Enfim os Olhos se Abriram.

Testemunho do Padre Renato Leite

Contra a Montfort

Texto retirado diretamente do site Montfort, usado pelo Professor Orlando Fedeli em sua própria defesa contra todas as acusações que pesaram contra sua pessoa referente à saída do IBP – Instituto Bom Pastor do Brasil, inexplicavelmente cinco dias após terem conseguido uma Capela Definitiva em São Paulo.

Free Web Counter
Free Counter

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=cronicas&artigo=capela_vazia&lang=bra

Minhas considerações estarão logo abiaxo das palavras de:

Segue

Fratres in Unum

Padre Renato LeitePadre Renato Leite

OS FATOS 1ª parte

Caros amigos:

Falo aqui como testemunha:

.

Temos que reconhecer o mérito de muitos amigos do professor Orlando que por inspiração dele fizeram o quanto puderam para apoiar e estimular o trabalho do IBP no Brasil. A generosidade de alguns foi realmente admirável mas, o discurso de que o apoio dado ao IBP foi em razão de seu combate em favor da Missa Tridentina e da crítica ao Concílio Vaticano II é no mínimo “incompleto” para não dizer “suspeito”.

A casa do IBP situada no bairro do Ipiranga da qual estive à frente por oito meses, foi instituída com uma finalidade específica: “Preparar os alunos do Professor Orlando para ingressarem no seminário do IBP em Courtalain, França”. E obviamente, essa preparação estaria prioritariamente a cargo do professor Orlando que com os amigos, “pagavam todas as contas da casa”, imaginando ter uma espécie de “direito adquirido” para assim proceder no que dizia respeito à formação dos rapazes.

Um fato importante a ser recordado é que a casa do IBP aqui estabelecida não foi uma iniciativa do Instituto mas uma “oferta” do professor Orlando conforme um acordo prévio com o Padre Navas do Chile, então superior do Instituto na América Latina e antigo amigo do professor para que a mesma funcionasse como o descrito acima.

A casa seria um instrumento para o professor Orlando atingir um dos seus mais ousados objetivos: O ter padres sob o seu comando direto. E, para atingí-lo, seria enviado para Courtalain um número cada vez maior de alunos do professor que, ordenados padres, garantiriam a influência e o controle do Instituto do Bom Pastor pelo professor e seus amigos, recordando que o IBP já nasceu Pontifício ou seja “grande” canonicamente falando, com aprovação direta do Papa e portanto “tentador”.
01:15 (11 horas atrás)

Padre Renato

OS FATOS 2ªparte

Logo após sua primeira e última visita à casa e em seguida a de dois de seus colaboradores diretos na França, o superior geral do IBP, Padre Laguerie não gostou da ingerência do professor e exigiu que o Padre Navas tomasse as devidas providências estabelecendo como estratégia de ação quanto ao professor, “o homem das idéias estranhas que queria controlar o IBP”, o que segue:
“O vosso dinheiro sim, as vossas idéias não”.

O professor Orlando imediatamente reagiu acusando o Padre Navas de ser o único responsável pela tentativa de afastá-lo da casa, rompendo assim com ele. Não muito tempo depois o professor viaja para a Europa e encontra-se com o Padre Laguerie que não querendo perder o “dividendo político eclesiástico” de ter uma casa do Instituto em São Paulo , “”autoriza”” o professor a dar aulas… Aqui inicia-se o “êxodo” de padres e seminaristas que lá moravam, entre eles eu, que enfim nos demos conta da encrenca na qual havíamos nos metido.
Após o “acordo”, é enviado para assumir a direção da casa o Padre Perrel que tinha a missão de concluir o trabalho não terminado pelo Padre Navas, apesar da suposta autorização dada para as aulas pretendidas pelo professor.
Mantidas as coisas conforme as ordens do Padre Laguerie, inicia-se uma “guerra fria” entre o Padre Perrel e o professor Orlando assim definida:
“Já que o professor não pode dar aulas na casa do IBP para o Padre e para os seminaristas, o Padre Perrel não pode dar aulas e formação para os amigos do professor”.

