O Poder da Cruz de Cristo.



Por ocasião da festa da Exaltação da Santa Cruz de Cristo.



O Império Romano, depois do imperador Diocleciano, foi conduzido com grandes contendas e divisões, à medida que imperadores e vice-imperadores do Ocidente e do Oriente lutavam pelo poder.   Entre eles estava Flavius ​​Valerius Constantinus, conhecido também como Constantino, o Grande, que foi nomeado César ou vice-imperador do Ocidente pelo sucessor de Diocleciano, Galério.    Constantino estava no controle da Grã-Bretanha e da Gália, enquanto seu cunhado Maxêncio, levantou-se e travou uma guerra contra Galério e fez incursões bem-sucedidas na Itália e em Roma.

Quando Galério morreu (311 dC), Constantino trouxe suas campanhas de guerra para a Itália e, conseqüentemente, venceu batalhas em Turim e Verona e avançou ainda mais para Roma, que estava militarmente sob o comando de Maxêncio.   Maxêncio, sob forte desafio, saiu para combater Constantino, mas foi derrotado na ponte de Milvian.    A batalha da ponte de Milvian foi produtiva de uma sucessão de vitórias que, por volta de 324 dC, Constantino passou a ser o mestre de todo o Império Romano.

Esta vitória de Constantino sobre Maxêncio na Ponte de Milvian foi rodeada com inúmeros detalhes históricos intrigantes, relacionados à CRUZ.   Uma história do que aconteceu foi registrada por Eusébio de Cesaréia, um estudioso das escrituras e historiador que escreveu a primeira biografia detalhada de Constantino logo após sua morte.    Obviamente, ele conhecia Constantino muito bem e mencionou que recebeu a história diretamente do imperador.    Constantino era um imperador pagão e um devoto do deus do sol; Sol Invictus, o sol não conquistado. No entanto, antes da batalha da Ponte da Milvânia, ele e seu exército viram uma CRUZ de luz no céu acima do sol com palavras em grego que geralmente são traduzidas para o latim como ” In hoc signo vinces ” (‘Neste sinal se conquista’).   Naquela noite, Constantino teve um sonho em que Cristo lhe disse para usar o sinal da cruz contra seus inimigos.   Ele ficou tão impressionado que tinha o símbolo cristão marcado nos escudos de seus soldados e, quando a batalha da Ponte da Milvânia lhe deu uma vitória esmagadora, ele a atribuiu ao sinal da CRUZ que lhe foi revelada.



 

Alguns anos após a vitória na Ponte de Milvian, a mãe de Constantino, que se converteu ao cristianismo e que mais tarde se tornou Santa Helena, foi a Jerusalém em busca da cruz na qual Jesus Cristo foi crucificado. Escavações extensas foram feitas no local do enterro do Senhor até que três “cruzes” foram recuperadas. Havia confusão sobre qual era a Cruz de Cristo, pois havia dois ladrões crucificados em ambos os lados de Cristo no Calvário. Para determinar qual das três era a Cruz de Cristo, pedia-se a uma pessoa doente que tocasse nas três cruzes em intervalos diferentes e se a pessoa se recuperasse instantaneamente com o toque em uma delas, essa seria a CRUZ verdadeira.   Essa cruz em particular também efetuou muitos outros milagres e foi assim confirmada, aclamada e exaltada como a Cruz de Cristo. No local da descoberta, uma igreja foi erguida e foi dedicada como uma basílica com o nome de Igreja do Santo Sepulcro em 14 de setembro de 335. Esta é a razão remota por trás da festa de hoje.



A Primeira Leitura de hoje (Números 21, 4b-9) forneceu um pano de fundo para a Cruz. Disseram-nos que quando o povo de Israel ficou impaciente no deserto e blasfemou contra Deus e Moisés, Deus enviou serpentes ardentes entre o povo que os morderam e muitos morreram. Diante desse flagelo, o povo veio a Moisés pedir perdão e Deus pediu a Moisés que fizesse uma serpente ardente e a colocasse em um estandarte, e qualquer um que olhasse para ele depois de ser mordido não morreria.

Qualquer pessoa atenta gostaria de saber por que Deus escolheu punir o povo por meio de picadas de cobra e também decidiu salvá-las por meio da imagem de uma serpente de fogo presa no alto de um poste. Na história bíblica, a primeira menção real de uma serpente foi no Jardim do Éden (Gênesis 3, 1 e seguintes) e foram as insinuações da serpente que fizeram Adão e Eva pecarem contra Deus, o que também aconteceu pela árvore no meio. do jardim. Aquela árvore estava alta como o estandarte de Moisés.

Significativamente, Deus permitiu que as serpentes as mordessem, lembrando-as da fonte original do fracasso humano; a serpente junto à árvore no meio do jardim. No momento em que ele queria salvá-los, ele usava a imagem de uma serpente que, ao contrário das outras, não mordia e estava presa em um poste ao contrário das outras que estavam pelo chão abaixo do poste.   Agora a vida consistia em olhar para cima e para o alto na serpente presa no poste.  É como dizer às pessoas “nisso reside a sua salvação”. Assim como foi dito a Constantino “neste sinal você conquistará”!



A expressão completa do poder da cruz pode ser encontrada na cruz de Cristo. Agora há um contraste entre a árvore do Éden e a cruz do Calvário. Pela árvore do Éden, falhamos e perdemos nossa amizade com Deus, mas pela árvore (cruz) do Calvário fomos levantados e recuperamos nossa amizade com Deus. Pela árvore do Éden fomos condenados, mas pela árvore (cruz) do Calvário fomos salvos. Assim como ninguém que fora mordido pelas serpentes poderiam se recuperar sem olhar para a serpente ardente no alto do poste, ninguém pode ser salvo sem a Cruz do Calvário.

Nosso Senhor na Leitura do Evangelho deste dia da festa da Santa Cruz (João 3, 13-17) disse a Nicodemos que, assim como Moisés levantou a serpente no deserto, assim DEVE ser levantado o Filho do homem e quem n’Ele crer não deve perecer, mas terá a vida eterna. A serpente foi levantada em um estandarte e nosso Senhor foi levantado na cruz.   A cruz é, portanto, um sinal e símbolo da salvação. Na cruz há vida eterna para quem quer que acredite.

O ensaio de nossa compreensão do fenômeno da cruz será muito apropriado aqui. Para a maioria das pessoas, a cruz é simplesmente um fardo, mas isso não é verdade. Um olhar atento a uma cruz revela que é um sinal adicional (+). Portanto, há ganhos na cruz e não perdas (-) menos.   Além disso, a cruz pode servir como uma escada para nos ajudar a escalar obstáculos quando a colocamos contra qualquer obstáculo. Mais ainda, a cruz também pode ser uma chave ou uma espada quando a colocamos na posição horizontal.

A cruz também é um instrumento de exaltação. Com sua posição de pé, ele nos aponta para o céu; isso nos aponta para uma altura maior. É sobre esse fundamento que São Paulo, na Segunda Leitura (Filipenses 2, 6-11), estabeleceu que nosso Senhor Jesus Cristo, além de ter igualdade com Deus, se humilhou para pegar a Cruz por nossa causa, sendo humilde até morte. Com base nisso, Deus o levantou (o exaltou) e lhe deu um nome que está acima de qualquer outro nome. A cruz, sem dúvida, fornece as estruturas para sermos elevados ou exaltados. Nosso Senhor Jesus Cristo prometeu que, quando fosse levantado, atrairia todos para si mesmo (João 12,32). É bom notar que, sendo levantado, ele está levando todas as pessoas a uma posição exaltada.

