E o Pastor decidiu ir à Missa.


O banquete do Cordeiro [tweetmeme]


"Testemunho de um Pastor Evangélico que se converteu ao Catolicismo."


(São Mateus 22,4)



Scott Hahn

Ali estava eu, incógnito, um ministro protestante à paisana, esgueirando-me nos fundos de uma capela em Milwaukee para participar pela primeira vez da missa. A curiosidade me arrastara até lá e eu ainda não tinha certeza de que fosse uma curiosidade saudável. Ao estudar os escritos dos primeiros cristãos, encontrei inúmeras referências à “liturgia”, à “Eucaristia”, ao “sacrifício”. Para aqueles primeiros cristãos, separada do acontecimento que os católicos de hoje denominam “missa”, a Bíblia – o livro que eu mais amava – era incompreensível.

Eu queria entender os cristãos primeiros, mas não tinha nenhuma experiência de liturgia. Por isso, persuadi a mim mesmo a ir ver, como uma espécie de exercício acadêmico, mas jurando o tempo todo que não ia me ajoelhar nem participar de idolatria.

Sentei-me na obscuridade, em um banco bem no fundo daquela capela no subsolo. À minha frente havia um número considerável de fiéis, homens e mulheres de todas as idades. Impressionaram-me suas reflexões e sua evidente concentração na oração. Então um sino soou e todos se levantaram quando o padre surgiu de uma porta ao lado do altar. Hesitante, permaneci sentado. Durante anos, como calvinista evangélico, fui instruído para acreditar que a missa era o maior sacrilégio que alguém poderia cometer. Tinha aprendido que a missa era um ritual com o propósito de “sacrificar Jesus Cristo outra vez”. Por isso, eu seria um espectador, ficaria sentado, com a Bíblia aberta ao meu lado.

Entretanto, è medida que a missa prosseguia, alguma coisa me tocou. A Bíblia não estava só ao meu lado. Estava diante de mim – nas palavras da missa! Um versículo era de Isaías, outro dos Salmos, outro de Paulo. A experiência era prodigiosa. Eu queria interromper tudo e gritar: “Ei! Posso explicar o que está acontecendo a partir das Escrituras? Isso é maravilhoso!” Não obstante, mantive minha posição de espectador à parte até que ouvi o sacerdote pronunciar as palavras da consagração: “Isto é o meu corpo… Este é o cálice do meu sangue”.

Eu senti todas as minhas dúvidas se esvaírem. Quando vi o sacerdote elevar aquela hóstia branca, percebi que uma prece subiu de meu coração em um sussurro: “Meu Senhor e meu Deus. Sois realmente vós!”

A partir daquele ponto, fiquei, por assim dizer, tolhido. Não imaginava uma emoção maior que a que aquelas palavras provocaram em mim. Porém a experiência intensificou-se um momento depois, quando ouvi a congregação repetir: “Cordeiro de Deus… Cordeiro de Deus… Cordeiro de Deus”, e o sacerdote responder: “Eis o Cordeiro de Deus…”, enquanto elevava a hóstia.

Em menos de um minuto a frase “Cordeiro de Deus” ressoou quatro vezes. Graças a longos anos de estudos bíblicos, percebi imediatamente onde eu estava. Estava no livro do Apocalipse, no qual Jesus é chamado Cordeiro nada menos que vinte e oito vezes em vinte e dois capítulos. Estava na festa de núpcias que João descreve no final do último livro da Bíblia. Estava diante do trono do céu, onde Jesus é saudado para sempre como o Cordeiro. Entretanto, não estava preparado para isso – eu estava na missa!

Voltei à missa no dia seguinte e no outro dia e no outro. Cada vez que voltava, eu “descobria” mais passagens das Escrituras consumadas diante dos meus olhos. Contudo, naquela capela escura, nenhum livro me era tão visível quanto o da revelação de Jesus Cristo, o Apocalipse, que descreve a adoração dos anjos e santos do céu. Como nesse livro, vi, naquela capela, sacerdotes paramentados, um altar, uma assembléia que entoava: “santo, santo, santo”. Vi a fumaça de incenso, ouvi a invocação de anjos e santos; eu mesmo entoava os aleluias, pois me sentia cada vez mais atraído a essa adoração. Continuei a me sentar no último banco com minha Bíblia e mal sabia para onde me voltar – para a ação no Apocalipse ou para a ação no altar, que pareciam cada vez mais ser exatamente a mesma.


https://i0.wp.com/lacosazuis.blogs.sapo.pt/arquivo/cordeiro_deus.jpg


Mergulhei com vigor renovado em meu estudo do cristianismo antigo e descobri que os primeiros bispos, os Padres da Igreja, tinham feito a mesma “descoberta” que eu fazia a cada manhã. Eles consideravam o livro do Apocalipse a chave da liturgia e a liturgia a chave do livro do Apocalipse. Alguma coisa intensa aconteceu com o estudioso e crente que eu era. O livro da Bíblia que eu achava mais desconcertante – o do Apocalipse – agora elucidava as idéias mais fundamentais de minha fé: a idéia da aliança como elo sagrado da família de Deus. Além disso, a ação que eu considerava a maior das blasfêmias – a missa – agora se revelava o acontecimento que ratificou a aliança de Deus: “Este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança”.

Eu estava aturdido com a novidade de tudo aquilo. Durante anos tentei compreender o livro do Apocalipse como uma espécie de mensagem codificada a respeito do fim do mundo, a respeito do culto no céu distante, a respeito de algo que, em sua maioria, os cristãos não poderiam experimentar aqui na terra. Agora, depois de duas semanas de comparecimento diário à missa, eu me via querendo levantar durante a liturgia e dizer: “Ei, pessoal. Quero lhes mostrar onde vocês estão no livro do Apocalipse! Consultem o capítulo 4, versículo 8. Agora mesmo vocês estão no céu”. 

No céu agora mesmo! Os Padres da Igreja mostraram que essa descoberta não era minha. Pregaram a respeito há mais de mil anos. Entretanto, eu estava convencido de que merecia o crédito pela redescoberta da relação entre a missa e o livro do Apocalipse. Então descobri que o Concílio Vaticano II tinha me passado para trás. Reflita nestas palavras da Constituição sobre a Sagrada Liturgia:

Na liturgia terrena, antegozando, participamos da liturgia celeste, que se celebra na cidade santa de Jerusalém, para a qual, peregrinos, nos encaminhamos. Lá, Cristo está sentado à direita de Deus, ministro do santuário e do tabernáculo verdadeiro; com toda a milícia do exército celestial entoamos um hino de glória ao Senhor e, venerando a memória dos Santos, esperamos fazer parte da sociedade deles; suspiramos pelo Salvador, Nosso Senhor Jesus Cristo, até que ele, nossa vida, se manifeste, e nós apareçamos com ele na glória. 

Espere um pouco. Isso é céu. Não, isso é a missa. Não, é o livro do Apocalipse. Espere um pouco: isso é tudo o que está acima. 

Esforcei-me bastante para ir devagar, cautelosamente, com o cuidado de evitar os perigos aos quais os convertidos são suscetíveis, pois eu estava depressa me convertendo à fé católica. Contudo, essa descoberta não era produto de uma imaginação superexcitada; era o ensinamento solene de um concílio da Igreja Católica. Com o tempo, descobri que era também a conclusão inevitável dos estudiosos protestantes mais rigorosos e honestos. Um deles, Leonard Thompson, escreveu que “até mesmo uma leitura superficial do livro do Apocalipse mostra a presença da linguagem litúrgica disposta em forma de culto… A linguagem de culto desempenha importante papel na coerência do livro”. Bastam as imagens da liturgia para tornar esse extraordinário livro compreensível. As figuras litúrgicas são essenciais para sua mensagem, escreve Thompson, e revelam “algo mais que visões de ‘coisas que estão por vir’”. 

O livro do Apocalipse tratava de Alguém que estava por vir. Tratava de Jesus Cristo e sua “segunda vinda”, a forma como, em geral, os cristãos traduziram a palavra grega parousia. Depois de passar horas e horas naquela capela de Milwaukee, em 1985, aprendi que aquele Alguém era o mesmo Jesus Cristo que o sacerdote católico erguia na hóstia. Se os cristãos primitivos estavam certos, eu sabia que, naquele exato momento, o céu tocava a terra. “Meu Senhor e meu Deus. Sois realmente vós!”. 



Scott Hahn

O Banquete do Cordeiro

A missa segundo um convertido

Pgs 21-25. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

Links→

Artigos neste Blog



Jesus é Misericordioso


Curso Fé Católica Com Roberto Tannus.



Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança, mas fazei-o com suavidade e respeito.

(I São Pedro, 3,15b)

A Paróquia Nossa Senhora Aparecida

E São Pedro e São Paulo

Com o Apoio da

Faculdade Católica de Anápolis

Promovem

A Semana Teológica

Com o Tema:

A Fé Católica

Coordenado por Roberto Tannus

Teólogo e Pregador de Goiânia – Goiás


Será abordado no tema:

A Igreja Apostólica;

A Palavra de Deus;

Maria e os Irmãos de Jesus;

Maria e os Santos;

Cristianismo e o Espiritismo;

Nova Era e Outras seitas.



Curso de fé Católica – em 9 partes











Pregador com os joelhos no chão



Eucaristia
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120&h=120 Miguél Arcanjo

Quem tem Boca Vai a Roma !

vaticano-sao-pedro

.

Por Amor aos Católicos Romanos.

Esclarecimento

E direito de resposta

na Internet !

.

É um direito seu

saber a verdade !

SOBRE…

.

Por Amor aos Católicos Romanos.

...

Este Livro é uma tradução de uma obra Americana e por ser altamente dissimulado esta sendo distribuído gratuitamente em vários sites evangélicos no Brasil, de forma que muitos Católicos desavisados acabam encontrando o tema acima descrito e pensando ser algo em nosso favor acabam lendo textos que ensinam uma doutrina anti-Católica gerando dúvidas em seus corações.

A Princípio eu não condenaria a obra de um ex. Católico, que abandonou a Igreja verdadeira, não se sabe por que motivo real, mas eu indicaria ler antes estes dois textos no Veritatis Splendor,[1]-[2], se preparando para esta aventura incerta.

Indicaria também estes mesmos textos para os evangélicos que desconhecem toda a verdade “Que nunca lhes foi contada ou ensinada” e até mesmo escondida por seus mestres, exortaria nossos amigos a lerem e estudarem mais profundamente a Doutrina Católica, diria até mesmo para voltarem aos velhos ensinamentos de Martinho Lutero que foram totalmente abandonados pela grande maioria dos evangélicos de hoje.

Fico surpreso, quando pastores evangélicos ao descobrirem a verdade através de estudos mais profundos e sinceros da Doutrina Católica, discordam da maneira de ensinar meias-verdades, escondendo a verdade plena de seus alunos da escola dominical, ao tentarem mudar esta realidade são praticamente afastados de suas funções por discordarem da doutrina predominante.

Ao retornarem para nossa Igreja , testemunham que não tinham conhecimento de que suas Igrejas só começaram a existir a partir do século XVI e que muitas de suas doutrinas hoje ensinadas e defendidas só surgiram muito tempo depois de Lutero, mostrando claramente que é uma doutrina maleável que vai se modificando com o passar dos anos a bel prazer de alguns homens que resolvem escrever uma história particular desprezando a história que foi preservada por mais de hum mil e quatrocentos anos pela Igreja católica.

Muitos doaram suas vidas para manterem inalterados os textos Sagrados que foram escritos e copiados por homens Santos e fiéis ao evangelho de Jesus  até que Martinho Lutero se afastou da Igreja Verdadeira levando-as consigo, ele mesmo sendo fiel ao seu Catolicismo não adicionou nenhum livro à Bíblia além daqueles que já eram aceitos pelo Magistério da Igreja na época, sabemos que não foi por Lutero, mas por uma grata coincidência do destino que Gutemberg, outro Alemão, inventou a impressão e tornou-se possível imprimir a palavra de Deus em larga escala e proporcionando o grande crescimento da Igreja logo a seguir.

Da mesma forma indicaria também vários livros de ex. Pastores evangélicos Americanos [3] que retornaram a Igreja  Mãe e não ficam perdendo tempo atacando seus ex-companheiros de ministério, mas escrevem livros direcionados aos próprios Católicos Romanos testemunhando-lhes que realmente estão seguindo o Magistério correto [4] e  como seus ex-companheiros ensinam a ensinarem meias verdades escondendo “ou esquecendo-se” de evidênciar muitas  verdades que não lhes interessa, mas são fundamentais para a nossa Fé .

A Tv Século XXI [5] está realmente atuando muito nesta divulgação, mostrando que muitos Pastores evangélicos estão sendo convertidos nos dias de hoje por manifestações de Maria Santíssima em suas vidas ou por um contato mais profundo com a Santa Eucaristia “O Verdadeiro Corpo de Cristo -Lanciano”

Podemos dizer então que; se alguns se convertem, muitos outros mais preferem resistir a estas verdades e desprezam suas experiências “Com Deus”, preferindo atacar a verdade a se entregar a Ela  incondicionalmente.

Mas enfim qual seria a verdade ?

A Palavra de Deus é a Verdade “A Bíblia” e foi guardada e preservada juntamente com a verdadeira Tradição, durante séculos para que um dia chegasse em suas mãos  totalmente original, já que no passado não existiam cópias o suficiente para todos aqueles que se converteram apenas ouvindo esta palavra viva, mesmo assim a amaram de todo coração chegando a morrer por ela.

