A Lição do Passarinho.


JOELHOS DOBRADOS





A Lição do Pássarinho em Power Point . PPT



  1. 1. A LIÇÃO DO PÁSSARO

  2. 2. Você já viu um passarinho dormindo num galho ou num fio, sem cair?

  3. 3. Como é que ele consegue isso?

  4. 4. Se nós tentássemos dormir assim, iríamos cair e quebrar o pescoço.

  5. 5. O segredo está nos tendões das pernas do passarinho.

  6. 6. Eles são construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, o pezinho segura firmemente qualquer coisa.

  7. 7. Os pés não irão soltar o galho até que ele desdobre o joelho para voar.

  8. 8. O joelho dobrado é o que dá ao passarinho a força para segurar qualquer coisa.

  9. 9. É uma maravilha, não é?

  10. 10. Que desenho incrível que o Criador fez para segurar o passarinho! Mas, não é tão diferente em nós.

  11. 11. Quando nosso “galho” na vida fica precário, quando tudo está ameaçado de cair, a maior segurança, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado, dobrado em oração.

  12. 12. Se você algumas vezes, se vê num emaranhado de problemas que o fazem perder a paz e a alegria, não se entregue ao desânimo, faça de Jesus o seu melhor amigo, Ele está ansioso por isso, Ele quer fortalecê-lo e abençoá-lo!

  13. 13. É Ele quem renova suas forças e sua Fé.

  14. 14. “Olhai para os Lírios do campo como eles crescem; não trabalham nem fiam; E Eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua Glória, se vestiu como qualquer um deles”.

  15. 15. “Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? ”. Mateus 6: 26

  16. 16. E se Ele cuida de um passarinho, imagina o que não fará por você, que é seu filho amado?! Basta você CRER!

  17. 17. “Lançai sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós” 1 Pedro 5:7

  18. 18. E jamais se esqueça: Tudo o que nasce de joelhos nasce para ficar em pé!

  19. 19. Uma abençoada vida para você! Você é a coisa mais linda que Deus tem neste mundo!

  20. 20. Presentepravoce.wordpress.com.br

  21. Um grande abraço e que DEUS te ABENÇOE!!

  22. Link’s para outras Mensagens



Semeando a cultura de Pentecostes




A lição do Pássaro – Slideshare



SVE I. – Primeira Experiência de Oração.


O que é o Seminário de Vida no Espírito?


A Renovação Carismática Católica apresenta o S.V.E. como “O Querigma”, ou seja uma iniciação básica ao conhecimento a respeito da presença do Espírito Santo na Igreja de ontem como deveria ser também na mesma Igreja hoje.

Nada mudou nas Promessas Divinas, de tal forma que, o que no início da RCC parecia ser uma novidade para os Católicos nada mais é do que os primeiros passos dados pelos Apóstolos de Cristo quando iniciaram a Igreja a partir do cumprimento da Promessa Divina que se resume em enviar seu Espírito Santo para habitar os nossos corações (Jer. 31,31). Fato que foi concretizado no dia de Pentecostes com a presença de 120 pessoas entre os Discípulos e Maria mãe de Jesus e que de acordo com as profecias se estende a todos aqueles que acreditarem nesta promessa e que não será alterada até que venha a sua plenitude antes que todo olho testemunhe a segunda vinda de Cristo à terra.




A finalidade do Seminário de Vida no Espírito é ajudar os participantes a encontrarem uma vida mais rica e melhor. É o momento de se encontrarem com Cristo e viver as verdades mais fundamentais acerca do Amor de Deus, do Pecado, da Salvação, da Fé, da pessoa de Jesus Cristo, da Efusão e Carismas do Espírito Santo.

Sem dúvida, os Seminários de Vida no Espírito Santo constituem-se um dos momentos mais expressivos do trabalho de evangelização da Renovação Carismática Católica em todo o Brasil. Trata-se de encontros abençoados que, a partir de pregações querigmáticas e de momentos fortes de fraternidade e de oração, proporcionam experiência singular com o amor de Deus Pai, o encontro pessoal com Jesus Cristo, Senhor e Salvador, bem como a graça do batismo no Espírito Santo. Reconhecendo a relevância destes encontros, nosso blog disponibilizará, semanalmente, textos que abordam os temas específicos dos Seminários de Vida no Espírito Santos, rogando ao Bom Deus que nos favoreça com um conhecimento crescente de Sua Palavra e desperte em nós a docilidade às moções do Espírito Santo…




O Semeador

(introdução ao Seminário de Vida no Espírito Santo)

“A que caiu na terra boa são os que ouvem a palavra com coração reto e bom, retêm-na e dão fruto pela perseverança.” (Lc 8, 15)

O centro da pregação dos apóstolos na Igreja Primitiva consistia em anunciar Jesus Cristo, o Messias esperado, que foi morto pelos pecados da humanidade, ressuscitou ao terceiro dia e foi constituído, por Deus Pai, o Senhor e Salvador do mundo inteiro: “O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, que vós matastes, suspendendo-o num madeiro. Deus elevou-o pela Sua mão direita, como príncipe e salvador; a fim de dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados.” (At 5, 30 – 31).

Contudo, para entendermos melhor o que é a salvação, precisamos compreender qual é o plano de Deus para a criação, o que é o pecado e, afinal, do que fomos salvos. Para com Deus a nossa resposta deve ser de gratidão: amá-lo, entregar-se a Ele, cumprir em tudo a Sua santa vontade, o que implica numa atitude de fé e de mudança de vida. é o Espírito Santo, comunicado a nós por Jesus, que muda os nossos corações para vivermos esta nova vida. A isto se propõe o Seminário de Vida no Espírito Santo.

Durante todo o Seminário, alimentamos a certeza de que, assim como a semente é lançada no campo, a Palavara de Deus é semeada em cada coração (Lc 8, 4 – 8). Jesus é o grande semeador; a semente é a Palavra de Deus; cada participante é o solo que acolhe a semente. Se formos terra boa, isto é, se o coração abrir, frutos, de até cem por um, brotarão.

Assim, adotando uma postura de discípulos, sentados aos pés do Mestre e com ouvidos abertos e corações atentos àquilo que Ele mesmo nos fala, poderemos descobrir a presença amorosa de Deus Pai em nossas vidas, tomar posse da riqueza que é a salvação alcançada pelo Senhor Jesus, e experimentar a ação renovadora do Espírito Santo.


Fonte: RCC CAMOCIM CEARÁ

A Partir de agora estaremos disponibilizando temas sobre o SVE I, material escrito, em video e esquemas básicos para ensinos em grupos de oração ou encontros fechados, alguns dos quais já estão disponíveis em outros site’s. Estaremos apenas organizando de uma forma que outras pessoas também possam se usufruir destes textos e videos para nossa formação pessoal e auxiliar outras pessoas a encontrar-se com Jesus e conhecer melhor o Espírito Santo de Deus.

Seminário de Vida no Espírito Santo SVE-COMPLETO



Seminário de Vida no Espirito

ESTE TEMA

PRÓXIMO

TEMA

Livro

RCC – Shop





Link’s para outros post’s




Tema Preparado para Pregação em Grupo de Oração.



Muitos de nossos leitores buscam temas de pregação para serem apresentados em grupos de oração.    

Esses temas são diversos e poderiam ser apresentados de diversas formas diferentes atendendo a cada vez um detalhe em particular significando que os temas aqui oferecidos atenderão apenas uma destas possibilidades podendo ser alterados, suprimindo ou acrescentado algum outro detalhe que colabore com a sua apresentação particular.  

Apresentaremos temas curtos para serem desenvolvidos no tempo disponível nos grupos de oração que seriam no mínimo 00:15 mim e no máximo 00:30 mim, pois temas superiores a este tempo não seriam aconselháveis apesar de muitos pregadores ultrapassarem o tempo determinado, por isso fica também uma boa margem para acrescentar mais alguma coisa.

Paz de Cristo



ESTAREMOS ACRESCENTANDO OUTROS TEMAS À MEDIDA QUE EVOLUIR ESTE POST, SE BEM QUE JÁ TEMOS MUITOS TEMAS DISPONÍVEIS NO BLOG E ESTAREMOS APENAS PREPARANDO LINK’S INDICATIVOS.


PORÉM SE VOCÊ GOSTARIA DE UM TEMA DIFERENTE, DEIXE AQUI UMA SUGESTÃO COMO COMENTÁRIO.


Dia_pais_banner
biblia-br Bíblia
Dia_pais_banner
PERSEVERANÇA

PERSEVERANÇA

Alimento_Espiritual_Autêntico

ALIMENTO ESPIRITUAL

Pastoral+familiar+banner[1]
Espirito_Santo_FS

ESPÍRITO SANTO


Dinâmica e Reflexão para grupo de Oração Jovem.



Objetivo: Restaurar e valorizar a verdadeira imagem humana, sua dignidade e semelhança Divina levando a pessoa a reconhecer-se como FILHO de DEUS e muito amado pelo Pai.


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


1. Em um grupo de jovens em encontro aberto ou fechado pode ser ministrado uma meditação referente ao texto abaixo.

Com uma musica de fundo, uma luz mediana, alguém com uma boa voz, calma e tranquila pode conduzir a meditação lendo o texto ou apresentando-o em Power Point.

O Momento também abre uma porta para a continuação de uma cura interior mais profunda, este sim sendo mais indicado para encontros fechados.

Veja o texto e a história no post:


A Imagem de Cristo




Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original



2. Deus Disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança.”  Criou pois o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher   (Genesis 1,26-27)


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


Verdades & Segredos ocultos !

O Buda de Ouro.!


buda-barrouro


O segredo que habita em cada um de nós.


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


 .


Vaso_de_Barro

Temos Um Tesouro em Vasos de Barro!



Anel_Valor A casa em chamas
Amigo Fiel Quem sou faz a diferença O_Segredo_de_vencer_grandes_desafios

BAIXE O SLAID EM POWER POINT PARA VISUALIZAR OS EFEITOS



Dinâmicas de grupo Diversas.

DINÂMICAS DE GRUPO

Dinâmicas de interação em Grupos


CONFIRMAÇÃO OU CRISMA?


Distribuir aos participantes as frases abaixo, que refletem desafios relacionados com o sacramento da crisma. Trazer as frases já escritas em papéis.

B) Enumerar de um a dez as fichas onde estão as frases.

C) Os números iguais se encontram e discutem o desafio recebido e também poderão apresentar algo de bonito que já está acontecendo na preparação de catequizandos, na paróquia ou comunidade.

D) Partilhar com o grande grupo as reflexões feitas.
1 – Pouco preparo dos catequistas.
2 – Desinteresse da família.
3 – Contra-valores apresentados pela sociedade.
4 – Metodologia pouco adequada.
5 – Falta de estímulo da comunidade.
6 – Descompromisso dos cristãos batizados.
7 – Catequese que não parte das motivações, interesses, problemas dos catequizandos.
8 – Sacramentos vistos como tradição, ou ato social.
9 – Fé vivida de forma superficial, sem convicção e seguimento a Jesus Cristo.
10 – Poucas formas de engajamento na comunidade, durante e após o sacramento da crisma.



O ESPÍRITO SANTO ESCOLHE E ENVIA – A CASA


1. Construir aos poucos uma casa, forma de desenho, num quadro de giz ou em papelógrafo.

2. Cada participante será convidado a desenhar uma parte da casa, entendo que esta casa é da fé e da vida de cada crismando. Refletir porque cada parte é importante.

3. O catequista pode traçar somente a base e perguntará:

Na base da nossa fé, a que colocamos? Deixar falar.

Ex.:

· base = Jesus Cristo
· pilares = Palavra de Deus, comunidade, sacramentos, Igreja…
· paredes = Participação nas celebrações, encontros, retiros…
· teto = Testemunho, luta por mais justiça…
· porta principal = Sacramento da Crisma
· dentro da casa = que está? A que queremos acolher? (excluídos, sofridos…)

4. Terminada a casa, discutir:

· quais os compromissos que precisamos assumir para manter a casa da fé e da vida em boas condições?

5. Ao completar a casa, um receberá uma vela e, ao acendê-la , pronunciará um compromisso e será ungido, no sentido de que Espírito Santo será a grande força para poder cumprir concretamente o empenho assumido.

Ir. Marlene Bertoldi



quem-sou-eu-reflexo-de-jesus


“ESPELHO DA VIDA”  SALMO 146 (5-10)


Feliz que recebe auxilio do Deus de Jacó,quem espera no Senhor seu Deus criador do céu e da terra, do mar e de quanto contém. Ele é fiel para sempre, faz justiça aos oprimidos, dá alimento aos quê têm fome.O Senhor ama os justos, protege os estrangeiros, ampara o órfão e a viúva, mas transtorna o caminho dos ímpios.O Senhor reina para sempre, o teu Deus, Sião, por todas as gerações. Aleluia.1.° momento

Vamos ler este Salmo devagar.

2.° momento

Este Salmo fala sobre a ação de Deus em favor dos mais fracos e necessitados . Quais são os versículos que falam sobre isto?

3.º momento: Vamos refletir um pouco:Podemos nos perguntar: Se Deus age assim, por que há tantos oprimidos, famintos, injustiçados, sofredores? Onde está a ação de Deus?Os Salmos muitas vezes falam sobre o apoio, o amparo e a justiça que Deus promete. Mais isto não quer dizer que Deus opera diretamente. Sempre, quando fala assim, é para dizer que nós. Somos, por assim dizer, os braços de Deus.O profeta Isaías fala claramente sobre o que Deus espera do seu povo.”Acaso, o jejum que eu prefiro não será isto:
acabar com a injustiça qual corrente que se arrebenta; acabar com a opressão qual canga que se solta; deixar livres os oprimidos, acabar com toda espécie de imposição?
Não será repartir tua comida com quem tem fome?
Hospedar na tua casa os pobres sem destino?
Vestir uma roupa naquele que encontras nu e jamais tentar-te esconder do pobre teu irmão?
Aí, então, qual novo amanhecer, vai brilhar a tua luz”. (Is. 58,6-8a) Jesus que ele veio para cumprir esta missão:

Vamos ler (Lc 4,16-21) O mesmo Ele pede de nós. Leiamos Mt. 25 (Tempo par ler os dois textos)Como podemos observar, os salmos não somente falam de amor, confiança, repouso em Deus, mas mostram nossa missão no meio do mundo: sermos justos e amorosos como Deus.

4.º momento – Vamos ler o Salmo de novo. Qual o versículo que mais chamou nossa atenção?

5.º momento – Quais os apelos que este Salmo nos dirige, hoje?
Como vamos mostrar o amparo de Deus aos mais necessitados em nosso meio?
O projeto da CNBB sobre a superação da miséria e da fome (Documento 69) tem algo a ver com nossa reflexão?
De que modo podemos participar concretamente deste projeto?

6.º momento – Vamos ficar em profundo silêncio.
Que vamos dizer a Deus agora? Cada um escreve uma oração.
Quem quiser, pode ler depois, em voz alta.

7.º momento – Vamos cantar: Javé, o Deus dos pobres, do povo sofredor… (ou outro canto sobre o tema)



Sete_Dons


“OS 7 DONS DO ESPÍRITO SANTO”


– Recortar um pequeno coração.- Cada participante escreverá nos dois lados do coração uma qualidade ou dom que possui.

– Responder individualmente:

De onde provêm estes dons?
Para que servem estes dons em minha vida?
Eu os coloco a serviço de quem?
Como os faço frutificar?

– Partilhar com alguém as perguntas.

– Colar os corações num papelógrafo e perceber a riqueza que somos no conjunto dos dons recebidos.

– Os dons, só para si, pouco significam.

– Mas quando partilhados, significam riqueza multiplicada.



Eucaristia_centro_da_vida_da_Igreja


EUCARISTIA FONTE DE MISSÃO


Distribuir as palavras ao grupo. Podem ser escolhidas algumas conforme o grupo, contanto que estejam relacionadas com: Eucaristia e Missão. Escrever cada palavra num pedaço de papel.1) Povo, 2) Evangelização, 3) Pão, 4) Necessitados, 5) Memória, 6) Ação de graças, 7) Fraternidade,
8) Comunidade, 9) Ceia, 10) Igreja, 11) Comunhão, 12) Justiça, 13) Banquete, 14) Dignidade,
15) Vida, 16) Missão.B) Solicitar para que cada participante escreva mais 5 palavras, a partir da palavra recebida, relacionando-a com Eucaristia.C) Após cada um ter escrito, pedirão ajuda aos colegas e acrescentarão mais 3 palavras.D) Em seguida reúnem-se os números iguais para escolher as 5 palavras mais significativas relacionadas a eucaristia e missão.

Apresentarão as mesmas ao grande grupo em uma frase.


 


Corpus+Christi+2009[1]


“FAZEI ISSO EM MINHA MEMÓRIA”


Antes de começar a refletir com algum grupo sobre Eucaristia como memória, podemos pedir para que os participantes tragam algum símbolo, foto ou algo que possa traduzir a memória de pessoas, fatos ou acontecimentos que marcaram a vida.

Ex.: Colocar sobre uma mesa tudo o que for trazido. Completar com outros trazidos pelo catequista:

• jarra com água;

• camiseta de um time;

• cruz com um pano branco;

• pão e uma panela vazia;

• um cocar indígena;

• um cacto.

B) Cada participante poderá expressar:

• Que fatos lembramos a partir dos símbolos, das fotos que temos?

• O que eles dizem para a nossa vida?

• Em que modificou nossa vida? Por quê?

• Que memória da vida de Jesus nos trazem?

2) DINÂMICA:

A) Fazer um levantamento com o grupo de frases marcantes ditas por pessoas de destaque: pais, avós, amigos, professores, padres, catequistas, cientistas, filósofos, papas, santos…

B) Trabalhar com o grupo a frase:

“Fazei isto em memória de mim”

a) Por que esta frase de Jesus é marcante?

b) O que ela fala da vida de Jesus?

c) Em que ela nos compromete?

(Podem ser respondidas em forma de desenho em quadros ou com figuras em seqüência, destacando algumas palavras).



Campanha da Fraternidade 2011


A início, você deverá escolher um integrante para ser um estra terrestre, que além de visitar outro planeta, pede informações sobre ele, perguntando sobre alguns objetos naturais (Ex: água, árvore, flores, frutos, animais, ar,…), perguntando tudo sobre o objeto.Com essa brincadeira, os integrantes, percebem as grandes obras que Deus nos deu, suas importâncias e belezas. Essa brincadeira, faz despertar o verdadeiro interesse da campanha deste ano.

vale a pena fazer!



Igreja_sera_jovem


SER IGREJA”


Tema: comunhão e participação
Duração: 10 min.
Público: Adolescentes, mínimo 5 pessoas.
Material: bolas de inflar (bexiga).
Entregar uma bexiga a cada adolescente e pedir pra que eles brinquem com as bolas, jogando um para o outro, sem deixar cair. O coordenador aos poucos tira crianças da brincadeira, uma a uma. Notar como aumenta a dificuldade dos últimos para deixar tantas bexigas no ar (mesmo as que caem no chão podem ser postas no jogo novamente).
Depois de terminada a dinâmica, incentivar o debate e explicar às crianças que a igreja está dentro de cada um, e que todos devem participar, pois cada um tem um lugar especial na igreja. A igreja, assim como as bexigas não podem se sustentar no ar, isto é, de pé, sozinha ou com poucas pessoas, ela precisa de todos nós.



Jovens_fortes_sao_Joao


União faz a Força


Tema: comunhão e participação.
Duração: 15 min.
Público: Adolescentes, mínimo 4 pessoas.
Material: fios finos de barbante ou de lã (pedaços de mais ou menos 30cm).
Distribuir entre os participantes os fios de barbante, pedir que cada um analise a aparência, utilidade e propósito daquele pedaço de barbante, (cerca de 2 minutos, para não ficar cansativo).
Pedir que cada um tente arrebentar o seu fio e observe como foi fácil.
Depois, pedir que cada um ofereça o maior pedaço que lhe sobrou para formar um feixe de barbantes e pedir a alguns voluntários que tentem arrebentar este feixe.
Observar como fica mais difícil a medida que o feixe fica grosso.
Para concluir leia o texto bíblico: Eclesiastes 4. 9-12 e discutam sobre a relação com a dinâmica e o grupo.Tema: comunhão e participação.
Duração: 15min.
Público: Adolescentes, mínimo 4 pessoas.
Material: 1 pacote de palitos de madeira para churrasquinho.
Pedir que um dos participantes pegue um dos palitos e o quebre. (o que fará facilmente).
Cuidado com as pontas finas dos palitos.
Pedir que outro participante quebre cinco palitos juntos num só feixe (será um pouco mais difícil).
Pedir que outro participante, quebre todos os palitos que restaram num só feixe. Se não conseguir, poderá chamar uma outra pessoa para ajudá-lo.
Estimular todos os participantes a que falem sobre o que observaram e concluíram. Terminar com uma reflexão sobre a importância de estarmos unidos.



Pecado_involuntario


Abra o Olho


Tema: Temos os olhos vendados para a violência?
Duração: 5 minutos
Público: adolescentes; mínimo 5 participantes.
Material: Dois panos para fechar os olhos e dois porretes feitos com jornais enrolados em forma de cacetete.
Dois voluntários devem ter os rostos cobertos e devem receber um porrete de jornal. Depois devem iniciar uma briga de cegos, para ver quem acerta mais o outro no escuro. O restante do grupo apenas assiste.
Assim que inicia a “briga”, o coordenador faz sinal para o grupo não dizer nada e desamarra a venda dos olhos de um dos voluntários e deixa a briga continuar. Depois de tempo suficiente para que os resultados das duas situações sejam bem observados, o coordenador retira a venda do outro voluntário e encerra a experiência, abrindo um debate sobre o que se presenciou no contexto da sociedade atual.
A reação dos participantes pode ser muito variada. Por isso, é conveniente refletir algumas posturas como: indiferença x indignação; aplaudir o agressor x posicionar-se para defender o indefeso; lavar as mãos x envolver-se e solidarizar-se com o oprimido, etc.
Alguns questionamentos podem ajudar, primeiro perguntar aos voluntários como se sentiram e o por quê. Depois dar a palavra aos demais participantes. Qual foi a postura do grupo? Para quem torceram? O que isso tem a ver com nossa realidade? Quais as cegueiras que enfrentamos hoje? O que significa ter os olhos vendados? Quem estabelece as regras do jogo da vida social, política e econômica hoje? Como podemos contribuir para tirar as vendas dos olhos daqueles que não enxergam?
Sugestões de textos: Marcos 10, 46-52; Lucas 10 25 a 37 ou Lucas 24, 13-34.



Jesus Nos Perdoa e Acolhe em seus Braços

Jesus Nos Perdoa e Acolhe em seus Braços


Amar ao Próximo”


Tema: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Duração: 20 a 30 minutos
Público: adolescentes; mínimo 6 participantes.
Material: lápis e papelDivida a turma em grupos ou times opostos.
Sugira preparar uma gincana ou concurso, em que cada grupo vai pensar em 1 perguntas e 1 tarefa ou um mico para o outro grupo executar.
Deixe cerca de 5 minutos, para que cada grupo prepare as perguntas e tarefas para o outro grupo.
Após este tempo, veja se todos terminaram e diga que na verdade, as tarefas e perguntas serão executadas pelo próprio grupo que as preparou.Observe as reações. Peça que formem um círculo e proponha que conversem sobre:
Se você soubesse que o seu próprio grupo responderia às perguntas, as teria feito mais fáceis?
E a tarefa? Vocês dedicaram tempo a escolher a mais difícil de realizar?

Como isso se parece ou difere do mandamento de Jesus? “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”, MT 23.39
Como nos comportamos no nosso dia a dia? Queremos que os outros executem as tarefas difíceis ou procuramos ajudá-los?
Encerre com uma oração.



Bíblia_Palavra de Deus


Viver a Palavra de Deus


Tema: fé e testemunho.
Duração: 15min.
Público: Adolescentes, mínimo 3 pessoas.
Material: uma tigela ou copo com água, um giz, uma pedra e uma esponja.Coloque a tigela de água em local visível e vá mergulhando um a um os objetos e promovendo debate, sobre a reação de cada peça à água e comparando com a forma das pessoas vivenciarem a Palavra de Deus.
Também pode tomar algum texto Biblíco que fale sobre evangelização, entrega e mudança de vida; não vou citar nenhum porque a dinâmica vem ao encontro da realidade que o dirigente e de cada grupo.
1. água: fonte que restaura e purificação e que gera vida. Simboliza aqui a Palavra e o agir de Deus na sua vida.
2. giz: feito de cal e que absorve para si toda água. Simboliza pessoas que recebem a Palavra de Deus mas ficam só prá si, deixando de anunciar e testemunhá-la;
3. pedra: material rústico que não deixa que nada penetre dentro de si. Pessoas que se fecham e não deixam que a Palavra de Deus as transforme e molde suas vidas como vaso nas mãos do oleiro;
4.esponja: depois de molhada absolve uma certa quantidade de água, assim que apertá-a ela transmite o que tem de mais precioso dentro de si que é a água que purifica e restaura. É a pessoa que absorve, escuta a Palavra de Deus, e deixa que transforme e modifique sua vida; tornando também testemunha fiel do Reino de Deus.



Jesus_Caminhando_sobre_as_aguas


Caminhando entre Obstáculos


Tema: Deus “não permitirá que sejais tentados além das vossas forças”.
Duração: 15min.
Público: adolescentes, mínimo 4 pessoas.
Material: garrafas, latas, cadeiras ou qualquer outro objeto que sirva de obstáculo, e lenços que sirvam como vendas para os olhos.
Os obstáculos devem ser distribuídos pela sala. As pessoas devem caminhar lentamente entre os obstáculos sem a venda, com a finalidade de gravar o local em que eles se encontram.
As pessoas deverão colocar as vendas nos olhos de forma que não consigam ver e permanecer paradas até que lhes seja dado um sinal para iniciar a caminhada. O coordenador, com auxilio de uma ou duas pessoas, imediatamente e sem barulho, tira todos os obstáculos da sala.
O coordenador insistirá em que o grupo tenha bastante cuidado, em seguida pedirá para que caminhem mais rápido. Após um tempo o coordenador pedirá para que todos tirem as vendas, observando que não existem mais obstáculos.
Discutir as dificuldades e obstáculos que encontramos no mundo, ressaltando porém que não devemos temer, pois quem está com Cristo tem auxílio para vencer.
Texto sugerido: I Coríntios 10:12-13.
Dinâmica: Medo de Desafios
Material: caixa, chocolate e aparelho de som (rádio ou CD).
Procedimento:
Encha a caixa com jornal para que não se perceba o que tem dentro. Coloque no fundo o chocolate e um bilhete: COMA O CHOCOLATE! Pede-se a turma que faça um círculo. O coordenador segura a caixa e explica o seguinte pra turma: _Estão vendo esta caixa? Dentro dela existe uma ordem a ser cumprida, vamos brincar de batata quente com ela, e aquele que ficar com a caixa terá que cumprir a tarefa sem reclamar. Independente do que seja… ninguém vai poder ajudar, o desafio deve ser cumprido apenas por quem ficar com a caixa (é importante assustar a turma para que eles sintam medo da caixa, dizendo que pode ser uma tarefa extremamente difícil ou vergonhosa).
Começa a brincadeira, com a música ligada, devem ir passando a caixa de um para o outro. Quando a música for interrompida (o coordenador deve estar de costas para o grupo para não ver com quem está a caixa) aquele que ficou com a caixa terá que cumprir a tarefa…é importante que o coordenador faça comentários do tipo: Você está preparado? Se não tiver coragem… Depois de muito suspense quando finalmente o jovem abre a caixa encontra a gostosa surpresa. (O jovem não pode repartir o presente com ninguém).
Objetivos:
O objetivo desta brincadeira é mostrar como somos covardes diante de situações que possam representar perigo ou vergonha. Devemos aprender que em Deus podemos superar todos os desafios que são colocados a nossa frente, por mais que pareça tudo tão desesperador, o final pode ser uma feliz notícia.



Dinâmica: do 1, 2, 3


Objetivo: Quebra-gelo
Procedimento:
1º momento: Formam-se duplas e então solicite para que os dois comecem a contar de um a três, ora um começa, ora o outro. Fica Fácil.
2º momento: Solicite que ao invés de falar o número 1, batam palma, os outros números devem ser pronunciados normalmente.
3º momento: Solicite que ao invés de falar o número 2, que batam com as duas mãos na barriga, o número 3 deve ser pronunciado normalmente. Começa a complicar.
4º momento: Solicite que ao invés de falar o número 3, que deem uma “reboladinha”.
A situação fica bem divertida



Jesus-ajudando-um-menino[1]


Dinâmica: “Auxílio mútuo” 


Objetivo: Para reflexão da importância do próximo em nossa vida
Material: Pirulito para cada participante.Procedimento:
Todos em círculo, de pé. É dado um pirulito para cada participante, e os seguintes comandos: todos devem segurar o pirulito com a mão direita, com o braço estendido. Não pode ser dobrado, apenas levado para a direita ou esquerda, mas sem dobrá-lo. A mão esquerda fica livre. Primeiro solicita-se que desembrulhem o pirulito, já na posição correta (braço estendido, segurando o pirulito e de pé, em círculo). Para isso, pode-se utilizar a mão esquerda. O mediador da dinâmica, recolhe os papéis e em seguida, dá a seguinte orientação: sem sair do lugar em que estão, todos devem chupar o pirulito! Aguardar até que alguém tenha a iniciativa de imaginar como executar esta tarefa, que só há uma: oferecer o pirulito para a pessoa ao lado!!! Assim, automaticamente, os demais irão oferecer e todos poderão chupar o pirulito. Encerra-se a dinâmica, cada um pode sentar e continuar chupando, se quiser, o pirulito que lhe foi oferecido. Abre-se a discussão que tem como fundamento maior dar abertura sobre a reflexão de quanto precisamos do outro para chegar a algum objetivo e é ajudando ao outro que seremos ajudados.



Dinâmica: ” das diferenças ” 


Material: Pedaço de papel em branco, caneta
Procedimento:
O condutor da dinâmica distribui folhas de papel sulfite em branco e canetas para o gru- po. O condutor da dinâmica pede que ao dar um sinal todos desenhem o que ele pedir sem tirar a caneta do papel. Ele pede que iniciem, dando o sinal. Pede que desenhem um rosto com olhos e nariz. Em seguida, pede que desenhem uma boca cheia de dentes. continuem o desenho fazendo um pescoço e um tronco. É importante ressaltar sempre que não se pode tirar o lápis ou caneta do papel. Pede que todos parem de desenhar. Todos mostram seus desenhos. O condutor da dinâmica ressalta que não há nenhum desenho igual ao outro, portanto, todos percebem a mesma situação de diversas maneiras, que somos multifaceta- dos, porém com visões de mundo diferentes, por este motivo devemos respeitar o ponto de vista do outroDinâmica: “Para quem você tira o chapéu” Objetivo: Estimular a autoestima
Materiais: um chapéu e um espelho
O espelho deve estar colado no fundo do chapéu.
Procedimento: O animador escolhe uma pessoa do grupo e pergunta se ela tira o chapéu para a pessoa que ver e o porquê, sem dizer o nome da pessoa. Pode ser feito em qualquer tamanho de grupo e o animador deve fingir que trocou a foto do chapéu antes de chamar o próximo participante. Fizemos com um grupo de idosos e alguns chegaram a se emocionar depois de dizer suas qualidades. Espero que gostem!



Presente_surpresa_gift


Dinâmica “Caixinha de Surpresas” 


Objetivo: Dinâmica do auto-conhecimento;Falar sobre si
Materiais: caixinha com tampa, e Espelho
Procedimento:Em uma caixinha com tampa deve ser fixado um espelho na tampa pelo lado de dentro. As pessoas do grupo devem se sentar em círculo. O animador deve explicar que dentro da caixa tem a foto de uma pessoa muito importante (enfatizar), depois deve passar para uma pessoa e pedir que fale sobre a pessoa da foto, e não devem deixar claro que a pessoa importante é ela própria. Ao final, o animador deve provocar para que as pessoas digam como se sentiram falando da pessoa importante que estava na foto.



Dinâmica: ” da folha de revista” 


Material: folhas de revista, pátio ou sala, todos sentados em círculo
Procedimento: Dar uma folha de revista a cada participante e pede para que amassem bastante a folha, após todos amassarem pede para que desamassem novamente deixando a folha como era antes.
Ninguém irá conseguir, então explica-se que a folha representa as nossas palavras que uma vez ditas não podem mais serem consertadas, por isso devemos ter cuidado ao falar para que não venhamos a machucar o próximo, pois uma vez aberta a ferida será difícil cicatrizar.Dinâmica: ” da rosa” (infantil) 

Objetivo: despertar a atitude em preservar o que temos.
Materiais: uma flor (rosa) natural
Procedimento: fazer um círculo, e cada integrante retira um pedacinho da flor, ao final so- brará apenas o talo da flor. O monitor da dinâmica questiona o que aconteceu? Será que podemos consertar o que fizemos? Essa dinâmica pode ser trabalhada com os pequeninos, a fim de preservar os materiais dentro da sala de aula, ou preservar o próprio meio ambiente



Dinâmica: “não estamos sozinhos” 


Objetivo: Melhorar a confiança nos outros.
Material: Ambientes diferentes e vendas para todos os participantes.
Procedimento:É necessário ajuda para essa dinâmica.
Vendar os olhos de cada participante, e conduzí-los até seus lugares sem dizer nada. Se
possível descalços. Colocar em seu lugar e tirar as vendas dos olhos.
Cada pessoa entra sendo conduzida, sem ver que outros estão vedando. Se possível, colo-
car obstáculos, algo que pisem sintam a diferença do chão.
Depois que todos estiverem em seus lugares o bate-papo é confiança, não estamos sozinhos, sempre tem alguém a nos ajudar a executar tarefas, basta confiar.


FONTE: Infancia missionaria de São João del Rei



Parábolas & Reflexões



Seminário de vida no Espírito.


Primeira Experiência de Oração – SVE I.


fotografia: Sizenando – Vitral Cap. Com. Nova Aliança.

Dercides Pires da Silva

Data de publicação: 12/11/2008.

Considerações iniciais a respeito do Seminário de Vida no Espírito.

Para refletir: Errar menos na vida e acertar mais

Fonte: RCC Brasil.

Calma! Vou explicar o título deste artigo. Sei que você tem um ideal muito cristão: ser perfeito como nosso Pai celestial é perfeito. Sei que você não se contenta em ser meio santo; você deve ser daquelas pessoas decididas, que caminham incansavelmente rumo à santidade. Certamente seus pecados têm diminuído durante as confissões, pois com seu enorme esforço você tem pecado menos. Não!? Os pecados não diminuíram? Ah…! Diminuíram sim; os grandes pelo menos. Mas hoje você confessa muitas coisas que antes não confessaria? Por quê?

Francamente, há dias em que a gente se contentaria até em pecar menos; em errar menos e acertar mais.

Quantos erros!? Quantas opções erradas!? Quantos sobes e desces!? Quantos cais e levantas!? Ufa!

Cair e se levantar, errar e acertar… Isso faz parte da condição humana. Homens e mulheres são assim mesmo. Entretanto, quantos mal entendidos, quantas brigas, quantos ressentimentos, quantas quebras de relacionamentos seriam evitados se homens e mulheres errassem menos e acertassem mais; se optassem pelos melhores caminhos, e não caíssem nas armadilhas do erro.

Usando uma expressão muito em voga na Igreja nas últimas décadas do século passado, podemos indagar: alguém já teve sucesso ao ligar fé e vida? De fato, não é fácil para o homem comum ser santo cotidianamente.

A explicação pode ser encontrada nalguns trechos das cartas de Paulo. Um, é até muito conhecido por quem vai à missa aos domingos:

“Sabemos, de fato, que a lei é espiritual, mas eu sou carnal, vendido ao pecado. Não entendo, absolutamente, o que faço, pois não faço o que quero; faço o que aborreço. E, se faço o que não quero, reconheço que a lei é boa. Mas, então, não sou eu quem o faço, mas o pecado que em mim habita. Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita o bem, porque o querer o bem está em mim, mas não sou capaz de efetuá-lo. Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem faço, mas sim o pecado que em mim habita. Encontro, pois, em mim esta lei: quando quero fazer o bem, o que se me depara é o mal (Rm 7,14-21).

De fato, em sua Carta o Apóstolo põe a descoberto este terrível drama da humanidade: mesmo querendo fazer o bem, consegue fazer o mal, para depois sofrer as agruras de um purgatório emocional interminável que poderá resultar em doenças emocionais.

É ao se ver em tal situação que homens e mulheres de boa mente, seres humanos construtores da paz, se agarram a um fio de esperança pensando: “Quisera, pelo menos, errar menos e acertar mais”.

Outro trecho paulino lança luz nesta realidade, outra vez desnudando a fragilidade humana, mas também indicando uma solução bastante conhecida pelos integrantes da Renovação Carismática:


Dercides Pires da Silva – Goiânia


“Mas o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, pois para ele são loucuras. Nem as pode compreender, porque é pelo Espírito que se devem ponderar. O homem espiritual, ao contrário, julga todas as coisas e não é julgado por ninguém. Por que quem conheceu o pensamento do Senhor, se abalançará a instruí-lo (Is 40,13)? Nós, porém, temos o pensamento de Cristo” (1Cor 2,14-16).

Errar menos e acertar mais, exige do ser humano ser menos “mundo” e mais “céu”; menos “carne” e mais “espírito”. Isso tudo sem sair do mundo.

Certamente você poderá estar se indagando: Como pode se dar isso? A resposta a tal indagação exige tempo e papel. Além disso, é daquelas que se aprende na prática cristã mais genuína que existe e que remonta ao tempo dos Apóstolos: deixar-se conduzir pelo Espírito, como escreveu João Paulo II na Encíclica Redempotoris Missio, 87. Deixar-se conduzir pelo Espírito Santo pode exigir de muitos paciência, oração e meditação da Palavra de Deus.

Também ajuda a errar menos e acertar mais, ter a mente – o pensamento – de Cristo, como dito na passagem da Carta aos Coríntios, acima, e como nos exorta a Epístola aos Romanos:

“Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito” (Rm 12,1-2).

Todavia, irmãs e irmãos, quem de fato ajuda a errar menos e acertar mais na vida cotidiana, quem realmente contribui para que as pessoas façam opções santas e ainda as capacita a adotarem práticas dignas de filhos e filhas de Deus é o Espírito Santo; o Mesmo Espírito que faz o homem e a mulher nascer de novo “da Água e do Espírito”, como disse Jesus a Nicodemos.

A partir deste nascimento espiritual o ser humano recebe o dom da filiação divina com as virtudes necessárias para vencerem a carne e serem, enfim, homens e mulheres “espirituais”, no sentido de não serem mais do mundo, apesar de viverem no mundo; de não colocarem suas cabeças na forma do mundo, mas adotando o pensamento de Cristo. Assim, seguramente, é possível marchar praticando atos e virtudes cristãs no caminho da santidade, imitando Jesus e errando menos e acertando mais, até atingir a estatura do varão perfeito, que é Jesus Cristo.

No meio católico, sacramentalmente, todos já nasceram de novo da Água e do Espírito quando foram batizados. A graça do Batismo, que é o próprio Espírito Santo, já faz de todo católico filho ou filha de Deus, de fato. Entretanto, esta incomensurável graça parece se perder nos incompreensíveis mistérios da alma humana; alma tão cheia de melindres e meandros, mais afeita às dúvidas do que à fé. É exatamente neste ponto que entra o Seminário de Vida no Espírito Santo. Também por um mistério, desta vez da parte de Deus, uma das graças deste Seminário tem sido uma vida nova, no Espírito Santo, que desabrocha depois de aparentemente ter hibernado por anos, décadas até, na alma de católicos não praticantes da virtude da religião. Em poucas palavras é difícil descrever o que se experimenta num Seminário de Vida no Espírito Santo realizado com a metodologia correta: com nove semanas de duração, com pastoreio, com partilhas, com estudos bíblicos, com cada encontro semanal durando pelo menos quatro horas, e, principalmente, com muitas orações e cânticos ungidos e fervorosos, acompanhados de pregações ardorosas e também ungidas.

A opção por fazer o Seminário de Vida no Espírito Santo na forma proposta pela RCCBRASIL não é somente uma novidade, ou uma prática ousada, ou uma forma de preencher calendários; tal opção é, antes de tudo, uma decisão estratégica, pois ela se encontra na bifurcação do bom discipulado que se opõe ao mais ou menos, da conversão profunda que se opõe à superficial, da oportunidade de proporcionar a todos os servos um grande avivamento anual que se alimenta principalmente das semanas preparatórias para o Seminário, mas continua por ele e o ultrapassa acompanhando o pastoreio que segue pelos meses do ano.

Em certos casos, o Seminário de Vida no Espírito Santo beneficia mais os servos do que os próprios evangelizandos, pois nele os obreiros, servos do Senhor, têm oportunidade de unir formação, oração e missão que compõem o tripé do crescimento espiritual, dando a todos a oportunidade de receber de Deus as ferramentas espirituais para ser santos na vida cotidiana, mesmo que seja começando num simples errar menos e acertar mais no lar, no trabalho, na escola, no lazer, nos relacionamentos profissionais e afetivos.

Bom Seminário de Vida no Espírito Santo a todos. Deus os Abençoe. Muito obrigado.

Dercides Pires da Silva


A Partir de agora estaremos disponibilizando temas sobre o SVE I, material escrito, em vídeo e esquemas básicos para ensinos em grupos de oração ou encontros fechados, alguns dos quais já estão disponíveis em outros site’s.   Estaremos apenas organizando de uma forma que outras pessoas também possam se usufruir destes textos e videos para nossa formação pessoal e auxiliar outras pessoas a encontrar-se com Jesus e conhecer melhor o Espírito Santo de Deus.


Seminário de Vida no Espirito
ESTE TEMA
PRÓXIMO
PRÓXIMO


Primeira Experiência de Oração – SVE I.


O que é o Seminário de Vida no Espírito?

A finalidade do Seminário de Vida no Espírito é ajudar os participantes a encontrarem uma vida mais rica e melhor. É o momento de se encontrarem com Cristo e viver as verdades mais fundamentais acerca do Amor de Deus, do Pecado, da Salvação, da Fé, da pessoa de Jesus Cristo, da Efusão e Carismas do Espírito Santo.

Sem dúvida, os Seminários de Vida no Espírito Santo constituem-se um dos momentos mais expressivos do trabalho de evangelização da Renovação Carismática Católica em todo o Brasil. Trata-se de encontros abençoados que, a partir de pregações querigmáticas e de momentos fortes de fraternidade e de oração, proporcionam experiência singular com o amor de Deus Pai, o encontro pessoal com Jesus Cristo, Senhor e Salvador, bem como a graça do batismo no Espírito Santo. Reconhecendo a relevância destes encontros, nosso blog disponibilizará, semanalmente, textos que abordam os temas específicos dos Seminários de Vida no Espírito Santos, rogando ao Bom Deus que nos favoreça com um conhecimento crescente de Sua Palavra e desperte em nós a docilidade às moções do Espírito Santo…

. Panoramio logo

.

O Semeador

(introdução ao Seminário de Vida no Espírito Santo)

“A que caiu na terra boa são os que ouvem a palavra com coração reto e bom, retêm-na e dão fruto pela perseverança.” (Lc 8, 15)

O centro da pregação dos apóstolos na Igreja Primitiva consistia em anunciar Jesus Cristo, o Messias esperado, que foi morto pelos pecados da humanidade, ressuscitou ao terceiro dia e foi constituído, por Deus Pai, o Senhor e Salvador do mundo inteiro: “O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, que vós matastes, suspendendo-o num madeiro. Deus elevou-o pela Sua mão direita, como príncipe e salvador; a fim de dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados.” (At 5, 30 – 31).

Contudo, para entendermos melhor o que é a salvação, precisamos compreender qual é o plano de Deus para a criação, o que é o pecado e, afinal, do que fomos salvos. Para com Deus a nossa resposta deve ser de gratidão: amá-lo, entregar-se a Ele, cumprir em tudo a Sua santa vontade, o que implica numa atitude de fé e de mudança de vida. é o Espírito Santo, comunicado a nós por Jesus, que muda os nossos corações para vivermos esta nova vida. A isto se propõe o Seminário de Vida no Espírito Santo.

Durante todo o Seminário, alimentamos a certeza de que, assim como a semente é lançada no campo, a Palavara de Deus é semeada em cada coração (Lc 8, 4 – 8). Jesus é o grande semeador; a semente é a Palavra de Deus; cada participante é o solo que acolhe a semente. Se formos terra boa, isto é, se o coração abrir, frutos, de até cem por um, brotarão.

Assim, adotando uma postura de discípulos, sentados aos pés do Mestre e com ouvidos abertos e corações atentos àquilo que Ele mesmo nos fala, poderemos descobrir a presença amorosa de Deus Pai em nossas vidas, tomar posse da riqueza que é a salvação alcançada pelo Senhor Jesus, e experimentar a ação renovadora do Espírito Santo.

Fonte: RCC CAMOCIM CEARÁ

A Partir de agora estaremos disponibilizando temas sobre o SVE I, material escrito, em video e esquemas básicos para ensinos em grupos de oração ou encontros fechados, alguns dos quais já estão disponíveis em outros site’s. Estaremos apenas organizando de uma forma que outras pessoas também possam se usufruir destes textos e videos para nossa formação pessoal e auxiliar outras pessoas a encontrar-se com Jesus e conhecer melhor o Espírito Santo de Deus.

Seminário de Vida no Espírito Santo SVE-COMPLETO


Seminário de Vida no Espirito
ESTE TEMA
PRÓXIMO
TEMA
Livro
RCC – Shop

Reunião do Eterno Grupo Principe da Paz – Família.

Próxima Reunião marcada para o dia 10/12/2010

Quem participou do Grupo Principe da Paz e já se casou, venha com sua Família e traga um pratinho de salgado e um refrigerante para uma confraternização de final de ano.

Fotos da Primeira e Segunda Reunião do Reencontro.

Estes são os frutos do Grupo Principe da Paz.

. Fotos de Alexandre Rubinger

Principe da Paz

helpersdivider1

helpersdivider1

Primeira Reunião - dia 15/11/2010

helpersdivider1

helpersdivider1

helpersdivider1

FELIZ NATAL PARA TODOS


PRESÉPIO

Semeando a cultura de Pentecostes


Natal

Joelhos Dobrados !



A LIÇÃO DO PÁSSARO



A Lição do Pássarinho em Power Point . PPT



Você já viu um passarinho

Dormindo num galho ou num fio,sem cair?

Como é que ele consegue isso?

Se nós tentássemos dormir assim, iríamos cair e quebrar o pescoço.

O segredo está nos tendões das pernas do passarinho.

Eles são construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, o pezinho segura firmemente qualquer coisa.

Os pés não irão soltar o galho até que ele desdobre o joelho para voar.

O joelho dobrado é o que dá ao passarinho a força para segurar qualquer coisa.

É uma maravilha, não é?

Que desenho incrível que o Criador fez para segurar o passarinho! Mas, não é tão diferente em nós.

Quando nosso “galho” na vida fica precário, quando tudo está ameaçado de cair, a maior segurança, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado, dobrado em oração.

Se você algumas vezes, se vê num emaranhado de problemas que o fazem perder a paz e a alegria, não se entregue ao desânimo, faça de Jesus o seu melhor amigo, Ele está ansioso por isso, Ele quer fortalecê-lo e abençoá-lo!

É Ele quem renova suas forças e sua fé. E se Ele cuida de um passarinho, imagina o que não fará por você, que é seu filho amado?! Basta você CRER!

“Lançai sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”

1 Pedro 5:7

E jamais se esqueça:

Tudo o que nasce de joelhos nasce para ficar em pé!



Semeando a cultura de Pentecostes


grupo de oração


A liçao do Pássaro – Slideshare



O Amor de Deus – SVE I.



Versão Original: Ide e evangelizai os Batizados


JOSE H. PRADO FLORES


José Prado Flores

José H. Prado Flores



O manual de SVE I mais utilizado nos primeiros tempos da RCC.


Objetivo do tema: Crer e experimentar o amor pessoal e incondicional de Deus, que é nosso Pai.


A – Deus o Ama pessoalmente porque é seu Pai.

(Isaías 43,1)
E agora, eis o que diz o Senhor, aquele que te criou, Jacó, e te formou, Israel: Nada temas, pois eu te resgato, eu te chamo pelo nome, és meu.

(Jeremias 31,3)
De longe me aparecia o Senhor: amo-te com eterno amor, e por isso a ti estendi o meu favor.

Deus ama todos os homens, mas também ama a cada um de maneira pessoal, como cada um necessita ser amado.   Se você fosse o único habitante de todo o universo, Deus não poderia amá-lo mais do que o ama, porque já o ama com todo amor de um Deus todo poderoso.

Deus não nos ama pelo que nós fazemos, mas pelo que Ele é:

(Salmos 102,13)
Como um pai tem piedade de seus filhos,
assim o Senhor tem compaixão dos que o temem.

B- Deus o Ama incondicionalmente porque é Amor.

(I São João 4,8)

Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.

(Isaías 49,15)
Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca.Deus não impõe nenhuma condição para amá-lo. Ele o ama exatamente como você é neste exato momento.

– Não importa o que tenha sido ou seja no presente: Pecados vícios, ou defeitos.   deus o ama incondicionalmente, porque seu amor não muda. Mesmo todo fracasso, problema e até pecado em sua vida são agora uma oportunidade para que você experimente o amor de Deus, porque Ele é sempre fiél.

– Deus que é todo poderoso e que faz tudo o que quer com sua força e onipotência, há algo que não pode fazer: deixar de amar-te.

– Da vareta que mostra a direção dos ventos, um homem tirou o galinho e colocou a seguinte plaquinha: “Deus é Amor”.   Querendo dizer que não importava de onde soprassem os ventos, se havia tempestade ou calmaria, Deus sempre nos amava.   Não importam as dificuldades ou mudanças, Deus sempre nos ama.

(Isaías 54,10)
Mesmo que as montanhas oscilassem e as colinas se abalassem, jamais meu amor te abandonará e jamais meu pacto de paz vacilará, diz o Senhor que se compadeceu de ti.

Você não necessita aparentar outra coisa do que verdadeiramente é para que Deus o ame.  Ama-o como você é.  E mais foi Ele quem o fez assim.

Deus o ama com suas qualidades e defeitos.  Ele não o ama por suas qualidades, mas com suas qualidades.   Deus não deixa de o amar pelos seus defeitos.  Ama-o com eles.  Deus não ama o que você faz, mas o ama, a você.   Aceita-o e aceita-o com amor.

Deus o ama com seus pecados e esforços, seja você rico ou pobre.  Você não precisa de colocar máscaras diante Dele.   Ele o ama porque você é seu filho, e não por qualquer outro motivo.   Não o ama porque você é bom, mas porque Ele é Bom.

– Mat. 6,26. Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? – 28 – E por que vos inquietais com as vestes? Considerai como crescem os lírios do campo; não trabalham nem fiam.29 – Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles.[…]quanto mais a nós que somos seus filhos, ainda que sejamos pecadores.   E tem mais, ele ama de modo especial os pecadores.  O pecador é o mais amado de Deus, porque onde excede o pecado super excede seu amor misericordioso (Romanos 5,20).  Quem é mais pecador é que mais pode experimentar perdão, gozo e esperança, porque é o mais necessitado.

C – Deus quer o Melhor para você porque você é seu filho.

Deus certamente o ama como você é, mas não quer deixar assim.  Ele quer algo muito melhor para você.

Exatamente porque o ama, Ele quer o melhor para você.  Ele tem um plano que fez com toda a sabedoria e amor para você.

(Efésios 3,20)[Leia mais…]
Àquele que, pela virtude que opera em nós, pode fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou entendemos,[…]

Seu plano supera de muito tudo que você imagina ou pode pensar para seu próprio bem.

(I Coríntios 2,9)[Leia mais…]

É como está escrito: Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam.

(Isaías 55,9)

Mas tanto quanto o céu domina a terra, tanto é superior à vossa a minha conduta e meus pensamentos ultrapassam os vossos.

– Desde o princípio nos criou a sua imagem e semelhança, plenos de seu amor e co-criadores com Ele, capazes de ser seus representantes neste mundo.

– Criou-nos em harmonia perfeita.

– com Ele: uma relação pessoal e perfeita;

– com os outros: relação de justiça, verdade e serviço;

– Com nós mesmos: com segurança, paz e domínio próprio;

– Com toda criação: sendo livres e não escravos das coisas deste mundo.

– Encheu-nos de felicidade com sua alegria, paz e união.

D – Deus tomou a Iniciativa de Amá-lo.

Deus o ama e a unica coisa que lhe pede é que creia em seu amor, que creia nele, confie no plano Dele mais do que no seu próprio.

A primeira coisa que Deus nos pede não é que o amemos, mas que nos deixemos amar por Ele.   Manifeste-lhe apenas que você quer experimentar o amor Dele por você.

Não se trata de que nós intentemos chegar a Ele.  É Ele que quer chegar até nós.  Não se trata de que nós o alcancemos, a Ele, mas que nos deixemos alcançar por Ele.  Antes que começássemos a buscá-lo, Ele já estava nos buscando, Ele tomou a iniciativa.

Um dia, Saulo de Tarso decidiu perseguir a Jesus e se pôs a caminho de Damasco para prender os Cristãos.   Todavia era Jesus quem o estava perseguindo, até que o alcançou e o derrubou do cavalo.   Nesse momento Saulo foi preso, preso pelo amor de Jesus.  Deus seduziu-o, e ele simplesmente se deixou seduzir.

(Jeremias 20,7)
Seduzistes-me, Senhor; e eu me deixei seduzir! Dominastes-me e obtivestes o triunfo. Sou objeto de contínua irrisão, e todos zombam de mim.

Escrevendo aos Gálatas lhes diz:

(Gálatas 4,9)
Agora, porém, conhecendo a Deus, ou melhor, sendo conhecidos por Deus, como é que tornais aos rudimentos fracos e miseráveis, querendo de novo escravizar-vos a eles?

É que não foram os Gálatas que amaram a Deus.  Primeiro Deus os amou a ele.

O amor não consiste em que amemos a Deus Mas em que Ele nos tenha amado, porque Deus nos amou primeiro. Não fomos nós que o escolhemos.  Foi Ele quem nos escolheu primeiro.   Nós não fazemos nenhum favor a Deus em amá-lo.   É ele quem nos favorece a nós com seu amor, que é eterno.

(São João 15,16)

Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda.

Às vezes buscamos a Deus e queremos amá-lo, porém ninguém pode amá-lo, se antes não tiver experimentado seu amor.   Temos que fazer uma parada, deter-nos e deixarmo-nos alcançar por Ele, por seu Amor.

CONCLUSÃO:

Deus Ama a todos os homens porque somos seus filhos e obras de suas mãos.

Ama Bons e maus, homens e mulheres, católicos e protestantes, ateus ou perseguidores da Igreja, Sacerdotes, Líderes sindicais, donas de cabaré ou prostitutas.   Ele nos ama a todos, porque todos somos seus filhos.

Deus não nos ama pelo que fazemos mas pelo que somos, seus filhos. Deus não nos ama porque somos bons, mas porque o Bom é Ele.   Não nos ama porque nós o amamos, mas porque Ele é Amor.


(I Coríntios 8,3)

Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido por ele.


.ide_evangelizai


Seminário de Vida no Espirito
Amor de Deus DEUS_EH_AMOR_GALINHO Chamados_Comunicar

José H. Prado Flores

José H. Prado Flores


Jesus é a nossa unica Esperança.


Por ora subsistem a fé,

a ESPERANÇA e a caridade

As três. Porém, a maior delas é a caridade.

(I Coríntios 13,13)


jesus-me-da-a-mao_114


Um certo ditado popular diz que a ESPERANÇA  é a ultima que morre, isto porque até o ultimo suspiro de vida ainda existiria a chance de se salvar, mas São Paulo nos diz que o Amor ou a “Caridade” jamais morrerá, sendo assim, a Esperança seria passível de morte enquanto que o AMOR é eterno, por isso é o maior Dom de Deus.

Hoje não falaremos deste Amor perfeito e eterno de Deus, tentaremos conhecer um pouco mais esta ESPERANÇA, “humana”, frágil as vezes mas um dom de Deus que salva nossas vidas nas horas mais difíceis.

Após a morte não existirá mais Esperança, uma vez que já teremos alcançado o objeto de nossa espera. Se o vemos e o tocamos, como podemos ainda esperar ?  Se a criança nasceu, a mãe já não o espera mais !

Logo a esperança não morreu, mas simplesmente se consumou e chegou ao seu objetivo final que seria termos alcançado a plenitude do Reino de Deus, mas se pelo contrário não foi este o objetivo alcançado, não há mais como voltar atrás porque o caminho chegou ao fim.

Enquanto estivermos vivos neste mundo e compartilhando os seus bens e males, necessitaremos de uma Esperança viva e forte, para nos ajudar a vencer todas as tribulações que virão e que na verdade já fazem parte de nosso dia a dia.

Por que eu disse, uma Esperança viva e forte ?

A Esperança pode morrer ou se apagar, quantas são as pessoas que dizem já ter perdido a Esperança ?  Como seria isto possível se ela sobreviveria até  o ultimo suspiro ?  Lembre-se que São Pedro nem esperou o  seu ultimo suspiro para estender seu braço a Jesus e pedir-lhe socorro quando afundava no mar da Galiléia.

O Filho pródigo ao ver seu dinheiro te sua herança totalmente acabada, sua saúde corroída, sua fé destruída, sua beleza destroçada, seu mundo desmoronado e sua vida por um fio, levantou-se com o alento da única força que ainda lhe restava, a Esperança de chegar na casa de seu Pai ainda vivo, mesmo que nada fosse ou tivesse, ele sabia que lá na  casa de seu Pai até mesmo um zé ninguém seria acolhido com muito mais amor e carinho do que ele estava sendo tratado lá com os porcos onde se encontrava.

Para sua maior surpresa, a sua Esperança acabou lhe devolvendo tudo que havia sido perdido e toda a alegria da salvação de uma vida completamente recuperada.


filho-podigo_acolhido


Na Bíblia, os livros que mais falam de Esperança é o Livro das Lamentações e o Livro de Jó, que são comparáveis na situação de calamidade que ambos viviam.

No Livro das Lamentações ouvimos o povo de Israel se lamentando pela situação calamitosa de penúria e falta de Deus em um povo que já tinha sido grande, mas que no momento estavam sendo escravizados por um povo pagão que lhes oprimia até os ossos e sugava todo alento de vida.

Já a situação de Jó era pessoal e comparável a um Homem fiel e sem pecado algum que foi alvo de ataque do inimigo perdendo tudo que possuía de valor material ou afetivo, até mesmo a saúde do corpo lhe foi tirada, só lhe restou a vida e os falsos amigos que o acusavam e julgavam como um grande pecador por estar passando por aquela situação calamitosa.  Jó não tinha mais nada em que se apegar e tinha tudo para abandonar aquele que lhe deu a vida e ainda a preservava, mas acima de todas as dores ele perseverou na sua fé e na Esperança de vencer o mal que lhe cercava, ele manteria suas orações em Deus até o ultimo instante de sua vida, mesmo se assim fosse o desejo do Senhor tirar-lhe a vida por completo.

Bem sabemos que Jó não venceu suas Tribulações, mas as superou, as ultrapassou saindo vitorioso daquele quadro irrecuperável e diz a Bíblia que ficou muito mais rico em bens materiais, saúde e afetividade, se tornando até mesmo o nosso maior exemplo de superação das Tribulações que se tem notícia até hoje.

Para quem o conheceu em seu estado de penúria chegaram até a afirmar que ele tinha ressuscitado.  Ou seja, adquirido uma nova vida.

Tribulações: Esta é uma palavra nova, mas que hoje em dia é bem mais conhecida na prática que por seu próprio nome.


Veja o que São Paulo nos Diz:

Praticamente é um resumo da situação de Jó.

[…]-Sede alegres na Esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração.[…]

.(Romanos 12,12)


Muitos a chamam de CRISE, dificuldades financeiras, perseguições sem motivo, enfermidades e problemas de saúde, falta de emprego, existem muitos nomes para aquilo que Jó superou em todas as suas categorias e o nome para todas estas coisas é Tribulação.

Tribulações que serão inevitáveis antes que venha o dia do fim, o próprio Jesus nos fala destas tribulações em:

Lucas cap 24, 4 a 13

4.Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza. 5.Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu o Cristo. E seduzirão a muitos. 6.Ouvireis falar de guerras e de rumores de guerra. Atenção: que isso não vos perturbe, porque é preciso que isso aconteça. Mas ainda não será o fim. 7.Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. 8.Tudo isto será apenas o início das dores. 9.Então sereis entregues aos tormentos, matar-vos-ão e sereis por minha causa objeto de ódio para todas as nações. 10.Muitos sucumbirão, trair-se-ão mutuamente e mutuamente se odiarão. 11.Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. 12.E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará. 13.Entretanto, aquele que perseverar até o fim será salvo.

O nosso objetivo é a nossa Salvação, logo nada neste mundo poderia se opor a este nosso objetivo, nem os problemas e nem as tribulações.

Obama-Mania

Hoje se fala de uma grande Crise mundial e a moda é eleger um redentor, um salvador do mundo para resolver o problema da nossa Crise pessoal, de falta de fé e esperança no Deus do impossível que tudo pode.

Muitos já elegeram um homem comum como salvador e transferiram para ele toda a esperança que tinham, dizendo: ele é realmente capaz, ele vai resolver todos os nossos problemas de crise, e assim se livram das responsabilidades, preocupações e das consequências de um futuro incerto.


discurso_pose_obama_15

Insignificância de um Homem no meio da Multidão.


Dois milhões de pessoas estiveram na posse deste homem tão poderoso, parecem formiguinhas que se aglomeram em torno de um alimento caído no chão, parecem poeira levadas ao vento sem realmente saber o futuro que lhes espera.

(Jeremias 17,5)

Eis o que diz o Senhor: Maldito o homem que confia em outro homem, que da carne faz o seu apoio e cujo coração vive distante do Senhor!

(Salmos 83,13)

Ó Senhor dos exércitos, feliz o homem que em vós confia.

(Salmos 19,8)

Uns põem sua força nos carros, outros nos cavalos. Nós, porém, a temos em nome do Senhor, nosso Deus.

Este é o objetivo a que queríamos chegar, não devemos confiar em homens de carne e sangue, muito menos entregar-lhes a nossa Esperança num futuro melhor, porque o nosso único Salvador é Jesus, Ele é o único capaz de nos livrar destas aflições e desta Crise que tanto aflige hoje nossos lares, lembremos que todos estes problemas foram causados por estes mesmos homens que estão no poder temporal e principalmente causado pelo abuso do poder, do orgulho pessoal e da ganância de se manter no poder ou tirar dele o melhor proveito para sua vida futura e que os outros fiquem com a conta do prejuízo.

Nenhum deles se preocupa com o futuro do ecossistema deste planeta muito menos com a qualidade de vida que a população terá no dia de amanhã quando esgotarem as riquezas que Deus nos deixou neste planeta.

Sendo assim não merecem a nossa confiança, muito menos a nossa esperança que devemos depositar somente em Jesus que é o nossa única Esperança.

Muitos seguiam Jesus, mas poucos participaram efetivamente de sua morte na Cruz, ao vê-lo carregando o madeiro pelas ruas já sabiam do seu destino mortal, poucos foram aqueles que subiram o calvário no máximo ficaram observando ao longe o fim daquele que seria a Esperança de salvação do povo de Israel e ao vê-lo dar seu último suspiro foram embora para suas casas e voltaram para suas vidas sem esperança conformando-se com aquela situação de pecado e escravidão:


jesus-tres-cruzes


Ao pôr do sol, juntamente com as trevas que enchiam toda a terra sepultava-se a única luz que brilhava neste mundo, rolou-se ainda uma enorme pedra para ocultar o brilho já sem vida e apagado, conservando-o definitivamente longe de nossos olhares, já sem o brilho da Esperança perdida.


jesus-tres-cruzes


Para nossa surpresa e confirmando as profecias preditas por Jesus, o tumulo não o conteve e a morte fôra o ultimo inimigo a ser vencido, logo já não existe mais derrota e a vitória nos foi entregue até a consumação dos séculos.


Carta de Paulo aos Romanos  Cap. 8,31 a 39

31.Que diremos depois disso? Se Deus é por nós, quem será contra nós? 32.Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas que por todos nós o entregou, como não nos dará também com ele todas as coisas? 33.Quem poderia acusar os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. 34.Quem os condenará? Cristo Jesus, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à mão direita de Deus, é quem intercede por nós! 35.Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada? 36.Realmente, está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia inteiro; somos tratados como gado destinado ao matadouro (Sl 43,23). 37.Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou. 38.Pois estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, 39.nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor.


Ensino proposto para Pirenópolis 27/1/2009

Sizenando


O ALPINISTA EXTRAORDINÁRIO. COMO UMA BOMBA
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg?w=130&h=120

Seminário de Vida no Espírito – SVE I



Considerações iniciais

A respeito do Seminário de Vida no Espírito.

Para refletir:

Errar menos na vida e acertar mais

Fonte: RCC Brasil



SVE-I


Dercides Pires da Silva

Data de publicação: 12/11/2008.


Calma! Vou explicar o título deste artigo. Sei que você tem um ideal muito cristão: ser perfeito como nosso Pai celestial é perfeito. Sei que você não se contenta em ser meio santo; você deve ser daquelas pessoas decididas, que caminham incansavelmente rumo à santidade. Certamente seus pecados têm diminuído durante as confissões, pois com seu enorme esforço você tem pecado menos. Não!? Os pecados não diminuíram? Ah…! Diminuíram sim; os grandes pelo menos. Mas hoje você confessa muitas coisas que antes não confessaria? Por quê?

Francamente, há dias em que a gente se contentaria até em pecar menos; em errar menos e acertar mais.

Quantos erros!? Quantas opções erradas!? Quantos sobes e desces!? Quantos cais e levantas!? Ufa!

Cair e se levantar, errar e acertar… Isso faz parte da condição humana. Homens e mulheres são assim mesmo. Entretanto, quantos mal entendidos, quantas brigas, quantos ressentimentos, quantas quebras de relacionamentos seriam evitados se homens e mulheres errassem menos e acertassem mais; se optassem pelos melhores caminhos, e não caíssem nas armadilhas do erro.

Usando uma expressão muito em voga na Igreja nas últimas décadas do século passado, podemos indagar: alguém já teve sucesso ao ligar fé e vida? De fato, não é fácil para o homem comum ser santo cotidianamente.

A explicação pode ser encontrada nalguns trechos das cartas de Paulo. Um, é até muito conhecido por quem vai à missa aos domingos:

“Sabemos, de fato, que a lei é espiritual, mas eu sou carnal, vendido ao pecado. Não entendo, absolutamente, o que faço, pois não faço o que quero; faço o que aborreço. E, se faço o que não quero, reconheço que a lei é boa. Mas, então, não sou eu quem o faço, mas o pecado que em mim habita. Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita o bem, porque o querer o bem está em mim, mas não sou capaz de efetuá-lo. Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu quem faço, mas sim o pecado que em mim habita. Encontro, pois, em mim esta lei: quando quero fazer o bem, o que se me depara é o mal (Rm 7,14-21).

De fato, em sua Carta o Apóstolo põe a descoberto este terrível drama da humanidade: mesmo querendo fazer o bem, consegue fazer o mal, para depois sofrer as agruras de um purgatório emocional interminável que poderá resultar em doenças emocionais.

É ao se ver em tal situação que homens e mulheres de boa mente, seres humanos construtores da paz, se agarram a um fio de esperança pensando: “Quisera, pelo menos, errar menos e acertar mais”.

Outro trecho paulino lança luz nesta realidade, outra vez desnudando a fragilidade humana, mas também indicando uma solução bastante conhecida pelos integrantes da Renovação Carismática:


Dercides Pires da Silva – Goiânia


“Mas o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, pois para ele são loucuras. Nem as pode compreender, porque é pelo Espírito que se devem ponderar. O homem espiritual, ao contrário, julga todas as coisas e não é julgado por ninguém. Por que quem conheceu o pensamento do Senhor, se abalançará a instruí-lo (Is 40,13)? Nós, porém, temos o pensamento de Cristo” (1Cor 2,14-16).

Errar menos e acertar mais, exige do ser humano ser menos “mundo” e mais “céu”; menos “carne” e mais “espírito”. Isso tudo sem sair do mundo.

Certamente você poderá estar se indagando: Como pode se dar isso? A resposta a tal indagação exige tempo e papel. Além disso, é daquelas que se aprende na prática cristã mais genuína que existe e que remonta ao tempo dos Apóstolos: deixar-se conduzir pelo Espírito, como escreveu João Paulo II na Encíclica Redempotoris Missio, 87. Deixar-se conduzir pelo Espírito Santo pode exigir de muitos paciência, oração e meditação da Palavra de Deus.

Também ajuda a errar menos e acertar mais, ter a mente – o pensamento – de Cristo, como dito na passagem da Carta aos Coríntios, acima, e como nos exorta a Epístola aos Romanos:

“Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito” (Rm 12,1-2).

Todavia, irmãs e irmãos, quem de fato ajuda a errar menos e acertar mais na vida cotidiana, quem realmente contribui para que as pessoas façam opções santas e ainda as capacita a adotarem práticas dignas de filhos e filhas de Deus é o Espírito Santo; o Mesmo Espírito que faz o homem e a mulher nascer de novo “da Água e do Espírito”, como disse Jesus a Nicodemos.

A partir deste nascimento espiritual o ser humano recebe o dom da filiação divina com as virtudes necessárias para vencerem a carne e serem, enfim, homens e mulheres “espirituais”, no sentido de não serem mais do mundo, apesar de viverem no mundo; de não colocarem suas cabeças na forma do mundo, mas adotando o pensamento de Cristo. Assim, seguramente, é possível marchar praticando atos e virtudes cristãs no caminho da santidade, imitando Jesus e errando menos e acertando mais, até atingir a estatura do varão perfeito, que é Jesus Cristo.

No meio católico, sacramentalmente, todos já nasceram de novo da Água e do Espírito quando foram batizados. A graça do Batismo, que é o próprio Espírito Santo, já faz de todo católico filho ou filha de Deus, de fato. Entretanto, esta incomensurável graça parece se perder nos incompreensíveis mistérios da alma humana; alma tão cheia de melindres e meandros, mais afeita às dúvidas do que à fé. É exatamente neste ponto que entra o Seminário de Vida no Espírito Santo. Também por um mistério, desta vez da parte de Deus, uma das graças deste Seminário tem sido uma vida nova, no Espírito Santo, que desabrocha depois de aparentemente ter hibernado por anos, décadas até, na alma de católicos não praticantes da virtude da religião. Em poucas palavras é difícil descrever o que se experimenta num Seminário de Vida no Espírito Santo realizado com a metodologia correta: com nove semanas de duração, com pastoreio, com partilhas, com estudos bíblicos, com cada encontro semanal durando pelo menos quatro horas, e, principalmente, com muitas orações e cânticos ungidos e fervorosos, acompanhados de pregações ardorosas e também ungidas.

A opção por fazer o Seminário de Vida no Espírito Santo na forma proposta pela RCCBRASIL não é somente uma novidade, ou uma prática ousada, ou uma forma de preencher calendários; tal opção é, antes de tudo, uma decisão estratégica, pois ela se encontra na bifurcação do bom discipulado que se opõe ao mais ou menos, da conversão profunda que se opõe à superficial, da oportunidade de proporcionar a todos os servos um grande avivamento anual que se alimenta principalmente das semanas preparatórias para o Seminário, mas continua por ele e o ultrapassa acompanhando o pastoreio que segue pelos meses do ano.

Em certos casos, o Seminário de Vida no Espírito Santo beneficia mais os servos do que os próprios evangelizandos, pois nele os obreiros, servos do Senhor, têm oportunidade de unir formação, oração e missão que compõem o tripé do crescimento espiritual, dando a todos a oportunidade de receber de Deus as ferramentas espirituais para ser santos na vida cotidiana, mesmo que seja começando num simples errar menos e acertar mais no lar, no trabalho, na escola, no lazer, nos relacionamentos profissionais e afetivos.

Bom Seminário de Vida no Espírito Santo a todos. Deus os Abençoe. Muito obrigado.

Dercides Pires da Silva



A Partir de agora estaremos disponibilizando temas sobre o SVE I, material escrito, em vídeo e esquemas básicos para ensinos em grupos de oração ou encontros fechados, alguns dos quais já estão disponíveis em outros site’s.   Estaremos apenas organizando de uma forma que outras pessoas também possam se usufruir destes textos e videos para nossa formação pessoal e auxiliar outras pessoas a encontrar-se com Jesus e conhecer melhor o Espírito Santo de Deus.



Seminário de Vida no Espirito
Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito
sve1-3 DEUS_EH_AMOR_GALINHO Pecado_involuntario

A Brasa se Apaga fora do braseiro.



Exemplo de perseverança, a força do grupo e a vida em comunidade A BRASA ISOLADA do braseiro se apaga rapidamente:



2268146799_989f56bbf0_o.jpg



Um membro de um determinado grupo no qual participava regularmente, sem nenhum aviso ou causa aparente afastou-se e desapareceu.

Após algumas semanas, o líder do grupo preocupado com sua ausência decidiu visitá-lo em sua casa.  Era uma noite muito fria. O líder encontrou o colega em sua casa sozinho, sentado diante de uma quentinha e brilhante lareira.

Já supondo a razão para a visita, o homem deu-lhe boas-vindas, conduziu-lhe a uma grande cadeira perto da lareira e ficou quieto esperando a bronca. O líder se fez confortável, mas não disse nada. No silêncio sério, contemplou a dança das chamas em torno da lenha ardente.

Após alguns minutos, o líder examinou as brasas, cuidadosamente apanhou uma brasa ardente e deixou-a de lado. Então voltou a sentar-se e permaneceu silencioso e imóvel. O anfitrião prestou atenção em tudo, fascinado e quieto.

Então diminuiu a chama da solitária brasa, houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou-se de vez.  Logo estava frio e morto.



Brasa_apagada_braseiro



Nenhuma palavra tinha sido dita desde o cumprimento inicial. O líder antes de se preparar para sair, recolheu a brasa fria e inoperante e colocou-a de volta no meio do fogo. Imediatamente começou a incandescer uma vez mais com a luz e o calor dos carvões ardentes em torno dela. Quando o líder alcançou a porta para partir, seu anfitrião disse:

“Obrigado tanto por sua visita quanto pelo sermão. Eu estarei voltando ao grupo amanhã mesmo”.



A Brasa e o Fogo

Mensagem em PPS

Comunidade


REFLEXÃO


Aos membros de um grupo:

Vale sempre lembrar-lhes que eles fazem parte da “chama” do grupo e que longe dela perdem todo seu brilho e nos tornamos mais vulneráveis aos ataques do inimigo. 

Aos Líderes:

Vale a pena sempre lembrar- lhes que eles também são responsáveis de manter acesa a chama de cada um e de promover a união entre todos eles, para que o fogo seja sempre realmente forte, eficaz e duradouro.


porco-espinho http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg

Pegadas na Areia PERSEVERANÇA Nicodemos & Jesus

BAIXE O SLIDE PARA MELHOR APROVEITAR A ANIMAÇÃO DOS QUADROS



Veja também:

Nascido do Espírito

Aqueles que Confiam no Senhor…

Satanás tem Chifre e rabo de Ponta?

Fui um Cara que se perdeu nas Drogas…

Últimos Milagres de Santos da Igreja Católica.



O que é Grupo de Oração Carismático?


GRUPO DE ORAÇÃO


O G.O. é a célula fundamental da Renovação Carismática Católica, é a expressão máxima e principal da RCC, tendo três momentos distintos: núcleo de serviço, reunião de oração e grupo de perseverança.

Podemos também definir Grupo de Oração como sendo uma comunidade carismática que cultiva a oração, a partilha e todos os outros aspectos da vivência do Evangelho, a partir da experiência do batismo no Espírito Santo.

Trata-se de uma reunião semanal na qual um grupo de fiéis coloca-se diante de Jesus, sob a ação do Espírito Santo, para louvar e glorificar a Deus, participar dos dons divinos e edificar-se mutuamente.

O grupo de oração da RCC não deve esquecer, obviamente, de sua identidade carismática. Os outros grupos dentro de outras experiências são importantes para a Igreja e para as pessoas, mas o Grupo de Oração carismático tem características próprias: Batismo do Espírito Santo e o uso dos Carismas.

Cada Grupo de Oração precisa ser, na Igreja e no mundo, rosto e memória de Pentecostes, assumir a responsabilidade pela transformação da nossa cultura, criando não só na Igreja, mas no mundo todo, uma cultura de Pentecostes através da qual todos busquem a construção do Reino de Deus. A vivência dessa vocação da Renovação Carismática pede uma consagração sincera de cada um de nós, sem reservas, mantendo a perseverança até nossa Páscoa definitiva.

Um Grupo de Oração cumpre bem sua missão quando seus integrantes vivem plenamente a vida de oração, pessoal e comunitária, aliada à formação, guardiã dos carismas.

Autor: José Maria de Mello Júnior – Coordenador da Comissão Nacional de Formação – Brasília – DF


Grupo de Oração Carismático


Fazer a Graça Acontecer

É finalidade da R.C.C.. do Grupo de Oração e do trabalho do coordenador que a experiência do pentecostes pessoal, da vida no Espírito, da vida Cristã plena. aconteça, cresça, amadureça e se torne uma realidade definitiva. na vida de cada participante dos Grupos de Oração.

Como ponto de partida. é preciso saber que tudo isto. é obra de Deus no coração do homem. Deus porém quer a colaboração do próprio homem.

O homem precisa aceitar, acolher e querer a obra divina. ou seja ser parceiro de Deus: o trabalho do coordenador é o de “fazer acontecer’ a ação divina na vida de todos. Fazê-la acontecer progressiva e continuamente, para que todos tenham vida plena.

Deus Pai.
Jesus vivo e ressuscitado e o Espírito Santo querem dar suas graças aos participantes do Grupo de Oração e querem dar principalmente as essências para que sejam salvos por Jesus e santificados pelo Espírito Santo e assim tenham a vida plena para a glória do Pai.

As graças do processo de salvação e santificação. Deus quer concedê-las aos participantes do seu Grupo.

E preciso que você coordenador aja de tal forma no seu Grupo de Oração que os participantes peçam e acolham as graças divinas. Você pode e deve provocar a benção divina. a graça de Deus, sobre os participantes, não como um ato mágico, mecânico. mas segundo O amor generoso e poderoso. providente e gratuito de Deus.

Como você pode provocar a graça do Batismo no Espírito Santo e fazê-la acontecer?…

Evangelizando, preparando os passos necessários, para que os participantes do Grupo de Oração desejem. anseiem. queiram, peçam essa graça; rezando sobre ele para que o Espírito Santo se manifeste.

Se existe no seu Grupo de Oração pessoas que ainda não tiveram um encontro pessoal com Jesus;

• pessoas com fé misturada e manchada com idéias espíritas. pagãs. supersticiosas. .
• pessoas feridas e presas de pecados graves e habituais;
• pessoas traumatizadas. feridas pelo desamor. com angústia. ansiedade e medos = você pode e deve urgentemente. fazes acontecer a graça; a graça do perdão, da libertação. da cura espiritual:

Como ? Evangelizando, anunciando a misericórdia de Jesus, preparando para o Sacramento da Reconciliação, encaminhando a um Sacerdote acolhedor.

A graça vai acontecer ? Claro ! É a ovelhinha que Jesus quer resgatar. quer buscar. quer carregar em seus ombros. Jesus é o bom Pastor. Jo 10 / SI 22. (imagens de carinho e afeto). “Provocar a graça” parece uma ousadia de expressão mas é para passar a realidade ativa e dinâmica. que mostra também o aspecto da cooperação humana com a obra divina.

O homem precisa apropriar-se das bênçãos e graças divinas que são oferecidas em superabundância. (Jo 4. 1-48) = Jesus oferece e a Samaritana faz a sua parte = abre seu coração, Deus transforma a sua vida. Ela participou e a graça aconteceu!

Provocar a graça e fazê-la acontecer nos participantes do Grupo de Oração é uma missão fascinante, linda e gratificante. Por isso. você coordenador, com fé confiante e com sabedoria deve preparar os corações do modo mais perfeito e realizar o que for necessário para que a bênção divina aconteça.

É preciso ter conhecimento. alguma experiência pessoal. amor zeloso para com os participantes e criatividade.

Não faça nada mecânica. magicamente. Não aja superficialmente. você não é um profissional.

É preciso ser criativo e agir com sabedoria. Quanto mais você souber criar caminhos próprios, sábios e inteligentes de fazer a graça acontecer. tanto melhor.


Amém !!!


ALGUNS MOMENTOS DE UM GRUPO DE ORAÇÃO CARISMÁTICO JOVEM.


ACOLHIDA LOUVOR ANIMAÇÃO

ORAÇÃO PREGAÇÃO AVISOS