Coroa Angélica – Rosário de São Miguel.


Coroa Angélica ou terço de São Miguél Arcanjo.


Esta devoção foi ensinada e pedida pelo próprio Arcanjo à serva Antônia de Astônaco, em Portugal A devoção passou para outros países, foi aprovada por muitos bispos e até pelo Santo Papa Pio IX, que a enriqueceu de indulgências, em 08 de agosto de 1851.

O Santo Arcanjo declarou a Antônia d’Astonac, em Portugal, que desejava que se fizessem em sua honra nove saudações correspondentes aos nove coros de Anjos, que consistiriam na recitação de um Pai Nosso e três Ave-Marias em honra de cada um dos coros de Anjos.

Ele prometeu em retribuição que, aquele que lhe rendesse esta devoção teria, na ocasião em que se aproximasse da Santa Mesa Eucarística, um cortejo de nove Anjos, escolhidos dentre os nove coros. Além disso, para a recitação diária destas nove saudações, prometeu a sua assistência e a dos Santos Anjos durante todo o decurso da vida, e depois da morte a libertação do Purgatório para si e seus parentes.

Método para rezar:

Usando o pequeno Rosario de São Miguel, na pequena conta junto à medalha, reza-se:

(lembrando quem nao tiver o rosario de São Miguel, usar as contas do Terço comum)

DEUS vinde em nosso auxílio. SENHOR socorrei-nos e salvai-nos. Glória ao PAI…

Depois, deixando para o final as quatro contas que se sequem, toma-se a primeira conta grande do Rosário e reza-se a primeira saudação, Glória ao PAI e o PAI Nosso e nas três contas pequenas, três Ave Marias.

PRIMEIRA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste dos SERAFINS, faça-nos ó SENHOR dignos do fogo da perfeita Caridade.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

SEGUNDA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste dos QUERUBINS, pedimos ao SENHOR a graça de trilharmos a estrada da perfeição cristã.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

TERCEIRA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste dos TRONOS, pedimos ao SENHOR que nos dê o espírito da verdadeira humildade. Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

QUARTA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste das DOMINAÇÕES, pedimos ao SENHOR nos conceder a graça de dominar nossos sentidos, e de nos corrigir das nossas más paixões.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

QUINTA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste das POTESTADES, pedimos ao SENHOR se digne de proteger nossas almas contra as ciladas e as tentações de satanás e dos demônios.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

SEXTA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste das VIRTUDES, pedimos ao SENHOR a graça de sermos, vencedores no perigoso combate das tentações.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

SÉTIMA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste dos PRINCIPADOS, pedimos ao SENHOR que nos dê o espírito de uma verdadeira e sincera obediência a Ele.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

OITAVA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste de todos os ARCANJOS, pedimos ao SENHOR nos conceder o dom da perseverança na Fé e nas boas obras, a fim de que possamos chegar a possuir a glória do Paraíso.

UM PAI NOSSO … Três Ave Marias … Gloria

NONA SAUDAÇÃO

Pela intercessão de SÃO MIGUEL e do coro celeste de todos os ANJOS, pedimos ao SENHOR que estes espíritos bem-aventurados nos guardem sempre, e principalmente na hora da nossa morte e nos conduzam à glória do Paraíso.

Um PAI Nosso … Três Ave Marias … Gloria

No final reza-se nas quatro contas grandes:

Um PAI Nosso … (em honra de São Miguel Arcanjo)

Um PAI Nosso … (em honra de São Gabriel)

Um PAI Nosso … (em honra de São Rafael)

Um PAI Nosso … (em honra de nosso Anjo da Guarda)

Termina-se rezando:

Antífona: Glorioso São Miguel, chefe e príncipe dos exércitos celestes, fiel guardião das almas, vencedor dos espíritos rebeldes, amado da casa de DEUS, nosso admirável guia depois da Sagrada Família; vós cuja excelência e virtudes são eminentíssimas, dignai-vos livrar-nos de todos os males, nós todos que recorremos a vós com confiança, e fazei pela vossa incomparável proteção que adiantemos, cada dia mais, na fidelidade em servir a DEUS. Amém

– Rogai por nós, ó bem-aventurado São Miguel, príncipe da Igreja de CRISTO.

– Para que sejamos dignos de suas promessas.

Oração: DEUS, todo poderoso e eterno, que por um prodígio de bondade e misericórdia para a salvação dos homens, escolhesses para príncipe de vossa Igreja o gloriosíssimo arcanjo São Miguel, tornai-nos dignos, nós vo-lo pedimos, de sermos preservados de todos os nossos inimigos, a fim de que na hora da nossa morte nenhum deles nos possa inquietar, mas que nos seja dado de sermos introduzidos por ele na presença da vossa poderosa e Augusta Majestade, pelos merecimentos de JESUS CRISTO, Nosso Senhor.

Amém


Miguél Arcanjo

Oração a São Miguel Arcanjo

(Pequeno exorcismo escrito pelo Papa Leão XIII, que deve ser rezado diariamente)

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, sede nosso refúgio contra as maldade e as ciladas de demônio!