01:17 (11 horas atrás)

Padre Renato

OS FATOS 3ª parte

Isso explica a linha de pensamento do Padre no sermão da última missa quando afirmou que:

“Durante esses seis meses no Brasil, tive o sentimento de que para muitos o sacerdote é somente um distribuidor de sacramentos.
E também:

“É neste ponto que a atitude de alguns está errada pois limitaram o Padre à capela, impedindo-o de ir mais além na sua paternidade espiritual.”
Numa referência clara à crise envolvendo o grupo de amigos do professor em São José dos Campos, ele e o próprio professor poucos dias antes da última missa.

Gostaria de terminar esses esclarecimentos recordando a todos que toda essa confusão deve ser “creditada” nas contas das vaidades de duas pessoas:
Primeiramente na conta do professor Orlando que vive esquecido de que, não importa o que diga ou faça, continua sempre um leigo não tendo autoridade docente na Igreja para submeter sacerdotes e formar seminaristas como pretendia nessa malfadada empreitada junto ao IBP. Tal tarefa está reservada exclusivamente aos bispos membros da Hierarquia da qual ele não faz parte.

Em segundo lugar na conta do Padre Laguerie Superior Geral do IBP que tem autoridade direta sobre os padres e sobre a formação dos seminaristas e que discordando das idéias do professor “desde sempre”, tinha a obrigação moral de deixar isso claro sem “simular” uma autorização que depois se verificou inexistente e que gerou inúmeros transtornos permitindo que o “oportunismo” prevalecesse sobre a franqueza e a sinceridade.

Lamento tudo isso e rogo a Deus Sua Misericórdia de modo particular para aqueles que defendendo a “Bandeira da Fé Católica” acabam por ter na prática, as mesmas atitudes daqueles que dizem combater.

Nos Sagrados Corações de Jesus e Maria SS.

Padre Renato Leite

Xeque-mate por Penetra.

Fratres in Unum

Este bom e corajoso sacerdote celebrará, neste domingo, sua última missa antes de retornar a seu lar. Doravante será tido como mais um traidor. Entretanto, uma reflexão deve ser feita ao se olhar para esses últimos dias: esse sacerdote, que por sinal não dá maus conselhos e não é nenhum liberal, também sobrepôs sua dignidade sacerdotal à uma vassalagem prestada a quem se apropria das mentes alheias, da mesma forma que um outro sacerdote (membro de uma facção modernista num instituto tradicional)… Coincidência?!

Que os [profundíssimos] comentários em blogs das mais variadas correntes respondam a esse dilema, já que o mentor e seu veículo oficial se mantêm em silêncio!

PS.: a este bom Pastor nos referíamos neste post de 08 de agosto.

O que diz o IBP sobre o assunto:

Publicamos a última homilia do Abbé Roch Perrel no Brasil:

Os “Modernistas” nada fizeram para tirar o IBP do Brasil!

*obs. Isto não é uma defesa aos erros ou afirmações do modernismo, mas uma simples verdade que isenta qualquer ação externa que motivaram esta atitude do IBP.

Minhas considerações a respeito destas Palavras.

Desde o incidente ocorrido em Anápolis – Go temos entrado em contato com o Prof. Orlando Fedeli sobre suas atitudes equivocadas em relação ao tratamento por ele deferido ao clero Brasileiro, não exclusivamente ao nosso Bispo que foi por ele atacado injustificavelmente, mas também por sua intrusão em assuntos do clero e da Igreja.

Em relação ao IBP, o Sr. Fedeli sempre fez questão de deixar claro que ele os apoiava, o que eu não sabia era que: ele praticamente os sustentava no Brasil com casa comida e roupa lavada.

No entanto foi combinado entre o Sr. Fedeli e o superior do IBP na França “Pe. Languérie”, uma certa independência entre as Instituições “IBP & Montfort”, independência esta que praticamente não existia, quando se tentou estabelecê-la de verdade surgiram os tais problemas “Querelas” que realmente seriam inevitáveis, uma vez que a Montfort declara ser função do IBP coisas que na verdade nunca foram e sim seria a própria vontade do Prof. Orlando Fedeli que sustentava o IBP.

Vendo que seria insustentável continuar mantendo esta situação dúbia no Brasil, vinculado à uma instituição declaradamente contra as posições oficiais da Igreja Católica em Roma e provocando situações que atrapalhavam de certa forma a execução do verdadeiro objetivo do Instituto no Brasil, tomou-se então esta decisão que pode não ser definitiva para o Instituto Bom Pastor, mas certamente será uma quebra definitiva dos vínculos da Associação Montfort com o pouco de Catolicismo que ainda existia dentro do coração de nosso nobre Professor de história.

Não foi falta de cartas e avisos,  nossos site’s considerados inimigos da Montfort sempre publicaram os equivocos do Sr. Fedeli, eu mesmo como amigo cadastrado no site Montfort enviei diversas correspondências, e para comprovar, editei post’s de alerta sobre pessoas que se afastavam da Montfort denunciando erros de seu Mestre, agora ele diz que seus amigos se revelaram inimigos.   Mas quem precisa de inimigos, se ele mesmo se auto-destrói sozinho quando despreza o conselho daqueles que lhe estão mais proximos “Ex. Colaboradores e amigos“, ou daqueles que considerados Inimigos, na verdade seriam seus melhores amigos, porque dizem o que ele precisaria ouvir sem medo de serem mal interpretados ou desprezados.

Meus textos foram enviados ao site Montfort e por toda a NET, na verdade a maioria deles foram apagados e desprezados.   Um destes textos dizia; para se pedir socorro e apagar o fogo que já estava levantando uma nuvem negra de fuligem em cima da sede da Montfort porque os alarmes de incêndio haviam falhado e ninguém estava percebendo o incêndio.       Não era ironia ou arrogância nem  mesmo uma brincadeira de minha parte, mas estas palavras foram interpretadas como a voz de uma criança passando trote de um orelhão ao corpo de bombeiros, e agora o Sr. Fedeli se lamenta por uma capela vazia e um sacrário sem a Real presença de Jesus Sacramentado.

Fico imaginando se realmente a culpa seja:

“[…] O silêncio e os ecos longínquos das risadas dos modernistas, dos sedevacantistas, da ala raivosa da Fraternidade, dos liberais, etc – no Porkut — pelo fim do mais pujante meio de propagação da Missa de sempre, no Brasil […]” Palavras de Orlando Fedeli

Veja ele até se esqueceu de citar a RCC, o movimento mais atacado nos seus textos execráveis.

Se realmente… nós estaríamos felizes por tudo que ocorreu neste dia 03/08/2008 referente ao IBP, como afirmou o Sr. Alberto Zucchi e contrariado pelo próprio IBP.

É claro que não !

Apesar do Sr. Orlando Fedeli creditar a culpa de todos os seus próprios erros a inimigos fictícios e inexistentes, a Igreja Católica não se alegra pelo afastamento do IBP, muito pelo contrário, esperamos que o IBP retorne em breve ao Brasil livre de qualquer compromisso ou vínculo que venha castrar e limitar sua atuação em nome da Verdadeira Igreja Católica e do Papa Bento XVI.

Espero que este episódio sirva para demonstrar a todos aqueles que se dizem Católicos, mas que continuam lutando contra a Verdadeira Igreja Conduzida por Bento XVI e somente por ele, que Jesus está junto com a verdadeira Igreja e não estará com aqueles que lutam contra a verdade se julgando superiores ao Papa Legitimamente eleito pelos Bispos que são os sucessores dos apóstolos de Jesus Cristo neste mundo.

As cinco Virgens despreparadas encontraram a porta fechada e a voz do Noivo lhes dizendo “Vão embora, Não vos conheço…”, mas também existirão alguns que encontrarão a frieza de um Sacrário Vazio e não encontrarão resposta no silêncio da ausência de Jesus Vivo e Sacramentado.

Muita coisa esta sendo dita e muito mais se dirá, acusações e defesas, porém a unidade da Igreja sempre será impressindível, a própria FSSPX já começou a medir suas palavras em afronta ao Papa e retirar textos ofensivos, até mesmo contra o Concílio Vaticano II, isto demonstra um caminho de solução para a crise, os SEDE-VACANTISTAS, por sua vez, morrerão por si mesmos quando não tiverem mais apoio daqueles que sempre supriram seu ódio contra a verdade de que não estamos mais na idade média e aprenderão que o mundo jamais irá girar em sentido contrário retornando ao passado, a solução não está no passado e sim no futuro, o mundo não é mais o mesmo, mas Jesus Cristo sempre será o Mesmo e confiamos na presença do Espírito Santo em nossos corações que nos guia em toda a verdade.

É realmente interessante, aquele homem que ofensivamente atacou nosso Bispo, dizendo uma inverdade, afirmando em seu site ter sido proibido de dar aulas em nossa humilde Cidade, hoje ele mesmo declara ter sido proibido de ensinar em sua própria casa a seus próprios alunos, e o pior, seus alunos se foram um a um sem  nem ao menos lhe dar explicações, diziam estar fugindo de uma “encrenca”.

As mesmas vozes murmurantes que lhe contaram fofocas dos  corredores do Vaticano certamente espalharam a verdade de suas intenções referentes aos seminaristas gentilmente cedidos ao IBP para se tornarem Padres na França.

Enfim, apesar de tudo, o IBP nada perde nesta retirada estratégica, porque demonstra sua liberdade de atuação e revela fatos obscuros que tolhiam e limitavam o verdadeiro objetivo do Instituto em relação à Tradição Católica e ao ensino da Missa  de Sempre no Rito Tridentino.   Sendo o IBP uma entidade ligada diretamente ao Vaticano, sempre terá sua credibilidade restaurada e restabelecida podendo retornar ao Brasil, em São Paulo ou em qualquer outro Estado do País quando assim for da vontade de nosso Senhor Jesus Cristo.

Ex-Church por eu_cohen.

A CAPELA FICOU TOTALMENTE VAZIA.

Na verdade o Professor Orlando Fedeli voltou à cena da Capela e percebeu que ela não estava completamente vazia, havia lhe restado uma imagem da Mãe de Jesus, afinal uma esperança para o retorno de seu Filho tão amado e querido.

Peçamos a interceção daquela que com sua hulmidade suprema aceitou ser uma serva, nada mais de que uma serva, para que através do imenso Amor de Deus, Jesus viesse a este mundo dentro de seu ventre Materno.   Que Ela possa realmente derramar suas graças e seu imenso Amor de Mãe, auxiliando-nos a encontrar e trilhar os verdadeiros caminhos de seu Filho Jesus.

Sou Doente” Afirmação de Fedeli …

O Impossível e o Extraordinário

Ainda a Montfort e o IBP = Deus lo vult!

CONSIDERAÇÕES SOBRE AS CRÍTICAS AO VATICANO II – Veritatis Splendor

8 Respostas

  1. […] Sei que esse poder e essa fama tem diminuído muito de lá para cá, porque temos ajudado o Brasil a ver certas verdades que permaneciam ocultas dentro da Montfort e ent… […]

    Curtir

  2. Não quero tocar em feridas, e muito menos pertubar os mortos, mas como estive entre aqueles que participaram do êxodo, este testemunho do Padre Renato merece alguns esclarecimentos.
    Desde que a casa de formação do “IBP” foi inaugurada em São Paulo (novembro de 2006, e o IBP foi erigido em setembro de 2006), a influência do senhor OF era evidente, tanto que os candidatos só eram aprovados depois que passassem por uma entrevista com ele (tanto que em março de 2007 eram quatro os moradores da casa, e o Pe Renato só mudou-se em maio).
    Depois de algum tempo de convivência, algumas “cartas” foram postas à mesa, e ficou claro que o verdadeiro objetivo da Montfort (entenda como OF, sua esposa e alguns militantes conhecidos como ‘os mais velhos’) era ter os seus padres para formar um instituto próprio, que se chamaria Instituto Santa Catarina de Sena (para quem conhece a correspondência ou a história desta santa, já sabe porque foi escolhida como padroeira de um instituto nada santo). Este instituto teria como superior eclesiástico o Pe Renato (outros padres foram cogitados, mas ou não aceitaram ou não aceitariam), e seria formado por ele e os padres da Montfort “formados” no IBP (por isso, antes de viajar à França e se entender com o Pe Laguerie, o prof. dr. OF fez uma pequena parada em Roma. Até permitiu-se fotografar com o Mons. Ranjith, mesmo ele sendo um modernista bandido, assim como todos os Bispos da Igreja [sic!]).
    Depois de visitar a casa no Brasil em jun/jul de 2007, o Pe Laguerie enviou naquele mesmo ano duas pessoas de sua confiança para levantar alguns esclarecimentos, e suas suspeitas foram confirmadas: quando estas pessoas chegaram à casa não estava presente nenhum responsável pelos candidatos (o Pe Renato estava viajando, e ainda nao havia outro padre residente); não havia um regulamento, a convivência era muito difícil (partidários da Montfort x candidatos da Igreja); não havia horário (estava sujeito ao humor do superior da casa); enfim, tudo ao contrário do que foi apresentado ao Pe Laguerie quando esteve aqui.
    Os “missi dominici” ficaram alguns dias em São Paulo, mas depois foram para o Chile e colocaram os problemas encontrados para o Pe Navas, que estava alheio a tudo. Desta reunião com o Pe Navas surgiu um horário e regulamento para a casa (ago/2007), que nunca foi cumprido, e que só se tornou conhecido em out/2007 quando em visita à casa de São Paulo para conversar com três candidatos que foram expulsos pelo OF, questinou sobre o cumprimento do horário e regulamento que ele tinha escrito. Não sei o que se deu com estes rapazes, mas eles sempre foram honestos em não aderir à Montfort, mesmo morando na casa, e sempre questionaram ao Pe Renato o porquê dele não fazer nada para mudar. As respostas mais comuns eram: “Meu filho, são eles que pagam nossas contas!”, ou em um de seus chiliques ordinários quando ficava revoltado por algum motivo com a Montfort: “Essa gente não sabe quanto custa um padre. Estou aqui fazendo um favor! Qualquer outro padre iria pedir salário, plano de saúde, carro…”.
    A grande confusão começou quando o Pe Perrel viria para o Brasil: nervos a flor da pele, reuniões e cochichos para todos os lados, ataques e chiliques. Quando o Pe Perrel chegou, Pe Renato não era mais um dos habitantes da casa, pois tinha se transferido para o Colégio São Mauro, junto com o seu protegido.
    O desfecho da história os senhores já conhecem, exceto o que aconteceu com alguns candidatos: os que tem maior aptidão (submissão à Montfort e aptidão intelectual) foram encaminhados para o seminário do IBP ou dos Oratorianos na Holanda (com a colaboração de um padre oratoriano que já foi monge no Mosteiro da Santa Cruz, em Nova Friburgo-RJ), e aqueles que não tem tanta aptidão, ficaram nos oratorianos de São Paulo (sob “tutela” deste mesmo padre, que aliás permite ao prof. dr OF lecionar aos seus vocacionados), ou ficaram perdidos, sem saber se tinham ou não vocação, e há um caso de ex-seminarista que não foi readmitido no seu antigo seminário.
    Desculpem-me por ter feito este comentário tão longo, e principalmente por tê-lo tornado em um desabafo, mas a verdade precisava ser dita, e o Pe Renato não é uma vítima inocente que “se deu conta da encrenca na qual havia se metido”. Desde o princípio ele soube e foi conivente com o verdadeiro objetivo da associação IBP-Montfort, associação esta que ainda hoje está em vigor, pois há alunos do OF no IBP, e a Montfort contribui financeiramente com o IBP (só na em 2006 ereção doaram 30mil euros, além de pagarem a hospedagem de cinco seminaristas brasileiros), mas a matemágica financeira da Montfort e de suas outras associações não é assunto deste comentário.
    Não queria torná-lo demasiado pessoal, mas esta revolta e desequilíbrio são alguns dos efeitos que a Montfort causa naqueles que fazem parte ou já estiveram, de alguma forma, envolvidos com eles.
    Ao Pe Renato, para sua questão “quanto custa um padre”, tenho a resposta: para os homens não sei, mas para Deus custa muitas almas.
    Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

    Curtir

  3. meus amigos vcs mordenistas irão pagar amargamente,pelos seus erros agora tenta acaba ,com alguem que defende a igreja catolica apostolica romana, lembre-se as portas do inferno não prevalecerão sobre elas.vcs q são sacerdotes deveria toma vergonha na cara e preucupa com as almas q estão ai sem saber que lado vai ,porque vcs tentam acaba com a igreja com esse pentecostalismo barato ,pensem bem e não seja hipocritas.

    Curtir

    • Olá Antonio

      Vejo que enfim, mais alguém se lembrou de Fedeli, me disseram que ele até havia se aposentado.

      Mas qual é o problema meu amigo, Fedeli criou suas confusões, tentou manipular o IBP, se deu mal…

      Eo que nós temos a ver com isso ?

      Pergunte a ele, porque continua sendo tão arrogante? a ponto de se confrontar com o próprio Papa e acusá-lo de recalcitrante, cambaleante e indeciso.

      Eu apenas noticiei um fato acontecido dentro da Montfort, debaixo dos olhos de todos aqueles que lá estavam, e veja que sua Igreja naquele exato momento não contava com mais de cem pessoas, vens agora confrontar-se com 10 bilhões de Católicos, achando que a sua verdade é a suprema verdade e que todos estão errados, somente o Fedeli está certo.

      Conheço muitas pessoas que pensavam como você, mas agora não pensam mais, nem mesmo os afilhados e compadres de Fedeli querem segui-lo agora, preferem o sedevantismo, que ainda lhes parece mais lúcido do que as ideías de Fedeli.

      Deus te abençoe e te guarde, compadeça de ti e te dê a Paz.

      Curtir

  4. Olá Alberto

    De onde você tirou esta asneira.

    Lefebvre é um homem excomungado oficialmente pela Igreja Católica e a assinatura de Bento XVI está lá na carta de comunicação a ele, como poderia Bento XVI desdizer-se a si mesmo.

    Seria a mesma coisa que renunciar.

    Esta história de atacar o concílio você deve ter lido na Montfort, as notícias verdadeiras é que Ele pede que obedeçam a autoridade do Concílio.

    Orlando Fedeli jamais esteve certo, ele segue os ensinamentos de um homem excomungado, que criou uma Igreja pseudo-católica na Suiça e graças a Deus hoje seus seguidores estão um a um retornando ao caminho certo.

    Veja, Fedeli ficará sozinho em breve e se tornará um sedevacnatista.

    Você já deve ser um deles, ou ainda não ?
    Varias pessoas que escrevem na Montfort já aderiram a esta apostasia.

    Deselho felicidades.

    Curtir

  5. E agora? Bento XVI ataca o Concílio e exalta Lefebvre. O Prof. Fedeli esta certo. seja honesto. Retire este post.

    Curtir

  6. Com a saída do IBP ficou claro que agora o fiel é o Prof. Orlando Fedeli. Até foi bom que os traidores do IBP deixasem a ele sozinho.

    ========
    Resposta
    ========
    Salve Maria.

    fidel@montfor.org.br

    Olá Fedelíssimo.

    Esta é uma palavra derivada de Fedeli.
    Ou seja, aquele que é totalmente fiel à Fedeli.
    Nota-se que o Sr. Fedeli está em primeiro lugar enquanto que o IBP, um orgão eclesiástico e Fiél ao Papa, agora já se tornou um traídor, porque não fornece mais os Sacramentos àqueles que são fiéis à Igreja Montfort, que de Católica, só tem os documentos copiados até antes do Concílio Vaticano II.

    A Fidelidade ao Papa, antes Proclamada pelo Sr. Fedeli de joelhos aos pés de João Paulo II, agora começa a se revelar na verdade daquele que sempre foi infíel, ou, apenas fiel a sí mesmo, às suas proprias ideías, aos seus próprios pensamentos. Pelo que eu saiba, individualismo jamais foi ensinado ou vivido Por Jesus que é o nosso Senhor e Salvador, aquele que fundou a verdadeira Igreja, que deve refletir acima de tudo a Unidade perfeita da Santíssima Trindade. Bem se vê que não é isso que nosso Amigo Sr. Fedeli pretende no fundo do seu coração, porque ele prefere ficar sempre sozinho na sua capelinha vazia.

    Vazia de pesoas, vazia de padres, vazia de alegria, vazia de sacramentos e vazia de Jesus…

    É bom entender bem o que isso significa lá no fundo…

    Quem mesmo seria um traidor de verdade ?

    Antes de serem traidores, o IBP eram servos e serviam aos participantes da Montfort, mas não consequiam atingir os seus objetivos no Brasil, porque de certa forma esta pequena parceria não lhes ajudava a serem totalmente fiéis à Igreja e ao Papa Bento XVI.

    Mas Agora, apesar de serem tridentinos e tradicionalistas, não passam de simples traídores !

    Espero que este pensamento não seja compartilhado por outros tradicionalistas que não sejam
    Fedelíssimos e ofereçam seu apoio incondicional ao IBP e ao Papa.

    In Corde Jesu, Semper.

    Curtir

  7. Lá se vai a auto-suficiente nau do velho dr. Fedeli à pique…e a Nau da Igreja, pujante, gloriosa, segue seu rumo, Graças a Deus!

    ========
    Resposta
    ========

    Olá Rodrigo

    Esta não é a primeira vez que o Sr. Orlando Fedeli fica sozinho e desolado sem missa Tridentina e amargando a triste verdade da certeza que Jesus não está presente ao seu lado, mas como de outras vezes ele sempre consegue se virar, creio que não será diferente desta vez, mas uma coisa é certeza, seja lá quem for ajudar o Sr. Fedeli agora, em breve estará se retirando também, Bem diria o Pe. Joel Danjou da FSSPX, Fedeli é um sofista, tem quem diz que não, mas mais uma vez esta tese foi comprovada e o interesante é que ele culpa os outros pelos seus próprios erros, principalmente a concorrência da FSSPX que deveriam se unir em prol da Missa Tridentina, mas bem sabemos que o interese do Sr. Fedeli e da FSSPX estão camuflados e disfarçados, e a Missa de Sempre é apenas uma bandeira que se guarda e se esconde para aparecer seus verdadeiros intereses “Que são… ???”

    Nota-se neste Cisma desde o seu início é que ele sempre se divide, aquilo que começou no erro da desobediência só gera mais desobediência, e na desobediência é impossível existir união que é uma caracteistica dos verdadeiros filhos de Deus, enquanto a desobediência e a divisão é uma característica dos filhos do outro “anticristo”, nem adianta se defender, veja a FSSPX hoje mais uma vez dividida em suas decisões e ficam impacados num erro, enquando uns querem voltar para Roma outros querem se afastar ainda mais.

    Enquanto isso a nau da Igreja continua seu curso, e como diz o próprio Jesus, nem as portas do inferno prevalecerão contra ela, nossos amigos dizem que a direção está incorreta, que deveriamos voltar no tempo e paralizar a Igreja no tempo da idade média no Papa Pio X.

    O Barco dos apóstolos na travessia do mar revolto da galileia também praticamente não avançava, e não conseguiam vencer o vento da tempestade, no entanto, Jesus entrou no barco, acalmou a tempestade e foi em frente, mas não voltou jamais e nem ficou no meio do mar como querem e pretendem alguns.

    Aprendi uma coisa com Dom Pestana “Um Bispo tradicionalista”, “devemos ficar com a Igreja, mesmo que ela esteja errada, porque se o barco afundar, os responsáveis pelo barco é que vão pagar pelo erro, mas eu serei salvo”, na verdade não creio nisto não, mas o incrível e que os mesmos que ensinavam isto quando estavam no comando do barco, agora ensinam o contrário e me mandam pular na agua se eu quiser me salvar.

    Este é o trabalho do Sr. Fedeli, jogar as pessoas fora do barco da Igreja, logicamente ficam todos num barquinho que por mais que não queiram acabam seguindo a grande nau da Igreja pelo mesmo caminho que ela vai, afinal de contas onde estão os mantimentos e os Sacramentos ?

    Onde esta Jesus, numa Capela Vazia e num sacrário vazio já que Ele não está no meio dele, porque no meio de nós Ele está, isto é Fedeli acredita que o Espírito Santo não mora em seu coração, pelo menos é o que ele ensina a seus discípulos, que não existe Batismo no Espírito Santo, que Deus jamais fez esta promessa e contraria a palavra de São João quando diz que Jesus Batiza no Espírito Santo e o pior de tudo diz que isso é coisa do demônio. Leia o texto que um de seus discípulos me escreveu no comentário no Blog
    “Deus no Vult”, é isso que ele diz lá em defesa da tese de Fedeli contra o CV II.

    Agora ele se declara um velho doente, para ficarmos com peninha dele, mas em suas cartas ele demonstra extremo vigor, principalmente quando se trata de afrontar um Bispo, um fiél representante da Igreja Católica neste mundo ou quando escreve cartas dizendo ser fiél ao Papa, mas que na verdade expõe a sua vontade e a sua teoria como se fosse a voz do Papa.

    Qual será a nova do Sr. Fedeli ? Aguardemos !
    Pode até esperar tiro pra todo lado…

    Amem.

    Curtir

Deixar um Comentério aqui.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: