Hoje Eu Vou Tocar No Senhor Jesus.



Para tocar o Deus vivo – afirmou Papa Francisco – não serve apenas “fazer um curso de atualização” Tocar o Senhor implica em penetrar em suas chagas; para isso “basta sair às ruas” de sua cidade.



Não_Rezar


O caminho para encontrar com Jesus são as suas chagas…                                                                                Papa Francisco


Para se encontrar com o Deus vivo é necessário ver as chagas de Jesus nos irmãos famintos, pobres, doentes, presos, afirmou o Papa Francisco nesta quarta-feira (3/7/13), na missa na Casa Santa Marta.

Depois da Ressurreição, Jesus apareceu aos apóstolos, reunidos no Cenáculo, mas Tomé não estava presente. Mas, o Senhor sabe esperar, aliás, ele dá a cada um de nós o tempo necessário para acreditar. Tomé, de fato, recebeu uma semana. Não obstante, quis colocar o dedo das suas chagas:

“Ele era um cabeça dura. Mas, o Senhor escolheu precisamente um cabeça dura para fazer nos entender uma coisa tão nobre. Tomé viu o Senhor e foi convidado a colocar o dedo nas chagas do Senhor ressuscitado. Mas, foi mais além e disse ‘meu Senhor e meu Deus’. Assim, ele foi o primeiro dos discípulos a confessar a divindade de Jesus, depois da sua ressurreição. E o adorou!”.

Na história da Igreja, houve erros no nosso caminho rumo a Deus. Quantos se perderam no caminho e não chegaram à meta, que é Deus! Outros pensaram que, para chegar a Deus, seria preciso a mortificação, a austeridade e escolheram o caminho da penitência e do Jejum. Mas, nem mesmo esses conseguiram chegar ao Deus vivo. Pensavam de chegar à meta somente através do esforço pessoal.

Porém, recordou Francisco, Jesus nos diz que o caminho para encontrá-lo é através das suas chagas, ou seja, das obras de misericórdia para com quem tem fome, sede, nudez, humildade, esta  hospitalizado é tratado como escravo e prisioneiro, Mas sem ser apenas filantrópicos. “Devemos tocar as chagas de Jesus, acariciá-las, devemos curar as chagas de Jesus com carinho, devemos beijar as chagas de Jesus literalmente. Pensemos no que aconteceu com São Francisco ao abraçar o leproso. O mesmo que a São Tomé. Sua vida se transformou”.

Para tocar o Deus vivo – afirmou o Papa – não basta “fazer um curso de atualização” para entrar nas chagas de Jesus; para isso “basta sair às ruas”.

“Peçamos a São Tomé – concluiu Francisco – a graça de ter a valentia de entrar nas chagas de Jesus com ternura e seguramente teremos a graça de adorar o Deus vivo”.

(Com Rádio Vaticano)



Hoje Eu Vou Tocar No Senhor


Celina Borges

Compositor: Fabio Villaça

Letra


Vou Te buscar com todo o meu coração

E além do véu Te encontrar

Face a face Te ver, Te tocar, Te sentir

E dizer tudo aquilo que tenho em mim. 2x

Hoje eu vou tocar no Senhor
Com minha fé
Vou rasgar os céus
Com minha oração
E te ver face a face.

Hoje eu vou tocar no Senhor
Com minha fé
Vou rasgar os céus
Com minha oração
E te ver face a face Senhor
E te ver face a face…

Eu sei que tudo é possivel
àquele que crê
Eu sei, que nada resiste
Ao poder da oração.

Hoje eu vou tocar no Senhor
Com minha fé
Vou rasgar os céuuuuuuuu

Vou rasgar os céus
Vou rasgar os céus
Tocar no Senhor
E te ver face a face
E te ver face a face Senhor


http://www.youtube.com/watch?v=iWLRKQyzbQQ


Conhecendo_jesus_pessoalmente
A_cadeira

Ninguém Jamais viu a Deus!


Recebi um comentário dia 24/06/2011 at 00:33, que afirmava exatamente o título deste Post, que nada mais seria que um versículo Bíblico se não fossem as observações que se seguiram:



Cit […] – João, o apóstolo a quem Jesus especialmente amava, confirmou o fato de que os apóstolos não viam a Deus quando contemplavam a Jesus. Sob inspiração, João disse: “Nenhum homem jamais viu a Deus.” (João 1:18).[…]

Veja que a citação não inclui a segunda parte do versículo que diz :


“O Filho único, que está no seio do Pai, foi quem o REVELOU.


Revelou quem ?

Revelou o que ?


Revelou a Deus é claro!… cujo nome foi citado na primeira parte do versículo.  Na verdade este é o assunto do qual se trata todo o evangelho de São João. A Revelação de Deus através de seu Filho unigênito que foi enviado por Deus sendo gerado no seio da Virgem Maria e nasceu entre nós, tudo isto conforme predito pelos Profetas.



“E acrescentou: “Não podes ver a minha face, porque homem algum pode ver-me e continuar vivo. […] ”                                      (Êxodo 33:20)

Resposta:



A Palavra de Deus é a verdade e não se contradiz, por isso o comentarista teria toda razão em fazer tal afirmação se o ponto final das Sagradas escrituras fosse na primeira parte do versículo 18, mas pelo que vemos, este ponto não é o final e sim apenas aquele que divide toda a história da humanidade em duas partes, que seria, antes e depois da Revelação de Jesus Cristo ao homem.

No entanto existe uma ordem cronológica nos dados apresentados e um dado antigo não pode se sobrepor ao mais recente.

O Comentarista citou dois versículos um do antigo testamento e o outro da abertura do novo testamento, exatamente o ponto em que São João confirma seu ponto de vista fazendo a abertura uma nova revelação que se seguiria.

Veja que João afirma o que realmente era no passado.  Até aquele ponto da historia, mas como todos nós sabemos o acontecimento ao qual João iria se referir é exatamente o cumprimento de uma promessa Divina de se revelar por inteiro ao Homem que criara.

O Nascimento de Jesus é o cumprimento de uma promessa, se você acredita que Jesus é o filho de Deus e que Ele próprio é Deus, como você pode negar que Deus se revelou ao homem?

Se o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus e Deus se fez à imagem e semelhança humana na pessoa de Jesus “Em carne humana”, porque julgamos que sua aparência não seja a aparência Divina ?

Não dizemos que o filho é a cara do Pai?
E neste caso quem seria o Pai de Jesus ?

Podemos até dizer que Deus não mostrou a sua face “ou sua aparência física” a Moisés, mas o que dizer da aparência física de Jesus que é Deus em pessoa humana ?

E o que dizer também quando Jesus se transfigurou na presença de seus discípulos ?

Seria sua aparência transfigurada uma mera aparência humana carnal ?

E depois que Jesus morreu e ressuscitou, Ele não era mais um ser humano comum, pois podia aparecer e desaparecer em salas fechadas, ou em cidades distantes e ao mesmo tempo estar em outro lugar, depois também este mesmo Jesus de aparência humana se elevou ao céu e voltou para o lugar de onde teria vindo, isto, usando as suas próprias palavras, sem dizer que neste momento ele não se transformou em fumaça ou em um raio de luz, mas subiu para o céu assim como estava em sua aparência física de forma humana, por que então negar que a sua aparência seria realmente esta ou afirmar que seria uma outra que jamais vimos?


Vejamos o que o próprio Jesus diz a este respeito:


Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo.          (São Mateus 11,27)


O Que significa conhecer a Deus, ou o que significa a frase proferida pelos Apóstolos naquela ocasião?

(São João 14,8)

Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta.

Por que queremos ver o Pai ?
Por que o homem quer ver a Deus ?
Por que o homem julga a aparência externa de Deus ?
Por acaso é uma duvida a respeito de sua existência ?

A resposta de Jesus a Felipe foi simples e direta:

9 – Há tanto tempo que estou convosco e não me conheceste, Filipe! Aquele que me viu, viu também o Pai. Como, pois, dizes: Mostra-nos o Pai… 10 – Não credes que estou no Pai, e que o Pai está em mim?

Neste ponto do evangelho, já não podemos mais afirmar que Deus não se revelou ao homem e sim exatamente ao contrário, porque já não existe mais mistério na aparência Divina, pois foi o Próprio Deus através de Jesus que nos revelou esta verdade…

As palavras que vos digo não as digo de mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é que realiza as suas próprias obras. 11. Crede-me: estou no Pai, e o Pai em mim. Crede-o ao menos por causa destas obras.

Sendo assim morre a afirmação anterior pois na cronologia da história este segundo fato vem após o primeiro e se antes Deus não havia se revelado, hoje já podemos contemplá-lo face a face, pois Ele se faz vivo e presente no meio de nós e ainda mais, o próprio Deus veio habitar em cada coração através de seu Espírito Santo, que nos revela ainda mais do que podemos imaginar.

A verdade é que, hoje todos nós podemos conhecer a Deus, pois Ele se revelou a nós através de Jesus.

(São João 15) – 15. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai.

Eu lhe respondo à sua afirmação anterior com as palavras de Jesus a Felipe… e que aliás são palavras escritas no mesmo evangelho de São João um pouco mais a frente, veja que o motivo de que João abriu o seu evangelho com esta afirmação foi exatamente para fecha-lo com esta outra afirmação…

Aquele que me viu, viu também o Pai. Como, pois, dizes: Mostra-nos o Pai ?…


Como pois dizes, ninguém viu o Pai ?


Por que afinal você acha que Jesus veio a este mundo ?

Foi para acabar de vez com esta duvida que pairava nos corações e para termos a certeza de que realmente existe um Deus que é Real e visível para nós, veja que é exatamente isto que comemoramos em Corpus Christi, a presença REAL DE JESUS na EUCARISTIA uma vez que foi sua própria afirmação que permaneceria para sempre no meio de nós e que seu corpo e seu sangue era o pão que veio do Céu para o nosso alimento espiritual.

Afinal de contas, Jesus está ou não está presente na Eucaristia?

Esta duvida está no coração de muitas pessoas e mesmo que Jesus declare e mostre a sua verdade ainda existirão pessoas como os Discípulos de Emaus ou até mesmo como o próprio São Tomé que queria enfiar o dedo no lado aberto de Jesus para acreditar que Ele realmente estaria vivo e não morto.



Não são poucos os milagres Eucarísticos que aconteceram em vários locais do mundo, mas mesmo estando disponível e exposto para que as pessoas coloquem o dedo e vejam com os próprios olhos, de nada adianta ainda existirão pessoas que duvidarão desta verdade, espero pelo menos que aqueles que duvidam, antes de afirmarem as suas duvidas, que possam pelo menos colocar o dedo na ferida de Jesus assim como São Tomé, que aliás falou da boca pra fora, pois não teve a coragem de enfiar o dedo no lado aberto de Jesus, acreditou apenas com a visualização de sua pessoa e em sua palavra, mas Jesus declara que muito mais bem aventurados seremos nós que acreditamos em suas palavras sem termos visto ou ouvido assim como viram e ouviram os Apóstolos que o seguiram.

Que Deus vos abençoe

Sizenando / presentepravoce


Conhecendo_jesus_pessoalmente

São Padre Pio de Pietrelcina.

Tal como o apóstolo Paulo, o Padre Pio de Pietrelcina colocou, no  vértice da sua vida  e do seu apostolado,  a Cruz do seu Senhor  como sua força, sabedoria  e glória. Abrasado de amor por Jesus Cristo, com Ele se configurou imolando-se pela salvação do mundo.  Foi tão generoso e perfeito no seguimento e imitação de Cristo Crucificado, que poderia ter dito:

«Estou crucificado com Cristo; já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim» (Gal 2, 19). E os tesouros de graça que Deus lhe concedera com singular abundância, dispensou-os ele incessantemente com o seu ministério, servindo os homens e mulheres que a ele acorriam em número sempre maior e gerando uma multidão de filhos e filhas espirituais.

Este digníssimo seguidor de S. Francisco de Assis  nasceu no dia 25  de Maio de 1887  em Pietrelcina, na arquidiocese  de Benevento, filho  de Grazio Forgione e  de Maria Giuseppa de  Nunzio. Foi batizado no dia seguinte, recebendo o nome de Francisco.  Recebeu o sacramento da Crisma e a Primeira Comunhão, quando tinha 12 anos.

Aos 16 anos, no dia  6 de Janeiro de  1903, entrou no noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, em  Morcone, tendo aí vestido  o hábito franciscano  no dia 22 do mesmo  mês, e ficou a  chamar-se Frei Pio.  Terminado o ano de noviciado, fez a profissão dos votos simples e, no dia 27 de Janeiro de 1907, a dos votos solenes.

Depois da Ordenação Sacerdotal, recebida no dia 10 de Agosto de 1910 em Benevento, precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde. Em Setembro desse ano de 1916, foi mandado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até a morte.

Abrasado pelo amor de Deus e do próximo, o Padre Pio viveu em plenitude a vocação de contribuir para a redenção do homem, segundo a missão especial que caracterizou toda a sua vida e que  ele cumpriu através da direção espiritual dos fiéis, da reconciliação sacramental dos penitentes e da celebração da  Eucaristia. O momento mais alto da sua atividade apostólica era aquele em que celebrava a Santa Missa. Os fiéis, que nela participavam, pressentiam o ponto mais alto e a plenitude da sua espiritualidade.

A máxima expressão da sua caridade para com o próximo, vê-mo-la  no acolhimento prestado  por ele, durante mais  de 50 anos, às  inúmeras pessoas que  acorriam ao seu ministério  e ao seu confessionário,  ao seu conselho e ao seu conforto. Parecia um assédio: procuravam-no na igreja, na sacristia, no convento. E ele prestava-se a todos, fazendo renascer a fé, espalhando a graça, iluminando. Mas, sobretudo nos pobres, atribulados e doentes, ele via a imagem de Cristo e a eles se entregava de modo especial.

O seu interesse era a glória de Deus e o bem das almas.  A todos tratou com justiça, com lealdade e grande respeito.

Nele refulgiu a virtude da fortaleza. Bem cedo compreendeu que o seu caminho haveria de ser o da Cruz, e logo o aceitou com coragem e por amor. Durante muitos anos, experimentou os sofrimentos da alma.  Ao longo de vários anos suportou, com serenidade admirável, as dores das suas chagas.

Quando o seu serviço sacerdotal esteve submetido a investigações, sofreu muito, mas aceitou tudo com profunda humildade e resignação. Frente a acusações injustificáveis e calúnias, permaneceu calado, sempre confiando no julgamento de Deus, dos seus superiores diretos e de sua própria consciência.

Recorreu habitualmente à mortificação para conseguir a virtude da temperança, conforme o estilo franciscano.  Era temperante na mentalidade e no modo de viver.

No  dia 20 de Fevereiro  de 1971, apenas três  anos depois da morte  do Padre Pio, Paulo  VI, dirigindo-se aos  Superiores da Ordem  dos Capuchinhos, disse  dele: «Olhai a fama  que alcançou, quantos  devotos do mundo inteiro  se reúnem ao seu  redor! Mas porquê?  Por ser talvez um filósofo? Por ser um sábio? Por ter muitos meios à sua disposição?  Não! Porque celebrava a Missa humildemente,  confessava de manhã  até à noite e  era – como dizê-lo?!  – a imagem impressa dos estigmas de Nosso  Senhor.

Era um  homem de oração e  de sofrimento».

No dia 18 de Dezembro de 1997, na presença do Papa João Paulo  II foi promulgado o  Decreto sobre a heroicidade  das virtudes. Para a beatificação do Padre Pio, a Postulação apresentou ao Dicastério competente a cura da  senhora Consiglia de  Martino, de Salerno.

No dia 2 de Maio de  1999, durante uma solene  Celebração Eucarística  na Praça de São  Pedro, Sua Santidade João Paulo II, com sua autoridade apostólica, declarou Beato o Venerável  Servo de Deus Pio de Pietrelcina, estabelecendo no dia 23 de Setembro  a data da sua festa  litúrgica. No dia 26 de Fevereiro de 2002, foi publicado o Decreto sobre a sua canonização.

Texto  – Site do Vaticano


23 de Setembro – Festa de São Pio de Pietrelcina.


Link’s para


PPS DO TEXTO ACIMA


Celina Borges

Oração de Padre Pio


Oração




Jesus, Que nada me separe de Ti, nem a vida, nem a morte. Seguindo-Te em vida, ligado a Ti com todo amor, seja-me concedido expirar contigo no Calvário, para subir contigo à glória eterna; Seguirei contigo nas tribulações e nas perseguições, para ser um dia digno de amar-Te na revelada glória do Céu; para cantar-Te um hino de agradecimento por todo o Teu sofrimento por mim. Jesus, Que eu também enfrente como Tu, com serena paz e tranqüilidade, todas as penas e trabalhos que possa encontrar nesta terra; uno tudo a Teus méritos, às Tuas penas, às Tuas expiações, às Tuas lágrimas a fim de que colabore contigo para a minha salvação e para fugir de todo o pecado – causa que Te fez suar sangue e Te reduziu à morte. Destrói em mim tudo o que não seja do Teu agrado. Com o fogo de Tua santa caridade, escreve em meu coração todas as Tuas dores. Aperta-me fortemente a Ti, de maneira tão estreita e tão suave, que eu jamais Te abandone nas Tuas dores. Amém!”

(Padre Pio de Pietrelcina)

http://joglar.files.wordpress.com/2008/04/sao-padre-pio-de-pietrelcina.pps


Veja_mais_no_facebook_presentepravoce Plano_Deus nicodemos-e-jesus

Porco espinho se espeta muito, mas sobrevive com mais Amor ainda.




Uma analogia histórica para compreendermos a necessidade da compreensão e o Perdão dentro do relacionamento de amor e amizade entre os seres humanos que por natureza são essencialmente dependentes do convívio social.




OSábios porcos espinhos



Durante a era glacial, muitos animais morreram por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo esta situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente.

Mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que forneciam mais calor.

E, por isso, tornavam a se afastar uns dos outros.
Voltavam a morrer congelados e precisaram fazer uma escolha:

Desapareceriam da face da Terra ou aceitariam os espinhos e as espetadas do seu semelhante.

Com sabedoria, muita compreensão, AMOR, PERDÃO e muito espirito de sobrevivência, decidiram voltar e ficar todos juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que uma relação muito próxima poderia causar, já que o mais importante era o calor do outro. e assim sobreviveram.



f212b.jpg


Usando de uma analogia bastante simples é possível refletir sobre nós, seres humanos, que ao interagir com nossos semelhantes acabamos, muitas vezes, nos ferindo mutuamente. Nossos “espinhos” podem até não serem tão visíveis quanto os do animal da história, mas não provocam menos estragos; refiro-me às imperfeições humanas.

Somos seres sociais, necessitamos, pois, do convívio com os nossos iguais a fim de progredirmos. Tanto é assim que um bebê humano é totalmente dependente, todo o seu desenvolvimento, desde o básico de falar e andar, por exemplo, é fruto do convívio com os mais velhos. Quando adultos além da dependência emocional, precisamos de outras pessoas que sequer conhecemos, afinal alguém trabalhou para que estivéssemos vestidos, calçados, tivéssemos um lugar para morar e tantas outras coisas que muitas vezes fazemos uso sem lembrar que nos foi propiciado pelo trabalho humano. Somos inegavelmente dependentes uns dos outros, mas, na prática, parece que nos esquecemos disso.

Não entendemos ainda essa nossa necessidade de vivermos em grupo. Mesmo nas famílias, as células BÁSICAS de uma sociedade, as dificuldades de relacionamento se avolumam. Tudo porque não tomamos o devido cuidado para que nossos desajustes não provoquem sofrimento no próximo. Cheios de razão, optamos sempre por apontar o “espinho” alheio e as feridas que portamos; mas esquecemos de olhar as chagas que provocamos no outro. Enquanto agirmos dessa forma continuaremos disseminando a dor e o desconforto para nós mesmos e para nossos semelhantes. Por consequência nos sentiremos sozinhos e infelizes, correndo grave risco de não sobreviver ao “inverno” de nossas vidas.

Sejamos inteligentes e nos unamos para superar o frio moral que vem alastrando nosso mundo. Cuidemos, cada um, para que nossos “espinhos” não provoquem mais danos em nossa sociedade.

O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas mas aquele que une pessoas imperfeitas, pecadoras e cheias de espinhos pontiagudos que buscar sua unidade em um único alvo, Jesus Cristo o Único e perfeito.

“Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. (1 S. João 4.7-8)



porco espinho meio cactos


Espetada parece cocegas.


Esse bichinho é muito bonitinho, mas está classificado como

“EM EXTINÇÃO”,

cuide dele mas não leve para casa, pois ele não se adapta bem e pode morrer.


Preserve a natureza com muito Amor.


Escorpião
O Cego de Paris
Cuidado com as palavras
Escorpião