O Milagre da Mula, Santo Antônio.



O MILAGRE  DA  MULA


Santo Antônio pregava sobre o Santíssimo Sacramento em Toulouse, sul da França, ano 1227.

– No meio da pregação um senhor se levantou e o desafiou, dizendo que a presença de Cristo na Hóstia Consagrada era uma mentira.

Santo Antônio lhe respondeu:

– Que problema há, no corpo de Cristo estar velado pelas aparências do pão e do vinho, conforme suas próprias palavras.

E o senhor incrédulo fez um desafio:

– Se Cristo está presente nesta Hóstia, sua presença deveria ser sentida por todas as criaturas viventes. Então pegarei minha mula e na próxima missa estaremos aqui, se a mula conseguir ver Cristo na Hóstia, acreditarei no senhor e na sua fé.

Santo Antônio resolveu concordar com o desafio.  Passou-se três dias e uma multidão se aglomerou na praça, muitos pela missa e outros tantos para conferir o resultado do desafio do homem infiel. Enquanto Santo Antônio caminhava com o Santíssimo Sacramento e todos os católicos se colocavam de joelhos rezando. O senhor infiel chega conduzindo sua mula, a qual maliciosamente foi privada de alimento durante os últimos dias. Faminto, o animal estava tão violento que nem o próprio dono conseguia controlar. Contudo, ao se aproximar do Santíssimo, a mula se acalmou, e diante de todos ali presentes, milagrosamente a mula se ajoelhou perante a Hóstia Consagrada ostentada por Santo Antônio. O Milagre gerou gritos e admiração por todos, os católicos entoaram cânticos emocionados. Muitos hereges que ali estavam por curiosidade se converteram ao catolicismo, assim como o senhor dono da mula que reconheceu imediatamente a presença de Cristo e também se ajoelhou.




Outras indicações Semelhantes.







Co-responsabilidade.



Palestra preparada para encontro de Casais:

“CO-responsabilidade”




Objetivo:

Frases de Padre Alfonso Pastore sobre o ECC

  • “O ECC em sua primeira etapa tem a missão de procurar os casais abandonados, amá-los, posicioná-los, dar-lhes uma visão de sua razão de ser como célula vital da humanidade, abrir-lhes um caminho de comunhão fraterna na comunidade paroquial e possibilitar-lhes a corresponsabilidade no serviço e nas estruturas de trabalho.”


REFLEXÃO:


A nossa função como pregadores do evangelho é exatamente a mesma de Jesus Cristo.

Devemos pregar a palavra de Deus e não julgar que esta função seja reservada apenas aos nossos pastores, digo melhor, “Função reservada somente ao clero” – Sacerdotes, Bispos e religiosos.

Disse certa vez Nosso Saudoso Bispo D. Manuel Pestana:

“É sim a nossa função de Pastores de ovelhas alimentá-las com a grama mais fresquinha e conduzi-las às fontes de águas cristalinas como se refere no Salmo 23, Salvá-las quando estão enfermas e machucadas como Jesus contou na Parábola das 99 ovelhas (S. Lucas 15, 1 a 6), porém os Pastores não devem e nem podem gerar outras ovelhas, não pode engravidar-se de outras ovelhas, esta função cabe a cada ovelha, se o rebanho é infértil, não adianta que o Pastor seja o melhor de todos, pois, um dia por mais saudáveis que estejam suas ovelhas elas acabarão morrendo sem deixar nenhum descendente e o rebanho se acabará, por isso é urgente que as ovelhas aprendam esta sua responsabilidade básica para com o rebanho, elas precisam reproduzir-se, gerando filhos e filhas para que assim o Pastor tenha a quem ensinar, conduzir e alimentar…”

O Corpo de Cristo:  (I Coríntios, 12,12)

“12. Porque, como o corpo é um todo tendo muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo. 13. Em um só Espírito fomos batizados todos nós, para formar um só corpo, judeus ou gregos, escravos ou livres; e todos fomos impregnados do mesmo Espírito. 14. Assim o corpo não consiste em um só membro, mas em muitos. 15. Se o pé dissesse: Eu não sou a mão; por isso, não sou do corpo, acaso deixaria ele de ser do corpo? 16. E se a orelha dissesse: Eu não sou o olho; por isso, não sou do corpo, deixaria ela de ser do corpo? 17. Se o corpo todo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se fosse todo ouvido, onde estaria o olfato? 18. Mas Deus dispôs no corpo cada um dos membros como lhe aprouve. 19. Se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? 20. Há, pois, muitos membros, mas um só corpo.”

Leia mais em:  Biblia-ave-maria

São Paulo esclarece a necessidade da hierarquia na Igreja, porém, esclarece também que todos os membros da Igreja são tão importantes como o principal, porque acima de tudo somos parte do mesmo Corpo de Cristo e todos por mais insignificantes que sejam também fazem parte deste Corpo que é UNO e indivisível.

Com esta explicação é mostrado que cada um destes membros tem a sua função bem definida no corpo e se um membro falha ou adoece, todo o corpo sofre juntamente com ele e o bem comum do corpo todo depende do funcionamento perfeito de cada um de seus membros em particular.   Em outras palavras, São Paulo mostra que cada um de nós é co-responsável pelo bem estar deste corpo, este corpo que pode ser compreendido como a comunidade e a Igreja de Deus neste mundo.

Sizenando

Segue um texto bem explicativo.



«A catolicidade da Igreja manifesta-se também na co-responsabilidade ativa e na colaboração generosa de todos em favor do bem comum.» 1

A palavra “co-responsabilidade” é fundamental para compreender nossa participação na tarefa e missão comum encomendada pelo  Senhor Jesus e, no tempo presente, por quem é seu Vigário, o Papa João Paulo II, a todos os filhos  da Igreja: «remar mar adentro!» Neste esforço apostólico, nesta empresa de colaborar na transformação de todo o mundo desde seus alicerces com a força que brota do Evangelho, se requer a criativa e ativa participação de todos.  Ninguém —por mais humilde que sua contribuição possa parecer— pode sentir-se excluído de colaborar nesta missão, segundo o máximo de suas próprias possibilidades e capacidades.

“Co-responsabilidade” 

A palavra “co-responsabilidade”, que usamos na linguagem coloquial, combina a preposição “co” com o adjetivo “responsável”.

Em primeiro lugar, vejamos o que significa “responsável”. Este termo se aplica a uma pessoa que está obrigada a responder por uma coisa ou tarefa que lhe foi confiada, ou por outra pessoa. Dizemos que uma pessoa  é responsável quando cumpre com diligência e eficácia com aquilo que lhe foi confiado: um trabalho, uma tarefa, uma missão. São responsáveis, por exemplo,  aqueles servos da parábola 2 que recebendo, um, cinco, e o outro, dois talentos, imediatamente os negociam. Irresponsável, ao contrário, é aquele servo que recebendo somente um talento, por medo, o enterrou. Como ele, todo aquele que sabe o que tem que fazer e, podendo, não o faz, é um irresponsável. E por mais desculpas que dê, torna-se culpável  de sua falta de ação 3. Responsável é , sim, quem sabe o que tem que fazer e com prontidão e diligência o realiza 4.

Assim como aqueles servos, cada um de nós tem uma grande responsabilidade frente aos dons e talentos que recebeu de Deus. Os talentos recebidos têm uma “função social”. Certamente são dados a cada um para o próprio desdobramento pessoal em obediência ao Plano de Deus, porém este desdobramento somente se dá na medida em que, como um “bom administrador”, cada um ponha os próprios talentos a serviço dos demais. O dom recebido obriga sua comunicação, e o homem se realiza mediante o dom de si mesmo aos demais5. Como ensina o Concílio, da recepção dos dons que o Espírito «distribui a cada um conforme lhe apraz»6, «mesmo dos mais simples, nasce em favor de cada um dos fiéis o direito e o dever de exercê-los para o bem dos homens e edificação da Igreja, dentro da Igreja e do mundo»7. É responsabilidade de cada um colocar «a serviço dos demais a graça que recebeu, como bons administradores da multiforme graça de Deus.» 8

2 – Uma responsabilidade compartilhada:

A preposição “co”, que antecede a palavra “responsável”, indica participação em uma responsabilidade comum a todos. A responsabilidade frente à missão apostólica que Deus nos confia é compartilhada por todos.

Muitas vezes comparamos a missão a uma carroça que todos temos de empurrar para que avance. Não se trata de que outros empurrem enquanto eu observo sem envolver-me, ou, pior ainda, enquanto eu nada mais faça senão sentar-me comodamente sobre ela. Empurrar a carroça não é algo que compete somente a alguns: aos “mais hábeis”, ou aos “mais fortes”, ou aos “mais talentosos”, ou aos mais comprometidos, de tal modo que eu possa  sentir-me excluído, ou desculpando-me com diversas razões.  Não! Todos temos algum talento, ou mais de um, e todos estamos obrigados a multiplicar esses talentos recebidos para benefício dos demais, para o bem comum! Todos —como costumamos dizer— temos que “colocar as mãos na massa”, “somar” e empurrar segundo o máximo de nossas forças e capacidades para que a carroça avance o mais rápido possível, pelos caminhos que, em seu amoroso desígnio,  Deus nos indica!

Nunca esqueçamos que nossa primeira co-responsabilidade é para com o Espírito Santo e sua ação em nós. Se formos co-responsáveis com Ele, levando uma vida espiritual intensa, Ele irá transformando-nos interiormente — contando com nossa colaboração — até que alcancemos a total configuração com o  Senhor Jesus, o Filho do Pai e Filho de Santa Maria Virgem. Assim, sendo santos, sendo o que temos que ser, inflamaremos os corações humanos e o mundo inteiro com essas línguas de fogo que o Espírito divino concede aos seus apóstolos. Assim seremos co-responsáveis também com Quem realmente é o protagonista da evangelização.

3 – Modelos de “co-responsabilidade”

Sobre tudo devemos olhar sempre o Senhor Jesus, máximo modelo de “co-responsabilidade”.

Sua ativa colaboração com o desígnio do Pai se manifesta a cada passo de sua vida entre nós: «Jesus lhes disse: “Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e consumar a sua obra”.»9 Ele assume como seu o grande “projeto” reconciliador do Pai, faz-se co-responsável, oferecendo-se com total generosidade para servir à missão encomendada pelo Pai: «Por isso, ao entrar no mundo, ele afirmou: (…) Eis-me aqui, (…) eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade!»10 Com plena obediência, leva esse desígnio divino ao seu pleno cumprimento: «Eu te glorifiquei na terra, concluí a obra que me encarregaste  de realizar.»11 Com todos os seus talentos e dons, com todo o seu ser, humano e divino, põe-se a serviço do Plano do Pai para obter-nos o dom da reconciliação e da vida.

Do Senhor Jesus aprendemos a viver essa maravilhosa “co-responsabilidade” com Deus e seus amorosos desígnios. Considerar seu exemplo nos impulsiona a querer, em nossas próprias vidas, dar também uma resposta de plena co-responsabilidade à missão que o Pai, por seu Filho, hoje nos confia.

Como sempre, a luz radiante do Sol de Justiça se reflete na bela Lua, a Virgem Maria. Ela também assume o dinamismo da “co-responsabilidade”, e o faz de maneira exemplar, paradigmática. Assim a vemos, por exemplo, ao receber a visita angélica: também Ela, que qualifica a si mesma como a Serva de Deus e dos seus Planos, vive plenamente a “co-responsabilidade” ao proclamar esse “faça-se” fecundo, esse «faça-se em mim segundo a tua palavra»12, segundo teus desígnios. Com um “Sim” consistente, maduro, renovado ao longo de cada um dos dias de sua vida e especialmente ao pé da Cruz, proclama seu firme propósito, que se converte em uma ativa e co-responsável cooperação com o desígnio divino. Sua exemplar e fecunda co-responsabilidade com o Plano divino é uma chave e estímulo contínuo para aqueles que em Cristo somos seus filhos.



“Porque cada um deve carregar a sua Cruz?

Proteção e Provação.


Citações para oração:

  • Todos recebemos de Deus certos dons e talentos: Mt 25,15; Somos responsáveis perante Deus pelos talentos recebidos: Mt 25,16ss; Lc 12,48; Rm 14,12; Tg 4,17; Os dons recebidos são para benefício de todos, e nos conduzem ao serviço: 1Pe 4,10.
  • Somos responsáveis pelo destino de nossos irmãos: Gn 4, 9; Lc 10, 29-37; Mt 25, 31-46; Somos um corpo: 1Cor 12,21-22, a necessidade que experimentamos uns dos outros conduz à co-responsabilidade: Gl 6,2.
  • Ser co-responsável com a graça recebida implica trabalhar arduamente para fazê-la frutificar: 1Cor 15,10.
  • O Senhor Jesus é modelo de co-responsabilidade: Hb 10,5-7; Jo 4,34; 9,4; 17,4; 19,30; Maria também é exemplar por sua co-responsabilidade: Lc 1,38; Atua com diligência conforme o que Deus lhe ensina e pede: Lc 8, 21; 11,28; Ensina-nos a ser co-responsáveis: Jo 2,5.
  • Para conquistar a todos : 1Cor 9,19.

Perguntas para o diálogo

  1. Segundo o que foi lido: o que é a co-responsabilidade e no que implica?
  2. Cada homem, cada nação, cada cultura e civilização tem uma função própria a desenvolver e um lugar próprio no misterioso Plano de Deus e na história universal da salvação. Enumere as ações concretas de co-responsabilidade que você realiza com:
  3. a) O Espírito Santo e sua ação em você.
    b) Sua comunidade mais próxima e com sua associação.
    c) A missão.
  4. Que medidas concretas você poderia tomar para viver melhor a co-responsabilidade nestes âmbitos? Que talentos e dons você tem para colocar a serviço do Plano de Deus?
  5. Aquilo que você está chamado a realizar, por mais simples e pequeno que lhe pareça, ninguém mais pode fazê-lo. Faça o firme compromisso de esforçar-se ao máximo por viver a co-responsabilidade.

Notas

1 S.S. João Paulo II, Slavorum apostoli, 19a.

2 Parábola dos Talentos – S. Mt 25,15-30.

3 Devemos sempre fazer o Bem. – Tiago 4,17.

4 Seguir a palavra de Deus. – Ver Jo 2,5; Lc 8, 21; Lc 11,28;

5 Ver Gaudium et spes, 24.

6 O Corpo de Cristo:  (I Coríntios, 12,12)

7 Apostolicam actuositatem, 3.

8 1 Pe 4,10.

9 Jo 4,34.

10 Hb 10,5-7.

11 Jo 17,4; ver Jo 9,4; 19,30.

12 Lc 1,38.

http://vidacrista.org.br/caminho-para-deus-102-a-co-responsabilidade/


“Eu vivo, mas já não sou eu; é Cristo que vive em mim. A minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.” 
Gálatas, 2 – Bíblia Católica Online


Ouvindo a voz do 

BOM PASTOR


Encontro de Casais com Cristo_ECC


Estamos comungando Jesus ou comendo hóstias ?



Uma pergunta interessante feita pelo meu professor de Antigo Testamento GABRIEL VILA VERDE © Antoine Mekary / ALETEIA Certo dia, em sala de aula, meu professor de Antigo Testamento perguntou:

“ESTAMOS COMUNGANDO JESUS OU COMENDO HÓSTIAS ? ”

Parece uma brincadeira, mas o questionamento é sério. Eu fiquei pensando… meu Deus! Já comunguei tantas vezes, já participei de MILHARES de Missas, mas… o que mudou? Em que mudei?

Comungar é estar unido, intimamente ligado ao Cristo. É viver como Ele viveu, pensar como Ele pensa, agir como Ele age! Da sua primeira comunhão pra cá, em que você melhorou? Quais foram os passos significativos no processo de conversão? Em suma: quais os frutos de santidade que a Eucaristia realizou em nós?

Santa Teresa de Ávila dizia que bastava uma comunhão em estado de graça para se santificar. A Beata Imelda morreu no dia da sua Primeira Comunhão. Morreu de amor. Tantos santos que entravam em êxtase na hora da Missa, como Luís de Monfort, Inácio de Loyola e José de Cupertino…

Irmã Dulce e Madre Teresa que saíam da Missa para dar socorro aos necessitados, Santa Gema Galgani que tinha o seio queimado por causa de um fogo misterioso que lhe incendiava, Santo Antônio de Lisboa que fez um jumento se ajoelhar diante da Hóstia para converter um ateu, Maria Milza que nunca aceitou ser ministra da comunhão por se sentir indigna de tocar o Corpo de Deus, a Beata Alexandrina que viveu 13 anos apenas com uma Eucaristia diária, etc… etc… etc…

Santo Agostinho dizia que nós metabolizamos os alimentos que comemos, mas quanto a Eucaristia, é ela que nos metaboliza.

E eu? E você? E nós? Estamos comungando Jesus ou comendo hóstias? Aquela partícula branca transforma o nosso interior ou é como uma vela acesa mergulhada na água? Pense… repense… medite…

(Seminarista Gabriel Vila Verde)


Fonte: Estamos comungando Jesus ou comendo hóstias ?


Alimento_Espiritual_Autêntico

Tema Apresentado no Grupo de Oração

Emanuel em 02/03/2015


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120 Vazio_interior

Cinco_paes http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120

Certificado mais um Milagre Eucarístico na Polônia.


Milagre_eucaristico_polonia_2016


Legnica – Polônia (Quarta-feira, 20-04-2016, Gaudium Press) O Bispo de Legnica, Polônia, Dom Zbigniew Kiernikowski, certificou no dia 17 de abril que um fato registrado no Santuário de San Jacek em Legnica “tem as características distintivas de um milagre eucarístico”. Depois de uma rigorosa investigação, o prelado afirma o caráter sobrenatural do fato que comunica novamente a doutrina da Presença Real de Jesus Cristo na Hóstia consagrada no Sacramento da Eucaristia.

Tecido de coração humano

O sucesso ocorreu no Natal de 2013, quando uma das Hóstias que se distribuía na comunhão caiu no chão e foi depositada em um recipiente com água para que se desfizesse naturalmente (um dos procedimentos habituais recomendados para esses casos). A Hóstia, ao invés de diluir-se, exibiu uma mancha vermelha com uma textura estranha, o que motivou a investigação do Bispo, que estabeleceu uma comissão para determinar a natureza do fato.


Bispo da Polônia certifica milagre eucarístico Hóstia contêm tecido humano.jpg

Em fevereiro de 2014 se permitiu levar um fragmentado da Hóstia a várias avaliações forenses, chegando-se à conclusão de que “na imagem histopatológica se encontrou que os fragmentos contêm partes fragmentadas do músculo estriado transversal, similar ao músculo do coração”, segundo informou Religión en Libertad. Os especialistas determinaram que o tecido analisado era humano e correspondia a uma pessoa submetida a um alto grau de tensão e sofrimento.

O caso ainda foi submetido a uma consulta realizada pelo Bispo à Congregação para a Doutrina da Fé na Santa Sé, instituição que estabeleceu a idoneidade da veneração pública do milagre com a exposição dos fatos ligados ao acontecimento. Após receber este parecer, o pároco do Santuário foi autorizado a expôr a Hóstia em uma Capela, junto à descrição do fato sobrenatural.

O Bispo pediu que se ofereça aos assistentes ao lugar “informação pertinente” e uma “catequese sistemática que forme adequadamente a consciência dos fiéis no culto eucarístico”. O Santo Padroeiro do Santuário, São Jacek, justamente foi um notável pregador da Eucaristia, pelo qual se representa com o Sacramento em suas mãos. “Espero que tudo isto sirva para aprofundar no culto da Eucaristia e tenha um inconfundível impacto na vida das pessoas que se aproximam da relíquia. O vemos como uma maravilhosa mostra, uma expressão particular da bondade e do amor de Deus”, afirmou o prelado. (GPE/EPC)



Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/78413-Bispo-da-Polonia-certifica-milagre-eucaristico–Hostia-contem-tecido-humano#ixzz4AFtPBXXs
Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.




Alimento_Espiritual_Autêntico http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg Corpus_Christi_Lk
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg wall_corpuschristi1024 lanciano-1


Corpus Christi em Power Point.


Uma pequena apresentação sobre a história e o significado do dia de Corpus Christi.



2. Mistério que muito mais do que para ser entendido, é para ser vivido e celebrado como uma festa especial ao Sacramento da Eucaristia, Sacrifício e Refeição

3. “Isto é o meu corpo (apontando para o pão), e isto é o meu sangue (apontando para o vinho), fazei isto em memória de mim”.

4. Segundo Santo Agostinho, é um memorial de imenso benefício para os fiéis, deixado nas formas visíveis do pão e do vinho.

5. Como na Semana Santa não vivemos grandes manifestações de alegria, – é tempo de silêncio e recolhimento – para prestar um ato público e solene de fé e adoração a Jesus na Eucaristia, a Igreja instituiu esta solenidade para se comemorar a Instituição da Eucaristia que foi na quinta-feira santa, a 60 dias após a Páscoa.

6. É um dia santo de guarda, isto é, para os católicos, é obrigatório participar da Santa Missa neste dia, pois é dia de preceito como são os Domingos…

7. A origem desta Solenidade remonta ao século XIII, destacando e/ou fortalecendo a devoção ao Santíssimo Sacramento, diante da necessidade de levar os fiéis a sentirem melhor a presença de Cristo.

8. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a bula Transiturus de hoc mundo de 11 de agosto de 1264,

9. para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes, sendo decretada em 1269 e aderida plenamente ao longo do tempo…

10. Observe que depois de é o tempo mais propício para estarmos abastecidos das graças e do júbilo do Espírito Santo, e assim podermos celebrar melhor e com mais alegria a Festa do Esposo divino que habita entre nós!

11. Conta a história, que existia um sacerdote chamado Pedro de Praga, que vivia angustiado por dúvidas sobre a presença de Cristo na Eucaristia.

12. Decidiu então ir em peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o dom da fé.

13. Ao passar por Bolsena, na Itália, enquanto celebrava a Santa Missa, foi novamente acometido da dúvida.

14. Na hora da Consagração veio-lhe a resposta em forma de milagre: a hóstia branca transformou-se em carne viva, respingando sangue, manchando seu corpo, os sanguíneos e as toalhas do altar sem no entanto manchar as mãos do sacerdote, pois, a parte da hóstia que estava entre seus dedos, conservou as mesmas características.

15. O Papa Urbano IV, pediu que os objetos fossem levado para Orviedo em uma grande procissão, e foi nesse momento que a festa de Corpus Christi foi decretada.

16. A instituição desta festa tem também fundamento no segredo das visões da freira belga agostiniana Juliana de Mont Cornillon, que teve revelações do céu, demonstrando desejo de que o mistério da Eucaristia fosse celebrado com mais destaque.

17. Sendo desta forma, entre heresias e também uma certa devoção popular, somado com revelações, acabou sendo celebrado pela primeira vez em Liége, na Bélgica, como resposta de fé e de culto às doutrinas heréticas e também como coroação de um movimento de grande devoção ao augusto sacramento do altar… Escultura Anjo Dourado em Liège – Bélgica

18. Os tapetes de rua são uma tradição e manifestação artística popular realizada por fiéis da Igreja Católica, confeccionados para a passagem da procissão de Corpus Christi.

19. A tradição da confecção do tapete surgiu em Portugal e veio para o Brasil com os colonizadores, começando pela cidade de Ouro Preto em Minas Gerais.

20. Os desenhos utilizados são variados, mas enfocam principalmente o tema Eucaristia.

21. No Brasil essa tradição está sendo ampliada, atingindo inclusive comunidades, bairros e até colégios, e são utilizados diversos tipos de materiais, tais como papel, serragem colorida, isopor, pó de café, farinha, areia, flores, folhas, tampinhas de garrafas, e outros acessórios.

22. Algumas cidades são famosas, como por exemplo Ouro Preto-MG, onde teve seu início, também Matão-SP, São José do Rio Preto-SP, ainda Castelo-ES, Rodeio-SC, Cabo Frio-RJ, entre outras.

23. De qualquer forma, podemos dizer que é um espetáculo que reúne fé, tradição, arte e beleza, mas não podemos perder de vista que ao participar da Eucaristia neste dia, enfeitar ruas e praças, e ao acompanhar a procissão,

24. estamos mostrando com este gesto que cremos de fato que JESUS ESTÁ PARA SEMPRE PRESENTE NO NOSSO MEIO, E SENDO ASSIM, SOMOS MISSIONÁRIOS, POIS DAMOS UM GRANDE TESTEMUNHO PÚBLICO DE FÉ…

25. Daí, nunca criticar, muito menos é para se avaliar os enfeites, porque para Deus o que interessa é o amor que se coloca em cada gesto, por isso, se puder seria bom ajudar, e ainda, lembrar que Jesus vai passar pelas ruas da nossa cidade, pelas nossas casas, pela nossa vida, pelo nosso serviço, e quer abençoar a todos(as)…

26. Com a Instituição da Eucaristia o povo é alimentado com o próprio Corpo de Cristo!

27. Eucaristia é o alimento que sacia toda a nossa fome e sede de amor, felicidade, segurança, esperança e vida eterna, e principalmente é o alívio, ou melhor, o repouso para todos os nossos cansaços, durezas e sofrimentos da vida…

28. Quem comer deste pão viverá eternamente – Jo 6, 51. Receber Jesus na Eucaristia não se resume em “apenas” comungar… Mas em uma manifestação e demonstração concreta de Fé e Amor a Deus.

29. Sendo assim, não esquecer de sempre agradecer, e muito mais neste dia, pelo infinito amor de Jesus pelo dom inefável da Eucaristia!

30. OBRIGADO, SENHOR Autor: jose antonio http://www.powermensagens.com/power-point-religiosas/corpus_christi

Resumo e reformatação: Presentepravoce 06/2015

Musica = Tema JMJ – Jesus Cristo – Tu és a minha vida

– Jesus Christi – You are my life .

31. quarta-feira, 27 de maio de 2015 9:32:11

Link’s para outras Mensagens


Corpus_christi_2016


Pentecostes_2015 trindade-lk Eucaristia_corpo_vivo_de_Cristo
Corpo_de_Cristo_lk2 wall_corpuschristi1024

Papa Francisco na Solenidade de Corpus Christi.


“O Senhor, vosso Deus, vos nutriu com o maná, que vós não conhecíeis” (Dt 8,2)


corpus-christi-01[1]


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120 http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg
https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/eucaristia.jpg?w=130&h=120

Homilia do Papa na Solenidade de Corpus Christi

Brasão do Papa
HOMILIA
Solenidade de 
Corpus Christi
Basílica São João de Latrão

Quinta-feira, 19 de junho de 2014

Tradução: Liliane Borges


“O Senhor, vosso Deus, vos nutriu com o maná, que vós não conhecíeis” (Dt 8,2)


Estas palavras de Moisés referem-se a história de Israel, que Deus tirou do Egito, da condição de escravidão, e por quarenta anos guiou no deserto em direção à  terra prometida. Uma vez estabelecido na terra, o povo eleito chega a uma certa autonomia, um certo bem-estar, e corre o risco de esquecer os tristes acontecimentos do passado, superados pela intervenção de Deus e Sua infinita bondade. Por isso,  as Escrituras os exortam a recordar, fazer memória de todo o caminho feito no deserto, no tempo de fome e desconforto. O convite de Moisés é o do retorno ao essencial, à experiência da total dependência de Deus, quando a sobrevivência foi confiada em suas mãos, para que o homem compreendesse que “ele não vive somente de pão, mas de toda palavra que sai da boca do Senhor “(Dt 8, 3).

Além da fome física que homem traz dentro de si, há uma outra fome, uma fome que não pode ser satisfeita com alimentação normal. É a fome de vida, fome de amor, fome de eternidade. E o sinal do maná – como toda a experiência do Êxodo – continha em si também esta dimensão: era a figura de um alimento que satisfaz esta fome profunda que há no homem. Jesus nos dá esse alimento, mais do que isso, é Ele mesmo o pão vivo que dá vida ao mundo (cf. Jo 6,51). Seu corpo é verdadeira comida sob as espécies do pão; o Seu sangue é verdadeiramente bebida sob as espécies do vinho. Não se trata apenas de um alimento com o qual saciar os nossos corpos, como o maná; o Corpo de Cristo é o pão dos últimos tempos, capaz de dar vida, e vida eterna, porque a substância deste pão é o Amor.

Na Eucaristia se comunica o amor de Deus por nós: um amor tão grande que nos alimenta com o Seu próprio ser; amor gratuito, sempre disponível a cada pessoa com fome e necessitada de revigorar suas forças. Viver a experiência da fé significa deixar-se nutrir pelo Senhor e construir a própria existência não sobre bens materiais, mas sobre a realidade que não perece: os dons de Deus, a Sua Palavra e Seu Corpo.

Se olharmos à nossa volta, percebemos que há tantas ofertas de alimentos que não são do Senhor e que, aparentemente, satisfazem mais. Alguns são nutridos pelo dinheiro, outros com sucesso e a vaidade, outros com poder e orgulho. Mas a comida que nos alimenta e que realmente nos satisfaz é apenas aquela que o Senhor nos dá! O alimento que o Senhor nos oferece é diferente dos outros, e talvez ele não pareça tão saboroso como os alimentos que nos oferece o mundo. Por isso, sonhamos com outras refeições, como os judeus no deserto, que lamentavam pela  carne e as cebolas que comiam no Egito, mas eles esqueceram que as refeições eram feitas na mesa da escravidão. Eles, nos momentos de tentação,  tinham memória, mas uma memória doente, uma memória seletiva.

Cada um de nós, hoje em dia, pode perguntar-se: e eu? Onde gostaria de comer? Em qual mesa eu quero me alimentar? Na  mesa do Senhor? Ou sonho em comer alimentos saborosos, mas na escravidão? Qual é a minha memória? Aquela que o Senhor me salva, ou aquela do o alho e das cebolas da escravidão? Com qual  memória  sacio a minha alma?

O Pai nos diz: “Eu te alimentei com o maná que você não conhecia”.  Recuperamos a memória e aprendamos a reconhecer o pão falso que ilude e corrompe, porque é fruto do egoísmo, da autossuficiência e do pecado.

Daqui a pouco, na procissão, nós seguiremos Jesus realmente presente na Eucaristia. A  Hóstia é o nosso maná, mediante a qual o Senhor no dá a Si mesmo. A Ele nos dirijamos com confiança: Jesus, defenda-nos das tentações do alimento mundano que nos torna escravos; purifica a nossa memória, para que não permaneça prisioneira na seletividade egoísta e mundana, mas seja memória viva de tua presença na história de seu povo, memória que se faz “memorial” do teu gesto de amor redentor. Amém.



Pentecostes_2015
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg
Alimento_Espiritual_Autêntico

Orasao_Dedos_Papa_Francisco


Eu sou a Videira Verdadeira.


Vos sois os Ramos


Eu_sou_a_Videira_Verdadeira


Jesus se identifica aos apóstolos de várias maneiras. Como para os humanos nem sempre é fácil entender as coisas sobrenaturais, usa de parábolas, comparações e alegorias. Depois de se apresentar como o Caminho, Verdade e Vida, de revelar-se como Bom Pastor das ovelhas e porta do redil, se compara à videira da qual fazem parte os ramos e os frutos. Tal comparação é uma consolação para os que nele creem e o amam de verdade, pois ele os inclui na sua própria identidade. “Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo se não permanecer na videira, assim também vós não podeis dar fruto se não permanecerdes em mim” (Jo 15, 4).

São Paulo compara o corpo de Cristo à Igreja (cf I Cor. 12, 12-14). Ela, na verdade, é o corpo místico do Senhor. Somente pertence a ela, quem pertence a Cristo.

A comparação da videira já havia sido utilizada pelos profetas Isaías, Jeremias e Ezequiel referindo-se ao povo de Israel. Porém, o povo de Israel na história se revelou infiel e não produziu os frutos esperados. Eis a razão pela qual o Senhor se apresenta como a Verdadeira Videira. Quem está nele, unido a ele que é o tronco, este necessariamente produz frutos de caridade, de bondade, de justiça, de fraternidade, de humildade, de serviço ao próximo, sobretudo aos sofredores. Inúmeros são os frutos que resultam de uma verdadeira e íntima união com Cristo. A produção de frutos que são as boas obras oriundas do mandamento novo, Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” (Jo. 13,34), são indispensáveis para se pertencer a Cristo Jesus, de tal forma que em não produzindo-as, o Pai, que é o agricultor, corta os ramos e os separa definitivamente do tronco. Porém, também o ramo que produz fruto deve ser, de vez em quando, limpo, podado. São os sofrimentos, os problemas que cada um que se decide a ser inteiramente de Cristo tem que enfrentar. Não duvidemos: não há Cristo sem cruz, não há cristianismo sem sacrifícios. O livro dos Atos dos Apóstolos, bem como a história da Igreja, estão cheios de exemplos de provações, tribulações, martírios físicos ou morais que acompanham a todos os que estão legitimamente são inseridos como ramos no tronco da videira que é Cristo.

Lembremo-nos ainda que toda árvore é constituída de tronco, ramos, frutos, mas também de raízes e de seiva. As raízes podem ser comparadas à parte da Igreja que vive no escondimento dos mosteiros ou no silêncio das terras longínquas da missão. Também podem se assemelhar à parte silenciosa em nós mesmos que devemos renunciar a qualquer honraria humana para viver nossa fé e praticar as boas obras. Não foi Jesus que afirmou: “que sua mão esquerda não saiba o que faz a direita”? (cf. Mt 6, 1-4). Na árvore de Cristo não cabem exibições, como na Igreja não se pode suportar o carreirismo e a sede de poder. Certamente os ciúmes são definitivamente artimanhas do inimigo que deseja ver secos os ramos da videira do Senhor.

A seiva, contudo é a vida da árvore. Sem ela os ramos secam e acabam por desaparecer. Permanecer unido a Cristo significa receber de sua seiva continuamente. A seiva é o Espírito Santo, é a força do ressuscitado, é a vida da Igreja e de cada pessoa. Assim como a seiva é praticamente invisível, a maneira de recebê-la em continuidade é a oração que também é algo imaterial e intangível. Quem perdeu a capacidade de rezar, começou a secar e pode se tornar lenha para a fogueira. Sem mim, nada podeis fazer! (Jo.15, 5) afirma Jesus. Contudo, se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado (Jo.15,7). Ó, como isso é consolador! Na união com Cristo está a solução para todas as situações, ainda que pareçam humanamente impossíveis. O segredo está em permanecer vivamente enxertados em Cristo, dele recebendo a benfazeja seiva, para produzir abundantes frutos para a glória do Pai.

Por Dom Gil Antônio Moreira – Arcebispo de Juiz de Fora (MG)


Perseverança


Fruto_Espírito SVE-I
Antiga_Aliança_02 Sete_dons
Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito

O Alimento Espiritual.



O Que é Alimento?


Alimentos_basicos


Alimento é tudo aquilo que usamos para fortalecer o nosso corpo, na verdade o nosso corpo processa os alimentos que comemos e os transforma em combustível que move o nossos músculos, tudo aquilo que ingerimos irá passar pelo processo de digestão e será transformado para ser utilizado como energia e outra parte dele  será incorporado em células que farão parte do nosso corpo para o resto da vida. 

Nós não podemos sobreviver sem nos alimentar, faz parte do processo biológico natural do animal que é o ser humano, se você ficar 4 dias sem comer nada pode até morrer, há quem sobreviva mais tempo (limites 51 dias) e quem não resista muito tempo, mas uma coisa é certa, quem não se alimentar certamente morrerá mais cedo ou mais tarde.



“Durante a refeição, Jesus tomou em Suas Mãos O Pão, abençoou-O, partiu-O e O deu aos Seus discípulos, dizendo:

‘Tomai e comei, isto é o Meu Corpo’.

Tomou depois o cálice, rendeu graças e O deu, dizendo: ‘Bebei d’Ele todos, porque isto é o Meu Sangue, o Sangue da Nova Aliança, derramado por todos, em remissão dos pecados…” (Mt 26, 50b-52.)



CERTAMENTE MORREREMOS.


A história da criação diz que Deus criou todas as coisas e entregou aos homens para que lhes servisse como alimento.

  1. Deus disse: “Eis que eu vos dou toda a erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para que vos sirvam de alimento.
  2. E a todos os animais da terra, a todas as aves dos céus, a tudo o que se arrasta sobre a terra, e em que haja sopro de vida, eu dou toda erva verde por alimento.” E assim se fez.

Isso não seria nenhuma novidade, mas é só para constatarmos o fato de que ninguém, ninguém mesmo pode sobreviver sem o alimento material e natural que Deus reservou para nós.

O Alimento Espiritual.

No texto de (Mt 26, 50b-52.) em destaque acima diz que Jesus pegou o PÃO, sim, o Pão que comemos todos os dias, feito pelo padeiro da padaria com água, sal, fermento e farinha de trigo, mas depois de abençoá-lo Jesus se refere a Ele como: “ISTO É O MEU CORPO” ?

O Que teria acontecido com o pão comum e normal depois de ter sido “ABENÇOADO” por Jesus?

Tornou-se agora não apenas um alimento para o corpo material e sim um alimento para a “VIDA ESPIRITUAL“.

O Lado invisível que não podemos ver com os olhos da carne e sim com os olhos da Fé.

Vamos falar agora deste outro TIPO DE ALIMENTO, o alimento espiritual.

Quando Deus entrega tudo por alimento ao homem no paraíso Ele faz uma pequena ressalva:  

  1. Deu-lhe este preceito: “Podes comer do fruto de todas as árvores do jardim; 17 . mas não comas do fruto da árvore da ciência do bem e do mal; porque no dia em que dele comeres, certamente morrerás.”

Podemos dizer que nem tudo que se pode comer é bom para o corpo e pode tirar-lhe a vida, assim também nem tudo que fazemos ou falamos é bom para o espírito e a alma humana e também podem causar-lhe até mesmo a morte espiritual que é o caso do pecado.

Porém a história nos diz que após comer o fruto proibido ninguém “MORREU”, Adão e Eva não morreram materialmente, permaneceram vivos como se não tivessem comido um veneno mortal assim percebemos que a morte a que Deus se referiu não seria uma morte física e sim a morte espiritual, por isso apesar de vivos a história de suas vidas foi totalmente alterada, entrou na jogada um outro tipo de morte, a morte espiritual que é a conseqüência do pecado original que cometeram e de todo e qualquer pecado que cometemos ainda hoje.

Precisamos entender esta comparação e a diferença entre esses dois alimentos bem distintos, assim como o corpo não sobreviverá sem o alimento material, a nossa alma também precisa e necessita do verdadeiro alimento espiritual que nos livrará da morte eterna conseqüência do pecado.

Levamos em consideração também que esse alimento espiritual que Deus nos oferece é muito mais do que apenas um alimento e serve também como remédio e antidoto contra o mal causado pelo pecado que cometemos.


Deus_Oração


O Pão da Oração:


Diz Santo Agostinho:

A oração é ainda o alimento da alma, porque assim como o corpo não se pode sustentar sem alimento, assim, sem a oração, não se pode conservar a vida da alma. Como o corpo e fortalecido pela comida, assim a alma do homem é conservada pela oração.

O diálogo entre Deus e o homem no paraíso (Gn 3,8) vem demonstrar que todos os homens precisam manter este contato diário com o Pai e sem ele nos sentiremos incompletos e vazios, com ele nos sentiremos amados e valorizados e sem Ela nos sentiremos longe e abandonados.

Quando eu comecei na Renovação Carismática Católica, existia uma coisa muito diferente dos outros grupos e da própria Santa Missa.    Na Santa Missa participamos de algo público e comunitário e mesmo que existam momentos individuais, as pessoas nem sempre experimentam um diálogo pessoal e particular com Deus, já os outros grupos na época raramente faziam orações e quando faziam sempre eram aquelas escritas em livretos e decoradas, rezava-se o terço, mas em nenhuma dessas orações poderíamos identificar como pessoal e particular, pois aquelas palavras foram proferias por uma outra pessoa e por melhores ou mais bonitas que fossem não proferidas por você. 

Por outro lado a Oração espontânea praticada pela RCC era algo novo, pois não era comum, na verdade não foi fácil abrir a minha boca no grupo de oração, pois eu era muito tímido, não falava em publico e muito menos tinha costume de fazer orações em particular, no entanto no dia em que fiz a minha primeira oração foi como o céu se abrisse e daí em diante sempre foi mais fácil esta comunicação com o Pai.   Hoje em nossos grupos de oração quase não se faz mais oração pessoal e vejo isso como um grande prejuízo irreparável em nossa intimidade com Deus, já que Jesus está nos chamando para estar sempre com Ele todos os dias e esse estar com Jesus não é para ficar em silêncio e sim para falar e expor aquilo que somos em sua presença.

PRECISAMOS RECUPERAR ESSES MOMENTOS DE ORAÇÃO, PORQUE FAZEM MUITA FALTA PARA NOSSO ESPÍRITO ESTAR NA PRESENÇA DE DEUS E OUVI-LO E SER OUVIDO POR ELE.

Leia mais sobre oração neste Blog, Click aqui:


Nem_so_de_pao_vivera_o_homem


O Pão da Palavra


O C.I.C nos diz:

10.2 Alimento da Palavra de Deus

  • 2835 Este pedido e a responsabilidade que ele implica valem também para outra fome da qual os homens padecem: “O homem não vive apenas de pão, mas de tudo aquilo que procede da boca de Deus” (Mt 4,4), isto é, sua Palavra e seu Sopro. Os cristãos devem envidar todos os seus esforços para “anunciar o Evangelho aos pobres”.

  1. Virão dias – oráculo do Senhor Javé – em que enviarei fome sobre a terra, não uma fome de pão, nem uma sede de água, mas (fome e sede) de ouvir a palavra do Senhor. 12. Andarão errantes de um mar a outro, vaguearão do norte ao oriente; correrão por toda parte buscando a palavra do Senhor, e não a encontrarão. (Profeta Amós 8, 11 e 12)

  • 104 Na Sagrada Escritura, a Igreja encontra incessantemente seu alimento e sua força, pois nela não acolhe somente uma palavra humana, mas o que ela é realmente: a Palavra de Deus “Com efeito, nos Livros Sagrados o Pai que está nos céus vem carinhosamente ao encontro de seus filhos e com eles fala”.

P.10.12 Obras da Palavra de Deus

  • 131 “É tão grande o poder e a eficácia encerrados na Palavra de Deus, que ela constitui sustentáculo e vigor para a Igreja, e, para seus filhos, firmeza da fé, alimento da alma, pura e perene fonte da vida espiritual.” “É preciso que o acesso à Sagrada Escritura seja amplamente aberto aos fiéis.”

Este é um outro ponto bastante importante, porque a própria Bíblia se define como um importante alimento espiritual, São Paulo até diz aos Romanos que a Fé vem de ouvir a palavra de Deus e claramente se inclui também a leitura da palavra, já que os Coríntios e os Romanos não ouviram a voz de São Paulo quando receberam suas cartas e sim as suas cartas foram lidas na comunidade e hoje também podemos ler esta palavra e nos alimentar dela.

A RCC nasceu de uma busca por entender a palavra de Deus e daí se originou a busca pelo Espírito Santo que reavivou o Pentecostes na Igreja Católica, mas este fato não ficou no passado, porque é a vontade de Deus que todos cheguem ao pleno conhecimento de suas palavras.

(São Mateus 24,14). Este Evangelho do Reino será pregado pelo mundo inteiro para servir de testemunho a todas as nações, e então chegará o fim.

(Timóteo 2,4) O qual deseja que todos os homens se salvem e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

Ler e conhecer a palavra de Deus é muito importante para nós, por isso ela se compara ao alimento já que sem o conhecimento da verdade não tem como acreditarmos em Deus e o buscarmos de todo coração.

Fast Food Espiritual

Você é do tipo que gosta de “fast food” espiritual?

Deixe-me explicar… Em outro post siga o link … (Aguarde)

Leia mais sobre A Palavra de Deus neste Blog, Click aqui:


Alimento_Espiritual_Autêntico


Jesus é o Pão da Vida:

“Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome.” (São João 6, 35). Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.     (São João 6,51)

Jesus disse certa vez que:

  1. Nossos pais comeram o maná no deserto, segundo o que está escrito: Deu-lhes de comer o pão vindo do céu (Sl 77,24). 32. Jesus respondeu-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu, mas o meu Pai é quem vos dá o verdadeiro pão do céu; 33. porque o pão de Deus é o pão que desce do céu e dá vida ao mundo. 34. Disseram-lhe: Senhor, dá-nos sempre deste pão! 35. Jesus replicou: Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome, e aquele que crê em mim jamais terá sede. (São João 6, 31) 48.Eu sou o pão da vida. 49. Vossos pais, no deserto, comeram o maná e morreram. 50. Este é o pão que desceu do céu, para que não morra todo aquele que dele comer.  51. Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo. 52. A essas palavras, os judeus começaram a discutir, dizendo: Como pode este homem dar-nos de comer a sua carne?  53. Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos.  54. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.  55. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida.  56. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.

Com essas palavras muitos discípulos se afastaram de Jesus pois pensavam que Ele estava falando literalmente sobre comer seu corpo, o que resultou no convite para quem se escandalizasse podia ir embora e que São Pedro lhe dá a melhor resposta de todas, “Senhor, a quem iremos, pois só Tu tens as palavras de vida eterna…”

Jesus não falava literalmente para que seu corpo fosse dilacerado e repartido entre todos para que comessem sua carne, tanto porque, sua carne humana não seria suficiente para todos nós, mas falava de um milagre ainda maior, da multiplicação de sua carne para alimentar a todos os homens da terra e não somente naquela época, mas durantes todos os séculos.   Hoje podemos declarar que Jesus falava da eucaristia, o verdadeiro alimento que se multiplica sobre o altar para alimentar todos os filhos de Deus.

Não basta hoje acreditar nesta verdade, é necessário participar da Eucaristia, é necessário se alimentar deste corpo de Cristo para que possamos ser fortes espiritualmente.

Emanuel_nsap3

Tema Apresentado no Grupo de Oração Emanuel em 02/03/2015


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120 bRAÇOS DO pAI

Seminário de Vida no Espirito http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120


Uma Experiência com deus e com DEUS!


manzana[1]

Experimente você Mesmo!


Jesus Cristo é o Senhor!



Não basta ter uma linda imagem de Jesus em um quadro decorando a sala de jantar de sua casa.

Não basta dizer que Jesus é o Senhor do céu e da terra!

É preciso reconhecer este Senhorio e entregar sua vida totalmente nas mãos de Jesus para que Ele viva e Reine em todas as áreas de sua Vida.

São Paulo dizia:  (Gal 2,20)

“Já não sou eu quem vivo, é Cristo que vive em mim”

Queira ou não, o dever e objetivo de cada Cristão não é apenas refletir uma imagem escura, suja e apagada do Mestre Jesus através de palavras e ações inconsistentes, mas é de de se tornar um verdadeiro CRISTO na terra, vivendo e testemunhando com palavras e ações tudo aquilo que Cristo veio realizar em nosso meio.

O texto a seguir nos leva a compreender esta verdade e nos dá dicas de como conseguirmos nos aproximar deste objetivo tão importante em nossas vidas de verdadeiros Cristãos.



jesus_rei_senhor



Jesus é o o Senhor


Tema completo:

O Senhorio de Jesus e Falsas Doutrinas

Seminário – Falsas Doutrinas e Senhorio de Jesus – 20/10/2006

Pregador : Willian    Comunidade Aeternum Dei

Vamos abrir a nossa bíblia no evangelho de S João 21; 15…

2020 É muito importante para nós estarmos bem atentos a palavra de Deus, porque nós católicos precisamos saber algumas informações, para sermos formados na nossa fé. Nós não podemos viver como homens e mulheres cristãos ingênuos, diante de alguns assuntos, nós temos que ser conhecedores para que esse conhecimento nos leve para o céu e também possa ser instrumento de graça para todo aqueles que passarem em nossas vidas.

Nessa passagem o Senhor vem nos mostrar duas coisas: Primeiro: Falar do Senhorio de Jesus é nada mais do que entrar no coração de Deus e comungar do amor e da misericórdia de um Pai que não quer perder nenhum de nós. DEUS NÃO QUER PERDER NENHUM DE NÓS!

Segundo, o que acabamos de dizer está no coração de Deus. A Igreja Católica é a única que traz a Bíblia no contexto e não somente no texto. E É A ÚNICA QUE TRAZ SUCESSÃO APOSTÓLICA.  Ainda em João 21, 15… “Tendo eles comido Jesus perguntou a Simão Pedro, Simão filho de João, Amas-me mais do que a estes? Sim Senhor, sabes que te amo. Disse-lhe Jesus, apascenta os meus cordeiros. Perguntou-lhe outra vez: Simão Pedro, Simão filho de João, Amas-me? Sim Senhor, sabes que te amo. Perguntou-lhe Jesus pela terceira vez: Simão Pedro, filho de João, Amas-me? Sim Senhor, tu sabes de tudo, tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus apascenta as minha ovelhas.

Palavra da Salvação!

Vejam um detalhe importante no Evangelho de S. João: Por três vezes Jesus pergunta a Pedro, Amas-me? Os Judeus perguntam mais de uma vez as coisas, isso representa uma confirmação. As mães geralmente fazem isso com os seus filhos … Fulano, já fez a tarefa? Fulano já fez a tarefa? É sempre assim para confirmar o que ele está dizendo.

Veja da boca de quem está saindo esse diálogo no Evangelho segundo S. João … Vamos ver no versículo 15. Quem começa esse diálogo? Jesus.  É da boca do nosso amado Jesus, o filho de Deus, aquele que veio anunciar o Reino para cada um de nós. Pra quem Jesus pergunta sobre o amor? Para Pedro, é um diálogo entre Jesus e Pedro. No sentido original da Palavra em hebraico, descobrimos que na terceira vez que Jesus pergunta a Pedro: “Amas-me e apascenta os meus cordeiros”, Jesus está pedindo para Pedro cuidar da Sua Igreja. E quem era Pedro? O Papa! Aquele que Jesus disse em sua profissão de fé: “Tu és Pedra e sobre ti edificarei a minha Igreja”. Por isso a Igreja Católica traz a sucessão apostólica. Se pegarmos os mais de 200 Papas, desde Pedro, temos toda a tradição histórica da nossa Igreja até chegar a Bento XVI.

Mas o nosso assunto hoje não é para apontar pessoas, mas sim para apontar uma prática que infelizmente tem tirado a graça da salvação do povo de Deus, de novo: DEUS NÃO QUER PERDER NENHUM DE NÓS.

João 14, 6: “ Jesus respondeu, Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim”

Ele está dizendo no singular, se não for por Jesus não há outro caminho!

Mateus 6, 24: “ Ninguém pode servir a dois senhores porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar -se-á a um e desprezará o outro.”

Quando falamos do Senhorio de Jesus, estamos falando que eu devo dar a Ele um lugar de destaque ou um lugar próprio de Jesus na minha vida, e qual é o lugar que Jesus habita na minha vida? É um lugar de destaque? É um lugar especial? Jesus é o centro da minha vida? Ele é o Senhor? Quando Mateus está falando que ninguém pode servir a dois senhores, ele quer nos dizer: Fiquemos atentos! Porque algumas práticas podem fazer com que Jesus deixe de sentar no trono do nosso coração e venha outro e sente em seu lugar, um outro deus, um outro senhor com letra minúscula.  Quando se fala do Senhorio de Jesus Ele quer ser único e absoluto Senhor da minha vida. Pois só Ele é o caminho a verdade e a vida.

I COR. 8, 6:” Mas, para nós, há um só Deus, o Pai do qual procedem todas as coisas e para o qual existimos, e um só Senhor, Jesus Cristo, por quem todas as coisas existem e nós também.”

Esse texto é muito claro, mas existem algumas coisas que vão se levantando em nossas vidas para nos tirar da presença do nosso Deus e essas coisinhas às vezes até se levantam em forma de pessoas, não esclarecidas, pessoas que tentam tomar o lugar de Deus em nossa vida.

Mt. 7,15: “Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores. ”

Eu tive uma experiência dessa na minha vida, o meu pai foi um alcoólatra durante 15 anos. Uma família de base católica, uma mãe que sempre rezou o terço, sempre testemunhou a sua fé. Mas na verdade, eu me lembro que participava da Santa Missa, apenas de corpo presente, sempre sentando nos últimos lugares e o momento da Santa Missa que eu mais gostava era quando o padre dizia:”O Senhor esteja convosco, Vamos em Paz e que o Senhor vos acompanhe”. Nesse momento eu ia embora feliz da vida.

Nessa época muitas coisas começaram a acontecer na minha vida, na minha casa, problema de saúde, financeiro… Dentro do meu coração algo muito estranho estava acontecendo e eu sabia que não era Deus agindo na minha vida.

Nesse momento apareceram algumas pessoas nos falando que tinha saída para aquilo que estávamos passando, vá a tal lugar que lá é bom. Eu conheci todo e qualquer tipo de caminho oculto que vocês imaginarem para resolver os meus problemas desde mapa astral, passando pela numerologia, entrando em uma linha mais espiritualista passando pela Kardecista, centros de umbanda, candomblé e aí vai, tudo… Para solucionar o problema do meu pai. Quer saber o resultado da história? Voltamos para Igreja todos destruídos sem encontrar a solução para o problema do meu pai e só fui encontrar a solução na Eucaristia.

Hoje meu pai não bebe, não fuma, minha mãe graças a Deus continuou perseverando, não deixava um filho dela se quer dormir até mais tarde no domingo para não perder a Santa Missa. Hoje na minha casa, são sete pessoas servindo a Deus, a obra Aeternum Dei tem 15 nos e os sete estão lá! Graças a Deus os frutos vão surgindo e muitas pessoas provando do amor do nosso Deus.

Gente quando as coisas em nossas vidas começam a apertar, nós estamos dispostos a fazer qualquer coisa para resolver os nossos problemas, fazemos tudo o que for preciso. Temos que tomar muito cuidado com as coisas que buscamos, ás vezes até aquela pirâmide que temos em cima da mesa, aquele duende, aquele pé de coelho, pode estar tomando o lugar de Deus em nossas vidas! Ou nós temos o Senhor como nosso Deus ou temos como nosso Deus os objetos que levamos! Precisamos ficar atentos para essas coisas.

Deuteronômio 18; 9 – 14: “Quando estiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquela terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem que se dê á adivinhação, á astrologia, aos agouros, ao feiticismo, á magia, ao espiritismo, á adivinhação ou a invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão as essas práticas,e é por causa dessas abominações que o Senhor,teu Deus, expulsa diante de ti essas nações. Serás inteiramente do Senhor, teu Deus. As Nações que vais despojar ouvem os agoureiros e os adivinhos; a ti, porém o Senhor, teu Deus, não o permite.”

Vamos por partes: Passar pelo fogo é toda prática e objeto ligado a fumaça, defumação, incenso… Antes de qualquer coisa, nós precisamos saber qual é a origem disso, qual é a fé que comunga quem produziu esse objeto? Quem o produz declara o Senhorio de Jesus? Não, então não devemos usar! Não estou apontando pessoas e sim práticas e a nossa Igreja nos ensina isso.

Muitos produtos e objetos são oferecidos e dedicados a espíritos malignos e demônios. Devemos ter muito cuidado com isso para não cairmos nas armadilhas do inimigo.É muito importante que cada um de nós saiamos daqui querendo saber mais desse assunto, pois quando formos questionados na rua a esse respeito, teremos informação sobre o que a Igreja ensina com relação as falsas doutrinas.

O mundo está nos bombardeando de informações incorretas e nós estamos de boca fechada sem expressar o que a nossa fé diz. E quem cala, consente!

Hoje o propósito dessa pregação é desmascarar o mal e onde ele estiver escondido nós vamos colocar as claras, porque nós somos filhos de Deus, amados de Deus e Ele nos quer no céu.

Outro ponto muito importante é com relação ao que vemos nos postes, escrito em cartazes “cartomancia, jogo de búzios, jogo de cartas, magias do amor… todos com pagamento após o resultado”.

Astrologia, muita gente ao acordar nem faz o sinal da cruz, liga logo o rádio para ouvir o horóscopo do dia, saber com qual cor de roupa deve sair…  O significado de Signo é sinal e todos nós que fomos batizados em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo, recebemos o nosso sinal de Cristo que é o Batismo. Com o Senhor Jesus em nossa vida nós não precisamos de mais nada, nem de ferradura, nem de cabeça de alho, nem de pimenteira… No lugar destas coisas atrás da porta da sua casa,coloque a Cruz de Cristo, uma oração da Sagrada Família ,isso sim o Senhor aprecia.

Outro ponto que muitas vezes nos pegamos despercebidos é quando chegam pessoas falando que estão se sentindo mal, que as coisas não estão dando certo na vida dela e que acha que dever ser encosto ou algum trabalho que foi feito contra ela! Abra a sua boca e declare o Senhorio do Senhor Jesus!!!!!!!Católico não pode falar essas coisas!

Heb 9; 27: “Como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo”.

O Senhor nos fala claramente na sua palavra sobre o espiritismo de forma geral, eu quero falar de um que é moda atualmente, que é o Kardecismo. Se a reencarnação de fato existe, essa palavra que acabamos de ler não é verdadeira, pois se para alcançarmos o espírito de luz se fizer necessário a gente morrer e reencarnar várias vezes para que o Senhor morreu na cruz por nós então?

“Está determinado que o homem morra uma só vez e logo depois vem o juízo”, o Juízo particular, pois o nosso corpo é formado por: corpo, alma e espírito.

Quando o nosso corpo vai para a terra, a nossa alma vai encontrar direto com Deus, segundo nos ensina a nossa Igreja, de forma figurada, ao lado da nossa alma, existe uma lista contendo tudo o que fizemos de bom e de ruim, que chamamos de juízo particular. Nesse momento não tem jeitinho brasileiro, ou vamos para o céu, ou para o purgatório ou para o inferno.

Devemos tomar muito cuidado com livros campeões de venda como: Paulo Coelho, (ligado a bruxaria) Zibia Gaspareto,(ligado ao Kardecismo), ou seja, tem pessoas que tem coleções destes livros. Outros livros que devemos ter muito cuidado são aqueles escrito segundo o espírito tal… A bíblia segundo Alan Kardec, um espírito escreveu a palavra…O impressionante é que nesses livros não trazem as passagens que apontam o perigo do espiritismo. Por isso, que logo no início eu falei que a Igreja Católica usa a palavra de Deus não só no texto e sim no texto e contexto e tem sucessão apostólica, pois o Senhor entregou a Pedro o comando da Sua Igreja e sobre a Igreja as portas do inferno não prevalecerão. Se quisermos ir para o céu, estamos na Igreja certa, a única fundada pelo Senhor.

Alguns questionamentos podem surgir com relação as imagens que em alguns destes lugares tem que são iguais as nossas. Isso não é verdade, pois atrás

destas imagens aparentemente iguais, tem um outro nome e outro sentido que elas recebem.

Outro ponto é com relação a caridade que eles praticam. Isso é muito bom, mas infelizmente vive bem um lado e não vive bem o outro … a palavra de Deus nos fala de um homem, que queria entrar em um banquete, mas não tinha roupa apropriada para aquele momento, para entrarmos no céu precisamos estar prontos em todos os aspectos e não em alguns. Por isso, se eles fazem bem a caridade, vamos evangelizá-los para que eles possam também viver a realidade da palavra de Deus em outros aspectos.

Isaias 42; 1: “ Eis o meu servo que eu amparo, meu eleito ao qual dou toda a minha afeição, faço repousar sobre ele o meu espírito, para que ele leve às nações a verdadeira religião.”

É isso que o Senhor Jesus que de nós, que levemos aos nossos irmãos o verdadeiro evangelho, o esclarecimento, a verdade do Senhor, que possamos tirá-los das mãos dos falsos profetas que buscam apenas confundir, enganar os nossos irmãos. O Senhor quer de nós mais ousadia para levar a Sua Palavra para aqueles que ainda não a conhecem. Se fizermos o que o Senhor nos pede, nós seremos testemunhas de muitos milagres, seremos testemunhas de muita paz, seremos testemunhas deste Deus que não nos deixa só que nunca nos desampara.

Por isso devemos ter muito cuidado com o que permitimos em nossas vidas, em nossas casas, porque basta apenas uma passagem de pessoas que não conhecem o Senhorio de Jesus em nossas vidas, fazendo algo diferente daquilo que o Senhor nos ensina para sujar a nossa vida, como o exemplo: Do chuveiro da nossa casa sai água limpa e quando ele passa apenas uma vez no nosso corpo sujo a mesma água sai suja, com apenas uma passada em nosso corpo. Assim também acontece quando nos deixamos ser tocados ou operados espiritualmente, ou quando recebemos passes outras coisas que não convém a nossa realidade cristã católica, nós nos contaminamos.

A palavra do senhor é muito clara e nos revela todas estas coisas!

– Veja mais: http://www.sementesdoespirito.com.br


È_O_Senhor_2 È_O_Senhor_2

Eucaristia.


Jesus_Consagração


Real Presença



Sabemos que Nosso Senhor Jesus Cristo está realmente presente, em Corpo, Sangue, Alma  e Divindade, no Santíssimo Sacramento, sob a aparência de pão e vinho. Sabemos disso porque a Igreja nos ensina, e porque a Bíblia também o diz.

Vejamos:

No capítulo 6 do Evangelho de São João, vemos Nosso Senhor Jesus Cristo fazendo uma série de coisas preparatórias para o Seu discurso sobre a Eucaristia: primeiro Ele faz o milagre da multiplicação dos pães (Jo 6,5-13), mostrando assim Sua capacidade de modificar miraculosamente as coisas criadas, mais exatamente o pão. Em seguida, Ele caminha por sobre as água (Jo 6,19-20), mostrando Seu controle sobre o Seu próprio Corpo. Estando então demonstradas estas Suas capacidades, Ele faz o Seu discurso eucarístico (Jo 6,27-59).

Ele inicia este discurso afirmando que devemos buscar não a comida que perece (isto é, os alimentos do dia a dia), mas aquela que dura até a Vida Eterna, que Ele nos dará (Jo 6,27). Em seguida Ele trata do maná, prefiguração da Eucaristia, e afirma com todas as letras que o maná não era o verdadeiro Pão dos Céus; o verdadeiro Pão dos Céus é Ele (Jo 6,31-40).

Os judeus, porém, não acreditaram, e começaram a murmurar contra Ele. Ele então reafirma ser Sua Carne o verdadeiro pão dos Céus (Jo 6,41-51). Os judeus, então, ficam completamente escandalizados, e perguntam como Ele poderia dar a Sua Carne a comer. Note-se que o verbo que é usado na pergunta deles, no Evangelho segundo S. João, é o verbo “phagein” (comer, deglutir). Nosso Senhor então responde reafirmando o que já dissera, usando porém palavras ainda mais fortes. Ele diz que quem não comer a Sua Carne e não beber o Seu Sangue não terá a vida eterna, e afirma que Sua Carne é verdadeiramente uma comida e Seu Sangue verdadeiramente uma bebida (Jo 6, 52-59). O verbo que é usado nesta resposta não é mais o verbo “phagein”, mas o verbo “trogô”, que significa mastigar, dilacerar com os dentes. Ele está mostrando que não é uma parábola, não é um simbolismo. É, como Ele diz, “verdadeiramente uma comida” e “verdadeiramente uma bebida”(Jo 6,55), que deve ser mastigada, dilacerada com os dentes.

Muitos daqueles que O seguiam, então, não suportaram as palavras de Nosso Senhor. Ele, porém, não retirou o que dissera. Afirmou, ao contrário, que é o “espírito” (as palavras que dissera – Jo 6,60-65) que vivifica, não a “carne” (as opiniões das pessoas apegadas ao mundo). Muitos dos que antes O seguiam, então, se retiraram e não mais andaram com Ele, por não suportarem Seu ensinamento sobre a Eucaristia. Note-se, como curiosidade, que o versículo que conta isso (Jo 6,66) é o único versículo “666” de todo o Novo Testamento…

Os Apóstolos também receberam então de Nosso Senhor um ultimato: ou aceitavam Suas palavras ou iam embora também eles. São Pedro, o primeiro Papa, falando em nome de toda a Igreja, disse então que não se afastariam d’Ele.


Eucaristia_corpo_vivo_de_Cristo


O Evangelho segundo S. João, onde lemos este belo e forte discurso do Senhor, é o único Evangelho que não traz a narrativa da instituição da Eucaristia. Por que isso acontece? Porque S. João o escreveu muito depois dos outros Evangelhos (por volta do ano 90 d.C.); a narração da instituição da Eucaristia já era conhecida por todos os cristãos. Era, porém, necessário reafirmar a verdadeira Doutrina ensinada por Cristo acerca de Sua Carne e Seu Sangue, pois havia já naquele tempo hereges que negavam o valor da Eucaristia. A estes respondia S. João.

Nas narrativas da instituição da Eucaristia (Mt 26,26s; Mc 14,22s; Lc 22,19s; I Cor 11,23s) vemos que Nosso Senhor disse que o Pão e o Vinho são Seu Corpo e Seu Sangue (“Isto é Meu Corpo; Isto é o cálice do Meu Sangue). Teria sido perfeitamente possível, dada a riqueza da sofisticada língua grega em que foram escritos os Evangelhos, escrever “isto significa”, ou “isto representa”. Não é porém isto o que está escrito. Está escrito que “isto é” o Corpo e o Sangue de Cristo. Esta é também, evidentemente, a Fé pregada por São Paulo, quando escreve aos Coríntios que “todo aquele que comer o pão ou beber do cálice do Senhor indignamente, tornar-se culpado do corpo e do sangue do Senhor… Pois quem come e bebe sem fazer distinção de tal corpo, come e bebe a própria condenação” ( I Cor 11,27-29 ).

É evidente que o Sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo é um acontecimento único, que não precisa jamais ser repetido. Na Santa Missa, não há repetição do Sacrifício; Nosso Senhor não é imolado de novo. A Sua imolação única, porém, passa a estar novamente presente, por graça de Deus, para que possamos, nós também, receber seus frutos quase dois mil anos depois. Note-se que quando Deus mandou sacrificar o Cordeiro da Páscoa no Egito e marcar as portas com seu sangue, Ele também mandou comer da carne do Cordeiro (Ex 12). Ora, o Cordeiro era figura de Cristo, que é o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1,29). Não basta o Sacrifício do Cordeiro; temos também que comer Sua Carne.

Louvado seja sempre Nosso Senhor Jesus Cristo!

Carlos Ramalhete.

http://www.filhosdedeus.hpg.com.br/sacramentos/sacramentoeuc01.htm

outros

http://genesis.uag.mx/edmedia/material/disputatio04/euc.htm


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/eucaristia.jpg?w=130&h=120
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120 http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120


Solenidade do Corpo de Deus.



http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120 http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg
https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/eucaristia.jpg?w=130&h=120

Ao se aproximar as festividades de Corpus Christi, devemos lançar uma pergunta a todos os fiéis Católicos de todas as partes:

Por que existe esta comemoração?

A resposta é bem simples, mas pouco conhecida, a festa comemora A Presença Real de Cristo na Eucaristia, confirmada através das visões da freira Juliana de Mont Cornillon, introduzida na Igreja pelo Papa Urbano IV.

Um dos milagres mais belos que confirmam esta presença real é o aconteceu em Lânciano.



Ocorreu que em Lanciano, na Igreja de São Legoziano, anexa ao Mosteiro onde viviam monges da Ordem de São Basílio, durante a Celebração da Santa Missa, após a pronuncia das palavras da Consagração, as oferendas de pão e vinho, se tornaram verdadeiramente, Corpo e Sangue de Cristo.

Devemos entender bem, que em nossas missas atuais, quando Comungamos Corpo e Sangue, devemos ter um coração aberto e ignorar os sentidos da visão e do paladar pois continuamos a ver apenas pão e vinho. É exatamente por isto que nossos irmãos protestantes não tratam da consagração da mesma forma que nós, eles não conseguem enxergar Cristo, deixam-se enganar pelos próprios sentidos ao invés de se ater aos olhos da fé. Lembrem-se, eles não tem a autoridade para a verdadeira consagração, esta é dada somente os padres, bispos, cardeais, ao papa em fim ao Clero católico.

Deus Pai quis, com este milagre, atestar que Cristo se faz presente na Consagração, para que não restassem dúvidas. Quis também demonstrar a importância dos Sacerdotes e do grande Ministério que exercem, quis demonstrar a todos os sacerdotes, através daquele monge, que Ele estaria e estará sempre consagrando através de suas mãos, mesmo que eles próprios duvidem.

Para aqueles que ainda não conhecem o milagre ocorreu no seguinte contexto:

No monastério, dentre todos os monges estava um que notadamente era conhecedor do mundo. Verificava-se que ele conhecia mais a cultura secular que as coisas de Deus.

Pois bem, foi então que, em certa manhã, celebrando a Santa Missa e sentindo-se profundamente confuso com a dúvida a respeito da veracidade do ato da Consagração, ao proferir as palavras viu as espécies se converterem em real Carne e real Sangue, vivos!


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2011/06/tapete_de_corpus_christi_7.jpg?w=130&h=120
https://presentepravoce.files.wordpress.com/2011/06/tapete_de_corpus_christi_2.jpg?w=130&h=120

Confuso pelo Milagre e dominado pelo êxtase olhou para os presentes e disse: “Ó bem-aventuradas testemunhas diante de quem, para confundir a minha incredulidade, o Santo Deus quis desvendar-se neste Santíssimo Sacramento e tornar-se visível aos vossos olhos.

Vinde, irmãos, e admirai o nosso Deus que se aproximou de nós. Eis aqui a Carne e o Sangue do nosso Cristo muito amado!”

Cabe lembrar que o monge, mesmo parcialmente dominado pelas coisas mundanas nunca se afastou de Deus ou da vontade de procurar Deus, pedia sempre que fosse arrancada a dúvida de seu coração.

Foi neste clima que se proclamou verdadeira a Festa de Corpus Christi, Festa do Corpo e Sangue de Cristo que quis se aproximar ainda mais de nós. Claro que os céticos dirão que muitas dúvidas pairam, a uma conceituada sociedade de céticos tem em seu site algumas alegações como por exemplo, não retornaram a examinar, não se pode comprovar que ninguém adulterou o material ou que ele seja o mesmo por todos estes anos.

Para estes homens sem fé, devemos dizer que: não nos importa. Mesmo que este Milagre não tivesse ocorrido, nós já teríamos a certeza de que se trata de Cristo Vivo na Eucaristia. O Milagre só veio para retirar de nós o véu corpóreo que nos impedia de enxergar a realidade do Mistério, veio para que fosse possível fazer com que todos tivessem a certeza de que durante a Missa se faz presente e todos nós comungamos, consumimos Cristo Eucarístico.

É exatamente por isto que devemos manter nossos corações fiéis ao respeito à Eucaristia, ao Altar onde é celebrada, e as tradições. Durante a consagração Cristo se aproxima e assume, e repete as mesmas palavras que pronunciou durante a Santa Ceia, tornando pão e vinho em Seu Corpo e Seu Sangue.

Neste magnífico momento o que você faz? Você o trata com o devido respeito ou está conversando? Ajoelha-se ou recusa prostrar-se diante daquele que,de joelhos, suou sangue por você?!



Mais do que ruas enfeitadas para a passagem de Cristo, vamos fazer desta festa, não dá próxima, mas desta festa, o momento de nossa entrega. Sem vergonhas, sem impedimentos, sem barreiras, sem comodismos. Vamos nos entregar a Adoração à presença real de Cristo, já demonstrada em Lanciano, aos mistérios que Deus nos permitiu participar. Não sejamos enganados pelos nossos sentidos, vamos adorar ao Senhor com todas as nossas forças e com todo o nosso entendimento!

A Paz de Jesus e o Amor de Maria a todos.

Prof. Rubens Monteiro
Webmaster – www.pelafe.net


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg



Eu e minha Casa Serviremos ao Senhor.


Eu e Minha Casa Serviremos ao Senhor

Josué 24:15b


Objetivo do tema: Perseverança na comunidade, união Familiar e testemunhar o evangelho de Jesus na vida cotidiana.

Mostrar que apesar das perseguições, maus exemplos, dificuldades e problemas enfrentados neste mundo e principalmente por este motivo acima de tudo, devemos nos decidir qual atitude devemos tomar a partir de agora.      

A quem você quer servir?


5 – E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.  11 -A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência.  12 – E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra.  13  Então disse Deus a Noé: O fim de toda a carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra. 14  Faze para ti uma arca.

                            Gênesis 6:5

As armadilhas do mundo antigo:

      A historia de Noé é bem conhecida de todos nós, (os homens se afastaram de Deus e cometiam todo tipo de pecado sem se preocupar com a vida espiritual).  O que precisamos saber é que também nos dias atuais vivemos uma situação semelhante, o que muda é somente o fato de que o mundo está mais moderno, mas no fundo, para Deus é a mesma coisa.    Os homens na sua grande maioria andam afastados de Deus e não querem nem saber das coisas sagradas, preferem viver a sua vida e não se preocupam com as coisas que acontecem em sua volta, basta relembrarmos que Noé construiu a sua arca durante 40 anos e o povo ficava apenas criticando aquela atitude ridícula e desnecessária.

A palavra de Deus fala que no momento em que Noé entrou na arca e fechou a porta, a chuva começou a cair e tudo foi inundado, Noé terminou a arca no tempo exato ou Deus esperou até que Noé estivesse pronto?

      As armadilhas do mundo atual:

      Vivemos neste mundo e necessariamente convivemos e participamos das coisas deste mundo, todos os dias nos são oferecidas diversas oportunidades para nos afastarmos de Deus, diversos motivos nos levam a abandonar o evangelho e as dificuldades da vida tentam nos desanimar para que possamos abandonar os nossos objetivos.   Mas a verdade é que também hoje precisamos de salvação, pois o tempo da volta de Jesus se aproxima cada dia mais e a nossa arca ainda não está pronta e precisamos desta proteção para poder enfrentar a tempestade que virá, senão não nos salvaremos.



(a arca representa um local seguro, a casa que abriga a família, a Igreja que abriga a comunidade diversificada  “Povo de Deus”.)

No principio Deus não disse a Noé que iria salvar toda a sua família, porém, no ultimo instante Deus mandou que todos entrassem para a salvação, podemos perguntar!

Todos eram Santos?

Não, mas foi feita a vontade de Deus, esta também é a vontade de Deus para toda a sua casa, sua família, seus filhos, pais, irmãos, primos e parentes em geral.

Um profeta nunca é bem aceito em sua terra…

   Muitas vezes é difícil atingir os nossos próprios parentes. Padre Jonas Abib conta como aconteceu com cada um de seus parentes, como cada um deles veio até Deus sem que Ele precisasse agir diretamente, vieram por terem ouvido a sua palavra indiretamente ou por ação de terceiros, mas como ele mesmo sempre pregou a tantos outros, Deus enviou outros servos para agir em sua casa e levar os seus parentes até Deus.

Isto também aconteceu comigo, e até mesmo aqueles irmãos que eu pensei que nunca se voltariam para Deus estão cada vez mais perto d’Ele.   Uma outra tática também seria ganhar os amigos daqueles que você deseja atingir, porque eles acabam recebendo a graça através deles, mas na verdade é o próprio Deus quem escolhe, quando e como vai agir naqueles corações, por isso não precisamos nos preocupar e sim sempre dar oportunidades e continuar o nosso trabalho sem insistir de forma maçante com eles.     


O nosso primeiro objetivo tem que ser o nosso lar, pois este é de nossa inteira responsabilidade, quando começamos no caminho de Deus com nossos filhos pequenos é muito mais fácil conduzi-los nos caminhos de Deus quando estiverem com mais idade e a educação já em andamento, mesmo assim também tudo é possível para Deus.

Hoje o nosso trabalho é muito mais difícil do que antigamente, pois temos um inimigo dentro de nossa casa que ensina coisas erradas contra a nossa vontade quando não estamos presentes e ainda se julgam no direito de serem detentores da verdade e de tudo que é certo. (A TV deve ser limitada e corrigida, pois não é a dona da verdade).


O joio já está maduro:


O Padre Jonas disse, o joio já está maduro e seus frutos já espalham suas sementes pelo mundo, os pecadores já não escondem mais os seus pecados (como na época de Noé e de Lot) e ainda ensinam todo seu pecado como se fosse a verdadeira vida.

É contra tudo isto que devemos lutar, como disse Josué ao seu povo, já quase no fim de sua vida, quando percebeu que todos os filhos de Deus estavam já se acomodando as práticas do povo pagão que viviam ao seu redor.


 Acomodação com as coisas mundanas:

“CONFORMAÇÃO” Há uma palavra escrita por São Paulo aos Romanos 12.2., “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”   A palavra que está no original e que foi traduzida como “transformai-vos” é a mesma que é usada no relato da transfiguração de Jesus Cristo (cf. Mt 17.1,2). Daí “transformar” ser igual a “transfigurar”.  Mudar Radicalmente da água para o vinho, mas não conforme o modelo do mundo e sim conforme o modelo do homem perfeito que é Jesus. 



Transfiguração de Cristo.


 20.Vós, porém, não foi para isto que vos tornastes discípulos de Cristo, 21. se é que o ouvistes e dele aprendestes, como convém à verdade em Jesus. 22. Renunciai à vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. 23. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma,  24. e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.      Leia mais em(Efésios 4, 20 a 24)


Josué 24, 14

14 Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com sinceridade e com verdade; e deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi ao SENHOR. 15 Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos Amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.



Josué lhes deu quatro (4) opções:

  1. Deuses dos antepassados (Agir como agiam os antepassados antes de Abraão);

  2. Deuses dos Egípcios dos quais eram escravos do erro e que cometiam abominações contra os preceitos do Deus verdadeiro e que abandonou os egípcios no fundo do mar;

  3. Deuses dos povos que habitavam na terra que fora prometida a seus Pais e que no momento serviam outros deuses e nem sequer conheciam o Deus verdadeiro que havia reservado aquela terra aos Israelitas;

  4. Ou Servir o Deus Verdadeiro, aquele que os libertou da escravidão do Egito e fez diversos milagres no deserto

Quais Opções o Mundo nos Dá?

O pecado? A bebida? As drogas? O dinheiro? Os vícios? O orgulho? O egoísmo? etc…      Não podemos nos esquecer que em Romanos 6,23 São Paulo já nos adverte que o salário o do pecado é a morte e que todos que andarem por este caminho não herdarão a vida eterna.

Segundo Josué, não importava qual a imagem que o povo teria dos outros deuses, se boa ou má, o que importava é que agora que estavam dentro da terra prometida, todos estavam definitivamente livres e cada um poderia seguir o seu próprio caminho, pois Deus nos dá a liberdade para que sejamos verdadeiramente livres e não escravos de quem quer que seja.

Mas, Somente Deus nos dá a liberdade verdadeira, enquanto que os outros escravizam o homem pelo pecado.


Jesus é o Senhor:

      Em Filipenses 2,9 São Paulo nos mostra que Jesus recebeu do Pai o Título de Senhor de todas as coisas (Visíveis e invisíveis) independentemente de nossa vontade…

MAS Para que ele seja o meu Senhor…

Depende da minha vontade, da minha decisão e da minha livre escolha…

Não apenas de minha vida, mas de toda a minha (e sua) família, e o primeiro passo será sempre o mesmo, dizer SIM” e aceitar este Senhorio de Jesus em sua vida como José e Maria aceitaram o projeto de Deus para suas vidas e se tornaram Pais de Jesus “O Filho de Deus”.

Aquele que nasceu de seu ventre, pode ser carne de sua carne, mas acima de tudo é também um “FILHO DE DEUS”,(sua alma é espiritual e não carnal) e como tal precisa conhecer a vontade de seu Pai, (no dia do batizado, todos nós prometemos educar nossos seu filhos para Deus), mas na prática acabamos deixando que o mundo eduque nossos filhos para o pecado.


Vá para a Igreja meu Filho:         

Eu acho muito engraçado QUANDO o Pe. Leo testemunha que quando ele era jovem, sua avo o mandava ir a igreja, e ele ia, “só que não ia”, eu ficava pensando no que sua avó achava que estava acontecendo com aquele menino, pois, ela não se certificava de que ele estava mesmo obedecendo a sua ordem.

Por outro lado, eu sempre digo que a frase, …Faça o que eu digo e não faça o que eu faço… não funciona, a tendência natural será sempre o inverso; … Fazer o que eu faço e jamais fazer o que eu digo…  Esta foi a tática que Jesus usava com seus discípulos, Elesempre fazia primeiro, para que seus discípulos pudessem imitá-lo depois.    Ele mesmo dizia para que  fizessem o que Ele fazia e não outra coisa.    E isto foi tão real que quase todos eles acabaram morrendo por amor à obra de Deus. 

TESTEMUNHO:

Portanto se quisermos que nossos filhos sigam a Jesus, precisamos antes de tudo seguirmos ao Senhor verdadeiramente.

A salvação é para toda a família:

Atos 16:31

30  E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? 31  E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.



Deus sonha com famílias novas, famílias estruturadas, famílias que dão testemunho de Cristo, que tenham uma nova força e um novo brilho diante da sociedade, mas falta a adesão dos homens e das mulheres que queiram realmente  formar famílias que sejam verdadeiramente educadas dentro dos mandamentos de Cristo.

Falta o meu sim para Jesus…

Falta o seu sim para Deus…

Oração de entrega:

Do nosso lar e todos os nossos problemas:

Falar sobre perseverança, As dificuldades não podem nos afastar dos objetivos de Deus.

Falar sobre comunidade – a arca representa a comunidade que se salva.

É a vida em comunidade que nos fortalece nos momentos mais difíceis e nos ajudam a levantar das quedas mais desastrosas, por isso temos que estar inseridos dentro da Igreja que é a nossa comunidade de amor e o Corpo de Cristo.

Falar sobre o amor e receptividade à todas as outras pessoas, mesmo que não estejam em nosso barco, dar testemunho no mundo e aproveitar todas as oportunidades para evangelizar outras famílias.

II – Nossa Decisão deve ser uma decisão PERMANENTE.

CONCLUSÃO   –  Toda decisão, em especial a de servir a Deus, precisa brotar do coração, o que por certo traz paz e alegria.  Servir a Deus significa em primeiro lugar dar-se a Ele de todo o coração.  É ter um encontro pessoal com Ele. Portanto, entregar-se com integralidade a Deus e viver com integridade são decisões sábias. 

REPETIR O TEXTO DE JOSUÉ COM A COMUNIDADE:

Ler o texto de  Josué 24, 14 a 15 e 16 a 18 

Com todo o grupo como uma resposta positiva.

14. Agora, pois, temei o Senhor e servi-o com toda a retidão e fidelidade. Tirai os deuses que serviram vossos pais além do rio e no Egito, e servi o Senhor. 15. Porém se vos desagrada servir o Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses, a quem serviram os vossos pais além do rio, se aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porque, quanto a mim, eu e minha casa serviremos o Senhor. “.

O povo deve responder a sua escolha:

16. O povo respondeu: Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir outros deuses. 17. O Senhor é o nosso Deus, ele que nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão; e que operou à nossa vista maravilhosos prodígios e guardou-nos ao longo de todo o caminho que percorremos, entre todos os povos pelos quais passamos. 18. O Senhor expulsou diante de nós todas essas nações, assim como os Amorreus que habitam na terra. Nós também, nós serviremos o Senhor, porque ele é o nosso Deus.

QUAL É A SUA RESPOSTA PARA JESUS ?

FAÇA DESTA RESPOSTA DO POVO DE ISRAEL

A SUA RESPOSTA DECISIVA PARA O SENHOR JESUS

AGORA MESMO …

Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo,

tu e a tua casa.


(Atos 16:31)



FAMÍLIA



Um encontro com o Senhor !

O Encontro com Ele

 

Naquela noite fui dormir às 21 horas, pois havia marcado de encontrá-lo às 3 horas da madrugada. Mas não consegui fechar meus olhos. A grande expectativa de ser o primeiro a encontrá-lo tomava conta de todo o meu coração. Durante essas horas levantei-me, mais ou menos, seis vezes, para ter certeza que não me atrasaria para o encontro com Ele. Desejava estar a sós com Ele e desfrutar de sua Magnífica presença.

Quando levantei pela última vez o relógio indicava que eram 2h30min da manhã. Percebi que os cachorros estavam inquietos, aparentemente, alguém já havia se encaminhado para o local do encontro. Então, às pressas, mas de forma silenciosa sai do lar que me acolhera com tanto amor, procurando não fazer qualquer barulho. Estava ansioso para estar naquele local, que visitara na noite anterior.

Com exceção do ladrar do cão, o silêncio era indescritivo em torno daquele lugar, que possuía umas vinte e cinco casas bem humilde. Lá havia apenas uma escolinha e uma caixa d’água. Todo o local era cercado por alguns postes com suas luzes amarelas que iluminavam a pequena vila, árvores altas e baixas cercavam todo esse ambiente.

Embora tenha sido tocado pela simplicidade daquele lugar, meu olhar estava fixo no local do nosso encontro, aproximando-me com passos calmos enquanto contemplo aquele lugar. Meu coração começa a acelerar as batidas, pois está chegando a hora que tanto esperava. Diante da porta ergo os meus olhos e lá está: Ele me esperando bem no cento daquele humilde local, em um pequeno espaço de destaque.

São 2h50min da manhã. Impossível esquecer o silêncio que envolvia aquele ambiente. Fui tomado por uma paz interior que brotava do local de onde Ele estava. Já me sentia invadido por sua presença antes mesmo de entrar naquele local. Ainda com passos silenciosos foi adentrando, um local arrumado com muita simplicidade, mas bem aconchegante.

Para minha surpresa eu não era o primeiro chegar ali, já havia quatro pessoas com Ele. Pude observar que elas O olhavam de um jeito especial, pareciam estar encantadas. Da mesma forma comecei a contemplá-lo silenciosamente, pois o Seu olhar era fascinante e encantador. E no silêncio do meu coração, ressoava em mim: “Também quero ser amado por Ti”.

Aquelas quatro pessoas estavam prostradas aos seus pés. Percebi, então, que um deles era o dono da casa que me acolhera, ele estava atrás de uma pequena mesa. Sentei-me em um dos assentos, eram três horas da manhã. Naquele silêncio era possível perceber, claramente, passos lentos adentrando naquele local: homens, mulheres, jovens, idosos, uma criança. Para minha surpresa, um casal de idade avançada de mãos dadas como que namorados, entram também naquele ambiente.

Todos se dirigem ao mesmo local quando chegam e dobram seus joelhos “calejados” por meia hora diante do Senhor Jesus presente na Eucaristia, naquele simples sacrário no centro da capela: “O local do encontro de toda madrugada com O Amado”. Depois, cada um procura um dos bancos e fica em silencio com olhos vidrados em direção ao sacrário. Eu O olhava e ao mesmo tempo procurava observar a cada um, ninguém demonstrava sono ou cansaço, ninguém olhava o relógio ou dormia. Só O contemplavam, sem nenhuma palavra.

O único barulho era o cantar do galo e um cão que ladrava lá fora, pois até mesmo dois cães que estavam dentro da capela permaneciam em silêncio, assim com nós. Mesmo os grilos da noite faziam silencio para o Senhor. De repente às 5 horas da manhã uma grave voz rompe o silêncio: “Graças e louvores sejam dadas a cada momento”.

Eis que, silenciosamente, caio em prantos, enquanto todos respondem: “Ao Santíssimo e Digníssimo Sacramento”. O dono daquela grave voz posiciona a pequena mesa que O guardava em um lado da capela e dá-se início a uma Celebração da Palavra, como de costume. Apenas um momento daquela Celebração diferenciava-se das demais: após a Proclamação do Evangelho, cada pessoa partilha sua experiência “pessoal com o Senhor naquela madrugada”, e o rito prossegue normalmente.

O dono daquela voz grave, meu anfitrião, foi quem deu início a esse “Milagre Eucarístico” há cinco anos. Nesta comunidade, denominada “Caraxiol”, situada a 9 km da cidade de Salinopólis, no município de São João de Pirabas sudoeste do Pará.

O personagem acima, que iniciou esta adoração, motivado por uma experiência com Jesus presente na eucaristia começou freqüentar a capela para adorar, às 3 horas da manhã. Ele saia em silêncio, para não desperta atenção daquela pequena comunidade. Sua esposa foi a primeira a perceber sua ausência ao seu lado nas madrugas fria daquela região. Preocupada, um dia o seguiu. Para sua surpresa percebeu que ele estava indo a capela. Ainda demonstrando preocupação avisa a família do ocorrido, com a intenção de desmotivar esta prática, até então, incomum para aquela região. Porém, não teve êxito, pois nada desmotiva o “adorador da madrugada”.

A esposa, então pede a um dos filhos para acompanhá-lo durante as madrugadas, para lugar do encontro. Outro filho motivado pela curiosidade também os segue, depois a própria a esposa e os outros filhos, a partir daí também seus parentes e vizinhos os acompanham. Desde então, todas às 3 horas da madrugada, enquanto dormimos em nossos lares, a humilde comunidade do “Caraxiol” está em silencio contemplando o amado Jesus presente na Eucaristia.

Testemunho, ainda, que é impressionante o olhar e as atitudes daquelas pessoas simples naquele “pequeno território eucarzístico”. Verdadeiros exemplos de Discípulos Eucarísticos: homens, mulheres, jovens, crianças e idosos, “Eucaristizados”. Eu vi e dou testemunho. Pois naquela noite do meu novo encontro pessoal com O Amado está marcado para todo o sempre em minha pobre existência.

Onde você estiver haverá uma Capela ou Igreja com Jesus presente na Eucaristia. O Amado que vai está “lá no silêncio” sempre te esperando. Marque também o seu encontro com Ele. Como diz a canção: “… Glória a Jesus, prisioneiro do nosso amor, a esperar. Lá no Sacrário, o dia inteiro, que o vamos todos procurar…”.

Um testemunho Eucarístico
Odair Souza
Coordenador Diocesano do Ministério de Pregação – RCC
Diocese de Castanhal – Pará

Comentário neste Blog em 16/09/2010:


 

Um Milagre Eucarístico

Que ficou oculto 12 anos!


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120

Eucaristia.



TEMAS DIVERSOS SOBRE A EUCARISTIA:


“Eu Sou o Pão da Vida”

Corpus Cristhi, a Festa do Corpo de Deus é destaque neste Blog, Links para outros Post’s referentes a este mesmo tema:



Corpus Cristhi

Solenidade do Corpo de Deus.

Ao se aproximar as festividades de Corpus Christi, devemos lançar uma pergunta aos fiéis Católicos de todas as partes: Por que existe esta comemoração?


Corpus+Christi+2009[1]

Corpus Cristhi

Eu sou o Pao da Vida.

Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.     (São João 6,51) Podemos até considerar que; este foi o dia mais crítico do relacionamento entre Cristo e seus Discípulos. No momento em […]


jesus_apostolos2[1]

Jesus está Vivo na Eucaristia.

Santo Antonio e a mula do Herege . Em todos os lugares por onde passava, Santo Antônio de Pádua era o flagelo dos hereges, em virtude do maravilhoso dom que possuía de refutar suas objeções e desmascarar suas calúnias contra a Fé Católica. Encontrando-se ele certo dia em Toulouse (França) para combater os erros dos inimigos […]


Eucaristia,

O Corpo Vivo de Cristo.

Estes são 10 dos mais conhecidos Milagres Eucarísticos ocorridos no mundo. A divulgação destes fatos milagrosos é tão importante quanto o motivo pelo qual Deus os tenha realizado em cada lugar em par.

Leia Mais →


Alimento_Espiritual_Autêntico

O Alimento Espiritual.

Os meios através dos quais Deus nos alimenta e fortalece

“Não só de Pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”

Deus dispôs aos homens diversos Sacramentos e meios para nos alimentar com sua palavra e sua graça, precisamos buscar todas as oportunidades que Deus nos dá…    … Leia mais →


sede_de_Agua_viva

Aquele que vem a Mim, não terá sede.

Jesus é a água viva.

“Minha Alma tem Sede De Deus”

Mas quem lhe pede, Dá-me de beber ?   Deus tem sede?

… Leia mais →


Cinco_paes

Aquele que vem a mim não terá fome.

Eu sou o Pao da Vida.

“Jesus disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome.” ( São João 6, 35) Esta frase nos faz lembrar que Jesus multiplicou cinco pães e dois peixes para alimentar uma multidão e que todos comeram até se fartar, também nos faz lembrar que durante quarenta anos o povo […]    … Leia mais →


O Mistério

Da Igreja.

Uma jovem de apenas 2000 anos. Françoá R. F. Costa* – O Mistério da Igreja: Templos do espírito Santo: etc …  … Leia mais →


Sonho de

Dom Bosco.

O sonho profético de Dom Bosco. Uma grande Barca em alto mar, onde o Papa […] um Pilar que é a Eucaristia e outro que é a Virgem Maria  … Leia Mais →


Um Milagre Eucarístico Que ficou oculto 12 anos!

Milagre Eucarístico existe mesmo ? Ou é Invensão da Igreja Católica ? Agimos como São Tomé quando duvidamos das palavras de Jesus… …Leia Mais →


O Milagre de

Lânciano.

Milagre_Eucaristico_Lanciano.pps Mensagem em Power Point. Capela Sagrada Familia por fotos que falam. … Leia mais →


Comprovação do Milágre Eucarístico de Lanciano.

Este Milagre de Lanciano foi minuciosamente estudado pela ciência e chegaram à uma conclusão  … Leia Mais →



Adorai,

Adorai, Adorai …

“Deus é Espírito, e os seus adoradores devem adorá-lo em espírito e verdade.” … Leia Mais →

(São João 4,24).


Vamos Repartir o Pão

E a Palavra de Deus.

Frei Raniero Cantalamessa. PARTILHAR O PÃO ! No fundo, o que estamos fazendo neste momento também …Leia mais →


A Pascoa Continua.

Jesus Desapareceu!

Causou espanto e admiração a constatação de que o sepulcro estava vazio. Dois dias antes haviam depo … Leia Mais →


O mistério da Última Ceia

Homilia do Santo Papa Bento XVI na Quinta-Feira Santa, dia 9 de abril de 2009 Disponível no site Can … more →


TRADIÇÃO E “TRADICIONALISTAS”.

Dom João Wilk, Bispo da Diocese de Anápolis esclarece a seus fiéis sobre modernismo, tradição e os Radicais Tradicionalistas

…Leia Mais →


A Santa Ceia.

A Santa Ceia e o Código da Vinci. Leonardo Da Vinci pintou mesmo um retrato da Ultima Ceia de Cristo …Leia mais →


Há “coisas antigas e coisas novas” que pertencem ao mesmo tesouro da Igreja de sempre .

Termos como ‘pré-conciliar’ e ‘pós-conciliar’ me parece que pertencem a uma linguagem que já foi su …Leia Mais →


O Mistério Da Igreja.

Uma jovem de apenas 2000 anos.

Françoá R. F. Costa*

Sumário

1 – O Mistério da Igreja: sua origem, fundação e missão

2 – Povo de Deus, Corpo de Cristo, Templo do Espírito Santo

3 – Una, Santa, Católica e Apostólica

a) A Igreja de Cristo é una e única

b) A Igreja é Santa

c) A Igreja é Católica

d) A Igreja é Apostólica

4 – Os fiéis de Cristo – Leigos, Vida Consagrada, Hierarquia

a) Os leigos

b) A vida consagrada

c) O minstério na Igreja

5 – A “Communio Sanctorum”

6 – Maria, Mãe de Cristo e da Igreja 

..

Os Padres da Igreja gostavam de comparar a Igreja à lua, pois assim como a lua recebe toda a sua luz do sol, assim também a Igreja recebe toda a sua luz de Cristo1. Meditar sobre o Mistério da Igreja é também meditar sobre o que somos enquanto cristãos, somos Igreja.

O sol que ilumina a Igreja, Cristo, é também quem mantém a sua jovialidade. A Igreja não envelhece, ela passa por fases que a levam ao amadurecimento no curso da história. Contudo, a vitalidade essencial que lhe vem do Pai em Cristo pelo Espírito Santo é sempre a mesma, a de Deus enquanto participada por essa criatura sua, a Igreja, que acolhe no seu seio a nova criação, a humanidade redimida no sangue do Cordeiro que tira o pecado do mundo..

..

1 – O Mistério da Igreja: sua origem, fundação e missão.

Para perscrutar o mistério da Igreja, convém meditar primeiro sobre sua origem no desígnio da Santíssima Trindade e sobre sua realização progressiva no curso da história”2.

Podemos pensar no mistério da Igreja, isto é, considerando-a, ela mesma, como um mistério; também podemos falar da Igreja do mistério, enquanto que ela é depositária do Mistério de Cristo. A Igreja na terra é – como diz o Concílio Vaticano II3 – como um sacramento, ou seja, sinal vísivel de uma realidade invisível. A Igreja, Mistério de comunhão entre Deus e os homens, e destes entre si e com Deus, ésacramentum communionis, sacramento da comunhão: ela visibiliza o mistério de união com Deus e com os demais.

O Catecismo da Igreja Católica fala da Igreja como um projeto nascido no coração do Pai, prefigurada desde a origem do mundo, preparada na Antiga Aliança, instituída por Jesus Cristo, manifestada pelo Espírito Santo e consumada na glória4. Diz ainda: “A Igreja está na história, mas ao mesmo tempo a transcende. É unicamente “com os olhos da fé” que se pode enxergar em sua realidade visível, ao mesmo tempo, uma realidade espiritual, portadora de vida divina”5.

Ela é um mistério revelado paulatinamente até que chegasse a plenitude dos tempos (Cfr. Gal 4,4) e Jesus Cristo – que é a plenitude e o mediador da Revelação – a fundasse. Em primeiro lugar: como a Igreja é um projeto nascido no coração do Pai, e como o Pai é eterno, podemos dizer que a Igreja existe desde toda a eternidade no coração de Deus.

Como foi dito anteriormente, a Igreja é mistério de comunhão dos homens com o Pai no Filho pelo Espírito Santo. Esse elemento é central para compreender a Igreja: Comunhão. Deus chama toda a humanidade para viver em comunhão com ele, de tal maneira que podemos dizer quea Igreja é a humanidade redimida e em comunhão com a Trindade beatíssima . Deus chama à comunhão. “A palavra “Igreja” [“ekklésia”, do grego “ekkaléin” – “chamar fora”] significa “convocação”. Designa assembléia do povo, geralmente de caráter religioso. É o termo usado freqüentemente no Antigo Testamento grego para a assembléia do povo eleito diante de Deus, sobretudo para a assembléia do Sinai, onde Israel recebeu a Lei e foi constituído por Deus seu povo santo… O termo “Kyriakä”, do qual deriva “Chruch”, “Kirche”, significa “a que pertence ao Senhor”… “A Igreja” é o povo que Deus reúne no mundo inteiro. Existe nas comunidades locais e se realiza como assembléia litúrgica sobretudo eucarística. Ela vive da Palavra e do Corpo de Cristo e se torna assim, Corpo de Cristo”6.

O amor da Trindade pela humanidade fez com que a Igreja fosse prefigurada na arca de Noé, na assembléia de Israel, no templo de Jerusalém etc. Deus criou o ser humano para fazê-lo participante de sua vida divina, não existe um só ser humano que não tenha esse fim sobrenatural. E o meio através do qual esse fim sobrenatural se realiza é a Igreja. Ao mesmo tempo que a Igreja é o meio pelo qual se realiza essa comunhão com Deus, ela também é – com relação ao mundo – a finalidade de todas as coisas7.

Quando o homem e a mulher pecaram, o Senhor prometeu a salvação (Cfr. Gn 3,15). A partir daí começou o tempo de preparação da Igreja. Alguns Santos Padres falaram até daEcclesia ab Adamo, a Igreja desde os tempos de Adão, e da Ecclesia ab Abel , a Igreja desde os tempos de Abel. “A preparação longínqua do Povo de Deus começa com a vocação de Abraão, a quem Deus promete que será o pai de um grande povo. A preparação imediata tem seus inícios com a eleição de Israel como povo de Deus”8.

Quando chegou o momento Cristo instituiu a sua Igreja: “o Senhor Jesus dotou sua comunidade de uma estrutura que permanecerá até a plena consumação do Reino. Há antes de tudo a escolha dos Doze, com Pedro como seu chefe. Representando as doze tribos de Israel, eles serão a pedra de fundação da nova Jerusalém. Os Doze e os outros discípulos participam da missão de Cristo, de seu poder, mas também de sua sorte. Por meio de todos esses atos, Cristo prepara e constrói a sua Igreja.

“Mas a Igreja nasceu primeiramente do dom total de Cristo para nossa salvação, antecipado na instituição da Eucaristia e realizado na Cruz. “O começo e o crescimento da Igreja são significados pelo sangue e pela água que saíram do lado aberto de Jesus crucificado.” “Pois do lado de Cristo dormindo na Cruz é que nasceu o admirável sacramento de toda a Igreja”. Da mesma forma que Eva foi formada do lado de Adão adormecido, assim a Igreja nasceu do coração traspassado de Cristo morto na Cruz”9.

Podemos observar que o Catecismo não utiliza apenas uma passagem para explicar-nos a fundação da Igreja, como a conhecida “tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,18). É verdade que essa passagem continua mantendo toda a sua importância nesse contexto, pois trata-se de uma promessa do Senhor, já realizada, pois a Igreja foi fundada. O Catecismo da Igreja fala de “atos fundacionais de Cristo”: a reunião de discípulos, a escolha dos Doze, a primazia de Pedro no grupo dos Doze, a instituição da Eucaristia, o Mistério Pascal. Como tudo o que Deus fazad extram , ou seja, o que acontece fora da vida íntima de Deus, são ações comuns às três divinas Pessoas da Trindade, entenderemos também a função importantíssima do Espírito Santo, que é Espírito do Pai e do Filho, em Pentecostes e nos primeiros anos da Igreja nesteprocesso fundacional. O Espírito Santo pode ser chamado co-fundador da Igreja com Cristo. A Igreja é fruto da missão conjunta do Filho e do Espírito Santo, enviados pelo Pai.

A Igreja foi manifestada pelo Espírito Santo. “Terminada a obra que o Pai havia confiado ao Filho para realizar na terra, foi enviado o Espírito Santo para santificar a Igreja permanentemente”10. Esta Igreja também será consumada na glória quando Cristo volte em sua glória11. Então a Igreja estará para sempre resplandecente de santidade.

A missão da Igreja é a mesma de Cristo: a salvação da humanidade. Ela continua a missão de Jesus Cristo. “Por ser “convocação” de todos os homens para a salvação, a Igreja é, por sua própria natureza, missionária enviada por Cristo a todos os povos para fazer deles discípulos”12. O Cristo glorificado que recebeu do Pai toda autoridade, todo poder, faz com que sua Esposa participe desta mesma autoridade, deste mesmo poder: a missão de Cristo sacerdote, profeta e rei faz-se presente por participação na missão da Igreja, Povo sacerdotal, profético e régio.

..

2 – Povo de Deus, Corpo de Cristo, Templo do Espírito Santo

Outrora Deus fez para si um povo, o Povo de Israel. Ele enviou o seu Filho para salvar esse povo, o qual não aceitou – na maioria de seus membros – o Messias enviado. Então Deus formou para si umNovo Povo , a Igreja, constituído pelos que nascem pela fé e pelo Batismo; este povo tem por Chefe Jesus Cristo; como condição, a dignidade da liberdade dos filhos de Deus; como lei, o mandamento novo de amar como Cristo mesmo nos amou; como missão, ser sal da terra e luz do mundo; como meta, o Reino de Deus, do qual a mesma Igreja já é germe13. O Novo Povo de Deus é um povo sacerdotal, profético e régio, e todo e qualquer batizado participa dessas três funções de Cristo14.

A Igreja é também o Corpo de Cristo. Distingamos: o corpo físico do Senhor é aquele que ele tem agora no céu, corpo glorioso; o corpo eucarístico do Senhor é o que nós temos no Sacramento da Eucaristia, trata-se de uma presença substancial, não-física; o corpo místico do Senhor é a Igreja. É São Paulo quem usa essa bela imagem: “Com efeito, o corpo é um e, não obstante, tem muitos membros, mas todos os membros do corpo, apesar de serem muitos, formam um só corpo. Assim também acontece com Cristo. Pois fomos todos batizados num só Espírito para ser um só corpo” (1 Cor 12,12-13).

“A comparação da Igreja com o corpo projeta uma luz sobre os laços íntimos entre a Igreja e Cristo. Ela não é somente congregada em torno dele; é unificada nele, em seu Corpo”15. O “Christus totus – Cristo total” é Cristo-Cabeça e a Igreja-Corpo. Esta união maravilhosa existente entre Cristo e sua Igreja não impede a distinção que há entre os mesmos; daí a importância de outra bela imagem: a Igreja é a Esposa de Cristo:“ela é a Esposa imaculada do Cordeiro imaculado, a qual Cristo “amou, pela qual se entregou, a fim de santifica-la” (Ef 5,26). Efectivamente, a consideração da Igreja como esposa tem a vantagem de balancear a anterior, já que ao apresentar a Igreja como corpo poderia dar-se o perigo de uma divinização confusa da Igreja; a Igreja é também esposa e, como toda esposa, distinta do esposo. Desta maneira, fica claro que a Igreja écreatura Verbi, criatura do Verbo de Deus.

A Igreja é também Templo do Espírito Santo, que nela habita, vivicando-a e santificando-a; ele é o “Dominus et Vivificans – Senhor e Doador de vida”, é ele quem distribui os dons da Cabeça (Cristo) ao Corpo (Igreja). “O Espírito Santo é “o Princípio de toda ação vital e verdadeiramente salutar em cada uma das diversas partes do corpo””16. Essa ação misteriosa do Espírito Santo se percebe não só na Igreja enquanto instituição, mas também em cada cristão que se deixa conduzir docilmente por seu amor e poder. O Espírito do Pai e do Filho habita no coração dos filhos de Deus por graça e, dessa maneira, cada cristão é templo vivo da presença de Deus onde quer que se encontre.

..

3 – Una, Santa, Católica e Apostólica

a) A Igreja de Cristo é una e única.

É una por sua Fonte, a Trindade Beatíssima, um só Deus em três Pessoas; por seu Fundador, Jesus Cristo; por sua Alma, o Espírito Santo17. Alguém poderia perguntar: se a Igreja é una com uma indivisibilidade tão fundada, como explicar a diversidade que há nela? A resposta pode dar-se na mesma linha do que antes foi dito: Deus é um, mas também é trino; a Igreja é una, mas também guarda em si a diversidade. Esta variedade de povos, culturas, espiritualidade, ritos, não impedem a unidade da Igreja. Ela desprende todo o vigor de sua unidade em meio de tão rica variedade.

Em concreto, para verificar o grau de unidade que alguém tem com a Igreja de Cristo é importante fixar-se nos vínculos de unidade. Logicamente, o vínculo dito “invisível” não é verificável pois se trata da graça de Deus, que faz com que haja“a caridade, que é o vínculo da perfeição” (Cl 3,14). Além do vínculo invisível, existem os vínculos visíveis, que sim são verificáveis: a profissão de uma única fé recebida dos apóstolos, a celebração dos Sacramentos, a sucessão apostólica (através do Sacramento da Ordem, que mantém a concórdia na Família de Deus que é a Igreja). Classicamente, isso tem sido expressado assim: comunhão na Fé, nos Sacramentos e no Regime18.

Em sentido estrito, para que alguém esteja em plena comunhão com a Igreja são necessários todos os vínculos, sem excluir a graça de Deus. Não será dificil concluir, a partir da consideração anterior que nós, os que estamos em plena comunhão com a Igreja Católica mediante os vínculos externos ou visíveis, podemos não estar em plena comunhão se consideramos o estado de graça. É doutrina católica que não é possível saber com certeza de fé se estamos ou não na graça de Deus. Consequência: nunca presumir! É verdade que sempre podemos, supostos os meios sobrenaturais adequados, confiar que estamos em graça; no entanto, sempre com o santo temor de Deus e a consciência de que quem nos salva é o Serhor. Somos a comunidade dos salvados em busca da salvação!

Talvez alguém se assustaria com a afirmação tão clara que os filhos da Igreja ousam dizer nos tempos atuais: a Igreja de Cristo é a Igreja Católica. Contudo, isso é verdade: a Igreja que Jesus Cristo quis e fundou é a Igreja Católica, a única Igreja de Cristo, entregue a Pedro e aos demais Apóstolos. “Esta Igreja, constituída e organizada neste mundo como uma sociedade, subsiste na (“subsistit in”) Igreja Católica governada pelo sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele”19.

O que fazer então com o ecumenismo? Será o que antes se afirmou não desmorona essa tentativa de unidade? Não. O ecumenismo não pode ser confundido com o “falso irenismo”, com meias verdades, com maneiras suaves fundadas na ignorância. Com o movimento ecumênico, a Igreja tem procurado fazer realidade o desejo de Cristo de que todos sejam um (Cfr. Jo 17,21), e fá-lo na verdade e na caridade. Apesar de ser um trabalho difícil, o ecumenismo precisa ir adiante. O primeiro gesto ecumênico a ser feito, porém, é o da oração; precisamos rezar muitas vezes a oração que Cristo rezou:“que todos sejam um” . No Concilio Vaticano II, “por «movimento ecuménico» entendem-se as actividades e iniciativas, que são suscitadas e ordenadas, segundo as várias necessidades da Igreja e oportunidades dos tempos, no sentido de favorecer a unidade dos cristãos. Tais são: primeiro, todos os esforços para eliminar palavras, juízos e ações que, segundo a equidade e a verdade, não correspondem à condição dos irmãos separados e, por isso, tornam mais difíceis as relações com eles; depois, o «diálogo» estabelecido entre peritos competentes, em reuniões de cristãos das diversas Igrejas em Comunidades, organizadas em espírito religioso, em que cada qual explica mais profundamente a doutrina da sua Comunhão e apresenta com clareza as suas características. Com este diálogo, todos adquirem um conhecimento mais verdadeiro e um apreço mais justo da doutrina e da vida de cada Comunhão. Então estas Comunhões conseguem também uma mais ampla colaboração em certas obrigações que a consciência cristã exige em vista do bem comum. E onde for possível, reúnem-se em oração unânime. Enfim, todos examinam a sua fidelidade à vontade de Cristo acerca da Igreja e, na medida da necessidade, levam vigorosamente por diante o trabalho de renovação e de reforma”20. Uma observação que vale a pena fazer neste momento é que a conversão das pessoas à uma determinada Igreja ou Comunidade Eclesial não vai em contra do ecumenismo. Caso um irmão de uma confissão evangélica queira alcançar a plena comunhão com a Igreja Católica será sempre bem recebido e nós, os católicos, devemos alegrar-nos imensamente de que essa pessoa alcance a plenitude dos meios para a sua salvação.

Para que fique mais claro: uma pessoa chega a pertencer a Igreja de Cristo pelo batismo. Qualquer batizado pertence à Igreja de Cristo, que subsiste na Igreja Católica. Isso quer dizer, a efeitos práticos, que um cristão de uma comunidade eclesial evangélica pertence à Igreja de Cristo, mas não pertence a ela totalmente; de fato, quanto esse cristão vem à Igreja Católica fala-se que ele alcançou aplena comunhão com a Igreja. Com outras palavras, antes de ser católico ele pertencia à Igreja de Cristo, mas só parcialmente; depois de vir à Igreja Católica ele alcançou a comunhão plena com essa Igreja.

b) A Igreja é Santa

Esse é um artigo do Credo que talvez, inclusive para muitos cristãos, resulte um pouco difícil de aceitar. O problema é que ao ver a vida de alguns discípulos de Cristo, inclusive de membros da hierarquia, muitas pessoas se assustam. No entanto, é preciso dizer, não deveriam assustar-se: a Igreja está composta de seres humanos, e como tais, falíveis. Quando uma pessoa olha para si mesmo e vê a capacidade que tem para cometer os piores pecados já cometidas por outros, não se assustará mais; ao contrário, pedirá a misericórdia de Deus e para si, para seus irmãos e para toda a humanidade. O artigo da fé continúa de pé, a Igreja é santa, “é aos olhos de Deus, indefectivelmente santa. Pois Cristo, Filho de Deus, que com o Pai e o Espírito Santo é proclamado o ‘único Santo’, amou a Igreja como sua Esposa. Por ela se entregou a fim de santificá-la. Uniu-a a si como seu corpo e cumulou-a com o dom Espírito Santo, para a glória de Deus.” A Igreja é, portanto, “o Povo santo de Deus”, e seus membros são chamados “santos””21. Como explica-se, por tanto, a existência de membros pecadores dentro da Igreja? É preciso distinguir a Igreja enquanto Corpo de Cristo, intimamente unida ao seu Senhor, totalmente santa, e os membros desse Corpo, santos e pecadores. Essa distinção, porém, oferece uma dificuldade clara: já que o corpo está formado pelos membros do mesmo, como pode acontecer que esse corpo seja santo e os membros desse corpo sejam pecadores? Assim explica J.-H. Nicolas: “A Igreja é santa porque ela é o Corpo de Cristo, o meio de sua presença no mundo e na história depois da Ascensão. Essa santidade é total porque não depende da santidade dos seus membros, mas da santidade de Cristo, que Ele torna presente. Mas, nós não podemos dizer que Ele faça uma abstração total da santidade dos seus membros (…)

“A santidade objetiva da Igreja pode crescer? Parece que de duas maneiras: quantitativamente, à medida que a Igreja se espalha pelo mundo; qualitativamente, segundo a esplendor e a força do seu testemunho. Desde este ponto vista existe sem dúvidas fases de progresso e de regresso, de acordo com as épocas e com os lugares. Cada vez que um membro da Igreja peca, na medida que ele peca, ele se separa da Igreja ao mesmo tempo que de Cristo. Existem graus nesta separação (…). Mas se tal pessoa é membro da Igreja, não o é em razão de seus pecados, nem mesmo com seus pecados, mais apesar dos seus pecados22. Uma observação ao que foi transcrito é que como o batismo imprime um selo indelével, o pecador nunca se separa totalmente da Igreja.

A maneira explicada acima poderia dar a impressão de que tudo ficou resolvido. Para balancear melhor apresentamos também a visão de outro grande teólogo de nossos dias, o então Cardeal Ioseph Ratzinger em seu livro “Introdução ao Cristianismo”. Primeiramente, o autor faz notar a irritação que sentimos, cristãos e não-cristãos, quando afirmamos que a Igreja é Santa. Isto é assim porque vemos tantas miserias humanas no seio da Igreja que alguém já teve coragem de dizer: “Isso já não é uma noiva, é antes um monstro terrivelmente deformado e feroz”. Dante Aligieri “viu sentada no carro da Igreja a meretriz da Babilônia”23. Em tudo isso, vemos sempre o sonho de uma perfeição imaculada dentro da distinção preto ou branco. Acontece, no entanto, que esta perfeição sine macula, sem mancha, só se dará na Nova Terra e nos Novos Céus. Não! Creio na Santa Igreja Católica não se refere em primeiro lugar à santidade dos seus membros, mas “consiste naquele poder de santificação que Deus exerce nela apesar da pecaminosidade humana. (…) O próprio Deus prendeu-se aos homens, ele deixou prender por eles. A Nova Aliança (…) é graça concedida por Deus, e esta não recua diante da infidelidade do ser humano. (…) Como a liberalidade do Senhor nunca foi revogada, a Igreja continua sendo sempre aquela que é santificada por ele e na qual a santidade doSenhor que se torna presente e que escolhe como recipiente de sua presença, num amor paradoxal, também e justamente as mãos sujas dos homens. É santidade que brilha como santidade de Cristo em meio ao pecado da Igreja”24.

Jesus Cristo, em seu caminar terreno, se relaciona com os pecadores: não os condena, os aceita em sua companhia, come com eles; “essa mistura indiscriminada chegou a ponto de ele mesmo ser transformado “em pecado” (…). Não é a Igreja simplesmente a continuação dessa atitude de Deus que se mistura com a miserabilidade humana?”25. Outro ponto interessante nesta questão é observar que a santidade da Igreja “não está em primerio lugar nos órgãos que a organizam, reformam, governam, e sim naqueles que simplesmente crêem e que recebem nela o dom da fé que se torna a sua vida”26. Ratzinger manifesta uma primazia do dom de Deus sobre a correspondência humana: a Igreja é Santa porque manifesta a santidade de Jesus Cristo nos dons administrados, que é vida de seus fiéis. Assim como acommunio sanctorum , a comunhão dos santos, se refere em primeiro lugar às coisas santas, a fé e aos sacramentos da fé, assim também a santidade da Igreja se refere em primeiro lugar à santidade de Jesus Cristo presente na Igreja através de seus dons, não é à toa que a Igreja é chamada justamentecommunio . Neste sentido fica claro que Ratzinger não tem nenhum problema em dizer que a Igreja é Santa  e ao mesmo tempo falar dessa santidade “em meio ao pecado da Igreja”27, de “santidade imperfeita da Igreja”28. Chega até mesmo a afirmar que o Concilio Vaticano II falou da Igreja Santa e pecadora, mas timidamente29.

As duas visões teológicas sobre a santidade da Igreja ajuda-nos a ter uma visão bastante equilibrada sobre esta questão. Não é possível andar por aí dizendo que a Igreja é pecadora. Isso é um disparate! A Igreja é Santa, é assim que rezamos no Credo. À hora de explicar as coisas tampouco vale omitir as dificuldades do problema: há pecadores no seio da Igreja que é Santa. Eis aqui duas verdades “aparentemente” contraditórias que precisam ser conjugadas. Quando se entende cada vez mais esta questão, será mais fácil também comprender que a Igreja pode ser sempre reformada, renovada e, de fato, o Espírito Santo faz isso constantemente em seu Templo Santo.

c) A Igreja é Católica

A nossa reflexão sobre a catolicidade da Igreja também terá como motor o texto do Catecismo: “a palavra “católico” significa “universal”… A Igreja é católica em duplo sentido. Ela é católica porque nela Cristo está presente. “Onde está Cristo Jesus está a Igreja Católica.” Nela subsiste a plenitude do Corpo de Cristo unido à sua Cabeça, o que implica que ela recebe “a plenitude dos meios de salvação” que ele quis: confissão de fé correta e completa, vida sacramental integral e ministério ordenado na sucessão apostólica. Neste sentido fundamental, a Igreja era católica no dia de Pentecostes e o será sempre, até o dia da Parusia. Ela é católica porque é enviada em missão por Cristo à universalidade do gênero humano”30.

Como a Igreja Universal, Católica, é enviada à universalidade humana, é preciso concluir que Deus chama a todos os seres humanos a pertencer ao seu novo Povo31. A Igreja é instrumento universal de salvação e, consequentemente, continua válida aquela verdade: extra Ecclesiam nulla salus – fora da Igreja não há salvação, já que toda salvação vem de Cristo, e Cristo sempre leva consigo a sua Igreja, que é o seu Corpo. Será que a Cabeça anda por aí separada do Corpo? Cabeça fora do corpo ou corpo fora do corpo significa morte. De fato, o Concílio Vaticano II afirmou: “não podem salvar-se aqueles que, sabendo que a Igreja católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, apesar disso não quiserem nela entrar ou nela perseverar”32; afirmou também: “Aqueles, portanto, que sem culpa ignoram o Evangelho de Cristo e sua Igreja, mas buscam a Deus com coração sincero e tentam, sob influxo da graça, cumprir por obras a sua vontade conhecida por meio do ditame da consciência podem conseguir a salvação eterna”33. Essa salvação, no entanto, se dá por Cristo e na Igreja, porém de uma maneira misteriosa no âmbito do que podemos chamar “caminhos extraordinários da graça”. Com tudo isso, fica sempre firme o dever o direito da Igreja de levar a Boa Nova a todos os homens34.

Uma consequencia espiritual para o cristão de pertencer à Igreja Católica será a de procurar ser cada vez mais “universal”. O católico precisa ter o coração grande, não pode olhar só para a sua vida, sua paróquia, sua diocese. Precisa pensar em todos os cristãos e enviar ajuda espiritual a todos os irmãos no mundo inteiro. Essa dimensão tão essencial do catolicismo poderia ser vivida, por exemplo, pensando no Papa e suas intenções e unindo-se a elas frequentemente. Desde Roma a todo o mundo e desde cada Igreja Local, unida à Igreja Capital, Roma, a todos os cristãos no mundo inteiro. Nessa dimensão universal não podemos esquecer-nos tampouco dos irmãos que terminam a sua purificação na Igreja padecente nem dos irmãos que são-nos de grande ajuda na Igreja celestial, à qual tendemos.

d) A Igreja é Apostólica.

O Catecismo diz que a Igreja é apostólica “por ser fundada sobre os apóstolos, e isto em um tríplice sentido:
– ela foi e continua sendo construída sobre o “fundamento dos apóstolos” (Ef 2,20), testemunhas escolhidas e enviadas em missão pelo próprio Cristo;
– ela conserva e transmite, com a ajuda do Espírito que ela habita, o ensinamento, o depósito precioso, as salutares palavras ouvidas da boca dos apóstolos;
– ela continua a ser ensinada, santificada e dirigida pelos apóstolos até a volta de Cristo, graças aos que a eles sucedem na missão pastoral: o colégio dos bispos, “assistido pelos presbíteros, em união com o sucessor de Pedro, pastor supremo da Igreja”35.

É importante entender também que Colégio Episcopal cuja cabeça é o Papa é a sucessão do Colégio Apostólico cuja cabeça é Pedro. Um bispo entra no Colégio Episcopal no momento da sua ordenação episcopal, ou seja, um bispo em concreto não é um sucessor de um apóstolo em concreto, mas é sucessor dos apóstolos, a sucessão é de colégio a colégio, não individual. Apenas o Papa sucede individualmente a um apóstolo, Pedro.

Quando dizemos que a Igreja é Romana queremos expressar uma faceta do que chamamos apostolicidade e universalidade. Efetivamente, o apóstolo Pedro, posto à frente do grupo dos Doze Apóstolos, foi martirizado em Roma. Por desígnio de Deus, Roma estaría para sempre ligada a Pedro e aos seus sucesores. A missão de Pedro na Igreja – missão de unidade na catolicidade– deveria continuar; sendo assim, todos os que se sentariam na Cátedra de Pedro seriam seus sucessores postos à frente dos bispos e de todos os fiéis.

..

4 – Os fiéis de Cristo

Leigos, Vida Consagrada, Hierarquia.

Uma pessoa torna-se fiel de Cristo ao ser batizada. Este Sacramento é a porta, por ele se entra na Igreja de Cristo: “Entre todos os fiéis de Cristo, por sua regeneração em Cristo, vigora, no que se refere à dignidade e à atividade, uma verdadeira igualdade, pela qual todos, segundo a condição e os múnus próprios de cada um, cooperam na construção do Corpo de Cristo”36.

Essa vocação comum de fiel não existe, no entanto, em estado puro. A ação do Espírito Santo a configura de tal manera que o cristão será sempre um fiel leigo ou um fiel da vida consagrada ou um fiel ministro sagrado.

a) Os leigos

Os leigos são aqueles aos quais é específico “por sua própria vocação, procurar o Reino de Deus exercendo funções temporais e ordenando-as segundo Deus… A eles, portanto, cabe de maneira especial iluminar e ordenar de tal modo todas as coisas temporais, às quais estão intimamente unidos, que elas continuamente se façam e cresçam segundo Cristo e contribuam para o louvor do Criador e Redentor”37. Podemos observar que o Concilio Vaticano II entende a vocação do fiel leigo no marco da vocação universal à santidade, comum a todo membro da Igreja, e situa o apostolado laical no meio das atividades temporais que realiza. “Uma vez que, como todos os fiéis, os leigos são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação, eles têm obrigação e gozam do direito, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra”38. A Igreja não considera o trabalho evangelizador do leigo como uma espécie de “prolongação da mão” da hierarquia eclesiástica. O leigo pode e deve fazer apostolado porque recebeu essa missão de Cristo na Igreja no momento do seu batismo; ele não precisa pedir permissão ao bispo ou ao presbítero para evangelizar, fá-lo-á pelo simples e sublime fato de estar configurado com Cristo, Sacerdote, Profeta e Rei, e, em consequência, em virtude do sacerdócio comum, ou existencial, do qual é portador. O que foi dito até o momento nem vai em deterioro da obediência que todos os fiéis devem aos seus Pastores, nem impede que em várias ocasiões o apostolado dos leigos seja organizado pelas estruturas da Igreja.

O fiel leigo realiza o seu apostolado em primeiro lugar na família, no trabalho e em qualquer outra tarefa temporal que exerça. Num segundo momento, poderá também ajudar nas atividades paroquiais. Talvez isso poderia ser ainda hoje novedoso. E não deveria sê-lo! Talvez é exatamente por causa de uma mal interpretação da função do leigo na Igreja e no mundo que tenhamos tão poucos leigos coerentes entre seus iguais fermentando todos os ambiente com a luz e a caridade de Cristo. Se os leigos fossem mais conscientes da sua missão, o Brasil não teria, por exemplo, algumas leis injustas que atualmente suplantam a moral, não só a cristã, mas inclusive os principios mais básicos da estrutura humana. De fato, a moral cristão não vai contra o ser humano, mas o plenifica como ser humano.

A santidade, na mente do Concilio Vaticano II, não é privilégio de um estado de vida na Igreja, todos estão chamados à santidade. Todos os batizados estão obrigados a buscar a santidade de vida no próprio estado, seja solteiro, casado, celibatário, sacerdote, leigo ou religioso. É importante lembrar-nos que a santidade, que em primeiro lugar é obra da graça de Deus, cada santo é uma obra de Deus; é também fruto do esforço pessoal que se concreta na vida de oração –  sacramental, pessoal e penitencial (oração dos sentidos) – e na prática das boas obras. Santo é aquele que ama a Deus e, por amor a Deus, ama a todos sem distinção.

b) A vida consagrada

Ainda que a expressão vida consagrada não especifique muito o que é a vida religiosa, dado que todo fiel é consagrado a Cristo, utilizá-la-emos aqui como sinônimo devida religiosa e de vida daqueles que professam os conselhos evangélicos de maneira semelhante à dos religiosos, se trata da vida daqueles fiéis que professam publicamente os chamados conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência. O Catecismo depois de esclarecer que tais conselhos são propostos a todo seguidor do Senhor, diz que “a perfeição da caridade à qual todos os fiéis são chamados comporta para os que assumem livremente o chamado à vida consagrada a obrigação de praticar a castidade no celibato pelo Reino, a pobreza e a obediência. É a profissão desses conselhos em um estado de vida estável reconhecido pela Igreja que caracteriza a “vida consagrada” a Deus”39.

A pobreza, a castidade e a obediência podem e devem ser vividas por qualquer cristão como virtudes; a diferença do religioso é que eles, além de vivê-las como virtudes, as vivem como votos. A diferença entre um religioso e um leigo, por exemplo, não é que o religioso deva ser mais santo que o leigo; a vocação à santidade é para todos conforme o ensino da Igreja. Para compreender melhor as vocações na Igreja é preciso que penetremos cada vez mais nas isondáveis riquezas do mistério de Cristo e de sua Igreja. O Corpo Místico de Cristo, a Igreja, é Virgem e Esposa, está na terra e está no céu, é humana e ao mesmo tempo está na esfera sobrenatural… Parece contraditório? Não é que seja contraditório, simplesmente há tanta luz que não consiguimos ver bem. Cada vocação na Igreja destaca um aspecto do mistério de Cristo e de sua Igreja. O religioso, por exemplo, mostra na maneira de viver as suas relações com o mundo o carácter escatológico da Igreja, recorda aos demais fiéis que esse mundo passa e que precisamos, todos nós, ter o coração nas coisas do alto vivendo ao mesmo tempo e plenamente entre os nosso iguais.

c) O minstério na Igreja

Os sacramentos da Iniciação Cristã – Batismo, Confirmação, Eucaristia – permitem que o ser huamno llegue a participar do Mistério de Cristo e da Igreja. O sacramento da Ordem faz com que alguns membros do Povo de Deus sejam constituídos ministros de seus irmãos, servidores do sacerdócio comum. Desta maneira, dá-se nesse Povo de Deus um primeiro binômio de carácter sacramental: fiéis y ministros, que, configurado pela doação carismática do Espírito Santo – em conjunto com a ação de Cristo –, dá lugar às chamadas “posições eclesiológicas históricas” na Igreja: leigo, ministro, religioso.

Os ministros da Ordem Sagrada – bispos, presbíteros, diáconos – constituem a assim chamada hierarquia da Igreja: “para apascentar e aumentar continuamente o Povo de Deus, [Cristo] instituiu na Igreja diversos ministérios, para bem de todo o corpo. Com efeito, os ministros que têm o poder sagrado servem os seus irmãos para que todos os que pertencem ao Povo de Deus, e por isso possuem a verdadeira dignidade cristã, alcancem a salvação”40.

Os Bispos são os sucessores dos apóstolos; o Papa, que também é um Bispo – o Bispo de Roma – é sucessor do apóstolo Pedro, apenas ele sucede individualmente a um apóstolo, já que a sucessão que se dá nos demais bispos é colegial. Todos os bispos têm o múnus de ensinar, santificar e reger a Igreja de Deus, em comunhão com o Bispo de Roma, que tem a primazia, como S. Pedro também a tem entre os apóstolos. Cada bispo tem toda a potestade sagrada sacramentalmente, isto é, não a recebe por delegação do Papa; claro está que no exercício dessasacra potestas, poder sagrado, é preciso estar em comunhão com a cabeça do Colégio Episcopal, o Romano Pontífice.

Os Presbíteros são os cooperadores dos Bispos. Recebem também o múnus de ensinar, santificar e reger o Povo de Deus, em comunhão com o Bispo. Em todo sacerdote está garantizado que nas ações sacramentais quem atua é Cristo; o sacerdote agein Persona Christi Capitis, dessa maneira os fiéis sempre recebem os dons de Cristo através da Igreja, ainda que o sacerdote seja um ministro indigno. Não há dúvida que o sacerdote, como recentemente recordava o Papa Bento XVI no seu discurso aos participantes da Reunião Plenária da Congregação para o Clero (16/03/2009), deve tender à perfeição, à santidade de vida. Os ministros da Ordem Sagrada, penso especialmente nos sacerdotes seculares (diocesanos), não fazem votos de pobreza, obediência e castidade, não são religiosos no sentido anteriormente explicado. Tudo isso, como é lógico, não deve levar à conclusão errônea de que eles não vivam essas realidades como virtudes. Todo cristão deve ser pobre, obediente, casto, humilde, misericordioso, afável etc. Em consequência, o sacerdote também e, além do mais, por um novo título, o da sua ordenação, que o põe à frente do povo de Deus representando o mesmo Cristo. O sacerdote deve estar adornado de todas as virtudes cristãs, de todas as virtudes do Coração sacerdotal de Cristo.

Os diáconos são aqueles que servem o Povo de Deus na “diaconia” (no serviço) da liturgia, da palavra e da caridade, em comunhão com o Bispo e seu presbitério41. Atualmente a Igreja vive uma dupla modalidade do único diaconato: diaconato transitorio e diaconato permenente. Ainda que essa terminologia deixe a desejar, o que se quer expressar com ela é que alguns homens são ordenados diáconos com vistas ao presbiterado (diaconato transitório), outros o são de maneira estável (diáconos permanentes). Estes últimos podem ser escolhidos entre homens casados e ao receber o diaconato de modo permanente não pretendem ser sacerdotes, o que desejam é realizar um serviço ao Povo de Deus tendo recebido o sacramento da ordem no grau do diaconado.

Santo Inácio de Antioquia tem uma frase lapidada sobre a hierarquia eclesiástica: “segui todos o Bispo, como Jesus Cristo [segue] o Pai, e o presbitério como aos apóstolos; quanto aos diáconos, respeitai-os como a lei de Deus. Que ninguém faça sem o Bispo nada que diz respeito à Igreja”42.

..

5 – A “Communio Sanctorum”

“A comunhão dos Santos é precisamente a Igreja”43. Essa comunhão se dá nos bens espirituais: na fé, nos sacramentos, nos carismas, na caridade etc; também se dá entre a Igreja do céu e a da terra, que se manifesta especialmente com a intercessão dos santos e na comunhão com os mesmos. Encontramo-nos na “única família de Deus. “Todos os que somos filhos de Deus e constituímos uma única família em Cristo, enquanto nos comunicamos uns com os outros em mútua caridade e num mesmo louvor à Santíssima Trindade, realizamos a vocação própria da Igreja”44.

A comunhão que se dá entre as tres Pessoas da Santíssima Trindade e os santos no céu se deixa ver como em um espelho aqui nesta terra. Um dia, quando a Igreja seja toda ela gloriosa, existirá apenas a comunhão em sua realização máxima, a Igrejain Patria. No entanto, já agora podemos viver essa comunhão dos santos. Não nos esqueçamos que os santos no céu intercedem por nós, que o louvor que eles tributam ao Deus uno e trino na glória celeste é participado aqui na terra na liturgia da Igreja; além do mais, cada cristão pode ajudar os demais irmãos com a sua oração, sacrificio e caridade. Tudo isso é viver a comunhão dos santos.

..

6 – Maria, Mãe de Cristo e da Igreja

Maria Santíssima é Mãe de Cristo, portanto Mãe de Deus e Mãe da Igreja, já que esta é o Corpo de Cristo. Ela é Mãe da Cabeça e dos membros. “Por sua adesão total à vontade do Pai, à obra redentora de seu Filho, a cada moção do Espírito Santo, a Virgem Maria é para a Igreja o modelo da fé e da caridade. Com isso, ela é “membro supereminente e absolutamente único da Igreja”, sendo até a “realização exemplar (typus)” da Igreja. Mas seu papel em relação à Igreja e a toda a humanidade vai ainda mais longe. “De modo inteiramente singular, pela obediência, fé, esperança e ardente caridade, ela cooperou na obra do Salvador para a restauração da vida sobrenatural das almas. Por este motivo ela se tornou para nós mãe na ordem da graça””45.

Nós, os filhos de Deus por graça, nunca podemos ter medo de venerar a Mãe de Jesus. Não se trata de um ato de idolatria! Nada mais contrário à piedade cristã! Os cristãos de todos os tempos louvaram a Santa Maria sabendo que estavam realizando aquelas palavras que o Espírito Santo colocou nos lábios dela:“Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” (Lc 1,48). É preciso que confiemos também na força ecumênica da devoção a Nossa Senhora. Ela é Mãe, e como toda boa mãe está muito interessada na reunião de todos os seus filhos na Casa pensada por Deus para todos que é a Igreja Católica.

..

Pe. Françoá Rodrigues Figueiredo Costa,
sacerdote do clero secular
da Diocese de Anápolis,
01/05/2009

Outros Textos de Padre Françoá:

Blogs sobre: Pe Francoa Costa

Blog em Destaque

O Mistério Da Igreja.

presentepravoce wrote 10 minutes ago: Uma jovem de apenas 2000 anos. Françoá R. F. Costa* Sumário 1 – O Mistério da Igreja: sua origem … more →

Tags: 5584, A Respeito do Bispo da Diocese de Anápolis., Concilio Vaticano II, Diocese de Anápolis, Fidelidade à Liturgia de Sempre?, Fora da Igreja não há Salvação, Corpo de Cristo, Igreja Católica, Leigos

Igreja Católica.

Adorai, Adorai, Adorai …




“Deus é Espírito, e os seus adoradores devem adorá-lo em espírito e verdade.”

(São João 4,24).



Capela Sagrada Familia por fotosquefalam.



Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja.

(São João 4,23)



Jesus Eucaristico por Natalino Ueda.



“Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que és profeta!… – Nossos pais adoraram neste monte, mas vós dizeis que é em Jerusalém que se deve adorar. – Jesus respondeu: Mulher, acredita-me, vem a hora em que não adorareis o Pai, nem neste monte nem em Jerusalém.” (São João 4)



Adoração por fotosquefalam.

Flickr – Galeria de fotosquefalam


Nas palavras da mulher Samaritana, percebe-se um desconhecimento a respeito do verdadeiro ato de adoração, tanto é que, Jesus demonstra que numa verdadeira adoração a hora “Um Tempo” ou o local “Neste Monte” são o que menos importam, se bem que existia uma Lei para os Judeus que pelo menos uma vez ao ano deveriam se dirigir a Jerusalém para prestar culto e Adorar o Senhor no “Templo de Salomão” lugar onde Ele Habitava, sendo que naquela época, Deus resumiu a sua presença à uma arca e um lugar Santíssimo, local este onde somente o Sumo sacerdote poderia entrar, entregando ao Senhor um sacrifício perfeito pelo perdão dos pecados cometidos por todo aquele povo.

Os Judeus visitavam o templo em Jerusalém várias vezes por ano, mas na época da Páscoa segundo relatos históricos a cidade e entorno dela abrigavam um público aproximadamente de um milhão de pessoas, que cumpriam os preceitos da lei Judaica adorando a Deus em sua casa.

A Samaritana estava correta em sua afirmação, porém este acumulo de pessoas em Jerusalém naquele mesmo dia, não significava que realmente estavam prestando um culto de adoração agradável a Deus, o maior exemplo desta verdade foi aquele momento em que Jesus expulsou os vendilhões do Templo porque se preocupavam unicamente com o comércio e não com a adoração ao Senhor, fatos semelhantes a este acontecem em todos os locais de grande peregrinação, como Aparecida e Fátima, 80 % do comércio em Aparecida gira em torno dos visitantes e turistas que passam pela cidade e compram lembranças para levar para casa.

Por outro lado, Jesus já declarava que seria aberto um novo caminho, uma nova maneira de encontrar a Deus, não apenas para os Judeus, como também para todos os povos da Terra.

Mudança que ocorreu ao finalizar o seu sacrifício na Cruz, naquele instante em que Jesus entregou seu Espírito ao Pai, o véu que separava o lugar santíssimo no templo do lugar onde o povo permanecia, se rasgou de alto a baixo, sendo que Deus ficou exposto para quem quisesse ver, assim como Ele sempre desejou estar. Isto equivaleria ao encontro com Moisés no Monte Horebe ou na Tenda do testemunho quando vagavam pelo deserto ou ainda quando Deus falou com Adão no paraíso logo após o primeiro pecado, quando o homem se escondeu do Pai entre as árvores do jardim, agora porém, por iniciativa do próprio Deus este caminho foi reaberto e o Pai mais uma vez se apresenta ao homem onde quer que ele esteja.

Jesus afirma com estas palavras que o Pai não estará mais se limitando em um certo lugar ou em um certo momento e que podemos encontrá-lo e adorá-lo sempre que nosso coração estiver disposto a isto, é assim que São Paulo nos ensina dizendo que somos o templo onde Deus habita se referindo às palavras de Jesus que dizem: O Espírito Santo virá para estar eternamente conosco e que estaria em nossos corações.   Encontrar Deus, Estar com Ele e adorá-lo não significa se afastar da comunidade, abandonar a Igreja e os Sacramentos porque é justamente através dos Sacramentos recebidos na Igreja que alimentamos nossa fé e podemos também conviver com a comunidade que é o corpo de Cristo.


Adoração por fotosquefalam.

Flickr – Galeria de fotosquefalam


Mas afinal de contas o que vem a ser esta Adoração ?

Adorar é prestar culto ao ser superior, neste caso “Amarás, somente ao Senhor seu Deus de todo o seu coração, com todas as tuas Forças e com todo o seu entendimento…” (São Lucas 10,27)

O Primeiro mandamento da lei de Deus é o melhor exemplo, mostrando que todo nosso culto de louvor e adoração deverá ser direcionado ao nosso único Deus e Criador, de uma forma exclusiva e incondicional.

A Samaritana não sabia quem era Jesus, não o conhecia, nem sabia nada a seu respeito, muito menos conhecia seu Pai que é o Deus que criou todas as coisas, como poderia saber a forma correta de adorá-lo?   Na verdade ela fazia parte de um povo não Judeu que foi introduzido naquela terra e lá entraram em contato com a prática de adoração de nosso Deus que era naqueles dias Deus apenas do povo Judeu, porém não o conheciam e nem mesmo o amavam, por isso ela questionava o motivo pelo qual deveria se dirigir a Jerusalém para adorá-lo.

O primeiro passo para se adorar a Deus, seria conhecê-lo, porque “não se ama aquele que não se conhece”, se não existir amor não existirá uma perfeita adoração.

São Paulo passando por Atenas, se deparou com um altar dedicado ao “DEUS DESCONHECIDO”, muito se admirou que aqueles homens adorassem até mesmo um deus sem face e inexistente, que na verdade não passava de um pedaço de pedra.     Pois bem, aproveitando que adoravam até mesmo um deus desconhecido, Paulo apresentou-lhes o Deus que seria Deus de todos os outros, “O Deus dos Deuses e Senhor dos Senhores”, aquele que criou o céu e a Terra e que reina soberanamente sobre todas as coisas.

Este seria o nosso Deus, digno de todo louvor e toda adoração, mas que por falta de conhecimento, acabamos o desprezando e muitas vezes dedicando o nosso amor a um outro deus ou a um ídolo que não é Deus e não passa de um objeto criado pelo próprio homem.  Hoje em nosso mundo são as coisas e o dinheiro que acabam recebendo o amor integral do coração dos homens que não conhecem a Deus, isto é claro seria uma idolatria e abominável aos olhos de Deus.

Por isso, falar da verdadeira adoração hoje é tão importante, porque os homens se afastaram de Deus e não mais reconhecem a sua voz, despertar o coração dos homens para sentirem a presença de Jesus na Eucaristia a ponto de verem ali aquilo que realmente É, “JESUS VIVO E PRESENTE NO MEIO DE NÓS”, este Jesus é aquele mesmo que caminhava no meio do seu povo curando e transformando os corações, aquele Jesus que bastaria tocar em suas vestes para  que um fluxo permanente de sangue se estancasse imediatamente, trazendo uma cura almejada por anos a fio e não alcançada.

Diz os evangelhos que uma multidão seguia Jesus por onde quer que Ele fosse, buscavam muitas coisas, mas principalmente buscavam aquele amor que jorrava continuamente de seu Coração, este é o mesmo Jesus que ressuscitou e que está no sacrário e no Ostensório de braços abertos para nos acolher, pronto para curar e transformar os corações como sempre fez, mas a maioria das pessoas olham e nada vêem além de um objeto de ouro em cima do altar, enquanto que outros testemunham experimentar visões maravilhosas, como o testemunho de um Pastor evangélico que ao visitar uma Igreja Católica se deparou com uma bola de fogo em cima de um Cálice, na verdade um Cálice na aparência, mas onde estava o sangue de Jesus que foi doado a cada um de nós.

Quando o conhecemos e reconhecemos que realmente Ele está vivo e presente no meio de nós através da Eucaristia, então começamos a experimentar este poder em nossas vidas que enche o nosso coração com aquele AMOR intenso para que possamos Adorar a Deus em Espírito e Verdade, como Ele é digno de ser Adorado.

Um Deus Desconhecido para muita gente mas um Deus poderoso que realiza milagres na vida de todos aqueles que acreditam em seu nome.


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/10/990195.jpg

Ruinas Templo de baal na Siria.


O episódio no templo pagão…

(I Samuel, 5 e 6)


Os filisteus apoderaram-se, pois, da arca de Deus e levaram-na de Eben-Ezer para Azot.  Tomaram a arca de Deus e meteram-na no templo de Dagon, colocando-a junto do ídolo. No dia seguinte, levantando-se pela manhã, os habitantes de Azot viram Dagon estendido com o rosto por terra diante da arca do Senhor. Levantaram o ídolo e repuseram-no no seu lugar. Na manhã seguinte, ao se levantarem, encontraram (de novo) Dagon estendido com o rosto por terra diante da arca do Senhor; a cabeça do deus e suas duas mãos estavam desprendidas e jaziam perto do limiar. Dele só restou o tronco. A mão do Senhor pesava sobre os habitantes de Azot; ele os devastou e os feriu de hemorroidas na cidade e no seu território. […]

[…] 6,1 – Esteve a arca do Senhor na terra dos filisteus sete meses.

Estes convocaram os seus sacerdotes e adivinhos e perguntaram-lhes:

Que faremos da arca do Senhor ?

Dizei-nos como havemos de a devolver ao seu lugar ?


14+Dagon+no+templo[1]


Deus demonstrou seu poder no meio de seus inimigos e bastou sua presença para causar um transtorno terrível aos habitantes daquela cidade, o interessante foi como Ele mostrou que nenhum deus feito de pedra poderia realizar qualquer coisa em favor dos homens que o adoravam, de forma que em várias oportunidades a bíblia relata fatos semelhantes a este onde os deuses jamais realizaram nenhum milagre ou ação que demonstrasse vida e eram totalmente incapazes de fazer alguma coisa porque não passavam de uma imagem esculpida na pedra.    Os inimigos do povo de Israel passaram a temer o Senhor porque reconheceram seu poder através de suas ações e manifestações, não ousavam nem tocar na Arca onde Deus estava, apesar de não adorá-lo demonstravam lhe o maior respeito.

Acompanhando os eventos de hoje, percebemos que o respeito aos objetos sagrados e ao culto de adoração a Deus tem diminuído bastante, são muitos aqueles que menosprezam e outros até que blasfemam contra Deus tentando provar que Deus é uma invenção da mente humana e acabam difundindo suas ideias pelo mundo através do ateísmo e do ceticismo, mas muitos destes ateus e céticos na verdade demonstram atitudes anti-cristãs porque quem é ateu na essência da palavra seria aquele que não acredita em Deus, logo porque se preocupar com algo que você crê que não existe ?    Atitude anti-cristã são aquelas que tem como objetivo destruir a fé com mentiras e deboches e ultimamente estão atacando os objetos de culto e difamando a Igreja, muitas vezes atacam diretamente a Eucaristia que é o Corpo de Deus entre nós.

Estes pseudo-ateus não são ateus e nem mesmo céticos e sim anti-cristos a serviço do inimigo, agem claramente e intencionalmente para denegrir a imagem de Deus neste mundo. A principal ação destes inimigos são confundir e colocar dúvidas nos corações dos filhos de Deus referentes à presença real de Deus na Eucaristia, por isso blasfemam contra ela, roubando sacrários e divulgando imagens abomináveis na internet levando os fracos na fé a fazer aquela velha afirmação do ladrão que morreu ao lado de Jesus:

Se Tu és o Filho de Deus, porque não desces da cruz e salva-te a Ti mesmo ?

A Resposta para esta pergunta Jesus já havia sido dito a Nicodemos anos antes:

Porque é necessário que o Filho do Homem seja levantado no madeiro, para que o mundo seja salvo por Ele. (João 3,13)

Vê se logo que a nossa salvação não estaria no fato de ser capaz de descer da Cruz e sim no amor demonstrado em subir na Cruz quando se teria poder e capacidade para não fazê-lo.  O próprio inimigo já havia tentado Jesus antes com esta mesma ideia e hoje continua insistindo sempre neste mesmo ponto.

A nossa resposta de verdadeiros Cristãos e filhos de Deus deve ser:

Crer cada vez mais e buscar esta “ADORAÇÃO PERFEITA” cada vez mais em nossas vidas.

Porque provas da presença de Deus neste mundo e principalmente na sua Igreja já foram demonstradas milhares de vezes através dos séculos, relatos de milagres que aconteceram no passado e milagres permanentes que continuam até hoje como “LANCIANO” e “A VIRGEM DE GUADALUPE” que a inteligência humana e todas as leis da natureza não conseguem explicar ou justificar como aconteceram e principalmente como e porque estão lá até hoje depois de 480 anos ou depois de 1300 anos, tudo isso para que os São Tomés de hoje também pudessem se certificar que Jesus está realmente vivo entre nós.

Que diremos depois disso? Se Deus é por nós, quem será contra nós ? (Romanos, 8,31)

Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios. (Romanos, 8,28).

Nem aqui e nem em Jerusalém…

aguarde …









Jesus Te Ama – Presentepravoce



Jesus te ama


O Pai lhe oferece um presente que somente você poderá receber, nem procurador, nem tutor, nem qualquer outra pessoa poderá receber aquilo que o Pai tem reservado para aquele que o Ama de todo coração. (I Cor. 2,9). Portanto a sua parte da herança estará reservada e seu lugarzinho no céu estará preparado. (João 14,3) Digo vos: O Pai amou tanto o mundo que doou seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3,16) … Se creres, verás a Glória de Deus !… (João 11,40).

Abaixo estarão selecionados Link’s com os principais temas hospedados neste blog, caso você prefira há nas laterais a lista dos Post’s mais acessados e a relação dos assuntos abordados neste Blog.



INCLUI LISTA DOS MAIS VISITADOS NESTE PERÍODO



TEMAS CHAVES COM LINK’S PARA OUTROS TEMAS RELACIONADOS



SIGA NOSSOS CANAIS



50 MAIS VISITADOS NO ULTIMO PERÍODO


Dados Atualizados em 10/02/2019 – 00:00 hs – 14.470.000



 

Oração_ao_espirito_santo Natal_link_assunto palestras_para_encontro_de_casais_ecc
Tende_Misericordia_Senhor
O-papagaio_marrom_padre_leo
Pascoa_vida_nova_em_Cristo Wallpapers_maria_mae_de_jesus Canticos para o advento
Imagens_arvores_de_Natal
Dinâmica
JESUS é o mesmo
Moldura_sonho_de_valsa_te_amo O_pai_das_misericordias_CN
Dinamica_do_sonrisal
Repouso_no_espirito_santo
O_Sentido_da_Vida
Harmonia_conjugal Educacao_filhos 2
Jesus é o Mesmo
a_paixao_de_cristo_mel_gibson


maria-temas Sete_dons Natal
Encontro de Casais com Cristo_ECC Encontro de casais com Cristo ECC Experiência_com_Deus

Jesus é Misericordioso

Alimento_Espiritual_Autêntico Ajude-nos_com_orações Kairós_pr3
Espirito_Santo Força_da_oração

INDICAÇÕES ALEATÓRIAS DIVERSAS 


Poema_n_sra_Aparecida https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/12/sag-fam-lk.jpg


grupo de oração


COMO UMA BOMBA



http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg //mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida.



TEMAS SOBRE A ÉPOCA DO ADVENTO, NATAL E FIM DE ANO.



Natal
Papel_de_carta_mensagem Imagens_arvores_de_Natal


Natal

https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg

NAMORO FRANCISCO E CLARA

grupo de oração

APARECIDA

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg

MILAGRE DE LANCIANO

http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/aguia.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pregar-a-palavra.jpg

OLHA O URSO http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dengue.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/cristo-maravilha.jpg

https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/presente-verm.jpg http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/oracao.jpg



CHÁCARA JEUS CURA



 





Temas da Canção nova FOI DEUS


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/aguia.jpg


PRESENTEPRAVOCE


https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/eucaristia.jpg https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/02/tencommandments_finger.gif



PADRE LEO HISTÓRIAS DO PADRE LEO


Repouso_no_espirito_santo

Confirmação do Milagre Eucarístico de Lancino.



Milagre de Lanciano


Estes dois milagres foram minuciosamente estudados pela ciência e chegaram à uma única conclusão:

É algo sobrenatural que a ciência humana não consegue explicar e nem justificar:


VEJA AS CONCLUSÕES:



GUADALUPE O MILAGRE DE LANCIANO

Nossa Senhora De Guadalupe.

O Milagre de Lanciano


I parte

Mediante um milagre tão extraordinário, quiseram em nossos dias, verificar a sua autenticidade, em 18 de novembro de 1970, os Frades Menores Conventuais que têm a seu cuidado a igreja do Milagre decidiram, com a autorização de Roma, confiar a um grupo de perítos a análise científica daquelas relíquias, datadas de doze séculos atrás.   As pesquisas foram feitas em laboratório, com estrito rigor, pelos professores Linoli e Bertelli, este último da Universidade de Siena. A 4 de março de 1971, estes cientistas relataram suas conclusões, que foram publicadas, logo em seguida, em inúmeras revistas de ciência, do mundo inteiro.


milagre-de-lanciano.jpg


Ei-las:

A Carne é verdadeiramente carne.

O Sangue é verdadeiro sangue.

Um e outro são carne e sangue humanos.

A carne e o sangue são do mesmo grupo sangüíneo (AB).

A carne e o sangue são de uma pessoa VIVA.

O diagrama deste sangue corresponde a de um sangue humano que tenha sido retirado de um corpo humano NAQUELE MESMO DIA.

A Carne é constituída de tecido muscular do CORAÇÃO (miocárdio).

A conservação destas relíquias, deixadas em estado natural durante séculos e expostas à ação de agentes físicos, atmosféricos e biológicos, permanece um fenômeno extraordinário.

Fica-se estupefato diante de tais conclusões, que manifestam de maneira evidente e precisa a autenticidade deste milagre eucarístico. Antes mesmo de as darem a conhecer de modo oficial, os peritos, no fim de sua analises, enviaram aos Padres Franciscanos de Lanciano o seguinte telegrama: “Et Verbum caro factum est” (E “O Verbo se fez carne.”) Telegrama este, que é uma declaração de fé.

Outro detalhe inexplicável: pesando-se as pedrinhas de sangue coagulado (e todos são de tamanhos diferentes) cada uma delas tem exatamente o mesmo peso das cinco pedrinhas juntas! Deus parece brincar com o peso normal dos objetos.

Matemáticamente falando, temo:

1 = 5 que é igual a 1+2 = 5 ou ainda 5 = 1, nem a lógica consegue explicar como uma perfeita unidade possa existir.

Inútil dizer-vos que nesta igreja, celebrei a Missa votiva do Santíssimo Sacramento com uma fé renovada: o senhor, por meio de tal milagre vem, verdadeiramente, em socorro de nossas incredulidades.

E depois que foram conhecidas as conclusões dessa pesquisa científica, os peregrinos têm vindo de toda a parte venerar a Hóstia que se tornou carne e o vinho consagrado, que se tornou sangue, uma transubstânciação perfeita, visível e comprovada pela ciência humana.

Quanto a mim dois fatores me espantam. O primeiro é que se trata de carne e sangue de uma pessoa VIVA, vivendo atualmente, pois que esse sangue é o mesmo que tivesse sido retirado, naquele dia mesmo, de um ser vivo!

É bem uma prova direta de que Jesus Cristo ressuscitou verdadeiramente, que a Eucaristia é o Corpo e o Sangue de Cristo glorioso, assentado a direita do Pai e que, tendo saído do túmulo na manhã da Páscoa, não pode mais morrer. Tantas tolices tem sido ditas, nesses últimos anos, contra a ressurreição do Cristo! Alguns, desejariam, com empenho que essa ressurreição não fosse senão um símbolo, elaborado como que um mito pela piedade muito ardente dos primeiros cristãos!…Ora, eis veio a ciência de certo modo, em nosso socorro, provando a tradição e reafirmando a nossa fé em um Cristo Vivo. Foi verdadeiramente na carne que o Cristo morreu e foi verdadeiramente também na carne, que Jesus ressuscitou no terceiro dia. E a mesma Carne -verdadeira carne nos é dada viva na Eucaristia, para que possamos viver da vida de Cristo! Não é a carne de um distante cadáver, mas uma carne animada e gloriosa. Portanto, vendo a Hóstia consagrada, posso dizer como o Apóstolo Tomé, oito dias depois da Páscoa quando colocou os dedos nas chagas de Cristo ” Meu Senhor e meus Deus” é bem a carne viva do Deus vivo!”



 Veja => Um Milagre Eucarístico que ficou oculto 12 anos!


Um segundo fato impressiona-me ainda mais: a Carne que lá esta é a carne do Coração. Não a carne de qualquer parte do Corpo adorável de Jesus, mas a do músculo que propulsiona o Sangue – e por tanto a vida – ao corpo inteiro, do músculo que é também o símbolo mais manifesto e o mais eloqüente do amor do Salvador por nós. Quando Jesus se entrega a nós na Eucaristia, é verdadeiramente seu próprio Coração que ele nos da a comer, é ao seu amor que nós comungamos, um amor manso e humilde como esse Coração mesmo, um amor poderoso e forte mais que a morte, e que é o antídoto dos fermentos de morte física e espiritual que carregamos em nossa “carne de pecado”.

https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/eucaristia.jpg?w=130&h=120A Eucaristia é, na verdade, o dom por excelência do Coração de Jesus. S. João nos diz no começo do capítulo XIII de seu Evangelho, antes de nos falar do preparativos da ultima Ceia de Jesus:

Tendo amado os seus que estavam no mundo. Ele os amou ate o fim“. Não tanto querendo significar: ate o fim de sua vida terrestre, mas ate os últimos excessos de onde poderia chegar a ternura de um Deus feito homem, do Amor infinito, tornando carne: Meu Coração é tão apaixonado de amor pelos homens” dira um dia o Cristo em Parayle-Monial, revelando seu Coração a Santa Margarida Maria. Uma paixão que o conduzi a cruz, que torna hoje presente sobre nossos altares em nossos sacrários e ate em nossos corações. Esta declarado em nosso Credo que Jesus, depois de sua morte, desceu aos infernos”. Ressuscitado vivo, ele ai desce ainda hoje:

Ele vem à lama de nossos corações para arranca-los dessa lama. Ele vem a esses lugares de morte eterna. Ele vem em nossos corações, nos quais entrou o pecado – arrancar-nos da morte eterna e fazer-nos viver de sua vida divina. Seu Coração imaginou tudo isso, para testemunhar-nos – e de maneira singularmente eficaz – seu afeto se limites. Guardemos isto, em todo o caso: na Eucaristia eu recebo o Cristo todo inteiro, mas é verdadeiramente que se da e que eu como.

Não tínhamos também nós, necessidade de revigorar a nossa fé na Eucaristia? E não foi sem razão que Deus permitiu que o milagre de Lanciano, antigo de 12 séculos e sempre atual, nos fosse apresentado hoje pela própria ciência, por esta ciência que alguns queriam colocar em oposição com a fé ou que a pudesse substituir.

Fiz questão de comunicar-vos as reflexões que me inspirou o conhecimento deste milagre, e a emoção profunda que ele produziu em minha alma. Agora que me aproximo do SS. Sacramento com renovado respeito à ação de graças, adoração, amor renovados. E não duvido que vos tendo comunicado o que eu mesmo descobri em Lanciano, não tenhas também vós, diante da divina Eucaristia um sentimento mais vivo da presença do Verbo feito Carne que vem habitar em nós, o Cristo ressuscitado, que nos ama com uma ternura infinita entretanto humana.

Jesus o prometeu: “Eis que estou convosco até a consumação dos séculos. Sim, até o fim do mundo. Ele, o Verbo tornado Carne, desce em nossa carne e nos fez viver de sua vida eterna e gloriosa…

Padre Jean Ladame ( Chenoves 71940 SAINT BOIL, França)

Traduzido da revista “La Revue du Rosaire”, dos PP. Dominicanos de Saint-Maximin-nºde junho de 1976.


O MILAGRE EUCARÍSTICO DE SANTARÉM,

PORTUGAL (1247 ou 1266) < click e leia


lanciano_401.jpg


Vinde e vede

RCC Brasil RCC Brasil

https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/03/eucaristia.jpg?w=130&h=120Continuação …

Corpus Cristhi – Eu sou o Pao da Vida.


“Eu Sou o Pão da Vida”


Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.     (São João 6,51)


Podemos até considerar que; este foi o dia mais crítico do relacionamento entre Cristo e seus Discípulos. No momento em que Jesus Declara que seu Corpo é a verdadeira Comida e seu Sangue a Verdadeira Bebida, muitos de seus discípulos o abandonaram e foram embora. Jesus então se vira para aqueles que ficaram paralizados e atônitos, sem saber o que pensar e muito menos o que fazer, e disse, ” Vós também quereis ir embora ?…”  Pedro então respondeu em nome dos demais; ” A Quem iremos nós, só Tu tens as palavras de vida eterna…”, e assim ficou instituída a Eucaristia na Igreja Católica.



Você sabe o que é Eucaristia?

Segundo o Dicionário Aurélio a resposta é:

Um dos sete sacramentos da Igreja Católica, no qual Jesus Cristo se acha presente sob as aparências de pão e vinho, com o seu corpo, alma e divindade.

Você acredita Nisso?

Será isso Possível mesmo ?

Será apenas um ritual?

Será tudo isso uma grande Mentira ?


calice_hostia.jpg


Milagre de Lanciano



Nossos sacrários mantêm entre nós a realidade da Encarnação: “O Verbo se fez carne e habitou entre nós…” E habita ainda, está verdadeiramente presente entre nós, não somente de uma maneira espiritual, mas com seu próprio Corpo – “Ave verum corpus, natum de Maria Virgine” canta a Igreja diante do SS. Sacramento: “Salve verdadeiro corpo, nascido da Virgem Maria, corpo que sofreu verdadeiramente e foi verdadeiramente imolado pela salvação dos homens”.

Esta presença real da carne de Cristo (é uma carne viva, unida à alma e a divindade do Verbo, pois Jesus esta hoje ressuscitado) é admiravelmente manifestada pelo Milagre de Lanciano. Um milagre que dura 12 séculos e que a ciência acaba de examinar, e diante do qual, ela teve que se inclinar.

Sim, um milagre, e bem destinado ao nosso tempo de incredulidade. Pois, como diz São Paulo, os milagres são feitos não para aqueles que crêem, mas para os que não crêem. Ora, hoje em dia, um certo número de cristãos da Presença Real, mesmo depois que o Papa Paulo VI, no documento “Mysterium Fidei”, recordou-lhes claramente este dogma. Querem admitir, a exemplo dos protestantes, apenas um presença espiritual do Cristo na alma daquele que comunga; mas os sinais sacramentais do pão e do vinho consagrados seriam puros símbolos, tal como a água do batismo, que não é e não permanece senão simples água, ainda que significando e realizando pela palavra que a acompanha – a purificação da alma. Depois da comunhão, as hóstias que não houvessem sido consumidas, dizem eles, não seriam mais, nesse caso, senão pão, podendo ser atiradas fora como coisas profanas… A própria discrição com que, em certas igrejas, cercam o sacrário, já manifesta esta falta de fé profunda na presença real, e portanto, na palavra onipotente do Cristo: “Isto é meu Corpo! Isto é meu sangue!” Eis porque Deus permitiu para todos que duvidam da presença eucarística do Cristo ou que a negam, que um milagre, que dura há mais de 12 séculos, fosse nos últimos anos, posto em evidência e verificado pela própria ciência.


lanc_miracle2.jpg


Por minha parte, eu ouvira falar do milagre de Lanciano, mas o fato me havia parecido tão forte, que desejei tomar conhecimento dele e julgá-lo por mim mesmo no próprio local. A pequena cidade Italiana de Lanciano nos Abrozzes encontra-se a 4 km da estrada de rodagem Pescara-Bari, que contorna o Adriático, um pouco ao sul da Pescara e de Chies. Em uma igrejinha desta cidade, igreja dedicada a S. Legoziano ( que se identifica com S. Longiano, o soldado que transpassou o coração de Cristo com a lança na cruz), no VIII século, um monge basiliano durante a celebração da Missa, depois de ter realizado a dupla consagração do pão e do vinho, começou a duvidar da presença na hóstia e no cálice, do Corpo e do Sangue do Salvador. Foi então que se realizou o milagre: diante dos olhos do Padre, a hóstia se tornou um pedaço de carne viva; e no cálice o vinho consagrado torna-se verdadeiro sangue, coagulando-se em cinco pedrinhas irregulares de formas e tamanhos diferentes. Conservaram se esta carne e este sangue milagrosos, e no correr dos séculos várias pesquisas eclesiásticas foram realizadas.


lancianosupplement.gif


OS ESTUDOS CONTINUAM

II PARTE



NINGUEM TE AMA COMO EU



Veja também:


//mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida. https://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg


Um Milagre Eucarístico que ficou oculto 12 anos!



Milagre Eucarístico existe mesmo ?


Ou é Invenção da Igreja Católica ?


Agimos como São Tomé quando duvidamos e queremos por o dedo na ferida aberta ao lado de Jesus.


Sacrário e pintura na igreja Sto. Antônio  por vandevoern.



Leia o Testemunho abaixo:

Um casal com problemas de relacionamento conjugal procurou Pe. Eli, quando ele era apenas um neo-sacerdote, via-se a principio ser um caso difícil tamanha era as diferenças entre os dois a começar por trinta anos na diferença de idade.

http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpgDepois de um longo dialogo e vários conselhos, pareceu-lhe que tudo ficaria bem entre o casal.

Foi quando a mulher pediu para lhe falar um outro assunto em particular.

Pensou Ele: Lá vem mais bomba !

Ela disse: Sabe Padre eu não sou Católica, sempre fui evangélica desde criança, mas tenho o costume de vir a missa de vez em quando, assim, só para ver como é!

Tenho uma dúvida, sempre quando passo em frente daquele sacrário eu sinto algo estranho,“ela sabia o nome, mais não sabia o que era”, sinto uma coisa dentro de mim que não sei explicar.

Então Padre Eli lhe deu, assim posso dizer, uma pequena aula de catequese, dizendo que ali estava o SACRAMENTO VIVO, Jesus Cristo presente em corpo, alma e divindade. E os detalhes que todo bom Católico deveria saber.

Ela ouviu e compreendeu o que estava sentindo em seu Coração, Era a Presença de Jesus Vivo.

Disse ela ainda: Padre tenho outra coisa a dizer;

Uma Lembrança que eu não consigo esquecer.

Sim Minha Filha.

Lembro-me quando tinha uns doze anos de idade, estávamos em uma casa reunidos quando chegou um jovem com uma rodinha branca nas mãos ”OSTIA”, dizendo, veja aqui, eu fui a uma missa, entrei na fila da Comunhão e fingindo ser Católico, peguei a Óstia e ao invés de coloca-la na boca, coloquei no bolso e trouxe até aqui este pedaço de pão, e vou lhes mostrar hoje, aqui e agora a grande mentira, a falsidade desta Igreja Católica que inventou este tal de corpo de Cristo e fica enganando a todos os católicos que lá participam.

O jovem pegou um martelo grande, colocou o pedaço de pão em cima de uma mesa, e numa só batida acertou-a de tal forma que a dissolveu por completo, vi também, que as pessoas próximas a ele, principalmente ele mesmo ficou todo respingado de vermelho cor de sangue, até a parede branca ficou toda marcada de vermelho.



O jovem não ficou bem, não estava normal, ficou totalmente fora de si e teve que ser internado num hospital. Não sei o que houve com ele, e nunca mais o vi, ninguém nunca mais tocou no assunto e não falavam sobre isso, e eu não sei até hoje o que aconteceu naquele dia.

Para Padre Eli isto também foi uma grande surpresa, vendo que um Testemunho como esse, um milagre Eucarístico ocorrido entre os evangélicos permaneceu tanto tempo escondido, logicamente não há provas nem estudos científicos nem nomes serão divulgados, pois o que ocorreu foi o contrário, não foi proposto preservar as provas que simplesmente foram apagadas, e estudar ou divulgar os fatos nem pensar, mas na memória de uma criancinha jamais foi esquecido e ficou gravado cada detalhe como num filme.

MILAGRE DE LANCIANOHá um Milagre Eucarístico recente como o de Lanciano ocorrido em 2003 na Itália, que apesar dos testemunhos e estudos terem comprovado a sua veracidade ainda não foi divulgado e nem declarado como um Milagre Verídico pela Igreja.

Após Padre Eli ter lhe explicado o que houvera acontecido.

Ela então lhe fez uma ultima pergunta;

O que é preciso para fazer a Primeira Comunhão?


eucaristia.jpg


Deus Sempre fez e faz Milagres diariamente em nossas vidas, nós é que fazemos questão de não vê-los e outras vezes, como neste caso, até mesmo de OCULTÁ-LOS tendo esquecê-los por completo.

Diz um bom ditado, o pior cego é aquele que não quer ver, refletindo o interrogatório dos fariseus ao cego curado por Jesus.

(São João 9)

26 – Perguntaram-lhe ainda uma vez: Que foi que ele te fez? Como te abriu os olhos?

27 – Respondeu-lhes: Eu já vo-lo disse e não me destes ouvidos. Por que quereis tornar a ouvir?

Muitos duvidam como São Tomé e querem colocar o dedo na ferida de Jesus para comprovar a Verdade e Acreditar que Ele está Vivo realmente.

Acreditar naquilo que se vê, não é Fé, Fé é crer naquilo que não se pode ver. (Hebreus Cap 11)

Já a muito tempo Deus tem falado em particular também aos irmãos separados a respeito dos Sacramentos que não são vividos lá, tentado aproxima-los novamente de sua Mãe a Virgem Maria, isto sem propor uma troca de religião, mas sim um acolhimento destas Verdades.

Quando o Padre Eli contou este testemunho, veio me claramente uma cena do filme a Paixão de Cristo do Mel Gibson, quando o soldado Levanta o Martelo e bate no Cravo nas mãos de Jesus ocorre exatamente o que foi testemunhado acima, cena que, não foi vista pela jovem mulher, uma vez que, o testemunho é anterior à gravação do filme.


Esta cena está na foto e no Trailer Abaixo:



APRECIE UMA MUSICA

DE REFLEXÃO.


Paixão de Cristo musica Getsemani



GUADALUPE O MILAGRE DE LANCIANO

CREIA NA EUCARISTIA

O Milagre de Lanciano



Eucaristia Primeiro Milagre corpus-christi-01[1]
Eucaristia_centro_da_vida_da_Igreja Alimento_Espiritual_Autêntico Corpus_Christi_Lk

Testemunho de Conversão do Ex. pastor Sideneh Veiga na Tv Século XXI