Hoje não há mensagem maior do que a mensagem da cruz. São Paulo observaria que a mensagem da cruz é LOUCURA para os que estão perecendo, mas para nós que estamos sendo salvos é o poder de Deus (1 Cor. 1, 18). Portanto, para aqueles que estão sendo salvos, isso nos diz que pode haver lágrimas à noite, mas a alegria vem pela manhã (Salmo 30, 5). Diz-nos para não nos preocuparmos que nosso Senhor tenha vencido o mundo (João 16,33) e nos diz para não permitir que nossos corações sejam perturbados. Que devemos confiar em Deus (João 14, 1).

Ao celebrarmos a exaltação da cruz, lembremo-nos de que nossa própria exaltação está na mesma cruz de Jesus Cristo. Portanto, devemos estar prontos para carregar e defender nossa cruz onde quer que nos encontremos, porque seremos exaltados pelas mãos atenciosas de Deus e pelo coração amoroso.


Feliz comemoração

Pe. Bonnie

(fatherbonny@hotmail.com)


.


Jesus é Rei e Senhor
Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito

 



Cada um deve carregar a sua Cruz.


Para compreendermos melhor este texto vamos acompanhar uma pequena metáfora que conta a estória de um matuto chamado Zé, creio até que você já conhece a figura ou alguém parecido.



A historia do Zé.

O Zé era uma dessas pessoas que vive fugindo das dificuldades. Procurava sempre o caminho mais cômodo. Era mestre em encontrar atalhos. Nem sempre suas soluções eram as melhores.

Mas sempre estavam de acordo com seus próprios interesses. Sofrimento era uma palavra que simplesmente não existia no dicionário do Zé. Tudo o que pudesse provocar algum tipo de desconforto era imediatamente descartado e ficava em segundo plano. Coisas como: solidariedade, amor desinteressado, humildade e perdão… Hummm!!! nem pensar…

Um dia…  Zé morreu inesperadamente.

Apesar de tudo, o Zé não era um homem mal e seguiu o bom caminho, ao morrer, seguiu para o céu e encontrou São Pedro em frente à grande porta celestial com uma imensa cruz de mais ou menos cinco metros de altura.

Saudou o Santo com a intimidade de um velho conhecido, do jeito que costumava fazer com os amigos nos “bares da vida”, quando queria pedir algum favor.

Depois lhe perguntou discretamente:

Qual o caminho mais curto para chegar lá… no céu?

São Pedro respondeu:

– Seja bem vindo, Zé! A entrada é por aqui mesmo. Entre!

O Zé entrou e viu uma longa estrada, bastante estreita, ingrime, cheia de ondulações e pedregosa.

Perguntou imediatamente, como fazia nos velhos tempos:

– Não tem aí… um atalhinho mais fácil… e mais curto?

São Pedro respondeu com ternura e autoridade:

– Não Zé! O Único caminho é esse mesmo!

Todos os que vão para o céu passam por aqui.

E tem mais. Você deverá levar esta cruz até lá.

São apenas cinco quilômetros de caminhada.

O Zé olhou para a cruz e pensou com seus botões: “vou dar um jeitinho”. Agradeceu o Santo e seguiu com sua cruz em direção ao paraíso celestial.   Caminhou um quilometro sem a menor dificuldade. Foi então que viu ali no chão um serrote esquecido.



Olhou ao redor. Não viu ninguém espiando. Não resistiu a tentação e… Cortou um pedacinho da cruz.

Continuou o seu caminho e levou junto o serrote é claro. Andou mais um quilometro e lá se foi menos um metro da Cruz.   Mais um Km de caminhada e outro metro foi subtraído.

Quando faltavam apenas cem metros para chegar ao seu destino só restava um metro de cruz. E lá ia o Zé carregando seu pedaço de cruz sem a menor dificuldade, como fez durante toda a sua vida.

Aconteceu então o inesperado. O Zé deu de cara com um imenso precipício de uns 5 metros de largura, Para chegar ao outro lado, seria necessário atravessá-lo. Como?  O Zé podia ver apenas lá no fundo do precipício um lago de fogo que borbulhava. Faltou lhe coragem. Ele não seria capaz de saltar tão longe assim.

Desanimado, então sentou-se no pedaço de cruz que ainda lhe restava. Lembrou então a oração do Anjo da Guarda que aprendera com sua avó. Começou a rezar.

Seu anjo da guarda lhe apareceu e perguntou:

– Ei, Zé…   O que você esta esperando? A festa no céu esta um maravilha. Você não esta escutando a musica e as danças?

Por que você ainda esta aí sentado?

O Zé respondeu:

– Cheguei até aqui, mais tenho medo de pular este precipício.

O anjo, então, exclamou:

– Ora, Zé, use a ponte!

Que ponte? – perguntou o Zé…

– Aquela que São Pedro lhe deu lá na entrada! Onde está a sua ponte, Zé?

Ele compreendendo o seu grande erro respondeu:

– Eu cortei!



Moral da história


Nada nesta vida é por acaso ! Muitas vezes queremos nos livrar da “cruz”  que nos é dada.  Mas para tudo tem um ‘para quê‘ e um ‘por quê‘… Deus nunca nos manda algo que não possamos suportar… E se formos abreviar estes caminhos, certamente teremos problemas !

Ser cidadão do céu é uma conquista individual com identidade coletiva.


Alguém deixou um comentário em uma postagem anterior questionando o final da estória, no que diz respeito à solução da travessia do abismo dizendo que os outros poderiam ter lhe emprestado a cruz, ou que pudesse ter retornado até a entrada e buscado outra cruz inteira e etc.

Certamente existem diversas opções de solução para nosso candidato ao céu, mas para qualquer outra opção, primeiro é preciso constatar o pecado, “ERRO“, ou o fracasso para se buscar outra chance. “conversão sincera” 

Você pode perceber que a metáfora não termina com um final e sim é interrompida para possibilitar que você crie em sua mente uma opção que solucione o impasse de nosso amigão Zé.  Enquanto estamos a caminho do céu precisamos analisar bem essas opções porque afinal de contas também nós estamos nesta caminhada e não queremos nos atrasar para a grande festa como o irmão do filho pródigo, portanto é preciso ter cuidado com os atalhos e os desvios para que não escorreguemos caindo naquele precipício.




Cada um renuncie a si mesmo, pegue a sua Cruz e siga-me.



PARÁBOLAS E MENSAGENS EM POWER POINT PARA REFLEXÃO



DEUS AMA O PECADOR

MAS ODEIA O PECADO

Dois Pesos e Duas Medidas.



(A Balança é fiel e não mente!)


A historia dos dois pesos e duas medidas é antiga, por isso colocamos aqui uma pequena historia que seria a prova de fraudes porque usa uma balança fiel incapaz de mentir ou fraudar alguém, pois apenas compara os pesos da direita com aquilo que se coloca na esquerda.



O Padeiro e o vendedor de queijo!

Certa vez, em uma cidade do interior de Minas, um padeiro foi ao delegado e deu queixas do vendedor de queijos que segundo ele estava roubando, pois vendia 800 gramas de queijo e dizia estar vendendo 1 kilo.

O delegado pegou o queijo de 1 kilo e constatou que só pesava 800 gramas e mandou então prender o vendedor de queijos sob a acusação de estar fraudando a balança.

O vendedor de queijos ao ser notificado da acusação, confessou ao delegado que não tinha peso em casa e por isso, todos os dias comprava dois pães de meio kilo cada, colocava os pães em um prato da balança e o queijo em outro e quando o fiel da balança se equilibrava ele então sabia que tinha um kilo de queijo.

O delegado para tirar a prova mandou comprar dois pães na padaria do acusador e pode constatar que dois pães de meio kilo se equivaliam a um kilo de queijo. concluiu o delegado que quem estava fraudando a balança era o mesmo que estava acusando o vendedor de queijos.

