A lágrima de Deus Pai.


A Lágrima que cai dos olhos do Pai no Filme “A Paixão de Cristo”, Revela que Deus não é insensível à dor de seu Filho Jesus, muito menos à dor de cada um de nós que também somos seus filhos amados.


Diz se, que Deus é capaz de realizar qualquer coisa, até mesmo o que é impossível, mas se descobriu que Ele não seria capaz de fazer algo.


Deus não é capaz de Deixar de nos Amar !

Se Deus é Amor ?

Será Amor Sempre !


Mel Gibson

A Lágrima Divina que cai no solo.

La Lágrima de Dios Padre


 A lágrima de Deus Pai.


Há uma cena no filme “A Paixão de Cristo” de Mel Gibson que tem levantado muitas dúvidas entre os seus telespectadores, a ponto de descobrir muitos deles uma nova dimensão da Paixão de Cristo. Referimos ao episódio que se segue logo após à morte de Jesus na cruz. Direcionando seu olhar para o alto, Jesus Cristo pronunciou suas últimas palavras: “Pai, Eu entrego em tuas mãos o meu Espírito”; para expirar logo após entregar seu Espírito. Em seguida, o ângulo de visualização vai subindo gradualmente, até ao ponto de se aproximar o calvário de uma altura que evoca a perspectiva do céu. Nesta posição de altitude, forma-se uma gota de lágrima, literalmente na visão daquele que vê, caindo em direção à terra. Quem poderia estar observando os acontecimentos em silêncio e imóvel, mas não incessível aos fatos ? Tanto, que a lágrima se desprende inconscientemente com os olhos ainda abertos e fixos em seu Filho que expirava. Esta Lágrima revela a presença de Deus-Pai na cena da crucifixão. A Trajetória da gota de Lágrima termina em colisão com a poeira da superfície do monte calvário, provocando um terremoto. Desta forma tão simples e sugestivo, abrindo uma janela para o divino Redentor: Deus o Pai, nos toca com sua maior expressão de amor antes de acolher seu Filho novamente em seus braços!

Para compreender isto, é necessário a remoção da poeira de algumas passagens bíblicas, infelizmente esquecidas ou relegadas, revela que Deus deu o seu Filho único para morrer numa cruz como sacrifício para a salvação e libertação de toda a humanidade: “Este é o amor: não que temos amado a Deus, mas que Ele nos amou primeiro e enviou seu Filho como purificação de todos os nossos pecados. “(1 Jo 4.9). Nunca devemos interpretar que Cristo foi entregue pelo Pai para morrer na cruz por sua própria vontade. Jesus oferece a sua vida ao Pai, livremente e por amor, para reparar a nossa desobediência (1 Tim Cf. 2.6). Por último, o Pai, chocado, aceita o sacrifício de seu Filho. A ressurreição de Cristo não é senão o abraço do Pai com Cristo, que organiza a sua oferta para todos os homens. Como resultado deste plano de salvação, a humanidade é reconciliada com Deus através de Cristo: somos filhos de Deus através do Filho Jesus.


L_grimaCristo


Mel Gibson tomou a liberdade de unir o cenário do início do terremoto, narrado em Mateus 27,51, com a queda da presente lágrima do Pai. Assim, esta lágrima se torna uma expressão, ao mesmo tempo, de ira e divina misericórdia. Devemos esclarecer que, obviamente, em Deus não pode haver irritação ou espírito egoísta de retaliação. Por isso, temos de compreender a ira de Deus como uma expressão do “Zelo” e santidade de Deus que sofre rejeição pela a oferta da salvação, e tentar por todos os meios superar os obstáculos decorrentes da eliminação do mau do homem, assim como Jesus fez para expulsar os mercadores do Templo (João 2, 14ss).

Da mesma forma, a ira divina expressada neste terremoto, resulta em misericórdia para com o soldado romano que atravessa com sua lança o lado de Cristo. O filme pretendia fazer um paralelo previsto pelas Escrituras “Ignace De La Potterie”. Com efeito, quando os evangelhos de Mateus e Marcos disseram que o véu do templo foi rasgado na altura da morte de Cristo, em paralelo, o evangelho de São João que diz respeito ao lado de Cristo também foi rasgado pela lança. Uma vez que não mais existe um véu que nos esconde a pessoa de Deus. Na morte de Cristo se revela o mistério escondido no Antigo Testamento. Deus já não tem segredos para connosco. O Coração de Cristo, revela a intimidade de Deus: “Por isso Jesus deixou de nos chamar de servos, e passou a nos chamar de amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu vos tenho dito e revelado” (Jo 15, 15).

Intercalar nas várias sequências da origem do terremoto, após a queda da lágrima Divina. Reserva-se um breve e intenso flash para refletir o desespero de Satanás. Na verdade, o ato de obediência que foi cravado sobre a cruz, representa a última e decisiva vitória sobre o demônio, que sempre tinha sido a perseguição, tentando remover Jesus do plano redentor que recebeu de seu Pai. Por isso, compreendo a importância da passagem bíblica: “Se pela desobediência de um, todos foram feitos pecadores, também pela obediência de um, todos serão justificados” (Rm 5, 19).

Temos que agradecer a Mel Gibson, não pode ser limitado na produção de seu filme para uma descrição dos acontecimentos externos da paixão, morte e ressurreição de Cristo. Pelo contrário, ela tem prestado um inestimável serviço à fé católica, para entrar em contemplação do plano salvífico na dimensão da morte de Cristo. Na Cruz de Cristo vemos dois planos diferentes, mas não contraditórios: a liberdade humana ao nexo de causalidade e ao plano redentor de Deus, tantas vezes anunciado pelos profetas. Ao mesmo tempo que Jesus sofre as maiores injustiças do Homem entregando sua vida para a nossa justificação, em um ato de amor ao Pai e cada um de nós:


17.

O Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar.

18.

Ninguém a tira de mim, mas eu a dou de mim mesmo e tenho o poder de a dar, como tenho o poder de a reassumir. Tal é a ordem que recebi de meu Pai.

José Ignacio Munilla Aguirre   Texto Original em Espanhol:

http://www.rosarioensevilla.org/textosymeditaciones/lagrimadios.htm


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg
FOI DEUS APOCALYPITO

És Precioso a Meus Olhos.



“E agora, eis o que diz o Senhor, aquele que te criou Jacó, e te formou, Israel: nada temas, pois eu te resgato, eu te chamo pelo nome, és meu… És precioso aos meus olhos, porque eu te aprecio e te amo, permuto reinos por ti, entrego nações em troca de ti”

(Is 43, 1 – 4).



O QUE É O AMOR ?




A palavra amor é um vocábulo que, por diversas vezes, é mal empregado, uma vez que, muitas pessoas não sabem, ao certo, o que ela significa. Quando tomamos a Palavra de Deus, encontramos definições e características, tanto para a palavra amor quanto para o ato de amar.

O amor é algo divino, pois cremos que o amor, em sua essência, vem de Deus, sendo que, na Bíblia, o amor verdadeiro e Deus constituem as mesmas coisas, como bem expressa São João: “Deus é amor!” (I Jo 4, 16b). Partindo desta definição, podemos fazer um paralelo entre esta belíssima citação bíblica e o conhecido trecho da primeira carta de São Paulo aos Coríntios, onde o Apóstolo procura dar atributos do verdadeiro amor, considerando-o a razão de toda e qualquer boa ação (I Cor 13, 1 – 7). A partir deste trecho da Sagrada Escritura, poderemos fazer um exercício: fazer uso das palavras direcionadas ao amor, atribuindo-as ao próprio Deus.

São Paulo vai ainda mais longe e declara: “A caridade é o vínculo da perfeição” (Cl 3, 14). Quer dizer: só no amor, só em Deus a perfeição é real. Neste paralelo entre Deus e o amor, não podemos ainda nos esquecer que o Deus Verdadeiro é uma comunidade de amor: o Pai ama o Filho e o Filho ama o Pai, sendo que, deste amor partilhado procede o Espírito Santo.


DEUS, POR SER O PRÓPRIO AMOR, AMA


Mesmo diante de toda a beleza sobre Deus e sobre o amor, ainda não nos aprofundamos sobre aquilo que este estudo quer transmitir: Deus, por ser o próprio amor, ama. Deus me ama: esta é uma expressão que o meu ser precisa ouvir. Deus ama você: esta é uma verdade que cada ser humano precisa tomar posse.

Deus, sendo amor, não se fechou em si mesmo, mas transbordou este amor ao criar todas as coisas (Gn 1). Ele não tem outra razão para criar, a não ser o Seu amor e a Sua bondade. O mundo procede da vontade livre de Deus, que quis fazer as criaturas participarem do Seu ser, da Sua sabedoria e da Sua bondade. Portanto, Deus não nos criou por uma necessidade, mas por amor.


CARACTERÍSTICAS DO AMOR DE DEUS


No decorrer de toda a história do povo de Deus, o Senhor vai revelando as características do seu amor. O amor de Deus, portanto, é:

– Pessoal – estamos acostumados a ser uma multidão. Isto, muitas vezes, nos leva a crer que Deus nos vê e considera assim: uma multidão. Porém, isto não é verdade: DEUS AMA A CADA UM COMO FILHO ÚNICO. Deus conhece você, suas necessidades, seus anseios, suas qualidades e dificuldades. O amor de Deus por você é tão pessoal, único e tão apaixonado, que o Senhor “tem o seu nome gravado na palma de Suas mãos e tem você sempre diante de Seus olhos” (Is 49, 16);

– Misericordioso – ao ler as diversas passagens bíblicas sobre a misericórdia de Deus, constatamos que ela é sempre um socorro ao pecador. Quando o homem peca, a misericórdia de Deus é infinita para derramar-se sobre ele, fazendo com que venha em seu auxílio todo o mistério da ternura divina que o socorre e reconduz. A Palavra de Deus nos mostra que DEUS NÃO LEVA EM CONSIDERAÇÃO OS PECADOS DOS QUAIS JÁ NOS ARREPENDEMOS E CONFESSAMOS (Is 43, 25). Deus espera ansiosamente nosso arrependimento, nossa volta para os seus braços (Lc 7, 36 – 47);

– Eterno – o amor de Deus nunca teve começo e nunca terá fim. DEUS SEMPRE AMOU VOCÊ E SEMPRE O AMARÁ (Jr 31, 3);

– Gratuito – Deus não nos ama em troca do que fazemos ou do que somos. DEUS ACEITA E AMA VOCÊ DA MANEIRA COMO VOCÊ É (Jo 8, 1 – 11). Você não precisa fazer esforço ou ser bom para merecer o amor de Deus, porque Deus não ama “em troca de”, mas “apesar de”. Deus ama gratuitamente. O meu esforço para ser santo deve ser uma prova do meu amor e da minha gratidão ao amor com Deus me amou primeiro (I Jo 4, 19);

– Fiel e constante – a Palavra de Deus nos mostra que o amor de Deus para conosco não muda, não oscila. MESMO QUE FOSSE POSSÍVEL UMA MÃE ESQUECER O SEU FILHO, DEUS NÃO NOS ESQUECERIA (cf Is 49, 15). Deus não abandona a sua criação (Is 54, 10) e está sempre voltado para as necessidades de Seu povo (Is 58, 9; Is 65, 24).


A GRANDE PROVA DO AMOR DE DEUS


jesus_vinde_a_mim_os_pequeninos

Deus manifesta seu amor na criação e em toda a história de Israel, agindo com misericórdia na vida daquele povo que, muitas vezes, era infiel ao Seu projeto. Mesmo diante de infidelidades, Deus continuava a dar provas de amor. Chegada a plenitude dos tempos, Deus dá à humanidade uma prova definitiva do Seu amor: envia seu Filho Unigênito ao mundo. DEUS PAI PROVA SEU AMOR POR NÓS EM JESUS (cf Rm 8). O Pai entregou Jesus, na alegria de, por sua entrega, nos conquistar a todos para Ele.

O Salmo 138 canta o amor de Deus, apresentando o ser humano como a maravilhosa obra saída das mãos do Criador. O Verdadeiro Deus é onisciente (tudo sabe e tudo vê), Onipotente (tudo pode) e Onipresente (está em todo lugar).

Portanto, Deus é amor, e cria todas as coisas por amor, sendo que homem e mulher são criados à imagem e semelhança de Deus, isto é, à imagem e semelhança do Amor. É sabendo desta realidade que o Senhor Jesus coloca o amor ao próximo como o segundo maior mandamento (Mt 22, 37 – 40). Os discípulos e todos aqueles que quiserem seguir o Senhor e dar testemunho de Sua Palavra, deverão, além de viver o amor de Deus, amar o próximo como a si mesmo (Jo 13, 34s; Rm 13, 8 – 10).


Autores: Grupo de Formadores da RCC Camocim Postado por Helton Silva


Seminário de Vida no Espirito
o-maior-tesouro-do-mundo ostra-9[1] Anel_Valor

Em Silêncio Deus nos observa, mas Ele não fica totalmente oculto !


A Lágrima que cai dos olhos do Pai no Filme “A Paixão de Cristo”, Revela que Deus não é insensível à dor de seu Filho Jesus, muito menos à dor de cada um de nós que também somos seus filhos amados.


Diz se, que Deus é capaz de realizar qualquer coisa, até mesmo o que é impossível, mas se descobriu que Ele não seria capaz de fazer algo, este algo seria.


Deixar de nos Amar !

Se Deus é Amor ?

Será Amor Sempre !


Mel Gibson

A Lágrima Divina que cai no solo.

La Lágrima de Dios Padre


 A lágrima de Deus Pai.

Há uma cena no filme “A Paixão de Cristo” de Mel Gibson que tem levantado muitas dúvidas entre os seus telespectadores, a ponto de descobrir muitos deles uma nova dimensão da Paixão de Cristo. Referimos ao episódio que se segue logo após à morte de Jesus na cruz. Direcionando seu olhar para o alto, Jesus Cristo pronunciou suas últimas palavras: “Pai, Eu entrego em tuas mãos o meu Espírito”; para expirar logo após entregar seu Espírito. Em seguida, o ângulo de visualização vai subindo gradualmente, até ao ponto de se aproximar o calvário de uma altura que evoca a perspectiva do céu. Nesta posição de altitude, forma-se uma gota de lágrima, literalmente na visão daquele que vê, caindo em direção à terra. Quem poderia estar observando os acontecimentos em silêncio e imóvel, mas não incessível aos fatos ? Tanto, que a lágrima se desprende inconscientemente com os olhos ainda abertos e fixos em seu Filho que expirava. Esta Lágrima revela a presença de Deus-Pai na cena da crucifixão. A Trajetória da gota de Lágrima termina em colisão com a poeira da superfície do monte calvário, provocando um terremoto. Desta forma tão simples e sugestivo, abrindo uma janela para o divino Redentor: Deus o Pai, nos toca com sua maior expressão de amor antes de acolher seu Filho novamente em seus braços!

Para compreender isto, é necessário a remoção da poeira de algumas passagens bíblicas, infelizmente esquecidas ou relegadas, revela que Deus deu o seu Filho único para morrer numa cruz como sacrifício para a salvação e libertação de toda a humanidade: “Este é o amor: não que temos amado a Deus, mas que Ele nos amou primeiro e enviou seu Filho como purificação de todos os nossos pecados. “(1 Jo 4.9). Nunca devemos interpretar que Cristo foi entregue pelo Pai para morrer na cruz por sua própria vontade. Jesus oferece a sua vida ao Pai, livremente e por amor, para reparar a nossa desobediência (1 Tim Cf. 2.6). Por último, o Pai, chocado, aceita o sacrifício de seu Filho. A ressurreição de Cristo não é senão o abraço do Pai com Cristo, que organiza a sua oferta para todos os homens. Como resultado deste plano de salvação, a humanidade é reconciliada com Deus através de Cristo: somos filhos de Deus através do Filho Jesus.

Mel Gibson tomou a liberdade de unir o cenário do início do terremoto, narrado em Mateus 27,51, com a queda da presente lágrima do Pai. Assim, esta lágrima se torna uma expressão, ao mesmo tempo, de ira e divina misericórdia. Devemos esclarecer que, obviamente, em Deus não pode haver irritação ou espírito egoísta de retaliação. Por isso, temos de compreender a ira de Deus como uma expressão do “Zelo” e santidade de Deus que sofre rejeição pela a oferta da salvação, e tentar por todos os meios superar os obstáculos decorrentes da eliminação do mau do homem, assim como Jesus fez para expulsar os mercadores do Templo (João 2, 14ss).

Da mesma forma, a ira divina expressada neste terremoto, resulta em misericórdia para com o soldado romano que atravessa com sua lança o lado de Cristo. O filme pretendia fazer um paralelo previsto pelas Escrituras “Ignace De La Potterie”. Com efeito, quando os evangelhos de Mateus e Marcos disseram que o véu do templo foi rasgado na altura da morte de Cristo, em paralelo, o evangelho de São João que diz respeito ao lado de Cristo também foi rasgado pela lança. Uma vez que não mais existe um véu que nos esconde a pessoa de Deus. Na morte de Cristo se revela o mistério escondido no Antigo Testamento. Deus já não tem segredos para connosco. O Coração de Cristo, revela a intimidade de Deus: “Por isso Jesus deixou de nos chamar de servos, e passou a nos chamar de amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu vos tenho dito e revelado” (Jo 15, 15).

Intercalar nas várias sequências da origem do terremoto, após a queda da lágrima Divina. Reserva-se um breve e intenso flash para refletir o desespero de Satanás. Na verdade, o ato de obediência que foi cravado sobre a cruz, representa a última e decisiva vitória sobre o demônio, que sempre tinha sido a perseguição, tentando remover Jesus do plano redentor que recebeu de seu Pai. Por isso, compreendo a importância da passagem bíblica: “Se pela desobediência de um, todos foram feitos pecadores, também pela obediência de um, todos serão justificados” (Rm 5, 19).

Temos que agradecer a Mel Gibson, não pode ser limitado na produção de seu filme para uma descrição dos acontecimentos externos da paixão, morte e ressurreição de Cristo. Pelo contrário, ela tem prestado um inestimável serviço à fé católica, para entrar em contemplação do plano salvífico na dimensão da morte de Cristo. Na Cruz de Cristo vemos dois planos diferentes, mas não contraditórios: a liberdade humana ao nexo de causalidade e ao plano redentor de Deus, tantas vezes anunciado pelos profetas. Ao mesmo tempo que Jesus sofre as maiores injustiças do Homem entregando sua vida para a nossa justificação, em um ato de amor ao Pai e cada um de nós:

17.

O Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar.

18.

Ninguém a tira de mim, mas eu a dou de mim mesmo e tenho o poder de a dar, como tenho o poder de a reassumir. Tal é a ordem que recebi de meu Pai.

José Ignacio Munilla Aguirre

Texto Original em Espanhol:

http://www.rosarioensevilla.org/textosymeditaciones/lagrimadios.htm


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg
FOI DEUS APOCALYPITO

O Amor de Deus – SVE I.



Versão Original: Ide e evangelizai os Batizados


JOSE H. PRADO FLORES


José Prado Flores

José H. Prado Flores



O manual de SVE I mais utilizado nos primeiros tempos da RCC.


Objetivo do tema: Crer e experimentar o amor pessoal e incondicional de Deus, que é nosso Pai.


A – Deus o Ama pessoalmente porque é seu Pai.

(Isaías 43,1)
E agora, eis o que diz o Senhor, aquele que te criou, Jacó, e te formou, Israel: Nada temas, pois eu te resgato, eu te chamo pelo nome, és meu.

(Jeremias 31,3)
De longe me aparecia o Senhor: amo-te com eterno amor, e por isso a ti estendi o meu favor.

Deus ama todos os homens, mas também ama a cada um de maneira pessoal, como cada um necessita ser amado.   Se você fosse o único habitante de todo o universo, Deus não poderia amá-lo mais do que o ama, porque já o ama com todo amor de um Deus todo poderoso.

Deus não nos ama pelo que nós fazemos, mas pelo que Ele é:

(Salmos 102,13)
Como um pai tem piedade de seus filhos,
assim o Senhor tem compaixão dos que o temem.

B- Deus o Ama incondicionalmente porque é Amor.

(I São João 4,8)

Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.

(Isaías 49,15)
Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca.Deus não impõe nenhuma condição para amá-lo. Ele o ama exatamente como você é neste exato momento.

– Não importa o que tenha sido ou seja no presente: Pecados vícios, ou defeitos.   deus o ama incondicionalmente, porque seu amor não muda. Mesmo todo fracasso, problema e até pecado em sua vida são agora uma oportunidade para que você experimente o amor de Deus, porque Ele é sempre fiél.

– Deus que é todo poderoso e que faz tudo o que quer com sua força e onipotência, há algo que não pode fazer: deixar de amar-te.

– Da vareta que mostra a direção dos ventos, um homem tirou o galinho e colocou a seguinte plaquinha: “Deus é Amor”.   Querendo dizer que não importava de onde soprassem os ventos, se havia tempestade ou calmaria, Deus sempre nos amava.   Não importam as dificuldades ou mudanças, Deus sempre nos ama.

(Isaías 54,10)
Mesmo que as montanhas oscilassem e as colinas se abalassem, jamais meu amor te abandonará e jamais meu pacto de paz vacilará, diz o Senhor que se compadeceu de ti.

Você não necessita aparentar outra coisa do que verdadeiramente é para que Deus o ame.  Ama-o como você é.  E mais foi Ele quem o fez assim.

Deus o ama com suas qualidades e defeitos.  Ele não o ama por suas qualidades, mas com suas qualidades.   Deus não deixa de o amar pelos seus defeitos.  Ama-o com eles.  Deus não ama o que você faz, mas o ama, a você.   Aceita-o e aceita-o com amor.

Deus o ama com seus pecados e esforços, seja você rico ou pobre.  Você não precisa de colocar máscaras diante Dele.   Ele o ama porque você é seu filho, e não por qualquer outro motivo.   Não o ama porque você é bom, mas porque Ele é Bom.

– Mat. 6,26. Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? – 28 – E por que vos inquietais com as vestes? Considerai como crescem os lírios do campo; não trabalham nem fiam.29 – Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles.[…]quanto mais a nós que somos seus filhos, ainda que sejamos pecadores.   E tem mais, ele ama de modo especial os pecadores.  O pecador é o mais amado de Deus, porque onde excede o pecado super excede seu amor misericordioso (Romanos 5,20).  Quem é mais pecador é que mais pode experimentar perdão, gozo e esperança, porque é o mais necessitado.

C – Deus quer o Melhor para você porque você é seu filho.

Deus certamente o ama como você é, mas não quer deixar assim.  Ele quer algo muito melhor para você.

Exatamente porque o ama, Ele quer o melhor para você.  Ele tem um plano que fez com toda a sabedoria e amor para você.

(Efésios 3,20)[Leia mais…]
Àquele que, pela virtude que opera em nós, pode fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou entendemos,[…]

Seu plano supera de muito tudo que você imagina ou pode pensar para seu próprio bem.

(I Coríntios 2,9)[Leia mais…]

É como está escrito: Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam.

(Isaías 55,9)

Mas tanto quanto o céu domina a terra, tanto é superior à vossa a minha conduta e meus pensamentos ultrapassam os vossos.

– Desde o princípio nos criou a sua imagem e semelhança, plenos de seu amor e co-criadores com Ele, capazes de ser seus representantes neste mundo.

– Criou-nos em harmonia perfeita.

– com Ele: uma relação pessoal e perfeita;

– com os outros: relação de justiça, verdade e serviço;

– Com nós mesmos: com segurança, paz e domínio próprio;

– Com toda criação: sendo livres e não escravos das coisas deste mundo.

– Encheu-nos de felicidade com sua alegria, paz e união.

D – Deus tomou a Iniciativa de Amá-lo.

Deus o ama e a unica coisa que lhe pede é que creia em seu amor, que creia nele, confie no plano Dele mais do que no seu próprio.

A primeira coisa que Deus nos pede não é que o amemos, mas que nos deixemos amar por Ele.   Manifeste-lhe apenas que você quer experimentar o amor Dele por você.

Não se trata de que nós intentemos chegar a Ele.  É Ele que quer chegar até nós.  Não se trata de que nós o alcancemos, a Ele, mas que nos deixemos alcançar por Ele.  Antes que começássemos a buscá-lo, Ele já estava nos buscando, Ele tomou a iniciativa.

Um dia, Saulo de Tarso decidiu perseguir a Jesus e se pôs a caminho de Damasco para prender os Cristãos.   Todavia era Jesus quem o estava perseguindo, até que o alcançou e o derrubou do cavalo.   Nesse momento Saulo foi preso, preso pelo amor de Jesus.  Deus seduziu-o, e ele simplesmente se deixou seduzir.

(Jeremias 20,7)
Seduzistes-me, Senhor; e eu me deixei seduzir! Dominastes-me e obtivestes o triunfo. Sou objeto de contínua irrisão, e todos zombam de mim.

Escrevendo aos Gálatas lhes diz:

(Gálatas 4,9)
Agora, porém, conhecendo a Deus, ou melhor, sendo conhecidos por Deus, como é que tornais aos rudimentos fracos e miseráveis, querendo de novo escravizar-vos a eles?

É que não foram os Gálatas que amaram a Deus.  Primeiro Deus os amou a ele.

O amor não consiste em que amemos a Deus Mas em que Ele nos tenha amado, porque Deus nos amou primeiro. Não fomos nós que o escolhemos.  Foi Ele quem nos escolheu primeiro.   Nós não fazemos nenhum favor a Deus em amá-lo.   É ele quem nos favorece a nós com seu amor, que é eterno.

(São João 15,16)

Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda.

Às vezes buscamos a Deus e queremos amá-lo, porém ninguém pode amá-lo, se antes não tiver experimentado seu amor.   Temos que fazer uma parada, deter-nos e deixarmo-nos alcançar por Ele, por seu Amor.

CONCLUSÃO:

Deus Ama a todos os homens porque somos seus filhos e obras de suas mãos.

Ama Bons e maus, homens e mulheres, católicos e protestantes, ateus ou perseguidores da Igreja, Sacerdotes, Líderes sindicais, donas de cabaré ou prostitutas.   Ele nos ama a todos, porque todos somos seus filhos.

Deus não nos ama pelo que fazemos mas pelo que somos, seus filhos. Deus não nos ama porque somos bons, mas porque o Bom é Ele.   Não nos ama porque nós o amamos, mas porque Ele é Amor.


(I Coríntios 8,3)

Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido por ele.


.ide_evangelizai


Seminário de Vida no Espirito
Amor de Deus DEUS_EH_AMOR_GALINHO Chamados_Comunicar

José H. Prado Flores

José H. Prado Flores


Amor de Deus – SVE I – Video.


Todos querem ser Amados


Nem sempre estamos prontos para Amar.

Ninguém vive sem Amor, o homem é um ser composto por duas partes distintas que devem se unir em prol da preservação do futuro da espécie, se assim não acontecer não existirão descendentes e consequentemente a espécie desaparecerá.


O Amor é Lindo e Maravilhoso.

O Amor é Lindo e Maravilhoso.


O Amor é muito mais do que apenas sexo em prol da procriação, é o momento em que alguém encontra um sentido para sua existência neste mundo.

Hoje esta palavra está tão banalizada que não identificamos mais a diferença entre Amor e sexo.

Poderíamos classificar o Amor em três formas diferentes.

Eros: É a atração sexual propriamente dita que leva um homem a se aproximar de uma mulher em busca de um entendimento que satisfaça suas necessidades biológicas e afetivas.

Filos: É o que une Pais e Filhos, que diferencia do Amor Eros, mas que forma uma ligação muito forte de carinho e afetividade. Na verdade é uma troca entre duas pessoas, ama-se por ser amado e amo porque me amam.

Ágape: Este seria o Amor perfeito, que Ama sem pedir nada em troca, mesmo quando não exista outras intenções sexuais ou ligações de Filiação, Paternidade ou Amizade.

É Capaz de unir as pessoas em laços eternos independentemente de sexo ou outras motivações.

Este é o Amor que jamais se acabará e que, portanto caracteriza o imenso Amor de Deus por nós.

Por isso precisamos conhecer e experimentar este Amor Perfeito do Pai.

Até que possamos afirmar com certeza!

Que Deus me ama!


mensagemwill11

Pregador : William F. Alves

Comunidade AEternum Dei


AMOR DE DEUS PARTE I



AMOR DE DEUS PARTE II



AMOR DE DEUS PARTE III




AMOR DE DEUS PARTE IV



Texto de: William F. Alves

Fonte: AEternum Dei

http://www.aeternumdei.com.br/blog3/?p=651

Um das características em Jesus e que muito me chama a atenção em sua época era a atenção aos sinais do Pai, toda atenção nos detalhes dos acontecimentos, ao ponto de valorizar cada momento, transformando-os em graças, trazendo um ensinamento novo para os tempos, quando a humanidade trazia grandes preocupações por falta de perceber que em cada situação e momento existe uma sabedoria e que nada deve ser desprezado, com o objetivo de remeter tudo para a eternidade…..

Este ensinamento continua em nossos dias, percebo em minha vida e no caminhar que em todas as vezes que procuro viver uma intimidade com Deus Pai pela via da oração, das partilhas mais simples e abertas com o Senhor, sinto profundamente à Sua voz em meu interior revelando os sentidos de cada coisa, me ajudando a perceber o caminho a seguir, ainda que me seja revelado as minhas fraquezas, Ele me ajuda a ir transformando e realizando todo um esforço de muito trabalho de converter as consequências do pecado em graça, porque Nele só se encontra o bem, Ele é todo bem….

Com isso compreendi bem a liturgia de hoje, a prioridade de Jesus em partilhar em primeiro lugar e logo pela manhã a palavra de Deus com o povo, à força da pregação, à força de Sua intimidade com o Pai, as prioridades logo no primeiro horário da manhã, remetia Jesus diretamente ao diálogo com Pedro a lançar as redes novamente ao mar para a “pesca milagrosa”, o Senhor não indicava a sugestão na dúvida, da parte de Jesus havia uma certeza, porque tudo o que o Pai colocava em seu coração, havia prática, existia por parte de Jesus o crer, portanto seria milagre na certa….

Que ensinamento maravilhoso é este do evangelho de um Deus que é comunidade e desde sempre decidiu em realizar tudo com a nossa participação e o mais rico, Ele não mudou de idéia, decidiu pela eternidade participar o homem dos Seus milagres, uma vez que as graças é somente para beneficiar o próprio homem, afinal Deus não precisa de milagres para sí, somente o faz por amor, somente amor…..

Jesus pede a Pedro para lançar as rede do outro lado do mar, ou seja, Pedro deve se aventurar a voltar ao mar e aprender outros movimentos com a rede, é como uma pessoa que só sabe escrever com a mão direita e agora deve exercitar a mão esquerda, que tarefa difícil para quem não tem habilidades, mas a maior habilidade sobre a fraqueza deste homem é a graça de Deus, mais um ensinamento eterno, o homem jamais viverá sem a graça, sem Deus nada podemos fazer….

O grande resultado de tudo isso nos remeterá sempre a alegria de Deus Pai em ver a sua criação feliz, sabendo que acima de qualquer dificuldade e limitação, temos um Deus próximo, que caminha lado a lado, que nunca abandona o homem e a mulher….

Grande estratégia de amor, na criação Ele se faz presente,  é o Pai nos criando, Ele continua a sua caminhada de amor lado a lado conosco, enviou o Seu Filho único, Deus que se faz imagem, presença real e visível ao nossos olhos, Deus Pai se deixa enxergar por nós e hoje Ele continua presente, não o vemos, porque Ele já sabe que aprendemos com Ele mesmo a graça da criação e a Sua imagem em Jesus, só precisamos ser conduzidos por Seu Espírito que novas faz todas as coisas, a decisão, a determinação pela fé de cada um de nós, feliz aquele que crê sem ter visto…

https://presentepravoce.wordpress.com/2009/02/15/seminario-de-vida-no-espirito-sve-i/


sve1
Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito Seminário de Vida no Espirito
Deus te ama

Foi Deus !


Foi Deus


Foi Deus !!!


Alguma vez sentiste o desejo de fazer uma

coisa agradável por alguém a quem tens carinho?


É DEUS


Que Fala Através do Espírito Santo.


Alguma vez sentiste tristeza e solidão,

embora parecendo que alguém está ao teu lado?


É DEUS


que te acolhe através de Jesus Cristo.


Alguma vez ao pensares em alguém que te

é querido e não vês há muito tempo,

acontece que de repente encontras essa pessoa?


É DEUS


porque o acaso não existe!


Alguma vez recebeste algo maravilhoso

que nem tinhas pedido?


É DEUS


que conhece bem os segredos do teu coração.


Foi Deus


Alguma vez estiveste numa situação muito problemática sem teres a menor ideia de como resolver e de repente a solução aparece?


É DEUS


Que toma os nossos problemas nas Suas Mãos.


Alguma vez sentiste uma imensa tristeza na alma e de repente é como se um bálsamo fosse derramado e uma paz inexplicável invade teu ser?


É DEUS


que te consola com um abraço e te dá esperança.


Alguma vez te sentiste tão cansado da vida, a ponto de querer morrer… e de repente um dia, sentes que tens força suficiente para continuar?


É DEUS


Que te carrega nos Braços e te dá descanso.

Tudo é melhor quando…


É DEUS QUEM ESTÁ À FRENTE DE TUDO!!!


DEUS VOS ABENÇOE !


F O I    D E U S

MENSAGEM PPS


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg O ALPINISTA EXTRAORDINÁRIO. COMO UMA BOMBA

NAMORO http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/aguia.jpg

Foi Deus !!! – SlaideShare