Depressão – O que você deve saber.



Mulheres que abortam têm mais chances de ter problema mental

Saúde – Terra


Mulher com medo

Estudo concluiu que o aborto pode aumentar em 155% as chances de a mulher cometer suicídio Foto: Getty Images




 Saúde da Mulher


Nossas considerações:


Qual o problema da depressão que faz todo mundo correr para se esconder? Muitos não se sentem bem quando falam sobre isso, mas as chances são enormes de alguém bem próximo de você estar com Depressão, há um grande de mulheres que a tiveram em algum momento de suas vidas.

Tomei consciência da gravidade da depressão em algum lugar em meados dos anos 90 quando estava visitando meus ex-colegas de faculdade. Eu tinha tropeçado em um artigo num dos jornais nacionais, que dizia que 1 em cada 9 pessoas sofrem de depressão. Eu estava um pouco chocado com as estatísticas e pensei que certamente isso não poderia ser totalmente verdade. 1 de 9 é um número alarmante. Mais tarde, no jantar, eu comentei isso com meus amigos que compunham a mesa que eram na maioria médicos e todos eles concordaram com a cabeça. Ninguém ficou surpreso com minha cara de espanto.   Uma amiga que é médica em um hospital infantil e é especialista em “Angustia Adolescente” afirma atender crianças e adolescentes com depressão regularmente. Olhei ao redor da mesa com dez pessoas e disse que se esse número fosase verdadeiro, então um de nós, aqui, tem ou está sofrendo de depressão.

Em seguida, a bela voz de uma querida amiga falou baixinho que ela sofria de depressão após dar à luz seu segundo filho. Eu estava atordoada. Assim, as estatísticas foram pelo menos verdadeiras no meu pequeno grupo. 1 de 9!

Daqui a 20 anos dizia o jornal não ficará melhor. Se você ler o artigo de Healthline sobre a depressão nos EUA, a taxa cresce 20% ao ano, com as mulheres sendo mais susceptíveis de serem sofredores do que os homens.

” http://www.healthline.com/health/depression/statistics-infográfico “

http://www.healthline.com/hlcmsresource/images/infographics/Depression-statistics-infogrpahic.jpg “

Mas o número mais alarmante de tudo é que mais de 80% das pessoas que apresentam sinais de depressão não estão sendo tratadas. E este é o maior problema com a depressão. Muitos ainda não entendem que como o câncer, gota, doenças cardíacas e diabetes, a depressão também é uma doença grave e mata muita gente.  Mas porque ela é classificada como uma doença mental, e os sintomas são difíceis de auto-diagnosticar, muitos podem estar lá fora e não saber que têm sinais de depressão.

A depressão não é fácil de detectar, especialmente quando você está deprimido. Não é como uma dor que você possa identificar em uma parte do seu corpo, embora possa se manifestar como dor para alguns. Você não pode vê-la, mas pode ser muito debilitante. Ela rasteja em cima de você muito insidiosa e você nem percebe.

Pode começar como uma sensação de apatia. Baixo consumo de energia, de não se sentir bem contente com a vida. Você pode começar a se tornar realmente negativo sobre a maioria das coisas na vida, tudo o que emerge de sua boca manchada com pessimismo e cinismo. Esses sentimentos podem ficar com você por um tempo e antes que você perceba sente que a vida é uma tarefa árdua e qual é o significado de tudo isso e por que se preocupar.Você se sente triste o tempo todo, mas não sabe porquê.

Levantar-se torna-se mais difícil a cada dia e participar da vida torna-se muito doloroso, tanto que você tem que encontrar maneiras de entorpecer-se da dor. Você pode sentir-se gravitando em direção a comportamentos de dependência sem saber por quê: – que uma vez por semana um copo de vinho torna-se um hábito diário, como você precisar dele para você passar o resto da noite ou para esquecer o dia ruim que você teve. Ou é o bálsamo que faz tudo certo para você porque entorpece sua razão. Para os abstêmios, pode ser que um come-come ou uma beliscadinha todas as tardes em bolos e biscoitos amenizem algo mais do que a fome. A comida que sugere um conforto momentâneo pode assumir um significado sinistro se levar a compulsão alimentar ou bulimia.

Seja qual for a sua “droga” de escolha, seja nicotina, açúcar, cafeína, álcool – eu não estou citando as substâncias mais prejudiciais, porque no dia a dia essas “drogas” parecem ser mais socialmente aceitas, mas as conseqüências podem ser tão letais como as drogas mais pesadas e ilegais – isto é como uma compulsão diabética por açúcar ou como alguém pode fumar 20 paus por dia, ou beber 10 xícaras de café. É uma forma de suicídio lento, usando-os para mascarar, esconder ou fugir da dor de viver a vida sem adulteração.

Em seu livro Mulheres, Comida e Deus, um caminho inesperado de quase tudo, Geneen Roth escreve convincente sobre a relação das mulheres com os alimentos e a necessidade de auto-aceitação “. comer … compulsivamente é basicamente uma recusa a ser plenamente vivo. Não importa o quanto pesa, aqueles de nós que são comedores compulsivos têm anorexia na alma. Nós nos recusamos a aceitar o que nos sustenta. Vivemos vidas de privação. E quando não agüento mais, me embriago. A forma como somos capazes de realizar tudo isso é pelo simples ato de explodir – de não agüentar mais “.

A citação acima é tão poderosa que você pode substituir a palavra comida por qualquer outra substância. Quando chegamos para a ‘droga’ ou participar de um evento de auto flagelando como escolher o parceiro emocionalmente abusivo, estamos ativamente ‘alucinados’ . O ato ativo de “faltar um parafuso”, creio eu, é um sinal de depressão.

Existem muitas causas da depressão e você pode querer consultar um terapeuta ou um psiquiatra, se você acredita que você tem. Mas se você sentir que você não está feliz ou está vivendo em um vácuo emocional onde nada te excita mais, então procure ajuda urgentemente.

Eu adoro esta citação de Mulheres Comida e Deus:

“. . .inferno é querer estar em algum lugar diferente de onde você pertence. Sendo de um lugar e querer estar em outro lugar. . . . Querendo vida para ser diferente do que é. Isso também é chamado de sair sem sair. Morrer antes de morrer. É como se houvesse uma parte de você que fica preso em trilhos resistindo ser quebrado pelo amor permitindo destruir a si mesmo em primeiro lugar. “

A boa notícia é que já existem muitos caminhos e canais disponíveis para você. Você pode optar por ir pelo caminho tradicional de psiquiatria ou clínicos psicólogos, ou você pode olhar para formas alternativas. Para alguns é preciso terapia a longo prazo e para os outros basta apenas um exercício e re-avaliar sua ingestão nutricional.  Faça a pesquisa, converse com amigos, não tenha medo de mudar de tratamento se não se sente bem. Só por si só você sabe o que te faz bem. Saiba que há uma luz no fim do túnel, mas você tem que ser o único a caminhar para a luz, ninguém pode fazer isso por você.

“Não Imagine estar assustado com qualquer sentimento. Imagine saber que nada vai te destruir. Que você está para além de qualquer sentimento, e do estado. Maior que. Mais vasto do que. Que não há razão para usar drogas, porque qualquer coisa que um medicamento poderia fazer seria pálido em comparação com saber quem você é. Para que você possa entender, viver, ser, apenas por estar com que se apresenta a você na forma de os sentimentos que você tem … “Mulheres, Comida e Deus, um caminho inesperado para quase tudo,  

Geneen Roth. https://geneenroth.com/books/

Posted by Surya Women  by Lee Jia Ping.


 


Nossas considerações:


“O mundo pode nos oferecer muitos caminhos, mas Jesus nos diz que Ele é o caminho, a verdade e a vida, sendo assim, nada pode substituir a seiva que dá a vida à videira, se estamos nos sentindo destruídos, abandonados, ressequidos e sem vontade de viver pode ser porque nossa vida, nossos problemas e nossos caminhos neste mundo nos levaram a nos afastar da fonte da vida que é Deus.

Na Parábola da Videira Verdadeira (S. João 15) nos diz que o ramo cortado e afastado da Videira murchará, secará e morrerá, mas bem sabemos que Jesus não corta ninguém e sim Ele nos enxerta nesta Videira de vida se isto estiver acontecendo conosco é porque de alguma forma nos afastamos d’Ele e a única forma de resolver o problema é retornar para Ele assim como o filho pródigo retornou e todos os seus problemas foram solucionados.


 


(GRAÇAS A DECISÃO DE MINHA MÃE, EU ESTOU AQUI)


 





Não caiam no

mesmo erro que eu.


Waris Dirie a Flor do Deserto.

Exemplo da luta contra a

OBLAÇÃO FEMININA


A Cultura da Morte.



Estamos assistindo o crescimento de um fenômeno que o Papa João Paulo II tem chamado de cultura da morte, ou ´civilização da morte´. Opondo´se frontalmente aos valores da doutrina cristã, que defende a vida acima de tudo, esta ´cultura´ destruidora propõe a morte como solução de uma série de problemas. Será que a morte pode ser solução para algum mal ?

 A nossa civilização, desorientada com os males que ela mesma gerou, por aceitar ´soluções fáceis´ para os seus problemas difíceis, não sabendo mais como enfrentá´los, começa propor ´a morte´, como remédio, por incrível que possa parecer. Onde fomos parar?!…

 A eliminação da vida humana, sem grande pesar, parece ser a solução fácil, rápida e cômoda, para se ver livre dos ´indesejados´, mesmo que estes sejam pessoas humanas, criadas à imagem de Deus. É o caminho fácil, cômodo e perigoso, de que ´os fins justificam meios´. Se aceitarmos este principio, então, o comportamento humano não estará mais sujeito à ética e à moral, e tudo passará a ser válido. E aí estaremos a um passo de derrubar os pilares que sustentam a autêntica civilização humana, baseada na relevância da ´vida´.

 Na encíclica Evangelium Vitae, o Papa João Paulo II condena, esta ´cultura da morte´ que se opõe `a ´civilização do amor´. Diz o Papa:

 ´Amplos setores da opinião pública justificam alguns crimes contra a vida em nome dos direitos da liberdade individual, sobre tal pressuposto, pretendem não só a sua impunidade, mas ainda a própria autorização da parte do Estado para os praticar com absoluta liberdade e, mais, com a colaboração gratuita dos Serviços de Saúde´ (n.4).

 E o Santo Padre vê tudo isso como:

 ´…uma grave derrocada moral da sociedade: opções, outrora consideradas criminosas e rejeitadas pelo senso moral comum, tornam´se socialmente respeitáveis´(n.5).

 ´…as ameaças contra a vida não diminuíram… trata´se de ameaças programadas de maneira científica e sistemática. O século XX ficará considerado uma época de ataques maciços contra a vida… Os falsos profetas e os falsos mestres conheceram o maior sucesso possível… a verdade é que estamos perante uma objetiva ´conjura contra a vida´ que vê também implicadas Instituições Internacionais, empenhadas a encorajar e programar verdadeiras e próprias campanhas para difundir a contracepção, a esterilização e o aborto. Não se pode negar, enfim, que os meios de comunicação são frequentemente cúmplices dessa conjura, ao abonarem junto da opinião pública aquela cultura que apresenta o recurso à contracepção, à esterilização, ao aborto e à própria eutanásia como sinais do progresso e conquista da liberdade, enquanto descrevem como inimigas da liberdade e do progresso as posições incondicionalmente a favor da vida´(17).

 Este brado do Papa precisa ser ouvido por todos e meditado profundamente.Como ele diz, há hoje uma verdadeira conjura contra a vida, ´a vida está jurada de morte´, um verdadeiro combate se trava entre a vida e a morte, e cada um de nós é chamado a defender a vida.

 Inacreditavelmente um médico americano inventou a ´máquina do suicídio´, para que as pessoas morram ´sem dor´. Lança um livro, em seguida, que se torna um ´Best Sellers´. Quer dizer, a sociedade acolheu o seu invento. E muitos já foram mortos nesta ´máquina´, sem que houvesse, exceto por parte da Igreja Católica, um repúdio da sociedade. É terrivelmente sintomático! A vida está em decadência e a morte começa a atrair…

 A eutanásia é defendida e proposta como ´um alívio´ para o paciente. Nada se valoriza em relação à vida eterna, e à possibilidade de que a alma seja salva até mesmo nos últimos momentos de agonia do paciente. A visão reducionista e materialista de que a vida termina com a morte, justifica o médico apressar o fim daquele que sofre. Todo o riquíssimo valor salvífico do sofrimento é rejeitado e esquecido. A palavra da Escritura que nos ensina: ´completo na minha carne o que falta à paixão de Cristo´ (Col. 1,24), já não tem valor.

 No mundo todo o aborto continua a ser criminosamente praticado. São 40 milhões por ano no mundo; 4 milhões no Brasil, segundo a Organização Mundial da Saúde. Por um lado faz´se de tudo para salvar um bebê prematuro de 12 semanas de gestação, por outro lado, mata´se friamente no ventre materno o mesmo bebê que já tem 24 semanas!

 Se a vida não for respeitada e protegida no ventre materno, não o será em nenhuma outra situação, pois o seu valor é o mesmo.

 Se dermos à mãe o direito de matar o seu filho não nascido, por que se tornou um estorvo para ela, deveremos dar também ao filho o direito de matar a mãe, velha e doente, que se tornou um estorvo para ele. É lógico que ambas as situações são absurdas ! A solução é a vida e não a morte. Pobre criatura humana que apela para a morte dos seus próprios filhos !… A que ponto chegou a nossa ´civilização´ sem Deus!

 Outros, manipulam e selecionam ´embriões humanos´, como se a vida humana fosse um objeto, uma ´coisa´, na mão dos pesquisadores. Nada mais trágico e perigoso do que esta fria ´coisificação´ da vida. Em termos claros o Santo Padre já se manifestou contra essas experiências e contra a geração do ´bebê de proveta´. A vida só pode ser gerada segundo os critérios naturais de Deus, é a palavra da Igreja.

 Pior ainda que essas manipulações da vida são os linchamentos sumários praticados em praças públicas, execuções premeditadas de jovens e crianças, assassinatos frios e encomendados, crimes passionais e toda sorte de violência que se cultiva contra a vida, até em filmes e revistas.

 Às vésperas de mais um ano novo nascer, no dia 29 de dezembro de 1991, um filho matava o próprio pai, à luz do dia, numa praça pública de Porto Alegre. Na praça da Redenção !… E tudo sob a mira de uma máquina fotográfica, de alguém que queria ´faturar´ com aquela tragédia! É demais!…

 Temos de acordar. Dizer basta a esta ´cultura mórbida´, sob pena de sermos engolidos por ela.

 Será que não temos nada melhor a oferecer aos nossos filhos, senão a morte, para a solução dos problemas da vida?

 Das duas uma: ou a vida está acima de qualquer pretexto, ou, dentro em breve, qualquer pretexto será suficiente para se eliminar uma vida. Vale a pena repetir aqui o que disse Madre Teresa de Calcutá, ao receber o Prêmio Nobel da Paz, em 1994: ´O aborto é pior do que a guerra e pior do que a fome´.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
por Felipe de Aquino, Professor
http://www.cleofas.com.br

Fonte: http://www.comshalom.org/formacao/exibir.php?form_id=4587


Para uma reflexão mais aprofundada veja o vídeo abaixo:



Semeando a cultura de Pentecostes


Natal