Conversão em massa entre refugiados Muçulmanos na Alemanha.


Surpreendente conversão de muçulmanos à fé católica espanta países ocidentais.


5799_12_47eaeba4b4cf2[1]


Não se pode ver aquilo que está oculto e nem conhecer aquilo que não for revelado.

Não se pode amar aquilo que não se conhece.


BERLIM — Centenas de milhares de refugiados muçulmanos converteram-se ao cristianismo nos últimos meses. Embora em alguns dos seus países de origem a conversão seja vista como um delito que pode ser punido até com a pena de morte, as igrejas alemãs, protestantes e católicas, voltaram a celebrar missas com bancos lotados. Em algumas, como na da Trindade, no bairro berlinense de Steglitz, cerca de 80% dos fiéis são ex-muçulmanos.

Para o pastor Gottfried Martens, que já batizou 1.200 convertidos, os refugiados desejam romper definitivamente com o passado e aumentar suas chances de integração na sociedade alemã.

— Eles cresceram na crença de pertencer à melhor religião do mundo, mas começaram a questionar isso depois que, em nome da religião, foram cometidos tantos atos de violência — sustenta Ottenberg. (…)

Por outro lado, islamistas e fundamentalistas bombardeiam os novos cristãos com ameaças. Um estudo da Open Doors revela que muitos convertidos desistem do batismo na última hora com medo de pôr em risco os parentes que ficaram em seus países.

Mesmo em alguns locais que passaram pela Primavera Árabe, como o Egito, a conversão ao cristianismo é vista como um delito na sociedade muçulmana. Parentes dos convertidos podem ser alvo de represálias.

— Para os refugiados, o problema não é apenas os conflitos naturais que podem surgir entre os vindos das regiões de crise, traumatizados pela guerra e pela fuga, que vivem com frequência em abrigos lotados. O mais alarmante é o fato de que os fugitivos cristãos e de outras minorias religiosas cada vez mais são alvo da mesma perseguição e discriminação das quais eram vítimas nos seus países de origem — diz Daniel Ottenberg.

Praticamente todos os participantes da missa de domingo passado na Igreja da Trindade já passaram pelo trauma da perseguição religiosa, mas a maioria vê a nova religião como a perspectiva de uma vida melhor.


586462276-


Evangelho em farsi e árabe

Na opinião do afegão Ali Mirzace, o fundamentalismo, as guerras religiosas e a brutalidade do Estado Islâmico ou dos talibãs dividem os jovens muçulmanos. Enquanto uns adotam a doutrina do Islã político, outros desenvolvem uma aversão contra a própria identidade cultural, da qual se julgam vítimas.

— Tudo continua difícil, mas acreditar em Jesus nos ajuda a enfrentar as adversidades — sustenta.

O amigo Mohamed Hakime, de 17 anos, também é afegão. Os dois se conheceram durante a fuga através do Mar Mediterrâneo, no ano passado, em um momento no qual o barco parecia que ia afundar. (…)

O batismo é para eles a conclusão de um processo de abandono definitivo do passado. Há um clima de entusiasmo. Todos os frequentadores da Igreja da Trindade de Steglitz acompanham a missa com o manual que oferece o texto e os cantos em alemão, com tradução para farsi e árabe. E todos cantam juntos.

A missa dura quase duas horas, ninguém vai embora quando termina. A festa da eucaristia continua no salão paroquial, onde os alimentos trazidos pelos visitantes e preparados pela paróquia são divididos.

Nesses momentos, lembra Ali Mirzace, eles conseguem esquecer as dificuldades que nunca acabam. Como os refugiados não têm muita privacidade nos abrigos coletivos, onde precisam dividir quartos uns com outros, logo que um aparece com um terço, uma Bíblia ou começa a frequentar uma igreja cristã torna-se alvo da hostilidade.

O curdo sírio Sava Soheili, de 27 anos, está desde o ano passado em Berlim. Desde o início do ano, é um luterano fervoroso que gosta de mostrar o crucifixo pendurado em um cordão de ouro. Soheili afirma que os convertidos são, na opinião dos fundamentalistas, “verdadeiros criminosos que merecem a pena de morte”.

— Nós somos considerados kuffars, palavra que para os muçulmanos fundamentalistas significa um descrente que cometeu um grave crime religioso. Os kuffars são vistos como criminosos religiosos que merecem a pena de morte — explica.

Segundo o pastor Gottfried Martens, a igreja e o Estado tentam proteger os refugiados cristãos, mas é difícil uma solução porque trata-se de um problema bastante complexo.

— Uma possível solução seria criar abrigos para refugiados cristãos, mas a separação dos convertidos ofereceria um outro risco — disse.

A prefeitura de Berlim também recusou a criação de abrigos para convertidos alegando que, separados, esses refugiados ostentariam abertamente a sua condição como um estigma e assim poderiam tornar-se um alvo fácil de terroristas.

Mostafa, um iraniano de 23 anos, diz que a opção pelo cristianismo é também pela liberdade individual.

— Há também casos de cristãos que se convertem ao Islã, mas não há com certeza nenhum que por isso tenha sido perseguido — desabafa.

Luteranismo e catolicismo são as opções

O iraniano Ali, de 29 anos, lembra, porém, que muitos não são culpados pela imagem deturpada que têm de outras religiões.

— Em muitos países muçulmanos, há um processo de lavagem cerebral. E o pior é que acreditamos mesmo em tudo o que dizem. Só quando chegamos a um país livre temos a chance de abrir os olhos e ver que os muçulmanos não são melhores do que pessoas de outras religiões.

Ali e Mostafa foram batizados antes de aprenderem o idioma alemão. O curso de catecismo foi feito em farsi. Dependendo do lugar onde moram, os refugiados interessados no cristianismo optam pela igreja luterana — em Berlim, a religião da maioria — ou pelo catolicismo — dominante na região da Renânia, como na cidade de Colônia, que tem a famosa catedral.

Mas as pessoas nessas igrejas, pastores, padres e fiéis, convivem com o medo. A proteção é discreta. Na entrada da Igreja da Trindade, três homens cuidam da segurança. Com a desculpa de distribuir os manuais de orações e cantos, eles avaliam todos os que chegam. Durante toda a missa, ficam atentos para qualquer eventualidade com o número da emergência da polícia gravado nos celulares.

Fonte: O Globo


Palavras_ao_vento Cristofobia_2

A Imagem de Cristo.



Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


1. Esta é a estória de um jovem que se parecia muito com Cristo e foi o modelo para a famosa obra de Leonardo Da Vinci. Ele tinha tudo de bom na vida e cantava em um coral, mas por uma ironia do destino perdeu tudo que possuía semelhante aos muitos jovens que se jogam nas drogas e perdem sua dignidade e vão parar nas ruas mendigando e cometendo pequenos crimes assim como o filho pródigo e se encontram em situação lastimável, mas por uma simples intervenção Divina tudo pode ser recuperado novamente.

Veja a história:


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original



2. Deus Disse: “Façamos o homem à nossa imagem e semelhança.”  Criou pois o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher   (Genesis 1,26-27)

3. Conta-se que: Quando o grande Leonardo da Vinci quis pintar a sua famosa obra “A Ultima Ceia”, procurou um jovem modelo e belo que representasse a pessoa de Jesus.

4. Procurou alguém em vários ambientes, até que encontrou um jovem belo, sensível, firme e viril, quando assistia a um coral numa Igreja; viu em um dos cantores a imagem perfeita de Cristo.

5. Convidou-o para ir ao seu ateliê, e reproduziu seus traços em estudos e esboços.

6. O Jovem ficou muito entusiasmado e feliz ao ver seu rosto estampado no rosto de Cristo.

7. A partir de então ele foi pintando um a um dos apóstolos … Tomé, Felipe, Mateus, Simão, Tiago, Judas Tadeu; 8. Bartolomeu, João, Simão Pedro e Tiago menor.   Passaram-se quatro anos, e Leonardo já tinha pintado quase todos os Apóstolos, e 9. A “Última Ceia” estava quase pronta, mas, Da Vinci ainda não havia encontrado o modelo ideal para pintar o traidor de Jesus.

10. Faltava ainda “Judas Iscariotes, que ele deixou de propósito para o final…

11. Queria alguém que representasse a traição e a degeneração. 12. Depois de muitos dias procurando, o pintor finalmente encontrou um jovem prematuramente envelhecido, bêbado, esfarrapado, atirado na sarjeta.

13. O seu olhar tinha algo de duro, de falso, de ambíguo… 

14. Ofereceu-lhe 30 moedas, uma boa importância para posar como modelo na sua obra prima.


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


15. Da Vinci copiava as linhas da impiedade, Do pecado, do egoísmo,  tão bem delineadas  na face do mendigo  Que mal conseguia parar em pé.

16. Quando terminou a pintura, viu que o jovem mendigo derramava algumas lágrimas e o pintor lhe perguntou por que se emocionara de tal maneira!

17. Ele então respondeu: “O senhor não me reconhece?”.

– Não!  – Por que, Deveria?

Diante da negativa de Leonardo, o jovem disse, para assombro do Pintor:

18. Pois fui eu mesmo que lhe servi de modelo a quatro anos atrás … 19. Quando o Senhor Pintava a figura que está no centro do quadro, Jesus Cristo, O Senhor!

20. Nesses quatro anos que se passaram este jovem perdeu tudo que possuía. Perdeu suas posses, sua posição social, seu trabalho, sua família, sua dignidade e praticamente sua vida.

(*) – Obs. :   Hoje em dia muitos jovens se perdem assim pelo usos de drogas!

21. Sua imagem se deformou de tal maneira que já não mais refletia a semelhança de Cristo e sim refletia mais a aparência de Judas seu traidor, exatamente o oposto do que era antes…

22. A Figura de Cristo na cruz ficou totalmente desfigurada pelo efeito do pecado do Homem.  Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores, experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele. (Isaias 53,3)

23. Este personagem é real e a história guardou o seu nome. Chamava-se Pietro BondinelliMas há quem o considere apenas como uma lenda…

Lenda, ou não a verdade é que essa história não só é Real como totalmente atual, pois este jovem pode ser visualizado em todo e qualquer rosto que se olha no espelho, uma vez que todos nós fomos criados à imagem de Cristo, porém nos deixamos levar pelo mundo e deformamos esta imagem a ponto de sermos confundidos com a pior das criaturas humanas.


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original


24. Todos nós fomos criados segundo a semelhança de Cristo, não só a imagem exterior, mas também o homem interior. 25. Um mesmo homem pode ser bom ou mal, pode ser semelhante a Cristo ou ao seu inimigo… Tudo isso dependerá de suas escolhas e atitudes, pois o caminho que escolher trilhar definirá o seu destino final. 

26. Cabe a você não deixar que o mundo lhe engane a ponto de destruir esta semelhança de Deus que existe em  você, mesmo que a dor e tristeza invada  seu coração… Resista firme com fé, pois nada neste mundo pode nos afastar do amor de Cristo. (Rom 8) 

27. A semelhança de Cristo e os Dons de Deus são os bens mais preciosos que possuímos, por isso precisam ser preservados como um verdadeiro tesouro.

28. São Paulo dizia: “Vivo, mas já não sou eu; é CRISTO que vive em mim. “(Galátas 2,20), ou seja, ele considerava que sua vida era um completo testemunho de Cristo a ponto de ser identificado como Ele mesmo.

29. “Visamos o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. (Efésios 4,12-13)

31. A Igreja recebeu a missão de conduzir o homem na sua restauração integral e levando- o à plenitude da santidade que é a recuperação da imagem e semelhança de Deus conforme a criação original para que possamos enfim receber a herança das promessas Divinas habitando eternamente nas moradas celestiais.

32. Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os eleitos, segundo os seus desígnios. Link’s para outras Mensagens segunda-feira, 22 de agosto de 20165:30:24 Os que ele distinguiu de antemão, também os predestinou para serem conformes à a fim de que este seja o primogênito entre uma multidão de irmãos.

30. CRÉDITOS do Texto: Dom Rafael Cifuente livro “Sacerdotes para o terceiro milênio” Musica: Noites Traiçoeiras Formatação: Presentepravoce


Ultima_seia_leonardo_da_vinci_original

Um jovem que se parecia com Cristo

Reflexão post anterior



Jesus_e_seus_melhores_amigos A casa em chamas
Amigo Fiel Quem sou faz a diferença Tende_Misericordia_Senhor

BAIXE O SLAID EM POWER POINT PARA VISUALIZAR OS EFEITOS



Palavras ao vento.



As palavras pronunciadas são como plumas levadas ao beo prazer dos ventos.

Meditação sobre como ter cuidado com as palavras que proferimos, principalmente quando se trata de inverdades e fofocas, pois elas causam um mal terrível e irreparável na vida de outras pessoas mesmo que você se arrependa e seja perdoado(a).  Também é uma analogia entre palavras e sementes como Jesus nos mostra na Parábola do Semeador.

Leia o texto:


Palavras_ao_vento

“PALAVRAS AO VENTO”


1. Certa vez, uma jovem foi ter com São Filipe Neri, para confessar seus pecados. Ele já a conhecia muito bem e as suas maiores falhas:

2. Não que ela fosse uma má pessoa, mas costumava falar mal dos vizinhos, fazendo fofocas sobre eles. Essas fofocas passavam de boca em boca e acabavam fazendo muito mal… sem nenhum proveito para ninguém.

3. São Felipe então disse: Você tem agido muito mal fazendo fofoca das outras pessoas. Com seu arrependimento Deus lhe perdoará, mas devo lhe dar uma penitência um pouco diferente desta vez:

4. Você deverá trazer até aqui um travesseiro de penas…    Depois nós subiremos até a torre da Igreja para que você solte as penas ao vento que passa.

5.Ela estranhou um pouco a Penitência, mas parecia bem fácil de se cumprir …

6. ficou até Muito aliviada enquanto espalhava as penas pelo ar…

7. Enquanto as plumas ainda flutuavam em direção à cidade disse o Padre:

– Minha filha, você completou perfeitamente a primeira parte da sua penitência:

Agora  vou  lhe  passar  a segunda  parte  …

8. – Vá agora até a cidade e  recolha todas as plumas que foram soltas e me traga de volta até aqui…

9. – MAS … PADRE …  ISSO  SERÁ  IMPOSSÍVEL ! ! ! Porque O vento espalhou as plumas prá todo lado… como saber onde procurá-las ????

10. (*) As Palavras tais como Penas jogadas ao vento. São irrecuperáveis, irrecolhíveis. Desaparecem ao controle do homem. As Palavras ecoam, são audíveis. Elas enlaçam, envolvem e consolam. Ora agridem, machucam, ferindo corações. Alçam voo e podem construir ou destruir.

11. Palavras & Penas são análogas e cruzam-se ao perderem-se no espaço. Palavras depois de proferidas não retornam.

12. Tocam os ouvidos daqueles que as querem ouvir. “Quem tem ouvidos, que as ouçam…” Os distraídos ou indiferentes perdem-nas ao comum, deixando de absorvê-las para o bem. (*) Palavras & Penas – Inês Vieira

13. Palavras também são como sementes que levadas pelo vento não se prevê onde  descansarão. Quando  enfim encontram seu descanso germinam gerando a essência de vida que guardam em seu interior .Palavras ruins gerarão ódio, dor, rancor, tristeza… Pois são sementes do mal…


Fruto_Espírito


14Ao contrário, boas palavras trazem consigo a semente do BEM…  Que geram Amor, Paz, Alegria, Felicidade, etc.  Melhor será sempre espalhar palavras que geram coisas boas do que palavras que geram o mal …

15. Jesus comparou suas PALAVRAS e seus ensinamentos como sementes semeadas ao campo onde cada uma de acordo com sua condição morreram ou frutificaram.

16. O Campo é o mundo e as condições são as mais adversas possíveis, mas cabe a cada um de nós vencer nossas batalhas e desafios com o apoio do Espírito Santo que é esse vento que nos guia.

17. Não vos enganeis: de Deus não se zomba. O que o homem semeia, isso mesmo colherá. Quem semeia na carne, da carne colherá a corrupção; quem semeia no Espírito, do colherá a vida eterna. (Gal. 6,7-8)


 

Sizenando – 06 de julho de 2016

Com_o_Tempo_2

Com o tempo você aprende

Teatro: texto



POWER POINT NO SLIDESHARE

BAIXE PARA MELHOR ACOMPANHAR A ANIMAÇÃO



Link’s para outras Mensagens:


Senhora idosa_o_tempo A_palavra_tem_poder Chronos_tempo_passa
Kairos_tempo_de_Deus Lançai a palavra Fe_demais_atrapalha

Evangelizar incomoda muita gente.



Lembra daquela musiquinha do elefante que incomoda muita gente (*) e que depois vem mais um elefante e vai aumentando a manada até que alguém perde a paciência e amordaça o maluco que está cantando? 


um_Elefante_incomoda_muita_gente Manad_elefante_greve_geral

É!!! Já passei por esta situação algumas vezes e deu vontade de enforcar o cantor, mas hoje queremos falar exatamente deste mesmo efeito perturbador nas pessoas quando nos referimos ao evangelho de Jesus Cristo, porque lamentavelmente muitas pessoas não querem ser evangelizadas e se sentem muito incomodadas! 


Além das pessoas se somam ideologias humanas e políticas que não suportam o Cristianismo e até proíbem a evangelização.



Lembra-se da ordem de Deus ao Profeta Ezequiel?

Dir-lhes-ás tu: Esta é a Palavra do Senhor – quer te escutem ou não. (Ezequiel 3,11)

“Quer ouçam ou deixem de ouvir”.

Deus enviou o Profeta Ezequiel para anunciar a sua palavra no meio de seu povo escolhido, porém a situação era tão grave naqueles dias que a observação do Senhor era exatamente que: aqueles que eram pagãos e que nunca tinham ouvido falar de Deus provavelmente ouviriam esta palavra.  Os filhos de Deus, porém, estavam fechando os ouvidos para não ouvir as palavras de seu Deus, perseguiam os Profetas e os matavam.  Hoje, acontece algo muito semelhante e é por isso que Deus nos chama a evangelizar os Batizados, não somente aqueles que nunca ouviram a palavra de Deus, mas sim e principalmente aqueles que se dizem Cristãos, que foram batizados e um dia se tornaram “FILHOS DE DEUS”, mas vivem como se fossem pagãos, evangelizar aqueles que estão com o convite para as Bodas do Cordeiro nas mãos e o cheque da Salvação no bolso, porém seguem em direção oposta rumo ao inferno e de agem assim conscientemente e ainda se incomodam, reclamam e perseguem aqueles que pregam a verdade do evangelho.

Neste ponto, entendemos que Deus nos chama para incomodar mesmo esta geração perversa, esta geração de cristãos inúteis, para ascender uma chama que incendeie toda palha seca e o joio maduro, para queimar todo ramo ressequido a fim de se limpe o caminho para que brote folhas novas e cresça novos ramos verdes nesta videira para produzir muitos frutos para o Senhor.

Jesus disse certa vez quando observava as multidões:

“Que elas se assemelhavam a um rebanho sem Pastor” (São Marcos 6, 34)

Sua intenção é clara quando demonstra claramente sua intenção de conduzir este rebanho perdido ao seu aprisco, porém Ele não esperava que essas ovelhas fossem rebeldes e desobedientes e que preferissem não ser conduzidas ao aprisco.

Este é o nosso chamado hoje, devemos atuar neste rebanho como aqueles cães que são instruídos para conduzir as ovelhas ao redil, não existe outra maneira de efetuar este trabalho, por isso dizemos que esta ação de conduzir o rebanho, de latir e latir, avançar e recuar, fazer barulho e mais barulho é a maneira que as ovelhas entendem e são coagidas a seguir na direção correta.

Imagine o quanto um cão pode latir nas ovelhas e incomodá-las a ponto de induzi-las na direção correta, imagine agora se fossem dois cães a latir nestas ovelhas surdas, multipliquemos os cães que cercam as ovelhas e iremos observar que o trabalho será executado mais rapidamente e facilmente. Desta mesma forma, podemos dizer que: se um evangelizador incomoda tanta gente, imagine se fossem dois evangelizadores?  E se fossem três, quatro, cinco ou mais, como não poderiam incomodar ainda mais os Cristãos acomodados para que eles percebam que um Cristão acomodado que não evangeliza ninguém não entrará no reino de Deus.

Talvez seja esta a verdade que mais incomoda os acomodados e que nenhum deles queira admitir, mas se o “cristão” não for Cristão de verdade e se não contagiar o mundo que o cerca com seu testemunho de vida, não somente muitas pessoas perderão a Salvação como também ele mesmo perderá a sua Vida Eterna com Deus, pois todos aqueles acomodados que se identificam como “cristãos” e não o são de verdade não entrarão no Reino de Deus.

Por isso São Paulo dizia:

“Ai de mim se não evangelizar!”

Porque esta é a nossa Missão hoje!


porque-o-evangelho-incomoda-tanto-as-pessoas[1]


Mas por que o evangelho incomoda tanto as pessoas?


O evangelho não parece ser algo que as pessoas gostem tanto de ouvir.

Você já se sentiu um chato por compartilhar a palavra de Deus com alguém?

Já foi “cortado” ou desprezado quando estava falando de Jesus?

Já foi excluído por falar a verdade contida na Bíblia?

Já teve suas atitudes ridicularizadas por seguir à risca a orientação do evangelho de Jesus?

Já teve portas fechadas em sua vida só porque acredita e segue os ensinos de Jesus Cristo?

Essas são situações bem comuns que acontecem diariamente.

Paulo diz ao jovem Cristão Timóteo algo que parece desanimador, mas que mostra na realidade que o evangelho de Jesus Cristo incomoda demais o mundo:

“Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” (2 Timóteo 3.12). 

Por que os que querem viver de acordo com a vontade de Jesus Cristo serão perseguidos? Porque o mundo se incomoda demais com o evangelho sendo pregado e, claro, principalmente sendo vivido.

Mas nós que vivemos e pregamos o evangelho devemos ter em mente uma verdade: Se o evangelho está incomodando [o evangelho genuíno, é claro, o bíblico] é porque as coisas estão indo bem e não mal. O evangelho foi feito para incomodar e impactar as pessoas e não para passar despercebido. O evangelho não é para “passar a mão na cabeça das pessoas”, para deixá-las da mesma forma que estão. Os relatos bíblicos mostram que onde o evangelho entra as coisas não permanecem as mesmas. Ou ele muda vidas ou provoca reações de rejeição das mais diversas. Em alguns lugares do mundo a pregação do evangelho pode gerar a morte do pregador! Aliás, milhares de pessoas já morreram por causa do evangelho.

Mas porque a mensagem do evangelho incomoda tanto?

A mensagem do evangelho incomoda tanto porque ela é diferente das outras mensagens. É uma mensagem exigente, poderosa, mexe com o coração do homem, abala, coloca “a pulga atrás da orelha” do ser humano, é verdadeira, destrói a obra do diabo, transforma vidas, mostra o caminho da salvação, purifica, traz perdão, etc. É a Palavra de Deus que não volta vazia. Não são meras palavras ao vento, mas são palavras agregadas com o poder do Todo-Poderoso. Como algo com todas essas características não incomodariam?

Vários pregadores do passado e do presente também incomodaram por pregar o Evangelho. Muitos deles sofreram na pele o impacto da rejeição da mensagem de Jesus Cristo, mas também colheram frutos pelo seu empenho, afinal, em muitas vidas o incomodo que o evangelho provoca redunda em mudanças de vida e conversão, em reconciliação com Deus. Muitos que viveram e vivem o evangelho colhem dificuldades do incomodo provocado pelo evangelho, mas colhem também os frutos saborosos vindos dele.

O grande risco que nós cristão corremos é o de desistir de anunciar o evangelho por causa da rejeição e do incomodo visível das pessoas por causa dele. Quanto a isso veja o que aprendemos com Paulo:

“Agora eu vou para Jerusalém, obedecendo ao Espírito Santo, sem saber o que vai me acontecer lá. Sei somente que em todas as cidades o Espírito Santo tem me avisado que prisões e sofrimentos estão me esperando. Mas eu não dou valor à minha própria vida. O importante é que eu complete a minha missão e termine o trabalho que o Senhor Jesus me deu para fazer. E a missão é esta: anunciar a boa notícia da graça de Deus.” (Atos 20. 22-24)

Se o evangelho não incomodar não é o evangelho. Acostume-se com isso e cumpra sua missão assim como o apóstolo Paulo, que não se preocupou com o incomodo que o evangelho iria provocar nas pessoas e na sociedade, antes, se incomodava em não cumprir a vontade de Deus em sua vida e em não impactar positivamente o seu tempo com a grande boa notícia, o evangelho de Jesus Cristo!


.


Palavras_ao_vento Cristofobia_2

Salvação no Tempo de Deus.


SALVAÇÃO: “Muitas pessoas criticam este termo, principalmente no que tange à Salvação proposta por Jesus na Cruz, sendo que: aqueles que vivem tranquilos e sem dificuldade sem conhecer Jesus e não acreditando em Deus, se referem à Salvação como algo desnecessário.”

KAIRÓS: É o tempo determinado, nem antes e nem depois, o tempo, a hora, o minuto e o segundo certo para a ação de Deus, podemos dizer que não seria antes e nem depois, pois é o exato momento reservado por Deus.

Este texto se trata de um testemunho pessoal de uma pessoa onde a ação de Deus aconteceu num instante determinado quando nosso personagem menos esperava, porém, esta ação fez a diferença entre sua vida e sua morte.

MEDITAÇÃO EM POWER POINT

A Imagem da Cruz

Visualização Slaid’s :

2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 

Um excelente nadador tinha o costume de correr até a água e de molhar somente o dedão do pé antes de qualquer mergulho.

Algum intrigado com aquele comportamento, lhe perguntou qual a razão daquele hábito.

O nadador sorriu respondeu: Há alguns anos eu era um simples professor de natação.

Eu os ensinava a nadar e a saltar do trampolim. Certa noite, eu não conseguia dormir, e fui até a piscina para nadar um pouco. Não acendi a luz, pois a lua brilhava através do teto de vidro do clube.  Quando eu estava no trampolim, vi minha sombra na parede da frente. Com os braços abertos, minha imagem formava uma magnífica cruz cruz.

Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando minha imagem. Nesse momento pensei na cruz de Jesus Cristo e em seu significado.  Eu não era um cristão, mas quando criança aprendi que Jesus tinha morrido na cruz para nos salvar pelo seu precioso sangue.

Naquele momento as palavras daquele ensinamento me vieram a mente e me fizeram recordar do que eu havia aprendido sobre a morte de Jesus.

Não sei quanto tempo fiquei ali parado com os braços estendidos. Finalmente desci do trampolim e fui até a escada para mergulhar na água. Desci a escada e meus pés tocaram o piso duro e liso do fundo da piscina.  Haviam esvaziado a piscina e eu não tinha percebido. Tremi todo, e senti um calafrio na espinha. Se eu tivesse saltado seria meu último salto. Naquela noite a imagem da cruz na parede salvou a minha vida. * Foto original Link:

Fiquei tão agradecido a Deus, que ajoelhei na beira da piscina, confessei os meus pecados e me entreguei a Ele, consciente de que foi exatamente em uma cruz que Jesus morreu para me salvar.

Naquela noite fui salvo duas vezes e, para nunca mais me esquecer, …  Sempre que vou até piscina molho o dedão do pé antes. Deus tem um plano na vida de cada um de nós e não adianta querermos apressar, ou retardar as coisas, pois, tudo acontecerá no seu devido tempo e esse tempo é o tempo Dele e não o nosso…

“De tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (S. João, 3,16)

(*) Foto 14 Link da foto original : 

Kairós_pr3 Mensagens_Power_Point
Salvação_boia Quem sou faz a diferença livro_de_capa_preta


O Poder das Palavras.



“O que você vai dizer, antes de dizer à outra pessoa,

diga antes a si mesmo.”


A_palavra_tem_poder



As palavras acima são do pensador romano Sêneca e todos nós deveríamos (tentar pelo menos) pôr em prática diariamente. As palavras têm poder e é importante se preocupar com elas, pois elas podem agradar ou ferir, emocionar ou ofender, trazer felicidade ou decepção, construir ou destruir.

É tão importante falar e ser ouvido que muitas pessoas buscam por terapia e psicanálise para compreender os seus anseios.

Produzido em 2010, pela Frozen Mammoth & Sheridan Productions, o curta-metragem de animação “Garra Rufa” (Doctor Fish), de Tony Tarantini, aborda o domínio da inteligência emocional pelo ponto de vista de um experiente psicoterapeuta que atende os mais variados pacientes. Em um certo dia, no entanto, ele se vê preso a uma profunda questão pessoal, e quem precisa ser ouvido é ele.

“Garra Rufa” não tem (e nem precisa de) diálogos; é apenas embalado pela excelente trilha de Alex Liberatore.

Vi no Catraca Livre




Palavras_ao_vento Lançai a palavra

Trocando_pilhas_2 O_Segredo_de_vencer_grandes_desafios

O Significado da Páscoa do Senhor.



A Passagem do anjo do Senhor.

A Travessia do mar vermelho.

A passagem para uma nova vida.

A Ressurreição de Jesus.

Uma vida nova em Cristo.



Pascoa_vida_nova_em_Cristo

A Igreja Católica Apostólica Romana celebra todos os anos a Grandiosa Festa da Páscoa, que é considerada a mais importante de todas as Festas em seu calendário litúrgico. Temos na Igreja dois ciclos litúrgicos que nos orientam na caminhada de fé.

Os ciclos são os do Natal e Páscoa.

O Natal tem início no período do tempo do Advento e  percorre também o Tempo do Natal.

A Páscoa é celebrada durante os Tempos Litúrgicos da Quaresma e da Páscoa. Este que estamos vivendo neste momento, o Ciclo Pascal, que celebra de modo particular, o itinerário da vida de Jesus nos aspectos de sua Paixão, Morte (quaresma) e Ressurreição (Páscoa). Pela Ressurreição, a Igreja celebra com muito júbilo a Vitória de Jesus Cristo sobre o pecado, que se fez presente em seu corpo, por meio da simbologia da pesada cruz no caminho do calvário, onde Ele, pela condenação e maldade dos algozes, experimentou a sua Paixão e Morte.

A Páscoa traz para nós uma grande oportunidade de vivermos a nossa história no linear dos passos de Jesus. Quando passamos pela experiência dos exercícios quaresmais, assumimos em nossas vidas, o compromisso da mudança e da conversão para alcançarmos a festa pascal com o coração mais abrandado. Agora é tempo de luz e não de trevas.

O nome Páscoa quer dizer passagem e vem do hebraico (pessach). Para o povo hebreu, páscoa significava o fim da Escravidão e o início da Libertação, marcada pela travessia do Mar Vermelho, que se abrira dando passagem para o povo de Deus que estava sob a orientação de Moisés caminhando pelo deserto a fora, em busca da chamada Terra Prometida. De igual modo para nós, a páscoa é sempre sinal de passagem de uma vida antiga ou velha, mergulhada na experiência das trevas que nos levam ao pecado, para uma realidade nova e restaurada, que nos convida a viver à luz do Cristo que ressuscitou e está no meio de nós.

A páscoa foi celebrada na noite do Sábado Santo, na celebração da Vigília Pascal, expressão maior desta solenidade. A festa da Páscoa não é celebrada em apenas um dia, ela é duradoura em nossas vidas. Nos Atos litúrgicos da Igreja, a páscoa possui um tempo próprio de celebração chamado Tempo Pascal. Por tempo Pascal no sentido estrito, entende-se o que vai da quinta-feira santa, início do Tríduo Pascal, até no domingo de Pentecostes, festa do Espírito Santo. Na celebração da Vigília Pascal abençoa-se o Fogo Novo e se acende o Círio, que permanecerá aceso durante todo este tempo em nossas igrejas, como expressão maior da Luz de Cristo, que ilumina as nossas vidas.

Portanto, celebrar a Páscoa de Jesus Cristo, é proclamar a Boa Nova da Salvação. O sepulcro está vazio, Ele não está lá, Ressuscitou. Abramos o coração para que nele Jesus possa entrar e fazer a sua morada em nossas vidas, nos levando sempre a observância e a prática de suas palavras e ações.

Desejo a todos os meus leitores um santo tempo pascal e que Cristo Ressuscitado nos encaminhe sempre para viver a santidade batismal que este tempo propício nos oferece.

Fonte: Catequizar

DOM EURICO DOS SANTOS VELOSO
ARCEBISPO EMÉRITO DE JUIZ DE FORA, MG.



Pascoa_Francisco


Mensagem de Páscoa e Bênção Urbi et Orbi

Papa Francisco no Balcão Central da Basílica de São Pedro

Domingo, 20 de abril de 2014

«Christus surrexit, venite et videte».

Amados irmãos e irmãs, boa Páscoa!

Ressoa na Igreja espalhada por todo o mundo o anúncio do anjo às mulheres: «Não tenhais medo. Sei que buscais Jesus, o crucificado; não está aqui, pois ressuscitou (…). Vinde, vede o lugar onde jazia» (Mt 28,5-6).

Este é o ponto culminante do Evangelho, é a Boa Nova por excelência: Jesus, o crucificado, ressuscitou!Este acontecimento está na base da nossa fé e da nossa esperança: se Cristo não tivesse ressuscitado, o cristianismo perderia o seu valor; toda a missão da Igreja via esgotar-se o seu ímpeto, porque dali partiu e sempre parte de novo. A mensagem que os cristãos levam ao mundo é esta: Jesus, o Amor encarnado, morreu na cruz pelos nossos pecados, mas Deus Pai ressuscitou-O e fê-Lo Senhor da vida e da morte. Em Jesus, o Amor triunfou sobre o ódio, a misericórdia sobre o pecado, o bem sobre o mal, a verdade sobre a mentira, a vida sobre a morte.

Por isso, nós dizemos a todos: «Vinde e vede». Em cada situação humana, marcada pela fragilidade, o pecado e a morte, a Boa Nova não é apenas uma palavra, mas é um testemunho de amor gratuito e fiel:é sair de si mesmo para ir ao encontro do outro, é permanecer junto de quem a vida feriu, é partilhar com quem não tem o necessário, é ficar ao lado de quem está doente,é idoso ou excluído… «Vinde e vede»: o Amor é mais forte, o Amor dá vida, o Amor faz florescera esperança no deserto.

Com esta jubilosa certeza no coração, hoje voltamo-nos para Vós, Senhor ressuscitado!

Ajudai-nos a procurar-Vos para que todos possamos encontrar-Vos, saber que temos um Pai e não nos sentimos órfãos; que podemos amar-Vos e adorar-Vos.

Ajudai-nos a vencer a chaga da fome, agravada pelos conflitos e por um desperdício imenso de que muitas vezes somos cúmplices.

Tornai-nos capazes de proteger os indefesos??, sobretudo as crianças, as mulheres e os idosos, por vezes objeto de exploração e de abandono.

Fazei que possamos cuidar dos irmãos atingidos pela epidemia de ébola na Guiné Conacri, Serra Leoa e Libéria, e daqueles que são afetados por tantas outras doenças, que se difundem também pela negligência e a pobreza extrema.

Consolai quantos hoje não podem celebrar a Páscoa com os seus entes queridos porque foram arrancados injustamente dos seus carinhos, como as numerosas pessoas, sacerdotes e leigos, que foram sequestradas em diferentes partes do mundo.

Confortai aqueles que deixaram as suas terras e migrando para lugares onde possam esperar um futuro melhor, viver a própria vida com dignidade e, não raro, professar livremente a sua fé.

Pedimo-Vos, Jesus glorioso, que façais cessar toda a guerra, toda a hostilidade grande ou pequena, antiga ou recente!

Suplicamo-Vos, em particular, pela Síria, para que quantos sofrem as consequências do conflito possam receber a ajuda humanitária necessária e as partes em causa cessem de usar a força para semear morte, sobretudo contra a população inerme, mas tenham a audácia de negociar a paz, há tanto tempo esperada.

Pedimo-Vos que conforteis as vítimas das violências fratricidas no Iraque e sustenteis as esperanças suscitadas pela retomada das negociações entre israelitas e palestinianos.

Imploramo-Vos que se ponha fim aos combates na República Centro-Africana e que cessem os hediondos ataques terroristas em algumas zonas da Nigéria e as violências no Sudão do Sul.

Pedimos-Vos que os ânimos se inclinem para a reconciliação e a concórdia fraterna na Venezuela.

Pela vossa Ressurreição, que este ano celebramos juntamente com as Igrejas que seguem o calendário juliano, vos pedimos que ilumine e inspire as iniciativas de pacificação na Ucrânia, para que todas as partes interessadas, apoiadas pela Comunidade internacional, possam empreender todo esforço para impedir a violência e construir, num espírito de unidade e diálogo, o futuro do País.

Pedimo-Vos, Senhor, por todos os povos da terra:Vós que vencestes a morte, dai-nos a vossa vida, dai-nos a vossa paz!



Uma feliz Páscoa a todos.


ressuscitado-do-tumulo-destaque[1]


Que Deus nos Abençoe

Presentepravoce – Sizenando



Mais_uma_chance

Seminário de Vida no Espirito Fonte: http://www.missoes.org.br/divulgandoavida/depoimentos/