Kairós, O tempo Oportuno de Deus.


KAIRÓS: É o tempo determinado, nem antes e nem depois, o tempo, a hora, o minuto e o segundo certo para a ação de Deus, podemos dizer que não seria antes e nem depois, pois é o exato momento reservado por Deus.

SALVAÇÃO: “Muitas pessoas criticam este termo, principalmente no que tange à Salvação proposta por Jesus na Cruz, sendo que: aqueles que vivem tranquilos e sem dificuldade sem conhecer Jesus e não acreditando em Deus, se referem à Salvação como algo desnecessário.”

MEDITAÇÃO EM POWER POINT

Kairos_tempo_de_Deus
Kairós_pr3

Kairós, O Tempo de Deus!

Post sobre o mesmo assunto, pois o texto abaixo é a transcrição do slaid que acompanha o post postado no Slaidshare – São complementares.

Visualização Slaid’s:

2.  “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu:” (Eclesiastes 3,1)-15

3. Texto completo: (3.1) “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: 2 há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; 3 tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar; 4 tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria; 5 tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; 6 tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; 7 tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; 8 tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz. 9 Que proveito tem o trabalhador naquilo com que se afadiga? 10 Vi o trabalho que Deus impôs aos filhos dos homens, para com ele os afligir. 11 Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim. 12 Sei que nada há melhor para o homem do que regozijar-se e levar vida regalada; 13 e também que é dom de Deus que possa o homem comer, beber e desfrutar o bem de todo o seu trabalho 14 Sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar e nada lhe tirar; e isto faz Deus para que os homens temam diante dele. 15 O que é já foi, e o que há de ser também já foi; Deus fará renovar-se o que se passou.” (Eclesiastes 3:1-15)

4. Uma pequena definição dos termos usados para definir o tempo na Bíblia:

Obs: Os gregos antigos possuíam duas palavras básicas para a moderna noção de “tempo”:

Chronos & Kairós

5. – Aion:  Indicava o tempo de prazo longuíssimo, um período muitíssimo distante, que não temos conta nem como medir. O apóstolo Paulo usa esse termo quando diz que Jesus é Senhor não apenas neste século, ou nesta era, isto é, aion, como também no tempo vindouro – inclui aí milênios,   SEMPRE.

6. Chronos: Na Mitologia Grega era um deus dominador que destruía e consumia tudo que criava. Comia os próprios filhos dando uma idéia de fim inevitável assim como o tempo consome e deteriora tudo que nasce ou é criado pela natureza. Sendo que seria impossível escapar deste fim assim como todos nós estamos fadados inevitavelmente à morte levados pelo efeito do tempo em nosso próprio corpo que tornará ao pó tudo aquilo que um dia viera deste mesmo pó da terra.

7. Kairós: Na Mitologia Grega Kairós era filho do deus Chronos que escapou da morte e que ao contrário de seu Pai dava uma oportunidade de Salvação desta inevitável destruição. Era rápido e imprevisível e assim escapava das armadilhas de seu pai. Porém era careca na parte de traz da cabeça e assim não podia ser agarrado por traz pelos cabelos ao passar, a única chance era agarrá-lo de frente de imediato sem hesitação.

8. Chronos:  Está relacionado com a ideia de tempo cronológico “Tempo linear, corrente e finito” Tempo físico mensurável e definido como os minutos, as horas, os dias, meses, anos e etc. Isto é. “Cronologia”

9. Kairós: É um tempo imensurável e imprevisível, está sempre no presente, mas eminentemente no passado, é um instante como um piscar de olhos. É descrito como “O tempo Oportuno”, “O Tempo de Deus”. É um tempo determinado e imediato em que podemos conseguir uma definição permanente para o futuro.

10. Kairós: – indica um período de tempo, uma ocasião adequada ou uma oportunidade. O tempo da oportunidade, o tempo de uma visitação, o tempo de uma estação, a época da adolescência, o período das chuvas, ou o tempo de casamento. Por exemplo: Jesus veio ao mundo no tempo certo de Deus, ou seja, no kairós de Deus. Isto significa que tudo estava preparado para Cristo nascer.

11. “Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho.“ (São Marcos, 1,15) 

Jesus Inaugura assim o  Kairós.

12. O tempo da Graça, O tempo da Salvação.

“ É agora o momento favorável, É agora o dia da salvação ”. (II Cor. 6,2b)

13. O Que é SALVAÇÃO: É evitar o inevitável; É realizar o impossível; É receber o perdão De uma dívida impagável; É retornar à vida depois de perder até a ultima gota de sangue!  É escapar da morte recebendo mais uma chance e uma nova VIDA …

Muitas pessoas acham que não precisam de Salvação.

13. Porque rezam e vão à Igreja; Porque não cometem pecados graves; Porque não são pobres e dependentes; Porque são ricas e abastadas; Porque não estão doentes; Porque são pessoas boas E não cometem o mal; Porque não correm perigo; Porque não se vê nenhuma tempestade com chuvas, Raios, trovões, ventanias, furacões, tsunamis e terremotos a caminho… logo está tudo bem e sem problemas.

14. O Apocalipse (3,17) diz:

“Pois dizes: Sou rico, faço bons negócios, de nada necessito – e não sabes que és infeliz, miserável, pobre, cego e nu. 18. Aconselho-te que compres de mim ouro provado ao fogo, para ficares rico; roupas alvas para te vestires, a fim de que não apareça a vergonha de tua nudez; e um colírio para ungir os olhos, de modo que possas ver claramente.”

14. Surpresa … (S. Mateus 24,35). O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão. 36. Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai. 37. Assim como foi nos tempos de Noé, assim acontecerá na vinda do Filho do Homem. 38. Nos dias que precederam o dilúvio, comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Surpresa … 2. Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite. 3. Quando os homens disserem: Paz e segurança!, então repentinamente lhes sobrevirá a destruição, como as dores à mulher grávida. E não escaparão.

15. Como um ladrão: 2. Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite. 3. Quando os homens disserem: Paz e segurança!, então repentinamente lhes sobrevirá a destruição, como as dores à mulher grávida. E não escaparão.

16. A Salvação é um Presente de Deus. (Efésios 2,8-9) Mas muitos ainda não a encontraram e nem perceberam o seu grande VALOR!

17. São Paulo escreve aos (Romanos 13,11). Isso é tanto mais importante porque sabeis em que tempo vivemos. Já é hora de despertardes do sono. A salvação está mais perto do que quando abraçamos a fé. 12. A noite vai adiantada, e o dia vem chegando. Despojemo- nos das obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz. São Pulo nos fala:

18. Não percebemos esta realidade espiritual e andamos perdidos no tempo! Mesmo cristãos andam afirmando que seu tempo não dá para nada e que seu dia teria que ter o dobro das horas para possibilitar o cumprimento de sua agenda! O que isto significa? O que a Palavra de Deus tem a nos dizer acerca disto?

19. A Palavra nos afirma que TUDO tem o seu tempo DETERMINADO: O nascer, o adolescer, o amadurecer, casar, envelhecer, morrer e etc. Quando tentamos fazer as coisas ou viver a vida fora do tempo determinado por Deus ou atropelando o “ciclo da vida”, corremos sérios riscos.

20. O tempo EXISTE para tudo aquilo que na vida se converte em um PROPÓSITO! O que é um propósito? 21. Um PROPÓSITO é uma determinação (atitude) interior, fruto de análise e reflexão, que gera e nutre uma AÇÃO exterior! A questão das Prioridades da Vida, claramente estabelecidas por Deus em Sua Palavra – (Efésios 5 e 6)

22. Conclusão … Nosso propósito, nossas prioridades, nossos planos e metas determinam como gastamos o nosso tempo. Por sua vez, a maneira como gastamos o nosso tempo determina quem e o que somos. O SEGREDO é começar a ouvir à Deus antes de decidir – uma decisão tomada é quase impossível de ser mudada.

23. Devemos participar efetivamente dos PLANOS DE DEUS para NOSSA VIDA.

Analise sua vida agora!

24. Quem quer hoje converter o seu tempo, entregar sua agenda ao Pai? Quem anda estressado, exausto, por estar vivendo um estilo de vida não compatível com a direção de Deus, conformando-se as imposições de uma sociedade que perdeu o rumo? É possível estar desgastado também por tentar fazer o Que Deus não mandou ou Tentar fazer mais do que ele requer.

25. (S. Mateus 25) – Os convites já foram enviados  Vinde benditos de meu Pai

26. O banquete está pronto, mas os convidados não foram dignos e não compareceram! (S. Mateus 22,8) E Você ? Também foi convidado! Não virá para a Festa?

27. O Tempo da graça está conosco agora, mas seu fim está próximo. O tempo de tomar a decisão está se esgotando e em breve as portas para o grande banquete serão fechadas e ninguém mais poderá entrar, não perca sua oportunidade.

Tome sua decisão agora!

28. “Vigiai, pois, com cuidado sobre a vossa conduta: que ela não seja conduta de insensatos, mas de sábios 16. que aproveitam ciosamente o tempo, pois os dias são maus. 17. Não sejais imprudentes, mas procurai compreender qual seja a vontade de Deus.18.Não vos embriagueis com vinho, que é uma fonte de devassidão, mas enchei-vos do Espírito.” (Efésios 5, 15).

Kairós_pr3 Mensagens_Power_Point
Salvação_boia Quem sou faz a diferença livro_de_capa_preta


A Vivência do Sacramento do Matrimônio.

 



A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO

DO MATRIMÔNIO.

Tema preparado para apresentação em encontro de Casais.


Vivencia_matrimonio


Trabalhar a vivência do Matrimônio é muito importante para o fortalecimento do convívio do casal ajudando no aperfeiçoamento do Amor e a superação de todas os desentendimentos, intrigas, problemas e dificuldades do casamento no dia a dia.

O Sacramento do Matrimônio é Indissolúvel.

A nossa preparação deve ser planejada para um futuro distante e não apenas para uns dias de férias da minha vida antiga, é um passo sem retorno e que o nosso futuro dependerá de cada atitude que tomarmos a partir de agora.

(Dinâmica Opcional 1) *


(C.I.C. 1614). Na sua pregação, Jesus ensinou sem equívocos o sentido original da união do homem e da mulher, tal como o Criador a quis no princípio: a permissão de repudiar a sua mulher, dada por Moisés, era uma concessão à dureza do coração (119): a união matrimonial do homem e da mulher é indissolúvel: foi o próprio Deus que a estabeleceu: «Não separe, pois, o homem o que Deus uniu»         (Mt 19, 6).


Indissolubilidade_matrimônio


– 21. Sujeitai-vos uns aos outros no temor de Cristo.

22. As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor, 23. pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador. 24.Ora, assim como a Igreja é submissa a Cristo, assim também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos. 25.Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, 26. para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra, 27. para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível. 28. Assim os maridos devem amar as suas mulheres, como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. 29. Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e a trata, como Cristo faz à sua Igreja 30. porque somos membros de seu corpo. 31. Por isso, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois constituirão uma só carne (Gn 2,24). 32. Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e à Igreja. 33. Em resumo, o que importa é que cada um de vós ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher respeite o seu marido.        (Efésios 5, 21 a 33) 


O Sacramento do Matrimônio começa no altar na solenidade do Casamento da Igreja.

É quando dizemos “SIM” um ao outro.

É quando livremente declaramos que desejamos viver um com o outro por toda a vida, na alegria e na tristeza, nos momentos bons e nos momentos difíceis.  Naquele momento solene, revestido de muita pompa se dá o começo de nosso casamento.  Ele vai durar a vida toda, pois é indissolúvel e sua continuidade é fundamental.

JOÃO PAULO II NA CARTA AS FAMÍLIAS

Diz que: “A Família é o Santuário da Vida.”

SANTUÁRIO SIGNIFICA LUGAR DE DEUS, LUGAR SAGRADO.

É neste ambiente que surge o casal, não mais homem e mulher, mas um casal, uma só carne que deve crescer e multiplicar-se.   O crescimento pertence aos dois, ambos devem cooperar um com o outro para que atinjam uma maturidade capaz de produzir de maneira estável a felicidade um do outro.

A vida humana surge como de uma nascente sagrada e é cultivada e formada.

Tem continuidade ao longo do futuro através das sucessões familiares.

O Concílio Vaticano II, na constituição Dogmática sobre a Igreja, começa dizendo no N. 11 que Ela é o povo de Deus, e declara que a Família é a Igreja Doméstica.

ISTO SIGNIFICA:

“LUGAR ONDE DEUS RESIDE, É ADORADO, AMADO E SERVIDO.”

“A Salvação da pessoa e da sociedade humana estão intimamente ligadas à condição da feliz comunidade conjugal e Familiar”.

A FAMÍLIA SE CONSTITUI O FUNDAMENTO DA SOCIEDADE.

Jesus habita de maneira muito especial na Família Cristã nascida e vivenciada no Sacramento do Matrimônio.  Ele revela muito bem sua presença no evangelho das Bodas de Caná da Galileia.  Quer estar com a Família ajudando-a a vencer todos os desafios de falta de vinho, isto é, o que faltar para a alegria e a felicidade plena de um casal.

Deus quando os criou homem e mulher à sua imagem e semelhança Ele os quis em Família onde impera o amor.

O ser humano é semelhante a deus na medida em que desenvolve a capacidade de amar seu semelhante, a começar pelo seu próximo mais próximo que no Matrimônio Cristão é o seu cônjuge.

Criou todos os seres dotados de tudo, somente o homem, no sexto dia Ele afirmou, “CRESCEI E MULTIPLICAI, DOMINAI A TERRA.” Homem e mulher são chamados a continuar a obra de Deus, a construção mútua e do universo.

O ser humano possui a capacidade de criar, não só de seus filhos, mas de si mesmos.

Ao final deste encontro já teremos uma consciência nítida que temos uma tarefa nova e gostosa pela frente.  Devemos cultivar nosso amor e construir o Reino de Deus em nosso lar.

Temos um campo bem definido de atuação, que é nossa casa no âmbito familiar, se cada lar for um jardim de felicidade, o mundo seria exuberante, a beleza e a paz alimentarão todos os corações.  esta tarefa deve ser feita por uma livre escolha de cada um.

Nossas obrigações conjugais e familiares instintivamente devem ser prazerosas e plenas de realização.

O catecismo da Igreja Católica diz que a Família é “O VESTÍGIO E IMAGEM DA COMUNHÃO DO PAI DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO. SUA ATIVIDADE PROCRIADORA E EDUCADORA É O REFLEXO DA OBRA CRIADORA DO PAI”.

Isto mostra que a Família é a unica imagem de Deus Trindade esculpida por Ele.  Não é uma imagem estática, mas dinâmica e viva como Deus é VIVO  e Dinâmico. DEUS não criou e abandonou sua obra, Ele continua agindo e nos faz seus cooperadores, responsáveis pela continuação de sua obra pelo seu aperfeiçoamento. Desde o começo da humanidade existe a família e ninguém jamais pode ou poderá destruir, pelo fato de que ela é Divina e foi instituída por Deus.  Como ensina o catecismo da Igreja Católica, “A FAMÍLIA É A CÉLULA ORIGINÁRIA DA VIDA SOCIAL.” É a sociedade natural na qual o homem e a mulher são chamados ao dom de si no amor e no dom da vida”.



A Família é o eixo da humanidade, é a sua pedra angular.

“O FUTURO DA HUMANIDADE PASSA PELA FAMÍLIA.”

É na família que pais e filhos devem encontrar a felicidade.

Quem não experimenta o amor na família será difícil encontrá-lo noutro lugar.

É na família que desde a infância se assimilam os valores morais, a forma de conduta e a hierarquia de valores.

É na família que as crianças devem aprender a amar a Deus, a respeitar a seus pais, a usar sua liberdade de dentro dos limites da disciplina familiar.

É na família que os filhos aprendem a se valorizar por ter uma obrigação, um dever a cumprir, exercícios escolares a realizar.

Quando os filhos crescem nunca se esquecem dos preceitos familiares nem dos conselhos de seus pais, mesmo que os testem na adolescência e se afastem deles por algum tempo.

Os valores humanos e evangélicos plantados uma vez no coração das crianças, não morrem, mesmo que eles aparentemente os reneguem, uma força interior os conduz para a justiça e para o desejo de amar e ser amados.

A nossa espiritualidade de casados, não é a de Padres e freiras celibatários. nossa espiritualidade própria envolve os dois, não pode ser individual.   deus nos confiou uma tarefa comum, que devemos cumprir a dois.

Precisamos cimentar o nosso amor no AMOR de DEUS. Quanto mais nos amarmos um ao outro mais estamos amando a Deus e nossas brigas, desentendimentos, rancores e falta de perdão com toda certeza são ofensas a Deus.  Nossa infidelidade conjugal é também infidelidade a deus. Somos encarregados de fazer com que o mandamento do amor seja posto em pratica, a partir da nossa casa.

A oração do casal é fundamental, precisamos rezar juntos.

A experiência que temos com casais mostra que eles tem uma profunda dificuldade para rezar juntos. Alguns rezam até demais, individualmente. Há casais que rezam cada um para o seu lado.

Todos os dias precisamos oferecer a Deus nosso trabalho diário, nossos filhos, nossos problemas e pedir que Ele nos ajude a cumprir sua vontade ao longo do dia.

Há muita gente que procura por uma oração forte, mas asseguro a você que não existe uma oração mais forte do que o casal que reza junto, sabem porque? É Jesus que reza ao Pai unido ao casal e pede ao Pai juntamente com os dois, conforme prometeu em (São Mateus 18, 19-20) “ONDE DOIS OU MAIS ESTIVEREM REUNIDOS EM MEU NOME EU ESTAREI NO MEIO DELES”.

Nosso amor conjugal precisa crescer cada dia e o caminho para que isso aconteça consiste no dialogo e perdão. Sem dialogo meus amigos não conheceremos um ao outro E NINGUÉM AMA A QUEM NÃO CONHECE, ficamos imaginando cousas que não são verdadeiras e nos afastam mais um do outro. O diálogo precisa ser humilde, verdadeiro, construtor.  Temos um belo exemplo de diálogo na Bíblia em (São João 4) quando Jesus fala com a Samaritana no poço de Jacó.

O PERDÃO

Não precisamos falar, todos sabem pela sua experiência de casados que Ele reconstrói e restaura nossa casa e sem Jesus o nosso castelo de areia desaba.

O amor definha na medida em que não oferecemos o perdão do mesmo modo como as plantas secam por falta d’água.

Quantas vezes perdoar, minhas amigas e meus amigos?

Qual foi a resposta de Jesus a São pedro?

Pedro perguntou ao Mestre se poderia perdoar até sete vezes.

Jesus respondeu enfaticamente, não apenas sete vezes apenas, mas setenta vezes sete todos os dias. isto significa: SEMPRE, SEMPRE SEMPRE.

Há, já perdoei duas vezes, agora ele vai ver o que é bom, vou me vingar.

As vezes dizemos isso. sem deixar de rezar o Pai nosso “

PERDOAI AS NOSSAS OFENSAS ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS …

Amigas e amigos se há algo muito importante para a espiritualidade conjugal, são os nossos corpos. Saíram das mãos de Deus que nos fez homem e mulher, atraídos um pelo outro e desejosos de se darem um ao outro.

A felicidade mais parecida com a do céu é a do orgasmo.

Deus quer que experimentemos uma amostra grátis da felicidade celestial. Como é bom estarmos junto, como faz bem nos doarmos um ao outro sem reservas e sem pensar em outro ou outra.

Nós precisamos aperfeiçoar nossa relação sexual. Ela não começa na hora que a gente entra no quarto e inicia a se despir.

Ela começa pela manhã quando acordamos e damos um bom dia bem alegre ao nosso cônjuge.

Devemos agradecer a Deus por termos ao nosso lado a fonte de nossa alegria  e felicidade que é o nosso cônjuge e manifestar um ao outro toda ternura, respeito e atenção.

A mulher é fisiologicamente diferente do homem, seu sexo é mais difuso em todo o corpo e é mais lento nas relações. NAS REAÇÕES. Enquanto que o homem tem um processo mais rápido, por esta razão ele deve procurar sintonizar com as relações dela para que sejam bem sucedidos.

Faz parte de nossa espiritualidade conjugal nosso bom desempenho no sexo, fazendo seu parceiro e parceira felizes.

Como dizia um certo Padre com experiência com casais, depois de uma noite bem sucedida vocês têm mais ânimo e coragem para a labuta, sofrimentos e canseiras do dia a dia.

Amigos e amigas, certamente levamos muitos bons propósitos deste Encontro com Cristo.

Nossa lua de mel mais consciente de nosso matrimônio vai recomeçar a partir de hoje melhor do que da primeira vez.

Mas queremos alertar a vocês de uma coisa verdadeira que nos poderá atrapalhar logo mais e nos decepcionar um com o outro.

É que somos pecadores  e como tais precisamos da ajuda dos irmãos. precisamos de uma equipe de casais para nos ajudarem na caminhada a refazer nosso entusiasmo e nossos bons propósitos.

Falamos disto com muita experiência pois há muitos anos nos reunimos com a mesma equipe de espiritualidade conjugal e caminhamos para Deus todos juntos.

Não abandonem   sua equipe. Ela é a garantia de seu sucesso daqui para frente. Na sua equipe você vai viver em comunidade, sendo uma célula viva da Igreja de Cristo.


38bceab0255f8744[1]

Baixe o texto em Documento – Wold.Doc

07 – A Vivência do Sacramento do Matrimônio.doc


8836df04d428903f901fe9a769c1c97a_kak-redaktirovat-pdf-dokument-411-414-c[1]

Click e Baixe o Texto em arquivo PDF 

07 – A Vivência do Sacramento do Matrimônio.pdf



A Pastoral Familiar no Brasil.


Deus Uniu

“Superar os momentos difíceis é sabedoria…Viver os momentos felizes é uma arte.Que a felicidade a dois continue sendo o objetivo principal de suas vidas. Que a caminhada seja longa repleta de amor e compreensão. ”Que Jesus continue sempre presente realizando o milagre do vinho novo nos momentos mais Difíceis da Vida.Nossos Votos de Muitas felicidades.


3.    O CASAL CRISTÃO NO MUNDO DE HOJE.


Dinâmica do Café com Leite:

Indissolubilidade do Matrimônio


Dinâmica da Pipoca

Pipoca sem Sal não tem Sabor

SAL DA TERRA


Atualizado em 10/05/2012



Encontro de Casais com Cristo_ECC



 

O Namoro na Visão Cristã Católica.


Dom Adair, Bispo de Rubiataba Escreve:

Prezados jovens Católicos, sejam vocês o alicerce da construção da “civilização do amor” (Paulo VI) e da concretização de uma vida feliz a partir da santidade e do respeito à pessoa do outro.

Ninguém te despreze por seres jovem. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade.

(I Timóteo 4,12)

peadair.jpg

Pe Adair José Guimarães, Novo Bispo

Da Diocese de Rubiataba-Go. 17/05/08


Mara Rosa, 2004

Creio que outros vão escrever mais diretamente sobre o “namoro cristão”; quero fazer uma rápida abordagem do tema no plano humano, decorrente de uma visão positiva da filosofia cristã, cujo centro da atenção é a pessoa humana e seu caminho para a felicidade.

Faz parte da lógica consumista do capitalismo moderno apresentar a vitrine fetichista do comércio formal e informal, de maneira mais ousada nos shopping’s centers, como espaço do descartável. Os produtos, embora bonitos e requintados, em grande parte são descartáveis. Fabricados para serem consumidos rapidamente, devem ser substituídos por novos exemplares que a cada momento são inseridos nas prateleiras reais e virtuais do mercado, obedecendo à lógica do muito consumir. A cada ano surge uma infinidade de modelos novos de celulares e outros bens na área da eletrônica que povoam o imaginário dos humanos consumistas.

Essa perversidade que engalfinha milhões de dólares a cada dia está impregnando cada vez mais o inconsciente coletivo da humanidade, sobretudo no Ocidente: berço esplendido do consumismo. Trata-se da lógica do descartável: usa-se enquanto lhe agrada e faz bem, depois joga-se fora e busca-se outra opção que lhe satisfaça melhor aos instintos.

Tal realidade se materializa em mentalidade, em pensamento. Isso passa a reger o mundo humano e interfere drástica e profundamente na concepção de pessoa, de Deus, da natureza e da sociedade. Lamentavelmente a pessoa humana também está sendo colocada na vitrine, como objeto de consumo.

A mentalidade de prevalência do prático, acredito, tem favorecido uma mentalidade utilitarista e hedonista das coisas e passado dessas para as pessoas. Estamos vendo saltar aos nossos olhos as conseqüências desta mentalidade. Da mesma maneira que as pessoas trocam de aparelho celular a cada modelo novo que chega às lojas, muitos(as) estão trocando de relacionamentos afetivos a cada impulso dos sentidos em direção às possibilidades de novas aventuras e novas expectativas de prazer.

Tanto no namoro quanto no casamento percebe-se tal desastre humano. A raiz do problema não está basicamente na perda dos valores morais. É mais profundo. É uma questão de mentalidade. A concepção de pessoa humana está se nivelando com a concepção que temos das coisas e do seu conseqüente uso.

O namoro que brota entre dois jovens de sexos opostos é sempre acompanhado da mentalidade que ambos trazem consigo. Quando estes possuem uma concepção humana frágil, inegavelmente o relacionamento será igualmente frágil e possibilitará o aprofundamento das negatividades de alguns aspectos já decadentes.

A fase do namoro, ideal e moralmente objetivo, é um período excepcional para o conhecimento de duas pessoas, geralmente jovens, de sexo oposto. O namoro é um período na vida dos namorados que lhes permite se conhecerem melhor. Isso é fundamental para o alicerce de uma nova família que se quer sólida.

A prática do namoro evoluiu muito nas últimas quatro décadas. Não foi uma evolução ruim. Afinal, não dá para pensar o namoro nos moldes das primeiras décadas do século passado. Com a abertura dos últimos tempos e a igualdade de direitos estabelecida entre o homem e a mulher, bem como a quebra do tabu que circundava a questão sexual, abriu-se as portas para uma nova prática do romance amoroso entre os namorados. O erro não está na abertura, mas no mau uso da liberdade, face à mentalidade do descartável que está tomando conta da sociedade.

O estilo do namoro antigo tem muito em comum com o namoro dos nossos tempos: a falta de conhecimento um do outro. O namoro antigo não permitia nenhuma espécie de contato físico; a conversa entre os dois não existia, o estar só era impossível, etc – não se conheciam. O namoro moderno e avançado permite tudo: o sexo livre, o aborto, a depravação, etc – também não se conhecem como pessoas.

O final do filme todos nós conhecemos: corações machucados, magoados e infernizados com a síndrome da dependência sexual e outros males. A sociedade ainda é machista; por isso o Pe. Zezinho tem razão quando compôs a música “Laranja Lima” e nos diz que no namoro errado é a mulher quem sofre mais. Deve ser muito triste a ressaca do pós-namoro pagão, quando a consciência advertir que a jovem foi usada ou que usou o outro simplesmente por prazer, tendo se acobertado, para tanto, na falsidade e na mentira.

Estamos vivendo um mundo carente de valores. Além da mentalidade do descartável que favorece o hedonismo utilitarista no namoro (para muitos o trivial “ficar”), temos a elaboração de um ambiente cultural de morte que se expressa na música mundana, no teatro e no cinema também mundanos que apregoam os contravalores como sendo determinantes para a felicidade. Aí está o engano, pois se trata de uma mentalidade distorcida da pessoa humana. É a crise antropológica (a pessoa humana não se interroga sobre o seu fim). É a evidente falta de consciência do que é a realidade da pessoa humana e o que é realmente a felicidade para a qual a pessoa humana foi criada.

O que fazer para viver o namoro coerente e de maneira cristã? Olhar para Jesus Cristo, o modelo antropológico perfeito. Olhar para o testemunho de tantos casais que vivem o namoro correto e santamente. Não tenho dúvidas, os casais de namorados que viveram santamente o seu namoro viverão santamente o seu casamento. Afinal, a conquista da felicidade não se dá sem sacrifício, renúncia e entrega consciente. Onde há o amor não há a dor. “Felizes os puros de coração porque verão a Deus” (Mt. 5, 8).

Prezados jovens cristãos, sejam vocês o alicerce da construção da “civilização do amor” (Paulo VI) e da concretização de uma vida feliz a partir da santidade e do respeito à pessoa do outro. Deus os abençoe.



Mosenhor Adair José Guimarães Texto da Homilia da Missa de Encerramento no XI Encontro de Servos em Goiânia 23/04/08

Não existiria outra forma mais sublime, mais santa de encerrarmos esse belíssimo encontro, que não fosse com na Eucaristia. O altar passa a ser o centro de toda nossa atenção!

O décimo primeiro encontro encerra-se com a homilia do Monsenhor Adair, que nos atenta para a temática do encontro: “Retorna as tuas primeiras obras”, lembrando-nos do quanto é necessário recolhermos para ouvirmos que o Deus nos fala, ressaltanto ainda que a Renovação Carismática Católica (RCC) no início do seu trabalho possuia a prática maior de ouvir a voz de Deus.

Devemos escutar a palavra de Deus com a sua vontade e as suas exigências. E como dizia Exupérry: “só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”.

Sendo assim, diz Monsenhor Adair, devemos ouvir, pois só se ouve bem com o coração. E a condição indispensável para ouvirmos a palavra de Deus é o silêncio, pois no silêncio Deus nos fala ao coração.

Vivemos hoje em um mundo tão barulhento, com tantos sons das mais diversas procedências, e esses sons misturados e alternados com pancadas, nos causam insônia, desânimo, depressões. E fugir de vez enquanto é questão de sobrevivência física e muito além, de sobrevivência espiritual, pois só no silêncio conseguimos ouvir a palavra de Deus. O silêncio é a porta do céu. Busquemos o silêncio para orar, pois a raiz de toda espiritualidade da RCC se encontra no silêncio.

E por muitas vezes que somos seduzidos pelo mundo, vemos que a maldade parece dominar, quantos velhos sendo mal tratados, quantas crianças com deficiência sendo discriminadas, quantas pessoas sendo humilhadas. Mas diante de tudo isso, nossa resposta deve ser o amor, o amor sempre e em qualquer condição.
“ Somos perseguidos e suportamos. Somos caluniados e nos doamos.”

Precisamos entender que devemos ouvir o clamor de todo povo que é mal tratado, devemos ir ao encontro de tantas almas que por aí estão perdidas. Não podemos permitir que a nossa língua nos atrapalhe de ouvirmos a Deus. Que tenhamos o Espírito profundamente católico para que possamos ser católicos no grupo de oração, mas principalmente em todos os outros momentos de nossas vidas, no convívio com tantas pessoas que ainda não sentiram o profundo amor de Deus. Permita-nos Senhor, descobrir no silêncio, um profundo momento de louvor e adoração.

Carla Rodrigues– Ministério de Comunicação Social – GO




FELIZ DIA DOS NAMORADOS.

Experimente clicar nestes Link’s Abaixo.


NAMORO

FRANCISCO E CLARA
O Cristo Disfarçado