Hoje ela está disponível em quase todas as línguas e de todas as formas, podendo ser conhecida mesmo que não haja quem lhes ensine, contamos porém, com o Espírito Santo enviado por Deus para nos relembrar e ensinar todas as verdades de Jesus.   Foi o Magistério da Igreja quem primeiro recebeu esta graça  e foi inspirado e conduzido por este mesmo Espírito Santo durante todos estes  dois mil anos de história, guardaram  e preservaram a verdadeira Tradição, sim é nele, que devemos buscar realmente a compreensão plena de todas estas verdades.

Sizenando.

[1] – http://www.veritatis.com.br/article/468

[2] – http://www.veritatis.com.br/article/5549/refutacao-do-livro-por-amor-aos-catolicos-romanos-salvacao-através-da-igreja

[3] – TODOS OS CAMINHOS VÃO DAR A ROMA de

Scott Hahnhttp://www.livapolo.pt/index.php?action=artigo_detalhes&artigo_id=64416

[4]- Testemunhos de ex. Protestantes:

http://www.veritatis.com.br/search/?cx=007302944638818840056%3At4lcrgqqeuc&cof=FORID%3A11&ie=utf-8&q=ex+protestante&sa=Buscar#989

[5] – Tv Século XXI – Diácono Francisco de Anápolis – Go

e Vários outros

http://www.diskshop.com.br/Templates/DiskShop/conteudo.aspx?Modulo=ProdutoDetalhes&ID=679

Reformadores.

Genebra – Suiça – parede dos Reformadores.

Genebra – Suiça – parede dos Reformadores.



Você não sabia, mas existem Imagens Protestantes na Suiça que foram erguidas em homenagem aos feitos dos quatro grandes reformadores Europeus e põe em xeque argumentos neoreformadores utilizados para atacar a Igreja Católica na atualidade.


Genebra - Parede dos Reformadores

Genebra – Parede dos Reformadores



Ginebra – parede de los reformadores


Upload original de jborn

Outras Imagens na pesquisa:


Google


Uma Parede como Monumento A Reforma Protestante (325 metros de comprimento, 30 metros de altura), foram esculpidas em pedra quatro estátuas de 15 metros de altura cada uma, representando os quatro reformadores protestantes: Guillaume Farel, Jean Calvin, Theodore Beza e John Knox, seus nomes também foram talhados no muro que representam uma afronta aos Franceses que perseguiram os reformadores na França que se refugiaram na cidade construindo este muro como uma proteção contra seus inimigos.


Reformation Monument por keepps.


Encontrei em um Blog Católico Tradicional a seguinte pergunta, Alguém sabe dizer que estátuas são essas ? A resposta é simples, “São os reformadores Protestantes do século XVI”, o incrível e mais estranho fato de existirem tais estátuas é que nos deixa totalmente encabulados, já que todos os dias recebemos comentários  ofencivos de neoprotestantes recém convertidos e totalmente ignorantes sobre as verdades Bíblicas e sem o menor conhecimento da própria história da Igreja, tanto Católica como protestante.

As principais ofensas são referentes ao fato de existirem imagens de Santos na Igreja Católica, porque conforme escritos no antigo testamento, Deus havia proibido o povo Judeu de fazer para si imagens que representassem deuses pagãos, principalmente aqueles que já eram conhecidos na época, mas o mesmo Deus também mandou que se fizessem querubins para enfeitar a Arca da Aliança, também a serpente de bronze para curar os mordidos pelas serpentes no deserto, sendo que todo aquele que obedecesse a Deus e  olhasse para ela na ponta da vara seria curado, logo, o que Deus proibiu foi a idolatria, que é a adoração de outros deuses que eram representados por estátuas construídas segundo a vontade humana.

As Imagens de Santos na Igreja Católica nada mais são que fotografias das pessoas que difundiram a fé em Cristo Jesus e que muitos foram mártires defendendo o futuro da Igreja, portanto, são homenagens que fazemos àqueles que foram exemplos de vida a serem seguidos, principalmente como forma de relembrarmos os atos e grandes feitos dos Cristãos no passado.    É uma forma de memória não de adoração ou idolatria, assim como um computador armazena tudo na sua memória em forma de “bit’s”, a Igreja armazena suas lembranças em formas de ícones “Imagens”, que no futuro quando uma criança visse uma imagem de um Santo na Igreja, certamente perguntaria à sua mãe:  “Quem é este homem ?”, e seria vergonhoso para uma mãe não saber dar-lhe uma resposta ou procurar saber a resposta correta para ensinar seu filho a respeito da história de sua Igreja, assim a nossa memória é transmitida de geração em geração até os dias de hoje  em que tudo foi parar nesta imensa memória global em forma de “Bit’s” vagando pela Net que está ao alcance de todos os homens a qualquer momento.

Veja que irônico, encontramos nesta teia de dados estas fotos que comprovam que também os protestantes fizeram para si imagens humanas para relembrá-los dos feitos de seus reformadores e ainda os colocaram em um muro como protetores de uma cidade, não seria uma atitude semelhante ao que nós Católicos fazemos com nossos Santos que morreram pela fé em Jesus e pela Igreja ?

E agora neoprotestantes brasileiros ?   Irão mandar implodir o muro de Genebra, apagando a mancha deste horrível pecado, irão chutar e queimar o muro como o pastor da “IURD” fez na TV a alguns anos atrás?

Gostaria, que aqueles que escrevem ofensas a respeito da Igreja Católica por este motivo, escrevessem agora a seus pastores e lhes perguntasse; por que, afinal de contas, este muro ainda está de pé ?  Sendo que você nem mesmo sabia de sua existência.

Este texto é uma resposta a um comentário que recebi a poucos dias, não que eu queira ofender alguém, mas espero que algumas pessoas compreendam que muita gente fala coisas que não são verdades e outros acusam o erro alheio, mas fecham os olhos para o próprio erro.


 O pastor Philippe Reymond fala nas comemorações do 5° centenário de Calvino, à frente do muro dos reformadores em Genebra. Salvatore di Nolfi, Keystone.

O pastor Philippe Reymond fala nas comemorações do 5° centenário de Calvino, à frente do muro dos reformadores em Genebra. Salvatore di Nolfi, Keystone..


São Varias as estátuas do

Protestante João Calvino na Europa.

Mas as comemorações de seus 500 anos

estão deixando a desejar,

se comparadas a 100 anos atrás.


Vários bustos de João Calvino sobre a porta de entrada do Museu da Reforma. O museu apresenta a história do movimento religioso criado por João Calvino. Martial Trezzini, Keystone.

Vários bustos de João Calvino sobre a porta de entrada do Museu da Reforma. O museu apresenta a história do movimento religioso criado por João Calvino. Martial Trezzini, Keystone.


Minhas pesquisas continuam e hoje Domingo dia 16/8/09 eu encontrei esta fotografia no Flickr, ela retrata a Igreja de St. Andreas em Weissenburg, Bavaria, Germany.


.


SABE IDENTIFICAR QUE

IGREJA É ESTA ?


+


É CATÓLICA ?


.

.


OU SERIA EVANGÉLICA ?


.

.


POR QUE ELA

NÃO SERIA CATÓLICA ?


.

Oratório da Faculdade

Oxford na Inglaterra

VEJA QUANTAS IMAGENS AO FUNDO !!!


.


.

WALLPAPERS


Estátua_Martinho_lutero_College in New Ulm 21[1]
CRUCIFIXO


Fonte: http://www.flickr.com/groups/martin-luther/pool/page5/

São diversas as estátuas de Martinho Lutero espalhadas pela Europa e em cada Igreja Evangélica Luterana.

Esta última imagem merece um destaque muito especial, por que ?

[…] ela é  parte da famosa porta da Igreja do Castelo onde Martinho Lutero pregou suas 95 teses em 1517, apelando para uma disputa sobre a situação da Igreja Católica.

O valor do fundador do  Potestantismo era tão elevado que foi representado nesta pintura aos pés de Jesus na Cruz, evidentemente que ele nunca esteve lá, mas simbolicamente foi colocado como um fiél servidor de Cristo nesta posição honrosa, salientando seu valoroso trabalho para Cristo, gostaríamos de lembrar porém, que na história Bíblica verdadeira quem estava nesta exata posição era Maria Mãe de Jesus, que permaneceu ao seu lado até seu sepultamento.


QUER VER MAIS

VEJA EM

CAI A FARSA


CRUCIFIXO

Maria Mãe de Deus.

(Martinho Lutero, ”Comentário do Magnificat”, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista ”Jesus vive e é o Senhor”).

martinho-lutero-qd

Mãe de Deus

”Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes, reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendência real (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulher mais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesouro depois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar bastante (nunca poderemos exaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e bendita acima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade.” Martinho Lutero”Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe [para Maria] um carro de ouro e conduzi-la com quatro mil cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria.” (Martinho Lutero – Comentário do Magníficat).

(Martinho Lutero, ”Comentário do Magnificat”, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista ”Jesus vive e é o Senhor”).

Veja muitos detalhes sobre este assunto “Link aqui na Virgem

La Virgen Maria en las religiones no católicas.

La Virgen Maria.

Elbson do Carmo

Lendo as palavras acima, ditas por Martinho Lutero, o “reformador” protestante. Ficamos a nos perguntar quais as razões do tratamento dispensado pelo mesmo protestantismo a Nossa Senhora, Mãe de Deus. Haja vista, Lutero baniu a Igreja de sua confissão, mas não fez o mesmo com Maria, da qual se refere de forma devotada e amorosa em diversos de seus escritos:

”Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe [para Maria] um carro de ouro e conduzi-la com quatro mil cavalos, tocando a trombeta diante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas as mulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; a pobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é de fato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos os montes tivessem pulado e dançado de alegria.” (Martinho Lutero – Comentário do Magníficat).

O sentimento antimariano que presenciamos entre os protestantes não faz parte do verdadeiro ideal da Reforma, mas surgiu pelo falso receio de que o ”brilho” de Maria pudesse sombrear ou apagar a verdadeira Luz, que é Jesus Cristo. Graças a Deus, hoje podemos enxergar mudanças em alguns fiéis e teólogos evangélicos, reconhecendo o verdadeiro sentido e valor da Santa Mãe de Deus, tal como defende a Igreja Católica. Mas essa mudança ainda custa a se fazer sentir no nosso dia-a-dia.

O presente e-book (livro eletrônico), versa justamente sobre as contestações suscitadas a respeito da figura de Maria na história e na Vida da Igreja universal. Contestações que muitas vezes beiram o absurdo quando notamos um comportamento notadamente antimariano, onde se chega a “demonizar” a própria Mãe de Jesus, nosso Salvador. Outrossim, tais contestações são apresentadas de forma aparentemente fundamentada, com diversas citações bíblicas escolhidas convenientemente, com uma linguagem extremamente sedutora em tentar provar o contrário daquilo que o próprio Deus sacramentou como verdade. Deus não precisava de Maria, quis precisar. Não para qualquer tarefa, mas para ser a Mãe do Salvador de todos os homens, independentemente de credo desses últimos.

O autor do livro, o nosso jovem Carlão, nos conduz passo a passo, numa linguagem acessível e com uma objetividade notável, pelos caminhos desse estudar nos passos de Maria. Sua bem fundamentada resposta às proposições de um pastor protestante – autor de um livro intitulado “Caminhando nos Passos de Maria” – se vê robustecida pelo claro objetivo de elucidar ao invés de confrontar, de corrigir com caridade ao invés de desqualificar.

Receber a caridosa oferta do Carlão para que seu “pequeno grande” livro fosse veiculado através do Portal Universo Católico, foi alvissareira. Numa comunicação posterior, o mesmo me informava que aguardava a aprovação eclesiástica do livro, para que o mesmo me fosse remetido, o que despertou curiosidade. Mas de posse do material prévio para publicação, devidamente autorizada por D. Alano Maria Pena (Arcebispo de Niteroi – RJ), a emoção primeira se verteu num estado de graça, de alguém que recebia uma benção especial. Um verdadeiro presente de Jesus e Nossa Senhora. Uma grata oportunidade de levar a tantos de meus irmãos católicos e especialmente aos irmãos evangélicos, uma obra que certamente os ajudará a elucidar muitas dúvidas, ou a desfazer-se de vários preconceitos.

”Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para Mãe de Deus.” (João Calvino, Comm. Sur l’Harm. Evang.,20)

Por fim, fica o meu convite a sua leitura. Você poderá solicitar do autor um exemplar impresso. Mas poderá também imprimir, copiar, enviar via e-mail aos seus amigos, tudo isso citando a fonte e o contato do autor. Seja bem vindo a esse estudo nos passos de Maria.

Fontes:

http://paroquiasaofrancisco.com/Diversos/MaedeDeusporMartinhoLutero.htm

MARIOLOGIA –

Paróquia São Francisco – Natal – Rn

Curiosidade:

Genebra – Suiça – parede dos Reformadores.

https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg
https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/ostia-043.jpg

Mais  alguns comentários do próprio Lutero que jamais abandonou Maria até o fim de sua vida.

(Martinho Lutero – Comentário do Magníficat).

 

“Cristo era o único filho de Maria. Das entranhas de Maria, nenhuma criança além dEle. Os ‘irmãos’ significam realmente ‘primos’ aqui: a Sagrada Escritura e os judeus sempre chamaram os primos de ‘irmãos’.” (Martinho Lutero, Sermões sobre João 1-4, 1534-39)

“Cristo, nosso Salvador, foi o fruto real e natural do ventre virginal de Maria. Isto se deu sem a cooperação de um homem, permanecendo virgem depois do parto.” (Martinho Lutero, idem.)

“Deus diz: ‘o filho de Maria é meu Filho somente.’ Desta forma, Maria é a Mãe de Deus.” (Martinho Lutero, Ibidem)

“Deus não recebeu sua divindade de Maria; todavia, não segue que seja conseqüentemente errado afirmar que Deus foi carregado por Maria, que Deus é filho de Maria, e que Maria é a Mãe de Deus. Ela é a Mãe verdadeira de Deus, a portadora de Deus. Maria amamentou o próprio Deus; ele foi embalado para dormir por ela, foi alimentado por ela, etc. Para o Deus e para o Homem, uma só pessoa, um só filho, um só Jesus, e não dois Cristos. Assim como o seu filho não são dois filhos… Mesmo que tenha duas naturezas.” (Martinho Lutero, “Nos Conselhos e na Igreja”, em 1539)

“É cheia de graça, proclamada para ser inteiramente sem pecado, algo tremendamente grande. Para que fosse cheia pela graça de Deus com tudo de bom e para fazê-la vitoriosa sobre o diabo.” (Martinho Lutero, Livro Pessoal de Oração, 1522)

A veneração de Maria está inscrita no mais profundo do coração humano.” (Martinho Lutero, Sermão em 1º de setembro de 1522.)

“Maria é a mulher mais elevada e a pedra preciosa mais nobre no Cristianismo depois de Cristo… Ela é a nobreza, a sabedoria e a santidade personificadas. Nós não poderemos jamais honrá-la o bastante. Contudo, a honra e os louvores devem ser dados de tal forma que não ferem a Cristo nem às Escrituras.” (Martinho Lutero, Sermão na Festa da Visitação em 1537.)

“Nenhuma mulher é como tu! És mais que Eva ou Sara, sobretudo, pela nobreza, bem-aventurança, sabedoria e santidade!” (Martinho Lutero, Sermão na Festa da Visitação em 1537.)

“Devemos honrar Maria como ela mesma desejou e expressou no Magnificat. Louvou a Deus por suas obras. Como, então, podemos nós a exaltá-la? A honra verdadeira de Maria é a honra a Deus, louvor à graça de Deus. Maria não é nada para si mesma, mas para a causa de Cristo. Maria não deseja com isso que nós a contemplemos, mas, através dela, Deus.” (Martinho Lutero, Explicação do Magnificat, em 1521.)

Lutero vai além: dá à Bem-Aventurada Virgem Exaltada a posição de “Mãe Espiritual” para os cristãos.

“É a consolação e a bondade superabundante de Deus, o homem pode exultar por tal tesouro: Maria é sua verdadeira mãe, Jesus é seu irmão, Deus é seu Pai.” (Martinho Lutero, Sermão de Natal de 1522.)

“Maria é a Mãe de Jesus e a Mãe de todos nós, embora fosse só Cristo quem repousou no colo dela… Se ele é nosso, deveríamos estar na situação dele; lá onde ele está, nós também devemos estar e tudo aquilo que ele tem deveria ser nosso. Portanto, a mãe dele também é nossa mãe..” (Martinho Lutero, Sermão de Natal de 1529.)

Fontes:

Veja mais em, com Prof. Felipe de Aquino:

Lutero, os Reformadores e Nossa Senhora
Publicado por Tht em 13/5/2008

 

Ave Maria ?


Porque eu não deveria

Rezar uma Ave Maria ?


rezando-ave-maria

Esta é a Ave Maria de um garotinho não Católico.

Ele tinha apenas 6 anos e sempre ouvia seus amiguinhos católicos rezando a Ave Maria, ele gostou tanto da oração que copiou-a num papel e recitava-a todos os dias. Um dia procurou sua mãe e disse: “Olha mamãe que oração linda”.  No que sua mãe lhe respondeu prontamente “Nunca mais a repita meu filho!”. Esta é uma oração supersticiosa dos católicos, que adoram ídolos e pensam que Maria é uma espécie de “Deusa”. Quando na verdade ela não passa de uma mulher como outra qualquer. Pegue esta Bíblia e leia, nela encontramos tudo o que devemos e não devemos fazer.

Daquele dia em diante o garoto cessou suas Ave Marias diárias, e se dedicou mais a leitura da Bíblia  Um dia quando lia o Evangelho, encontrou a passagem da Anunciação do Anjo a Nossa Senhora. Cheio de alegria, o garoto correu até sua mãe e disse: Mamãe, Mamãe, eu achei a Ave Maria na Bíblia, aonde diz: ‘Ave cheia de graça, o Senhor e’ convosco, bendita sois vós entre as mulheres.’

– Por que a senhora chamou esta oração de superticiosa?

Numa outra ocasião ele encontrou a linda saudação de Santa Isabel á Virgem Maria, encontrou também o maravilhoso Cântico MAGNIFICAT, no qual Maria é profetizada: “as gerações a chamarão bem aventurada”

O garotinho não mais comentou tais passagens com sua mãe, mas voltou a recitar suas Ave Marias todos os dias, como fazia anteriormente. Ele sentia prazer em recitar aquelas fascinantes palavras para a Mãe de Jesus, Nosso Salvador.  

Aos 14 anos, ele escutou os membros de sua família discutindo entre eles sobre Nossa Senhora. Todos eles diziam que Maria era uma mulher comum como qualquer outra. O garoto, depois de ouvir estas absurdas afirmações, não aguentou mais ouvir tais insultos e com indignação interrompeu-os dizendo: “Maria não é como qualquer filha de Adão, manchada pelo pecado. Nao! O anjo chamou-a de Cheia de Graça e Bendita entre todas as mulheres. Maria é a mãe de Jesus Cristo, e consequentemente mãe de Deus. Não existe dignidade maior para com uma criatura. O Evangelho nos conta que as gerações chamarão-a de abençoada/bem aventurada, e vocês desmerecendo e menosprezando-a? Seus espíritos não são os mesmos do Evangelho ou da Bíblia, que proclamam ser a fundação da Religião Cristã”.

A fala do garoto deixou uma impressão tão profunda que conseguiu, por várias vezes, fazer sua mãe chorar de dor. “Ah meu Deus! Tenho medo deste meu menino um dia se juntar a religião católica, a religião dos Papas!”.

E realmente não demorou muito, depois de um sério estudo sobre o Protestantismo e o Catolicismo, o garoto descobriu mais tarde a ÚNICA e VERDADEIRA religião, e abraçou-a, se tornando um de seus mais ardentes apóstolos.

Algum tempo após sua conversão  ele encontrou com sua irmã casada que censurou-o dizendo: Você sabe o quanto eu amo meus filhos. Se algum deles um dia desejar virar católico, eu preferirei perfurar o coração deles com um punhal do que permiti-los abraçar a religião dos Papas.

A fúria dela era tão profunda quanto a de São Paulo antes de sua conversão. De qualquer forma, ela iria mudar esse seu jeito, igual a São Paulo no caminho a Damasco. Ocorreu então que um dos filhos dela ficou perigosamente enfermo, e os médicos já haviam perdido a esperança de recuperação.

Aí o irmão chegou até ela e conversou afetivamente dizendo: Minha querida irmã, naturalmente você deseja que sua criança seja curada. Muito bem então, o que eu lhe pedir, apenas faça! Siga-me, vamos rezar uma Ave Maria e prometer a Deus que, se sua criança recuperar a saúde, você irá estudar seriamente a Doutrina Católica, e você chegará a conclusão de que o catolicismo é a única e verdadeira religião, e não importa quão grande seja este sacrifício, mas você irá abraçar esta fé.

Sua irmã estava relutante no começo, mas como ela desejava a recuperação do seu filho, ela aceitou a proposta do irmão e rezou a Ave Maria com ele. No dia seguinte o filho dela estava completamente curado. A mãe cumpriu sua promessa e estudou a Doutrina Católica. E após uma longa preparação, ela recebeu o sacramento do Batismo juntamente com o restante de seus familiares, e agradeceu seu irmão por ter sido um apóstolo para ela.

Essa história foi relatada num sermão dado pelo Rev. Fr. Tuckwell (Padre Tuckwell), que continuou o sermão dizendo: “O garoto que virou católico e converteu sua irmã e familiares ao catolicismo, dedicou sua vida inteira ao serviço de Deus.” ‘Aquele garoto se tornou um padre e está a falar com vocês neste exato momento!’ O que sou, devo a Nossa Senhora.

Vocês também meus caros fiéis, sejam totalmente dedicados á Nossa Senhora, e nunca esqueçam de passar ao menos um dia sem rezar esta linda oração, a Ave Maria e o Terço. Peça á Ela para iluminar as mentes protestantes que estão separadas da Igreja de Cristo, fundada na rocha que é (Pedro), e da qual as portas do inferno não jamais prevalecerão contra ela. Mateus XVI, 18


google-traduz

Fonte Original em ingles 

[http://www.olrl.org/stories/prothm.shtml]


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg Alimento_Espiritual_Autêntico