de vários modos tornar essa idéia (do darwinismo) mais atraente, permanece no final das contas uma ética sanguinária… Isso não traz nenhuma ajuda no sentido de se ter uma ética de paz universal, de amor prático ao próximo e da superação necessária de si mesmo, que é o de que nós precisamos.

Alguns historiadores acham que a idéia da predominância do mais forte sugerida pelo darwinismo foi o que influenciou Adolph Hitler na sua demente aventura de tornar o povo alemão o mais forte e o dominador de todos os outros povos (Deutchland über Alles), aventura que culminou na sanguinária segunda guerra mundial.

A teoria do mais forte também levou ao racismo que dominou e ainda domina o modo de pensar e de agir de povos e de muitas pessoas. No livro “Darwin e a evolução”, Gilles Lepouge afirma: “Na verdade, Darwin traz em si boa parte das teorias racistas, se bem que ele tenha sido completamente avesso a qualquer espécie de racismo… O darwinismo, há um século, serve de justificativa teórica a muitos pensamentos racistas e elitistas”.

O próprio primo de Darwin, Galton, que era biólogo, propôs que a sociedade, através da aplicação de métodos científicos, fizesse “com previdência, rapidez e benevolência, aquilo que a natureza faz cega, lenta e impiedosamente”. Ele pretendia, justamente graças ao darwinismo, estender ao homem as leis do reino animal, o que faria da biologia a única verdadeira ciência do homem.

Outra conseqüência do princípio da dominância do mais forte é a teoria da eugenia, que foi bastante difundida no início do século XX. Principalmente na Europa e nos Estados Unidos, a eugenia foi praticada para esterilizar milhares de pessoas loucas, doentes ou indigentes. Ao todo foram 375.000 esterilizações na Alemanha nazista, e – pasmem – 30.000 nos Estados Unidos, entre 1927 e 1972, segundo pesquisa da Fundação F. Engels.

O prêmio Nobel de medicina de 1960, MacFarlane, chegou mesmo a defender a tese de que os progressos da medicina impedem que a natureza selecione as espécies, permitindo a sobrevivência dos fracos. E acusa o espírito democrático de dificultar a eliminação dos inferiores. E conclui que “esta repressão da função de triagem própria da seleção natural deve levar a um acúmulo de indivíduos que podemos chamar inferiores, de acordo com as normas correntes relativas à saúde, inteligência e agressividade”.

A história do século XX mostra que as filosofias baseadas no evolucionismo ideológico, tais como o nazismo, a eugenia, o comunismo, o darwinismo social, causaram os piores e mais desastrados comportamentos humanos em toda a história da humanidade.


7 – Concluindo


A teoria da evolução parece ser um dos temas preferidos de Joseph Ratzinger, desde o tempo em que era cardeal, como também agora como Papa. Ele não vê dificuldade em admitir que a diversidade de vida na terra possa ser explicada pela teoria da evolução darwiniana, ao menos no que se refere à micro-evolução. Mas, a teoria não explica tudo sobre a vida. O espírito humano não pode se originar da matéria por evolução. Por isso, é necessário admitir a intervenção divina.

Essa doutrina é geralmente conhecida como “evolução teísta”. Pode-se dizer que é a teoria seguida por Bento XVI, pois ele admite que a mão de Deus opera através da evolução e, ocasionalmente, em paralelo com a evolução. Por isso, o conceito de criação não se opõe ao de evolução. Ele não se diz diretamente adepto da teoria do Projeto Inteligente – que afirma que algum projetista inteligente age em lugar da evolução – embora mostre simpatia por essa teoria.

Mas, a grande preocupação do Papa está na tentativa de certos cientistas de querer explicar tudo pela evolução, inclusive as questões filosóficas, sociais e religiosas, fazendo da evolução o centro de tudo. Ele vê nisto um grande perigo para a fé e a moral, e insiste na convicção fundamental da fé cristã: “In principio erat Verbum – no começo de todas as coisas está o poder criativo da razão”.

O Papa não deseja repetir o caso de Galileu. Ele quer que tanto o cientista como o teólogo sigam tranqüilamente nas pesquisas, cada um em seu campo específico, sem ter medo um ao outro, pois as verdades (verdadeiras) da ciência e as verdades (verdadeiras) da fé nunca se contradizem. Por outro lado, não quer se render a Auguste Comte, que no século XIX anunciava a chegada de uma “física do homem” que tornaria a religião obsoleta.

Augusto Pasquoto: josemary@terra.com.br

Fonte:  Bendo 16 não é defensor do projeto inteligente, mas tem simpatia …


O Livro da capa Preta . PPT

Confissões de Fé de grandes Cientistas.PPT


Leia a Bíblia NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120&h=120 Miguél Arcanjo


Bento XVI fala às Famílias no México.

No último dia do VI Encontro Mundial das Famílias realizado no México, Bento XVI falou aos participantes após a conclusão do congresso teológico e pastoral.


Assinado por Pedro Pallares Jabbur
Data: 19 de Janeiro de 2009


A reunião prossegue no sábado, dia 17. Janeiro com uma noite na Basílica de Guadalupe. Depois de rezar o rosário e os testemunhos das famílias dos cinco continentes, foram pensados para transmitir uma mensagem gravada do Santo Padre. Contudo, uma inesperada chuva e frio, que recomendou enviá-lo para o próximo dia antes do fechamento da missa.

