Efusão no Espirito Santo.



O Batismo no Espírito Santo


O “século da Igreja”, como foi muitas vezes definido o século XX, já se iniciara sob o signo de uma necessidade: o desejo da presença criadora e libertadora do Espírito.


História da RCC.

VATICAN-EASTER-POPE-LORD-PASSION-CANTALAMESSA


Texto do Rev. Padre Raniero Cantalamessa

Tradução: Marta Neves

Sumário: O Batismo no Espírito Santo não é um sacramento, mas está relacionado aos mesmos. O Batismo no Espírito “aviva” e, de uma maneira, renova a iniciação Cristã. No início da Igreja, o Batismo era administrado para adultos convertidos do paganismo e para aqueles que podiam fazer, na ocasião do Batismo, um ato de Fé, e de uma livre e madura escolha. Hoje em dia isto é substituído por pais intermediários ou padrinhos. Nesta situação, raramente, ou nunca, a pessoa batizada está na fase de proclamar, no Espírito Santo, que “Jesus é o Senhor”. E até que chegue neste ponto, todo o resto na vida cristã continua fora de foco e imaturo. Milagres acontecem já não temos experiência e aquilo que Jesus fez em Nazaré: “E por causa da falta de confiança deles, operou ali poucos milagres ” (Mt.13.58). A eficácia do Batismo no Espírito em reativar o batismo consiste nisto: finalmente o homem contribui com sua parte – ou seja, ele faz a escolha da fé, preparada no arrependimento, o que permita o trabalho de Deus tornar livre a si mesmo e para emanar toda sua força. “Isto é como se a tomada estivesse desligada e a luz ligada”. O dom de Deus é finalmente “desvinculada” e do Espírito é permitida a fluir como uma fragrância na vida cristã.

Antes de falar sobre o Batismo no Espírito, é importante tentar entender do que se trata a Renovação no Espírito. Depois do Concílio Vaticano II, muitas coisas na vida da Igreja foram renovados – a liturgia, pastoral, Lei canônica, as constituições das ordens religiosas e os seus adornos. Embora todas essas coisas sejam importantes, são apenas coisas externas e ai de nós, se ficarmos por aí e pensar que a tarefa está concluída, porque não se trata de estruturas, mas almas, que são importantes para Deus. “É na alma dos homens que a Igreja é bela”, escreve São Ambrósio, e, por conseguinte, é na alma dos homens que ela deve tornar-se bela.

Deus é o autor e o poder

A Renovação é uma renovação em que Deus, não o homem, é o princípio autor. “Eu, não você”, diz Deus, “faço novas todas as coisas” (Rev 21:5); “Meu Espírito – e Ele sozinho – podem renovar a face da terra” (ver Salmos 104:30). Desde o ponto de vista religioso, que tendem a ver as coisas de uma perspectiva ptolemaica: a fundação existem os nossos esforços – organização, a eficácia das reformas, boa vontade – com a terra aqui como o centro, que Deus vem para reforçar e coroa, Por Sua graça e o nosso esforço.

Nós devemos – neste momento a Palavra de Deus exclama – “ Devolva o poder a Deus” ( PSalm 68:35) porque “ o poder pertence a Deus” ( PSalm 62:12).
Por muito tempo, nós usurpamos este poder de Deus, gerenciando-o como se fosse nosso, como se nós fôssemos capazes de governar o poder de Deus Temos de mudar totalmente nossa perspectiva . Ou seja, a reconhecer simplesmente que sem o Espírito Santo, nós não podemos fazer nada, nem ao menos dizer: “ Jesus é o Senhor!” ( I Cor 12:3).

Batismo no Espírito e o Sacramento do Batismo

O Batismo no Espírito não é um Sacramento, mas está relacionado com um Sacramento, com vários sacramentos, de fato – para os Sacramentos de iniciação Cristã. O Batismo no Espírito torna real, e de uma maneira renova a Iniciação Cristã. O relacionamento primário é com o Sacramento do Batismo. De fato, esta experiência é chamada de Batismo no Espírito

Nós acreditamos que o Batismo no Espírito torna real e revitaliza nosso batismo. Para entender como um Sacramento que foi recebido a tantos anos atrás, normalmente logo após nosso nascimento, subitamente poderia voltar a vida e emanar tanta energia, como muitas vezes acontece através do batismo no Espírito, é importante olhar para o nosso entendimento da teologia sacramental.