Ordene-lhe DEUS, instantemente o pedimos; e vós, príncipe da milícia celeste, pelo poder divino, precipitai ao Inferno a satanás e a todos os espíritos malignos, que andam pelo Mundo para perder as almas. Amém



FRANCISCO E CLARA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=130&h=120 Miguél Arcanjo

.

16 Respostas

  1. ola boa noite onde consigo comprar um terço igual a este de contas de sao miguel arcanjo por faor

    Curtir

  2. O conteúdo deste comentário foi retirado pelo moderador, devido a se tratar de cópia total do Link abaixo, quem se interessar pelo assunto dê uma passadinha lá.

    Mais uma vez peço ao Renato para não copiar textos de outros BLOG’s para este Blog, crie um Blog para si mesmo e copie para lá o que bem entender.

    Passar bem.

    http://fratresinunum.com/2009/10/13/dom-bernard-fellay-eu-nao-faco-ideia-alguma-de-quanto-tempo-as-discussoes-irao-durar/

    Curtir

  3. O comentário que aqui foi colocado, foi removido pelo moderador, devido estar fora do contexto acima.

    Ele foi transferido para o local correto que se trata do asundo a que ele se refere.

    veja-o no endereço que se segue.

    http://intribulationepatientes.wordpress.com/2009/09/05/sera-que-ele-vai-continuar-negando-que-acredita-na-evolucao-do-dogma/

    vejam a foto:

    Vejam a que se referia.

    especificamente sobre este vídeo

    Veja um vídeo que prova que Deus existe :

    Curtir

  4. Eu não sou SEDEVACANTISTA senhor Sizenando.

    ”Quanto este homem lhe paga para fazer propaganda de seu site que não permite comentários ?”

    Nada.

    Eu apenas coloco sítios católicos que realmente mostram a verdadeira Doutrina Católica de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, não movimentos (carismatismo) que surgiu em seitas protestantes e tentam se passar como cristãos.

    Aliás, quem recebe dinheiro é o senhor da seita Canção Nova: O senhor mesmo disse que escreve lá!

    Curtir

  5. Veja que vídeo muitoi bom:

    Resposta:

    Lamento Muitíssimo Renato, mas seu vídeo de Carlos Nougué não funcionou, mas como este homem tem relação com aquele site de ontem, está automáticamente fora de minhas recomendações.

    Não vi nada de bom que possa ser aproveitável em benefício do objetivo deste Blog, que é este aqui em questão.

    Em outro blog tradicionalista talvés ESTE VÍDEO faça muito mais sucesso.

    Permita-me uma perguntinha clássiCa:
    Quanto este homem lhe paga para fazer propaganda de seu site que não permite comentários ?

    Fique com Deus.

    Curtir

  6. Não tente sair pela tangente senhor Sizenando!

    A RC”C” não precisa ser desmascarada, ela já é uma farsa.

    Minhas considerações sobre o comentário

    Posso considerar sua resposta como afirmativa então, já que me acusas de sair pela tangente, ou desviar o foco.

    ÉS MESMO SEDEVACANTISTA ?

    SE NÃO FOR PORQUE INDICA TEXTOS DE SITES QUE DENIGREM A IMAGEM DO PAPA PAULO VI E DE BENTO XVI ?

    Não estou desviando o foco, mas é muito bom saber que quem está falando comigo é um sedevacantista declarado como Felipe Coelho, Sandro Pelegrinete Pontes, Rodrigo Antonio Maria Silva e o compadre do Fedeli professor de Latim, aliás o dono daquele vídeo também é professor de Latim, ou estou enganado ?

    Um sedevacantista que fala mal da RCC não é nem mesmo um simbalo que soa nem mesmo um sininho que retine.

    Vocês já perderam a fé a muito tempo e já nem sabem mais quem é Deus, muito menos o que é Igreja.

    Vamos lá, não tente sair pela tangente, declare sua apreciação e adesão ao Sedevacantismo absoluto, porque para mim, não existe meio termo.

    Que Deus te Ilumine.

    Curtir

  7. Paciente Terminal Contra o Relativismo

    Este é um vídeo do episódio de um seriado onde um paciente terminal recusa o discurso relativista de uma pseudo-capelã que bem poderia simbolizar uma carismática da RCC ou outro seguidor do Concílio Vaticano II. Este concílio quer o relativismo religioso do ecumenismo, quer o diálogo da “verdade que encontraram ou julgam ter encontrado”(DH3). Essas doutrina pueril desaba na hora da morte. Lá o moribundo quererá a verdade edificada na rocha da Verdade, não no barro do subjetivismo.

    Acho que cabe a cada um de nós interpretar o que Deus quer, diz a mulher no vídeo. Começa por afirmar a sua incerteza com um vago “acho”, depois afirma a verdade de “cada um”. O católico deve afirmar a fé universal, comum a todos, clérigos e leigos. Ela não é indivudal, mas universal. O paciente diz que tudo o que tem ouvido é sobre a “nova era”. O concílio veio fazer o aggiornamento para agradar ao mundo, é um concílio dessa “nova era”, da consciência indivudal de cada um, da religião que pessoalmente julga ser verdadeira.

    “Sim, ele sabia. Absolutamente.”

    http://www.istoecatolico.com.br/index.php/Videos/Diversos/paciente_contra_o_relativismo.html

    .
    Com esta indicação, só posso dizer que, quem postou este vídeo e escreveu este texto, realmente você pirou de vez.

    Viajou !!!

    Não sei de onde você achou motivo para incluir RCC em um pedaço de seriado de TV que se trata de pacientes em hospitais à beira da morte e veja que pelo discurso desta pessoa, que não conheço e nunca vi este seriado, nem poderia julgar algo por apenas um pedaço de um episódio, ela demonstra fazer a vontade das prerrogativas básicas do hospital, que pelo jeito que ela se comporta deve ser mesmo protestante, como na maioria dos hospitais americanos, não sei de onde tiraram o “Tilulo” “Capelã” para esta personagem, somente se poderia dizer isto se conhecessemos todo o seriado, mas é algo que não conheço e não poderia opinar sobre o assunto, logo suas observações sobre o diálogo é no mínimo totalmente irresponsável, pois joga dentro de um texto quem não estava nem no contexto.

    TIRA FORA A RCC DESTE ASSUNTO, PORQUE A RCC NÃO É MEDICINA E NEM PSICOLOGIA, MUITO MENOS ATENDEMOS COMO CAPELANIA EM HOSPITAIS GOVERNAMENTAIS NOS E.U.A.

    Curtir

    • Sinto muito, mas desejo avisar a todos que o site que postou este vídeo que foi indicado acima é SEDEVACANTISTA, ou seja não aceita a Igreja católica como Legítima e mantém vários textos denegrindo a imagem dos últimos Papas após o Concílo Vaticano II, inclusive acusando o Proprio Papa Paulo VI de ter feito um acôrdo com a maçonaria, para que ela se infiltrasse dentro da Igreja e nos acusa de não sermos mais Católicos Legítimos.

      Este povo é realmente maluco e não são dignos de consideração ou a mínima confiança.

      Colocam o nome da RCC em um assunto que ela não tem nada a ver, já que do que se trata o vídeo a RCC não tem nenhuma participação e nem citação alguma.

      Estão todos viajando na maionese, totalmente alucinados quando levantam falso testemunho a respeito da RCC em assuntos não relacionados a ela.

      Paz para todos.

      Curtir

  8. Eu estou te devendo espaço em um blog Tradicionalista?!

    Sizenando, por favor me poupe!

    Para você conhecer mais sobre a TRADIÇÃO DA SANTA IGREJA CATÓLICA

    No que tange à Santa Comunhão, impera uma grande necessidade na Igreja.
    Um bispo auxiliar do Cazaquistão adverte os bispos alemães que não apenas se alegrem com a Comunhão na boca e de joelhos. Os pastores supremos precisam dissuadir de maneira ativa os fiéis de comungarem na mão.

    (Kreuz.net) No que tange à Santa Comunhão, impera uma grande necessidade na Igreja. Assim esclareceu o Bispo Auxiliar – descendente de alemães – de Karaganda, no Cazaquisão, Mons. Athanasius Schneider (48), em uma entrevista para o canal de TV católico ‘Kephas-TV’. O filme será exibido várias vezes nessa semana.

    O recebimento da comunhão é o encontro com Deus, “perante o qual os anjos se prostram” – esclareceu o Bispo Auxiliar. Deve ficar claro durante o recebimento da comunhão que esse é um momento sagrado. Para os fiéis o mais natural seria ficar de joelhos diante da majestade divina: “Esse é o mínimo que devemos ao Senhor.”

    O ser humano consiste de alma e corpo e também precisa mostrar reverência perante o Senhor. Quanto à distribuição da Comunhão hoje em dia, o Bispo Auxiliar disse que é de chorar “quando a observamos.”

    Os bispos devem se alegrar sobre a Comunhão na boca

    Durante a Comunhão na mão e de pé não haveria mais quase nenhum sinal externo de adoração: “Isso é simplesmente um movimento em série, que transcorre de maneira bastante rápida, em que se recebe o Senhor na forma de pão rapidamente e se coloca na boca por si mesmo.”

    Mons. Schneider adverte o clero também: “Precisamos todos nos alegrar – também os bispos e sacerdotes – quando os fiéis se ajoelham diante do Senhor.”

    Contra o Concílio Pastoral

    Na entrevista o Bispo Auxiliar enfatiza ainda que o apelo da Comunhão na mão no Concílio Pastoral Vaticano Segundo é um “puro mito”. O Concílio não teria dito nada a respeito disso. A Comunhão na mão não teria passado pela cabeça dos padres conciliares.

    Implementada de maneira ilegal

    A Comunhão na mão na forma atual teria sido inicialmente introduzida de maneira ilegítima na Holanda – eclesialmente morta nesse meio tempo. O Papa Paulo VI († 1978) teria “legitimado” a Comunhão na mão pela primeira vez posteriormente. O Bispo Auxiliar Schneider está convencido de que esse Papa não desejaria a Comunhão na mão. No ano de 1968, o Papa indagou o episcopado mundial sobre o tema. Dois terços dos bispos negaram a Comunhão na mão. Eles exigiram que a forma tradicional de recebimento da Comunhão fosse mantida. Mons. Schneider esclareceu também que: Os bispos daquela época reconheciam ainda o perigo de que partículas da hóstia caíssem no chão e que a reverência dos fiéis se perdesse.

    A Comunhão na mão é fortemente proibida no Cazaquistão

    O Bispo Auxiliar Schneider reporta que no Cazaquistão nunca existiu a Comunhão na mão: “Para os fiéis, ajoelhar-se é uma necessidade espontânea. Não se precisa ensinar-lhes de modo algum. A fé interior exige um gesto exterior dos joelhos.”

    Também turistas, diplomatas e executivos precisam receber a Comunhão na boca no Cazaquistão: “Há dois anos a nossa Conferência Episcopal tomou a decisão unânime de que somente a Comunhão na boca e de joelhos seria permitida em todas as dioceses do Cazaquistão – também para os estrangeiros. A Santa Sé concordou com essa norma.”

    Um magistério prático

    Mons. Schneider ficou “bastante admirado” quando o Santo Padre começou a distribuir a Comunhão somente na boca e de joelhos: “Eu considerei isso como um Magistério prático que o Santo Padre nos dá.” Especialmente os bispos deveriam ser muito gratos ao Santo Padre por seu exemplo e imitá-lo.

    O Bispo Auxiliar sugere que os bispos diocesanos recomendem e esclareçam sobre a Comunhão na boca e de joelhos, se recordando de alguns bispos que já fizeram isso. Ele menciona o Prefeito para a Congregação da Liturgia, o Cardeal Antonio Cañizares. Na Quinta-feira Santa o Cardeal exigiu que os fiéis na Catedral de sua arquidiocese anterior, Toledo, recebessem a Comunhão na boca de joelhos. “Na Comunhão todos os fiéis receberam a Santa Comunhão de joelhos e na boca – embora ele só tivesse aconselhado.”

    Ajudar os fiéis em seu direito

    O Bispo Auxiliar Schneider criticou ainda a retirada das mesas da comunhão das igrejas nos anos 70 do último século: “Isso foi como uma avalanche.” Esse fato será encarado como “iconoclasmo” na História da Igreja. O Bispo Auxiliar considera a reintrodução das mesas da comunhão também por razões práticas bastante úteis.

    Os fiéis teriam o direito de se ajoelharem para a Comunhão. Contudo, sem as mesas da comunhão, esses fiéis – sobretudo, os idosos – seriam afetados de maneira adversa. Isso seria uma injustiça.

    Além disso, Mons. Schneider considera a mesa da comunhão como um símbolo. Ela se revela como um armário que fica atrás de algo sagrado – “próximo ao Sacrário, onde o próprio Jesus está verdadeiramente presente”.

    As mesas da comunhão teriam existido já nos primeiros séculos:

    “Quando quisermos nos voltar aos padres da Igreja, às origens, então, deveríamos pelo menos reintroduzir as mesas da comunhão.”

    http://fratresinunum.com/2009/10/05/no-que-tange-a-santa-comunhao-impera-uma-grande-necessidade-na-igreja/

    Curtir

    • Que Bom Renato, trazendo novas mensagens para meu Blog.

      Conheço Fratresiunum. um blog que só coloca notícias satisfatórias ao tradicionalismo e simplesmente esquece o que não lhes interessa.

      Como por exemplo:

      A Comunhão na boca agora tem um inimigo muito maior do que Padres, Bispos ou até mesmo o Papa.

      Este inimigo chama-se Gripe suína ! sabe por que ?

      Porque toda vez que o Sacerdote colaoca a comunhão diretamente na boca de alguém, ele acaba molhando o dedo na saliva deste alguém e portanto se uma só pessoa estiver contaminada com gripe, seja suína ou não, contaminará toda a Igreja.

      A Solução então é cancelar todas as missas, para evitar reuniões ou então colocar a comunhão na mão, porque assim o Sacerdote não se contamina e não contaminará ninguém mais na assembleia.

      Isto é uma atitude determinada pelo ministério da saúde, sei que, tomando-se um cuidado bem maior não haveria problemas, mas o tempo para se limpar a mão com alcool gel após cada comunhão tornaria a distribuição muito extensa e desnecessária, convenhamos, dos males o menor deles é receber a comunhão na mão mesmo, pelo menos por enguanto.

      Relembrando a atitude de Jesus no momento da Santa Ceia, não me lembro de ler na Bíblia que Jesus entregou o Pão vivo consagrado na boca de cada um dos Apóstolos, mesmo eles sendo apenas doze, não me lembro também de Jesus pedir que se ajoelhassem e adorassem a Ele ali naquele momento.

      Só, apenas mais um detalhe:
      Em nossas Igrejas, Jesus fica exposto o dia todo no Sacrário, exatamente para ser visitado e adorado, porém são poucas as pessoas que se aproximam do Santíssimo para adorá-lo.
      Em nossa Catedral, já temos o Santíssimo exposto em adoração perpétua durande o dia todo e podendo ser adorado a qualquer momento e até mesmo o dia todo para quem tiver tempo e disposição.

      No momento de receber a Comunhão, é sim um instante de receber Jesus com Respeito e coração contrito, mas não é um instante de adoração, o momento de adoração é logo após, quando todos haverem comungado, onde podemos olhar para dentro de nós, meditar em nossos erros e pecados, pedir perdão e agradecer de todo coração a Deus e também, porque não adorá-lo em Espírito e Verdade. Aqui, nós fazemos um silêncio, para que todos entrem em espírito de adoração e logo após vem o momento de ação de graças.

      Quem quizer pode se dirigir até o Sacrário e ajoelhar ficando ali em adoração, você está colocando todos numa fila para adorar cada um por sua vez enquanto muitos ficam esperando a sua vez.
      Por que não podemos adorar todos juntos ao mesmo tempo ?

      Esta maneira de receber a comunhão de joelhos e na boca não foi sempre executada na Igreja, sei que você sabe muito bem disto, logo é apenas uma disciplina que fui colocada em prática para evitar o desvio de óstias para outras finalidades, mas tenho ouvido testemunhos diversos de roubos de sacrários, onde roubam óstias consagradas, tenho aqui em meu blog um testemunho de uma pessoas que fingiu ser Católico, entrou na fila da comunhão e recebeu a comunhão na boca, mas retirou a comunhão da boca e escondeu no bolso para levar para casa, logo, entregar comunhão na boca não evita o desvio do Corpo de Cristo, porque a pessoa mau intencionada sempre encontrará um maneira de enganar os olhos daquele que lhe dá a comunhão.

      Bom seria que todas as pessoas que vão a Igreja, realmente fossem convertidas e estivessem em busca da verdade e nada disso seria necessário.

      Porque Jesus se doou em nossas mãos e quis confiar que realmente o amaríamos de todo o nosso coração, mesmo sabendo que Judas era um traidor, mesmo assim também lhe ofereceu seu Corpo e Sangue.

      Por que esconder Jesus deste mundo pecador ? Acaso Jesus não quer é ser exposto e conhecido ? Não foi por sua própria vontade que ele se entregou nas mãos dos homens ? Ele não caminhou pelas ruas quase nú e ficou pendurado na cruz para que todo olho o visse pudesse ser curado de seu pecado ?

      Vou lhe contar uma novidade, na verdade vou lhe relembrar algo que você conhece:

      Jesus Disse que chegaria o tempo em que não adorariamos o Pai em nenhuma parte deste mundo e sim que o adoraráimos apenas em Espírito e verdade, disse ainda mais, são este adoradores que ELE busca, porque não importa o que os olhos veem e sim o que o coração realmente vive, nós homens estamos muito mais preocupados com aquilo que estamos vendo com nossos olhos carnais, mas Deus que vê todas as coisas está muito mais preocupado com aquilo que você não pode ver.

      Nosso julgamento é falho, mas o julgamento Divino, este é justo e perfeito, porque condenar os homens por aquilo que achamos que estamos vendo e inocentar os pecadores “FARISEUS” porque não vimos os seus enormes pecados ?

      Paz.

      Curtir

  9. ”Mas, agora onde publicarei o meu texto sobre o Espírito Santo ?”

    Por que você não pede espaço lá na seita Canção Nova, lá, nessa seita, eles irão dar o espaço que você tanto quer.

    Resposta:

    Sua resposta é BÁRBARA E EVASIVA, Na Canção Nova eu já tenho o meu espaço, eu quero é o meu espaço dentro de sua casa, para que eu possa fazer um churrasquinho para os meus amigos.

    Vai ser possível, ou vai sair fora ?

    Estou esperando.

    Curtir

    • Caro Renato

      Demoraste a me responder, espero que agora satisfaça o teu imenso orgulho e esqueça aquele malfadado assunto.

      Com relação ao texto, realmente estou preparando um texto que será direcionado a vocês, já tenho varios subsídios para falar na linguagem que você entende, comecei as minhas aulas de tradicionalês com Frederico, mas ele abandonou o sala de aula, agora encontrei um bom professor, “O Rogério”, ele é bem mais insistente e tem me ensinado muitas coisas, pena que ele é um pouco sem paciência, ele me mandou um texto de São Gregório que é ótimo, nos ensina como utilizar os Dons espirituais corretamente na Igreja e ainda nos mostra que em sua época “591 d.c.”, o uso destes Dons na comunidade Cristã era muito comum, que até mesmo um Papa falava sobre o assunto como se todos soubessem exatamente do que ele estava falando.

      Só para se ver como tenho aprendido muito com vocês tradicionalistas, e gostaria de compartilhar com vocês o que tenho aprendido com vocês mesmos.

      Quanto ao site da Canção Nova, já tenho um Blog lá e já escrevo o que bem entendo quando quero, talvés não reconheças o meu nome e nem meus textos, já que não sabes diferenciar um Carismático de outro Carismático, não sabes nem diferenciar um Católico de um sismático, como poderia saber quem é verdadeiramente Católico ou quem pertence à seita dos Fedelistas ?

      Agora, você, Renato está me devendo um espaço de qualidade dentro de um Blog Tradicionalista ou estará demonstrando parcialidade e autoritarismo, todas as pessoas teem o mesmo direito, posso dizer o que eu penso a respeito do assunto, você não é obrigado a aceitar o que eu escrever, mas se você tem medo do que eu escrevo, a ponto de não ter coragem de ceder a mim um simples espaço sem compromisso, é porque você não está muito seguro de sua fé, caso contrário não haveria o que temer, porque quando você lê um texto meu, você manda que o responsável pelo Blog apague o meu texto ?

      Tudo isto é medo de que alguém leia e acredite em mim ?

      Eu creio no que eu vivo, pena que você não tenha tanta fé assim como eu, acho até muito bom isto, porque você demonstra que existem muitos como você que ainda estão em dúvida a respeito das afirmativas do Sr. Fedeli e de Mons. Lefebvre.

      O Papa ficará muito feliz que realmente esta seja a verdade.

      Jesus Te ama.

      Ps.

      Estou ainda aguardando o meu espaço.

      Curtir

    • Alo Renato

      Leia este texto do Vaticano. e me diga se está aprovado !

      Porque um católico não pode ser maçom?

      Porque um católico não pode ser maçom?

      Ao longo de sua história a Igreja Católica condenou e desaconselhou seus fiéis à pertença a associações que se declaravam atéias e contra a religião, ou que poderiam colocar em perigo a fé. Entre essas associações encontra-se a maçonaria. Atualmente, a legislação se rege pelo Código de Direito Canônico promulgado pelo Papa João Paulo II em 25 de janeiro de 1983, que em seu cânon 1374, afirma: “Quem ingressa em uma associação que maquina contra a Igreja deve ser castigado com uma pena justa; quem promove ou dirige essa associação deve ser castigado com entredito”.

      Esta nova redação, entretanto, apresenta duas novidades em relação ao Código de 1917: a pena não é automática e não é mencionado expressamente a maçonaria como associação que conspire contra a Igreja. Prevendo possíveis confusões, um dia antes de entrar em vigor a nova lei eclesiástica no ano de 1983, foi publicada uma declaração assinada pelo Cardeal Joseph Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. Nela se apresenta que o critério da Igreja não sofreu variação em relação às anteriores declarações, e a nominação expressa da maçonaria foi omitida para assim incluir outras associações. É indicado, juntamente, que os princípios da maçonaria seguem sendo incompatíveis com a doutrina da Igreja, e que os fiéis que pertençam a associações maçônicas não podem ter aceder à Sagrada Comunhão.

      Neste sentido, a Igreja condenou sempre a maçonaria. No século XVIII, os Papas o fizeram com muito mais força, e no XIX persistira nisto. No Código de Direito Canônico de 1917 eram excomungados os católicos que fizessem parte da maçonaria, e no de 1983 o cânon da excomunhão desaparece, junto com a menção explícita da maçonaria, o que pôde criar em alguns a falsa opinião de que a Igreja por pouco aprovaria a maçonaria.

      É dificil encontrar um tema – explica Federico R. Aznar Gil, em seu ensaio La pertenencia de los católicos a las agrupaciones masónicas según la legislación canónica actual (1995) – sobre o qual as autoridades da Igreja Católica tenham se pronunciado tão reiteradamente com no caso da maçonaria: desde 1738 a 1980 conservam-se não menos de 371 documentos, aos quais deve-se acrescentar abundantes intervenções dos dicastérios da Cúria romana e, a partir sobretudo do Concílio Vaticano II, as não menos numerosas declarações das Conferencias Episcopais e dos bispos de todo o mundo. Tudo isto está indicando que nos encontramos frente a uma questão vivamente debatida, fortemente sentida e cuja discussão não pode se considerar fechadas.

      Quase desde a sua aparição, a maçonaria gerou preocupações na Igreja. Clemente XII, “In eminenti”, havia condenado a maçonaria. Mais tarde, Leão XIII, em sua encíclica “Humanum genus”, de 20 de abril de 1884, a qualificava de organização secreta, inimigo astuto e calculista, negadora dos princípios fundamentais da doutrina da Igreja. No cânon 2335 do Código de Direito Canônico de 1917 estabelecia-se que “aqueles que dão seu nome à seita maçônica, ou a outras associações do mesmo gênero, que maquinam contra a Igreja ou contra as potestades civis legítimas, incorrem ipso facto em excomunhão simplesmente reservada à Sede Apostólica”.

      O delito – segundo Federico R. Aznar Gil – consistia em primeiro lugar em dar o nome ou inscrever-se em determinadas associações. (…) Em segundo lugar, a inscrição devia se realizar em alguma associação que maquinasse contra a Igreja: se entendia por maquinar “aquela sociedade que, em seu próprio fim, exerce uma atividade rebelde e subversiva ou as favorecesse, quer pela própria ação dos membros, quer pela propagação da doutrina subversiva; que de forma oral ou por escrito, atua para destruir a Igreja, isto é, sua doutrina, autoridades em quanto tais, direitos, ou a legítima potestade civil”. (…) Em terceiro lugar, as sociedades penalizadas eram a maçonaria e outras do mesmo gênero, com o qual o Código de Direito Canônico estabelecia uma clara distinção: enquanto o ingresso na maçonaria era castigado automaticamente com a pena de excomunhão, a pertença a outras associações tinha que ser explicitamente declarada como delitiva pela autoridade eclesiática em cada caso. Os motivos que argumentava a Igreja católica para sua condenação à maçonaria eram fundamentalmente: o caráter secreto da organização, o juramento que garantia esse caráter oculto de suas atividades e os pertubadores complôs que a maçonaria empreendia contra a Igreja e os legítimos poderes civis. A pena estabelecia diretamente a excomunhão, estabelecendo-se também uma pena especial para os clérigos e os religiosos no cânon 2336.

      Também recordavam as condições estabelecidas para proceder à absolvição desta excomunhão, que consistiam no afastamento e a separação da maçonaria, reparação do escândalo do melhor modo possível, e cumprimento da penitência imposta. As conseqüências da excomunhão incluiam, por exemplo, a privação de sepultura eclesiática e de qualquer missa exequial, de ser padrinho de batismo, de confirmação, de não ser admitidos no noviciado, e o conselho – no caso das mulheres – de não contrair matrimônio com maçons, assim como a proibição ao pároco de assistir núpcias sem consultar o Ordinário.

      A partir da celebração do Concílio Vaticano II, um incipiente diálogo entre maçons e católicos fez com que a situação começasse a mudar. Alguns Episcopados (França, Países Escandinavos, Inglaterra, Brasil ou Estados Unidos) começaram a revisar a atitude frente a maçonaria; por um lado revendo na história os motivos que levaram a Igreja a adotar essa atitude condenadora, tais como sua moral racionalista maçônica, o sincretismo, as medidas anticlericais promovidas e defendidas pelos maçons; e por outro lado, foi questionado que se pudesse entender a maçonaria como um bloco único, sem levar em conta a cisão entre a maçonaria regular, ortodoxa e tradicional, religiosa e aparentemente apolítica, e a segunda, a irregular, irreligiosa, política, heterodoxa.

      Estes motivos e as mais ou menos constantes petições chegadas de várias partes do mundo a Roma, diálogos e debates, fizeram com que, entre 1974 e 1983, a Congregação para a Doutrina da Fé retomasse os estudos sobre a maçonaria e publicasse três documentos que supuseram uma nova interpretação do cânon 2335. Neste ambiente de mudanças, não é de se estranhar que o cardeal J. Krol, arcebispo de Filadélfia, perguntasse à Congregação para a Doutrina da Fé se a excomunhão para os católicos que se afiliavam à maçonaria seguia estando em vigor. A resposta a sua pergunta foi dada por seu Prefeito, em uma carta de 19 de julho de 1974. Nela é explicado que, durante um amplo exame da situação, tinha-se dado uma grande divergência nas opiniões, segundo os países. A Sede Apostólica acreditava oporutno, conseqüentemente, elaborar uma modificação da legislação vigente até que se promulgasse o novo Código de Direito Canônico. Advertia-se, entretanto, na carta, que existiam casos particulares, mas que continuava a mesma pena para aqueles católicos que dessem seu nome a associações que realmente maquinassem contra a Igreja. Enquanto que para os clérigos, religiosos e membros de institutos seculares a proibição seguia sendo expressa para a sua afiliação em qualquer associação maçônica. A novidade nesta carta residia na admissão, por parte da Igreja católica, de que poderiam existir associações maçônicas que não conspirassem em nenhum sentido contra a Igreja nem contra a fé de seus membros.

      As dúvidas não tardaram em surgir: qual era o critério para verificar se uma associação maçônica conspirava ou não contra a Igreja?; e que sentido e extensão devia se dar a expressão conspirar contra a Igreja?

      O clima generalizado de aproximação entre as teses de alguns católicos e maçons foi quebrado pela declaração de 28 de abril de 1980 Conferência Episcopal Alemã sobre a pertença dos católicos à maçonaria. Como aponta Federico R. Aznar Gil, a declaração explicava que, durante os anos de 1974 e 1980, foram se mantendo numerosos colóquios oficiais entre católicos e maçons; que por parte católica tinham sido examinados os rituais maçônicos dos três primeiros graus; e que os bispos católicos tinham chegado à conclusão de que havia oposições fundamentais e insuperáveis entre ambas as partes: “A maçonaria – diziam os bispos alemães – não mudou em sua essência. A pertença à mesmas questiona os fundamentos da existência cristã. (…) As principais razões alegadas para isso foram as seguintes: a cosmologia ou visão de mundo dos maçons não é unitária, mas relativa, subjetiva, e não pode se armonizar com a fé cristã; o conceito de verdade é, também, relativista, negando a possibilidade de um conhecimento objetivo da verdade, o que não é compatível com o conceito católico;

      Também o conceito de religião é relativista (…) e não coincide com a convicção fundamental do cristão, o conceito de Deus simbolizado através do “Grande Arquiteto do Universo” é de tipo deístico e não há nenhum conhecimento objetivo de Deus no sentido do conceito pessoal de Deus do teísmo, e está impregnado de relativismo, o qual mina os fundamentos da concepção de Deus dos católicos (…).

