Palavras ao vento.



As palavras pronunciadas são como plumas levadas ao beo prazer dos ventos.

Meditação sobre como ter cuidado com as palavras que proferimos, principalmente quando se trata de inverdades e fofocas, pois elas causam um mal terrível e irreparável na vida de outras pessoas mesmo que você se arrependa e seja perdoado(a).  Também é uma analogia entre palavras e sementes como Jesus nos mostra na Parábola do Semeador.

Leia o texto:


Palavras_ao_vento

“PALAVRAS AO VENTO”


1. Certa vez, uma jovem foi ter com São Filipe Neri, para confessar seus pecados. Ele já a conhecia muito bem e as suas maiores falhas:

2. Não que ela fosse uma má pessoa, mas costumava falar mal dos vizinhos, fazendo fofocas sobre eles. Essas fofocas passavam de boca em boca e acabavam fazendo muito mal… sem nenhum proveito para ninguém.

3. São Felipe então disse: Você tem agido muito mal fazendo fofoca das outras pessoas. Com seu arrependimento Deus lhe perdoará, mas devo lhe dar uma penitência um pouco diferente desta vez:

4. Você deverá trazer até aqui um travesseiro de penas…    Depois nós subiremos até a torre da Igreja para que você solte as penas ao vento que passa.

5.Ela estranhou um pouco a Penitência, mas parecia bem fácil de se cumprir …

6. ficou até Muito aliviada enquanto espalhava as penas pelo ar…

7. Enquanto as plumas ainda flutuavam em direção à cidade disse o Padre:

– Minha filha, você completou perfeitamente a primeira parte da sua penitência:

Agora  vou  lhe  passar  a segunda  parte  …

8. – Vá agora até a cidade e  recolha todas as plumas que foram soltas e me traga de volta até aqui…

9. – MAS … PADRE …  ISSO  SERÁ  IMPOSSÍVEL ! ! ! Porque O vento espalhou as plumas prá todo lado… como saber onde procurá-las ????

10. (*) As Palavras tais como Penas jogadas ao vento. São irrecuperáveis, irrecolhíveis. Desaparecem ao controle do homem. As Palavras ecoam, são audíveis. Elas enlaçam, envolvem e consolam. Ora agridem, machucam, ferindo corações. Alçam voo e podem construir ou destruir.

11. Palavras & Penas são análogas e cruzam-se ao perderem-se no espaço. Palavras depois de proferidas não retornam.

12. Tocam os ouvidos daqueles que as querem ouvir. “Quem tem ouvidos, que as ouçam…” Os distraídos ou indiferentes perdem-nas ao comum, deixando de absorvê-las para o bem. (*) Palavras & Penas – Inês Vieira

13. Palavras também são como sementes que levadas pelo vento não se prevê onde  descansarão. Quando  enfim encontram seu descanso germinam gerando a essência de vida que guardam em seu interior .Palavras ruins gerarão ódio, dor, rancor, tristeza… Pois são sementes do mal…


Fruto_Espírito


14Ao contrário, boas palavras trazem consigo a semente do BEM…  Que geram Amor, Paz, Alegria, Felicidade, etc.  Melhor será sempre espalhar palavras que geram coisas boas do que palavras que geram o mal …

15. Jesus comparou suas PALAVRAS e seus ensinamentos como sementes semeadas ao campo onde cada uma de acordo com sua condição morreram ou frutificaram.

16. O Campo é o mundo e as condições são as mais adversas possíveis, mas cabe a cada um de nós vencer nossas batalhas e desafios com o apoio do Espírito Santo que é esse vento que nos guia.

17. Não vos enganeis: de Deus não se zomba. O que o homem semeia, isso mesmo colherá. Quem semeia na carne, da carne colherá a corrupção; quem semeia no Espírito, do colherá a vida eterna. (Gal. 6,7-8)


 

Sizenando – 06 de julho de 2016

Com_o_Tempo_2

Com o tempo você aprende

Teatro: texto



POWER POINT NO SLIDESHARE

BAIXE PARA MELHOR ACOMPANHAR A ANIMAÇÃO



Link’s para outras Mensagens:


Senhora idosa_o_tempo A_palavra_tem_poder Chronos_tempo_passa
Kairos_tempo_de_Deus Lançai a palavra Fe_demais_atrapalha

Meditações para a Quaresma e Semana Santa.


83[1]






Semeando a cultura de Pentecostes



O segredo que habita em cada um de nós.


Sequencia do Post anterior “O Buda de ouro”.=>


buda-barrouro


Tal qual a história do Buda de Ouro, também vivemos muitos de nós, cobertos de barro e deixando ofuscado o nosso brilho, nossos potenciais, ideais e valores, seja por medo de possíveis críticas, baixa auto-estima ou por desejar se enquadrar em um padrão social. Infelizmente muitos passam por essa vida sem jamais entrarem em contato com a própria essência, sem a consciência do quanto a individualidade no ser, sentir, pensar e agir é preciosa!

Nunca tive conhecimento de que pessoas estereotipadas tenham alcançado a própria genialidade e, acima de tudo, encontrado a felicidade. Seja qual for o nosso papel familiar, profissional ou social, precisamos deixar de lado os nossos temores e realizarmos a nossa vida com plenitude. Temos o dever de pegar o cinzel e o martelo e esculpirmos nosso próprio ser, sem nos preocuparmos com títulos, reconhecimento ou sucesso, mas simplesmente sermos e sabermos que estamos deixando brilhar a melhor parte de cada um de nós.


6510956[1]


Há ainda o Wat Traimit, ou Templo do Buda de Ouro, que apresenta uma estátua de Buda construída em ouro sólido, pesando 5,5 toneladas. Esta imagem é um raro exemplo da arte Sukhotahi que foi encontrado ocasionalmente em escavações durante as obras de construção do templo.


“O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas um sopro de vida[…]“ (Gênesis 2,7)



Existe uma grande coincidência nestes fatos, Deus escolheu o elemento mais simples e mais comum para realizar sua obra, depois de esculpir sua imagem no barro da terra colocou dentro dela algo muito precioso, a própria vida, sendo que veio como acompanhamento a semelhança daquele que lhe inspirou a vida.

Deus nos fez semelhantes a si mesmo, isto implica que temos a mesma essência de nosso Pai e muitas vezes não fazemos a menor ideia do que significa tal afirmação, porque quando olhamos para o espelho apenas vemos o barro que esconde o tesouro que existe dentro de nós.

Por outro lado a grande diferença é que o ouro puro resiste ao tempo e preserva seu brilho para sempre, enquanto que o barro é frágil e pode ser quebrado facilmente para revelar a verdade que está dentro de si.

Neste momento gostaríamos de dizer que este segredo não está tão escondido assim e só não desfruta dele quem realmente não quer.


PRESENTEPRAVOCE http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg?w=130&h=120

Verdades & Segredos ocultos !



Um segredo nem sempre é uma verdade, mas quando uma verdade se torna um segredo, ela corre o grave risco de se tornar apenas uma lenda, se não for totalmente esquecida.

A unica maneira de reencontrar esta verdade seria revelando o que estava oculto atrás deste tão bem guardado segredo que muitas vezes pode até estar escondendo um enorme tesouro.



Siga a História.


Estava em fase de projeto a construção de uma rodovia muito importante na Tailândia e em seu trajeto mais viável existia um pequeno templo sem muita importância a não ser pelo seu valor histórico.  Haviam varias opções de trajeto e desvios para a estrada, mas a melhor alternativa e mais econômica seria a retirada do templo do caminho só que em seu interior existia uma relíquia histórica.

Para preservar o templo, a relíquia e a história, decidiram desmanchá-lo e reconstruir em outro local próximo.   Para mudá-lo de lugar deveriam transportar também uma enorme Estátua de Barro a fim de preservar a arte e a religiosidade histórica dos monges Thailândeses.

Jack Canfield – Canja de galinha para a alma pg. 81.

No outono de 1988, minha esposa Georgia e eu fomos convidados a fazer uma palestra sobre auto-estima e desempenho máximo numa conferência em Hong Kong. Como nunca havíamos estado no Extremo Oriente, decidimos estender nossa viagem e visitar a Tailândia. Em Bangkok, fizemos uma visita aos mais famosos templos budistas da cidade.



Wat Traimit     Logotipo do Flickr. Se clicar nele, você vai para a página inicial     Galeria de Heaven`s Gate (John)


Um deles deixou uma indelével impressão em nossos corações e mentes. Chama-se o “Templo do Buda de Ouro”. O templo em si é muito pequeno, provavelmente não mais do que 10 x 10 metros. Mas, ao entrarmos, ficamos atordoados com a presença de um Buda de ouro maciço. de 3,5 metros de altura. Ele pesa mais de duas toneladas e meia, e está avaliado em aproximadamente cento e noventa e seis milhões de dólares! Foi uma visão extremamente impressionante – o Buda de ouro maciço, gentil e bondoso, embora imponente, sorrindo para nós. Enquanto estávamos envolvidos com as atividades normais dos turistas (tirar fotografias e fazer exclamações de admiração diante da estátua), caminhei até uma vitrine que continha um pedaço de barro com cerca de oito polegadas de espessura por doze polegadas de largura. Ao lado da vitrine havia uma página datilografada descrevendo a história desta magnífica peça de arte. Nos idos de 1957, um grupo de monges de um monastério precisava transferir um Buda de barro de seu templo para um novo local. O monastério teria que ser transferido para ceder espaço à construção de uma auto-estrada que atravessaria Bangkok. Quando o guindaste começou a suspender o ídolo gigantesco, seu peso era tamanho que ele começou a rachar. E, como se isso não bastasse, começou a chover. O monge superior, que estava preocupado com os danos que pudessem ocorrer ao Buda sagrado, resolveu devolver a estátua ao chão e cobri-la com um grande encerado de lona para protegê-la da chuva.


Bankok golden buddhaBankok golden buddha

Mais tarde, naquela noite, o monge foi verificar como estava o Buda. Acendeu sua lanterna sob o encerado para ver se o Buda continuava seco. Conforme a luz incidiu sobre a rachadura, o monge notou um pequeno brilho e achou estranho. Ao olhar mais de perto o reflexo da luz, perguntou-se se poderia haver algo sob o barro. Foi buscar um cinzel e um martelo no monastério e começou a retirar o barro. À medida que derrubava fragmentos do barro, o pequeno brilho se tornava maior e mais forte. Muitas horas de trabalho se passaram até que o monge se deparou com o extraordinário Buda de ouro maciço.

Os historiadores acreditam que algumas centenas de anos antes da descoberta do monge, o exército dos birmaneses estava prestes a invadir a Tailândia (chamada então de Sião). Os monges siameses, percebendo que seu país seria logo atacado, cobriram seu precioso Buda de ouro com uma camada externa de barro, a fim de evitar que seu tesouro fosse roubado pelos birmaneses. Infelizmente, parece que os birmaneses massacraram todos o monges siameses, e o bem-guardado segredo do Buda de ouro permaneceu intacto até aquele fatídico dia em 1957.

Voltando para casa no avião da Cathay Pacifica Airlines, pensei comigo mesmo: “Somos todos como o Buda de barro, recobertos por uma concha de resistência criada pelo medo e ainda assim, dentro de cada um de nós, há um ‘Buda de ouro’ ou uma ‘essência de ouro’, que é o nosso eu verdadeiro. Em algum lugar ao longo do caminho, entre as idades de dois e nove anos, começamos a encobrir nossa ‘essência de ouro’, nosso eu natural. E, assim como o monge, com o martelo e o cinzel, nossa tarefa agora é descobrir mais uma vez a nossa verdadeira essência.”



Na Sequencia vemos:

Uma reflexão sobre o segredo

que habita em cada um de nós.


PRESENTEPRAVOCE
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg?w=130&h=120

Cuidado com as Palavras.


As Palavras são Como

Plumas Soltas ao Vento.



Recuperar o erro causado pelas Fofocas

é como correr atrás das Plumas

Que flutuam ao vento

Jamais se consegue alcançar.



Palavras_ao_vento


Certa vez, uma jovem foi ter com São Filipe Neri, para confessar seus pecados. Ele já conhecia muito bem uma de suas maiores falhas: não que ela fosse má, mas costumava falar mal dos vizinhos, deduzindo histórias sobre eles. Essas histórias passavam de boca em boca e acabavam fazendo muito mal – sem nenhum proveito para ninguém.

São Filipe lhe disse:

Minha filha, você age mal falando dos outros;

Tenho que lhe passar uma penitência um pouco diferente:

Você deverá comprar uma galinha no mercado e depois caminhar para fora da cidade. Enquanto for andando, deverá arrancar as penas e ir espalhando-as. Não pare até ter depenado completamente a ave. Quando tiver feito isso, volte e me conte.

Ela pensou com seus botões que era mesmo uma penitência muito singular! Mas não objetou. Comprou a galinha, saiu caminhando e arrancando as penas, como ele lhe dissera. Depois, voltou e reportou a São Filipe.

– Minha filha – disse o Santo –, você completou a primeira parte da penitência. Agora vem o resto.

– Sim, o que é, padre?

– Você deverá voltar pelo mesmo caminho e catar todas as penas.

– Mas, padre, é impossível! A esta hora, o vento já as espalhou em todas as direções. Posso até conseguir algumas, mas não todas!

– É verdade, minha filha. E não é isso mesmo que acontece com as palavras tolas que você deixa sair pela boca? Não é verdade que você inventa histórias que vão sendo espalhadas por aí, de boca em boca, até ficarem fora do seu alcance? Será que você conseguiria segui-las e cancelá-las, se desejasse?

– Não, padre.

– Então, minha filha, quando você sentir vontade de dizer coisas indelicadas sobre seus vizinhos, feche os lábios. Não espalhe essas plumas, pequenas e maldosas, pelo seu caminho.

Do livro: O Livro das Virtudes II

O Compasso Moral

William J. Bennet – Ed.Nova Fronteira


POWER POINT DISPONÍVEL NO SLAIDSHARE



Uma variação desta mesma História.


Anunciar a palavra de Deus à toda Criatura.

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.

Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados.

A história da fofoca é antiga, até parece quanto mais tentamos impedi-la mais ela se espalha, já que é impossível segurar nossas palavras, que pelo menos a usemos para anunciar coisas boas que ajudam no crescimento do próximo.


FOFOCA MODERNA

FOFOCA NA WEB

Experimente clicar nestes Link’s Abaixo.


NAMORO

FRANCISCO E CLARA A_palavra_tem_poder O Cristo Disfarçado