Nós somos um pouco assim e muitas vezes acusamos os outros de nossos próprios vícios.





(Um Desafio Para Mim e para Você)




SER FIEL ACIMA DE TUDO


Para quem viu o trailer do Filme Anjos & demônios pode se assustar um pouco quando a câmera faz uma aproximação por traz de uma das estátuas de anjos que existe em cima da entrada da Catedral de São Pedro em Roma onde existem doze estátuas retratando os doze discípulos de Jesus, porém nenhuma delas é de um anjo, as estátuas de anjos que serviram de inspiração para a cena são de Bernini e estão na ponte de Santo Angelo ali bem próximo. Não existe entre elas nenhuma que se assemelhe ao mal, mas a intensão do filme é retratar a dualidade do coração humano e as duas faces invisíveis de uma mesma pessoa, no filme em si não fica claro nada que represente a cena do trailer, porém a pessoa que representa o mal neste filme faz um papel de bom homem até a sua revelação no final do filme, pois depois de ter ganhado a confiança de todos com seu falso heroísmo acabou sendo ele mesmo aquele que tinha engendrado todo o mal que ele parecia defender a todos.

É mesmo uma dualidade um pouco exagerada e uma dissimulação espetacular, é como se apresenta a estátua com uma meia face de anjo de um lado e outra meia face de demônio do outro lado, por mais incrível que pareça e por mais inacreditável que possa ser a coexistência de algo tão contraditório em uma mesma pessoa acabamos por acreditar que se trata do mal que se esconde atras do bem para nos enganar o que na maioria das vezes é a verdade, mas porém o ser humano convive todos os dias com esse dilema e seu coração mostra sempre duas tendências.

Deus quando nos criou, o fez para o bem e para a felicidade por isso nos fez à sua imagem e semelhança enchendo nos com seus Dons mais preciosos, porém o mal maculou esse bem contaminando-o com o veneno da mentira e do engano, colocou em nossa carne o espinho do pecado e a certeza da morte, mas não conseguiu apagar o brilho da semelhança do Pai e nem arrancar de nosso coração o que existe de mais precioso que é o Amor de Deus.

Sofremos muito com a dor deste pecado na carne e com a tristeza da morte, mas nos alegramos por saber que o Amor de Deus nos transforma e liberta brilhando a nova luz da esperança de alcançarmos a Santidade do Pai e sendo semelhantes como no princípio sem nenhuma mancha ou mácula.

É um grande desafio vencer este mal que nos aflige, não é fácil ser Fiel a Deus quando uma voz nos induz ao erro cotidianamente e nos empurra ladeira abaixo, mas é nesta hora que nos lembramos que o Pai nos ama com amor eterno e que nos socorre quando precisamos assim como tirou Pedro do fundo do mar quando ele lhe equeu a mão pedindo por socorro e o salvando da morte certa.

Ser fiel a Deus é não deixar que o mal mude as suas feições e nem distorça a sua imagem, é não permitir que o pecado te envolva de tal forma que você não consiga mais se livrar dele, é não desistir e se afundar no mar sem antes elevar as suas mãos para o Pai te socorrer, ser fiel é perseverar no caminho certo mesmo que seus passos pareçam não estar progredindo, enfim ser fiel é ser aquele filho que se achega aos braços do Pai mesmo quando está doente, triste, machucado ou sujo, porque tem a certeza de Ele te acolherá e te restabelecerá como um filho muito amado que sempre foi, pois está é a unica imagem que o Pai consegue ver quando olha para um filho de seus filhos na terra.

Presentepravoce – Sizenando





EM BUSCA DA FELICIDADE.

Um Filme baseado em fatos reais


Dinâmica da Pipoca

SAL DA TERRA


Pratica da Justiça.

Temas da campanha da Fraterniidade 2010.

CRF-2010 – 2ª Reflexão.

Senhor, ensinai-nos a praticar a justiça.


São Mateus, 6, 19 a 21


19.

Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a ferrugem e as traças corroem, onde os ladrões furtam e roubam.

20.

Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furtam nem roubam.

21.

Porque onde está o teu tesouro, lá também está teu coração.


O Grande novo mandamento da Nova e eterna Aliança foi declarado por Jesus como sendo um Só Mandamento, Ele nos disse que somente este mandamento absorvia todos os outros e que bastava observá-lo para que se atingisse a Salvação.

Este mandamento consiste em Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, isto porque as leis da antiga aliança se compunham de dez mandamentos, o primeiro se referindo a Deus e os outros nove se referindo ao nosso relacionamento com as outras pessoas e quer na verdade se resumiriam em uma só coisa. “Amar ao Próximo”.

Eis aí a nossa maior dificuldade, já nos foi dito que amar a Deus é muito fácil, mas expressar este mesmo amor às pessoas que estão ao nosso redor é que fica difícil.

O ensinamento desta parte do evangelho mostra exatamente os a correia aperta mais quando se trata do nosso desprendimento pessoal e de nossa ajuda a nosso irmão.

O homem tem uma tendência a querer cuidar de si mesmo e por isso acha que acumulando bens e dinheiro conseguirá atingir o seu objetivo, por outro lado outras pessoas sabendo que alguém tem riquezas acumuladas presfere o caminho mais fácil, ao invés de buscar as suas próprias riquezas ele irá roubar a riqueza que o outro acumulou.

Dois pecados graves causados por uma única atitude e que tem a solução quando confiamos mais em Deus e menos em nós mesmos.

Quando Deus criou o mundo Ele o entregou nas mãos dos homens e não apenas egoisticamente nas mãos de um só homem, a terra e o planeta é um bem comum de toda a humanidade, por isso todos devem amá-la, respeitá-la e preservá-la porque é desta terra que tiramos o sustento para nossas vidas materiais.

O primeiro pecado do Homem é composto de diversos problemas básicos um deles é exatamente o surgimento do egoísmo que afastou o homem de seu Criador que até então nem precisava se preocupar com o dia de amanhã porque possuía tudo que precisava para sua sobrevivência.

Decidiu então que não precisava mais de Deus e se escondeu Dele entre as árvores do jardim, ou seja, se escondeu entre as coisas criadas e não se apresentou ao criador levando-o a ter mais preferência pelas coisas criadas e automaticamente depositando a sua confiança mais na criação do que no Criador.

Tudo é uma questão de escolha, neste caso o dinheiro e as riquezas representam a capacidade humana de adquirir e ter tudo aquilo que o cerca, isto é o mesmo que poder e domínio sobre as outras coisas, quando este pecado cresce muito em nós ele nos leva a dominar também sobre as outras pessoas que são semelhantes a nós, isto é o nosso próximo.

Deus jamais desejou isto para a sua criação ou para o homem epor isso Ele nos ensina mais uma vez a sua vontade para nós.

Confiando sempre mais em Deus e lhe entregando toda a nossa vida, não nos preocuparemos com a nossa própria vida e quando nos dedicamos mais aos nossos irmãos, eles também se dedicarão mais a nós e vencer as barreiras em comunidade sempre foi mais fácil do que vencer sozinho.

Vejamos que um país quando quer dominar uma outra nação ele forma um grande exercito, prepara os seus soldados e invade com o maior numero possível para suplantar-se sobre os outros, provavelmente se o general fosse sozinho à batalha ele seria morto e jamais conquistaria ninguém, a força de um exército é comparada à força de uma comunidade bem estruturada, temos inimigos diferentes e não pretendemos matar ninguém, mas precisamos vencer os nossos próprios inimigos que são os mesmos inimigos de Deus.