      Em 17 de fevereiro de 1981, a Congregação para a Doutrina da Fé publicava uma declaração que afirmava de novo a ex-comunhão para os caltólicos que dessem seu nome à seita maçônica e a outras associações do mesmo gênero, com o qual a atitude da Igreja permanece invariável, e invariável permanece ainda em nossos dias.

      fonte: http://www.santamaria.org.br/Conteudo.aspx?A=153&C=654

      Mas, agora onde publicarei o meu texto sobre o Espírito Santo ?

      Jesus te ama.

      Curtir

  10. Vai com calma senhor Sizenando!

    O problema que você tem com o Frederico ou o Márcio, resolva com eles.

    Eu só pedi uma coisa para você:

    Se você não é maçon, e ama a Santa Igreja Católica, não terá trabalho nenhum em colocar artigos contra essa seita diabólica maçonica que sempre trama contra a Santa Igreja Católica.

    Vamos lá senhor Sizenando faça esse favor para os católicos.

    Olá Renato

    Seja bem vindo novamente.
    Obrigado pelo comentário.

    Deixe como comentário o seu texto e eu o aprovarei sem problemas.

    Paz e bem.

    Curtir

  11. Senhor Sizenando, quando o senhor irá colocar artigos no seu blog contra a (*) maçonica?

    Espero por isso, já que o senhor diz que não é maçon.

    (*) – palavra censurada, por se tratar de opinião particular e não a opinião do Magistério Oficial da Igreja Católica.

    Resposta:

    Em primeiro Lugar !

    O Márcio deverá fazer um pedido de desculpas A MINHA PESSOA por permitir que pessoas mentirosas “Frederico de Souza Aleixo” coloquem em seu Blog, acusações sem provas, evidentemente isto é calúnia e difamação, Falso testemunho contra um irmão.

    Tal ato é vergonhoso para um Católico que se define como um Cavaleiro numa cruzada em defesa da MORAL e da Tradição da Igreja.

    Vejo que com tais práticas, ele apenas conseguirá provar que é mesmo afiliado à uma seita diabólica Fedelista e Lefebvrista que difama e ataca a verdadeira Igreja que eles não defendem e sim apenas denigrem.

    Em Segundo Lugar:

    Segundo a Nossa combinação no Blog do Padre Joãozinho, você ficou de oferecer um espaço de boa qualidade em um bom Blog “TRADICIONALISTA” para que eu faça uma postagem sobre o “BATISMO NO ESPÍRITO SANTO”, Ninguém teve a ombridade de oferecer este espaço a minha pessoa até este exato momento.

    Em terceiro Lugar:

    Eu só colocarei um texto que seja aprovado pelo atual MAGFISTÉRIO DA IGREJA.

    Em quarto lugar:
    Já copiei e editei um post em minha defesa, com referência ao assunto em questão, com testemunhos e fotografias, dei um prazo ao Sr. Márcio, para que ele se desculpe, caso contrário ficará evidente que ele é um farsante e mentiroso, apenas uma pessoa que levanta falso testemunho, isto simplesmente jogará toda sua credibilidade na lata do lixo.
    Veja o “Print Screen já postado na NET”


    Em quinto Lugar:

    Não vejo porque eu tenha que atirar pedras nos pecadores só porque eu não sou um pecador como eles, afinal, Jesus disse, quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra… Jesus não me obriga a atirar pedras nos pecadores e sim, deixa sobre o meu próprio julgamento se deveria ou não cometer tal ato, neste caso acho que o conselho de Jesus contraria o seu, e eu tenho por regra não contrariar as palavras de Jesus só porque uma outra pessoa me manda atirar pedras.

    Por último:
    Eu não devo a você nenhuma justificativa ou satisfação a este respeito, já que em minha cidade todos me conhecem e sabem onde vou e onde não vou, não faço nada escondido ou secreto, como o Sr. Frederico que marca encontros secretos com o Sr. Fedeli em Anápolis e Goiânia sem o conhecimento dos referidos Bispos de cada diocese.

    Eu nunca invadi sua casa e comecei a dar ordens, como por exemplo que tipo de televisão você deveria comprar ou encher a sua geladeira de cerveja. jamais dei opiniões neste sentido no blog de qualquer pessoa, prefiro apenas dar a minha opinião contrária quando eu sentir que devo falar alguma coisa.

    Mas como eu já lhe disse, eu ficaria satisfeito se apenas estas condições fossem observadas e para mim não faz a menor diferença colocar ou não um asunto semelhante a este em meu Blog, mas é claro que de graça eu não ponho, se posso ganhar algo em troca.

    Foi um prazer recebê-lo em minha casa, volte sempre, e sinta-se a vontade para ler qualquer texto e colocar o seu comentário, chame também seus amigos para me fazer uma visitinha, mas lembre-se de que a educação deverá ser seguida com primor de um verdadeiro CRISTÃO, porque palavras ofencivas aqui serão censuradas.

    Jesus te ama.

    Curtir

Deixar um Comentério aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: