Carnaval.



Não precisamos saber onde começou e nem quando começou, só precisamos saber onde e quando será de novo o próximo Baile de Carnaval, afinal de contas necessitamos extravasar nossa alegria cantando e pulando até o sol raiar.

Fiz uma pesquisa a respeito do Carnaval, quando e onde teria começado e quais eram suas características iniciais, na verdade existem muitas histórias que se misturam não deixando claro a essência da festividade.  Uma coisa ficou muito evidente, esta festa mudou muito por onde passou e em cada país ou cidade ela se expressa de uma forma totalmente diferente.

Apesar da festa não ser de origem Cristã, ficou em uso uma data e um motivo como  se fosse uma adaptação do Cristianismo, determinando aquilo que significa o seu próprio nome, uma despedida dos prazeres carnais para um período de abstinência e sacrifício, conhecido como quaresma em preparação para a Páscoa.

Com os anos, a festa se distanciou das motivações Cristãs e permaneceu apenas a data conforme o calendário da Igreja determina para se comemorar a Páscoa.

Quanto aos detalhes que hoje existem o mundo cuidou de criar e difundir outras tradições que nada tem a ver com a Igreja.

Como no princípio, a Igreja sempre discordou de práticas pecaminosas nas festas pagãs e sempre combateu tais práticas, mas como a Igreja se expandiu ocupando territórios e culturas diferentes, jamais conseguiu apagar por completo alguns princípios que acabam ressurgindo e se concretizando nas festas de hoje.

O Carnaval em si mesmo deveria ser apenas uma manifestação de alegria e comemoração, uma brincadeira saudável que não prejudicasse ninguém e não levasse o homem a cometer pecados contra seu próprio bem.

A introdução do álcool e mais recentemente as drogas de todos os tipos tiram as pessoas de seu estado consciente, provocando atitudes irresponsáveis sem pensar nas consequências futuras como se o prazer deste exato momento estivesse acima de qualquer coisa na vida futura.

As mulheres são as mais prejudicadas como sempre, são como lebres caçadas e arrebatadas por lobos vorazes que se aproveitam de um momento de alegria e descontração para executarem seu ataque.

Passando o efeito da festa, da alegria, da bebida e das drogas, ficam os prejuízos para o futuro, muitos totalmente irreparáveis e outros traumas que levarão muitos anos para se dissiparem por completo.

Não somos contra a alegria, nem contra uma festa sadia e pura, somos contra o oportunismo de pessoas mal intencionadas que conduzem multidões ao erro para se aproveitarem do suor do seu trabalho, lucrando em cima de uma alegria momentânea que gera a infelicidade permanente de muitas pessoas inocentes.

Hoje nossos jovens teem diversas oportunidades de experimentarem esta alegria de uma forma sadia e segura, a Igreja e a RCC promove em quase todo o Brasil retiros, Shows, Rebanhões, festivais e encontros abertos onde o jovem tem a chance de experimentar entre momentos de oração e louvor a verdadeira alegria que o mundo jamais poderia lhe dar.

Em Nossa cidade realizaremos o XXII Festival de Jesus, encontro que estará sendo conduzido por Padres jovens, mais jovens que o próprio festival, isto mostra que neste mesmo festival em anos anteriores encontraram algo que lhes motivou não somente viver uma vida mais sadia em Cristo como também o amaram a ponto de dedicar uma vida inteira ao ministério Sacerdotal.

Jesus

Como estas palavras são lidas em vários lugares distantes de nossa cidade, convidaria cada um a fazer um desafio ao que o mundo lhes oferece, buscando um encontro pessoal com Jesus neste Carnaval, porque este momento já está agendado para você.

Procure um encontro Católico em sua cidade, como o testemunho destes Jovens Padres eu tenho certeza que nenhuma alegria passageira deste mundo poderia completar os seus corações a tal ponto que Jesus já não tenha completado, porque Jesus nos dá uma alegria Plena e verdadeira sem a ressaca do dia seguinte.

Vale a pena, faça o desafio consigo mesmo este ano, nos próximos anos sempre haverá outros carnavais.


Jesus Jesus