Nessa mensagem, o Papa recordou que “o ambiente doméstico é uma escola de humanidade e de vida cristã para todos os seus membros, com consequências benéficas para os indivíduos, a Igreja e a sociedade. […] A família cristã, vivendo filial confiança e obediência a Deus, ser fiel e generoso acolhimento das crianças, para cuidar dos mais fracos e da prontidão para perdoar, ela se torna uma vida evangélica que todos possam ler (cf. 2 Cor 3,2), como um sinal de credibilidade pode ser mais persuasivo e capaz de obrigar o mundo hoje. “

Bento XVI observou que “a convivência na casa, mostrando que a liberdade e a solidariedade são complementares, que o bem de todos para que o bem dos outros, que a exigência de estrita justiça deve ser aberta para a compreensão e perdão, num espírito de bem comum, é um dom para as pessoas e uma fonte de inspiração para a convivência social. […] Além disso, a família também é vital célula da sociedade, o primeiro e o recurso crucial para o seu desenvolvimento e, muitas vezes sob a última destas estruturas, que não cobrem as suas necessidades de forma satisfatória. “

Precisamente por este motivo, a família tem direito a ser reconhecido em sua própria identidade e não deve ser confundida com outras formas de […]. ” Qual é, pois, necessário desenvolver uma cultura e uma política da família que também são promovidos de forma organizada pelas próprias famílias.

O que eles aprendem em casa:

No final da Missa, que foi seguido pelo Papa na televisão, o Santo Padre enviou uma mensagem que reividic

ou os direitos inalienáveis da família e disse: “Nesse sentido, a família fundada sobre o matrimônio indissolúvel entre um homem e uma mulher expressa esta dimensão relacional, filial e comunitária, e é a área onde o homem pode nascer com dignidade, para crescer e desenvolver um integrante no caminho. “Livre na educação é dificultado por um enganoso conceito de liberdade, onde o subjetivo caprichos e impulsos do indivíduo é exaltado a ponto de deixar todo mundo preso na prisão de si. ” Para a verdadeira liberdade é exercida com responsabilidade e se tornar um dom de si mesmo”, você precisa a proximidade e o amor característico da família. Em casa é onde se aprende realmente a viver, e a valorizar a vida e saúde, liberdade e paz, justiça e verdade, trabalho, harmonia e respeito. “

Um Presente de Lula ao Papa representando uma Família retirante do Nordeste Brasileiro.

Um Presente de Lula ao Papa representando uma Família retirante do Nordeste Brasileiro, por acasião de sua visita a Bento XVI no Vaticano dia (13/11/2008) .

Finalmente, Bento XVI anunciou que o Sétimo Encontro Mundial das Famílias será realizado em Milão, em 2012, com o tema: Família, trabalho e festa “.

Surto de Gripe Suína.

Saiba como evitá-la –

Está ficando cada dia pior.

Mas a vacina também já está chegando!

Contágio, Sintomas e precauções.

lupinha1 Saiba Mais => click no homen

.

image5cprosaude5cpcd1A prevenção é o melhor

remédio para se evitar uma

Pandemia generalizada

click e amplie

.

PREVENÇÃO NÃO É PÂNICO !

.

.

GRIPE SUÍNA

Quais os sintomas em humanos?
Os sintomas geralmente são similares ao da gripe comum. Eles surgem subitamente e incluem febre alta (acima de 39º), tosse, letargia, falta de apetite, irritação nos olhos, coriza (nem sempre pronunciada), dor de garganta (nem sempre pronunciada), dor de cabeça intensa, dor nos músculos e nas articulações. Podem ocorrer, também, náusea, vômitos e diarreia.

Qual a diferença em relação aos sintomas da dengue?
Na dengue não há sintomas respiratórios, como coriza e tosse, e as dores no corpo podem ser mais pronunciadas.

Qual a diferença entre a gripe suína e a gripe comum?
A gripe suína é caracterizada pelos sintomas da gripe comum, mas pode causar vômitos e diarreia mais graves. A epidemiologia é fundamental. Se o suspeito esteve no México, Canadá ou EUA nas últimas semanas e apresentar os sintomas, deve ser investigado

Como ocorre a transmissão?
A doença foi contraída inicialmente por pessoas que tiveram contatos com criações de porcos. O problema é que essa variante do vírus permite o contágio entre humanos, razão que explica o atual temor. A transmissão ocorre da mesma forma que na gripe comum: por via aérea, por meio de espirros e tosse. Ela pode ser direta (a pessoa inala as partículas que estão no ar) ou indireta (a pessoa toca em objetos que foram contaminados por tosse ou espirro e leva a mão à boca ou aos olhos, trazendo o vírus para dentro do corpo).

É possível contrair a doença comendo carne de porco?

Não. A gripe suína não é transmitida por alimentos. O cozimento da carne a 71º C destrói o vírus (para se ter uma ideia, o fogão comum atinge facilmente temperaturas superiores a essa).

Como é feito o diagnóstico?
Uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e enviada ao laboratório.

Como evitar a doença?
Caso você viaje para regiões em que há casos registrados, como EUA, México ou Canadá, é recomendável usar máscaras cirúrgicas descartáveis em locais de grande circulação de pessoas, evitar aglomerações, evitar o contato direto com pessoas doentes, lavar as mãos frequentemente com sabão e água, especialmente após tossir ou espirrar, e evitar levar as mãos à boca e aos olhos.

O que fazer se estiver com suspeita da doença?
Em caso de suspeita, é preciso procurar um médico e informá-lo da suspeita, como por exemplo uma recente viagem a um país onde há casos registrados. A OMS recomenda que as pessoas com sintomas não saiam de casa e evitem aglomerações. É necessário repouso e ingestão de líquidos. É recomendado também que a pessoa cubra sua mão e o nariz quando for espirrar e lave as mãos com frequência.

.

Quer saber tudo bem mais detalhado ?

O que você precisa saber

Sobre a gripe suína.

O