Teologia católica reconhece o conceito de um válido, mas “amarrado” Sacramento. Um sacramento é chamado de atado se o fruto que deverá acompanhar permanece vinculado, devido a alguns quarteirões que impedem a sua eficácia. Um exemplo extremo desta situação é o Sacramento do Matrimónio ou a Ordem Sacerdotal recebidas no estado de pecado mortal. Em tais circunstâncias estes sacramentos não podem conceder quaisquer graça para as pessoas até o obstáculo do pecado ser eliminado através da penitência. Quando isso acontecer o sacramento é dito para viver novamente graças ao caráter indelével e irrevogabilidade do dom de Deus: Deus permanece fiel, mesmo se formos infiéis, porque Ele não pode negar-se (ver Timóteo 2:13).

No caso do batismo o que é que faz com que os frutos do Sacramento fiquem vinculados? Os sacramentos não são rituais mágicos que atuam mecanicamente, sem o conhecimento da pessoa ou desrespeitando qualquer resposta de sua parte. A sua eficácia é o fruto de uma sinergia ou cooperação entre Onipotência Divina – na realidade, a graça de Cristo ou o Espírito Santo – e liberdade humana, porque, como disse Santo Agostinho, “Aquele que criou você sem sua cooeração, não lhe salvará sem sua cooperação. ”

O opus operatum do batismo, ou seja, uma parte ou graça de Deus, tem vários aspectos – perdão dos pecados, o dom do teológico virtudes da fé, esperança e caridade (estes, porém, apenas como uma semente), e divina filiação– — Todos os quais são operados através da ação eficaz do Espírito Santo. Mas o que faz o opus operantis no batismo – ou seja, o homem faz parte, constituída por? Consiste de fé! Quem acredita e é batizado será salvo (Marcos 16:16). Ao lado do batismo, portanto, há outro elemento: a fé do homem. “Para todos que O receberam, Ele deu o poder de se tornarem filhos de Deus: aos que crêem no Seu nome” (João 1:13).

Batismo é como um selo divino posto sobre a fé do homem: depois de ter ouvido a palavra da verdade, o evangelho da salvação, e ter acreditado no mesmo, que tenha recebido (naturalmente, em batismo), o selo do Espírito Santo (cf. Efésios 1:13)

Batismo e Confirmação da Fé

No início da Igreja, Batismo foi um evento poderoso e tão rico em graça que não era necessária uma nova efusão do Espírito como temos hoje. Batismo era ministrado aos adultos que convertidos de paganism e que, devidamente instruído, estavam em posição de fazer, por ocasião do batismo, um ato de fé e uma escolha livre e madura. É suficiente para ler a Catequese Mistagógica sobre batismo atribuído a Cirilo de Jerusalém tornar-se consciente da profundidade da fé para aqueles que esperam pelo batismo serem liderados. Em substância, que chegou ao batismo através de uma verdadeira e real conversão e, assim, para eles batismo era um verdadeiro lavar, uma renovação pessoal, bem como um renascimento no Espírito Santo.

As circunstâncias favoráveis que permitiu batismo, com as origens da Igreja, para operar com tanta força que foi a graça de Deus e a resposta do homem reunidas ao mesmo tempo, e havia uma perfeita sincronização.

Batismo na Infância em Ambientes não-cristãos

Mas agora esta sincronização foi quebrada, como somos batizados quando crianças, e pouco a pouco este aspecto do livre e pessoal ato de fé já não acontece. Foi substituído em vez por uma decisão por intermédio de pais ou padrinhos. Quando uma criança cresceu em um ambiente totalmente cristão, esta fé ainda poderá prosperar, embora a um ritmo mais lento. Agora, porém, já não é este o caso e nosso ambiente espiritual é ainda pior do que o que se encontrava no momento da Idade Média. Não é que não haja vida cristã normal, mas isso agora é a exceção e não a regra.

Nesta situação, raramente, ou nunca, a pessoa batizada vai chegar à fase de proclamar no Espírito Santo, “Jesus é o Senhor.” E até um chegar neste ponto, todo o resto na vida cristã continua fora de foco e imaturo. Milagres já não acontecem e nós experimentamos o que Jesus fez em Nazaré: “Jesus não pôde realizar muitos milagres por causa da sua falta de fé”. (Mt 13. 58)

Vontade de Deus

Aqui, então, é o que eu sinto, é o significado do batismo no Espírito. É Deus respondendo a esta avaria que tem crescido na vida cristã no Sacramento do Batismo.

É um fato aceitável que, ao longo dos últimos anos, tem havido uma certa preocupação por parte da Igreja, entre os bispos, que os Sacramentos Cristãos especialmente batismo, serão administrados por pessoas que não irão fazer qualquer uso delas na vida . Como resultado, ele tem mesmo sido sugerido que o batismo não deve ser administrado a não ser que existam algumas garantias mínimas de que será cultivada e valorizada pela criança em questão. Pois não se deve atirar pérolas aos cães, como disse Jesus, e batismo é uma pérola, porque é fruto do sangue de Cristo.