Em várias situações na Bíblia ouvimos narrações de batalhas que foram vencidas pelos mais fracos e menos numerosos e não foram pela inteligência do general humano e sim pela obediência às ordens Divinas, isto porque Deus lhes ensinava que não deveriam confiam em seus Carros, Cavalos, Armas, armaduras e sim em Deus que os amava com um eterno amor e que os levaria a vitória.

Este continua sendo a vontade de Deus e jamais Ele quis que vivêssemos na penúria ou na miséria, afinal Ele nos deu tudo sempre do bom e do melhor, se hoje passamos necessidade é tudo por culpa de nosso próprio pecado que nos afasta de Deus e causa prejuízo ao irmão mais próximo.

Se observássemos os mandamentos de Deus e amassemos mais os nossos irmãos, dividindo e repartindo os bens materiais, os maiores problemas sociais que ouvimos falar hoje nem existiriam e a nossa vida seria bem melhor.

Por isso o principal ensinamento deste versículo seria uma mudança de alvo e objetivo, porque o nosso alvo é a nossa meta e esta meta é o nosso tesouro, mudando o valor das coisas iremos perceber que o maior tesouro é exatamente aquele que não pode ser roubado, destruído ou perdido  e este tesouro é a nossa vida eterna com Deus e de brinde ganhamos uma vida muito melhor aqui mesmo nesta terra.




Intrigas e Fofocas ?

Recebi um comentário  de “Maria de Fátima” ela não deixou e_mail de contato, mas disse que seu marido havia recebido um e_mail da Montfort induzindo seus seguidores a praticarem um culto a seu Professor.

Tentei fazer alguns contatos com algumas pessoas que seguem o Professor, mas nenhum deles quis fazer nenhuma declaração, pensei assim, quem cala consente, deve ser mesmo verdade!   mas apesar da forte denúncia, apenas respondi o e_mail para a pessoa que me havia mandado  sem saber na verdade em que time ela estaria jogando e esqueci o assunto.

No entanto, recebi outro comentário, de um tal “Pedro” também sem e_mail válido dizendo que  os seguidores do tal Professor estão divulgando por aí que eu “Sizenando” foi quem criou tal texto.

LEIA A RETRATAÇÃO DE

GUILHERME

NO FINAL DO POST…

Vamos então conhecer a verdade, encontrei o tal texto Blogado desde 18/02/08 neste site citado aqui logo abaixo:

Relembrando a todos que, este Blog aqui em questão “PRESENTEPRAVOCÊ” foi criado após esta data acima citada e nunca postei ou copiei tal texto.

Veja a postagem em:

Um ex discípulo do Fedeli esta divulgando na internet “orações” feitas ao chefe da seita.

http://luterofedeli.wordpress.com/

Ps. nada tenho a ver com este Blog, não conheço o responsável por ele e o mesmo já existia no Blogpost antes de ter sido copiado para o Wordpres, o responsável por este blog já o mantém a muitos anos, se bem que só apareceu com o incidente ocorrido em nossa cidade que foi integralmente copiado para lá diretamente da Montfort e não de mim.

.

A minha primeira publicação feita neste Blog se deu no dia 25/02/2008, portanto após a data que o referido texto já estava publicado na Net.

Este seria o meu primeiro texto:

Apresentação.

Confesso que criei meu Blog inspirado pelo blog do Andre Vieira Rocha e com um objetivo semelhante, porém eu jamais dediquei o meu trabalho me limitando a atacar quem quer que seja.

Podemos observar que quando iniciei este Blog o luterofedeli de Andre já tinha 2.000 entradas, meu blog o alcançou quando tinha 12.000 entradas, sendo que hoje tenho 800.000 entradas e ele tem apenas 48.000, porque seu objetivo é única e exclusivamente copiar as coisas de Fedeli, e não são tantas as pessoas assim que se interessam por tal assunto.

Não copio textos da Montfort e ainda  tenho que ficar apagando as copias que o Sr. Renato Lima coloca aqui como  SPAM.

Acho que a Montfort não precisa de indicações minhas ou de meu Blog para manter sua hegemonia sobre os Católicos Tradicionalistas no Brasil, uma porque este não é o meu objetivo e nunca foi, outra porque meu objetivo aqui é mesmo o nome de meu Blog, revelar a todos que aqui chegam por acaso ou em busca da Palavra de Deus que; nosso Pai nos deu um presente muito valioso que muitas vezes fica no fundo do armário, as vezes até mesmo esquecido, não estou falando da Bíblia não, estou falando do Espírito Santo que recebemos dentro de nosso coração no dia de nosso Batismo e lamentavelmente muitos tradicionalistas negam esta verdade dizendo bem alto e bom tom que; “O Espírito Santo não está no meio de nós” e não habita em nosso coração, contrariando uma verdade Bíblica escrita por São Paulo e para menosprezar São Paulo ainda repetem um texto de São Pedro  o Primeiro Papa desaconselhando a leitura das cartas de São Paulo porque seriam difíceis de entender.

SERIAM MESMO ASSIM TÃO DIFÍCEIS DE ENTENDER OU SERÁ QUE ELES PRETENDEM É QUE NÓS CATÓLICOS CONTINUEMOS TOTALMENTE CEGOS E IGNORANDO AS VERDADES SOBRE A PROMESSA DA NOVA ALIANÇA ?

Não combato o Professor Orlando Fedeli, mas certamente irei combater todos aqueles que continuarem a ensinar mentiras sobre o Espírito Santo de Deus, menosprezando seu poder e sua participação efetiva em nossas vidas com o objetivo de nos Santificar e Salvar.

Conheci o Professor Orlando Fedeli no dia 05/02/2008 quando ele divulgou meu nome em seu site “MONTFORT” vinculado ao nome de meu Bispo local e o Padre de nossa Paróquia que me havia enviado um e_mail desaconselhando a participação nas aulas de Fedeli em minha cidade sem o conhecimento do Bispo local, evento para o qual eu havia sido convidado via e_mail em particular como um verdadeiro Amigo Secreto da Montfort, porém eu não participaria dele de qualquer forma, já que se realizaria nos dias de carnaval e a RCC em minha cidade faz um encontro intitulado XXI Festival de Jesus – Anápolis – Goiás nos dias de Carnaval do qual participo desde o primeiro dia e jamais faltei um deles, porque enfim, também tinha um trabalho a executar no evento.

A partir desta data, tentei por diversos meios retirar aquele texto de onde ele estava, mas hoje ele já está em cinco sites diferentes, porque se tornou um exemplo de honra e coragem de alguém que enfrentou o poderoso e temível REI E SENHOR DOS TRIDENTINOS NO BRASIL.

Sei que esse poder e essa fama tem diminuído muito de lá para cá, porque temos ajudado o Brasil a ver certas verdades que permaneciam ocultas dentro da Montfort e entre seus membros secretos.

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME, é um ditado popular que todos conhecem, logo eu não tenho medo de falsas acusações que os fedelistas dirigem à minha pessoa e nem as palavras de baixo calão que escrevem em seus Blog’s ou em Blog’s de terceiros, diversas vezes recebo e_mail’s anônimos de pessoas ligadas ao tradicionalismo consciente e não à Montfort me contando o que outros disseram a meu respeito.

Por exemplo: Frederico Aleixo escreveu mentiras a meu respeito no Blog do Márcio, mentiras que ele sabe muito bem que são mentiras, logo é um falso testemunho criado por ele, um tradicionalista fidelíssimo.

O Márcio se recusou a apagar o texto dizendo que não é responsável pelo que outras pessoas escrevem em seu Blog e portanto o somente o Frederico seria responsável pelo texto.  Porém, Renato Lima, outro tradicionalista fidelíssimo copiou o texto em vários outros lugares, inclusive no blog de Padre Joãozinho, foi quando alguém me alertou sobre o que lá estava escrito, ao tentar me defender, vários outros se unirão contra mim a fim de me desacreditar, lá era outro contexto e outro assunto, mas nem sequer levaram em consideração as minhas defesas e continuam espalhando aquela mentira por todo lado.

Agora, uma pessoa anônima escreveu  um comentário neste Blog e recebo acusações lá de Portugal por estar divulgando aquele texto como se fosse meu, na verdade o texto é um comentário normal  que aprovei com as minhas devidas considerações, sendo que o tal texto já não era novidade para ninguém.

Realmente, 10% dos meus Leitores são Portugueses, até aproveito esta oportunidade para saudar nossos irmãos de Portugal que juntamente conosco caminham nesta estrada de Jesus e em comparação com a quantidade de habitantes lá em Portugal eles estão bem mais interessados pela palavra de Deus que nós aqui no Brasil e normalmente confirmam a veracidade de cada texto que estão lendo, já que não podemos confiar no que se lê em muitos blog’s Brasileiros totalmente irresponsáveis que mantém mentiras divulgadas mesmo depois de ter sido  comprovado que não eram verdade.

Por isso, me vejo mais uma vez na obrigação de postar esta defesa em relação à resposta dada por Guilherme em seu Blog “LEGADO MONTFORT” a uma pessoa chamada “Maria Teixeira” dizendo ser de Portugal, Que um irmão amigo Montfort me fez o favor de alertar sobre esta falsa acusação pesando sobre minha pessoa.

Evidentemente já escrevi lá a minha defesa como comentário, que consta também aqui como resposta ao Pedro me defendendo de tal acusação.

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME,

MAS DEVE SE DEFENDER

CONVENIENTEMENTE.

Quando pedi uma defesa a respeito das acusações à Montfort sobre o tal comentário recebido, apenas me enviaram notas de desprezo como resposta e outro que ainda fez o favor de me dirigir vários elogios de baixo nível.

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME E…

QUEM SE CALA, CONSENTE.

RETRATAÇÃO

ENQUANTO EU ESCREVIA ESTE TEXTO, APÓS TER ENVIADO MINHA DEFESA AO GUILHERME SOBRE O ASSUNTO DESCRITO ACIMA ELE REESCREVEU O SEU POST APAGANDO MEUS COMENTÁRIOS,  MAS DECLARANDO O SEGUINTE:

RETIROU A ACUSAÇÃO À MINHA PESSOA, APENAS INDICANDO MEU NOME COMO ESTAVA EM SEU COMENTÁRIO E DECLAROU PARA OS DEVIDOS FINS QUE NA MONTFORT NÃO SE PRATICA AQUELA LADAINHA DIVULGADA ANTERIORMENTE NO SITE LUTEROFEDELI ACIMA CITADO.

AGRADEÇO E PARABELIZO AO GUILHERME POR SUA HOMBRIDADE EM DESFAZER UM EQUIVOCO PROVOCADO POR FOFOQUEIROS DA NET QUE ENVIAM COMENTÁRIOS ANÔNIMOS A TITULO DE PROVOCAÇÃO BARATA.

COPIA DO BLOG “LEGADO MONTFORT”

http://blog.legadomontfort.com.br/?p=413

Depois de receber uma série de comentários do Sizenando aqui no blog, gostaria de esclarecer alguns pontos:

  1. Segundo me disse o próprio Sizenando, ele não anda a espalhar a famigerada ladainha por aí. Ele apenas enviou “o texto a auguns fedelistas pedindo uma retratação”, bem como ao Prof. Orlando;
  2. A Maria Teixeira, como me convenceu o Sizenando, não passa de um covarde fake;

Assunto encerrado.

Sendo só para o Momento, me despeço desejando lhes que Deus vos abençoe a todos.

Também por mim este assunto já está encerrado.

Sizenando:

Textos divulgados sobre o assunto em questão:

Pedro, em Novembro 21st, 2009 às 9:53 am Diz: Edit Comment

Acusação sem comprovação:

http://blog.legadomontfort.com.br/?p=413

Comentário com a prova de autoria do texto:

Maria de Fatima
e-mail@nao.tenho

Olá Sizenando,
O que achar destas orações? O meu marido recebeu no e-mail dele.
Foi falado na celebração.
Nota 10 pelo blog. Te achei pelo blog do Pe. Joãozinho.
Parabéns!!!
Beijus,
Maria de Fatima


Maria de Fatima,

em Novembro 13th, 2009 às 9:05 pm Diz: Edit Comment

——————–

(ADI) 3510 – Voto Antológico, Mata-se para se viver com dignidade!



aborto5[1]



“O direito de viver com dignidade é o exercício concreto de um direito básico e inalienável, de que ninguém pode ser privado”.



CNBB – SOBRE CELULAS
TRONCO E A DECISÃO
FINAL DO STF


Quarta-feira, 05 de Março de 2008

Ministro Celso de Mello comenta voto do relator na ADI sobre a Lei de Biossegurança

Logo após o final do voto do ministro Carlos Ayres Britto, pela improcedência da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3510, o ministro Celso de Mello pediu a palavra para fazer um registro sobre a importância do julgamento em curso no Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF).

O decano da Corte elogiou o voto do relator porque, no seu entender, ao considerar constitucionais as pesquisas com células-tronco embrionárias, o voto do ministro Ayres Britto permite, para milhões de brasileiros que sofrem, “o exercício concreto de um direito básico e inalienável, de que ninguém pode ser privado – o direito de viver com dignidade”. Ressaltou, ainda, que o voto antológico do ministro-relator será sempre lembrado até mesmo pelas gerações futuras.

V O T O

A Senhora Ministra Ellen Gracie

(Presidente)

Senhores Ministros, é indiscutível o fato de que a propositura da presente ação direta de inconstitucionalidade, pela delicadeza do tema nela trazido, gerou, como há muito não se via, um leque sui generis de expectativas quanto à provável atuação deste Supremo Tribunal Federal no caso ora posto.

Equivocam-se aqueles que enxergaram nesta Corte a figura de um árbitro responsável por proclamar a vitória incontestável dessa ou daquela corrente científica, filosófica, Supremo Tribunal Federal ADI 3.510 / DF


2 – religiosa, moral ou ética sobre todas as demais. Essa seria, certamente, uma tarefa digna de Sísifo.

Conforme visto, ficou sobejamente demonstrada a existência, nas diferentes áreas do saber, de numerosos entendimentos, tão respeitáveis quanto antagônicos, no que se refere à especificação do momento exato do surgimento da pessoa humana.

Buscaram-se neste Tribunal, a meu ver, respostas que nem mesmo os constituintes originário e reformador propuseram se a dar. Não há, por certo, uma definição constitucional do momento inicial da vida humana e não é papel desta Suprema Corte estabelecer conceitos que já não estejam explícita ou implicitamente plasmados na Constituição Federal. Não somos uma Academia de Ciências.

A introdução no ordenamento jurídico pátrio de qualquer dos vários marcos propostos pela Ciência deverá ser um exclusivo exercício de opção legislativa, passível, obviamente, de controle quanto a sua conformidade com a Carta de 1988.

Veja o texto completo no STF. Supremo Tribunal Federal

“O direito de viver com dignidade é o exercício concreto de um direito básico e inalienável, de que ninguém pode ser privado”.


Esta é a frase antológica que nos mostra logo apos o termo a abertura da “AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 3510 – 0 DISTRITO FEDERAL” Que nenhum dos Srs. Ministros ou Deputados saberiam dizer com certeza qual o momento exato que se inicia a VIDA HUMANA.

Como poderiam eles então julgar um processo que condenaria indubitavelmente milhares de criancinhas à uma MORTE CERTA para promover pesquisas que provavelmente no futuro traria algum bem à humanidade, salvando algumas pessoas milionárias que pudessem pagar por um tratamento aproveitando os resultados de tais pesquisas embrionárias, uma vez que todos nós sabemos que milhões de pessoas continuam morrendo todos os dias na porta dos hospitais por falta de atendimento Médico, por falta de uma vacina ou simplesmente por falta de uma simples GOTA de DIPIRONA, mesmo que fosse a piratinha chinesa, porque não têm o dinheiro para pagar por um tratamento particular digno.

É realmente antológico e antagônico todo esse processo que ocorre hoje nesta sociedade, pois o que está em julgamento não é o valor da VIDA HUMANA e sim a defesa ao direito dos Milionários donos de Laboratórios Farmaceuticos continuarem ganhando o seu pão de cada dia.

Todos tem o direito à Vida, inclusive os grandes Laboratórios, mas não podemos nos esquecer de que não adianta salvar uma só vida enquanto se tira milhares de outras.

Isto é uma inversão de valores, Porque Nosso Senhor Jesus fez um único sacrifício em benefício de toda a Humanidade.

Isto equivale a dizer que:

Se Eu tenho dinheiro e posso pagar, tenho o direito de comprar a vida de outra pessoa mesmo que ele não queira me vender. Dizem que é crime comprar um rim de uma pessoa viva, porque não seria crime comprar a vida inteira de um Embrião?

Este é um pecado contra o Mandamento:

Não cobiçarás as coisas alheias. A minha vida é minha, e ninguém tem o direito de tirá-la quando quiser, porque eu teria o direito de tirar a vida de alguém ?

Só porque ele ainda não sabe falar ? Dizendo Não!

Se Eu e você estamos vivos hoje, é porque alguém disse NÃO por nós quando eramos apenas uma célula no ventre de nossa Mãe e Ela não foi Capaz de tomar a pilula do dia seguinte eliminando a nossa chance de dizer NÂO, agora em favor de outras vidas indefesas.

Mais uma vez nos defendemos com as próprias palavras daquele que nos condena!

“O direito de viver com dignidade é o exercício concreto de um direito básico e inalienável, de que ninguém pode ser privado”.




(ADI) 3510 – A ciência demonstra insofismamavelmente.



ADI_3510_defesa da vida


A nossa defesa será feita por muitos Doutores e Cientistas de renome Indubitávelmente Capacitados para falar sobre o assunto em questão. 



Prossegue o Dr. Dernival Brandão,

Em defesa da Vida.

Texto retirado da (ADI) 3510 

Convém Explicar a palavra acima: insofismamavelmente

Sofisma: Ideia defendida por apenas uma pessoa, “Isoladamente”

LOGO Insofismamavelmente:´Será o mesmo ponto defendido por vários Cientistas e Doutores.

1. A tese central desta petição afirma que a vida humana acontece na, e a partir da, fecundação.

2. Assim, a lição do Dr. Dernival da Silva Brandão, especialista em Ginecologia e Membro Emérito da Academia Fluminense de Medicina, verbis:

“O embrião é o ser humano na fase inicial de sua vida. É um ser humano em virtude de sua constituição genética específica própria e de ser gerado por um casal humano através de gametas humanos – espermatozoide e óvulo. Compreende a fase de desenvolvimento que vai desde a concepção, com a formação do zigoto na união dos gametas, até completar a oitava semana de vida. Desde o primeiro momento de sua existência esse novo ser já tem determinado as suas características pessoais fundamentais como sexo, grupo sanguíneo, cor da pele e dos olhos, etc. É o agente do seu próprio desenvolvimento, coordenado de acordo com o seu próprio código genético.

O cientista Jérôme Lejeune, professor da universidade de René Descartes, em Paris, que dedicou toda a sua vida ao estudo da genética fundamental, descobridor da Síndrome de Dawn (mongolismo), nos diz: “Não quero repetir o óbvio, mas, na verdade, a vida começa na fecundação. Quando os 23 cromossomos masculinos se encontram com os 23 cromossomos da mulher, todos os dados genéticos que definem o novo ser humano estão presentes. A fecundação é o marco do início da vida. Daí para frente, qualquer método artificial para destruí-la é um assassinato”. (publicação: VIDA: o primeiro direito da cidadania – pg. 10 – em anexo, grifei)

A ciência demonstra insofismamavelmente – Com os recursos mais modernos – que o ser humano, recém-fecundado, tem já o seu próprio patrimônio genético e o seu próprio sistema imunológico diferente da mãe. É o mesmo ser humano – e não outro – que depois se converterá em bebê, criança, jovem, adulto e ancião. O processo vai-se desenvolvendo suavemente, sem saltos, sem nenhuma mudança qualitativa. Não é cientificamente admissível que o produto da fecundação seja nos primeiros momentos somente uma “matéria germinante”. Aceitar, portanto, que depois da fecundação existe um novo ser humano, independente, não é uma hipótese metafísica, mas uma evidência experimental. Nunca se poderá falar de embrião como de uma “pessoa em potencial” que está em processo de personalização e que nas primeiras semanas pode ser abortada. Porque? Poderíamos perguntar-nos: em que momento, em que dia, em que semana começa a ter a qualidade de um ser humano? Hoje não é; amanhã já é. Isto, obviamente, é cientificamente absurdo.”

(publicação citada – pg. 11, grifei)

Quer mais, Leia o texto completo

Está arquivada em.

http://www.ghente.org/doc_juridicos/adin_3510.htm

E Conjuntamente assinada por:

Cada um expressando a sua Defesa. 

1. Professora Alice Teixeira Ferreira;

9. Professor Rogério Pazetti.

2. Professora Claudia Maria de Castro Batista;

3. Professora Eliane Elisa de Souza e Azevedo;

4. Professora Elizabeth Kipman Cerqueira;

5. Professora Lilian Piñero Eça;

6. Professor Dalton Luiz de Paula Ramos;

7. Professor Dernival da Silva Brandão;

8. Professor Herbert Praxedes; e

Brasília, 16 de maio de 2005.

CLAUDIO FONTELES

PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA


Veja Mais:  ghente



Seria a mãe capaz de se esquecer do filho que amamenta?…”

O Caso de Isabella Nardoni exemplifica muito bem esta situação.

Pai joga propria filha pela janela? Será isso mesmo a Verdade?

Culpado,  ou será que

Ainda pode ser inoscente?

As Investigações chegaram ao final, a justiça já Deu seu veredicto, indiciou o casal como causadores da morte de Isabella, Já foi expedido o Mandato de prisão provisória para os Nardonni. Agora caberá aos advogados de defesa tentar nos convencer de que são inoscentes, o que será muito mais difícil agora para o casal tentar sustentar sua tese de defesa.

Uma vez que não foi encontrado nenhum indício de uma terceira pessoa na cena do crime e todas as provas apontam para a Madrasta, ficou claro o que todos temiam, realmente parece ser culpado o Pai da Criança.

Como devemos reagir contra atitudes como esta na nossa sociedade, sendo que nosso eu interior nos levam a cometer crimes tão Barbaros como este de Isabella? O que julgamos ser um crime quase impossível, acabamos provando que realmente somos capazes de realizar o que não pretendiamos.

Mas o que continua chocando a Comunidade em sí, não será a solução deste caso em particular, e sim a possibilidade de tal fato ter sido executado pelo proprio Pai da criança, sabendo que precisamos urgentemente sanar esse mal que afeta até mesmo as crianças indefesas.

Há de se perguntar, Se o ser humano foi capaz de cometer este delito tão grave? O que poderemos fazer para evitar fatos semelhantes a este? Acompanhe o caso=>

Podemos até nos colocar na berlinda, e disparar contra nós mesmos estas perguntas e acusações, tentando arrancar de nós uma resposta, de preferência negativa é claro. Concientemente jamais poderiamos concordar ou admitir que tal fato pudesse acontecer conosco, ou que fossemos responsáveis por tal atitude criminosa, pior ainda contra nosso proprio filho.

O desaparecimento da garotinha Inglesa Madalaine ocorrido em Portugal, ainda continua sem solução, e neste caso também os Pais foram colocados como principais suspeitos, se bem que nada se conseguiu provar a não ser suposições.

Sim! somos obrigados a admitir que sim, porque Já foram comprovados vários crimes praticados pelos próprios Pais!

No Antigo Testamento da Bíblia, no Livro de Isaias Cap. 49,15 diz:

“Seria a mãe capaz de se esquecer do filho que amamenta?…”

Mãe_Amamentando_Seu_Filho

Mulher, Mãe Amamentando seu filho bebe

A pergunta em si mesma, supoe duas respostas objetivas e radicalmente opostas.

Não! é logico que não! Seria nossa primeira e idubitável resposta. A Mãe ama seu filho, muito mais o filhinho indefeso que sabe apenas chorar quando tem fome, por outro lado, se ela se distraisse, o proprio corpo humano feminino tem um alarme de tempo, programado para despertar exatamente no instante em que seu bebé sentirá fome, ou seja “O Seio Feminino se incha e vaza quando chega o momento certo do bebe se alimentar”. Sendo assim, seria impossível a Mãe se esquecer de seu filho emquanto se amamentar nela.

Exaltamos o amor de Mãe, porque entre todos os animais este amor é tão natural como seria necessário para a perpetuação da espécie, é um amor quase automático independentemente daquele amor “cumplice” gerado entre mãe e filho durante os 9 meses de gestação.

No passado seria difícil sugerir que uma mãe fosse capaz de esquecer seu proprio filho, muito menos de cometer um delito criminoso contra ele, mas hoje, com o divórcio, o aborto a manipulação genética de embriões vivos como se fossem apenas células de pele, tornou esta questão muito banal, deformando os valores humanos sobre sua propria vida e sua propria dignidade e fatos esse acabam se tornando comuns e inevitáveis.

Quanto barulho em cima do caso, todos acham um absurdo um Pai ser capaz de jogar uma filhinha pela janela, mas todos a seu tempo defendem jogar na lata do lixo milhares de criancinhas indefesas incapazes de direcionar um olhar sequer ao seu algoz.

Mas a pergunta supoe uma resposta positiva, se por acaso a Mãe que ama tanto seu filho e mesmo com o dispositivo natural feminino, se ambos falhassem, o que seria da pequena criatura?

O Pai do céu já responde esta questão no mesmo versículo: “Mesmo que isso acontecesse, Eu Jamais te esqueceria…”

“Deus Jamais te abandonará…”

O Amor de Deus é eterno e sem medidas, sem reservas e sem limites e Ele quer derramar seu Amor sobre todos os Homens da Face da terra, basta abrir o nosso coração para recebê-lo e evitar que tais absurdos aconteçam em nosso meio.

Veja Também=>


PRESENTEPRAVOCE
https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/12/sag-fam-lk.jpg

.

Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo!


Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. (São João 3,16)

(Atos dos Apóstolos 2,21) – (Romanos 10,13)

Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

Mas todo o que invocar o nome do Senhor será poupado, porque, sobre o monte Sião e em Jerusalém, haverá um resto, como o Senhor disse, e entre os sobreviventes estarão os que o Senhor tiver chamado. (Joel 3, 5)


Evangelho de João cap. 3


14 – Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem,


A SERPENTE DE BRONZE.


Jesus revelou um segredo a Nicodemos algo que não foi dito a nenhum de seus discipulados e a mais ninguém, somente Nicodemos ficou sabendo deste detalhe…

Jesus lhe Disse; Importa que o filho do Homem seja Levantado ao céu, como aquela serpente na ponta da vara de Moisés.

Esta Serpente, se refere ao foto de que os pecadores inveterados que saíram do Egito, preferindo ter ficado por lá como escravos, enquanto caminhavam pelo deserto rumo à terra prometida começaram a cometer toda sorte de pecados e murmurações que não agradavam a Deus.  Logo apareceram entre eles serpentes venenosas  que mordiam os Judeus e muitos estavam morrendo no deserto.   Moisés ouvindo o clamor do povo que morria em grande número aproximou-se de Deus para interceder a favor deles pedindo-lhe que os salvasse.

Deus então mandou que Moisés fizesse uma serpente de bronze e a colocasse na ponta de uma vara dizendo:

   “Todo aquele que for mordido por uma serpente do deserto, se dirija até a vara e olhe fixamente na direção da serpente de bronze e ficaram curados”.

E Assim se deu, quem era mordido se dirigia à serpente de Bronze e era curado imediatamente, mas quem não ia, morria ali mesmo.

Era um pouco estranho esta comparação de Jesus, uma vez que até aquele momento ninguém planejava matá-lo ainda, ou tão pouco amarrá-lo numa vara e afinal de contas não existia nenhum surto de mordidas de serpentes na época.  O que significaria pessoas mordidas por serpentes olhar para Jesus ?

Creio que Nicodemos não entendeu naquele momento o que Jesus quis dizer, hoje nós sabemos que Ele falava da Cruz e que na cruz ele pagaria por todos os nossos pecados, porque a serpente que nos morde é o pecado que nos condena à morte eterna, mas não é uma ação gratuita, você, eu e o mundo precisamos nos dirigir ao Crucificado e olhar para Ele, contemplando e meditando em seu sacrifício por nós, mas aquele que não aceitar esta aproximação e permanecer em seu pecado certamente morrerá em consequência do veneno nele inserido pelo mal.



15 – Para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna.




Esta é a imagem tão polêmica e tão discutida nestes últimos 2012 anos, parece ser apenas um homem crucificado, que na verdade nem era novidade para a época porque muitos eram crucificados desta mesma forma, alguns por motivos criminosos, outros por motivos políticos para manter o domínio sobre o povo.

Jesus porém não havia cometido crime algum e não havia nenhum motivo político para crucificá-lo, aparentemente o motivo religioso que levantaram contra Ele, parecia ser tão banal que logo se esqueceriam do fato de que um homem pobre morreu numa cruz sem motivo algum.

Para Nicodemos, porém, que conhecia aquele segredo que Jesus lhe havia revelado, sabia que alguma coisa diferente aconteceria naquele evento tão comum.

Para um povo pecador e condenado a morte, visto que o próprio Jesus havia morrido sem motivo algum, certamente todos morreriam mesmo, mas segundo as palavras de Jesus, todo aquele que o visse levantado no madeiro como aquela serpente de bronze no deserto, seria curado e liberto de todo seu pecado, isto equivaleria a uma absolvição geral para todos aqueles que; mesmo passando por ali sem saber do que estava acontecendo se tornaria um homem livre e salvo do pecado que pesava sobre a humanidade.


Porque os meus olhos viram a vossa salvação.       (São Lucas 2, 30)

Creste, porque me viste. Felizes aqueles que creem sem ter visto. (São João 20, 29)

Depois disse a Tomé: Introduz aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos. Põe a tua mão no meu lado. Não sejas incrédulo, mas homem de fé. (São João 20, 27)


Crer é a palavra chave desta questão, lá estava Jesus morto na cruz, pelo que sabemos morreu por nossos pecados, e como era costume dos Romanos lá ficaria como escárnio e exemplo de opróbrio para a humanidade, um caminho que não deveria ser seguido porque certamente levaria à morte e morte de cruz.

Usando das palavras de Simeão, que aguardava a vinda do Salvador, pediu a Deus para deixá-lo morrer em paz porque seus olhos haviam contemplado o Salvador deste mundo, de uma forma semelhante São Tomé quis ver a confirmação da vida de Jesus tocando-o com suas próprias mãos.

Aproveitando desta incredulidade do povo seria melhor que as pessoas não vissem Jesus morto na cruz, caso contrário segundo aquele segredo de Jesus com Nicodemos, as multidões se salvariam quando o vissem e acreditassem no que Ele proclamou, mesmo depois de morto.

A melhor solução então, seria evitar esta exposição de Jesus, mas digo, A quem interessaria esta atitude ?

O que os olhos não veem o coração não sente, se os nossos olhos não vissem como creríamos naquilo que nos foi dito, nem São Tomé que era um discípulo Dele acreditou no que seus condiscipulados lhe contaram, imagine nós depois de tantos anos.

De certa forma Jesus já esperava por essa atitude daqueles homens e por isso disse também: Muito mais bem aventurados são aqueles que acreditaram sem ter visto. Hoje acreditamos no testemunho daqueles que contemplaram estes fatos, mas muitos indagam;

Será que tudo isso aconteceu mesmo ?


16 – Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.



Este agora é o nosso desafio: Crer, e crer sem ter visto ou ouvido falar de tudo aquilo diretamente por uma testemunha dos eventos que ocorreram em Jerusalém naquele dia.

Este sinal da Salvação de Jesus se espalhou por todo o mundo, podemos dizer que são poucos aqueles que nunca viram um crucifixo ou nunca ouviram falar de Jesus que se entregou na cruz por amor a nós.

Dá mesma forma que tentaram impedir os homens de assistirem o Cristo morto na Cruz naquele dia, ainda hoje são muitos os países que proíbem expressamente, sob pena de morte a pregação da palavra de Deus que revela esta verdade àqueles que nunca ouviram falar de Jesus, isto porque reconhecem que a única maneira de não se acreditar em Jesus é não conhecê-lo ou jamais ver a reprodução de uma simples imagem de Jesus crucificado naquela Cruz.

Vemos que a atitude de esconder a verdade sobre Jesus ainda hoje continua.  Esconder o fato de sua morte numa cruz como aconteceu no Calvário ainda é uma atitude comum no mundo de hoje, além daqueles que proíbem se falar de Jesus ou expor apenas o sinal de uma simples cruz que seja, existem também aqueles que tentam obscurecer a verdade, nublando a nossa visão para não percebermos a profundidade da libertação atingida pelo sacrifício da Cruz, existem também aqueles que desviam o nosso olhar da Cruz com imagens pecaminosas ou com imagens Santas, porém sem apenas um reflexo limitado do totalmente Santo que se expõe por nós naquela Cruz.

A comparação com São Pedro caminhando sobre a água é inevitável, enquanto olhava para Jesus, superava suas limitações e falta de fé, porém ao se distrair observando ao seu redor o mar bravio o sugava para a morte e sua única esperança foi estender as mãos e gritar “Salva-me Jesus”!


17 – Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele.


Jesus_salva_pedro_de_afogar


São Pedro tinha outras opções de se salvar, afinal era um pescador e acostumado com o mar, sabia nadar e muito bem, poderia ter voltado para o barco com suas próprias forças mas demonstraria o maior fracasso de qualquer Cristão, ao invés de atingir o seu objetivo “que era chegar em Jesus”, acabaria voltando ao ponto de partida e ainda todo molhado num barco a ponto de se afundar na tempestade.

Se fosse esse o seu desejo, jamais ele teria colocado seus pés naquele mar, mas o seu objetivo era ser salvo por Jesus, afinal de contas Ele não veio a este mundo para nos deixar afogar em nossas fraquezas e nem nos condenar por nossos erros, mas veio para nos salvar e libertar de todo mal. Basta realmente dirigir nossos olhos e levantar os nossos braços e nos entregarmos inteiramente nas mãos daquele que se entregou por nós.

Simeão, num simples olhar reconheceu que ali naquela criança estava a Salvação do mundo, José e Maria contemplaram a fragilidade de um Deus que despojou-se de toda sua majestade para vir até nós trazendo esta Salvação, isto porque Ele jamais nos condenou por nossos erros e pecados vindo a este mundo para que realmente os nossos olhos pudessem contemplá-lo e ver claramente que Deus não nos abandona, mas estende as suas mãos para nos resgatar como resgatou São Pedro de uma morte certa.


18 – Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado; por que não crê no nome do Filho único de Deus.



Esta é a situação que nos encontramos, no meio da tempestade e afundando num mar escuro, duas opções, se afastar de Jesus e  confiando em suas próprias forças e habilidades tentar voltar para um barquinho condenado no meio do mar revolto ou se entregar completamente nas mãos de Jesus.

Suponhamos que não fosse Jesus que estivesse ali no mar e fosse uma pessoa totalmente desconhecida para Pedro, qual teria sido sua atitude ?   Certamente teria escolhido voltar para o barco nadando sozinho do que se arriscar pedir socorro a quem nunca viu, isto nos mostra que ao pedir socorro a Jesus, São Pedro demonstrou sua fé em Nele, porque em Jesus ele acreditava de todo coração e  teve a coragem de confiar sua vida inteiramente em suas mãos.    Crer é isso, é confiar inteiramente em uma pessoa a ponto de optar por Ele e desprezar sua própria capacidade.     A condenação existe, o pecado já nos feriu como aquela serpente no deserto, o veneno faz seu efeito e inevitavelmente todos morreremos se não nos dirigirmos àquele que está exposto no alto da Cruz reconhecendo a nossa situação de morte iminente como Pedro se afundando no mar.

Só existe duas opções, crer ou não crer, aproximar ou se afastar, olhar ou desviar o olhar, se entregar ou confiar em si mesmo,só se afundará, só se perderá ou só será condenado aquele que optar por não Crer em Jesus e não entregar sua vida inteiramente em suas mãos.

Esta é a outra alternativa que muitas pessoas acham que não existe ou preferem acreditar que não, para continuarem em seu pecado achando que o veneno da serpente não é tão forte assim e no máximo nos dará apenas um mal estar, temos que alertar que o fundo do mar é escuro e nas trevas não conseguiremos ver nada claramente, que o inimigo nos engana e manipula a mentira fazendo-o parecer com uma verdade, quando realmente não existe outra saída para o pecador a não ser Jesus.


19 – Ora, este é o julgamento: a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois as suas obras eram más.



Quem em sã consciência preferiria as trevas ou a escuridão, de que adianta olhos se nada poderemos ver no escuro, seremos iguais aos cegos que precisam da ajuda das outras pessoas que veem para conseguirem o que querem e mesmo assim estariam totalmente na confiança de que estas pessoas lhe fariam realmente o que é bom.

Deus nos oferece a luz, onde todos podem ver a verdade e o caminho por onde seguir, já o inimigo nos oferece as trevas onde não vemos o caminho e nem saberemos a verdade sobre ele obrigatoriamente sendo guiados por alguém que temos a certeza não nos amar ou querer apenas o nosso mal.

Só existe uma razão para caminharmos nas trevas sem temer o caminho, é quando vemos no fim do túnel a luz que é a esperança de todo o nosso viver, então porque permanecer nas trevas se podemos caminhar em direção à luz verdadeira.


20 – Porquanto todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.


.


21 – Mas aquele que pratica a verdade, vem para a luz. Torna-se assim claro que as suas obras são feitas em Deus.


Luz para a fé - Light for the faith por Thiago Leon - thiagophoto!.




Jesus_disfarçado
Jesus é Rei e Senhor
Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito