Oração de São Bento.



11/07 Dia de São Bento
Oração de São Bento:


A Cruz Sagrada seja minha luz
Não seja o dragão o meu guia
Retira-te Satanás
Nunca me aconselhe coisas vãs
É mal o que tu me ofereces
Bebe tu mesmo o teu veneno
Amém.
São Bento, rogai por nós!


Dia de São Bento Imagem



Dia de São Bento Imagem


Milagres de São Bento

O Milagre da taça envenenada.



Havia um mosteiro cujo abade havia falecido, e a comunidade dirigiu-se ao venerável Bento, rogando-lhe todos os monges insistentemente que os dirigisse. Ele negou-se durante muito tempo, dizendo-lhes antemão que seu modo de proceder não se ajustaria ao daqueles irmãos, mas, vencido afinal por suas insistentes súplicas, acabou por consentir.

Impôs então àquele mosteiro a observância da vida regular, não permitindo a ninguém desviar-se ou viver como antes. Os irmãos daquele mosteiro, irritados com tanta severidade, começaram por se recriminar terem-lhe pedido que os governasse, pois sua vida “torta” estava em conflito com aquele modelo de retidão. Dando-se conta de que sob o governo de Bento não mais lhes seriam permitidas coisas ilícitas, e doendo-se por terem que renunciar a seus antigos costumes, pareceu-lhes duro, por outro lado, verem-se obrigados a adotar costumes novos com seu espírito envelhecido; por tudo isso, e também porque aos depravados a vida dos bons parece algo intolerável, tramaram matá-lo. E depois de decidi-lo em conselho, puseram veneno no seu vinho –  (isso é representado por uma taça de cristal quebrada com o sinal da Cruz apresentada nas costas da  medalha).

Quando foi apresentada ao abade, ao sentar-se à mesa, a taça de cristal que continha a bebida envenenada para que, segundo o costume do mosteiro, a abençoasse, Bento, levantando a mão, fez o sinal da Cruz e com ele se quebrou a taça que ainda estava a certa distância.

E de tal modo se rompeu aquela taça de morte que mais parecia que, em lugar da Cruz, fora uma pedra que a atingira. Compreendeu logo o homem de Deus que a taça continha uma bebida de morte, e que não podia suportar o sinal da vida. Depois disso, relembrou aos monges o que tinha dito a respeito de suas regras severas que não se adaptariam a eles, e deixou este mosteiro.


O milagre do pão envenenado e o corvo


Um presbítero conhecido de São Bento, obcecado pelas trevas a tal ponto que chegou a enviar de presente ao servo de Deus todo-poderoso um pão envenenado. O homem de Deus o recebeu agradecido, mas não lhe ficou oculta a peste que no pão se ocultava. Ora, acontecia que à hora da refeição costumava vir da floresta próxima um corvo, que recebia pão das mãos de Bento. O Corvo é representado nas costas da medalha.

Quando então chegou como de costume, o homem de Deus lançou diante do corvo o pão envenenado do presbítero, e deu-lhe esta ordem: “Em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, toma esse pão e atira-o num lugar tal que não possa ser achado por ninguém”. O corvo, então, de bico e asas abertos, começou a esvoaçar e a crocitar em redor do pão como se dissesse claramente que queria obedecer, mas não podia. No entanto, o homem de Deus ordenava repetidas vezes: “Leva, leva sem medo, e vai jogá-lo onde não possa ser encontrado”. Finalmente, depois de hesitar por muito tempo, o corvo tomou o pão no bico e, levando-o, partiu. Ao cabo de três horas voltou sem o pão, que lançara fora, e recebeu das mãos do homem de Deus a ração costumeira.


O poder da Santa Cruz


Conta-se, por volta do ano 1647,  que feiticeiras da Baviera, acusadas de suas maldades contra o povo daquela região, confessaram ver seus feitiços inteiramente anulados pelo poder da Cruz; e que em todos os lugares, aonde estivesse a Santa Cruz, seus malefícios nunca tinham efeito.

Contaram ainda que, especialmente no Mosteiro de Metten, nunca conseguiram êxito em suas maldades e concluíam que isto se devia ao fato da existência de alguma Cruz naquele lugar.

Por causa disto, as autoridades locais foram consultar os monges da Abadia de Mette sobre o assunto. Depois de muito procurarem, localizaram de fato que o mosteiro era repleto de cruzes gravadas nas paredes e com uma inscrição acima. Era preciso descobrir o porquê e por quem as cruzes foram gravadas.

Suas investigações os levaram à biblioteca, a um antigo livro escrito por ordem do Abade Pedro, no ano de 1415. O livro transcrevia antiquíssimos, entre eles vários sobre a Cruz, com inúmeros desenhos a bico de pena realizados por um monge anônimo.

Um destes desenhos era justamente São Bento tendo na mão direita um bastão em forma de Cruz, e acima do bastão estava o texto: CRUX SACRA SIT MIHI LUX NO DRACO SIT MIHI DUX, e da outra mão sai uma flâmula com as frases: VADE RETRO SÁTANA NUMQUAM SUADE MIHI VANA, SUNT MALA QUAE LIBAS IPSE VENENA BIBAS (A cruz sagrada seja minha luz, não seja o dragão meu guia. Retira-te, satanás, nunca me aconselhes coisas vãs. É mau o que ofereces, bebe tu mesmo os teus venenos).

A medalha é eficaz no combate direto a satanás, às tentações, contra doenças e picadas de animais como cobras e na proteção de automóveis.


Dia de São Bento Imagem 1


Oração a São Bento


Ó glorioso Patriarca São Bento, que vos mostrastes sempre compassivo com os necessitados, fazei que também nós, recorrendo à vossa poderosa intercessão, obtenhamos auxílio em todas as nossas aflições; que nas famílias reine a paz e a tranqüilidade; que se afastem de nós todas as desgraças tanto corporais como espirituais, especialmente o mal do pecado. Alcançai do Senhor a graça… que vos suplicamos; finalmente, vos pedimos que ao término de nossa vida terrestre possamos ir louvar a Deus convosco no Paraíso.
Amém.



Prof. Felipe Aquino



Medalha de São Bento



O que significam aquelas inscrições na medalha?

Ao contrário do que muitos pensam a medalha de São Bento não é um “amuleto da sorte”. Trata-se de um sacramental, isto é, um sinal visível de nossa fé.

Na parte frontal da medalha são apresentados uma cruz e entre seus braços estão gravadas as letras C S P B, cujo significado é, do latim: Cruz Sancti Patris Benedicti“Cruz do Santo Pai Bento”.

Na haste vertical da cruz leem-se as iniciais  C S S M L: Crux Sacra Sit Mihi Lux“A cruz sagrada seja minha luz”.

Na haste horizontal leem-se as iniciais  N D S M D: Non Draco Sit Mihi Dux – “Não seja o dragão meu guia”.

No alto da cruz está gravada a palavra PAX (“Paz”), que é lema da Ordem de São Bento. Às vezes, PAX é substituído pelo monograma de Cristo: I H S.

A partir da direita de PAX estão as iniciais: V R S N S M V: Vade Retro Sátana Nunquam Suade Mihi Vana – “Retira-te, satanás, nunca me aconselhes coisas vãs!” e S M Q L I V B: Sunt Mala Quae Libas Ipse Venena Bibas – “É mau o que ofereces, bebe tu mesmo os teus venenos!”.



Nas costas da medalha está São Bento, segurando na mão esquerda o livro da Regra que escreveu para os monges e, na outra mão, a cruz.

Ao redor do Santo lê-se a seguinte jaculatória ou prece: EIUS – IN – OBITU – NRO – PRAESENTIA – MUNIAMUR – “Sejamos confortados pela presença de São Bento na hora de nossa morte”.

É representado também a imagem de um cálice do qual sai uma serpente e um corvo com um pedaço de pão no bico, lembrando as duas tentativas de envenenamento, das quais São Bento saiu, milagrosamente, ileso.


São Miguel Arcanjo
Batalha Tende_Misericordia_Senhor

O Monge e o escorpião.



Amar o seu inimigo é uma

questão de natureza !

Veja o Texto:




monge-e-menino.jpg


Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, o homem deixou-o cair novamente no rio. Foi então à margem, tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr pela margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. Voltou o monge e juntou-se aos discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

– Mestre deve estar muito doente!

– Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso?

– Que se afogasse!

– Seria um a menos!

– Veja como ele respondeu à sua ajuda, picou a mão que o salvara!

– Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:

– Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha.


o-monge-e-o-escorpiao.jpg


Amai os vossos Inimigos…

(São Mateus 5,44)

Esta historinha tão simples nos diz exatamente o que está dizendo, não importa quantos problemas enfrentarmos no mundo ou quantos inimigos encontrarmos pela frente, a nossa atitude deverá sempre refletir o nosso eu interior, ou seja, aquilo que somos de verdade.

Por isso muitas vezes em situações extremas acabamos revelando em nós uma pessoa que não conhecíamos e depois não conseguimos o perdão daqueles que possam ter sido ofendidos pela nossa explosão.

Precisamos controlar nossas atitudes e principalmente nosso temperamento explosivo, para isso acontecer precisamos aceitar em primeiro lugar está hipótese acima, “É meu dever salvar meu inimigo quando ele estiver em dificuldades, não por ele, mas por mim mesmo, que salvaria a qualquer um, por ser a minha natureza.” Quando aceitarmos realmente esta condição e provarmos para nós mesmos que esta é a maneira mais correta de agir, mesmo que você não fale ou comente com ninguém, quando a situação ocorrer, você a executará automaticamente sem perceber, e aquela opinião, “Se meu Inimigo estiver se afogando, devo afundá-lo ainda mais…” deverá ser apagada completamente de seu Coração definitivamente.

Esta atitude, é o que Cristo nos ensina com a História do filho pródigo, Jesus quis falar para os Judeus que eles deveriam receber seus irmãos que haviam se afastado, ficando de fora da promessa do Pai, porque, como cremos, Jesus estava prometendo seu Espírito Santo não somente para os Judeus, que eram, até aquele dia, o povo de propriedade exclusiva de Deus e únicos herdeiros da promessa. Em varias outras passagens Jesus demonstra que seu reino é para todos “Também os não Judeus e não Circuncidados” isto significa que este presente do Pai: é para mim e também para você.

Aquele Irmão mais velho demonstrou uma atitude de ódio e não queria perdoar seu irmão “pródigo”, a parábola termina sem uma definição da história, não mostra se o filho mais velho entrou ou não em casa para festejar com seu irmão, isto porque esta atitude deverá ser tomada por mim e por você no dia de hoje.

Vemos nas cartas de São Paulo, que muitos discípulos queriam ensinar as palavras de Jesus somente para os Judeus “Os Santos”, outros queriam Circuncidar os convertidos os transformando primeiro em Judeus, para depois os Batizar tornando-os herdeiros das promessas Divinas, uma atitude clara de que não haviam entendido ainda a parábola do filho pródigo, e apesar de serem convertidos e cheios do Espírito Santo, continuavam agindo com ódio e rancor em seus corações, evitando evangelizar os escorpiões, que também mereciam ser salvos.


porcoespinho

A historia dos porcos espinhos.


Uma grande novidade do evangelho de Jesus é justamente esta, o bem é para ser dado também para os maus, os doentes, os rejeitados, os bandidos, os esquecidos, os moribundos, os inimigos, enfim todos aqueles de quem as vezes queremos fugir e não nos aproximar, ainda diz Jesus, mesmo que seja apenas um copo d’água a ser oferecido e entregue a qualquer um destes pequeninos, serão dados a mim mesmo.Como perdoar e aceitar aquele que nos ofende ? O Pai perdoou seu filho, nos mostrando claramente o que é o verdadeiro perdão. Perdoar e esperar e receber com alegria e com festa aquele que me ofendeu, é lhe restituir a dignidade e devolver o lugar que lhe pertence dentro do seu coração.

Estava vendo um clip de uma Santa Missa no Vaticano, com milhares de pessoas, selecionaram alguns privilegiados, e estes iriam comungar diretamente com o Próprio Papa, é uma honra tamanha e digna de se guardar na memória, tanto é assim que foi fotografado, um a um, e três câmeras em ângulos diferentes registravam aquelas cenas que jamais se repetiriam.

Quem não gostaria de estar naquela fila ? Quem não gostaria de receber o Papa em sua casa ? Quem não lhe daria um copo d’água se ele lhe pedisse? Quem não lhe hospedaria e moveria mundos e fundos, mesmo que não tivesse dinheiro, para lhe fazer um grande banquete digno de uma personalidade tão ilustre?

Diríamos, “Estou recebendo o próprio Cristo na Pessoa do Papa”, seria a mais pura verdade, mas devemos relembrar o fato de que Jesus no ventre de sua Mãe não foi recebido em nenhuma casa no dia que chegou a este mundo.

Porque não foi reconhecido ?

Porque não sabiam que era Ele ?

Porque então o mataram se sabiam que era Ele ?

É melhor não saber quem é Jesus e fazer o que for preciso para qualquer um o que pretenderíamos fazer para o próprio Jesus, ele é muito modesto e lhe pede apenas um copo d’água, não pede um grande banquete, nasce numa manjedoura e prefere duas moedinhas do que um saco cheio de dinheiro, nem vou dizer que a recompensa por estes simples gestos, será um grande banquete celestial e uma vida eterna ao lado do Pai de Amor.


Escorpião na mao



O Alpinista


PARA VER OS EFEITOS BAIXE O POWER POINT NO SLAIDSHARE



O Monge e o Escorpião.



Amar seu ofensor é uma questão de natureza !


monge-e-menino.jpg


Um monge e seus discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, o homem deixou-o cair novamente no rio. Foi então à margem, tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr pela margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. Voltou o monge e juntou-se aos discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

– Mestre deve estar muito doente!

– Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso?

– Que se afogasse!

– Seria um a menos!

– Veja como ele respondeu à sua ajuda, picou a mão que o salvara!

– Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu:

– Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha.


o-monge-e-o-escorpiao.jpg





Amai os vossos Inimigos…

(São Mateus 5,44)

Esta historinha tão simples nos diz exatamente o que está dizendo, não importa quantos problemas enfrentarmos no mundo ou quantos inimigos encontrarmos pela frente, a nossa atitude deverá sempre refletir o nosso eu interior, ou seja, aquilo que somos de verdade.

Por isso muitas vezes em situações extremas acabamos revelando em nós uma pessoa que não conhecíamos e depois não conseguimos o perdão daqueles que possam ter sido ofendidos pela nossa explosão.

Precisamos controlar nossas atitudes e principalmente nosso temperamento explosivo, para isso acontecer precisamos aceitar em primeiro lugar está hipótese acima, “É meu dever salvar meu inimigo quando ele estiver em dificuldades, não por ele, mas por mim mesmo, que salvaria a qualquer um, por ser a minha natureza.” Quando aceitarmos realmente esta condição e provarmos para nós mesmos que esta é a maneira mais correta de agir, mesmo que você não fale ou comente com ninguém, quando a situação ocorrer, você a executará automaticamente sem perceber, e aquela opinião, “Se meu Inimigo estiver se afogando, devo afundá-lo ainda mais…” deverá ser apagada completamente de seu Coração definitivamente.

Esta atitude, é o que Cristo nos ensina com a História do filho pródigo, Jesus quis falar para os Judeus que eles deveriam receber seus irmãos que haviam se afastado, ficando de fora da promessa do Pai, porque, como cremos, Jesus estava prometendo seu Espírito Santo não somente para os Judeus, que eram, até aquele dia, o povo de propriedade exclusiva de Deus e únicos herdeiros da promessa. Em varias outras passagens Jesus demonstra que seu reino é para todos “Também os não Judeus e não Circuncidados” isto significa que este presente do Pai: é para mim e também para você.

Aquele Irmão mais velho demonstrou uma atitude de ódio e não queria perdoar seu irmão “pródigo”, a parábola termina sem uma definição da história, não mostra se o filho mais velho entrou ou não em casa para festejar com seu irmão, isto porque esta atitude deverá ser tomada por mim e por você no dia de hoje.

Vemos nas cartas de São Paulo, que muitos discípulos queriam ensinar as palavras de Jesus somente para os Judeus “Os Santos”, outros queriam Circuncidar os convertidos os transformando primeiro em Judeus, para depois os Batizar tornando-os herdeiros das promessas Divinas, uma atitude clara de que não haviam entendido ainda a parábola do filho pródigo, e apesar de serem convertidos e cheios do Espírito Santo, continuavam agindo com ódio e rancor em seus corações, evitando evangelizar os escorpiões, que também mereciam ser salvos.


 porcoespinhoComo perdoar e aceitar aquele que nos ofende ? O Pai perdoou seu filho, nos mostrando claramente o que é o verdadeiro perdão. Perdoar e esperar e receber com alegria e com festa aquele que me ofendeu, é lhe restituir a dignidade e devolver o lugar que lhe pertence dentro do seu coração.

Uma grande novidade do evangelho de Jesus é justamente esta, o bem é para ser dado também para os maus, os doentes, os rejeitados, os bandidos, os esquecidos, os moribundos, os inimigos, enfim todos aqueles de quem as vezes queremos fugir e não nos aproximar, ainda diz Jesus, mesmo que seja apenas um copo d’água a ser oferecido e entregue a qualquer um destes pequeninos, serão dados a mim mesmo.

Estava vendo um clip de uma Santa Missa no Vaticano, com milhares de pessoas, selecionaram alguns privilegiados, e estes iriam comungar diretamente com o Próprio Papa, é uma honra tamanha e digna de se guardar na memória, tanto é assim que foi fotografado, um a um, e três câmeras em ângulos diferentes registravam aquelas cenas que jamais se repetiriam.

Quem não gostaria de estar naquela fila ? Quem não gostaria de receber o Papa em sua casa ? Quem não lhe daria um copo d’água se ele lhe pedisse? Quem não lhe hospedaria e moveria mundos e fundos, mesmo que não tivesse dinheiro, para lhe fazer um grande banquete digno de uma personalidade tão ilustre?

Diríamos, “Estou recebendo o próprio Cristo na Pessoa do Papa”, seria a mais pura verdade, mas devemos relembrar o fato de que Jesus no ventre de sua Mãe não foi recebido em nenhuma casa no dia que chegou a este mundo.

Porque não foi reconhecido ?

Porque não sabiam que era Ele ?

Porque então o mataram se sabiam que era Ele ?

É melhor não saber quem é Jesus e fazer o que for preciso para qualquer um o que pretenderíamos fazer para o próprio Jesus, ele é muito modesto e lhe pede apenas um copo d’água, não pede um grande banquete, nasce numa manjedoura e prefere duas moedinhas do que um saco cheio de dinheiro, nem vou dizer que a recompensa por estes simples gestos, será um grande banquete celestial e uma vida eterna ao lado do Pai de Amor.





buda-barrouro o-maior-tesouro-do-mundo Amigo Fiel
MILAGRE DE LANCIANO JESUS FALA COM NICODEMOS.

MENSAGEM NO SLAIDSHARE – BAIXE PARA VER OS EFEITOS.



Verdades & Segredos ocultos !



Um segredo nem sempre é uma verdade, mas quando uma verdade se torna um segredo, ela corre o grave risco de se tornar apenas uma lenda, se não for totalmente esquecida.

A unica maneira de reencontrar esta verdade seria revelando o que estava oculto atrás deste tão bem guardado segredo que muitas vezes pode até estar escondendo um enorme tesouro.



Siga a História.


Estava em fase de projeto a construção de uma rodovia muito importante na Tailândia e em seu trajeto mais viável existia um pequeno templo sem muita importância a não ser pelo seu valor histórico.  Haviam varias opções de trajeto e desvios para a estrada, mas a melhor alternativa e mais econômica seria a retirada do templo do caminho só que em seu interior existia uma relíquia histórica.

Para preservar o templo, a relíquia e a história, decidiram desmanchá-lo e reconstruir em outro local próximo.   Para mudá-lo de lugar deveriam transportar também uma enorme Estátua de Barro a fim de preservar a arte e a religiosidade histórica dos monges Thailândeses.

Jack Canfield – Canja de galinha para a alma pg. 81.

No outono de 1988, minha esposa Georgia e eu fomos convidados a fazer uma palestra sobre auto-estima e desempenho máximo numa conferência em Hong Kong. Como nunca havíamos estado no Extremo Oriente, decidimos estender nossa viagem e visitar a Tailândia. Em Bangkok, fizemos uma visita aos mais famosos templos budistas da cidade.



Wat Traimit     Logotipo do Flickr. Se clicar nele, você vai para a página inicial     Galeria de Heaven`s Gate (John)


Um deles deixou uma indelével impressão em nossos corações e mentes. Chama-se o “Templo do Buda de Ouro”. O templo em si é muito pequeno, provavelmente não mais do que 10 x 10 metros. Mas, ao entrarmos, ficamos atordoados com a presença de um Buda de ouro maciço. de 3,5 metros de altura. Ele pesa mais de duas toneladas e meia, e está avaliado em aproximadamente cento e noventa e seis milhões de dólares! Foi uma visão extremamente impressionante – o Buda de ouro maciço, gentil e bondoso, embora imponente, sorrindo para nós. Enquanto estávamos envolvidos com as atividades normais dos turistas (tirar fotografias e fazer exclamações de admiração diante da estátua), caminhei até uma vitrine que continha um pedaço de barro com cerca de oito polegadas de espessura por doze polegadas de largura. Ao lado da vitrine havia uma página datilografada descrevendo a história desta magnífica peça de arte. Nos idos de 1957, um grupo de monges de um monastério precisava transferir um Buda de barro de seu templo para um novo local. O monastério teria que ser transferido para ceder espaço à construção de uma auto-estrada que atravessaria Bangkok. Quando o guindaste começou a suspender o ídolo gigantesco, seu peso era tamanho que ele começou a rachar. E, como se isso não bastasse, começou a chover. O monge superior, que estava preocupado com os danos que pudessem ocorrer ao Buda sagrado, resolveu devolver a estátua ao chão e cobri-la com um grande encerado de lona para protegê-la da chuva.


Bankok golden buddhaBankok golden buddha

Mais tarde, naquela noite, o monge foi verificar como estava o Buda. Acendeu sua lanterna sob o encerado para ver se o Buda continuava seco. Conforme a luz incidiu sobre a rachadura, o monge notou um pequeno brilho e achou estranho. Ao olhar mais de perto o reflexo da luz, perguntou-se se poderia haver algo sob o barro. Foi buscar um cinzel e um martelo no monastério e começou a retirar o barro. À medida que derrubava fragmentos do barro, o pequeno brilho se tornava maior e mais forte. Muitas horas de trabalho se passaram até que o monge se deparou com o extraordinário Buda de ouro maciço.

Os historiadores acreditam que algumas centenas de anos antes da descoberta do monge, o exército dos birmaneses estava prestes a invadir a Tailândia (chamada então de Sião). Os monges siameses, percebendo que seu país seria logo atacado, cobriram seu precioso Buda de ouro com uma camada externa de barro, a fim de evitar que seu tesouro fosse roubado pelos birmaneses. Infelizmente, parece que os birmaneses massacraram todos o monges siameses, e o bem-guardado segredo do Buda de ouro permaneceu intacto até aquele fatídico dia em 1957.

Voltando para casa no avião da Cathay Pacifica Airlines, pensei comigo mesmo: “Somos todos como o Buda de barro, recobertos por uma concha de resistência criada pelo medo e ainda assim, dentro de cada um de nós, há um ‘Buda de ouro’ ou uma ‘essência de ouro’, que é o nosso eu verdadeiro. Em algum lugar ao longo do caminho, entre as idades de dois e nove anos, começamos a encobrir nossa ‘essência de ouro’, nosso eu natural. E, assim como o monge, com o martelo e o cinzel, nossa tarefa agora é descobrir mais uma vez a nossa verdadeira essência.”



Na Sequencia vemos:

Uma reflexão sobre o segredo

que habita em cada um de nós.


PRESENTEPRAVOCE
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg?w=130&h=120