Mas parece que Deus estava preocupado com esta situação, mesmo antes de a Igreja ser, e levantou-se aqui e ali na Igreja movimentos destinados a renovar a iniciação cristã dos adultos. A Renovação Carismática é um desses movimentos em que a graça principal é, sem dúvida, ligada ao Batismo do Espírito e ao que vem antes dele.

Lançamento e Confirmação de Fé

A Eficácia na reativação do Batismo consiste em : finalmente o homem contribui com sua parte – ou seja, ele faz a escolha da fé, preparada no arrependimento, o que permita o trabalho de Deus tornar livre a si mesmo e para emanar toda sua força. Isto é como se a tomada estivesse desligada e a luz ligada”. O dom de Deus é finalmente “desvinculada” e o Espírito é permitida a fluir como uma fragrância na vida cristã.

Para além da renovação da graça do batismo, o Batismo no Espírito é também uma confirmação do próprio batismo, um deliberado”sim” para ele, para os seus frutos e os seus compromissos, e, como tal, também é muito semelhante à Confirmação . Confirmação sendo o sacramento que desenvolve, confirma, e traz a conclusão do trabalho de batismo. A partir dele, também, que vem o desejo de um maior envolvimento na dimensão apostólica e missionária da Igreja que é geralmente observada em quem recebe o Batismo no Epírito.

Eles se sentem mais inclinados a cooperar com a criação da Igreja, a pôr-se em Seu serviço em diversos ministérios tanto clerical e leigos, a testemunha de Cristo – para fazer todas essas coisas que recordam o acontecimento de Pentecostes e que são acionados no Sacramento da Confirmação.

O batismo do Espírito não é a única ocasião conhecido dentro da Igreja para essa revitalização dos sacramentos da iniciação. Existe, por exemplo, a renovação das promessas batismais na vigília da Páscoa, e existem os exercícios espirituais, religiosos e as profissões, muitas vezes chamado de “segundo batismo”. E em um nível sacramental há confirmação.

Também não é difícil descobrir nas vidas dos santos, a presença de uma efusão espontânea, especialmente na ocasião de sua conversão. A diferença com o batismo no Espírito, porém, é que ele está aberto a todo o povo de Deus, pequenp ou grande, e não apenas para aqueles privilegiados aqueles que fazem os Exercícios Espirituais Inacianos ou fazer uma profissão religiosa.

A Vontade de Deus na História

De onde esta força extraordinária que nós experimentamos quando fomos Batizados no Espírito vem?O que estamos a falar não é apenas uma teoria, mas algo que nós próprios experimentamos e, portanto pode-se dizer com João “O que ouvimos, o que vimos com os nossos próprios olhos, o que nossas mãos tocaram , este também anunciará , Para que você também esteja em comunhão conosco “. (Ver l João 1:1-11 A explicação desta força está no desejo de Deus – porque Deus está satisfeito em renovar a igreja hoje por este meio – e isto é suficiente.
Há certamente alguns precedentes bíblicos, como o disse em Atos 8:14-17, quando Pedro e João, depois de ter ouvido que Samaria congratulou-se com a Palavra de Deus, foram enviados até lá, oraram por eles, e lançaram as mãos sobre eles para que pudessem Receber o Espírito Santo. Mas estes precedentes bíblicos, não são suficientes para explicar a amplitude e a profundidade da contemporânea manifestação da efusão do Espírito.

Podemos dizer, parafraseando um famoso dito do Apóstolo Paulo: Em razão dos cristãos, com toda sua organização, não serem capazes de transmitir o poder do Espírito, Deus estava satisfeito para renovar os fiéis através da insensatez do Batismo no Espírito. na verdade, teólogos procuram por uma explicação e por pessoas responsáveis por moderação, mas almas simples tocam com suas mãos o poder de Cristo no Batismo no Espírito”(1 Cor 12:1-24).

Nós homens e, em particular, os homens da Igreja, tendem a limitar Deus em Sua liberdade: que tendem a insistir em que ele segue um padrão obrigatório (os chamados canais de graça) e nos esquecemos de que Deus é uma torrente que rompe e solto Cria o seu próprio caminho e que o Espírito sopra onde e como Ele quer (não obstante o papel do ensino da Igreja para discernir o que realmente vem do Espírito e que não vêm de Deus). No que consiste o Batismo do Espírito e como ele funciona?
Há um segredo no Batismo do Espírito, misterioso mover de Deus que é o Sua maneira de se tornar presente, de uma maneira que é diferente para cada um, porque só Ele conhece o mais íntimo de nós e como agir na nossa única personalidade Há também a parte externa da comunidade, que é a mesma para todos e que consiste principalmente de três coisas: amor fraterno, imposição de mãos, e oração. Estes são não-sacramentais, mas simples elementos eclesiásticos.

O Espírito Santo Procedendo do
Pai e do Filho

De onde vem a graça que experimentamos no Batismo no Espírito? Dos que estão ao nosso redor? Não! Da pessoa que o recebe? Não! Ela vem de Deus! Somente podemos dizer que semelhante graça está relacionada ao batismo, pois Deus age sempre com coerência e credibilidade e Ele não faz e depois desfaz. Ele honra os compromissos e instituições de Cristo. Uma coisa é certa – que não são os irmãos quem transmitem o Santo Espírito, mas eles o invocam na pessoa. O Espírito não pode ser dado a qualquer homem, nem ao Papa ou a um bispo, porque nenhum homem possui por si mesmo o Espírito Santo. Somente Jesus pode dar o Espírito Santo; todos os outros não o possuem, pelo contrário, são possuídos por Ele. Quanto à <> desta graça, podemos falar de uma nova chegada do Espírito Santo, de uma nova missão do Pai por meio de Jesus Cristo ou de uma nova unção correspondendo a um novo grau de graça.

A fonte deste Texto é o Blog:

Sobre a Rocha de Pedro

Fernando Nascimento

Mas sobre o blog carismático do título… É o blog do estudante de filosofia, Fernando Nascimento (foto), e chama-se Sobre a Rocha de Pedro. O blogueiro é secretário do Conselho Nacional da RCC/Brasil e conta-nos sobre o “batismo no Espírito Santo“. seus textos são na sua grande maioria sobre a Renovação Carismática católica, sua História e ação dentro da Igreja nos dias de hoje.


 



.


4 Respostas

  1. Manda mas sobre a R.C.C.

    Curtir

  2. qual é o significado de efusão do espirito santo ?

    Veja a resposta :

    Curtir

    • Resposta:

      Vou responder bem simplesmente !

      Jesus sempre usou de comparação para explicar as suas verdades espirituais, já que o Espírito Santo é invisível aos olhos.

      1 – Batismo.

      O Espírito é a água – entenda literalmente – Água VIVA.

      Todo Cristão tem que ser Batizado para entrar no Reino eterno de Deus.
      Todos ao serem Batizados deixam de ser meras criaturas e se tornam filhos de Deus e donos do Céu, ou seja recebem o direito de poder entrar e morar eternamente no céu junto de Deus, que é nosso Pai.

      Batismo é um mergulho, uma imersão, em água.
      Significa que a criatura criada por Deus e imergida na presença do Espírito Santo de Deus que gerara nele uma nova criatura, estando ele é claro submergido dentro e no Espírito de Deus, a proposta de São Paulo não seria uma imersão momentânea e sim uma permanência nesta imersão ou pelo menos uma vivência de retorno à esta fonte de água viva.

      Mas como todo Católico é submergido apenas uma vez nestas águas e é considerado que este efeito é permanente e não precisa ser repetido já que a partir do Batismo Deus passa a habitar o nosso coração e nele se torna um hóspede permanente, no entanto, muitas vezes os nossos pecados vão escondendo esta verdade e vão nos fazendo esquecer da nossa verdadeira identidade de filhos de Deus e muitas vezes o homem se torna tão pecador a ponto de renunciar os seus benefícios de filho de Deus e muitos até rejeitam definitivamente este Deus que está dentro de si e até o expulsam de suas vidas, é o caso daqueles que se entregam inteiramente ao pecado e até se consagram ao mal.

      EFUSÃO então é a fervura desta água, aquela água que um dia foi recebida e acabou se congelando e se tornando inerte e inativa dentro de você, agora será fervida, entrará em ebulição.

      Experimente encher uma panela de pressão de gêlo e depois ponha no fogo, veja que ao começar a ferver começará a espirrar água em todas as direções. É como Jesus disse, “Quem crer em mim será como uma fonte que jorra para a vida eterna”, é a mesma coisa, quem entra na presença de Deus e o deixa aquecer esta água, ela sairá de dentro de si e fluirá para fora do homem, não ficará mais inerte e sim será ativa.

      Esta é a intenção de uma efusão no Espírito, tirar o filho de Deus de seu comodismo prático e mostrar-lhe que ele deve assumir a sua condição de filho de Deus neste mundo, que ele deve tomar as rédeas de seu corpo e conduzí-lo a um caminho de santidade fugindo do pecado e não permitir que o homem natural e carnal isole o homem espiritual que existe dentro de você.

      Nós somos muito mais do que parecemos ser, mas é somente o Espírito ativo em nós que nos revela 100% da capacidade que podemos ser.

      Paz de Cristo.

      Sizenando / presentepravoce

      Curtir

  3. Qual a diferença e a relação entre batismo no Espirito Santo e efusão do Espirito Santo?

    Curtir

Deixar um Comentério aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: